Your SlideShare is downloading. ×
Revista CTCOM
Revista CTCOM
Revista CTCOM
Revista CTCOM
Revista CTCOM
Revista CTCOM
Revista CTCOM
Revista CTCOM
Revista CTCOM
Revista CTCOM
Revista CTCOM
Revista CTCOM
Revista CTCOM
Revista CTCOM
Revista CTCOM
Revista CTCOM
Revista CTCOM
Revista CTCOM
Revista CTCOM
Revista CTCOM
Revista CTCOM
Revista CTCOM
Revista CTCOM
Revista CTCOM
Revista CTCOM
Revista CTCOM
Revista CTCOM
Revista CTCOM
Revista CTCOM
Revista CTCOM
Revista CTCOM
Revista CTCOM
Revista CTCOM
Revista CTCOM
Revista CTCOM
Revista CTCOM
Revista CTCOM
Revista CTCOM
Revista CTCOM
Revista CTCOM
Revista CTCOM
Revista CTCOM
Revista CTCOM
Revista CTCOM
Revista CTCOM
Revista CTCOM
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

×
Saving this for later? Get the SlideShare app to save on your phone or tablet. Read anywhere, anytime – even offline.
Text the download link to your phone
Standard text messaging rates apply

Revista CTCOM

585

Published on

A presente revista CTCOM foi elaborada para a Disciplina de Trabalho de Conclusão de Curso pela aluna Jaqueline de Carvalho Motter, do Curso Superior de Tecnologia em Comunicação Institucional …

A presente revista CTCOM foi elaborada para a Disciplina de Trabalho de Conclusão de Curso pela aluna Jaqueline de Carvalho Motter, do Curso Superior de Tecnologia em Comunicação Institucional (CTCOM), do Departamento Acadêmico de Comunicação e Expressão - DACEX, da Universidade Tecnológica Federal do Paraná – UTFPR, sob orientação da professora Drª. Ângela Maria Rubel Fanini, tendo por objetivo registrar fatos e eventos dos 7 anos (2003-2010) de existência do curso, a fim de constituir memória, arquivo e divulgação tanto para comunidade interna quanto para comunidade externa da UTFPR.
Para fazer o registro histórico do curso, procurou-se dar ênfase aos principais acontecimentos em relação ao curso, desde a aprovação do projeto do curso, aula inaugural, passando pela mudança de nome do curso, implementação da nova matriz curricular, eventos realizados envolvendo vídeos, curtas e documentários; livros e jornais produzidos pelos alunos; defesas de TCCs e estágios.
Nesta revista você encontrará, ainda, informações a respeito da área de conhecimento que o tecnólogo em Comunicação Institucional precisa dominar, quais as atividades que podem ser produzidas por ele, em que áreas ele pode atuar, o perfil do estudante, duração, diplomação e reconhecimento do curso.
Com objetivo de se inteirar quanto o atual mercado de trabalho na área de Comunicação Empresarial, procurou-se entrevistar representativos nomes da Comunicação como: Elói Zanetti, Miguel Manasses e Heródoto Barbeiro. Entrevistaram-se alunos egressos do curso de Comunicação Institucional para que pudessem contribuir com sua perspectiva sobre as articulações entre o curso e o mundo do trabalho.

Published in: Education
1 Comment
1 Like
Statistics
Notes
No Downloads
Views
Total Views
585
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0
Actions
Shares
0
Downloads
5
Comments
1
Likes
1
Embeds 0
No embeds

Report content
Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
No notes for slide

Transcript

  • 1. REVISTA CTCOM: Registro histórico do Curso Superior deTecnologia em Comunicação Institucional daUniversidade Tecnológica Federal do Paraná “Os processos de pesquisa, de escrever, de editar e de design tratam-se de compreender o melhor possível, tanto a mensagem como o nosso público, de modo que possamos moldar a nossa mensagem da maneira mais simples, compreensível, memorizável e mais rápida possível. É aí que entra o trabalho em conjunto.” Jan Van White
  • 2. Expediente Revista CTCOM Edição única para Trabalho de Conclusão de Curso Universidade Tecnológica Federal do Paraná Reitor: Carlos Eduardo Cantarelli Vice - Reitor: Paulo Osmar Dias Barbosa Diretor do Campus Curitiba: Marcos Flávio de Oliveira Schiefler Filho CRÉDITOS Pesquisa, entrevista e redação: Jaqueline de Carvalho Motter Imagens: Acervo do DACEX (Departamento Acadêmico de Comunicação e Expressão) do Curso de Tecnologia em Comunicação Institucional; Alunos e ex- -alunos do curso de Comunicação Institucional da Universidade Tecnológica Fede- ral do Paraná - UTFPR­­ Fotógrafo da Universidade: Saturnino Machado ; Conteúdo da Revista: Acervo do DACEX - Projeto do Curso de Tecnologia em Comunicação Institucional; Mural de cartazes; Folders, jornais, vídeos e livros produzidos pelos alunos; Site da UTFPR, blog de alunos Coleta de materiais e informações: Prof.ª Dr.ª Ângela Maria Rubel Fanini, Prof. Dr.Juarez Poletto, Prof.ª Me. ValériaValéria Oliveira Santos, Profª.Me. Maria Alice Godoy, Prof.ª Me. Maurini de Souza, Prof.Me. Almir Correia, Prof.Me. Silvi- no Iagher, Prof Me. Arnaldo Sbalqueiro, Prof.Dr. Paulo Juarez Rueda Strogenski; Chefe do Gabinete da Reitoria: Prof.ª Me. Cleonice Mendonça Pirolla; Secretária do GEREC - Gerência de Relações Empresariais e Comunitárias: Devanir Lirman Entrevistados: Diretor da UTFPR Campus Curitiba: Prof.Dr. Marcos Flávio de Oliveira Schiefler Filho; Reitor da UTFPR Campus Curitiba: Prof.Me. Car- los Eduardo Cantarelli; Gerente de jornalismo da Central Brasileira de Notícias (CBN), Heródoto Barbeiro; Consultor em Marketing e Comunicação Elói Zanetti; Jornalista do ParanaOnline, Prof.Me. Miguel Manasses; Comunicólogas Larissa Gurkewicz Eiglmeier, Vanessa Cristina Dasko e Daniele Moroz Planejamento e organização da Revista: Jaqueline de Carvalho Motter e Prof.ª Dr.ªÂngela Maria Rubel Fanini Brainstorming da Capa: Designer Gráfica Isabella Noce Bicalho e Jaqueline de Carvalho Motter Diagramação da Revista e Capa Final: Designer Gráfica Isabella Noce Bica- lho e Jaqueline de Carvalho Motter Apoio Visual Técnico: Designer Gráfica Isabella Noce Bicalho, Prof ª Me. Ivone Terezinha de Castro e Jaqueline de Castro Motter Impressão: Tecnicópias.CTCOM - Junho / 2011 3
  • 3. Sumário Apresentação.............................................................................................................................................5 Com a palavra...........................................................................................................................................6 Curso de Tecnologia em Comunicação Institucional.................................8 O que é o CTCOM e como ele é desenvolvido?.....................................................................8 Aprovação do projeto do curso.........................................................................................................8 CTCEI: aula inaugural...........................................................................................................................9 Mudança de nome de curso..................................................................................................................10 Implementação de nova matriz curricular..............................................................................10 Duração do curso......................................................................................................................................13 Estágio Curricular Obrigatório...................................................................................................13 Atividades Complementares..............................................................................................................13 Trabalho de Conclusão de Curso (TCC).................................................................................13 Diplomação.....................................................................................................................................................14 Reconhecimento do curso (MEC) ...............................................................................................17 Eventos do curso.......................................................................................................................................17 Principais acontecimentos do CTCOM.....................................................................................36 Perfil do egresso.......................................................................................................................................37 Entrevistas.................................................................................................................................................38 Comemorações.....................................................................................................................................44 Dito Efeito - Revista de Comunicação da UTFPR.............................................45 Com a palavra..........................................................................................................................................................................454 CTCOM - Junho / 2011
  • 4. Apresentação A presente revista CTCOM foi elaborada para a Disciplina de Trabalho de Con- clusão de Curso 2 pela aluna Jaqueline de Carvalho Motter, do Curso Superior de Tecnologia em Comunicação Institucional (CTCOM), do Departamento Acadê- mico de Comunicação e Expressão - DACEX, da Universidade Tecnológica Federal do Paraná – UTFPR, sob orientação da professora Drª. Ângela Maria Rubel Fanini, tendo por objetivo registrar fatos e eventos dos 7 anos (2003-2010) de existência do curso, a fim de constituir memória, arquivo e divulgação tanto para comunidade interna quanto para comunidade externa da UTFPR. Para fazer o registro histórico do curso, procurou-se dar ênfase aos principais acontecimentos em relação ao curso, desde a aprovação do projeto do curso, aula inaugural, passando pela mudança de nome do curso, implementação da nova ma- triz curricular, eventos realizados envolvendo vídeos, curtas e documentários; livros e jornais produzidos pelos alunos; defesas de TCCS e estágios. Nesta revista você encontrará, ainda, informações a respeito da área de conhe- cimento que o tecnólogo em Comunicação Institucional precisa dominar, quais as atividades que podem ser produzidas por ele, em que áreas ele pode atuar, o perfil do estudante, duração, diplomação e reconhecimento do curso. Com objetivo de se inteirar quanto o atual mercado de trabalho na área de Comu- nicação Empresarial, procurou-se entrevistar representativos nomes da Comunica- ção como: Elói Zanetti, Miguel Manasses e Heródoto Barbeiro. Entrevistaram-se alunos egressos do curso de Comunicação Institucional para que pudessem contri- buir com sua perspectiva sobre as articulações entre o curso e o mundo do trabalho. Agradecemos à colaboração de todos os professores e alunos que auxiliaram na coleta de dados, fotos e informações oficiais que possibilitaram a conclusão desta re- vista que servirá como documento de comunicação Institucional. Também fazemos um agradecimento especial à Designer Gráfica Isabella Noce Bicalho e à Prof.ª Me. Ivone Castro­­pelo apoio e auxílio no projeto gráfico da Revista. Estamos cientes de que não pudemos registrar todos os eventos importantes, pois nem todos os fatos foram objetiva e fisicamente documentados, haja vista que, no decorrer de sete anos, muito do que aconteceu ficou nas falas e na memória de alu- nos, professores e servidores. Esse “arquivo”, embora riquíssimo, não pode ser intei- ramente registrado. Assim, o recorte que vai aqui construído é apenas um pouco do que pudemos captar, mas o fazemos a fim de manter vivo o acervo acessado.CTCOM - Junho / 2011 5
  • 5. Com a palavraO século XXI, já pode ser definido como o século das comunicações. Nunca antes,na história da humanidade, as pessoas pude- to de competências e habilidades na elabora- ção de textos críticos, criativos e técnicos e no domínio dos meios e tecnologias dedicadas àram estar tão perto umas das outras e dos fatos comunicação.como hoje. O desenvolvimento da sociedadecontemporânea fundamenta-se no conheci- Em sete anos de existência, o Curso vem evo-mento, na inovação e na comunicação, que luindo e firmando-se na formação de inúme-se fazem presentes no dia a dia das pessoas e, ros profissionais que atuam em importantescoletivamente, das organizações, independen- instituições e organizações, sendo capazes detemente dos lugares onde elas estejam, das di- aplicar nas suas atividades os conhecimentosmensões que possuam, dos princípios que lhes adquiridos.deram origem e das vocações a que se desti-nam. A Universidade Tecnológica Federal do Pa-raná, através de sua Reitoria e demais níveisque a compõem, está consciente da comunica-ção em todos os âmbitos da instituição e vemdesenvolvendo discussões e procedimentosvisando ao constante aprimoramento das fer-ramentas comunicativas, tanto as tradicionaiscomo jornais, revistas e informativos, quantoas mais atuais entre as quais a comunicaçãoeletrônica via e-mail, a utilização de videocon-ferência em reuniões e eventos e o constanteaperfeiçoamento do Portal da Universidadecomo forma de integração com as comunida-des interna e externa. Atender às demandas e oportunidades de profis- Carlos Eduardo Cantarellisionais capazes de promover, gerir e avaliar a co- Reitor da UTFPRmunicação, interna ou externa, no âmbito destasorganizações, é razão da existência do Curso Supe-rior de Tecnologia em Comunicação Institucional, Importante, ainda, destacarmos o apoio queo CTCOM, da Universidade Tecnológica Federal do o CTCOM vem prestando ao aprimoramentoParaná (UTFPR). e modernização da comunicação interna da Universidade, manifestada pela análise crítica Na sua gênese, o CTCOM, foi concebido, em e propositiva dos nossos instrumentos comu-2003, pelo protagonismo, intenção e percep- nicativos, pela participação de professores doção de professores do Departamento de Co- Curso na área da Comunicação Institucional emunicação e Expressão (DACEX) que o então pelo envolvimento de estudantes-estagiáriosCentro Federal de Educação Tecnológica do no processo de elaboração dos principais meiosParaná (Cefet-PR) carecia de um curso capaz de comunicação, entre eles os jornais, revistas,de aliar sua vocação na formação voltada à fôlderes, informativos e Portal da UTFPR.Tecnologia com a formação nas Ciências Hu-manas, dedicado à Comunicação Empresarial Assim, com a clareza da importância doe Institucional. CTCOM no contexto da Universidade Tecnoló- gica, expressamos a nossa gratidão e reconhe- Na estruturação do Curso, a preocupação cimento aos nossos professores, estudantescom a formação integral dos estudantes é al- e técnicos-administrativos envolvidos com ocançada, entre outras, pelo aprendizado dos curso que, com dedicação, entusiasmo e profis-conceitos da comunicação, do desenvolvimen- sionalismo, elevam o nome desta Instituição.6 CTCOM - Junho / 2011
  • 6. Com a palavraA promulgação da Lei de Diretrizes e Ba- ses da Educação Nacional (Lei nº 9.394,de 20.12.96), na qual a educação profissional seus alunos ocupam diversas funções em está- gios e empregos junto a instituições parceiras públicas e privadas, bem como em diferentesfoi regulamentada pelo Decreto nº 2.208, de setores do Campus, adquirindo experiência17.04.97, obrigou Instituições tradicionalmen- prática e contribuindo para o bom funciona-te voltadas a esta modalidade de ensino a pro- mento da UTFPR.moverem profundas mudanças em seus pla-nos diretores e projetos pedagógicos. No caso A importância do CTCOM para a nossa Uni-do nosso então glorioso CEFET-PR, podemos versidade é inquestionável. Reconhecido peloafirmar que, passados mais de dez anos, estas MEC com conceito máximo, de identidademudanças geraram um saldo muito positivo. marcante, este curso é fonte de humanismo e muitas inovações ao longo de sua trajetória Com a impossibilidade imposta pela Resolu- vitoriosa, não isenta de grandes dificuldades eção nº 3-CNE/CEB, de 26.06.98 (*), de conti- desafios.nuarmos oferecendo, à época, cursos técnicosde nível médio integrado, nosso então “carro- Sempre muito bem coordenado por cole-chefe”, em reunião histórica do Conselho Dire- gas dedicados, estão de parabéns e merecemtor (Deliberação nº 16, de 19.10.98) ficou deci- nossos efusivos aplausos todos os professores,dido dar novo e importante rumo à Instituição, alunos e técnicos - administrativos ligados aotendo como pano de fundo a transformação CTCOM.do Centro Federal em Universidade Tecnoló-gica. Naquele momento, os Cursos Superioresde Tecnologia assumiam aliados aos Cursosde Graduação em Engenharia e aos Cursos dePós-Graduação já existentes, o papel funda-mental de mola propulsora para o projeto detransformação. Além disso, cursos em áreasnão tão tradicionais ganharam importância epuderam passar a ser propostos. Com base neste novo panorama, professo-res experientes e qualificados do Departamen-to Acadêmico de Comunicação e Expressão(DACEX) apresentaram, em seguida, o pro- Marcos Flávio de Oliveira Schiefler Filhojeto do seu primeiro curso, o Curso Superior Diretor do Campusde Tecnologia em Comunicação Empresarial eInstitucional, o “CTCEI”, que começou a fazerhistória. Sempre muito procurado em todos "Reconhecido pelo MEC este cur-os vestibulares, seus alunos passaram a apre- so é fonte de humanismo e muitassentar um perfil diferenciado na comunidadeacadêmica, pois a área de comunicação neces- inovações ao longo de sua trajetó-sariamente permeia todas as demais, seja em ria vitoriosa, não isenta de grandesatividades de ensino, de pesquisa, de extensãoe, em especial, de gestão. desafios. " O Curso de Tecnologia em Comunicação Ins-titucional é hoje um dos nossos cursos de tec- (*) Esta questão, felizmente, foi revista pelo Decreto nºnologia mais consolidados e renomados, tendo 5.154, de 23 de julho de 2004, quando foi revogado o De-já formado profissionais na área de comuni- creto nº 2.208. Voltamos a oferecer cursos técnicos de nível médio integrado a partir de 2006, tendo como basecação perfeitamente inseridos no competitivo os objetivos institucionais apontados na Lei nº 11.184, de 7mercado de trabalho. Externa e internamente, de outubro de 2005, que criou a UTFPR.CTCOM - Junho / 2011 7
  • 7. Curso de Tecnologia em Comunicação InstitucionalO que é este curso e como ele é desenvolvido? Aprovação do projeto do cursoO curso Superior de Tecnologia em Co- municação Institucional - CTCOM, daUniversidade Tecnológica Federal do Paraná O Departamento Acadêmico de Comuni- cação e Expressão (DACEX) recebeu a aprovação do Projeto do referido curso, deno-– Campus Curitiba tem por objetivo formar minado à época Curso Superior de Tecnologiaprofissionais capazes de gerir e administrar as em Comunicação Empresarial e Institucionalnovas exigências da comunicação empresarial (CTCEI), pela Câmara de Ensino Médio e Su-e institucional frente às expectativas da comu- perior, reunida em Cornélio Procópio. O pro-nidade interna e externa da empresa e/ou ins- jeto passou pela análise do Conselho de Ensi-tituição em que estejam atuando. no e, após aprovado, passou a ser oferecido no Vestibular de Verão de 2004. O Tecnólogo em Comunicação Institu-cional é o profissional de nível superior comcompetências e habilidades para planejar, im-plementar, administrar, gerenciar, promovere aprimorar, com técnica e tecnologia, o ramoda comunicação institucional, assumindo açãoempreendedora em pesquisa e inovação, comconsciência ética de seu papel social no fomen-to da democratização da informação. 1º cartaz de divulgação do curso (2003) A ideia do projeto foi a de disponibilizar ao mercado de trabalho um profissional de for- mação superior com competências em comu- nicação empresarial e institucional interna e externa, adequado à realidade do desenvol- vimento tecnológico, e inserido no contexto social e humano. Para tanto, o CTCEI reuniu disciplinas que propiciassem ao seu egresso a compreensão do importante papel do agente de comunicação na empresa e/ou instituição à qual estivesse vinculado. O perfil do egresso, assim como suas com- petências e habilidades adquiridas ao longo dos cinco períodos letivos, foram analisados por várias empresas de renome nacional (Re- nault, Hotel Bourbon, Bosch, Volvo, Impres- sora Paranaense) que responderam questioná- rios e emitiram pareceres positivos em relação ao curso. Empresas de comunicação como a Segmento Comunicação, a Abracom, o Jornal Turma de Comunicação Institucional 2007 Nota 10 e a Aberje, uma das maiores empre- Pátio Poty Lazarotto8 CTCOM - Junho / 2011
  • 8. Curso de Tecnologia em Comunicação Institucional CTCEI: aula inauguralsas de Comunicação Empresarial e corporativada América Latina, também se posicionaramfavoráveis à abertura do curso, fornecendo A primeira turma do Curso de Tecnologia em Comunicação Empresarial e Institu- cional - CTCEI do então CEFET-PR teve suaapoio e subsídios às professoras elaboradoras aula inaugural na segunda feira do dia 7 de ju-do projeto: Ângela Maria Rubel Fanini, Maria nho de 2004. A aula inaugural foi proferida porCristina de Souza, Janete Terezinha Ferron, Cláudio Ribeiro, jornalista, escritor, e compo-Luciana Pereira da Silva, Noemi Henriquete B. sitor, presidente da UBE-PR (União Brasileirade Perdigão e Selma Suely Teixeira. de Escritores), e Coordenador do Fórum Per- manente de Cultura do Paraná. Ofertado pela primeira vez naquele ano, o curso teve uma concorrência de oito candidatos por vaga no vestibular de verão. As professoras do curso de Comunicação Empresarial e Insti- tucional, Ângela Maria Rubel Fanini, na época coordenadora do curso, e Selma Sueli Teixeira, vice-coordenadora do antigo CEFET - Paraná (Centro Federal de Educação Tecnológica), atual Universidade Tecnológica Federal do Pa- raná, dirigiram a semana de abertura. Antes disso, fizeram uma matéria de divulgação do curso que se publicou no Jornal Nota 10. Recorte da matéria publicada no 1º Folder eletrônico do CTCEI Jornal Nota 10 - 07 de junho de 2004 O curso foi criado com a finalidade de ser mais uma opção para o aluno na área de Co- municação Empresarial e Institucional, em um momento em que o CEFET-PR estava prestes a se transformar na Primeira Universidade Tec- nológica Federal do país. Portaria de reconhecimento do cursoCTCOM - Junho / 2011 9
  • 9. Curso de Tecnologia em Comunicação Institucional Mudança de nome de curso Implementação de nova matriz curricularE m maio de 2007, foi realizada a Proposta de adequação da denominação do CursoSuperior de Tecnologia em Comunicação Em- E m maio de 2007, foi proposto o Projeto de adequação da Estrutura Curricular do Curso Superior de Tecnologia em Comunica-presarial e Institucional ao catálogo de cursos ção Empresarial e Institucional para Estrutu-do MEC (Ministério da Educação e da Cultu- ra Curricular do Curso Superior de Tecnologiara). em Comunicação Institucional. O objetivo da proposta era a alteração da de- Com a implementação da nova matriz curri-nominação do Curso Superior de Tecnologia cular, foram incluídas disciplinas como Intro-em Comunicação Empresarial e Institucional dução à Economia, Introdução à Estatística,(CTCEI) para Curso Superior de Tecnologia Marketing, e Políticas Públicas em Relaçõesem Comunicação Institucional (CTCOM) e, Públicas. Ao todo foram implementadas 10 no-desta forma, adequação ao Catálogo de Cursos vas matérias. Disciplinas como Estudo Críticodo MEC. Isso porque em maio de 2006, o Mi- dos Manuais de Redação, Cultura de Massa,nistério da Educação emitiu o seu Catálogo de Literatura e Sociedade ou Laboratório de Tex-Cursos, o qual não contemplou a denominação tos Criativos foram incorporados em matérias“empresarial” para os cursos superiores de tec- semelhantes enquanto outras foram remaneja-nologia em comunicação, porém contemplou das entre os períodos.“institucional”. Tendo em vista que o termo“institucional” abarca também o sentido do A Universidade, cuja tradição é mais acen-termo “empresarial”, usado no Curso Superior tuada na parte tecnológica, desde então temde Tecnologia em Comunicação Empresarial e mostrado que possui qualidade também naInstitucional (CTCEI), e por uma questão mer- área de humanas, com o Curso de Tecnologiacadológica, a mudança de nome, por si só, não em Comunicação Institucional.implicaria a necessidade de mudança concei- Esses profissionais formados para exer-tual do curso. cer atividades de Publicidade e Propaganda, Assim sendo, para que o curso de Comuni- Comunicação oral, Pesquisa Científica, Ceri-cação Empresarial e Institucional ficasse ade- monial e Protocolo de Eventos e Políticas daquado ao Catálogo de Cursos do MEC, houve a Comunicação, além de outros conhecimentosproposta de mudar sua denominação. concernentes à proposta do curso, são capazes, de desenvolver pensamentos e práticas estra- O curso foi reconhecido pelo MEC - Portaria tégicas que colocarão a empresa ou instituiçãonº. 392 de 18 de maio de 2007. em papel de destaque diante de seus públicos- alvos. O curso está apostando na empregabilidade do egresso, já que a área de comunicação em- presarial e institucional tem se expandido cada vez mais, buscando instrumentos que tornem transparentes os verdadeiros objetivos e práti- cas das empresas e instituições como forma de manter o público seguro e confiante.10 CTCOM - Junho / 2011
  • 10. Curso de Tecnologia em Comunicação Institucional Matriz curricular anterior: curso superior de Tecnologia em Comunicação Empresarial e Institucional Unidade Curricular C.H. Unidade Curricular C.H. Noções e Uso da Norma Culta 64 Empreendedorismo 48 História das Idéias no Brasil: 128 séculos XIX e XX Terceiro Setor 64 Ética e comunicação 64 Crítica Cultural 64 Laboratório de Produção de Textos (jornalístico; publicitário; oral; multimídia; 448 dissertativo; empresarial-institucional) Língua Inglesa: Leitura e Escrita 128 Metodologia da Pesquisa 32 Estudo Crítico dos 64 Manuais de Redação Legislação e Comunicação 48 Sistemas Gerenciais e 64 de Processos Integrados Teorias da Comunicação 64 Linguagem Visual 64 Língua e Comunicação 64 Psicologia da Comunicação 64 Cerimonial e Protocolo de Eventos 64 Projetos Integrados 32 Tecnologia e Sociedade 32 Políticas de Comunicação Atividades Complementares 400 64 Empresarial e Institucional Estágio Supervisionado 400 Literatura e Sociedade 64 Editoração Eletrônica: Trabalho de Diplomação 200 80 Editoração de Textos e Gráfica Análise do Discurso 64 Carga Horária Total do Curso 2600CTCOM - Junho / 2011 11
  • 11. Curso de Tecnologia em Comunicação Institucional Matriz curricular atual: curso superior de Tecnologia em Comunicação InstitucionalDisciplinas / Un. Curriculares C.H. Disciplinas / Un. Curriculares C.H.1º PERÍODONoções e Uso da Norma Culta 64 4º PERÍODOHistória das Idéias no Brasil: século XIX 48 Laboratório de Textos Jornalísticos 64Ética e Comunicação 64 Sistemas Gerenciais 32Laboratório de Textos Empresariais e Institucionais 64 Editoração Eletrônica: editoração gráfica 48Metodologia da Pesquisa Científica 48 Psicologia da Comunicação 64Laboratório de Expressão Oral 64 48 Linguagem Visual I 48Legislação e ComunicaçãoATIVIDADES COMPLEMENTARES 7 Terceiro Setor 48SUBTOTAL 400 Marketing 32 2º PERÍODO Língua Inglesa: Leitura/Escrita 64 Teorias da Comunicação 64 ATIVIDADES COMPLEMENTARES História das Idéias no Brasil: século XX 48 64 SUBTOTAL 400Língua e ComunicaçãoLaboratório de Textos Dissertativos 48 5º PERÍODOCerimonial e Protocolo de Eventos 48 Sistemas de Processos Integrados 32História da Comunicação no Brasil 32 Laboratório de Textos Multimídia 64Teorias em Relações Públicas 64 32 Crítica cultural 48Introdução à EstatísticaATIVIDADES COMPLEMENTARES TCCI 64SUBTOTAL 400 Políticas da Comunicação Empresarial e Institucional 64 3º PERÍODO Políticas Públicas em Relações Públicas 32Editoração Eletrônica: editoração de textos 32 64 Linguagem Visual IIAnálise de Textos Publicitários 64 Tecnologia e Sociedade 32Análise do Discurso 64Empreendedorismo 48 ATIVIDADES COMPLEMENTARESCultura Organizacional e Comunicação 64 SUBTOTAL 400Teorias da Comunicação II 48 2000 TOTALCultura e Sociedade 48 32 Estágio Supervisionado 400Introdução à EconomiaATIVIDADES COMPLEMENTARES Trabalho de Diplomação 200SUBTOTAL 400 TOTAL DO CURSO 2600 12 CTCOM - Junho / 2011
  • 12. Curso de Tecnologia em Comunicação Institucional Duração do curso Atividades ComplementaresO Curso de Tecnologia em Comunicação Institucional tem duração de 3 anos (6semestres letivos) com carga horária total de As Atividades complementares tem, por fi- nalidade, enriquecer o processo de ensi- no-aprendizagem, complementando a formação2600 horas. Do 1º ao 5º semestres, o aluno faz social, humana e profissional, por meio de ati-39 disciplinas que aliam a teoria à prática. O vidades de cunho comunitário, de assistênciaaluno pode, a partir do 3º semestre, realizar acadêmica, de iniciação científica e tecnológica,o estágio curricular obrigatório (400 h) em esportivas e culturais, além de intercâmbios comempresas e instituições. No início do 4º perí- instituições congêneres. O docente responsávelodo, pode-se iniciar o Trabalho de Conclusão pelas Atividades Complementares é a prof.ª Sín-de Curso, que deve ser concluído no 6º perí-odo (200h). Ao longo do Curso, ocorrem as dia Rosa Ballen da Silva.Atividades Complementares obrigatórias, quesão atividades extracurriculares que contamcomo disciplina indispensável para aprovaçãodo aluno. Trabalho de Conclusão de Curso (TCC)O Tcc é uma disciplina obrigatória nos Cur- sos Superiores de Tecnologia e tem comoobjetivo principal o desenvolvimento da capa-cidade de aplicação dos conhecimentos e teo-rias adquiridas durante o curso, estimulandoo espírito empreendedor através da execuçãode projetos que levem ao desenvolvimento deprodutos e processos e também na resoluçãode problemas existentes no setor produtivo ena sociedade. Grupo de alunos junto à Prof ªMaurini de Souza no 33º Intercom - Congresso Nacional de Ciências da Comunicação - Caxias do Sul (RS) Defesa de Trabalho de Conclusão de Curso, 2009 Estágio Curricular Obrigatório O Estágio Curricular Obrigatório é uma disciplina obrigatória dos Cursos Su- periores de Tecnologia e tem por finalidade a complementação do ensino e da aprendiza- gem, adaptando psicológica e socialmente o estudante à sua futura atividade profissional. Os professores responsáveis pelo Estágio Obri-Prof ª Maurini de Souza e alunos em pesquisa de campopara elaboração de TCC, cujo tema era “MST, Cultura e gatório são a profª Janete Terezinha Ferron, a Comunicação”. Escola Latinoamericana- Lapa, 2010 Maria Alicie Moshio Godoy e a Adriana Cabral dos Santos. CTCOM - Junho / 2011 13
  • 13. Curso de Tecnologia em Comunicação Institucional Diploma: TECNÓLOGO EM COMUNICA-ÇÃO INSTITUCIONAL. Cargo profissionalocupado, segundo o Código Brasileiro de Ocu- Diplomaçãopações - CBO -, editado pelo Ministério doTrabalho e do Emprego: Gerente de Co-municação, código 1423-10. Site do ministério do Trabalho e do Empre-go: (http://www.mte.gov.br) Colação de grau de Silvia Milena Bernsdorf, Turma de Comunicação de 2010 18 de março de 2010 Colação de grau da Turma de Comunicação Institucional- 201014 CTCOM - Junho / 2011
  • 14. Curso de Tecnologia em Comunicação Institucional Empresas que ofereceram estágio aos alunos de Comunicação Institucional Ano Empresa Ano Empresa Primaz Comunicação Empresarial Empresa Elphos Soluções Tecnológicas Defesas de estágio (Hotel Tecnológico) - UTFPR Defesas de estágio Reitoria (UTFPR) M&C Comunicação 2006 Igreja Batista DAQBI - UTFPR Ciello 2008 Datamídia Agência Estadual de Notícias American Glass Products (AGP) SETI (Secretaria da Ciência, Prisma Comercial de Eastômeros LTDA. Tecnologia e Ensino Superior) Prisma Comercial de Eastômeros LTDA. CPGI Natura Altermedia Solution Comunicação ETTIBAGI CETEFE Datamídia Informações Publicitárias Defesas de estágio Datamídia Informações Publicitárias Jota Editora Datamídia Informações Publicitárias Infraero 2009 Vigilância Comercial e Industrial S/A Monseg Defesas de estágio M&C Comunicação Tribunal de Justiça do Estado do Paraná IBEAM Editora Moderna LTDA. 2007 Pró Vita Administração de Eventos Engresoldas Manutenção de Máquinas Arte Múltipla Empreendimentos e Equipamentos Industriais LTDA. Alessandro Weber Eventos DW Agência De Eventos e Promoções DICOI/UTFPR Roda de Design Nova Fonte Distribuidora de Bebidas Viação Colombo Exponi IV (Evento) Ass. Entidades Usuárias de Canal Paraná Esporte Comunitário em Curitiba e RMC Defesas de Estágio Show News UTFPR - Divisão de Cursos de DICOI Extensão do Campus Curitiba 2010 Trombini Industrial S.A Projeto/Empresa Lazuli Eventos Centro Europeu TechResult Soluções em Tecnologia Defesas de estágio AINFO (UTFPR) Empresa Coíris – Saúde Time Comunicações Paraná Esporte 2008 PROEM (UTFPR) DIRCT (UTFPR) Multieventos Empresariais Teatro Marina Machado DICOICTCOM - Junho / 2011 15
  • 15. Curso de Tecnologia em Comunicação Institucional Relação de alguns TCCs defendidos16 CTCOM - Junho / 2011
  • 16. Curso de Tecnologia em Comunicação Institucional Reconhecimento do curso (MEC) Os objetivos da Semana de Comunicação são divulgar trabalhos na área de comunicação,A provado o reconhecimento pela Resolução nº 83/03 – COEPP, de 12/03/04. Reco-nhecido pela Portaria MEC, n° 391 de 18 de realizados por diferentes empresas e institui- ções, ampliar os conhecimentos dos profissio- nais atuantes na área de comunicação e atua-maio de 2007. lizar metas vinculadas às novas exigências daConceito: A Comunicação empresarial e institucional. OCorpo Docente: 4; público-alvo são estudantes e profissionais deProjeto Pedagógico: 4; comunicação, áreas afins e demais interessa-Infra-estrutura: 3. dos.Coordenação Atual: Os eventos são realizados no miniauditórioProf.ª Msc. Valéria Oliveira Santos da Universidade Tecnológica Federal do Para- ná e contam com uma média de público de 150 pessoas por dia, compreendendo estudantes e profissionais da comunicação. Eventos do curso O histórico de eventos do curso conta comO Curso Superior de Tecnologia em Comu- nicação Institucional da UTFPR realiza acada semestre, desde 2004, ciclos de palestras palestrantes de destaque como Luiz Alcubierre (ABERJE), Adriane Werner (RIC), Luiz Geral- do Mazza, Elói Zanetti, Wilson da Costa Buenosobre diferentes temas da comunicação social, (Comtexto), Edymara Inez Morshel Barbosaempresarial e institucional. (PETROBRÁS), Maria Flores (TV Educação PR), e tantos outros comunicadores de renome Nesses eventos, que são coordenados por local e nacional.professores da UTFPR e executados por alunosdo curso, diversos públicos tais como univer-sitários, profissionais da área de comunicaçãoe a comunidade em geral são convidados paraanalisar e debater, de forma crítica e criativa,relevantes temas da comunicação contempo-rânea. Os Encontros de Comunicação, denominadosENCOM, são tradicionais eventos de Comuni-cação, promovidos pelos alunos, e os objetivosdesses encontros são basicamente desenvolveras habilidades e competências da disciplina deCerimonial e Protocolo de Eventos e enrique-cer e ampliar a discussão sobre o universo dacomunicação. O público alvo desses eventossão geralmente estudantes e profissionais daárea de Comunicação. As semanas de Comunicação são criadascom a intenção de divulgar trabalhos na áreade Comunicação realizadas pelas mais diferen-tes empresas e instituições, bem como ampliaros conhecimentos dos profissionais atuantesnesse setor a partir do contato feito com pales-trantes e diretores de marketing de empresas. 2º ENCOM, 2006CTCOM - Junho / 2011 17
  • 17. Curso de Tecnologia em Comunicação Institucional Palestrantes de destaque presentes nos eventos do CTCOM Professora Ângela Maria Rubel Fanini, palestrante Edymara Inez Morshel Barbosa (Petrobrás), e professora Valéria Oliveira Santos na Semana “Crise tem Concerto”, 2007 Herivelto Oliveira - Apresentador do Paraná TV - RPC no 2º Encontro De Comunicação, 2006 Adriana Werner, ex-gerente de Jornalismo na Solange Fusco - Gerente de marketing e RIC TV na 2ª Semana de Comunicação, 2005 comunicação corporativa Volvo do Brasil na 2ª Semana de Comunicação, 200518 CTCOM - Junho / 2011
  • 18. Curso de Tecnologia em Comunicação Institucional Palestrantes de destaque presentes nos eventos do CTCOM Miguel Sanches Neto - Responsável pela coluna semanal da Gazeta do Povo na 2ª Semana de Comunicação da UTFPR, 2005 Maria Flores - Jornalista e âncora em emissora do SBT, Globo, TV Educativa e Paraná TV, no 2º Encontro de Comunicação, 2006 Alunos responsáveis pela organização do 2º Osmar Correa - Superintendente da Softcine Vídeo, ENCOM e a jornalista Maria Flores, 2006 na 2ª Semana de Comunicação da UTFPR, 2005CTCOM - Junho / 2011 19
  • 19. Curso de Tecnologia em Comunicação Institucional Palestrantes de destaque presentes nos eventos do CTCOM Tatiana Escosteguy, jornalista, especialista em Mídia Educação, no Evento Semana da CUCAPolítico Rafael Greca entre professoras do CTCOM no 1º ENCOM - UTFPR, 2005 Rafael Greca e o Diretor da UTFPR, Marcos Rubens Gennaro, publicitário e diretor Flávio de Oliveira Schiefler Filho, no cultural da Sociedade Garibaldi, 1º ENCOM, Campus Curitiba, 2005 na Semana da CUCA, 200520 CTCOM - Junho / 2011
  • 20. Curso de Tecnologia em Comunicação Institucional Palestrantes de destaque presentes nos eventos do CTCOM Alunas do curso e Hélio Marques, jornalista, especialista em Comunicação e Tecnologias da Educação, e editor do site Nota 10, no 2º ENCOM, 2006 Jubal Sérgio Dohms - Pós-graduado em marketing e com vasta experiência em propaganda, design gráfico, editoração, e-business e eventos, e proprietário da “Dohms Comunicação”- no evento “Tudo Igual Mas Diferente”, 2008 Alunas recepcionando o evento Participantes do 2º ENCOM, 2006 “Tudo Igual Mas Diferente”, 2008CTCOM - Junho / 2011 21
  • 21. Curso de Tecnologia em Comunicação Institucional Como surgiu o Evento Por que Sentidos da Comunicação? Sentidos da Comunicação? Por Juarez PolettoO evento Sentidos da Comunicação surgiu em 2006, durante a Disciplina de Labo-ratório de Textos Criativos com o Professor Ju- E studávamos na época a sinestesia, recurso de linguagem que mistura sensações de di- ferentes sentidos: gosto com tato; audição comarez Poletto, que teve a idéia de criar um evento visão etc. Creio que isso influenciou o surgimen-em que fosse possível fazer o lançamento de li- to do termo ‘sentidos’. Entretanto, cada um dosvros de autoria dos próprios alunos e apresen- estudantes foi percebendo a riqueza do termotação de vídeos publicitários e institucionais. que, em princípio, sugere os significados da co-A idéia era que cada turma deixasse registra- municação, as múltiplas possibilidades de in-do sua passagem pela universidade com uma terpretação ou as variadas intenções de quemcontribuição real, além do que, nas palavras de comunica. Só isso já seria suficiente para a es-Poletto, “escrever só faz sentido se para outro”. colha do nome, mas alguém lembrou que o ter-Os alunos aprendiam a lidar com textos poé- mo, na física, difere do vocábulo ‘direção’. Umticos, contos, crônicas, novelas, romances em sentido não é uma direção, esta estabelece umsuas configurações mais variadas. limite, aquele se abre a muitas possibilidades, o que era ainda mais adequado ao que se preten- O Evento Sentidos da Comunicação é reali- dia: apontar a riqueza da comunicação.zado semestralmente e hoje é organizado pelosalunos da disciplina de Linguagem Visual 1 e 2sob orientação do professor Almir Correa. Essenovo formato começou a ser feito desde que adisciplina de Laboratório de Textos Criativosfoi incorporada a outra disciplina, a de Aná-lise de Textos Publicitários. Nesse evento sãoapresentados curtas-metragens e documentá-rios, exposição de fotos, lançamento do jornaldo semestre e lançamento de livro, produzidospelos alunos. Convite do evento Sentidos da Comunicação: Professor Juarez Poletto, no“O Doce Aroma do Pensamento”, junho de 2006 miniauditório da UTFPR22 CTCOM - Junho / 2011
  • 22. Curso de Tecnologia em Comunicação Institucional Troféu OscaritoN o Evento Sentidos da Comunicação, os alunos também homenageiam, por meiodo Troféu Oscarito, o melhor documentário eo melhor curta metragem, bem como os apoia-dores do evento e pessoas consideradas desta-que para a turma. O nome Trofeu Oscarito surgiu em 2008,no Sentidos “Em busca de Coolritiba perdida”,quando foram homenageadas algumas pessoaspela primeira vez. O troféu era de madeira erepresentava a figura símbolo do CACI. Depoiso prof. Almir Correa o reeditou, já em formatonovo e em acrílico. Fernando Severo, cineas-ta paranaense, foi homenageado com o troféuOscarito, durante o Sentidos de 2010. Severoexibiu seu curta, “Paisagem de Meninos”, queno Festival de Gramado de 2003 recebeu osKikitos de Melhor Média-Metragem, MelhorRoteiro, Melhor Ator e Prêmio Especial do Júri(Direção de Arte). Troféu Oscarito Entrega do Prêmeo Troféu Oscarito à FernandoSevero - coordenador do curso de Cinema Digitaldo Centro Europeu, realizador de diversos filmese vídeos e vencedor de mais de cinqüenta prêmiosnacionais e internacionais, considerado pela crí- tica um dos expoentes da geração que renovou o Folder do evento “Sentidos da Comunicação” curta-metragem brasileiro a partir dos anos 80. e entrega do Prêmio OscaritoCTCOM - Junho / 2011 23
  • 23. Curso de Tecnologia em Comunicação Institucional Eventos realizados pelos alunos Eventos realizados pelos alunos na disciplina de Cerimonial e Protocolo de Eventos Evento/ Tema Data Profs. responsáveis I ENCOM - Comunicação Através Da Arte 05 a 08/04/2005 Janete Terezinha Ferron II ENCOM - Assuntos variados dentro 23 a 26/05/2006 Selma Suely Teixeira do universo da comunicação III ENCOM - Comunicação e Cultura em Curitiba: um tema controverso. Valéria O. Santos 24 e 25/06 de 2008 A produção cultural curitibana Selma Suely Teixeira analisada sob a ótica da comunicação IV ENCOM - Comunicação e Criatividade: 18/11/2008 Valéria O. Santos Tudo Igual, Mas Diferente V ENCOM - Imagem Institucional: “Quem Comunica Marca” 03/06/2009 Valéria O. Santos VI ENCOM - Comunicação e Música: 18/11/2009 Valéria O. Santos Interação e Novas Mídias VII ENCOM - Comunicação Pública: 09/06/2010 Patrícia Meyer Polêmica e Construção da Cidadania VIII ENCOM - Comunicação e Novas Mídias: Maria Lúcia de 23 a 26/11/2010 As Relações Na Era Digital Castro Gomes Sentidos Da Comunicação: 12/07/2006 O Doce Aroma Do Pensamento Sentidos Da Comunicação: 22/11/2006 O Saber na Ponta Da Língua Juarez Polleto Sentidos Da Comunicação: 04/07/2007 Luz, Câmera, UTFPR, Ação! Sentidos Da Comunicação: Revirando A Ordem 29/11/2007 Sentidos Da Comunicação: Almir Correa 26/06/2008 Em Busca De Coolritiba Perdida Juarez Poletto Semestre de 2008 - Mostra Tudo 2. Mostra Mais 2. 28/11/2008 Sentidos da Comunicação: 02/07/2009 Sem Sentidos da Comunicação Almir Correa Sentidos da Comunicação 10/12/2009 Sentidos da Comunicação 29/06/2010 Sentidos da Comunicação 26/11/2010 1ª Semana de Comunicação Empresarial e Institucional: Ângela Maria Rubel Fanini 20 a 24/09/2004 Maria Jose Karam Salata Estratégias de Comunicação Interna e Externa Selma Suely Teixeira 2ª Semana de Comunicação De 29/08 a Selma Suely Teixeira Empresarial e Institucional 02/09/2005 3ª Semana De Comunicação De 24/10 a Valéria O. Santos Institucional: Crise Tem Concerto 26/10/2007 Semana de Cultura Comunicação e Arte - 06 a 09/08/2005 Selma Suely Teixeira Semana Da Cuca: teatro, cinema e rádio*ENCOM - Encontro de Comunicação Institucional24 CTCOM - Junho / 2011
  • 24. Curso de Tecnologia em Comunicação Institucional Eventos realizados pelos alunos II Semana de Comunicação Empresarial II ENCOM, 2006 e Institucional - CTCEI, 2005 IV ENCOM - “Tudo Igual Mas Diferente”, 2008 VIII ENCOM, 2010 VIII ENCOM, 2010CTCOM - Junho / 2011 25
  • 25. Curso de Tecnologia em Comunicação Institucional Cartazes dos eventos produzidos pelos alunos de Comunicação INSTITUCIONAL26 CTCOM - Junho / 2011
  • 26. Curso de Tecnologia em Comunicação Institucional Cartazes dos eventos produzidos pelos alunos de ComunicaçãoCTCOM - Junho / 2011 27
  • 27. Curso de Tecnologia em Comunicação Institucional R elação de livros produzidos pelos alunos Livros produzidos pelos alunos do curso superior de Tecnologia em Comunicação Institucional A melhor parte da parte mais gorda do leite Quem arrebentou meus pensamentos Carolinas poéticas e cuecas viradas E se contente Melhor de três Treze homens e um poletto Amor, harmonia e um pouco de hipocrisia Os desfigurados28 CTCOM - Junho / 2011
  • 28. Curso de Tecnologia em Comunicação Institucional Relação de livros produzidos pelos alunosCTCOM - Junho / 2011 29
  • 29. Curso de Tecnologia em Comunicação InstitucionalEntrevista com o professor Almir Correa Sentidos da ComunicaçãoO s alunos do CTCOM tem a oportunidade de no 4º e 5º período produzirem curtase documentários sob orientação do ProfessorAlmir Correia, que leciona as disciplinas deLinguagem Visual 1 e 2. Palestrantes no evento Sentidos da Comunicação Novembro de 2006 - “O Sabor na Ponta da Língua” O que é a disciplina de Linguagem Visual 1e Linguagem Visual 2, quais seus objetivos, equal a importância delas dentro do Curso deComunicação? As disciplinas Linguagem Visual 1 e 2 têmcomo objetivo apresentar os pressupostos dalinguagem visual, o mundo do olhar, a rela-ção da imagem com o texto verbal, a interpre-tação visual do universo e de suas coisas. Atéas ideias são visuais e podem ser traduzidas Sentidos da Comunicação - Novembro de 2006 -em imagens. Trabalhamos com a linguagem “O Sabor na Ponta da Língua”dos quadrinhos, internet, vídeo e cinema, aprodução de curtas de um minuto e depois do-cumentários. As artes plásticas e a fotografiatambém são apresentadas, pois delas partemos pressupostos da linguagem visual. A foto-grafia experimental, a partir de uma temáti-ca e do close como referência estética, é o nor-te para uma exposição de fotos criadas pelosalunos e depois apresentada no evento Senti-dos da Comunicação, evento este, organizadopelos alunos de Linguagem Visual 2 que apre-sentam também em tópicos parte da históriado cinema que, aos poucos, foi introduzindosua linguagem como a conhecemos hoje. Evento Sentidos da Comunicação - 1º Semestre de 200930 CTCOM - Junho / 2011
  • 30. Curso de Tecnologia em Comunicação Institucional Vídeos produzidos pelos alunos no evento “Sentidos da Comunicação” Vídeos produzidos pelos alunos no Evento “Sentidos da Comunicação”, na Disciplina de Linguagem Visual 2007/01 2007/02 2008/01 2008/02 Assim caminha Abandono Não Adeus a humanidade Corpo forte Correria A Fuga Âmago Carne fraca De brega e louco todo Curtindo a vida Aguania Amor Palhaço mundo tem um pouco adoidada Coelho de Natal Polissemia Amor Traído Distortion Pé Tulância Neurose Ausência Isso são horas? Boom - A arte da Mendigo Jornal Animal Linguagem colagem muda O Indesejado Tudo é uma coisa só L’Amour Perecível Neurastenia Trajetória Pegadas de verão O Churrasco Visita no Cachoeira Lixo Realidade à mesa Cemitério Sentidos? Solução Suicida Tempo A empresa Zé Mané da destruição Guerra é guerra Fazendo acontecer Livrai-nos E nesse minuto Jornal “UTFPR a Todos”, 2009CTCOM - Junho / 2011 31
  • 31. Curso de Tecnologia em Comunicação Institucional Vídeos produzidos pelos alunos no evento “Sentidos da Comunicação” Capa de vídeo produzida pelo 5º período, no “Sentidos da Comunicação”, em 200932 CTCOM - Junho / 2011
  • 32. Curso de Tecnologia em Comunicação Institucional Matérias e artigos publicados divulgando o CTCOM Matérias e Artigos Publicados Envolvendo o CTCOM Jornal/ Site Data NotíciaGazeta Do Povo: caderno especial Técnico e Tecnologia 30/01/2004 CEFET, um dos pioneiros no PRGazeta Do Povo: caderno Paraná 28/05/2004 Comunicação Empresarial CEFET abre cursoJornal Nota 10 Junho/2004 de ComunicaçãoGazeta Do Povo 03/06/2004 CEFET Inaugural: novo cursoJornal Nota 10 Julho /2004 Aula Inaugural CEFET promove I Semana deJornal Nota 10 Setembro / 2004 Tecnologia em Comunicação Evento Negócio No Brasil,Gazeta Do Povo 22/09/2004 CEFET promove Semana de Comunicação EmpresarialGazeta Do Povo 23/09/2004 Seminário I Encontro de ComunicaçãoSite Brasil Cultura 04/04/2005 do CEFET-PRFolha de Londrina 28/07/2005 Folha Recebe Homenagem UTFPR promove aGazeta Do Povo Online 05/12/2005 Semana de ComunicaçãoGazeta Do Povo 02/04/2006 Palestra Na UTFPR UTFPR promove encontroJornal Nota 10 Maio / 2006 de Comunicação II Encontro Reúne ProfissionaisSite da UTFPR 26/05/2006 e Estudantes da Área Sociedade e cultura paranaense/Gazeta Do Povo 20/02/2008 A obra de Dalton Trevisan VI ENCOM - “ComunicaçãoSite Brasil Cultura 15/11/2009 e Música: interação e novas mídias”CTCOM - Junho / 2011 33
  • 33. Curso de Tecnologia em Comunicação Institucional jornais produzidos pelos alunos do CTCOM Jornais produzidos e publicados Data pelos alunos do CTCOM Edição Junho de 2005 Jornal EUCEI Edição nº 01 Agosto de 2005 Jornal EUCEI Edição nº 03 Outubro de 2005 Jornal EUCEI Edição nº 04 Novembro de 2005 Jornal EUCEI Edição nº 05 Setembro de 2006 Jornal do CTCEI Edição nº 01 2º Semestre de 2007 Jornal do CACI Edição nº 01 Jornal UTFPR a Todos: “Jubilamento” 1º Semestre de 2008 e Eventos Universitários Edição nº 03 Jornal UTFPR a Todos: “saiba o que muda 2º Semestre de 2008 na universidade com adesão ao REUNI” Ano 2 - nº 04 2º Semestre de 2009 Jornal UTFPR a Todos: “Quem é que vai nos proteger?” Ano 3 - nº 06 Jornal UTFPR a Todos: “Pesquisa, tencologia, ação!” 1ºSemestre de 2010 Ano 4 - nº 07 *EU CEI (Centro Universitário de Comunicação Empresarial e Institucional) *CACI (Centro Acadêmico de Comunicação Institucional). *UTFPR a Todos: Nome do Jornal Laboratório Produzido Pelos Alunos do CTCOM. Capa de jornal produzida pelo 5º período, no “Sentidos da Comunicação”, em 201034 CTCOM - Junho / 2011
  • 34. Curso de Tecnologia em Comunicação Institucional Relação dos jornais produzidos pelos alunos do CTCOMLayout e diagramação de jornal comemorativo dos 100 anos da UTFPR feitos pela aluna Jéssica HeringerCTCOM - Junho / 2011 35
  • 35. Curso de Tecnologia em Comunicação Institucional Principais acontecimentos do CTCOM - Resumo dos Principais Acontecimentos do CTCOM 8 ENCOM (2005-2010) Eventos realizados pelo curso de Comunicação Institucional 6 Sentidos da Comunicação (2006-2010) 3 semanas da Comunicação Vídeos produzidos pelos alunos 67 vídeos (2007-2010) na disciplina de Linguagem Visual Jornais produzidos pelos alunos Jornal UTFPR a Todos, do CTCOM na disciplina de Jornal do CACI, laboratório de textos jornalísticos Jornal do CTCEI, Jornal EUCEI Jornal Gazeta do Povo Jornal Nota 10 Publicações Envolvendo o CTCOM Site Brasil Cultura Site da UTFPR Folha de Londrina Livros produzidos pelos alunos 8 produzidos (2003-2010) 117 (2005-2010); 6 em 2006; Estágios defendidos 31 em 2007; 33 em 2008; 22 em 2009; 25 em 2010 53 defesas de 2007 a 2010; TCCs defendidos 6 em 2007; 9 em 2008; 24 em 2009; 14 em 201036 CTCOM - Junho / 2011
  • 36. Curso de Tecnologia em Comunicação Institucional Perfil do egresso Quais as Áreas de conhecimento que o para relações com a imprensa;Tecnólogo em Comunicação Institucio- • Acompanhar e analisar, nos noticiáriosnal precisa dominar? local, nacional e internacional matérias refe- rentes à empresa/ instituição. • Língua portuguesa; • Língua inglesa; • História e culturas nacionais; Em que áreas podem atuar os tecnólo- • Editoração eletrônica de textos; gos formados nesse curso? • Teorias, psicologia, legislação e ética da A atuação deste profissional abrange peque-comunicação; nas, médias e grandes empresas em quaisquer • Registros discursivos diversos (o texto pu- setores produtivos, uma vez que a necessidadeblicitário; o jornalístico; o científico; o informa- de comunicação interna externa se faz presen-tivo; o empresarial o institucional e o visual). te em qualquer ramo de negócios. Quais as Atividades que podem ser de- Qual o perfil para este curso?senvolvidas pelo Tecnólogo em Comuni-cação Institucional? • Liderar pessoas; • Demonstrar capacidade de negociação, • Planejar, elaborar e implementar po-lítica de comunicação para empresas/ • Tomar decisões;instituições; • Comunicar-se com ética, responsabilidade • Identificar e definir públicos-alvos para a e sensibilidade;comunicação interna e externa da empresa/ • Trabalhar em equipe;instituição; • Demonstrar capacidade de raciocínio ana- • Mensurar resultados da política de lítico;comunicação desenvolvida pela empresa/ • Demonstrar capacidade de síntese;instituição; • Relacionar-se com outras pessoas e cultu- • Criar e editar publicações internas para ras, respeitando a diversidade;colaboradores e externas para clientes ou • Demonstrar flexibilidade;consumidores (jornais; informativos; murais; • Comunicar-se bem em língua materna emanuais; catálogos; revistas, revistas come- em outro idioma;morativas, home pages, folders, etc); • Demonstrar capacidade de organização; • Gerenciar a comunicação interna/externa • Planejar ações e atividades;em situações de crise; • Agir com criatividade; • Planejar e organizar pequenos, médios • Demonstrar capacidade de persuasão e ar-ou grandes eventos, como recepções, pales- gumentação;tras, cursos, apresentações, congressos, feiras,workshops e seminários; • Motivar equipes; • Desenvolver Manual de Procedimentos • Ter interesse pelo estudo e pela pesquisa nas Ciências Humanas.CTCOM - Junho / 2011 37
  • 37. Entrevistas com profissionais da área Elói Zanetti Quanto mais ele souber de política, melhor será o seu trabalho e a sua carreira. Ele deve saber pensar com a cabeça de cada um dos setores da empresa. Deverá saber como pensam os técni- cos, os engenheiros, os médicos, os vendedores e os acionistas. Comunicar é escutar. Escutar Consultor e cada um dos setores e no meio disto tudo fazer o palestrante em seu trabalho. Ao mesmo tempo em que faz o seu marketing, trabalho, ele tem que estar vendendo constan- comunicação temente o assunto comunicação, porque esta é corporativa e vendas. uma habilidade que não se aprende na escola. 10/06/2010 3. Como o egresso de um curso de Comunicação Institucional pode aliar 1. A área de Comunicação Empresarial espírito e atitude crítica e eficiência e efi-tem visibilidade atualmente. O que essa cácia no trabalho?área é para o senhor? O comunicador não deve julgar a estética do Depende da empresa. Grandes corporações outro. Não pode julgar como uma determinadacomo Gerdau, Vale, Petrobrás e os bancos já fa- classe se comporta, ele tem que entendê-la parazem um bom trabalho nesta área, pois existem depois fazer o seu trabalho. O bom comunicadordiretores para tratar do assunto e ela é bem va- é um individuo com sólida formação humanís-lorizada. Pequenas empresas sabem que a co- tica. Terá que ter aptidões em diferentes áreas,municação interna é importante, mas na hora como antropologia, medicina, psicologia, artesde fazer, não sabem, e ficam só na intenção. Em plásticas, literatura, teatro, psiquiatria, publici-minha opinião a comunicação interna deveria dade, etc. Ele é um pouco de tudo. Precisa enten-estar diretamente ligada ao marketing e este se der bem o ser humano para pode interagir comaliar aos Recursos Humanos para fazer o traba- eficiência com eles. Sem uma sólida formaçãolho. A comunicação interna é além de uma fer- humanística não existe um bom comunicador.ramenta de gestão (própria para RH), uma fer-ramenta fundamental de marketing. Ela faz o 4. Como o egresso deve agir no sentidorelacionamento. Se uma empresa mantém uma de contribuir para a democratização dacomunicação eficaz com seu público externo, Comunicação a serviço de uma socieda-certamente, mantém antes uma boa comunica- de mais justa?ção interna com os seus públicos. Nestes casos acomunicação funciona como um amálgama, ou A comunicação pode tanto servir a regimesum catalisador, unindo as partes. Assim sendo, ditatórios, nazistas, como democráticos. Uma comunicação interna é tão importante que de- dos melhores exemplos de eficiência da comu-veria ser do interesse da alta diretoria. Mas nem nicação é a do trabalho do Ministro de Comu-sempre acontece assim. nicação do Hitler – Goebels. Podemos dizer que foi para o mal, mas ele foi extremamente com- petente. Hoje em dia, os processos de comuni- 2. Quais os desafios do Comunicólogo cação via web, transmidia, twitter, facebook etc,Empresarial no ambiente de trabalho? são o terror dos ditadores. Um exemplo é o caso Um bom comunicador faz junto à alta direto- da moça que enviava mensagens de Cuba, daria, aos presidentes das empresas um papel de Venezuela, de alguns países árabes e da China.sparing (que é aquele cara que treina o lutador Eles têm horror à internet. Cabe ao comunica-de boxe), ou seja, ele ajuda o outro a pensar e dor moderno fazer este trabalho. Sabendo es-faz as perguntas impertinentes e idiotas. Ele cutar para depois saber se comunicar. Muitostambém tem um papel político importante nas comunicadores se vendem fácil e saem da ética.organizações. Política no sentido do relaciona- Vendem imagens que não correspondem à reali-mento entre as pessoas. Ele deve saber como são dade. O mundo político está cheio deles. Muitosjogados os jogos do poder dentro da empresa. são confundidos com marqueteiros.38 CTCOM - Junho / 2011
  • 38. Entrevistas com profissionais da área Miguel Manasses 3. Como o egresso de um curso de Co- municação Institucional pode aliar es- pírito e atitude críticas e eficiência e efi- cácia no trabalho? Entendo que os quesitos acima apresentados são distintos. Senão vejamos: espírito ou atitu-Jornalista da ParanaOnline. 18/05/2010 de crítica é algo inerente a qualquer pesquisa- dor, seja de que área ele for, e como um egresso 1. A área de Comunicação Empresa- de um curso de comunicação empresarial tam-rial tem visibilidade atualmente. O que bém é um pesquisador. A atitude crítica, queessa área é para você? não pode ser confundida com ceticismo, deve acompanhá-lo sempre em suas tomadas de de- Vejo a comunicação empresarial com extre- cisões. Quanto à eficiência e eficácia são ques-ma visibilidade atualmente, por entender que tões diretamente ligadas à produtividade, poistal ramo da comunicação reforça a imagem eficiência é fazer o máximo possível com o mí-positiva de uma empresa ou instituição, des- nimo de recursos, enquanto que eficácia nadade que bem desenvolvida. Considerando que mais é do que fazer a coisa certa, e ambos osgrande parte dos graduados em Jornalismo ou quesitos são aprimorados na medida em que oRelações Públicas encontram oportunidades profissional se torna mais experiente.de trabalho em assessorias de imprensa ou nospróprios departamentos de comunicação das 4. Como o egresso deve agir no sentidoempresas, sejam elas públicas ou privadas, fica de contribuir para a democratização daclaro a importância do trabalho de tal profis- Comunicação a serviço de uma socieda-sional daí, por exemplo, a crescente oferta de de mais justa?cursos de especialização em comunicação em- Tomando como ponto de partida o pensa-presarial por parte das faculdades e universi- mento kantiano, justiça é sinônimo de liberda-dades. de, incluída a de expressão e opinião. Se a liber- dade é o principal pilar de uma sociedade mais 2. Quais os desafios do Comunicólogo justa, ao graduado de comunicação cabe a tarefaEmpresarial no ambiente de trabalho? de auxiliar, de forma responsável e ética, esta Como o mercado está cada vez mais exigen- mesma sociedade a se manter informada. Aindate, aumenta consideravelmente a necessidade tomando Kant como exemplo, a liberdade não éde que este profissional saiba planejar e execu- sinônimo de felicidade, daí a importância de otar as ações comunicacionais necessárias que comunicador tratar com a mesma isenção (quea organização que o contratou exige. Portanto, não é o mesmo que imparcialidade, já que estealém de ser comunicativo, ter um bom texto, conceito é um mito na medida em que o comu-saber trabalhar sob pressão, dominar a tecno- nicador é um ser humano e como tal apresentalogia, é fundamental que ele assuma a função subjetividade) todos os fatos, procurando sem-de gestor, ou seja, precisa conhecer a engrena- pre apresentá-los de forma fidedigna aos acon-gem da empresa para, dessa forma, obter os tecimentos, para que cada indivíduo faça seumelhores resultados possíveis. próprio juízo de valor.CTCOM - Junho / 2011 39
  • 39. Entrevistas com profissionais da área Heródoto Barbeiro mercado muito competitivo e uma boa comu- nicação pode se tornar o diferencial competi- tivo. Não é mais possível temer o feedback de uma resistência cultural no Brasil, uma vez que ele é um reorientador da ação e útil para a per- petuidade do setor. 4. Como o egresso deve agir no sen- tido de contribuir para a democratiza- ção da Comunicação a serviço de uma sociedade mais justa? A transparência é uma contribuição impor-Gerente de jornalismo da rádio CBN. 17/05/2010 tante para todos os setores da sociedade, é um incentivador da cidadania e ao mesmo tempo é um indicador de sustentabilidade para uma 1. A área de Comunicação Empresa- organização. Não é possível mais esconder arial tem visibilidade atualmente. O que cabeça em um buraco como um avestruz, to-essa área é para você? dos estão sendo chamados para o debate em A área de comunicação ganha cada vez mais espaço público.espaço nas corporações uma vez que tambémé responsável pelo desenvolvimento da repu-tação e da admirabilidade da empresa. Nesse Frases de comunic aç ãocontexto contribui decisivamente para o de- “Comunicação não é o que você diz. É o quesenvolvimento do valor intangível da empresa os outros entendem.”e na relação com todos os stakeholders. 2. Quais os desafios do Comunicólogo Duda Mendonça “A sua comunicação é apenas tão boa quantoempresarial no ambiente de trabalho? a sua compreensão sobre a pessoa com Inicialmente deve conhecer bem a cultura da quem você está se comunicando.”empresa e os stakeholders. Sem uma identifi- Dr. Tony Alessandracação e um alinhamento com os objetivos dacorporação não é possível fazer um bom tra-balho. É necessário entender qual é o core bu- “A coisa mais importante na comunicação ésiness e como a comunicação pode concorrer ouvir o que não está sendo dito.”diretamente para o resultado econômico finan- Peter F. Druckerceiro da empresa. 3. Como o egresso de um curso de Co-municação Institucional pode aliar es- “Se você pensar duas vezes antes de falarpírito e atitude críticas e eficiência e efi- algo, você falará duas vezes melhor.”cácia no trabalho? William Penn É necessário uma avaliação interna e exter-na do trabalho de comunicação para que hajaum alinhamento constante uma vez que o am-biente de mobilidade de uma corporação é um40 CTCOM - Junho / 2011
  • 40. Entrevistas com alunos do CTCOM Daniele MorozAssistente de Comunicação Institucionalda Incavel Ônibus e Peças 1. A área de Comunicação Empresarialtem visibilidade atualmente. O que essaárea é para você? A comunicação empresarial engloba comuni- 4. Como o egresso deve agir no sen-cação interna e externa de uma empresa, além tido de contribuir para a democratiza-da organização de eventos, desenvolvimento de ção da Comunicação a serviço de umamateriais gráficos e assessoria de imprensa. sociedade mais justa? Essa é uma pergunta complicada. Quando 2. Quais os desafios do Comunicólogo você se forma, a primeira coisa que pensa éEmpresarial no ambiente de trabalho? em ganhar dinheiro e não em “salvar o mun- O maior desafio é se inserir no ambiente de do”. Você pode optar por trabalhar em umatrabalho. Precisamos antes provar que nossa empresa socialmente responsável, mas e seformação é tão boa, ou melhor, quanto às for- não conseguir entrar em uma empresa assim?mações tradicionais. Depois disso, é preciso ter Obviamente é possível que o profissional dea consciência de que, pelo curso ser de curta comunicação questione seus superiores a res-duração e abordar diversas áreas da comuni- peito de determinada prática com a qual nãocação, às vezes, surgem lacunas que precisam concorde, mas é muito difícil chegar em umaser preenchidas através de uma pesquisa indi- empresa já desejando mudar sua cultura.vidual. 5. Qual/is disciplina(s) você acha que 3. Como o egresso de um curso de Co- mais contribuiu(iram) para você quan-municação Ial pode aliar espírito e ati- do ingressou no mercado de trabalho etude críticas e eficiência e eficácia no que disciplina(s) você acha que deveriatrabalho? ser incluída no curso? A eficiência e a eficácia aprendemos duran- As disciplinas que mais contribuíram parate o curso. A cada atividade somos cobrados e mim foram os laboratórios de texto. Eu sentiensinados para que nosso trabalho tenha exce- falta de uma maior abordagem da área de edi-lência. E espírito e atitude críticas acredito que ção de imagens.sejam características mais pessoais.CTCOM - Junho / 2011 41
  • 41. Entrevistas com alunos do CTCOM Vanessa Cristina Dasko nas campanhas institucionais e utilização de meios de comunicação para o público interno (funcioná- rios) e públicos externos de uma organização. Uma dica é ficar sempre atualizado, através de leituras de livros, participação em cursos, palestras e ainda conhecer bem as profissões de comunicação, seus códigos de ética e funções. Dessa forma é possível, como comunicador empresarial, estabelecer uma dinâmica de trabalho totalmente integrada com o foco em resultados. Trainee na 4. Como o egresso deve agir no sentido Diretoria de de contribuir para a democratização da Comunicação Comunicação a serviço de uma sociedade e Promoção mais justa? da FIEP Este é um ponto importante. O comunicador empresarial deve agir sempre de acordo com a 1. A área de Comunicação Empresarial ética das profissões de comunicação. Deve se lem-tem visibilidade atualmente. O que essa brar de que ele é uma ponte entre a organização eárea é para você? a sociedade. As campanhas e estratégias de comu- A Comunicação Empresarial é hoje umas das nicação devem sempre ir ao encontro da aberturaáreas mais importantes para qualquer organiza- de diálogo entre a sociedade e a empresa para qualção. Com o trabalho integrado de profissionais trabalha. As pessoas não compram apenas produ-de comunicação é possível estabelecer estratégias tos ou serviços, mas um pacote com valores orga-que serão fundamentais no relacionamento entre nizacionais e de responsabilidade social. Sabendopúblico-alvo e empresa. Organizações sem comu- deste quadro, o comunicador empresarial deve in-nicação com seus públicos já são organizações fa- centivar na organização formar de interatividade elidas. Além disso, a comunicação empresarial está trabalho para a sociedade, auxiliando na constru-presente dentro e fora da organização e alinha os ção de um mundo mais justo e uma empresa maisobjetivos, metas, valores e missão para todos os justa e ética.stakeholders. 5. Qual/is disciplina(s) você acha que 2. Quais os desafios do Comunicólogo mais contribuiu(íram) para você quandoEmpresarial no ambiente de trabalho? ingressou no mercado de trabalho e que Por ser uma nova formação acadêmica no mer- disciplina(s) você acha que deveria(m) sercado de trabalho, um dos maiores desafios é alinhar incluída(s) no curso?a nova profissão com as outras formações acadêmi-cas em Comunicação Social, já que o comunicador Cada disciplina pode colaborar em algum mo-empresarial entra no mercado com visão de traba- mento na minha vida profissional. As matérias li-lhar a comunicação de forma integrada e dinâmica. gadas ao uso correto da língua portuguesa, terceiroOutro desafio é estar sempre atento às novas ten- setor, políticas da comunicação empresarial e ins-dências do mercado de trabalho, prevendo situa- titucional e administração foram importantes nações e unindo estratégias da empresa para atingir hora de elaborar estratégias de comunicação nasos objetivos e a comunicação com seus públicos. empresas que trabalhei. Mas o curso deve focar ainda mais em matérias que tragam ao aluno um 3. Como o egresso de um curso de Comu- conhecimento a respeito das estruturas empresa-nicação Institucional pode aliar espírito rias e de administração e mais trabalhos de cam-e atitude críticas e eficiência e eficácia no po, que levem a conhecer planos de comunicaçãotrabalho? eficientes e eficazes nas organizações. Conhecer na Todo comunicador empresarial deve estar muito prática as estratégias de comunicação e a realidadeatento às novas mídias e meios de comunicação da do mercado nesse setor irão ajudar e muito na horasociedade. É preciso que ele veja o cenário de atua- em que for preciso colocar a mente para pensar es-ção da empresa para qual trabalha de forma ampla trategicamente e de acordo com os valores organi-e estratégica a fim de promover resultados através zacionais. Desta forma o comunicador empresarialde políticas de comunicação. Com estudos amplos atinge o objetivo de comunicar os stakeholders edo mercado, é possível aliar eficiência e eficácia atende as metas e estratégias nas organizações.42 CTCOM - Junho / 2011
  • 42. Entrevistas com alunos do CTCOM Larissa Gurkewicz Eiglmeier 3. Como o egresso de um curso de Co- municação Institucional pode aliar es- pírito e atitude críticas e eficiência e efi- cácia no trabalho? Sinceramente acredito que antes de se realizar a parte crítica, deve-se conhecer primeiramente o conteúdo de forma profunda. E se o indivíduo está entrando ou saindo do curso de comunica- ção empresarial, é porque ele ainda aprenderá o conteúdo. Portanto, em minha opinião, nesse período de conhecer o conteúdo, é melhor esse egresso, por um período, abster-se de criticar. 4. Como o egresso deve agir no sentido de contribuir para a democratização daEntrevistadora de Campo do IPARDES (Instituto Comunicação a serviço de uma socieda-Paranaense de Desenvolvimento Econômico e Social) de mais justa? A democracia se faz de dentro para fora. Em 1. A área de Comunicação Empresa- outras palavras, acredito que a sociedade já estárial tem visibilidade atualmente. O que estafada de pessoas que no discurso dizem-seessa área é para você? democráticas e defendem essa idéia, porém, em suas relações com o mais próximo, o auto- Antes de tudo, acredito que a comunicação ritarismo impera. Começa-se com a democraciatem como objetivo ajudar na compreensão de tratando melhor o seu próximo.idéias entre duas pessoas, dois grupos ou diver-sos elementos que se encontram envolvidos. E 5. Qual/is disciplina(s) você acha queisso pode ser realizado de diversas maneiras, mais contribuiu(iram) para você quandosendo ela escrita e verbal. Para mim, a comuni- ingressou no mercado de trabalho e quecação é uma tentativa de se compreender e/ou disciplina(s) você acha que deveria(m)ser compreendido. A Comunicação Empresa- ser incluída(s) no curso?rial, para mim, é mais uma maneira de facilitar Sistemas e processos integrados, pois ajudouo envolvimento das empresas com seus diver- a melhor compreender um sistema empresa-sos públicos. rial. E o professor Marcos Teixeira foi um dos professores que auxiliou muito nesse processo. 2. Quais os desafios do Comunicólogo Acredito que quem faz a disciplina é o docente eEmpresarial no ambiente de trabalho? o corpo discente. Fico triste que a disciplina “Es- Vários são os desafios. Primeiro, o comu- tudos Críticos dos Manuais de redação” tenhanicólogo empresarial tem que estar aberto a sido retirada do currículo do curso. E acho quetodas as camadas que constituem o ambiente a disciplina tinha que retornar, com o nome dede trabalho, sem preconceito. Segundo, esse “Estudo dos Manuais de Redação”, dispensan-mesmo profissional tem que desenvolver a do-se a parte crítica, pois para se realizar a crí-habilidade de ouvir, não só falar e falar, sem tica, faz-se necessário conhecer profundamen-parar. E terceiro, conseguir transmitir ao seu te o conteúdo. Resposta da segunda pergunta:receptor a informação tendo em vista o nível Nenhuma mais disciplina tem que ser incluída.de consciência desse mesmo receptor. Se tiver Acredito que o curso já oferta as disciplinas ne-o comunicólogo empresarial que se utilizar de cessárias e outros conhecimentos serão melho-palavras mais simples para se fazer entender, res aprendidos em campo, na prática.ele tem que utilizar esse recurso.CTCOM - Junho / 2011 43
  • 43. Comemorações Homenageados EMPRESA DA ÁREA DE COMUNICAÇÃO E EXPRESSÃO 2005: JORNAL FOLHA DE LONDRINA 2006: SOFT CINE VÍDEO EMPRESA DA ÁREA DE COMUNICAÇÃO No dia 25 de maio é, tradicionalmente, come- EMPRESARIALmorado o Dia da Indústria. O evento acontece 2007: ELÓI ZANETTI CONSULTORIAno Auditório do Campus Curitiba e premia, nas 2008: DATAMÍDIA PESQUISA E MARKETINGáreas profissionais vinculadas aos cursos supe- 2009: WERNER & BARA CONSULTORIAriores da Instituição, as empresas que se des- E TREINAMENTO EM COMUNICAÇÃO LTDA.tacaram no ano. Além de homenagear as em- 2010: FIEP - Setor Rede de Participação Políticapresas, empresários e aluno egresso que foram Área de Comunicação Empresarial.destaques, o evento também busca proporcio-nar às empresas a oportunidade de conhecer asinstalações físicas do Campus. Fonte: GEREC (Gerência de Relações Empresariais e Comunitárias). Professora Ângela Maria Rubel Fanini e Luiz Geraldo Mazza agradecendo a comenda pelo Jornal Folha de Londrina 44 CTCOM - Junho / 2011
  • 44. Dito Efeito - Revista de Comunicação da UTFPR Com o objetivo de divulgar produções científi-cas que contribuam para o avanço das pesquisasna área de Comunicação, a DITO EFEITO - Re-vista de Comunicação da Universidade Tecno-lógica Federal do Paraná (UTFPR) publica anu-almente, por meio virtual, artigos inéditos deautores brasileiros ou estrangeiros em LínguaPortuguesa e/ou em uma segunda língua (in-glês, francês, alemão, espanhol). As áreas abrangentes de comunicação são:Jornalismo e Relações Públicas, Linguística, eLiteratura. A Comissão Editorial da DITO EFEITO acei-ta colaborações (nacionais e internacionais)em forma de artigos, ensaios ou resenhas . Ostextos enviados passam pelo exame do Conse-lho Editorial Consultivo, que emite um pareceraceitando-os ou recusando-os. Os autores rece-bem, via e-mail, o comunicado acerca da aceita-ção ou da não aceitação de seus trabalhos para Editor-chefe Camilo Catto - Doutor, PUC/RSpublicação. O e-mail para envio dos textos é oditoefeito-ct@utfpr.edu.br. Conselho editorialADRIANA CABRAL DOS SANTOS ROSÂNGELA H. RODRIGUESMestre - UFSC Doutora - UFSCADRIANE WERNER SELMA SUELY TEIXEIRAJornalista - PR Mestre - UFPRANGELA MARIA RUBEL FANINI VALÉRIA DE OLIVEIRA SANTOSDoutora - UFSC Mestre - UFPRCÉLIA REGINA CRESTANI SÍRIO POSSENTIMestre, UFSC Doutor - UNICAMPDULCINÉIA NOVAES WILTON FRED CARDOSO DE OLIVEIRAMestre, Jornalista - PR Doutor - UFSCJOÃO MANUEL NUNES TORRÃO WILSON BUENODoutor - Aveiro, Portugal Doutor - USP - ECALUCIANA MARTHA SILVEIRA ZAMA CAIXETA NASCENTESDoutora - USP Mestre - UFPRLUIZ GERALDO MAZZAJornalista - PR VIRGINIA WALLNER. Mestre. Universidade Passau, Alemanha.MARIA ALICE MASCHIO DE GODOYMestre - UFPR Conselho executivoMAURINI DE SOUZA ALVES PEREIRA ADRIANA CABRAL DOS SANTOSMestre - Jornalista - PR Mestre - UFSCOTILIA PIRES MARTINS CÉLIA REGINA CRESTANIDoutora, Aveiro, Portugal Mestre - UFSCPAULO JUAREZ RUEDA STROGENSKI MAURINI DE SOUZA ALVES PEREIRADoutor - UFPR Mestre - Jornalista - PRPAULO NASSAR WILTON FRED CARDOSO DE OLIVEIRADoutor, jornalista - USP Doutor - UFSCCTCOM - Junho / 2011 45
  • 45. Com a palavra Coordenador do Curso, Arnaldo Sbalqueiro, 2010 Primeira coordenadora do curso, O Curso de Tecnologia em Comunicação Ângela Maria Rubel FaniniInstitucional, CTCOM, foi criado há sete anos.Visa a formar tecnólogos em comunicação ins-titucional, que ficarão responsáveis, dentre ou-tras atribuições, pelos objetivos, público-alvo,mensagens prioritárias e políticas de comuni- “ O objetivo foi capacitar o aluno para gerenciar, analisar,cação desenvolvidas pelas empresas/institui-ções. Além dessas atribuições, também podem implementar e problematizarter a incumbência de criar e editar publicaçõesinternas (jornais, informativos, murais, manu- as infinitas formas de comuni-ais) e externas para clientes ou consumidores; cação interna e externa a partir deplanejar e organizar eventos como recepções,palestras, cursos, apresentações, congressos, uma postura ética ”feiras, woskshops e seminários nas empresas/instituições; gerenciar a comunicação em situa-ções de crise; elaborar manual de procedimen-tos para relações com a imprensa; acompanhar O Curso Superior de Tecnologia em Comuni-e analisar nos noticiários matérias referentes à cação Institucional - CTCOM da UTFPR, abriuempresa/instituição. 30 vagas no primeiro semestre de 2004. Os pro- O Curso, depois de alguns anos de sua cria- fessores do Departamento Acadêmico de Comu-ção, é um sucesso, pois os egressos, além de nicação e Expressão - DACEX -, todos portantoconseguirem colocação no mercado de traba- títulos de pós-graduação, elaboraram o plano dolho, não poupam elogios para com o CTCOM. Curso, apostando na importância de se ter umaTrata-se, portanto, de um curso novo, adequa- comunicação transparente e democrática dentrodo às novas exigências do mercado em cons- das empresas e instituições. O objetivo foi ca-tante mudança e modernização. Esses tecnólo- pacitar o aluno para gerenciar, analisar, imple-gos, graças à formação holística que recebem, mentar e problematizar as infinitas formas deconseguem adaptar-se às diversas situações comunicação interna e externa a partir de umacom iniciativa e criatividade, além do grande postura ética. Após a conclusão do Curso, o alunopotencial que desenvolvem para a comunica- recebe o diploma de Tecnólogo em Comunicaçãoção. Institucional, regulamentado pela lei n.º 9.394 O CTCOM é fruto do sonho de um grupo de de 20 de dez. de 1996. Pelo Código Brasileiro deprofessores do Departamento Acadêmico de Ocupação, constante do Ministério do TrabalhoComunicação e Expressão, realizado com acriação do Curso por parte da UTFPR e levado e Emprego, o tecnólogo egresso se enquadra naavante na sequência também por outros pro- profissão de Gerente de Comunicação, sob códi-fessores e principalmente com a chegada dos go profissional 1423-10. O Curso tem emprega-alunos que viram nele algo novo e que poderia bilidade haja vista que nossos egressos se encon-ajudá-los não só a ingressarem no ensino supe- tram exercendo a profissão em várias empresas erior, mas principalmente num curso moderno instituições paranaenses e brasileiras. O sucessoe que lhes proporcionasse a concretização dos do Curso se deve ao empenho dos alunos, docen-seus ideais. tes e Direção da UTFPR.46 CTCOM - Junho / 2011

×