Arte 1o2o ano 11.02.2014

  • 504 views
Uploaded on

 

More in: Education
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Be the first to comment
    Be the first to like this
No Downloads

Views

Total Views
504
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0

Actions

Shares
Downloads
30
Comments
0
Likes
0

Embeds 0

No embeds

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
    No notes for slide

Transcript

  • 1. ARTE: QUEM TEM UMA EXPLICAÇÃO ?
  • 2. Devemos buscar sempre uma explicação, quando estamos em contato com uma obra de arte? A arte precisa de uma explicação? Afinal, quando você está diante de uma obra de arte, muitas vezes você não questiona: “O que é arte?” ou “O que não é arte?” Muitas vezes ouvimos falar em vários termos como: Bienal, Barroco, Rococó, Art-nouveau... Você os conhece? O que eles representam para a arte? Alguns desses termos aparecem na música Bienal, de autoria dos compositores e cantores Zeca Baleiro e Zé Ramalho. Vamos ouvir a música, se possível, e analisar a letra.
  • 3. BIENAL (ÁLBUM: VÔ IMBOLÁ) – ZECA BALEIRO E ZÉ RAMALHO. Desmaterializando a obra de arte no fim do milênio Faço um quadro com moléculas de hidrogênio Chego a um resultado estético bacana Fios de pentelho de um velho armênio Com a graça de Deus e Basquiat Nova Iorque me espere que eu vou já Cuspe de mosca, pão dormido, asa de barata torta Meu conceito parece à primeira vista Um barrococó figurativo neo-expressionista Com pitadas de art-nouveau pós-surrealista Calcado na revalorização da natureza morta Minha mãe certa vez, disse-me um dia Vendo minha obra exposta na galeria Meu filho isso é mais estranho que o cu da jia E muito mais feio que um hipopótamo insone Pra entender um trabalho tão moderno É preciso ler o segundo caderno Calcular o produto bruto interno Multiplicar pelo valor das contas de água luz e telefone Picharei com dendê de vatapá Uma psicodélica baiana Misturarei anáguas de viúva Com tampinhas de Pepsi e Fanta Uva Um penico com água da última chuva Ampolas de injeção de penicilina Desmaterializando a matéria Com a arte pulsando na artéria Boto fogo no gelo da Sibéria Faço até cair neve em Teresina Com o clarão do raio da Silibrina Desintegro o poder da bactéria Com o clarão do raio da Silibrina Desintegro o poder da bactéria Rodopiando na fúria do ciclone Reinvento o céu e o inferno Minha mãe não entendeu o subtexto Da arte desmaterializada no presente contexto Reciclando o lixo lá do cesto Zeca Baleiro. Fonte: <http://cifraclub.terra.com.br/cifras/cifras
  • 4. Você, algum dia já se sentiu como essa mãe que é citada na música? Já ouviu falar em barrococó, figurativo, neo-expressionista, rodopio, art-nouveau, subtexto, póssurrealista, psicodélica, natureza morta, pulsação? Você sabe quem é Basquiat? Por trás de cada um desses termos, vislumbramos uma série de conteúdos da Arte. Na sua opinião, o que é “um resultado estético bacana”? Justifique sua escolha.
  • 5. Carreira: Jean-Michel Basquiat (Brooklyn, Nova Iorque, 22 de dezembro 1960 - Nova Iorque, 12 de agosto de 1988) foi um artista americano. Ganhou popularidade primeiro como um grafiteiro na cidade onde nasceu e então como neo-expressionista. As pinturas de Basquiat ainda são influência para vários artistas e costumam atingir preços altos em leilões de arte. Basquiat primeiro alcançou notoriedade como parte de SAMO, um grupo informal de graffiti que escreveu epigramas enigmáticos no viveiro cultural do Lower East Side de Manhattan , Nova York , durante a década de 1970, onde o hip hop , póspunk e street art como movimentos haviam transformado o cenário. Na década de 1980 ele estava exibindo seus trabalhos neo-expressionistas e Primitivistas (naif) pinturas em galerias e museus a nível internacional, mas ele morreu de overdose de heroína, com a idade de 27 em 1988. O Museu Whitney de Arte Americana realizou uma retrospectiva de sua arte em 1992. A arte de Basquiat focada em "sugestivos dicotomias ", como a riqueza contra a pobreza, a integração contra a segregação e interior contra experiência externa. Ele se apropriou de poesia, desenho e pintura, e casando texto e imagem, abstração e figuração , e informação histórica misturada com a crítica contemporânea. Basquiat usava comentário social em suas pinturas como um "trampolim para as verdades mais profundas sobre o indivíduo", bem como os ataques contra as estruturas de poder e sistemas de racismo, enquanto sua poética foram agudamente político e direto em suas críticas colonialismo e suporte para luta de classes .um filme que levava seu nome foi lançado contando sua biografia, dirigido por Julian Schnabel e com o ator Jeffrey Wright no papel de Basquiat. Fontes: http://dolixoaoluxosocialclub.blogspot.com.br/2011/09/keithharing-e-jean-michel-basquiat.html http://pt.wikipedia.org/wiki/Jean-Michel_Basquiat http://www.artexpertswebsite.com/pages/artists/basquiat.php
  • 6. ALGUMAS OBRAS DO ARTISTA Mona Lisa - 1983 Eraly Moses – 1983
  • 7. NEOEXPRESSIONISMO Neo-expressionismo é o nome dado ao movimento artístico alemão surgido nos anos 80, que buscava resgatar a pintura como meio de expressão e a identidade cultural alemã. Neoexpressionismo Modalidade artística resgatada a partir da década de 80, ao voltar a registrar os sentimentos pela arte. Foi fortemente influenciado pelo Expressionismo, Simbolismo e Surrealismo. Trouxe de volta a pintura e a escultura, com suas representações críticas, emocionais e subjetivas, após algumas décadas. Formulando o devir da arte em sua história universal. Os artistas costumavam utilizar tintas misturadas a materiais como areia, palha e outros, colados à tela. A arte dos anos 90 e da virada do século reafirma as tendências supracitadas enveredando-se ainda mais na política e causas sociais, ambientais e econômicas. Mostra ainda a proliferação da arte performática, das instalações e suportes associados a gêneros híbridos e materiais variados. Fonte: http://pt.wikipedia.org/wiki/Neoexpressionismo Ao lado O grito, de Edvard Munch, 1893. obra Exressionista.
  • 8. O Expressionismo surge em 1910, na Alemanha, como um modo de contradizer a maneira da arte impressionista expressar a realidade, a qual valorizava a pintura com traços e efeitos da luz do sol sob a imagem e a valorização das cores obtidas através da exposição solar. Já a pintura expressionista busca a manifestação do mundo interior através das feições, é a materialização do sentimento do artista a respeito de algo vivenciado, sem a preocupação em embelezar a imagem. As pinturas de Van Gogh foram precursoras deste movimento de expressão nítida da visão do artista ao perceber uma realidade. A exteriorização de sua reflexão refletida no seu modo peculiar do uso das cores foi fonte de inspirações para os pintores expressionistas alemães e austríacos, e até mesmo aos artistas do século XX, como Jackson Pollock. Outro artista precursor do Expressionismo que deixou um marco através de sua obra “O grito” é Edvard Munch. Neste quadro vemos a expressão de medo, de dor, de angústia em relação ao conturbado final do século XIX em junção com sua própria vida. O declínio desta estética, mais fundamentada na pintura, ocorre a partir de 1933 com a ascensão de Hitler na Alemanha. Desde então, a arte passa a seguir a tendência da “arte pura” em paralelo com a ideologia da busca da “raça pura” instituída por Hitler ao povo germânico. A autora Anita Malfatti, em 1912, foi à Alemanha, onde teve contato com o Expressionismo alemão, o qual influenciou as obras da artista. Em 1917, após duas exposições, Anita gera diversos rebuliços na arte, os quais culminam na mostra de arte moderna, a qual deu início ao movimento modernista em 1922. Fonte: http://www.mundoeducacao.com/literatura/expressionismo.htm
  • 9. Vincent de Van Gogh – Escola Expressionista. Jackson Pollock – formação Expressionista e com gestos que buscam o abstrato.
  • 10. MATERIALIDADE Em todo trabalho de arte sempre há a combinação de materiais. Cada material é uma matéria que dá consistência física à obra de arte. O corpo, o movimento, do/no corpo, como o Mamoré, a parafina e o feltro, ou, som e o silencio, são matérias que deixam de ser o que são quando sujeitas à pratica artística, perdendo sua crueza de matéria pela passagem para o simbólico. Matérias são peles sobre a carne da obra. “Separar a matéria de sua obra é impossível. A matéria é insubstituível: a obra nasce como a adoção de uma matéria e triunfa como matéria formada.” (Pareyson) Quando tratamos de materialidade nas artes, seja em qualquer eixo artístico, tratamos principalmente do que podemos ver, perceber e fazer para que a arte ou obra de arte possa existe em um contexto visível e apreciável. Assim tratamos de três peças fundamentais para que tudo se torne possível, o suporte, a ferramenta e a matéria. O suporte à podemos assim exemplificar, como o que suporta, segura, serve de sustentação para a obra de arte. Nas artes visuais o suporte mais comum é a tela de pintura, pois ela suporta o desenho, a pintura. No eixo música, o principal suporte para o som é a pessoa que segura e toca o instrumento ou sustenta a voz que faz então a melodia. Já no eixo dança como no teatro também temos como principal suporte o corpo do artista, que dá para a arte a possibilidade do gesto.
  • 11. A ferramenta à é sem dúvida nenhuma uma arma que se utiliza para a criação, assim, como o exemplo de suporte para as artes visuais foi a tela, temos como ferramenta o pincel, que é o que vai servir para que a obra de arte seja realizada, na música a ferramenta são os instrumentos musicais ou as cordas vocais, no teatro e na dança as ferramentas podem ainda ser o corpo dos artistas, uma vez que elas são o que sustentam (suporte) mas o que fazem acontecer também. A matéria pode ser considerada propriamente o que chamamos de material para a arte, sendo assim, é o que se utilizou para que a obra de arte pudesse ser realizada e finalizada, assim a matéria para o nosso exemplo de artes visuais são as tintas, para a música seria a melodia, os sons e para o teatro e a dança, as formas corporais e os gestos. Basicamente seria assim que poderíamos definir a materialidade nas artes, de uma forma simples.  Postado por Alice: http://alicearteducacao.blogspot.com.br/2010/11/materialidade.html  Ao lado Brígida Baltar - Neblina
  • 12. ARTES VISUAIS tela papel FERRAMENT A pincel lápis TEATRO O corpo do artista O corpo do artista DANÇA O corpo do artista O corpo do artista MÚSICA Pessoa que toca ou canta Instrumentos musicais e cordas vocais SUPORTE MATÉRIA tinta grafite Formas corporais e gestos Formas corporais e gestos Sons e melodia
  • 13. ENTÃO PODEMOS DEFINIR QUE A MATERIALIDADE NAS ARTES VISUAIS SIGNIFICA: Todos os elementos, materiais e imateriais, que servirão de sustentação física e/ou simbólica a obra de arte.
  • 14. IMPRESSIONISMO – SÉCULO XIX Monet - Dia Monet – Senhora Monet e seu filho
  • 15. Edouard Manet – The Bar... Edouard Manet - Garçonete.
  • 16. EXPRESSIONISMO – INICIO DO SÉCULO XX. Cândido Portinari – Retirantes. Portinari – Criança Morta.
  • 17. Edvard Munch.
  • 18. Giger – influências surrealistas. Monet – impressionismo.
  • 19. BIENAL “Exposição internacional de arte montada a cada dois anos e julgada por um comitê internacional. A primeira e mais famosa bienal foi a de Veneza, instituída em 1895 com o nome de “Exposição Internacional de Arte da Cidade de Veneza” e que pretendia representar “as mais notáveis atividades do espírito moderno, sem distinção de nacionalidade”. A esta Bienal acorreram artistas de 16 países, e o comitê incluiu individualidades tão célebres quanto BurneJones, Israëls, Libermann, Gustave Moreaux e Puvis de Chavannes. A exposição logo adquiriu prestígio mundial, e quando foi montada, após a Segunda Guerra Mundial, em 1948, tornou-se uma espécie de ponto de encontro da vanguarda internacional. Henri Moore, por exemplo, consolidou sua reputação quando recebeu em 1948 o prêmio Internacional de Escultura. Outras Bienais foram inauguradas segundo o modelo de Veneza; dessas, as mais prestigiosas são a de São Paulo, fundada em 1951, e a de Paris, fundada em 1959”. (CHILVERS, 1996, p.61) Bienal é um evento – completo e complexo também – que pode envolver diversas modalidades artísticas, na qual podem ser expostas obras de Artes Visuais, Audiovisuais, Teatro e Dança (a Performance é um exemplo). Assumindo formato próximo ao das bienais, há também as exposições em Salões de Arte.
  • 20. QUESTIONÁRIO: 1. 2. 3. 4. 5. 6. 7. 8. Que foi Jean-Michel Basquiat? Com que tipo de arte começou e a que escola artística suas obras são remetidas? O que é materialidade? Identifique o tipo de materialidade usada nas obras de Basquiat. Cite algumas posições políticas tomadas por Basquiat em suas obras. Defina a diferença entre impressionismo e expressionismo. O que é neoexpressionismo? Cite alguns artistas precursores do movimento Expressionista. O que é uma bienal?