Your SlideShare is downloading. ×
  • Like
Filosofia 2 (de acordo com manual "Pensar Azul")
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

×

Now you can save presentations on your phone or tablet

Available for both IPhone and Android

Text the download link to your phone

Standard text messaging rates apply

Filosofia 2 (de acordo com manual "Pensar Azul")

  • 3,414 views
Published

 

Published in Education
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Be the first to comment
    Be the first to like this
No Downloads

Views

Total Views
3,414
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0

Actions

Shares
Downloads
49
Comments
0
Likes
0

Embeds 0

No embeds

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
    No notes for slide

Transcript

  • 1. II A Acção Humana e os Valores 1.1 A rede conceptual da acçãoSUMÁRIOSituação-ProblemaAnálise da Situação-ProblemaCaracterização do conceito de acçãoA complexidade do agirCondicionantes da acção
  • 2. Que vamos estudar ?“No supermercado da vida, os animaisaparecem com uma tecnologia de ponta;pelo contrário, os seres humanos sãoanatomicamente indigentes, e compensamcom a sua actividade inventiva as limitaçõesa que estão sujeitos.” F. Savater → Esta “actividade inventiva” é a acção
  • 3. ProblemaQual a especificidade da acção humana?
  • 4. Situação-Problema >>> O caso dramático das térmitasAs formigas‑brancas constroem formigueiros com vários metrosde altura e duros como pedra...o formigueiro serve‑lhes decarapaça colectiva contra certas formigas inimigas... por vezesum dos formigueiros é derrubado... A seguir as térmitas operáriocomeçam a trabalhar para reconstruir a fortaleza...entretanto jáas grandes formigas inimigas se lançam ao assalto. As térmitassoldado saem em defesa da sua tribo e tentam deter as inimigasenquanto ferozes mandíbulas as vão despedaçando. Asoperárias trabalham para fechar de novo a termiteira deixandode fora as pobres e heróicas térmitas soldado, que sacrificam assuas vidas pela segurança das restantes formigas.→ Não será justo dizer que são valentes? Pensar Azul p. 42-43
  • 5. Termiteira - formiga branca, África
  • 6. Situação-Problema >>>O caso de HeitorHomero, na Ilíada, conta a história de Heitor,o melhor guerreiro de Tróia, que espera a pé firme,fora das muralhas da sua cidade, o enfurecidoAquiles, embora sabendo que Aquiles é mais fortedo que ele e que provavelmente vai matá-lo.Fá-lo para cumprir o seu dever, que consisteem defender a família e os concidadãos do terrívelassaltante→ Heitor é um herói, um homem valente como deve ser. Alguém duvida?
  • 7. Exploração da Situação-Problema•  Mas será Heitor heróico e valente da mesma maneira que as térmitas soldado, cuja gesta nenhum Homero se deu ao trabalho de contar?•  Não faz Heitor, afinal de contas, a mesma coisa que qualquer uma das térmitas anónimas?•  Porque nos parece o seu valor mais autêntico e mais difícil do que o dos insectos? Qual é a diferença entre os dois casos?
  • 8. Análise da Situação-ProblemaComportamento das Comportamento deformigas Heitor•  as formigas reagem à ameaça •  Heitor não reage por instinto•  cada grupo desempenha a tarefa •  interiorizou valores (dever deprogramada defender a Pátria, a família e os concidadãos)•  não podem recusar as tarefas•  as formigas seguem o instinto •  pode recusar-se a lutar (correndo o risco de ser chamado•  as operárias não podem escolher cobarde)não trabalhar, nem as soldadopodem escolher fugir •  tem consciência do risco, talvez sinta medo, mas escolhe lutar
  • 9. Caracterização do conceito/termo acçãoProblemaQual a especificidade da acção humana?Como usamos o termo acção na linguagemcorrente?Serve apenas para designar comportamentos comoo de Heitor?Que significa o termo acção?
  • 10. Significado do termo acção O termo acção é usado com significados diferentes: –  dizemos que a acção das cegonhas é benéfica para a agricultura ou que a gravitação é uma forma de acção à distância –  dizemos indiferentemente agiu bem ou fez bem, usando os termos agir e fazer como sinónimos
  • 11. Etimologia•  O termo fazer (do latim facere) tem um sentido mais amplo do que agir•  O termo agir ou acção (do latim agere) designa apenas algumas das nossas actividades
  • 12. Acção e Acontecimento >>>Os termos acção e agir Está excluído dodesignam apenas os conceito de acção:comportamentos: •  o que os animais fazem•  intencionais •  os movimentos que fazemos a dormir•  conscientes •  as reacções automáticas (fisiológicas ou psicológicas)•  voluntários (ver textos 1 e 2)
  • 13. Acção e Acontecimento >>> Exemplo Ir voluntariamente à farmáciaConstipar-se não é uma é uma acção - porqueacção porque •  resulta de deliberação•  constipar-se é algo que (convém ir ou não?)acontece a uma pessoa •  há decisão voluntária de um agente (vou!)•  não há interferência da suavontade •  há uma intenção (comprar um medicamento) •  há um motivo (estar doente)
  • 14. Definição de AcçãoAcçãoÉ uma interferência consciente e voluntáriado agente no normal decurso das coisasque, sem essa interferência, seguiriamum caminho distinto
  • 15. Aplicação à Situação-ProblemaO comportamento das O comportamento deformigas não é uma acção, Heitor é uma acção,porque: porque há:•  não há consciência • agente•  não há intencionalidade • consciência•  não há possibilidade de • possibilidade de opçãoopção (ainda que condicionada)•  apenas há reacção ou • intencionalidaderesposta instintiva
  • 16. Rede conceptual da acção Livre-Arbítrio ou Vontade capacidade de escolher Agente Heitor escolhe lutar: sujeito da acção: poderia ter fugido HeitorConsciênciapercepção de Intençãosi como autor propósito da acção:da acção. defender a cidade,Heitor reconhece-se a família e os concidadãosdefensor da cidade Motivo porquê da acção: o dever de defender a cidade, a honra e a dignidade
  • 17. Consciência, inteligência, vontade, corpoA consciência identifica (a intenção e o motivo)A inteligência delibera (avalia as opções)A vontade decide (escolhe uma das opções)O corpo executa (põe em movimento)
  • 18. Complexidade do agirPosso fazer o que quero, mas não posso querer o que queroSchopenhauer, O mundo como vontade e representação
  • 19. O voluntário e o involuntário >>>Definimos acção comouma interferência consciente e voluntária do agenteAgora perguntamos:•  O agente decide sempre em função de razões que ele próprio escolheu?•  Conhece todos os motivos que o movem?•  Existem motivações não conscientes?
  • 20. O voluntário e o involuntário >>>Alguns autores não reconhecem à Vontade poderpara optarOutros reconhecem esse poder, mas afirmam que asubjectividade humana também integra forças etendências inconscientes resistentes ao poderda vontade
  • 21. O voluntário e o involuntário >>>As forças que podem constituir motivações involuntárias são:1.  Qualidades do carácter que constituem o nosso modo de ser (costumamos chamar-lhes índole ou temperamento - exemplo: tendência espontânea para ser egoísta, rancoroso, vingativo ou colérico, ou para ser boa pessoa, generoso e solidário)2. Forças e tendências de que não nos apercebemos, mas que também influenciam a decisão
  • 22. O voluntário e o involuntário >>>Embora estas qualidades do carácter e as forças etendências inconscientes não resultem de umaescolha da vontade, têm de ser integradas eharmonizadasÉ por tudo isto que o processo da deliberação e dadecisão é um processo complexo e conflituoso(sobretudo nos casos em que motivações afectivas, desejose forças inconscientes ou instintos básicos como o desobrevivência - opõem resistência a motivações de ordemracional)
  • 23. O voluntário e o involuntário >>>Então, que significa “querer”?Significa:•  Decidir, assumindo o involuntário•  Consentir, conciliando o voluntário e o involuntário•  Agir, movendo o corpo
  • 24. O voluntário e o involuntário >>>A decisão é, portanto, um acto da vontadeA vontade:•  Define um projecto, assumindo um propósito baseado emrazões ou motivos (alguns motivos podem ser inconscientesou conter elementos involuntários)•  Concretiza a intenção(mobilizando o corpo, intervindo na realidade)•  Harmoniza os elementos voluntários e involuntários,responsabilizando o agente
  • 25. Condicionantes da acção >>>Condicionantes Condicionantesfísico-biológicas histórico-sócio-culturaise psicológicas (noutra época e noutro lugar cada (conferem aptidões mas um de nós seria diferente) condicionam as acções) •  Época histórica•  Património genético•  Ambiente •  O meio sociocultural•  Personalidade
  • 26. Condicionantes da acção >>> Socialização Cultura é o processo de é o conjunto de formas integração de uma que um grupo social criança numa adoptou para tratar determinada de todos os problemas sociedade (implica que lhe são comuns, a assimilação da cultura que herda e transmite a que pertence) às gerações seguintes (Texto 3)
  • 27. Somos ou não somos livres? Segundo Pico della Mirandolla (séc.XV), ao criar o Homem, Deus disse:Não te dei, Adão, nem um aspecto propriamente teu, nemnenhuma prerrogativa tua, para que aquele lugar, aqueleaspecto, aquelas prerrogativas que tu desejas, tudo, segundo atua vontade e juízo, obtenhas e conserves. A naturezadeterminada dos restantes seres está contida nas leis por mimprescritas. Tu determiná-la-ás a ti mesmo, sem estarcondicionado por nenhuma fronteira, segundo o teu arbítrio, acujo poder te consigno para que tu próprio, livre e soberanoartífice, te modelasses e esculpisses na forma escolhida por ti. “Sobre a dignidade humana”, in Savater, A Coragem de Escolher Pensar Azul, p. 48
  • 28. Condicionantes Condicionantesfísico-biológicos Ser Humano socioculturais Dimensão bio-psico-sócio-cultural Vida social emHerança genética interacção com os(sem natureza pré- ↔ outros - influência dadefinida) cultura e do ambiente ↓ Assimilação/criação de cultura - desenvolvimento de factores cognitivos e activos (consciência e vontade) ↓Consciência → AGENTE ← Intenção Vontade → ↓ ← Motivo ACÇÃO auto-construção de si - realização de uma vida com sentido
  • 29. RESPONDA ÀS PERGUNTASQUE SE ENCONTRAM NOEXERCÍCIO PUBLICADO NO“MOODLE” JB, 2011