ApresentaçãO Original Para 17 11

3,014 views
2,943 views

Published on

0 Comments
1 Like
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total views
3,014
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
91
Actions
Shares
0
Downloads
24
Comments
0
Likes
1
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

ApresentaçãO Original Para 17 11

  1. 1. <ul><li>Mestrado em Ensino de Ciências Naturais e Matemática </li></ul><ul><li>Disciplina: Pesquisa em Ensino de Ciências e Matemática </li></ul><ul><li>Professor: Dr. Edson Schroeder </li></ul><ul><li>Alunas: Michele Edegard Montibeller </li></ul><ul><li>Patricia Borati </li></ul>
  2. 2. Referência e Título <ul><li>SANTOS, V. de M. A relação e as dificuldades dos alunos com a matemática:um objeto de investigação .Revista ZETETIKÉ, v.17. : p.57-94 . Número Temático-2009. </li></ul>
  3. 3. Autor <ul><li>Vinício de Macedo Santos </li></ul><ul><li>Possui graduação em Licenciatura em Matemática pela Universidade de São Paulo , mestrado em Educação: História, Política, Sociedade pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, doutorado em Educação pela Universidade de São Paulo e pós-doutorado pela Universidade de Sevilha. </li></ul>
  4. 4. <ul><li>Atualmente é professor livre-docente da Faculdade de Educação da USP e desenvolve programa de pós-doutorado na École des Hautes Études en Sciences Sociales de Paris. Coordenador do GT de Educação Matemática da Anped (2005-2007).Tem experiência na área de Educação, com ênfase em Ensino e aprendizagem da matemática, atuando principalmente nos seguintes temas: ensino de matemática, educação matemática, ensino fundamental, aprendizagem de matemática e formação de professores </li></ul>
  5. 5. Publicação <ul><li>Revista ZETETIKÉ </li></ul><ul><li>- Periódico semestral; </li></ul><ul><li>- Faculdade de Educação da UNICAMP; </li></ul><ul><li>- Fonte de apoio: CNPq (Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico) </li></ul><ul><li>- Ano início do periódico impresso 1992; </li></ul><ul><li>- Ano início do periódico no SEER (Sistema Eletrônico de Editoração de Revistas) 2008; </li></ul>
  6. 6. <ul><li>- Desde dezembro de 2008 possui 276 autores cadastrados; </li></ul><ul><li>- Possui circulação nacional; </li></ul><ul><li>- Qualidade: Qualis B; </li></ul><ul><li>Área de avaliação: Ensino de Ciências e Matemática. </li></ul>
  7. 7. <ul><li>Objetivo: </li></ul><ul><li>A Revista Zetetiké tem o objetivo de contribuir para a formação do pesquisador da área de Educação Matemática por meio da divulgação de pesquisas e estudos realizados por educadores matemáticos, vinculados a instituições brasileiras ou estrangeiras. </li></ul>
  8. 8.
  9. 9. <ul><li>A relação e as dificuldades dos alunos com a matemática: um objeto de investigação </li></ul>
  10. 10. Introdução <ul><li>O autor apresenta e discute um percurso particular de estudos sobre a relação dos alunos e suas dificuldades com a matemática como uma possibilidade de investigação na área de Educação Matemática. </li></ul><ul><li>Tem-se como referência três estudos: </li></ul>
  11. 11. <ul><li>- Como se articulam os interesses dos alunos,suas representações, suas experiências sensíveis e “suas lógicas” com o conhecimento matemático; </li></ul><ul><li>- Quais dificuldades são geradas nesse processo e o que eles informam aos processos de formação docente; </li></ul><ul><li>- Um dos estudos, ainda em andamento, objetiva caracterizar, mapear e compreender a relação de alunos e de um grande centro urbano e suas dificuldades com a matemática e discutir o peso do contexto social das exigências curriculares do sistema de ensino em questão e das negociações entre quem ensina e quem aprende Matemática. </li></ul>
  12. 12. <ul><li>Palavras-chave : dificuldades em Matemática; ensino de Matemática;dimensões sociais do ensino de Matemática;formação de professores. </li></ul>
  13. 13. Apresentação <ul><li>Temáticas do estudo: </li></ul><ul><li>1- A Matemática no primeiro grau: os significados que pais, alunos e professores conferem à Matemática; </li></ul><ul><li>2- Aperfeiçoamento da formação de professores de 2º grau: as dificuldades de aprendizagem de alunos de 1ª a 4ª série como objeto de reflexão; </li></ul>
  14. 14. <ul><li>3- Avaliação e pesquisa: investigando as dificuldades em Matemática no ensino fundamental da rede municipal da cidade de São Paulo. </li></ul><ul><li>Trata-se de um tipo de estudo que estabelece vínculos estreitos com políticas que envolvem o ensino de matemática como a avaliação, a formação e a capacitação docente, a formulação de programas e currículos, a produção a oferta e a análise de recursos didáticos, etc. </li></ul>
  15. 15. Dificuldade de aprendizagem: o foco nos significados da Matemática <ul><li>Questão da necessidade do estudo: Quais significados as pessoas dão à Matemática e a sua relação com ela e quais tipos de dificuldades estão aí presentes? </li></ul><ul><li>- Num primeiro momento, de estudar e compreender o outro lado: O que pensa e como pensa cada indivíduo, e ter mais elementos para, como professor conseguir modificar o ensino. </li></ul>
  16. 16. <ul><li>A teoria principal que orientou esse trabalho foi (ERNEST,1994), denominou de “construtivismo trivial” aquele que se apóia exclusivamente no princípio de que “ o conhecimento não é recebido passivamente pelo sujeito cognitivo, mas que é ativamente construído.” </li></ul><ul><li>Em segundo lugar: que as referências cognitivas dos alunos são importantes para os significados dados às noções matemáticas a partir das situações e das atividades que procuram resolver. </li></ul>
  17. 17. <ul><li>O estudo se identifica como qualitativo; </li></ul><ul><li>Coletou os dados através de entrevista baseado num questionário previamente elaborado; </li></ul><ul><li>A elaboração das questões foi orientada no interesse em saber de que modo os sujeitos da pesquisa percebem a matemática e sua relação com ela, dentro e fora da escola; </li></ul><ul><li>- Constatou que alunos e professores entrevistados portavam dificuldades que foram aumentando com o desenrolar da sua escolarização. </li></ul>
  18. 18. Dificuldades de aprendizagem e a formação docente como foco de interesse <ul><li>Identifica-se a natureza do trabalho docente, o conjunto de saberes que integram a formação profissional do professor de matemática e toma como meta o desenvolvimento do conhecimento didático do conteúdo matemático. </li></ul>
  19. 19. <ul><li>Os objetivos do projeto eram: </li></ul><ul><li>1 .Identificar e analisar as dificuldades de aprendizagem de matemática de alunos das séries iniciais do Ensino Fundamental; </li></ul><ul><li>2 .Planejar e desenvolver atividades a partir da reflexão sobre as dificuldades encontradas e suas implicações para os professores formadores e futuros professores; </li></ul><ul><li>3 .Promover uma articulação entre teoria e prática com base na interação social entre os diferentes sujeitos envolvidos. </li></ul>
  20. 20. A relação dos alunos e suas dificuldades com a Matemática: o contexto social como foco <ul><li>Alto índice de reprovação ; </li></ul><ul><li>Macroavaliações: têm chamado a atenção na forte presença da Matemática como área do conhecimento em que os índices de aproveitamento dos alunos são os mais baixos possíveis. </li></ul>
  21. 21. <ul><li>O projeto tem como objetivo geral pesquisar dificuldades e fatores que interferem no ensino e na aprendizagem da matemática, num dado contexto social, contribuindo com os elevados índices de reprovação e fracasso escolar dos alunos. </li></ul><ul><li>OBS: os alunos de classes regulares apresentam maior chance de acerto e menor chance de erro que os alunos de classe PIC (Programa Intensivo do Ciclo I). </li></ul>
  22. 22.
  23. 23. Constituindo referências conceituais das pesquisas sobre dificuldades em Matemática <ul><li>O termo “dificuldades de aprendizagem em Matemática”, na atualidade, conforme destacam Miranda et al.(1998), tem se distanciado da ênfase dada por estudos que explicavam e ainda explicam as causas das dificuldades em Matemática ( por exemplo, a discalculia) por disfunções neurológicas. (origem de críticas); </li></ul>
  24. 24. <ul><li>Alguns autores citados por Miranda, argumentam que as dificuldades decorrem da experiência do sujeito e ressaltam a importância dos fatores atitudinais e motivacionais. </li></ul><ul><li>Assim, o debate sobre as dificuldades de aprendizagem em Matemática passou a considerar variáveis intrapessoais e variáveis ambientais. </li></ul>
  25. 25. <ul><li>Apoiando-se nesse tipo de pressuposto, as mais recentes abordagens do desenvolvimento, colocam em cena a relação entre o desenvolvimento cognitivo, a ação do sujeito e o contexto em que ele se dá (visão piagetiana). </li></ul><ul><li>Outra vertente, apóia-se na idéia de que as crianças também desempenham papel ativo no seu desenvolvimento e que o desenvolvimento cognitivo da criança e o contexto social em que ele ocorre são indissociáveis ( visão vygotskiana). </li></ul>
  26. 26. <ul><li>Conforme destaca Miranda et al.(1998), as dificuldades de aprendizagem em matemática são constituídas socialmente. </li></ul><ul><li>Segundo Socas,1997, alunos com pré-disposição para aprendizagem, podem apresentar tensão, medo ou aversão em relação à Matemática. </li></ul><ul><li>E Simões, 2001, o peso e a importância que ocupa a Matemática no conjunto das disciplinas curriculares, por tradição, permitem considerar o ensino desta disciplina um campo fértil para investigar dimensões do autoconceito. </li></ul>
  27. 27. Considerações finais <ul><li>A princípio a pesquisa estava direcionada às dificuldades de aprendizagem em matemática com âmbito no aluno, professor e conhecimento matemático como um sistema fechado. </li></ul><ul><li>Porém, observa-se que as dificuldades vão além desses fatores. </li></ul><ul><li>As dificuldades apresentam-se não só na aprendizagem em matemática, mas em todas as áreas do conhecimento e são determinadas por vários fatores. </li></ul>
  28. 28. <ul><li>São eles: </li></ul><ul><li>- Aluno (cognitivo,autoconceito,sentimentos, histórico sócio-cultural); </li></ul><ul><li>- Professor ( formação, capacitação, didática de trabalho); </li></ul><ul><li>- Escola (ambiente, condições de ensino); </li></ul><ul><li>- Políticas educacionais ( currículo, livro didático, avaliações). </li></ul>

×