O processo de análise de assunto
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×
 

O processo de análise de assunto

on

  • 1,301 views

 

Statistics

Views

Total Views
1,301
Views on SlideShare
1,301
Embed Views
0

Actions

Likes
1
Downloads
12
Comments
0

0 Embeds 0

No embeds

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Adobe PDF

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

O processo de análise de assunto O processo de análise de assunto Document Transcript

  • ARTIGOA IDENTIFICAÇÃO DE CONCEITOS NO PROCESSO DE ANÁLISEDE ASSUNTO PARA INDEXAÇÃOMariângela Spotti Lopes FujitaResumoA indexação compreende a análise de assunto como uma das etapas mais importantes dotrabalho do indexador. A análise de assunto tem como objetivo identificar e selecionar osconceitos que representam a essência de um documento. A identificação de conceitos,realizada durante a leitura documentária, envolve esforço adicional de compreensão detexto e as dificuldades apresentadas possibilitaram a motivação para investigar, por meio derevisão de literatura, a identificação de conceitos a partir da leitura documentária, datematicidade e das concepções de análise de assunto. Pelas análises obtidas considera-seque as concepções de análise orientadas para o conteúdo e para a demanda são decisivaspara o bom desempenho do indexador durante a leitura para a identificação de conceitos namedida em que vincula-se à busca pela tematicidade do texto.Palavras-chaveIdentificação de conceitos; Análise de assunto; IndexaçãoIDENTIFICATION OF CONCEPTS IN THE PROCESS OF SUBJECTANALYSIS FOR INDEXINGAbstractThe indexing comprehends the subject analysis as one of the most important work phasesof the indexer. The subject analysis aims to identify and to select the concepts that representthe essence of the document. The identification of concepts, made during the documentaryreading, comprehends additional effort of text comprehension and the difficulties presentedmade the motivation to investigate, by literature review, identification of concepts from thedocumentary reading, aboutness and conceptions of subject analysis. By obtained analysisis considered that the conceptions of analysis oriented to the content and to the demand aredecisive to the good performance of the indexer during the reading to the identification ofconcepts as far as it is related to the search for the text aboutness.KeywordsIdentification of concepts; Subject analysis; Indexing© Revista Digital de Biblioteconomia e Ciência da Informação, Campinas, v . 1, n. 1, p. 60-90, jul./dez. 2003 – ISSN: 1678-765X. 60
  • ARTIGO1 INTRODUÇÃO da informação, dando impulso teórico- prático, naquela ocasião, a uma novaA indexação como ato de construir área: a Documentação.índices é prática bastante antiga notratamento de documentos. Basta Dentro desse bojo de evolução desabermos que em "bibliotecas" da técnicas de tratamento da informação,Antigüidade já existiam listas dos está ligada a análise documentária comodocumentos ali armazenados. Entretanto, extensão do tratamento temático quea partir do momento que a ordenação comporta a geração de resumos e adessas listas necessitou de uma indexação. A indexação, vista pororganização por assunto foram Chaumier (1980, p. 42) como a "[...] parteestabelecidas profundas mudanças na mais importante da análise documentária"abordagem do ato mecânico de construir é uma combinação metodológicaíndices, ou seja, introduziu-se um altamente estratégica entre o tratamentoprocesso de análise do conteúdo dos do conteúdo de documentos e suadocumentos. recuperação por um usuário. Além de estratégica, demonstra uma relaçãoA indexação como processo de análise estreita entre o processo e a finalidade dadocumentária é realizada mais indexação.intensamente desde o aumento depublicações periódicas e da literatura Segundo o World Information System fortécnico científica de modo geral, que Science and Technology 1(1981, p. 84) háimpulsionaram a necessidade de criação que se considerar a indexação sob doisde mecanismos de controle bibliográfico pontos de vistas distintos: enquantoem centros de documentação processo que consiste em descrever eespecializados. Assim, as bibliografias identificar um documento com ajuda decomo mecanismos de controle representações dos conceitos contidos embibliográfico surgiram fora do âmbito das um documento e quanto à sua finalidadebibliotecas tradicionais e apresentavamuma evolução nas técnicas de tratamento 1 Sistema internacional vinculado à UNESCO e conhecido pela sigla UNISIST© Revista Digital de Biblioteconomia e Ciência da Informação, Campinas, v . 1, n. 1, p. 60-90, jul./dez. 2003 – ISSN: 1678-765X. 61
  • ARTIGOpermitindo busca e acesso à informação de leitura, envolve um considerável grauarmazenada. de complexidade que, certamente, acarreta dificuldades ao indexador comoA indexação em análise documentária, verificado em estudo de observação dasob o ponto de vista dos sistemas de leitura de quatro indexadores do Centroinformação, também é reconhecida como Coordenador Nacional do Sistemaa parte mais importante porque Especializado na Área de Odontologia,condiciona os resultados de uma antiga Sub-Rede Nacional de Informaçãoestratégia de busca. O bom ou mau em Ciências da Saúde Oral do convêniodesempenho da indexação reflete-se na BIREME/KELLOGG/USP (FUJITA,recuperação da informação feita através 1998), visando analisar a importância dade índices. identificação de conceitos como estratégia de leitura.Isso nos leva a considerar que arecuperação do documento mais Considerando-se que a identificação depertinente à questão de busca é aquele conceitos, realizada durante a leituracuja indexação proporcionou a documentária, é o objetivo da análise deidentificação de conceitos mais assunto na indexação, as dificuldadespertinentes ao seu conteúdo, produzindo observadas possibilitaram a motivaçãouma correspondência precisa com o para investigar, por meio de revisão deassunto pesquisado em índices. literatura, a identificação de conceitos a partir da leitura documentária, daNa identificação de conceitos, o tematicidade e das concepções de análiseindexador, após o exame do texto, passa a de assunto.abordá-lo de uma forma mais lógica a fimde selecionar os conceitos que melhorrepresentem seu conteúdo.Entretanto, a identificação de conceitosanalisada sob os aspectos da leitura, dabusca pela tematicidade e de concepções© Revista Digital de Biblioteconomia e Ciência da Informação, Campinas, v .1, n.1, p. 60-90, jul./dez. 2003 – ISSN: 1678-765X. 62
  • ARTIGO2 A IDENTIFICAÇÃO DE que é realizada a compreensão do texto CONCEITOS NA INDEXAÇÃO: como um todo, a identificação e a seleção CONCEITUAÇÃO E PROCESSO de conceitos válidos para a indexação e oDe acordo com os "Príncipios de estágio de tradução, que consiste naindexação", formulados pela World representação de conceitos por termos deInformation System for Science and uma linguagem de indexação:Technology (1981, p. 84), a indexação édefinida como "[...] o ato de descrever ou • Determinação do assunto:identificar um documento em termos de estabelecimento dos conceitosseu conteúdo”, sendo que, para a norma tratados num documento;5693 da International Standardization forOrganization (1985, p. 2), a indexação é • Representação de conceitos porvista como termos de uma linguagem de [...] a representação do conteúdo dos indexação: a tradução dos documentos por meio de símbolos especiais, quer retirados do texto original, quer conceitos nos termos da escolhidos numa linguagem de informação ou de indexação. linguagem de indexação.A indexação, como operação de Segundo Vickery (1980), o processo derepresentação documentária, desenvolve- indexação comporta ainda mais umse de acordo com um processo composto estágio, o de sumarização, entre ode operações básicas. De acordo com os analítico e o de tradução. Essa diferença"Princípios de indexação" do World de etapas ou estágios é explicada peloInformation System for Science and fato de que Vickery desdobrou o estágioTechnology (1981, p. 84), analítico em dois, o de análise e o de Durante a indexação, os conceitos são sumarização, que pode ser entendido extraídos do documento através de um como síntese. Nos “Princípios de processo de análise, e então traduzidos para os termos de instrumentos de indexação (tais indexação” o estágio de determinação do como tesauros, listas de cabeçalhos de assunto, esquemas de classificação, etc.) assunto, ou análise de assunto, engloba a operação de síntese, como se vê a seguir.O processo de indexação, portanto,compreende dois estágios: o analítico, em© Revista Digital de Biblioteconomia e Ciência da Informação, Campinas, v .1, n.1, p. 60-90, jul./dez. 2003 – ISSN: 1678-765X. 63
  • ARTIGOO primeiro estágio, a análise de assunto,razão de nosso estudo por abrigar o Mesmo assim, para que o indexador nãoprocesso de leitura, é subdividido em negligencie nenhuma informaçãooutros três estágios: relevante, aponta um roteiro de partes- compreensão do conteúdo do importantes do texto que merecem documento; especial atenção, durante sua leitura:- identificação dos conceitos que título, introdução e as primeiras frases de representam este conteúdo; capítulos e parágrafos; ilustrações,- e seleção dos conceitos válidos para tabelas, diagrama e suas explicações; recuperação. conclusão; palavras ou grupos de palavras sublinhadas ou impressas com tipoEm observação à parte, o texto de diferente. Porém, adverte que os"Princípios" chama a atenção para o fato primeiros itens do texto apresentam,de que "[...] na prática esses três estágios geralmente, as intenções do autor,se superpõem." (WORLD enquanto que as partes finais comunicamINFORMATION SYSTEM FOR o alcance dessas intenções. Por isso, nãoSCIENCE AND TECHNOLOGY, 1981, recomenda a indexação somente pelop. 86), porém não explicita em que título e/ou pelo resumo.momento. Mais à frente observaremosque, de fato, esses três sub-estágios são Na identificação de conceitos (segundosuperpostos durante a leitura do estágio do estabelecimento de conceitos),documento. o indexador, após o exame do texto, passa a abordá-lo de uma forma mais lógica aPara a compreensão do conteúdo fim de selecionar os conceitos que melhordocumento, o texto refere-se a representem seu conteúdo. Para isso,documentos gráficos e não-gráficos. Para recomenda que a identificação deos gráficos (livros, monografias, jornais, conceitos seja feita obedecendo a umperiódicos, relatórios, teses) aponta a esquema de categorias existente na áreaimpraticabilidade de uma leitura coberta pelo documento, como por ex.: oextensiva do texto, embora a considere fenômeno, o processo, as propriedades, asideal. operações, o material, o equipamento, etc.© Revista Digital de Biblioteconomia e Ciência da Informação, Campinas, v .1, n.1, p. 60-90, jul./dez. 2003 – ISSN: 1678-765X. 64
  • ARTIGO seus assuntos e seleção de termos deEmbora o texto de “Princípios de indexação".indexação” não se refira à leitura duranteos estágios de identificação e seleção de A Norma 12.676, da Associaçãoconceitos, é possível observar que está Brasileira de Normas Técnicas (1992,subtendida na frase citada e grifada p. 2), indicou para a indexação três fasesanteriormente “[...] após o exame do ou estágios:texto, passa a abordá-lo de uma forma “a) exame do documento emais lógica [...]”. estabelecimento do assunto de seu conteúdo;E a seleção de conceitos é necessária b) identificação dos conceitostendo em vista os objetivos para os quais presentes no assunto;as informações são indexadas. Assim, c) tradução desses conceitos nosnem todos os conceitos identificados termos de uma linguagem de indexação”serão necessariamente selecionados. No item “exame do documento” a NormaA publicação dos "Princípios de 12.676, ao mesmo tempo em queindexação" pelo World Information considera ideal a leitura total doSystem for Science and Technology documento aponta sua impraticabilidade(1981), gerou a primeira norma para operacional, oferecendo ao indexador aanálise, identificação de assuntos e possibilidade do texto ser analisadoseleção de termos de indexação publicada através do exame cuidadoso de partespela ISO, sob número 5693 em 1985, como o título, resumo, sumário e etc.com o título "Documentation - methodsfor examining documents, determining Ao recomendar o exame do documentotheir subjects, and selecting indexing através de uma leitura de suas partes, nãoterms". Em 1992 a ABNT publicou a especifica que tipo de documento possuitradução dessa mesma norma, sob essas partes, ou mesmo, se todos osnúmero 12.676, intitulada "Métodos para documentos, indistintamente, possuem.análise de documentos - determinação de Adverte em nota de rodapé que “não se recomenda indexar apenas por qualquer© Revista Digital de Biblioteconomia e Ciência da Informação, Campinas, v .1, n.1, p. 60-90, jul./dez. 2003 – ISSN: 1678-765X. 65
  • ARTIGOum destes elementos isoladamente [...]” assunto. Observe-se que a referida norma(ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE não se refere a uma interrupção da leitura,NORMAS TÉCNICAS, 1992, p. 2). mas sim ao exame que corresponde à exploração de partes do texto. A leitura,Após o exame do documento, a Norma aqui, parece estar implícita porque a12.676 indica o estágio de Identificação identificação de conceitos deve ser feitade Conceitos como: por um questionamento. [...] uma abordagem sistemática para identificar aqueles conceitos que são os elementos essenciais na descrição do assunto. Pode-se supor, portanto, que, a (ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS, 1992, p. 2, grifo abordagem sistemática é um nosso). questionamento que o indexador realiza para melhor extrair conceitos enquantoA abordagem sistemática da norma para estiver fazendo a leitura das partes doidentificação de conceitos, portanto, vai texto, ainda que, a Norma 12.676 daalém do "esquema de categorias existente Associação Brasileira de Normasna área coberta pelo documento" proposto Técnicas não explicite quais questõesem "Princípios de indexação" (WORLD seriam mais indicadas para cada parte doINFORMATION SYSTEM FOR texto. Além disso, não faz nenhumaSCIENCE AND TECHNOLOGY, 1981, menção a respeito de a leitura ser melhorp. 87) porque recomenda um realizada pela “abordagem sistemática”questionamento do texto através de do questionamento e de essa serquestões preparadas para identificar considerada como estratégia de leitura,determinados conceitos essenciais. recomendando que "após examinar o documento [...]" o indexador deveA identificação de conceitos, segundo a abordá-lo sistematicamente. Isso poderianorma (ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA significar que a identificação de conceitosDE NORMAS TÉCNICAS, 1992, p. 2), é independe da leitura? Supondo que arealizada após o exame do documento Norma 12.676 da Associação Brasileiraquando, então, o indexador deverá seguir de Normas Técnicas considerasse auma abordagem sistemática para a identificação de conceitos independenteidentificação daqueles conceitos que são da leitura, ela certamente teria indicado,elementos essenciais na descrição do© Revista Digital de Biblioteconomia e Ciência da Informação, Campinas, v .1, n.1, p. 60-90, jul./dez. 2003 – ISSN: 1678-765X. 66
  • ARTIGOno estágio de “exame do documento”, a Na etapa de “Tradução” desses conceitosnecessidade de extrair, pelo menos, um na linguagem de indexação do sistema, aenunciado de assunto com o qual seria norma recomenda procedimentos para arealizada a identificação de conceitos. verificação de descritores controlados e aAssim, presume-se que a identificação e preparação de uma lista daqueles termosseleção de conceitos deva ser realizada para os quais não houve, no tesauro, umadurante a leitura. exata representação de assuntos encontrados no documento.A seleção de conceitos, diferente dos"Princípios de indexação" (WORLD A mesma norma, com o item "controle deINFORMATION SYSTEM FOR qualidade", aponta a necessidade deSCIENCE AND TECHNOLOGY, 1981), qualidade e consistência em indexação eé incluída pela Norma 12.676 dentro do ainda relaciona os fatores que a garantem:item "Identificação de conceitos", a imparcialidade do indexador, orecomendando que o indexador não conhecimento do indexador sobre oprecisa representar como termos de campo coberto pelos documentos a seremindexação todos os conceitos indexados, as vantagens do contato diretoidentificados, mas selecioná-los conforme com o usuário e a receptividade dasobjetivos de uso dos termos. linguagens de indexação para novos termos.Mais adiante, a Norma inclui o item"Seleção de termos de indexação" relativa Considerando o esclarecimento sobre aà tradução dos conceitos em termos de função de cada uma das etapas daindexação e aqui, então, fica estabelecida indexação, é possível afirmar que umaa diferença entre a seleção dos conceitos das etapas consideradas mais importantesidentificados durante a leitura e a seleção do trabalho do indexador é a Análise dedos termos de indexação em linguagens assunto, que tem como objetivodocumentárias para a representação dos identificar e selecionar os conceitos queconceitos selecionados. representam a essência de um documento. Trata-se de um processo complexo, pois exige esforços do profissional (indexador)© Revista Digital de Biblioteconomia e Ciência da Informação, Campinas, v .1, n.1, p. 60-90, jul./dez. 2003 – ISSN: 1678-765X. 67
  • ARTIGOpara seguir uma metodologia adequada afim de obter resultados satisfatórios. A O termo análise de assunto é o maiseficácia desse trabalho pode ser avaliada utilizado, mas grande parte dos autores opelos resultados obtidos pelo usuário no considera como a etapa de tradução dosmomento da recuperação da informação. conceitos extraídos dos documentos para um vocabulário controlado ou o processo3 A ANÁLISE DE ASSUNTO PARA de indexação como um todo. IDENTIFICAÇÃO DE CONCEITOS: UMA ANÁLISE DE De acordo com Vickery (1968, p. 356), CONCEPÇÕES análise de assunto é vista pelo seuVerifica-se, na literatura, que a palavra produto, ou seja:assunto tem várias interpretações. Emvista disso, o processo também pode ser Análise da informação significa derivar de um documento o conjunto dedenominado Análise temática, Análise palavras que servem como umadocumentária, Análise conceitual, ou representação condensada desse documento. Esta representação podemesmo Análise de conteúdo. ser usada para identificar o documento, para prover pontos de acesso na busca, para indicar seu conteúdo, ou comoPara Langridge (1977), citado por substituto para o documento.Albrechtsen (1993), o termo Análise deassunto envolve o conhecimento doconteúdo dos documentos e a Segundo Naves (2000), a análise dedeterminação de suas características assunto envolve grande complexidade,significantes. pois, além do problema da terminologia, existe a influência direta das pessoas queChu e O’Brien (1993, p. 439) consideram a executam, conhecida comoa análise de assunto como a fase inicial subjetividade, pela qual o indexadordo processo de indexação, a qual decidirá interpõe seus próprios valores em suasobre os principais tópicos do assunto de atuação de intermediário entre autores eum documento, precedendo a fase de usuários, ainda que a tarefa do indexadortradução desses tópicos de acordo com a seja determinar, de forma precisa, olinguagem documentária adotada pelo conteúdo do documento.sistema.© Revista Digital de Biblioteconomia e Ciência da Informação, Campinas, v .1, n.1, p. 60-90, jul./dez. 2003 – ISSN: 1678-765X. 68
  • ARTIGOPara Cesarino e Pinto (1980), existem porque precisa realizar a compreensão daduas situações nas quais os profissionais leitura mediante sua cognição.fazem a análise de assunto. A primeiraseria ao receber um documento e inserí-lo Destacamos que, como o indexador tem onum sistema de informação. Fazem uma objetivo de tornar o assunto conhecidoanálise para determinar seu conteúdo pelos usuários interessados, a funçãoinformativo, visando ao objetivo do desse profissional é “[...] aumentar asistema e à necessidade do usuário. A visão do que os outros podem ler em umsegunda acontece quando, ao receberem texto” (HUTCHINS, 1977, p. 19).um pedido de informação fazem umaanálise deste com o objetivo de Para alguns autores, como veremoscompreender a necessidade de adiante, a análise de assunto implicainformação requerida pelo usuário, determinar a tematicidade do documentoidentificam os conceitos existentes no mediante a identificação e seleção dospedido e traduzem os mesmos para a conceitos que comporão o assunto oulinguagem do sistema. Estas duas tema principal e secundários.situações têm por objetivo identificar anecessidade informacional do usuário. Sendo o assunto a informação relevante abordada no texto, é preciso ressaltar,Destaca-se, portanto, que o processo de ainda, que a seleção do assunto ouanálise de assunto reveste-se de uma informação relevante sofre a influênciasubjetividade característica, dadas as da política de indexação do sistema decircunstâncias e elementos envolvidos, informação ao qual se insere o indexador.pois, a partir da leitura do documento A instituição decidirá se o tema extraídopelo indexador, é realizado um processo do documento será o mais específico, oude comunicação interativo entre três se considerará um nível mais genérico,variáveis: leitor, texto e contexto. Cada baseando-se no perfil do usuário queuma dessas variáveis estará sujeita a estabeleceu atender.diferentes condições, mas é o indexadorcomo leitor a variável mais influente Conforme Albrechtsen (1993, p. 221),nessa interação para análise de assunto, dependendo dos objetivos institucionais,© Revista Digital de Biblioteconomia e Ciência da Informação, Campinas, v .1, n.1, p. 60-90, jul./dez. 2003 – ISSN: 1678-765X. 69
  • ARTIGOpercebe-se qual a concepção de análise de portanto, uma abstração indireta doassunto que o sistema de informação documento.segue e, conseqüentemente, o indexador • concepção orientada pela demanda: considera o assunto comolevará esse aspecto em questão. instrumento para transferência deConsideram-se, assim, diferentes conhecimento, portanto, direcionadoconcepções de análise que, certamente para uma finalidade pragmática deafetam o desempenho do indexador informação e conhecimento.enquanto leitor. A esse respeito, Conforme esta concepção,Albrechtsen (1993, p. 220) classifica os documentos são criados paradiferentes pontos de vista em três tipos de comunicação do conhecimento, econcepções: assuntos devem, portanto, ser ajustados para funcionar como • concepção simplista: considera os instrumentos de mediação e assuntos como entidades objetivas transmissão desse conhecimento para absolutas, que podem derivar de uma qualquer pessoa interessada. Dessa abstração lingüística do documento forma, quando o indexador analisa ou de somas usando métodos um documento não concentra-se em estatísticos de indexação. De acordo representar ou resumir a informação com essa concepção a indexação explícita ou implícita, mas questiona- pode ser totalmente automatizada; se: como eu poderia tornar esse • concepção orientada para o conteúdo: conteúdo ou parte dele, visível para o envolve uma interpretação do usuário potencial? Que termos conteúdo do documento que vai deverei utilizar para levar esse além dos limites da estrutura conhecimento até o leitor superficial léxica e gramatical. A interessado? análise de assunto do conteúdo de documentos envolve identificação de Verifica-se que as três concepções tópicos ou assuntos que não estão possuem vantagens e desvantagens. A explicitamente colocados na estrutura principal vantagem de adotar uma textual superficial do documento, concepção simplista se refere ao mas que são facilmente percebidos barateamento de computadores e de por um indexador humano. Envolve, softwares, o que significa uma indexação© Revista Digital de Biblioteconomia e Ciência da Informação, Campinas, v .1, n.1, p. 60-90, jul./dez. 2003 – ISSN: 1678-765X. 70
  • ARTIGOautomática a baixos custos. Entretanto, são intrínsecas porque, no momento emseu principal inconveniente se refere à que o indexador está lendo e procurandoimpossibilidade de transferência do identificar e selecionar conceitos para aconhecimento do ponto de vista social. determinação do assunto do documento, está objetivando encontrar o assunto queA concepção orientada para o conteúdo, lhe é familiar devido à sua prática deainda que seja estabelecida para o indexação e também definir o que podeaprimoramento das técnicas e o trabalho interessar ao usuário do sistema dedo indexador, pode ser simples ao informação.focalizar apenas a representação dosdocumentos, sem considerar seus A questão da identificação do assunto dopossíveis usos. documento nos faz resgatar que a atividade está vinculada à leitura,A concepção orientada para a demanda esclarecendo que o indexador realiza astem a vantagem de permitir a duas operações, identificação e seleção detransferência e a disseminação do conceitos, durante a mesma e que aconhecimento, mas envolve um alto grau tradução dos termos que representamde responsabilidade ao distinguir a conceitos em descritores da linguagem doprioridade de determinados assuntos a sistema só deve ser feita após seu términousuários potenciais para assegurar sua para que a análise seja conceitual eutilização. Neste caso, torna-se voltada para a demanda. A preservaçãonecessário enfatizar o exame de como o do conteúdo do documento é umatexto é analisado para a definição de um garantia da relevância de recuperação,assunto, levando-se em conta o contexto objetivo da boa indexação de conteúdo.onde ele está inserido. Isso nos remete aos princípios deEmbora, de acordo com Naves (1996), as indexação do sistema PRECIS que, noduas últimas concepções – indexação início da década de 70, preconizou aorientada pelo conteúdo e orientada pela "preservação do contexto" baseadodemanda – sejam complementares, principalmente em uma análise cujajulgamo-las mais do que complementares: proposição era a identificação de© Revista Digital de Biblioteconomia e Ciência da Informação, Campinas, v .1, n.1, p. 60-90, jul./dez. 2003 – ISSN: 1678-765X. 71
  • ARTIGOconceitos a partir da investigação da transcrição difícil entre forma e conteúdoestrutura profunda do texto, usando um (PINTO MOLINA, 1994). Então, como aprincípio de organização dos assuntos em base teórica do PRECIS é a gramáticafacetas de acordo com uma ordem de transformacional, o uso de sua análisecitação estruturada em uma entrada de conceitual dá garantia de que o conteúdoduas linhas e três posições que revelava a será representado na identificação deestrutura superficial (FUJITA, 1989). conceitos.Esse princípio distinguia muito bem duaspartes para funcionamento do sistema Neste momento, convém esclarecer aPRECIS: a parte sintática, formada pela dupla função da seleção de conceitos queestrutura de entradas e gramática ocorre em dois momentos diferentes dacomposta de operadores de função análise de assunto: durante a identificaçãoatribuídos aos conceitos durante a análise de conceitos para a determinação doconceitual, e a parte semântica, em que os assunto e, após a identificação determos identificados pelos operadores conceitos, durante a tradução dos termoseram traduzidos por termos de um que representam os conceitos para osvocabulário controlado. A análise termos da linguagem documentáriaconceitual do PRECIS era baseada, então, adotada pelo serviço de análise. Essena idéia do autor e utilizava a esclarecimento dará mais respaldo eterminologia do texto, sem nenhum tipo deverá iluminar a continuidade de novosde associação com instrumentos de estudos em análise documentária, porquecontrole de vocabulário. confirma que as concepções de leitura orientada para o conteúdo e para aSe o princípio de "preservação do demanda devem ser intrínsecas,contexto", baseado principalmente na caracterizando a leitura documentária.análise conceitual, tinha como proposição Nessa, a concepção de leitura orientadaa identificação de conceitos a partir da para o conteúdo deve orientar ainvestigação da estrutura profunda do identificação de conceitos e a concepçãotexto, a contribuição da lingüística orientada para a demanda, a seleção detextual, fundada na gramática conceitos.transformacional, torna-se decisiva para a© Revista Digital de Biblioteconomia e Ciência da Informação, Campinas, v .1, n.1, p. 60-90, jul./dez. 2003 – ISSN: 1678-765X. 72
  • ARTIGOResgatando o processo de análise de duas concepções de análise de assuntodocumentos pela Norma 12.676 da durante a leitura documentária.Associação Brasileira de NormasTécnicas, já mencionado anteriormente, 4 IDENTIFICAÇÃO DE CONCEITOS E A BUSCA PELAverificamos que a identificação e a TEMATICIDADEseleção de conceitos são etapas da análisede assunto. Ao recomendar uma Com a evidência da identificação deabordagem sistemática para a conceitos na análise de assunto orientadaidentificação de conceitos, a Norma pelo conteúdo e demanda, há necessidade12.676 revela um forte indicativo dos de orientação sobre esse processo. Aindaprincípios da concepção orientada para o que já nos tenhamos referido àconteúdo, porque, conforme Albrechtsen sistemática de identificação de conceitos(1993, p. 220): por questionamento, indicada pela Norma 12.676 e a tenhamos comparado à analise [...] envolve identificação de tópicos ou conceitual do PRECIS, considerando esta assuntos que não estão explicitamente uma boa orientação, não questionamos a colocados na estrutura textual superficial do documento [...]. ordem e a relevância dos conceitos conforme a tematicidade intrínsecaPode-se, também, observar que a (relevância autor) e a tematicidadeidentificação de conceitos feita pela extrínseca (saliência leitor) do conteúdoabordagem sistemática é uma análise do documento.orientada para o conteúdo. O sistema PRECIS foi, também,Portanto, os "Princípios do UNISIST" e a influenciado pela "análise em facetas"Norma 12.676 contêm as duas idealizada por Ranganathan (1960), umconcepções, a orientada para o conteúdo, bibliotecário hindu que compreendia oporque propõem a abordagem sistemática conteúdo de um documento como umpara a identificação de conceitos e a conjunto de assuntos específicosorientada para a demanda, porque relacionados entre si dentro de umaorientam a seleção dos conceitos perspectiva particular. Dentro dessaconforme objetivos de uso dos termos, perspectiva facetada, Derek Austin, comoconfirmando o aspecto intrínseco das© Revista Digital de Biblioteconomia e Ciência da Informação, Campinas, v .1, n.1, p. 60-90, jul./dez. 2003 – ISSN: 1678-765X. 73
  • ARTIGOidealizador do PRECIS, propôs a análise "concreto", um "processo" econceitual do PRECIS com elementos da "lugar";análise em facetas. - S. R. Ranganathan (1933) - desenvolveu um esquema deAo demonstrar a concepção do sistema de classificação baseado naindexação PRECIS, Fujita (1989, p. 5) análise de facetas e o uso derelata uma síntese evolutiva dos cem anos cinco categoriasde estudos realizados em torno da fundamentais: Personalidade,indexação alfabética de assunto desde a Matéria, Energia, Espaço epublicação, em 1876, da obra básica de Tempo;Charles Ammi Cutter "Rules for - E. J. Coates (1960) - em seudictionary catalog" até a idealização do livro "Subject Catalogues",sistema de indexação PRECIS por Derek apresenta a formulação deAustin em 1974. cabeçalhos de assunto específicos por categorias:Por esta síntese evolutiva, é possível coisa - parte - matéria - ação;observar que, embora a preocupação - J. W. Metcalfe (1959) - admiteprincipal dos estudos seja o produto final, que a entrada deve ser direta eou seja, a geração do índice, a análise que discute o propósito daenvolve a transformação do conteúdo em catalogação de assunto comoíndice está expressa tanto pela proposição sendo o de indicar somente ade categorias quanto pelos sistemas para classe de assunto em que estáindexação, como se observa na evolução inserido;dos principais estudos teóricos: - M. F. Lynch (1973)- criou e - J. Kaiser (1911) - com a desenvolveu os índices publicação do trabalho articulados de assunto num "Systematic Indexing" propõe estudo de índices para o a análise de assuntos Chemical Abstracts; compostos pela combinação - J. E. L. Farradane (1977) de três categorias: um idealizou um sistema de indexação que adota nove© Revista Digital de Biblioteconomia e Ciência da Informação, Campinas, v .1, n.1, p. 60-90, jul./dez. 2003 – ISSN: 1678-765X. 74
  • ARTIGO operadores relacionais, para Bibliography (BNB) o indicar as relações entre PRECIS, cujo funcionamento termos em etapas de se fundamenta em estruturas discriminação no tempo e no semântica e sintática e em espaço; esquema de operadores de - POPSI (Postulated-based função. Permuted Subject Indexing Language), idealizado por A noção de índice sempre esteve muito Neelameghan e Gopinath ligada ao processo de indexação. Os (1975), é um sistema índices outrora existentes em sistemas de inteiramente baseado em recuperação da informação, tais como os princípios classificatórios e antigos catálogos de fichas de biblioteca, que utiliza cabeçalhos de foram considerados dentro de uma classificação como termos de perspectiva classificatória, porque os entrada na produção dos chamados cabeçalhos de assunto eram índices cuja padronização é compostos sob influência da terminologia derivada das categorias da classificatória e não do texto e seu classificação de dois pontos de conteúdo. Ranganathan; - T. C. Craven (1978) - O grande elemento transformador dentro idealizou inicialmente o da indexação alfabética a marcar os sistema NEPHIS (Nested estudos teóricos foi a análise em facetas Phrase Indexing System) e proposta por Kaiser, Ranganathan e seus depois, em conseqüência de seguidores, demarcando a possibilidade uma evolução experimental, o de maior especificidade e uniformidade sistema LIPHIS (Linked com o uso dos conceitos essenciais: Phrase Indexing System). espaço, tempo, processo, concreto, coisa, Ambos são sistemas de ação etc. indexação automática; - D. Austin (1974) - idealizou Após Ranganathan, o Classification para a British National Research Group desenvolveu a aplicação© Revista Digital de Biblioteconomia e Ciência da Informação, Campinas, v .1, n.1, p. 60-90, jul./dez. 2003 – ISSN: 1678-765X. 75
  • ARTIGOdos princípios da análise em facetas - propriedades: Resistência àassumindo a influência da classificação fratura, fotoelasticidade,facetada e passou a utilizar e desenvolver rigidez;uma metodologia facetada (PIEDADE, - processos: Amalgamação,1983, p. 79-80). Vickery (1975, p. 181- polimerização;189), citado por Esteban Navarro, (1999, - operações: Vibração;p. 74), por exemplo, ampliou a - técnicas de laboratório: Fasequantidade de facetas propostas por Gama; etc.Ranganathan: Personalidade, Matéria,Energia, Espaço e Tempo (PMEST) para Na visão de Esteban Navarro (1999, p.Tipo, Estrutura, Constituintes, 79) a identificação de conceitos naPropriedades, Processos, Operações, indexação deve utilizar questõesTécnicas, Generalidades. construídas a partir da "análise das facetas que caracterizam um conjunto de assuntosSegundo Esteban Navarro (1999, p. 73) : relacionados entre si". Se retomarmos a recomendação dos "Princípios de [...] a faceta permite descobrir as relações indexação” do World Information System que mantêm entre si os conceitos mediante a formulação de uma série de for Science and Technology e da Norma perguntas peculiares para o domínio 12.676 para identificação de conceitos2, disciplinar em que se situa o assunto do documento [...]. veremos que a base é a mesma, ou seja, a influência da análise em facetas permeiaNesse sentido, as facetas relacionadas ao o processo de análise em indexação. Osassunto “materiais dentários”, por autores citados mencionam aexemplo, seriam reveladas a partir dos identificação do tema referindo-se aseguintes conceitos: conceitos, categorias e facetas, que - tipo de materiais dentários: podemos considerar como a mesma coisa, Materiais dentários metálicos e Materiais Dentários não- 2 "A escolha dos conceitos pode obedecer a um esquema de categorias reconhecidas como metálicos; importantes no campo coberto pelo documento, ex.: o fenômeno, o processo, as - constituintes: Ouro, alumínio, propriedades, as operações, o material, o porcelana, prata; equipamento, etc." (WORLD INFORMATION SYSTEM FOR SCIENCE AND TECHNOLOGY, 1981, p. 87)© Revista Digital de Biblioteconomia e Ciência da Informação, Campinas, v .1, n.1, p. 60-90, jul./dez. 2003 – ISSN: 1678-765X. 76
  • ARTIGOporque o tema é constituído da presença independente da “ordem de precedênciade conceitos. de entre elas”.Na metodologia proposta por Tálamo O tema, portanto, possui uma estrutura(1987), o processo de indexação consiste temática composta por conceitos ouem identificar o tema de um documento categorias ou facetas cuja identificaçãopor meio de um mecanismo de perguntas decorrerá da análise conceitual doe respostas agrupadas por generalidades e documento. A composição das categoriasque respondem a cada uma das seguintes identificadas formularão o tema doquestões fundamentais: Quem? (ser), O documento em questão.que? (tema), Como? (modo), Onde?(lugar) e Quando? (tempo). Conforme a A respeito de “onde” localizar conceitosautora, identificando essa estrutura depende da identificação da estruturatemática encontra-se o objetivo principal temática, contudo, conforme ado texto, isto é, as informações relevantes legibilidade e a estrutura textual doseparando-as das acessórias. documento, o tema poderá estar formulado de forma clara no “objetivo”Kobashi (1994) baseou-se no mecanismo do trabalho e, quando isso não acontecer,de perguntas conceituais de Lasswell será preciso a identificação dos conceitos(1971), utilizadas por Garcia Gutierrez e dentro da estrutura textual do documento.Lucas (1987), um método analítico parafins de indexação que abrange: Who, A questão de determinação do tema, éWhat, Whem, Where, Why. Destaca que preciso esclarecer, refere-se àa categoria “Quem?” não foi identificada determinação do assunto, de formaem textos técnicos científicos, enquanto idêntica. Apenas consideramos comoque a categoria “ O que?” é essencial por tema, e não assunto porque as citaçõesser o elemento nuclear da estrutura acima, assim, mencionam.temática. Segundo a autora, as categoriasQuando?, Onde? e Como? são categorias Para alguns pesquisadores da área, éacessórias da principal “O que?”, relevante nos referirmos à tematicidadepodendo assim aparecer, ou não, no texto, (aboutness) do documento quando se© Revista Digital de Biblioteconomia e Ciência da Informação, Campinas, v .1, n.1, p. 60-90, jul./dez. 2003 – ISSN: 1678-765X. 77
  • ARTIGObusca pesquisar sobre a problemática da condições que estão ligadasidentificação do tema. A tematicidade é a elas; noções estabelecidaspertinente à análise de assunto porque pelas categorias concreto eestamos tratando de seu objetivo principal processo;que é a identificação do assunto ou tema • Ranganathan fala domediante análise conceitual composta de conteúdo de um documentoidentificação e seleção de conceitos. como um termo assumido,Podemos dizer que o assunto ou um isolado;tematicidade do documento é o cerne • Coates identifica o assuntoprincipal e mais carente de como uma abstração da idéiaesclarecimentos dentro dos estudos em geral que está contida noanálise documentária. contexto de uma unidade da literatura;Conforme esclarece Albrechtsen (1993), • Vickery fala do tema doso conceito de aboutness passou a ser quais os livros, partes depesquisado em substituição ao conceito livros, partes de artigo estãode subject que, mais recentemente, escritos; como um agregadoretornou em outras pesquisas. complexo de aspectos específicos; composto deTodd (1992, p. 101) afirma que o termo termos elementares;aboutness é usado em literatura mais • Borko e Bernier definemrecente como sinônimo de assunto e assunto como “the foci ofrelata, desde Cutter até Borko e Bernier, work”, o tema central para oas noções acerca do termo assunto: qual a atenção e os esforços • assunto, do ponto de vista de do autor foram direcionados. Cutter, é tema ou tópico de São aqueles aspectos do pesquisa, estando ou não trabalho que contêm as determinado no título; idéias do assunto, • Kaiser descreve assunto explicações, ou como coisas em geral, reais interpretações, as quais ou imaginárias, e as podem ser indexadas.© Revista Digital de Biblioteconomia e Ciência da Informação, Campinas, v .1, n.1, p. 60-90, jul./dez. 2003 – ISSN: 1678-765X. 78
  • ARTIGO pesquisadores para se traduzir aboutness:Elucidando a definição acima, para alguns, pode ser “tematicidade”3, poracreditamos que a tematicidade sempre se considerar como um substantivo ligadoserá o conteúdo relevante do documento, ao termo temático, enquanto outrosainda que, algumas variáveis influenciem adotam “atinência”4.na determinação desse conteúdo como osinteresses informacionais dos usuários do O conceito de assunto (subject), segundosistema de informação, entre outras. Albrechtsen (1993, p. 219), voltouPortanto, a escolha do tema de um atualmente a se constituir como áreadocumento sempre estará relacionada central de estudo, visto que as abordagenscom os interesses de tais usuários, realizadas em torno do conceito deindependente da quantidade de aboutness ou tematicidade tendiam ainformações referentes ao tema manejar documentos como fontesselecionado. isoladas de conhecimento, à exceção de Hutchins (1977) e Beghtol (1986). A re-Todd (1992, p. 102) diz que, segundo a inserção do conceito de assunto por Blairopinião de Wilson (1985), podemos (1990), Hjörland (1992), Weinbergentender também que o grau de relação (1988) e Soergel (1985) enfatizou aentre tematicidade e significado é variável função primária da indexação em servir àporque depende do busca pelo conhecimento e recomendar que o indexador não deve direcionar a [...] uso que a pessoa pode encontrar da análise exclusivamente sobre o conteúdo, tematicidade do documento numa certa época, e o mesmo documento pode vir mas antecipar o impacto e o valor de um a ter diferentes significados para o mesmo leitor em diferentes épocas, determinado documento para uso entretanto o documento possui uma potencial. atinência fundamental.O termo aboutness, originário da línguainglesa e usado por Fairthorne (1969) e 3 Preferimos usar tematicidade por considerar queoutros, pode significar ´do que trata um esse termo está mais relacionado com a noção de tema do documento. 4texto´, em português. Em língua O termo atinência foi empregado na tradução do livro “Indexação e resumos: teoria e prática” deportuguesa há divergências entre os Lancaster e é utilizado por Naves em seus trabalhos (1996, 2000)© Revista Digital de Biblioteconomia e Ciência da Informação, Campinas, v .1, n.1, p. 60-90, jul./dez. 2003 – ISSN: 1678-765X. 79
  • ARTIGOSob essa influência, Begthol (1986) fez Outra forma de se referir a essa questão édistinção entre aboutness e meanings; apresentada por Cavalcanti (1989),aboutness é o contéudo intrínseco do pesquisadora da área de leitura emdocumento, que independe do uso Lingüística Aplicada. Para a autora, atemporal que um indivíduo possa fazer do tematicidade intrínseca é tema importantemesmo em análise e que o faz possuir para o autor e tematicidade extrínseca é ouma tematicidade relativamente tema importante do ponto de vista dopermanente e um número variável de leitor. A autora denomina a tematicidademeanings (signficados), podendo ser intrínseca de “saliência autor” e amedido de acordo com o uso particular do extrínseca de “relevância leitor”.documento tendo em vista os usuários.Em suma, por aboutness deve-se entender Hutchins (1977, p. 33) destaca que oo conteúdo relativamente permanente do indexador, durante a busca peladocumento e por meanings, o signficado compreensão do texto, procura identificarcompreendido pelo usuário. assuntos familiares contrariamente ao leitor comum que, durante a leituraElucidando a definição de Beghtol normal, visa a encontrar informações(1986), acreditamos que a tematicidade novas para ampliar o seu conhecimentosempre será o conteúdo relevante do sobre o assunto. Na opinião da autora, odocumento, porém, algumas variáveis indexador, no momento da indexação,irão influenciar na determinação desse procura identificar primeiramente, até deconteúdo, como os interesses maneira automática, temas familiares aoinformacionais dos usuários do sistema conhecimento prévio que adquiriu sobre ade informação, entre outras. Portanto, a área de assunto na qual trabalha, mas éescolha de um assunto de um documento também preciso atentar para os temassempre estará relacionada com os novos que possam interessar aos usuáriosinteresses de tais usuários, independente do documento ao mesmo tempo em queda quantidade de informações referentes possibilitam ao indexador ampliar seuao assunto selecionado. vocabulário sobre a terminologia da área.© Revista Digital de Biblioteconomia e Ciência da Informação, Campinas, v .1, n.1, p. 60-90, jul./dez. 2003 – ISSN: 1678-765X. 80
  • ARTIGOO ideal é que haja uma equivalência entre 5 A LEITURA NO PROCESSO DE IDENTIFICAÇÃO DE CONCEITOSa relevância do assunto do documentotanto para o indexador como para o Considerando o fato de que o conteúdousuário. Aquele atingirá esse objetivo se do documento estará melhor representadoelaborar informações documentárias se a identificação e seleção de conceitos(índices e resumos) consistentes. forem realizadas dentro da concepção orientada para o conteúdo e para aConsiderando, portanto, que a demanda, isso nos leva à necessidade dedeterminação da tematicidade intrínseca e compreensão de leitura pelo indexadorextrínseca faz parte da análise de assunto, porque a análise orientada para oentendemos que o indexador, durante a conteúdo pressupõe a explicitação doleitura documentária, realiza a análise de significado do texto, uma situação queassunto na fase inicial do processo de não se resolve sem que haja compreensãoindexação. de leitura.Entenda-se, até aqui, que a identificação e Para analisarmos a importância da leituraa seleção de conceitos são operações para a análise de assunto em indexação,características de uma análise de assunto consideramos que a concepção orientadacuja concepção é orientada para o para o conteúdo está, de fato,conteúdo e para a demanda e, portanto, comprometida com uma compreensão devoltada para a preservação do contexto do leitura para identificação e seleção dedocumento antes de acontecer a operação conceitos, uma vez que:de tradução de termos para umalinguagem de indexação. Ocorre que a [...] envolve uma interpretação doidentificação e seleção de conceitos visam conteúdo do documento que vai além dos limites da estrutura superficialà composição de um enunciado temático léxica e gramatical (ALBRECHTSEN 1993, p. 220).que identifica o assunto do texto, sendoesse uma condição necessária à Em análise da literatura, vemos quecompreensão global do texto. Foskett (1973), antes dos “Princípios de Indexação” do World Information System for Science and Technology (1981) e da© Revista Digital de Biblioteconomia e Ciência da Informação, Campinas, v .1, n.1, p. 60-90, jul./dez. 2003 – ISSN: 1678-765X. 81
  • ARTIGONorma 12.676, acreditava que a ao documentalista, na primeira fase, umadeterminação do assunto de um leitura rápida "em diagonal" de partes dodocumento deveria ser feita pela leitura, documento para somente ver do que trata;porém, como considerava que não havia na seleção de conceitos, indicatempo disponível para leitura do claramente que "à medida que realiza adocumento na íntegra, sugeriu partes do leitura, o documentalista identifica ostexto a serem lidas, alertando que o título conceitos [...]" e, mais à frente, esclareceé, muitas vezes, escolhido para chamar a quais noções devem ser retidas ouatenção e não para indicar o assunto selecionadas.abordado. A leitura para indexação, dentro daDa mesma forma, Chaumier (1980, p. 43) Norma 12.676, dos "Princípios" do Worldconsiderou que, para fins de indexação, o Information System for Science andconhecimento do conteúdo do documento Technology e dos teóricos da área,"Faz-se através de uma leitura rápida, ou excetuando-se Van Slype, parece‘leitura em diagonal’ do documento" completamente desvinculada do processoenumerando, em seguida, as partes do de identificação e seleção de conceitos,texto para uma leitura mais precisa. sendo considerada como mero exame deQuando aborda a escolha de conceitos, partes do documento.não faz nenhuma referência à leitura,afirmando que a escolha depende de uma O que está evidente, dentro das"verdadeira análise conceitual do abordagens de Foskett (1973), Chaumierdocumento". (1980) e da Norma 12.676, é o aspecto mais técnico do exame do documento,Van Slype (1991, p. 116), contudo, ao sem se questionar ou identificar oestruturar o processo de indexação indexador como leitor.humana em quatro etapas (exame doconteúdo do documento, seleção dos Com relação à compreensão, podemosconceitos, tradução dos conceitos em considerá-la como condição à leitura, oudescritores e estabelecimento de relações seja, não existe leitura sem compreensão.sintáticas entre os descritores), recomenda Então, quando falamos em leitura para© Revista Digital de Biblioteconomia e Ciência da Informação, Campinas, v .1, n.1, p. 60-90, jul./dez. 2003 – ISSN: 1678-765X. 82
  • ARTIGOindexação, podemos dizer que o fim". Mais à frente, também, refere-se àsindexador necessita compreender o texto partes mais interessantes e oportunas àpara identificar e selecionar conceitos, leitura do indexador, salientando o examepois somente o fará a contento se houver de partes do documento recomendadocompreensão. Também na visão de pela Norma 12.676. Porém, de maneiraFarrow (1995, p. 243): muito apropriada, considera como pressuposto o fato "[...] de que é possível [...] o processo de indexação consiste da ler o documento a ser indexado" e que o compreensão do documento a ser indexado, seguido pela produção de um "[...] motivo é a decisão sobre o que conjunto de termos de indexação. incluir na indexação", baseando-se nos interesses da comunidade a que serve.Pensando em termos de uma leituradocumentária, Farrow (1991, p. 151) O mais importante, ainda, é a advertênciaconsidera "[...] razoável assumir que que Lancaster (1993, p. 22) faz aosindexadores compreendem o texto indexadores que realizam a "análiseessencialmente do mesmo modo que os conceitual" influenciados peloleitores fluentes [...]", porém, sob a vocabulário do sistema, pois julga queinfluência de condições de tempo, isso compromete a representação doobjetivo definido, modelo a ser produzido conteúdo do documento. Por issoe áreas de assunto específicas com discorda da Norma 12.676 (1992, p. 2)estrutura textual padronizada dos quanto à afirmação de que "tanto adocumentos induzindo-os à um processo análise quanto a transcrição devem serrepetitivo e automático. realizadas com o auxílio de instrumentos de indexação [...]".Lancaster (1993, p. 20-21) aborda aquestão da leitura em indexação quando Da mesma forma acreditamos que o usoexamina "A prática da indexação" em que do vocabulário controlado durante ase preocupa com as restrições de tempo e leitura para a identificação e seleção dede quantidade de documentos do serviço conceitos poderá impedir a compreensãode indexação ao ponderar que "Ao do contexto do documento e suaindexador raramente é dado o luxo de adequada representação, pois, o fato depoder ler um documento do começo ao© Revista Digital de Biblioteconomia e Ciência da Informação, Campinas, v .1, n.1, p. 60-90, jul./dez. 2003 – ISSN: 1678-765X. 83
  • ARTIGOtermos não associados ao vocabulário não procedimentos, ainda que osserem considerados significativos conhecimentos necessários para um bomestabelece que o indexador realize uma entendimento de um texto sejam comunsanálise bastante superficial do conteúdo a ambas.do documento, ou seja, não estárepresentando realmente as idéias do Na leitura documentária o leitor éautor, apenas ajustando-as a palavras, de caracterizado como indexador, podendouma forma muito simplista. ser um bibliotecário ou indivíduo com formação superior na área de assunto comÉ preciso esclarecer ainda que, quando a a qual trabalha (leitor-especialista). EsseNorma 12.676 (1992, p. 2), no item leitor-indexador tem objetivo definido:“Exame do documento”, aborda a questão identificação e seleção de conceitos quede uma leitura completa do documento representem o conteúdo do texto e quecomo "impraticável e nem sempre coincidam com as necessidadesnecessária" para a indexação, informacionais da comunidade usuária dopossivelmente está distinguindo, neste sistema de informação, não sendomomento, a leitura documentária do possível a ele realizar uma “crítica daprocesso global de leitura. Embora a ciência e a avaliação das contribuiçõesnorma não comente os motivos pelos veiculadas pelos textos” (GINEZ DEquais admite ser impraticável a leitura LARA, 1993, p. 50), considerando que,completa do documento, é razoável na maioria das vezes, não apresentasupormos que isso se deve ao fato de que conhecimento especializado sobre oo trabalho de um indexador não se assunto que indexa. Porém, isso nãorestringe a poucos documentos se significa que o indexador bibliotecárioconsiderarmos a totalidade do acervo de não possa vir a ser um especialista poruma biblioteca. não possuir formação superior na área do assunto em que trabalha; pelo contrário,A atividade de indexação inicia-se com a pode tornar-se um especialista com osleitura do documento a ser analisado. anos de prática na atividade de indexaçãoEssa leitura, a documentária, difere da e cursos especializados.leitura comum porque exige outros© Revista Digital de Biblioteconomia e Ciência da Informação, Campinas, v .1, n.1, p. 60-90, jul./dez. 2003 – ISSN: 1678-765X. 84
  • ARTIGOA leitura realizada pelo indexador é essência de um documento. O processo detambém caracterizada como uma leitura identificação de conceitos envolve certodinâmica, não havendo necessidade de se grau de complexidade por exigir dofazer a leitura do item documental por indexador o uso de metodologia adequadacompleto, exceto na indexação para a para garantir bons resultados naelaboração de índices internos ou recuperação, o que pressupõe oalfabético-remissivos – aqueles que conhecimento de abordagensacompanham um livro ao seu final, sistematizadas ao texto. Além disso, pelaporque, como bem afirma Collinson análise de literatura, a identificação de([1971], p. 18), “[...] em primeiro lugar o conceitos depende da tematicidade dolivro deverá ser lido inteiramente, duas ou texto e está atrelada à leitura do indexadortrês vezes, como um todo”, demonstrando e às suas concepções de análise deque, nesse tipo de indexação, exige-se do assunto adquiridas pela sua formação,indexador uma leitura completa da obra. objetivos e políticas de indexação.Como visto anteriormente, o indexador, A identificação e a seleção de conceitospor realizar uma leitura com objetivos são operações características de umaprofissionais, sofrerá a pressão da falta de análise de assunto cuja concepção étempo devido à grande quantidade de orientada para o conteúdo e para amaterial que necessita ler para indexar. demanda. Portanto, voltada para aNa leitura para fins de indexação, preservação do contexto do documentoportanto, o leitor-indexador deverá antes da tradução.utilizar estratégias próprias de leituradocumentária que lhe facilitem atingir o Considerando o fato de que o conteúdoseu objetivo. do documento estará melhor representado se a identificação e seleção de conceitos6 CONSIDERAÇÕES FINAIS for realizada dentro da concepção orientada para o conteúdo e para aA análise de assunto é a etapa mais demanda, isso nos leva à necessidade deimportante do trabalho do indexador. compreensão de leitura pelo indexadorTem como objetivo identificar e porque a análise orientada para oselecionar os conceitos que representam a© Revista Digital de Biblioteconomia e Ciência da Informação, Campinas, v .1, n.1, p. 60-90, jul./dez. 2003 – ISSN: 1678-765X. 85
  • ARTIGOconteúdo pressupõe a explicitação do Considera-se que a concepção de análisesignificado do texto, uma situação que está diretamente vinculada com suanão se resolve sem que haja compreensão formação educacional (concepçãode leitura. orientada pelo conteúdo) e com a postura do sistema de informação (concepçãoOs aspectos teóricos que fundamentam os orientada pela demanda) e não pelo fatoestudos sobre leitura documentária, de ele ser um leitor menos ou maisindicam a importância da identificação de habilitado. Por isso, recomenda-se que aconceitos na análise de assunto. Por isso, formação do indexador seja direcionadadeu-se especial enfoque aos estudos sobre para a importância da identificação etematicidade que envolve a determinação seleção de conceitos feita durante ado assunto dentro da análise de assunto e análise de assunto conforme uso deàs propostas metodológicas da indexação metodologia adequada.indicadas pela normalização e pelosestudos teóricos. Os estudos sobretematicidade revelaram a necessidade dedistinção entre tematicidade intrínseca(aboutness - inerente ao conteúdodocumento) e extrínseca (meanings -significado para o usuário do sistema) ecomprova a concepção de análise deassunto orientada para a demanda.A seleção de conceitos é parte integranteda identificação de conceitos realizadadurante a análise de assunto e existe parao indexador prever a adequação dosconceitos representados à recuperaçãoconforme demanda do usuário.© Revista Digital de Biblioteconomia e Ciência da Informação, Campinas, v .1, n.1, p. 60-90, jul./dez. 2003 – ISSN: 1678-765X. 86
  • ARTIGOREFERÊNCIAS CHU, C. M.; O’BRIEN, A. SubjectALBRETCHTSEN, H. Subject analysis analysis: the critical first stage inand indexing: from automated indexing to indexing. Journal of Informationdomain analysis. The Indexer, London, Science, London, v. 19, n. 6, p. 439-54,v.18, n. 4, p. 219-24, 1993. 1993.ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE COLLINSON, R. L. Índices e indexação:NORMAS TÉCNICAS. NBR 12676: guia para indexação de livros, e coleçõesMétodos para análise de documentos - de livros, periódicos, e coleções de livros,determinação de seus assuntos e seleção periódicos, partituras musicais, com umade termos de indexação. Rio de Janeiro, seção de referência e sugestões para1992. 4 p. leitura adicional. Tradução de Antônio Agenor Brinquet de Lemos. São Paulo:AUSTIN, D. PRECIS: a manual of Polígono, [1971]. 223 p.concept analysis and subject indexing.London: Council of the British National CRAVEN, T. C. Linked phrase indexing.Bibliography, 1974. 551 p. Information Processing and Management, New York, v. 14, p. 469,BEGHTOL, C. Bibliographic 1978.classification theory and text linguistics:aboutness analysis, intertextuality and the ESTEBAN NAVARRO, M. A. E.cognitive act of classifying documents. Elementos, actividades y critérios para laJornal of Documentation, London, v. 42, identificación, compreensión y selecciónn. 2, p. 84-113, 1986. de conceptos en la indización analítica. In: GARCIA MARCO, F. J. G. M.BLAIR, D. C. Language and Organización del conocimiento enrepresentation in information retrieval. sistemas de información yAmsterdan: Elsevier Science Publisher, documentación. Zaragoza: Capítulo1990. Español de la ISKO, Universidad Carlos III de Madrid, 1999. v. 3, p. 69-93.CAVALCANTI, M. C. Interação leitor-texto: aspectos de interpretação FAIRTHORNE, R. A. Content analysis,pragmática. Campinas: UNICAMP, 1989. specification, and control. Annual Review271 p. of Information Science and Technology, Medford, NJ, v. 4, p. 73-109, 1969.CESARINO, M. A. N.; PINTO, M. C. M.F. Análise de assunto. Revista de FARRADANE, J. A. A comparison ofBiblioteconomia de Brasília, Brasília, v. some computer produced permuted8, n. 1, p. 32-43, jan./jun. 1980. alphabetical subject indexes. International Classification, Munich, v.CHAUMIER, J. Travail et methodes 4, n. 2, p. 94-101, 1977.du/de la documentaliste: connaissance duproblème. Paris : ESF/Libraries FARROW, J. All in the mind: conceptTechniques, 1980. Exposé 3, Chap.3: analyis in indexing. The Indexer, v. 19,Lindexation, p.42-7. n.4, p.243-7, 1995.© Revista Digital de Biblioteconomia e Ciência da Informação, Campinas, v .1, n.1, p. 60-90, jul./dez. 2003 – ISSN: 1678-765X. 87
  • ARTIGOFARROW, J. A cognitive process model and selecting indexing terms. Suíça: ISO,of document indexing. Jornal of 1985. 5p. (ISO 5963-1985 (E))Documentation, London, v. 47, n. 2, p.149-166, 1991. KAISER, J. O. Systematic indexing. London: Pitman, 1911.FOSKET, A. C. A abordagem temáticada informação. Tradução de Agenor de KOBASHI, N. Y. A elaboração deBriquet de Lemos. São Paulo: Polígono, informações documentárias: em busca de1973. Tradução de: Subject approach to uma metodologia. 1994. 195 f. Tesesubject information. (Doutorado em Ciências da Comunicação) – Escola de ComunicaçãoFUJITA, M. S. L. PRECIS na língua e Artes, Universidade de São Paulo, Sãoportuguesa: teoria e prática de indexação. Paulo.Brasília: UnB/ABDF, 1989. LANCASTER, F. W. Indexação e______. A leitura em análise resumos: teoria e prática. Trad. dedocumentária. 1998. 184 f. Relatório Antonio Agenor Briquet de Lemos.final (Projeto Integrado de Pesquisa) - Brasília: Briquet de Lemos/Livros, 1993.Faculdade de Filosofia e Ciências,Universidade Estadual Paulista; CNPq, LANGRIDGE, D. Classificação:Marília. abordagem para estudantes de biblioteconomia. Tradução de Rosali P.GARCIA GUTIERREZ, A.; LUCAS, R. Fernandes. Rio de Janeiro:Documentación automatizada de los Interciência,1977. 120 p.médios informativos. Madrid: Paraninfo,1987. LASSWELL, H. D. A estrutura e a função da comunicação na sociedade. In:GINEZ DE LARA, M. L. A COHN, G. Comunicação e indústriarepresentação documentária: em jogo a cultural. São Paulo: Nacional/EDUSP,significação. São Paulo, 1993. 133 f. 1971.Dissertação (Mestrado em Ciência daComunicação)– Escola de Comunicação e LYNCH, M. F.; PETRIE, J. H. AArtes, Universidade de São Paulo. program suite for the production of articulated subject indexes. ComputerHJÖRLAND, B. The concept of subject Journal, Oxford, v. 16, p. 46-51, 1973.in information science. J. Doc., London,v. 48, n. 2, p.172-200, 1992. METCALFE , J. Subject classifing and indexing of libraries and literature. NewHUTCHINS, W. K. On the problem of York: Scarecrow, 1959.aboutness in document analysis. Journalof Informatics, v. 1, p. 17-35, 1977. NAVES, M. M. L. Fatores interferentes no processo de análise de assunto: estudoINTERNATIONAL ORGANIZATION de caso de indexadores. 2000. 257 f. TeseFOR STANDARDIZATION. (Doutorado em Ciência da Informação) –Documentation - methods for examining Escola de Ciência da Informação,documents, determining their subjects, Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte.© Revista Digital de Biblioteconomia e Ciência da Informação, Campinas, v .1, n.1, p. 60-90, jul./dez. 2003 – ISSN: 1678-765X. 88
  • ARTIGONAVES, M. M. L. Análise de assunto: Trad. Pedro Hípola e Félix de Moya.concepções. Revista de Biblioteconomia Madrid: Fundación Germán Sánchezde Brasília, Brasília, v. 20, n. 2, p. 215- Ruipérez; Pirámide, 1991. 200p.226, jul./dez, 1996. Tradução de: Les languages dindexation: conception, construction et utilisationNEELAMEGHAM, A.; GOPINATH, dans les systèmes documentaires.M. A. Postulated-based permuted subjectindexing (POPSI). Library Science with a VICKERY, B. C. Analysis ofslant to documentation, v. 12, n. 3, p. 79- information. In: KENT, A., LANCOUR,87, 1975. H. (Ed.). Encyclopedia of library and information science. New York: Decker,PIEDADE, M. A. R. Introdução à teoria 1968. v. 1, p. 355-384.da classificação. 2. ed. rev. aum. Rio deJaneiro: Interciência, 1983. 221 p. ______. Classification and indexing in science. Londres: Butterworths ScientificPINTO MOLINA, M. Interdisciplinry Publications, 1975approaches to the concept and practice ofwritten text documentary content analysis ______. Classificação e indexação nas(WTDCA). Jornal of Documentation, ciências. Tradução de Maria ChristinaLondon, v. 50, n. 2, p. 111-133, jun. Girão Pirolla. Rio de Janeiro:1994. BNG/Brasilart, 1980. 274 p.RANGANATHAN, S. R. Colon WEINBERG, B. H. Why indexing failsClassification. E. Goldston: London, the researcher. The Indexer, London, v.1933. 16, n. 1, p. 3-6, 1988.RANGANATHAN, S. R. Colon WILSON, P. Subject and the sense ofClassification. 6. ed. Bombay: Asia position. In: CHAN, C. et al. Theory ofPublishing House, 1960. subject analysis: a manual. Littleton, Colorado: Libraries Unlimited, 1985. p.SOERGEL, D. Organizing information – 306-23.principles of database and retrievalsystems. New York: Academic Press, WORLD INFORMATION SYSTEM1985. FOR SCIENCE AND TECHNOLOGY. Princípios de indexação. R. Esc.TÁLAMO, M. F. G. M. Elaboração de Bibliotecon. UFMG, v. 10, n. 1, p. 83-94,resumos. Escola de Comunicação e Artes, 1981.1987. 14 f. Datilografado.TODD, R. T. Academic indexing: what`sit all about? The Indexer, London, v. 18,n. 2, p. 101-104, apr. 1992.VAN SLYPE, G. Los lenguajes deindización: concepción, construcción yutilización en los sistemas documentales.© Revista Digital de Biblioteconomia e Ciência da Informação, Campinas, v .1, n.1, p. 60-90, jul./dez. 2003 – ISSN: 1678-765X. 89
  • ARTIGO Mariângela Spotti Lopes Fujita Profa. Assistente Dra. Do Departamento de Ciência da Informação da UNESP – Campus de Marília, SP Pesquisadora pelo CNPG goldstar@flash.tv.br Agradecimentos: Ao CNPQ pelo auxílio, confiança e valorização dispensados à pesquisa durante dez anos de colaboração mútua. Artigo aceito para publicação em: 30 maio 2003© Revista Digital de Biblioteconomia e Ciência da Informação, Campinas, v .1, n.1, p. 60-90, jul./dez. 2003 – ISSN: 1678-765X. 90