Palestra Inclusao Digital[1]

2,720 views
2,630 views

Published on

0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total views
2,720
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
392
Actions
Shares
0
Downloads
120
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Palestra Inclusao Digital[1]

  1. 1. Inclusão Digital “ A Educação sozinha não transforma a Sociedade, sem ela tampouco a Sociedade muda”. Paulo Freire
  2. 2. Inclusão Digital <ul><li>Inclusão Digital é a democratização do acesso às tecnologias da Informação. A grande intenção dos projetos que visam à inclusão digital e à erradicação do analfabetismo digital é que haja a inserção de todos na sociedade da informação. Entretanto, apesar dessa ser uma iniciativa louvável, a mesma torna-se em vão quando não aliada ao atendimento das necessidades fundamentais do indivíduo, tais como acesso à alimentação, à moradia, à educação fundamental, entre outras. </li></ul>
  3. 4. POR QUE A INCLUSÃO DIGITAL É FUNDAMENTAL PARA O SUCESSO DA EDUCAÇÃO?   <ul><li>A partir dessa questão podemos pensar que todo professor tem um papel fundamental com a inclusão digital, principalmente quando ele se atualiza, através de cursos, mesmos os a distância. Assim, terá habilidade de auxiliar os alunos, mostrando diversas atividades que podem ajudá-lo, dentro da sua disciplina. Essa prática o auxiliará na criação de projetos escolares no laboratório de Informática, fundamentais no ambiente escolar. </li></ul><ul><li>Os professores com tal habilidade são pessoas fundamentais na escola, pois eles têm a facilidade de fazer a integração da disciplina com o computador fazendo com que sua aula seja mais atrativa e envolvente durante o ano escolar. </li></ul>
  4. 5. Inclusão Digital <ul><li>A escola deve incentivar estes estudantes a pesquisar, investigar, criar hábitos de usar os laboratórios de informática para estudo e assim terem oportunidades iguais na disputa de vaga de emprego no futuro. </li></ul>
  5. 6. Inclusão Digital <ul><li>Neste novo século, a exclusão digital equivale ao analfabetismo, porque segrega as pessoas despreparadas para atuar com os novos conhecimentos e os novos códigos. A escola deve estar informatizada e habilitada a preparar seu aluno para lidar com a evolução da informática. Deve, ainda, ensiná-lo a usar a tecnologia em favor de seu aperfeiçoamento e de um mundo melhor. </li></ul>
  6. 7. Inclusão Digital <ul><li>Portanto, a inclusão digital atualmente é uma realidade, contribuindo para melhorar a interação entre as pessoas, tendo em vista o grande avanço tecnológico que tem tomado conta de praticamente todos os setores do cotidiano das pessoas . </li></ul>
  7. 8. Inclusão Digital <ul><li>     Os dados nos levam a concluir que a inclusão social das pessoas excluídas socialmente pode ser concretizada por meio da inclusão digital. Sem a exclusão, elas poderão se beneficiar de todos os recursos oferecidos pela sociedade informatizada, ter o interesse quanto ao uso do computador despertado e, por fim, construir </li></ul><ul><li>uma base para que possam continuar seu aprendizado. </li></ul>
  8. 9. 3º Momento: Formação dos Docentes <ul><li>Mas para que os próprios alunos tenham tal acesso , é necessário uma profissionalização dos seus mais importantes transmissores de conhecimento – os professores – devidamente valorizados e atualizados com uma nova forma de interação entre crianças e jovens. Esse compromisso, cada vez mais, traz para o universo escolar toda a cultura incipiente que a tecnologia lhe permite – ou até onde lhe é possível usufruir dessas novas tecnologias. </li></ul>
  9. 10. Tecnologia da Informação e Comunicação <ul><li>O objetivo fundamental deste momento é apresentar a importância do aprendizado de conhecimento sobre as fontes de pesquisas digitais para a formação docente. Mais, particularmente, nos interessamos pelas bibliotecas digitais, bem como pelas transformações que as Tecnologias da Comunicação e Informação ( TIC) vêm acarretando na forma da pesquisa e da divulgação científica e a decorrente necessidade do futuro professor estar apto a compreender os novos desafios e mecanismos que as TIC trouxeram para o ensino. </li></ul>
  10. 11. Fontes de Pesquisa
  11. 12. Domínio Público
  12. 13. Específico por Disciplina
  13. 14. Links no Blog do LIED do Alvorada
  14. 15. Internet – espaço para produção de Conhecimentos <ul><li>Há pouco tempo , poucas pessoas produziam sites e a maioria dos usuários podia apenas entrar nas páginas para ler, ver ou jogar. Nos últimos anos, isso mudou e ficou fácil para qualquer um colocar seus textos num blog, fotos em redes sociais e vídeos num site como o YouTube. Assim, os usuários – como você - podem expressar suas opiniões através de comentários e colaborações. </li></ul>
  15. 16. Internet – espaço para produção de Conhecimentos <ul><li>Na nova era, a relação das pessoas com a internet é bem diferente do que no princípio. Com a facilidade de publicar o que se deseja e trocar com outros usuários, a rede se transformou em uma das ferramentas mais fortes para pesquisas escolares, organização da comunidade e outros trabalhos que envolvam a colaboração de muitas pessoas. Veja abaixo o que é essencial saber: </li></ul>
  16. 17. Blog <ul><li>Site pessoal onde se pode escrever sobre qualquer assunto. O que você coloca no site é organizado por data (mostrando primeiro o que há de mais novo) e os leitores podem escrever comentários . </li></ul>
  17. 18. Grupo de discussão <ul><li>Também conhecido como “newsgroups”, é um serviço no qual alguém escreve perguntas sobre qualquer assunto e espera que outras pessoas respondam e ajudem. Mas não há prazo para receber respostas e nem a certeza de que suas perguntas serão respondidas. </li></ul>
  18. 19. Redes Sociais <ul><li>São as comunidades online que permitem a comunicação de muitas pessoas com muitas pessoas ao mesmo tempo, como acontece no Orkut, MySpace, Twitter, Facebook e outros. As comunidades reúnem usuários com os mesmos interesses – futebol, música, jogos etc. Mas também existem pessoas que utilizam as redes sociais para prejudicar os outros . </li></ul>
  19. 20. Podcast <ul><li>É uma forma de distribuição de arquivos de áudio e vídeo pela internet através de RSS . As atualizações recebidas automaticamente pelo RSS permitem que o usuário ouça ou assista ao conteúdo onde e quando quiser. O termo “podcast” surgiu da combinação de “iPod”, o tocador de MP3 da Apple, e “broacasting”, que em inglês quer dizer transmitir programação linear por rádio ou TV. Para produzir seu próprio conteúdo em podcast, é preciso ter um kit multimídia completo, com placa de som, microfone e caixas de som (ou fones de ouvido). Além disso, é necessário ter um programa de gravação e edição de áudio no computador. Alguns kits multimídia já oferecem o programa. Outra forma é usar softwares gratuitos oferecidos na web que permitem capturar sons, editá-los e exportar em formato MP3. </li></ul>
  20. 21. CGM <ul><li>A sigla significa Consumer Generated Media (em inglês quer dizer conteúdo criado pelo consumidor) e indica tudo o que está na internet e foi criado e divulgado pelos próprios usuários em blogs, fotologs, comunidades, grupos de discussão, sites participativos como o YouTube e a Wikipédia . </li></ul>
  21. 22. Wiki <ul><li>São páginas na internet em que o conteúdo é criado por todos, de maneira colaborativa. Qualquer pessoa pode alterar, acrescentar ou corrigir. Um dos exemplos mais conhecidos é a enciclopédia online Wikipédia. </li></ul>
  22. 23. Bibliografia <ul><li>http://www.inclusaodigital.gov.br/noticias </li></ul><ul><li>http://midiasdigitaispaac.blogspot.com/2007/10/incluso-digital-x-incluso-social.html </li></ul><ul><li>http://acessibilidadeeinclusao.spaceblog.com.br/ </li></ul><ul><li>http://desenconcando.wordpress.com/2010/09/18/pensando-a-inclusao-digital/ </li></ul><ul><li>http://bibliotecadigitalepesquisa.blogspot.com/2010/05/biblioteca-digital-e-pesquisa.html </li></ul>

×