Your SlideShare is downloading. ×
  • Like
Demandagregada
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

×

Now you can save presentations on your phone or tablet

Available for both IPhone and Android

Text the download link to your phone

Standard text messaging rates apply
Published

 

Published in Business , Economy & Finance
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Be the first to comment
No Downloads

Views

Total Views
11,724
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0

Actions

Shares
Downloads
159
Comments
0
Likes
3

Embeds 0

No embeds

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
    No notes for slide

Transcript

  • 1. Demanda Agregada A demanda agregada é o somatório das despesas da sociedade com bens e serviços, na forma de consumo privado (C); investimento (I); despesas governamentais (G) e exportações (X). Para obter-se a renda nacional será necessário subtrair das exportações as importações do país. Assim a demanda agregada é: DA = C + I + G + (X – M) A demanda agregada representa o gasto total (PIB real) da economia à nível de preços.
  • 2. Oferta Agregada
    • A oferta constitui-se na relação entre o nível geral de preços e o PIB real.
    • Oferta Agregada Clássica
    • Condições no longo prazo:
        • – Pleno emprego
        • – Capital e tecnologia
        • – Nível de produção independe do nível de preços
  • 3.
    • Fatores que modificam as curvas de demanda e oferta agregadas
        • - impostos
        • - gastos do governo
        • - oferta de moeda
  • 4. Hipóteses do Modelo Básico 1. Economia com desemprego de recursos (subemprego ): supõe a existência de desemprego, ou seja, a economia em equilíbrio abaixo do pleno emprego. 2. Nível geral de preços constantes : estímulo à demanda, eleva a produção e não os preços (capacidade ociosa). 3. Curto prazo (pelo menos um fator de produção permanece constante): supõe que o estoque de fatores de produção não se altera no curto prazo apenas o grau de utilização.
  • 5. Hipóteses do Modelo Básico 4. Oferta agregada potencial fixa Oferta agregada: é o valor total da produção de bens e serviços finais colocados à disposição da coletividade num dado período. É o próprio produto real ou PIB. Oferta agregada potencial refere-se à produção máxima da economia, quando os fatores de produção estão plenamente empregados. Oferta agregada efetiva: refere-se a produção que está efetivamente colocada no mercado.
  • 6. Hipóteses do Modelo Básico
    • 5. Princípio da demanda efetiva
    • Demanda ou procura agregada é a soma dos gastos planejados dos quatro agentes macroeconômicos: despesas das famílias com bens de consumo (C), gastos das empresas com investimentos (I), gastos do governo (G) e despesas líquidas do setor externo (X-M).
    • DA = C + I + G + (X-M)
        •  as alterações no nível de renda e produto devem-se à demanda agregada. (Princípio da demanda efetiva)
  • 7. Oferta Agregada Keynesiana (Curto Prazo)
    • Condições:
        • - preços no curto prazo são considerados quase fixos
        • - produção determinada pela demanda
        • - as empresas ofertam toda a produção demandada com mudanças pequenas nos preços
  • 8. Equilíbrio Macroeconômico A renda de pleno emprego ocorre quando todos os recursos produtivos disponíveis estão empregados e a economia está produzindo com plena capacidade. Renda de equilíbrio ou renda efetiva : é determinada quando a oferta agregada iguala a demanda agregada de bens e serviços.
  • 9. Objetivo da política econômica ou modelo keynesiano é encontrar o equilíbrio a pleno emprego, fazer o equilíbrio entre oferta e demanda agregada coincidir com a renda ou produto de pleno emprego. Fatores que afetam o consumo agregado : .renda nacional .estoque de riqueza ou patrimônio .taxa de juros de mercado .disponibilidade de crédito .expectativas sobre a renda futura .rentabilidade das aplicações financeiras C = f (RND)
  • 10. Propensão Marginal a Consumir Variação esperada no consumo decorrente de uma variação na renda disponível. PMgC = variaçãoC/variaçãoRND