Your SlideShare is downloading. ×
  • Like
O olhar sociológic0
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

×

Now you can save presentations on your phone or tablet

Available for both IPhone and Android

Text the download link to your phone

Standard text messaging rates apply

O olhar sociológic0

  • 5,623 views
Published

 

  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Be the first to comment
    Be the first to like this
No Downloads

Views

Total Views
5,623
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
11

Actions

Shares
Downloads
58
Comments
0
Likes
0

Embeds 0

No embeds

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
    No notes for slide

Transcript

  • 1. O OLHAR SOCIOLÓGIC0• COMO a Sociologia pode nos ajudara compreender a realidade na qualvivemos.
  • 2. A Perspectiva sociológica (O olhar sociológico))• A Sociologia é o estudo sistemático da sociedade humana. No coração da sociologia temos um ponto de vista, um olhar, chamado “A perspectiva sociológica”.
  • 3. O OLHAR SOCIOLÓGICO• Aprender a pensar sociologicamente significa cultivar a imaginação.• Um sociólogo é alguém capaz de se libertar do quadro das suas circunstâncias pessoais e pensar as coisas num contexto mais abrangente,• C. Wright Mill denominou esse olhar de A IMAGINAÇÃO SOCIOLÓGICA.
  • 4. ver diferente e de formaabrangente
  • 5. A imaginação sociológica• Abstrair das rotinas familiares da vida quotidiana de maneira a poder olhá-las de maneira diferente.• Exemplo: tomar um cafezinho...
  • 6. O que a sociologiatem a dizer sobre oato de tomar café?
  • 7. O café não é apenasuma bebida. Enquantoparte de nossa vidasocial podemos olhar ocafé sob outrosângulos.
  • 8. 1. O café possui um valorsimbólico. O ritualassociado é maisimportante do queconsumir o cafépropriamente dito.
  • 9. Em todas as sociedades beber e comerproporcionam ocasiões para ainteração social e o desempenho derituais.
  • 10. 2. O café contémcafeína. Pode serclassificado como umadroga, já que exerce umefeito estimulante… masé uma drogasocialmente aceitável.
  • 11. O sociólogo está interessado nesses contrastes.3. Ao tomar uma xícara decafé estamos envolvidosnuma rede de relaçõessociais e econômicas. É oprincipal produto de exportação de alguns países. Évendido nos mercados internacionais nas bolsas dospaíses do primeiro mundo, transportado por Kms atéchegar aos consumidores.
  • 12. 4. Pressupõe todo umprocesso dedesenvolvimento social eeconômico passado . O cafétornou-se um produto de consumo nos finais doséculo XIX. É uma herança do período colonial eteve grande impacto na economia mundial.
  • 13. 5. Envolve opções de estilode vida. As pessoas podem escolher beberum café expresso, um capuccino, café orgânico oudescafeinado.
  • 14. 1. Vendo o Geral no ParticularPeter Berger (1963) descreveu esse olhar sociológico como “ver o geral no particular”.Com isso ele quer dizer que o sociólogo procura os padrões gerais por trás do comportamento particular das pessoas.Embora todo indivíduo seja único, a sociedade molda a vida de seus integrantes.
  • 15. • No ocidente, por exemplo, as pessoas acreditam que para casar-se é preciso que exista amor recíproco entre as pessoas que se casam.• Essa idéia é bastante incomum para uma pessoa que vive numa aldeia tradicional no Paquistão rural.
  • 16. • As sociedades moldam a vida das pessoas em várias categorias (tais como crianças e adultos, mulheres e homens, ricos e pobres).• Um estudo clássico sobre as expectativas das mulheres em relação a seus casamentos, feito por Lillian Rubin (1976), descobriu que as mulheres de renda mais alta esperam que seus maridos sejam sensíveis, falem com espontaneidade, e saibam compartilhar sentimentos e experiências. Mulheres de baixa renda têm expectativas bem diferentes: procuram por parceiros que não bebam demais, não sejam violentos e tenham um emprego estável.
  • 17. • O que as mulheres pensam que podem esperar de um parceiro de relacionamento estável tem muito a ver com a posição social de classe.• Em geral, as pessoas com posição social privilegiada tendem a serem mais otimistas e confiantes sobre suas vidas. O que não surpreende quando compreendemos que elas tiveram mais oportunidades, além de terem passado por uma formação educacional que torna possível que aproveitem essas oportunidades.• Nós começamos a pensar sociologicamente quando compreendemos que a sociedade na qual vivemos – assim como as categorias gerais nas quais estamos inseridos nessa sociedade – molda nossas experiências particulares de vida.
  • 18. O olhar sociológico• O que você pensa sobre como a sua posição social influencia o tipo de profissão que você deseja para o futuro?• Que consequências a posição social de alguém tem para conseguir ingressar ou não numa boa faculdade?
  • 19. Nossas escolhas, seus limites e repercussões• O fundamental é entender que o individual – o que é de cada um – e o comum – o que é compartilhado por todos- não estão separados; formam uma relação que se constitui conforme reagimos às situações que enfrentamos no dia-ainda.
  • 20. Nossas escolhas, seus limites e repercussões• Quando nascemos, já encontramos pontos valores, normas, costumes e práticas sociais.• Também encontramos uma forma de produção da vida material que segue determinados parâmetros.• Muitas vezes, não temos como interferir individualmente nem como fugir dessas regras já estabelecidas.
  • 21. Nossas escolhas, seus limites e repercussões• Existem vários níveis de interdependência entre a vida privada – a biografia de cada pessoa – e o contexto social mais amplo.• A vida do indivíduo é condicionada por decisões e escolhas que ocorrem fora de seu alcance.
  • 22. 2. Vendo o estranho no familiar• Usar o olhar sociológico resulta em ver o estranho no familiar.• A crise e a marginalidade.
  • 23. • Entrar na faculdade é apenas uma questão individual (esforço e condições cognitivas)?• É apenas mérito pessoal?
  • 24. 3. Vendo escolha pessoal em contextos sociais• Como a sociedade molda/enquadra as escolhas pessoais...• Média de filhos/mulher.
  • 25. O CASO DO SUICÍDIO• Emile Durkheim (185801917) Muitos estudos contemporâneos sobre o suicídio focavam em características individuais. Durkheim estudou as conexões entre os indivíduos e a sociedade. Ele acreditava que se pudesse demonstrar o quanto um ato individual é o resultado do meio social que o cerca, teria uma prova da utilidade da sociologia.
  • 26. • Neste livro, Durkheim desenvolveu o conceito de anomia. Ele explora as diferentes taxas de suicídio entre protestantes e católicos, explicando que o forte controle social entre os católicos resulta em menores índices de suicídio.• De acordo com Durkheim, os indivíduos têm um certo nível de integração com os seus grupos, o que ele chama de integração social.
  • 27. • Níveis anormalmente baixos ou altos de integração social poderiam resultar num aumento das taxas de suicídio: níveis baixos porque baixa integração social resulta numa sociedade desorganizada, levando os indivíduos a se voltar para o suicídio como uma última alternativa; níveis altos porque as pessoas preferem destruir a si próprias do que viver sob grande controle da sociedade.
  • 28. Durkheim concluiu que:• taxas de suicídio são maiores entre os viúvos, solteiros e divorciados do que entre os casados;• são maiores entre pessoas que não têm filhos;• são maiores entre protestantes que entre católicos.
  • 29. Das questões individuais às questões sociais• Questões sociais – vão além de nosso dia-a-dia como indivíduos, não dizem respeito apenas a nossa vida privada.• C.Wright Mill (1915-1962) A Imaginação sociológica – ex. poucos desempregados numa cidade de 100 mil habitantes é um problema individual, mas se 5 há milhões de desempregados para 50 milhões de trabalhadores – é uma questão social que não pode ser resolvida no nível individual apenas. É preciso buscar soluções num nível mais profundo da estrutura econômica e política dessa sociedade.
  • 30. • A crise / As minorias• A imaginação sociológica de Mills – ver com os olhos do social.