11 do tabern. ao templ. de salomão

981 views
884 views

Published on

Published in: Spiritual
0 Comments
3 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total views
981
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
8
Actions
Shares
0
Downloads
108
Comments
0
Likes
3
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

11 do tabern. ao templ. de salomão

  1. 1. Supremo Grande Capítulo de Maçons do Real Arco do Brasil Filiado a The General Grand Chapter of Royal Arch Masons, International Do Tabernáculo de Moises Mergulhando nos Graus Capitulares Nº 11. julho/2013 ao Templo de Salomão A. Hernandes G. Jr, M.R.A.
  2. 2. SupremoGrandeCapítulodeMaçonsdoRealArcodoBrasil www.realarco.org.br DO TABERNÁCULO DE MOISÉS AO TEMPLO DE SALOMÃO A. Hernandes G. Jr., M.R.A. Considerações e relações A Verdade Final ? Não pretende esse simples trabalho trazer aos CCompUma pesquisa como posição única, verídica e definitiva. Pretende sim, trazer mais uma contribuição a ser analisada e agregada a tudo que foi dito acerca do Templo de Salomão e do Tabernáculo de Moisés.
  3. 3. www.realarco.org.br SupremoGrandeCapítulodeMaçonsdoRealArcodoBrasil Se buscarmos no Google acerca do Templo de Salomão, vamos encontrar na Wikipédia, o seguinte texto: - O Rei Davi, da tribo de Judá, desejava construir uma casa para Jeová (YHWH), onde a Arca da Aliança ficasse definitivamente guardada, ao invés de permanecer na tenda provisória ou tabernáculo, existente desde os dias de Moisés. Segundo a Bíblia, este desejo foi-lhe negado por Deus em virtude de ter derramado muito sangue em guerras. No entanto, isso seria permitido ao seu filho Salomão, cujo nome significa "paz". Isto enfatizava a vontade divina de que a Casa de Deus fosse edificada em paz, por um homem pacífico. (2 Samuel 7:1-16; 1 Reis 5:3-5; 8:17; 1 Crónicas 17:1-14; 22:6-10). Davi comprou a eira de Ornã ou Araúna, um jebuseu, que se localizava monte Moriah ou Moriá, para que ali viesse a ser construído o templo. (2 Samuel 24:24, 25; 1 Crónicas 21:24, 25) Ele juntou 100.000 talentos de ouro, 1.000.000 de talentos de prata, e cobre e ferro em grande quantidade, além de contribuir com 3.000 talentos de ouro e 7.000 talentos de prata, da sua fortuna pessoal. Recebeu também como contribuições dos príncipes, ouro no valor de 5.000 talentos, 10.000 daricos e prata no valor de 10.000 talentos, bem como muito ferro e cobre. (1 Crónicas 22:14; 29:3-7) Salomão não chegou a gastar a totalidade desta quantia na construção do templo, depositando o excedente no tesouro do templo (1 Reis 7:51; 2 Crónicas 5:1). Aspectos da construção O Rei Salomão começou a construir o templo no quarto ano de seu reinado seguindo o plano arquitectónico transmitido por Davi, seu pai (1 Reis 6:1; 1 Crónicas 28:11-19). O trabalho prosseguiu por sete anos. (1 Reis 6:37, 38) Em troca de trigo, cevada, azeite e vinho, Hiram ou Hirão, o rei de Tiro, forneceu madeira do Líbano e operários especializados em madeira e em pedra. Ao organizar o trabalho, Salomão convocou 30.000 homens de Israel, enviando-os ao Líbano em equipas de 10.000 a cada mês. Convocou 70.000 dentre os habitantes do país que não eram israelitas, para trabalharem como
  4. 4. SupremoGrandeCapítulodeMaçonsdoRealArcodoBrasil www.realarco.org.br carregadores, e 80.000 como cortadores (1 Reis 5:15; 9:20, 21; 2 Crónicas 2:2). Como responsáveis pelo serviço, Salomão nomeou 550 homens e, ao que parece, 3.300 como ajudantes. (1 Reis 5:16; 9:22, 23) O templo tinha uma planta muito similar à tenda ou tabernáculo que anteriormente servia de centro da adoração ao Deus de Israel. A diferença residia nas dimensões internas do Santo e do Santo dos Santos ou Santíssimo, sendo maiores do que as do tabernáculo. O Santo tinha 40 côvados (17,8 m) de comprimento, 20 côvados (8,9 m) de largura e, evidentemente, 30 côvados (13,4 m) de altura. (1 Reis 6:2) O Santo dos Santos, ou Santíssimo, era um cubo de 20 côvados de lado. (1 Reis 6:20; 2 Crónicas 3:8) Os materiais aplicados foram essencialmente a pedra e a madeira. Os pisos foram revestidos a madeira de junípero (ou de cipreste segundo algumas traduções da Bíblia) e as paredes interiores eram de cedro entalhado com gravuras de querubins, palmeiras e flores. As paredes e o teto eram inteiramente revestidos de ouro. (1 Reis 6:15, 18, 21, 22, 29) Após a construção do magnífico templo, a Arca da Aliança foi depositada no Santo dos Santos, a sala mais reservada do edifício. Anos posteriores foi pilhado várias vezes. Seria totalmente destruído por Nabucodonosor II da Babilónia, em 586 AEC, após dois anos de cerco a Jerusalém. Os seus tesouros foram levados para Babilónia e tinha assim início o período que se convencionou chamar de Exílio Babilónico ou Cativeiro em Babilónia na história judaica. As Testemunhas de Jeová questionam esta data, fixando-a em 607 AEC, segundo o seu singular entendimento da cronologia bíblica. Décadas mais tarde, em 516 AEC, após o regresso de mais de 40.000 judeus da Captividade Babilónica foi iniciada a construção no mesmo local do Segundo Templo, o qual foi destruído no ano 70 AEC, pelos romanos, no seguimento da Grande Revolta Judaica. Alguns afirmam que o atual Muro das Lamentações era parte da estrutura do templo de Salomão, ou pelo menos dos seus pátios.
  5. 5. SupremoGrandeCapítulodeMaçonsdoRealArcodoBrasil www.realarco.org.br Segundo o Site Vivos - o site da Fé Cristã (www.vivos.com.br/239.htm) O plano geral obedecia ao mesmo plano do tabernáculo; as dimensões eram em dobro e as ornamentações mais ricas. O interior do edifício media 60 côvados de comprimento e 20 de largura e 30 de altura (1 Côvado, aproximadamente 45 cm). Pois bem! Com base no que vimos podemos concluir resumidamente que Davi queria construir o Templo, porém como seu reinado foi marcado por guerras e uma vida moralmente incorreta, essa tarefa coube então ao seu filho Salomão que no 4 ano de seu Reinado, começou e terminou no 11 ano. O projeto foi transmitido por seu pai e baseou-se no tabernáculo que anteriormente guardava a Arca da Aliança, sendo suas medidas segundo algumas fontes praticamente as mesmas, diferenciando-se somente o Santos dos Santos e segundo outras fontes, a medidas em dobro, porem as ornamentações mais ricas. Podemos concordar com isso? • O Perigo da pesquisa de internet (uma inverdade transmitida mil vezes, se torna uma verdade); • A Filosofia Maçônica a análise da razão, o estudo das coisas. Muitos escritores maçônicos, tem se equivocado quanto a sua maneira de referir-se ao tabernáculo Sinaítico ou tabernáculo de Moisés, confundindo-o com o Tabernáculo de Zorobabel, durante a construção do 2º Templo, ou ainda com o Tabernáculo de David. Tal equivoco, deve-se as alusões que fazem em seus Livros, Oliver, e principalmente Webb e Coss, nos Estados Unidos.
  6. 6. SupremoGrandeCapítulodeMaçonsdoRealArcodoBrasil www.realarco.org.br Nas Escrituras Sagradas, mencionam-se três tabernáculos: 1º. - Tabernáculo Anti-sinaítico – Transações Comerciais; 2º. - Tabernáculo Sinaítico – Tabernáculo de Moisés; 3º. - Tabernáculo de David; 4º. - Tabernáculo de Zorobabel: Levantado por Zorobabel 5º. - Quando de sua chegada a Jerusalém. Origens das Medidas Adotadas (Repassada por Deus diretamente a Moisés no Monte Sinai) Dimensões do Pátio do Tabernáculo de Moisés: (Patio 22,5 metros de Largura por 45 metros de Comprimento) 50cv x 100 cv
  7. 7. SupremoGrandeCapítulodeMaçonsdoRealArcodoBrasil www.realarco.org.br Dimensões do Tabernáculo ( 4,5 metros de Largura por 13,5 metros de Comprimento) 10cv x 30cv Origens das Medidas Adotadas (Repassadas por Deus a David através do Profeta Natan) Dimensões do Templo de Salomão: (9 metros de Largura por 27 metros de comprimento) 20cv x 60 cv
  8. 8. SupremoGrandeCapítulodeMaçonsdoRealArcodoBrasil www.realarco.org.br Seqüência dos Acontecimentos nGênesis: Adão / Noé; nSonho de Jacó; nIda dos Hebreus ao Egito; nFuga de Moisés do Egito; nEncontro de Moisés com Deus; nÊxodo: Fuga do Egito liderada por Moisés; nA Ordem de Deus; nA Construção do Tabernáculo; nO Translado da Arca para Jerusalém; nA Construção do Tabernáculo por David; A Construção do Templo de Salomão Cronologia nInicio do Êxodo (diverg. 2.050 - A.E.C. para alguns autores e aprox. 1.075 - A.E.C. para outros) nDuração do Êxodo (40 Anos) nTranslado da Arca Para Get (1.010 - A.E.C) nTranslado da Arca para Jerusalém nInicio do Templo de Salomão nTérmino do Templo de Salomão
  9. 9. SupremoGrandeCapítulodeMaçonsdoRealArcodoBrasil www.realarco.org.br Bibliografia A Bíblia Sagrada (Circulo do Livro – Edição comemorativa da visita do Papa João Paulo II ao Brasil – 1982) A Bíblia Hebraica (Editora Senfer – transliteração direta) A História dos Hebreus (Flávius Josephus) Casa Publicadora da Assembléia de Deus – 1990 Enciclopedia de La Francmasonería (A. Gallatin Mackey – Editorial Grijalbo S.A. – 1981 – México); Sites diversos da Internet: www.renovada.anjosoft.com.br http://images.google.com.br/images?q=tabern http://www.pedreiroslivres.com.br www.vivos.com.br/239.htm
  10. 10. A Experiência que completa a educação do Mestre Maçom Supremo Grande Capítulo de Maçons do Real Arco do Brasil JoãoGuilhermedaCruzRibeiro
  11. 11. Infinity Editorial e Promocional Rua São Vicente, 127 - Tijuca 20260-140 - Rio de Janeiro - RJ www.realarco.org.br Rito de York - Mergulhando nos Graus Capitulares - Jorge R. L. Simões, PGSS, KT Fonte: www.artedaleitura.com www.realarco.org.br maconariadoyork@gmail.com A. Hernandes G. Jr, M.R.A. - 20/08/2007 (Capítulo Cavaleiros Sem Fronteiras Nº. 27)

×