Disgrafia e Disortografia
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Like this? Share it with your network

Share

Disgrafia e Disortografia

  • 7,112 views
Uploaded on

 

  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Be the first to comment
No Downloads

Views

Total Views
7,112
On Slideshare
7,112
From Embeds
0
Number of Embeds
0

Actions

Shares
Downloads
289
Comments
0
Likes
2

Embeds 0

No embeds

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
    No notes for slide

Transcript

  • 1. DISGRAFIA E DISORTOGRAFIA
  • 2. DISGRAFIA (DIS=DIFICULDADE E GRAFIA=GRAFAR/ESCREVER) É um transtorno da escrita resultante de um distúrbio de integração visual-motora, que afeta a capacidade de escrever ou copiar letras, palavras e números. Trata-se de um transtorno funcional e apresenta-se em crianças com capacidade intelectual normal, sem transtornos neurológicos, sensoriais, motores e/ou afetivos que justifiquem tal dificuldade.
  • 3.  A escrita disgráfica pode observar-se com traços pouco precisos e incontrolados. Há uma desorganização das letras, letras retocadas e “feias”. O espaço entre as linhas, palavras e letras são irregulares. Há uma desorganização do espaço ocupado na folha e pode-se referir à problemas de orientação espacial.  Há falta de pressão com debilidade dos traços, ou traços demasiadamente forte o que causa cansaço e lentidão na hora da escrita. Além disso, devido a letra ilegível há dificuldades de entendimento na hora da leitura por parte dos alunos e professores.
  • 4. CARACTERIZAÇÃO  Vários autores tem sugerido características comuns às crianças com disgrafia.  Poderá ainda ser observado uma série de outros comportamentos, muitas vezes associados a outras dificuldades especificas de aprendizagem. (Disortografia, Dislexia, Discalculia)
  • 5. INTERVENÇÕES PSICOPEDAGÓGICAS DA DISGRÁFIA  Encorajamento de diferentes formas de expressão plástica: – recortes e colagens; – pinturas dentro de limites e grafias pela ligação de pontos e seguir trajetos; – fomentar a escrita de pequenos recados; – treino de motricidade, equilíbrio e organização cinéticotônica.  Postura gráfica correta, forma de segurar lápis ou caneta, a pressão, e ritmo da escrita e diferentes ligações entre letras distorcidas.
  • 6. Para camargo (2008) a reeducação do grafismo está relacionada com três fatores fundamentais: •desenvolvimento psicomotor •desenvolvimento do grafismo em si e especificidade do grafismo da criança.
  • 7. Para o grafismo psicomotor, deverão treinar aspectos relacionados com a postura, controle corporal, dissociação de movimentos , representação mental do gesto necessário para o traço, percepção espaço temporal, lateralização e coordenação visomotora. Quanto aos aspectos relacionados com com o aperfeiçoamento das habilidades atividades PICTOGRÁFICAS ( ESCRIPTOGRÁFICAS ( utilização de posição gráfica). o grafismo, o educador deve preocupar-se relacionadas com a : Escrita, distinguindo pintura, desenho, modelagem) e lápis e papel – melhorar os movimentos e Deverá também corrigir erros específicos do grafismo, como a forma / manutenção das margens / linhas.
  • 8. CAUSAS: Diferentes justificativas de acordo com Citoler e para Torres e Fernàndez.  Segundo Citoler(1996,cit.por cruz,2009) Há três tipos de justificativa para essas dificuldades disortogràficas que sâo:  Problemas na automatizaçâo dos procedimentos da escrita;  Estratègias de ensino imaturas ou ineficazez,com a consequente ignorância das regras de composição escrita;  Desconhecimento ou dificuldade em recordar os processos e subprocessos implicados na escrita; 
  • 9.       Para Torres e Fernàndez(2011), as causas estão associadas á cinco aspectos.vejamos Percetivos: estão associadas a deficiências na percepção,na memoria visual e auditiva ou a nivel espácio-temporal,o que traz consequências na correta orientação das letras e na descriminação de grafemas com traços semelhantes. Intelectuais: associa-se a um défice ou imaturidade intelectual; Linguísticos: relaciona a pronuncia/articulação deficiente conhecimento e utilização do vocabulario(código restrito) são apontados como causas de tipo linguìstico. Afetivo-emocional : aponta entre baixos niveis de motivação e atenção,que poderão fazer com que a criança cometa erros ortogràficos. Pedagògicos: remetem para mètodos de ensino desadequados.
  • 10. A DISORTOGRAFIA
  • 11. CARACTERIZAÇÃO           Uma criança com disortografia demostra,geralmente falta de vontade para escrever os seus textos são reduzidos,com uma organização pobre e pontuação inadequada. A sua escrita evidencia numerosos erros ortográficos de natureza diversa são eles: Erros de caráter lingustíco-perceptivo. -omissões,adições e inversões de letra,de silabas ou de palavras. -troca de símbolos e lingüísticos que se parecem sonoramente. Erros de caráter visoespacial. -substitui letras que se diferenciam pela sua posição no espaço (“d””b”). Erros de caráter visoanalitico. -não faz sínteses e associações entre fonemas trocando letras sem qualquer sentido. Erros relativos ao conteúdo.
  • 12.      -não separa sequencias gráficas pertencentes a uma dada sucessão fônica,ou seja,une palavras ex:(ocarro em vez de o carro)junta silabas pertencentes a duas palavras u separam incorretamente. Erros referentes as regras de ortografia. -não coloca “m”antes de “b” ou “p” -ignora as regras de pontuação -esquece de iniciar as palavras com letras maiúsculas    De uma forma geral a característica mais comum nas crianças de disortografia e sem duvida a ocorrência de erros ortográficos.
  • 13. A INTERVENÇÃO DA DISORTOGRAFIA Para a intervenção o professor, tem que se lembrar de que ela não é feita de uma forma fechada. Ou seja o professor irá buscar avaliar questões como: percepção auditiva e visual.  Em uma avaliação é importante que o aluno tenha mais tempo para que ele possa refletir. 