Relatório gri pintoe bentessustentabilidade2009

  • 648 views
Uploaded on

Relatorio GRI, Pinto e Bentes

Relatorio GRI, Pinto e Bentes

  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Be the first to comment
    Be the first to like this
No Downloads

Views

Total Views
648
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0

Actions

Shares
Downloads
2
Comments
0
Likes
0

Embeds 0

No embeds

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
    No notes for slide

Transcript

  • 1. Não se consegue mudar o que não se conhece,ou gerir o que não se mede.Relatório de Sustentabilidade 2009Pinto & Bentes, SA Pinto & Bentes, S.A. | Relatório de Sustentabilidade | 2009 - -
  • 2. Pinto & Bentes, S.A. | Relatório de Sustentabilidade | 2009 -2-
  • 3. Não se consegue mudar o que não se conhece,ou gerir o que não se mede.Relatório de Sustentabilidade 2009Pinto & Bentes, SA Pinto & Bentes, S.A. | Relatório de Sustentabilidade | 2009 -3-
  • 4. ÍndiceMensagem da Administração 5Agradecimento à EDP 6Perfil, Limite e Auto-declaração do Nível de Aplicação do Relatório 8Perfil Organizacional 9Estratégia e Análise 16Governação, Compromissos e Envolvimento 20Relacionamento com Stakeholders 22Actuação Sustentável da Empresa (Indicadores) 24Compromissos, Objectivos e Metas 46Sumários GRI 50Ficha Técnica 52Inquérito 53 Pinto & Bentes, S.A. | Relatório de Sustentabilidade | 2009 -4-
  • 5. M e n s a g e m d a Ad m i n i s t r a ç ã oÉ com orgulho que apresentamos o primeiro Relatório de Sustentabilidade da Pinto & Bentes, S.A.A Pinto & Bentes é uma Empresa com quase seis décadas de existência que tem demonstrado uma constante e fundamental capacidade de adaptação para encontrar soluções adequadas, nosentido de se reinventar, de acordo com os contextos do mercado em que se insere.O ano de 2009 caracterizou-se por um grande abalo à escala mundial, decorrente de uma grave crise financeira e económica, acompanhada de uma crescente tomada de consciência das ques-tões ambientais e sociais, e da consequente necessidade de uma mudança de atitude.Para a Pinto & Bentes, 2009 também não foi um ano fácil. Infelizmente, tivemos acidentes de trabalho mais graves e em maior quantidade, com consequências na classificação que detínhamosjunto dos nossos dois principais clientes, para além das evidentes consequências humanas. Para manter a certificação do nosso Sistema de Gestão Integrado tivemos de trabalhar arduamente.Para ultrapassar e combater as dificuldades financeiras decorrentes da crise económica a Empresa aumentou o seu endividamento, solicitou mais e maiores sacrifícios aos trabalhadores e teve deser mais agressiva num mercado cada vez mais exigente. Felizmente contamos com uma equipa forte e capaz, que sabe compreender os obstáculos e enfrentá-los. A toda a equipa Pinto & Ben-tes os nossos primeiros agradecimentos e o apelo para que se mantenham empenhados e disponíveis para defrontar as dificuldades do futuro.As épocas de crise são momentos para reflectir e reavaliar. É tempo de exe-cutar um reposicionamento e uma reestruturação interna que nos permitareforçar a Empresa em todas as suas áreas de negócio, com base nos nossosvalores de Responsabilidade, Segurança, Eficiência e Respeito.O convite da EDP para integrar o Projecto GRI – Transparency in the SupplyChain — não podia pois ter chegado em melhor altura: o processo permitiu-nos conhecer e utilizar novas ferramentas, que nos possibilitaram uma autoanálise profunda, tendo por base um princípio fundamental: a Sustentabilida-de. Com estas ferramentas poderemos caminhar com mais firmeza paraalcançar os nossos objectivos, alinhando estratégias com os interesses delongo prazo dos nossos stakeholders.É nossa ambição ser uma Empresa cada vez mais sólida e competitiva, apro-veitando o melhor do passado, aprendendo com os erros, num processo degestão responsável. Uma Empresa empenhada em compreender e melhoraros seus impactos no Ambiente e na Sociedade, de uma forma honesta e aber-ta, gerindo deste modo as relações com os seus stakeholders. Para estes vãoigualmente os nossos agradecimentos – sem eles não teríamos negócio.O primeiro Relatório de Sustentabilidade, 2009, representa apenas uma partede um grande e importante trabalho de reflexão. São os nossos primeiros pas-sos: o caminho é longo mas temos a determinação necessária. Pinto & Bentes, S.A. | Relatório de Sustentabilidade | 2009 -5-
  • 6. Ag r a d e c i m e n t o à E D PActualmente, com a globalização, não há Empresas no Mundo que funcionem isoladamente. Mesmo para as mais “solitárias”, qualquer operação comercialconstitui uma troca de informação e até de influências. Os Mercados funcionam globalmente e o acesso à informação está muito facilitado, graças às novastecnologias. Consequentemente também as populações estão mais atentas e as pressões sobre as Empresas são maiores: exige-se transparência e respon-sabilidade. Exige-se Sustentabilidade!Empresas que assumem seriamente o seu desenvolvimento sustentável e que, simultaneamente, atingem um elevado nível de maturação deste compromisso,ambicionam influenciar positivamente a sua cadeia de valor, como passo natural do processo. A este nível encontra-se a EDP, Energias de Portugal S.A.A EDP, enquanto referência nacional a nível da Sustentabilidade, apresenta um longo caminho já percorrido, sempre inovando, demonstrando resultados com-provados, ano após ano, da assumpção da sua responsabilidade neste papel de liderança. Disto são provas concretas, por exemplo, o trabalho desenvolvidopela Fundação EDP, o envolvimento e promoção da Bolsa de Valores Sociais, do Prémio Inovação EDP Richard Branson, das acções da ECO EDP e doCanal ONG, a presença em associações como o BCSD, e claro, a integração nos Índices Dow Jones. É, aliás, a única Empresa portuguesa que integra osÍndices de Sustentabilidade Dow Jones de Sustentabilidade World e STOXX, os mais exigentes do mundo, que distinguem as Empresas com melhores práti-cas nas questões ligadas à transparência, sustentabilidade e excelência na gestão económica ambiental e social. Pinto & Bentes, S.A. | Relatório de Sustentabilidade | 2009 -6-
  • 7. Em 2009 teve início em Portugal o programa Global Action Network for Transparency the Supply Chain, utilizando os princípios do Global Reporting Initiative(GRI). O conceito deste programa é que Empresas de grandes dimensões possam operar como suporte a Pequenas e Médias Empresas (PMEs) da suacadeia de valor, promovendo a obtenção e utilização de ferramentas para elaboração dos seus próprios Relatórios de Sustentabilidade. O objectivo principaldo Projecto é criar transparência na cadeia de valor, através da implementação da prática de relato segundo os padrões G3 da GRI. Os principais benefícios,tanto para as Companhias que promovem, como para as PMEs envolvidas são: • Melhorar os seus desempenhos económicos, ambientais e sociais; • Facilitar o entendimento e aplicação dos conceitos da sustentabilidade; • Melhorar e fortalecer as relações, formando parcerias transparentes, baseadas na compreensão dos desafios mútuos; • Criar oportunidades de aprendizagem para todos os envolvidos; • Melhorar a gestão de risco relacionada com questões de sustentabilidade; • Aumentar a vantagem competitiva e a reputação.Apresentamos aqui os nossos sinceros e profundos agradecimentos à EDP, por nos ter dado a oportunidade de recolher todos estes benefícios ao envolver-nos neste processo, do qual resultam, para já, o nosso primeiro Relatório de Sustentabilidade e o nosso compromisso para com o Desenvolvimento Sustentá-vel. A Administração Pinto & Bentes, S.A. | Relatório de Sustentabilidade | 2009 -7-
  • 8. P e r f i l , L i m i t e e Au t o - D e c l a r a ç ã o d o N í v e l d e Ap l i c a ç ã o d o R e l a t ó r i o Este primeiro Relatório, elaborado de acordo com as directrizes G3 do GRI, diz respeito ao ano de 2009 e foca o desempenho económico, ambiental e social, da Pinto & Bentes, S.A., com sede em Sintra. Por vezes há referência a dados de anos anteriores e projecções (compromissos) para os anos vindouros. Estas referências só são feitas no sentido de trazer maior clareza e abran- gência aos dados, uma vez que o período coberto pelo relatório diz respeito apenas ao ano referido. O ciclo de emissões de Relatório será anual, coordenado com o acompanhamento e a análi- se de desempenho das várias actividades da Empresa. Considerou-se como limite deste relatório as actividades que a Empresa desenvolve em Portugal. Ainda que a Pinto & Bentes actue em alguns mercados internacionais, o contributo financeiro destas actividades é muito pequeno comparativamente aos restantes, que, para já, não se vão incluir no âmbito e limite do Relatório. O Perfil mais completo e pormenorizado da Empresa poderá ser entendido nos próximos pontos. A Pinto & Bentes auto-declara este relatório como sendo de nível C, de acordo com as direc- trizes GRI, pelo que no final se apresenta um sumário de conteúdo da GRI (tabela que indi- ca a localização das informações e dos indicadores no relatório). Para mais informações sobre este Relatório contactar: Ana Guerreiro Tel.: 219 248 260 E-mail: anaguerreiro@pintoebentes.com Carla Canseiro Tel.: 219 248 260 E-mail: carlacanseiro@pintoebentes.com Pinto & Bentes, S.A. | Relatório de Sustentabilidade | 2009 -8-
  • 9. Perfil OrganizacionalPercurso da EmpresaConstituída em 1952, a Pinto & Bentes S.A. representa hoje a nível nacional uma das ção de estruturas metálicas galvanizadas para linhas de AT e posteriormente tambémmais antigas e conhecidas Empresas de instalações de infra-estruturas eléctricas. A sua para subestações.actividade teve início com a instalação de linhas eléctricas de baixa tensão (BT) e altatensão (AT) em Portugal Continental e nas Regiões Autónomas da Madeira e dos Açores. Atenta ao seu próprio crescimento, a Empresa tem-se dimensionado e estruturado de acordo com as tendências e exigências do mercado, sendo preocupação dos seus diri-No início da década de 60 a Empresa já registava um crescimento significativo, tendo-se gentes a constante optimização dos processos produtivos e a diversificação dos serviçostornado o primeiro prestador de serviços a trabalhar em regime de empreitada contínua oferecidos. Essa preocupação pode ser ilustrada pelo alargamento da gama dos serviçospara a então CRGE (Companhias Reunidas de Gás e Electricidade), em rede aéreas e em que presta, como a realização de trabalhos em tensão, com início em 1993. Em 2001especial na rede de 60kV, o que denota o reconhecimento dos serviços até então presta- houve uma alteração de accionistas, a que se seguiu uma mudança nos serviços ofereci-dos. Nessa mesma altura é de assinalar o início de um ciclo de execução de obras em dos, com a inclusão de instalação de redes de gás, a montagem integral de subestaçõesÁfrica, nas então designadas Províncias Ultramarinas, assim como o alargamento da acti- e, mais recentemente, instalações de sistemas de microgeração (fotovoltaicos e eólicos).vidade da Empresa, com a construção de Linhas de Muito Alta Tensão (MAT), a fabrica- Constituição da Pinto & Bentes, S.A. - 15 de Novembro de 1952 1952 1990 1995 2000 2005 2010 Início da Implementação do Sistema de Gestão da Qualidade (NP EN ISO 9002:1995) Certificação APCER do Sistema de Gestão da Qualidade (NP EN ISO 9002:1995) Transição para a Norma NP EN ISO 9001:2000 Início da Implementação do Sistema de Gestão de Ambiente e Segurança e Saúde no Trabalho Certificação APCER para os Sistemas de Gestão Ambiental e SST (NP EN ISO 14001:2004 e OHSAS 18001:1999 / NP 4397:2001) Prémio REN: "Mérito na Gestão da Segurança na Construção de Linhas MAT 2008" Adesão ao BCSD Portugal (com efeito a partir do início de 2010) Elaboração e publicação| do primeiro Relatório de Sustentabilidade Pinto & Bentes, S.A. Relatório de Sustentabilidade | 2009 -9-
  • 10. Perfil Organizacional Estrutura A Sede localiza-se em Ouressa, Mem Martins, Sintra, na Avenida Almi- leiros Centrais, localizados na zona Centro de Portugal, para que os rante Gago Coutinho, 161, existindo instalações fixas em Ponte de Sôr, transportes entre Obras e Estaleiro Central fosse agilizados, com meno- Aveiro, Alter do Chão, Vila Nova de Gaia e Barreiro, para além de insta- res custos e consumos de combustíveis, e a consequente melhoria na lações temporárias ou estaleiros móveis de apoio a obra, espalhados prestação de serviços. O primeiro destes Estaleiros Centrais situa-se em pelo país. Ortiga, Mação e o segundo na Anadia. Prevê-se o início do seu funciona- mento durante o ano de 2010. Recentemente a Administração da Empresa decidiu activar novos Esta- Denominação Social: Pinto & Bentes, S.A. E-mail: pb@pintoebentes.pt Web page: www.pintoebentes.pt Instalações: Sede: Avenida Almirante Gago Coutinho, 161, 2725-322 Mem Martins Ponte de Sôr (Escritório e Armazém): Zona Industrial de Ponte de Sôr, Lote 72, 7400 Ponte de Sôr Alter do Chão (Centro de Formação): Avenida Padre José Agostinho Rodrigues, 7440-014 Alter do Chão Aveiro (Escritório): Rua Guerra Abreu, 4, Esguia, 3800-520 Aveiro Vila Nova de Gaia (Escritório): Rua Pêro Vaz de Caminha, 38, 1º Dto. 4400-627 V.N. de Gaia Barreiro (Escritório e Armazém): Rua 46-A – Armazém 5 – Quimiparque 2831-904 Barreiro Futuras Instalações: Anadia (Escritório e Armazém) Ortiga — Mação (Escritório e Armazém) Pinto & Bentes, S.A. | Relatório de Sustentabilidade | 2009 - 10 -
  • 11. Perfil OrganizacionalDistribuição Geográfica Escritório Vila Nova de Gaia Escritório Aveiro Futuras Instalações Anadia Futuras Instalações Ortiga — Mação Escritório e Armazém Ponte de Sôr Sede, Escritório e Armazém Centro de Formação Mem Martins, Sintra Alter-do-Chão Escritório e Armazém Barreiro Pinto & Bentes, S.A. | Relatório de Sustentabilidade | 2009 - 11 -
  • 12. Perfil Organizacional Principais Actividades e Organograma Actualmente, a Pinto & Bentes, S.A. dedica-se à prestação de serviços de: • Telecomunicações; • Construção de infra-estruturas de transporte e distribuição de energia • Projecto e construção de sistemas de energias renováveis. eléctrica; Dispondo ainda de outras áreas de negócio complementares a estas, como a Metalomecâni- • Projecto e construção de subestações; ca e Mecânica Automóvel. • Instalação de redes de distribuição de gás, águas e saneamento; A sua estrutura operacional durante o ano de 2009 dividiu-se nas seguintes áreas de negócio • Execução de trabalhos ferroviários; e respectivos sectores: Administração ADM Gabinete de Área de Gabinete Núcleo Núcleo Núcleo Núcleo Desenv. Área de Negócio Gabinete Qualidade, Área de Negócio de Negócio deSecretariado de Apoio à Administrativo Recursos Aprovisionamento e Infra Autarquias Linhas Muito Alta Jurídico Segurança e Subestações Distribuição SEC Gestão e Financeiro Humanos Logística e Particulares Tensão GJU Ambiente ANSUB Eléctrica GAG NAF NRH NAL NDA ANMAT GQSA ANDIS Qualidade/ Sector Gestão de Sector SEs Dis- Segurança Meios SGM tribuição e Transporte SSD Sector Técnico Formação MAT STMAT Sector SEs Par- MAT ticulares SSP AT Sector Produção MAT 1 SPMAT 1 Sector Produção MAT 2 SPMAT 2 Pinto & Bentes, S.A. | Relatório de Sustentabilidade | 2009 - 12 -
  • 13. Perfil Organizacional Administração ADM Área de Área de Área de Área de Área deÁrea de Área de Área de Área de Área de Negócio de Área de Área de Negócio Negócio Negócio Negócio Gás Negócio Área deNegócio Negócio Negócio Negócio Mecânica e Negócio Negócio Autarquias e Trabalhos Energias Água e Região Negócio TETAlentejo Projecto Telecom Ambiente Metalomecânica Internacional PEC Particulares Ferroviários Renováveis Saneamento Norte ANTETANALT ANPRO ANTEL ANAMB ANMEC ANINT ANPEC ANAPA ANFER ANER ANGAS ANNOR Sector Sector Estruturas Técnico Metálicas SEM TET Sector Manutenção Mecânica SMM Pinto & Bentes, S.A. | Relatório de Sustentabilidade | 2009 - 13 -
  • 14. Perfil Organizacional Licenças, Autorizações e Sistemas de Gestão Implementados e Certificados Tipos de Certificações Referências normativas Benefícios/ Garantias Gestão do modelo de negócio e garantia de Sistema de Gestão da Qualidade ISO 9001 satisfação do Cliente Cumprimento da legislação, prevenção e contro- Sistema de Gestão Ambiental ISO 14001 lo da poluição Sistema de Gestão da Saúde e Segurança no OSHAS 18001 Cumprimento da legislação, prevenção e contro- Trabalho NP 4397 lo dos riscos Cumprimento do regime jurídico de ingresso e Alvará de Construção Decreto-Lei n.º 12/2004 de 9 de Janeiro permanência na actividade da construção Decreto-Lei n.º 178/2006 de 5 de Setembro Alvará de Licença para a Realização de Opera- Cumprimento da legislação relativa à gestão de (incluindo toda a legislação posteriormente ções de Gestão de Resíduos resíduos publicada) Licença de Autorização de Ligação de Utente Cumprimento da legislação relativa à gestão de Regulamento SMAS de Sintra Industrial ao Sistema de Drenagem Municipal águas residuais industriais Decretos-Lei n.º 46/94 de 22 de Fevereiro e n.º Alvará de Licença de Captação de Águas Sub- 236/98 de 1 de Agosto Cumprimento da legislação relativa à utilização terrâneas (incluindo toda a legislação posteriormente do domínio hídrico publicada) Credenciação de Segurança nos graus Nato Gabinete Nacional de Segurança Habilita a Empresa a executar de trabalhos em Confidential, Confidencial e Confidentiel U.E. Decreto-Lei n.º de 170/2007 de 3 de Maio instalações com matérias classificadas Pinto & Bentes, S.A. | Relatório de Sustentabilidade | 2009 - 14 -
  • 15. Perfil Organizacional Durante o ano de 2009, a Pinto & Bentes desenvolveu trabalhos em Portugal, Espanha e Argélia, embora para este relatório e para as questões da sustentabilidade e da área financei- ra apenas sejam consideradas as obras executadas em Portugal. Indicadores Gerais: 2007 2008 2009 Volume Negócios 26 32 30 (Milhões de Euros) Liquidez Geral 1,24 1,55 1,47 Autonomia Financeira 17,8% 15% 15% Solvabilidade 21,6% 17% 17% Resultado Líquido 254 287 173 (Milhares de Euros) 25,0% Mercados Accionistas Egese 2,50% Mercado Nacional 8,6% 2,50% Pedro Galupa Mercado Intracomunitário95% Alípio Magalhães Países Terceiros 8,6% Capital Disperso 57,8% Pinto & Bentes, S.A. | Relatório de Sustentabilidade | 2009 - 15 -
  • 16. E s t r a t é g i a e An á l i s eFace às implicações da actual crise económica global, ainda a desenrolarem-se, assim ticular. É neste contexto que a Pinto & Bentes irá focar toda a sua actuação, definindo,como às grandes alterações a decorrer no enquadramento jurídico europeu, e às políticas objectivos estratégicos adaptados à realidade onde pretende actuar, e as acções quede promoção de novas tecnologias, pode antever-se que o triénio 2010-2012 será um garantam a sua eficaz e eficiente prossecução, de forma a atingir um grau de sustentabili-período de enormes desafios para a sociedade em geral e Empresas energéticas em par- dade e competitividade fundamentais para a continuidade da Empresa.É nossa ambição ser uma Empresa cada vez mais É pretensão da Empresa ser uma referência no univer- A concretização da missão e da visão pressupõe osólida e competitiva, aproveitando o melhor do passa- so onde nos enquadramos, a nível nacional e interna- respeito pelos valores e princípios que identificam a nossa organização e definem de uma forma estável ado, aprendendo com os erros, num processo de aquisi- cional, ambicionando uma melhoria contínua da gestão actuação e relacionamento com os seus stakeholders:ção de experiência, gestão responsável e crescimento dos nossos recursos e meios, na procura da excelên- Responsabilidade, Segurança, Eficiência e Respei-que não comprometa o futuro. Uma Empresa empe- cia de resultados, da qualificação das pessoas e da to.nhada em compreender e melhorar os seus impactos utilização do conhecimento. Dado o elevado grau de risco para a integridade huma-no Ambiente e na Sociedade, de uma forma honesta e na de algumas actividades desenvolvidas, é natural a preocupação crescente pela implementação de pro-aberta, e gerindo deste modo as relações com os seus cessos fiscalizadores que garantam o cumprimento dastakeholders. nossa missão com a máxima responsabilidade e segu- rança. Por outro lado, na sociedade actual, as actividades da Empresa de maior peso no core business manifestam um papel de elevada relevância pois estão directamen- te ligadas a bens de primeira necessidade, pelo que a eficiência e eficácia são valores prioritários para a satisfação dos clientes. A Pinto & Bentes integra o princípio do respeito pelo cumprimento de todos os normativos e regulamenta- ções a que está sujeita. Pinto & Bentes, S.A. | Relatório de Sustentabilidade | 2009 - 16 -
  • 17. E s t r a t é g i a e An á l i s eFactores Críticos de SucessoConsiderando o exposto, reconhece-se a importância e a responsabilidade das activida- A Pinto & Bentes pretende ser uma Empresa prestadora de serviços de referência, procu-des desenvolvidas nas várias vertentes da sociedade, as quais são objecto de uma forte rando continuadamente oferecer aos clientes, nos mercados onde actua, um Produto/regulação governamental, manifestada por abundante legislação – é neste contexto que Serviço de elevada Qualidade, fruto das competências existentes na Empresa.a Pinto & Bentes justifica o princípio do respeito pelo cumprimento de todos os normati-vos e regulamentações a que está sujeita. Um Cliente – Um Parceiro A Pinto & Bentes vê todos, e cada um, dos seus clientes como uma aposta de longo prazo consubstanciada numa relação que se pretende de forte parceria na permanente busca da justa partilha dos ganhos obtidos. Competência dos seus Trabalhadores Ao apostar, não só, no recrutamento e selecção das pessoas mais qualificadas e capazes para o desempenho de cada função, como também na constante formação dos seus quadros, a Pinto & Bentes continua a fomentar a evolução e a aquisição perma- nente de competências profissionais. Capacidade Técnica na Prestação de Serviços A Pinto & Bentes dispõe de equipamentos e tecnologias para responder adequadamente a qualquer pedido, acrescentando, ain- da, uma elevada experiência e conferindo ao seu trabalho o máximo nível de qualidade e fiabilidade. Responsabilidade Social e Ambiental A Pinto & Bentes procura estar à altura da sua responsabilidade perante o meio que a rodeia, não só contribuindo decisiva- mente para melhoria da qualidade de vida de um número crescente de trabalhadores, mas também para o equilíbrio ambiental na prestação dos seus serviços. Pinto & Bentes, S.A. | Relatório de Sustentabilidade | 2009 - 17 -
  • 18. E s t r a t é g i a e An á l i s eIdentificação de Pontos Fortes/Pontos Fracos Pontos Fortes Pontos Fracos • Reputação no core business • Baixa produtividade • Boa dinâmica comercial e alargada rede de contactos • Envelhecimento de algum pessoal executante • Estrutura horizontal – flexibilidade e rapidez na decisão • Reduzida experiência em gestão por parte de algum pessoal dirigente • Boa capacidade de trabalho sob pressão • Deficiente gestão de meios humanos e equipamentos • Inexistência de um sistema informático integrado Oportunidades: Ameaças: • Dependência excessiva de uma única fonte energética (combustíveis fósseis não • Retoma económica renováveis) • Forte investimento público e privado no sector energético • Importação da generalidade da energia consumida • Incentivos governamentais à criação de emprego • Reduzido nível de consumo doméstico, em comparação com outros membros da • Liberalização do mercado energético. União Europeia Pinto & Bentes, S.A. | Relatório de Sustentabilidade | 2009 - 18 -
  • 19. E s t r a t é g i a e An á l i s eObjectivos e Acções Corporativas01. Volume de Negócios Manter o volume de negócios nas áreas do core business e aumentar nas áreas de energias renováveis e telecomunicações.02. Produtividade Aprovar um sistema de melhoria da produtividade, de forma a tornar a estrutura de custos mais flexível, face à actividade da Empresa. É neste contexto que se irá estudar um modelo salarial com uma componente do salário variável, em função dos objectivos atingidos. Preparar uma experiência piloto de empreendedorismo, concedendo aos trabalhadores de determinada área, uma licença sem vencimento de 6 meses, renovável. Durante esse período, serão disponibilizados pela Empresa os meios, viaturas e equipamentos, para incentivar estes trabalhadores a criar as suas próprias Empresas.03. Reestruturar e recuperar Áreas de Negócio Analisar a viabilidade de algumas Áreas de Negócios, com resultados negativos sistemáticos, no sentido de ser conseguida uma recuperação, face à acumulação deficitária com graves consequências para a Empresa.04. Aumento da liquidez da Empresa Definir acções que salvaguardem os fluxos de tesouraria dos clientes.05. Análise e controlo de Gestão Acompanhar e verificar mensalmente a concretização das acções de cada Área de Negócio na obtenção dos objectivos definidos e introdução de correcções necessárias de forma a colmatar os desvios existentes.06. Internacionalização Continuar o esforço de internacionalização no mercado do Magreb.07. Mercado das Telecomunicações Reforçar a actuação neste mercado. Pinto & Bentes, S.A. | Relatório de Sustentabilidade | 2009 - 19 -
  • 20. Governação, Compromisso e Envolvimento Embora o organograma de 2009 (pág. 10) não contemplasse uma Comissão Existem ainda mecanismos para que os nossos trabalhadores façam reco- de Sustentabilidade (entretanto criada), a gestão feita pelo órgão administra- mendações ou dêem sugestões ao órgão de gestão, nomeadamente: tivo baseou-se sempre: • Através do preenchimento do “Inquérito de Consulta aos Traba- lhadores”, que é difundido a todos os trabalhadores duas vezes • Quer nas reuniões que, mensalmente, decorrem com as diferen- por ano; tes Áreas Funcionais de análise de resultados e onde são discu- • Através do preenchimento do formulário “Opiniões e Sugestões” tidos os assuntos específicos das várias Áreas, com especial sempre disponível; incidência em questões económicas, • Comunicando aos respectivos Responsáveis das Áreas Funcio- • Quer nas reuniões, também de cadência mensal, com as Comis- nais; sões da Segurança, Ambiente e Qualidade, onde as diversas • Nas Reuniões das Comissões da Qualidade, Segurança e áreas funcionais estão também representadas. Ambiente. Os principais objectivos destas reuniões são: Especificamente, durante o período coberto pelo Relatório, estes mecanis- mos levaram a: • Dinamizar a evolução dos trabalhos nos diferentes sectores, de maneira a cumprir os objectivos estabelecidos; • Resolução de não-conformidades levantadas, de cariz ambiental • Considerar e analisar as expectativas dos clientes e de outros e social, e respectivas acções correctivas, assim como resolução interessados; de reclamações recebidas; • Acompanhar os progressos, nas áreas da Qualidade, Segurança • Constituição de uma subcomissão com o objectivo de aumentar e Ambiente, divulgando-os internamente; o grau de envolvimento dos trabalhadores nos assuntos da quali- • Propor acções preventivas e correctivas no âmbito do Sistema dade, segurança e ambiente; de Gestão; • Identificação e resolução das necessidades de qualificação pro- • Adequar o sistema de gestão às decisões estratégicas tomadas fissional e formação encontradas; pela Administração; • Tomada de acções a tomar no sentido de diminuir os consumos • Rever periodicamente o Sistema; de energia, combustíveis e de acidentes e incidentes no âmbito • Propor alterações à Política e Objectivos de Gestão da Qualida- da segurança e do ambiente. de, Segurança e Ambiente. Pinto & Bentes, S.A. | Relatório de Sustentabilidade | 2009 - 20 -
  • 21. Governação, Compromisso e EnvolvimentoComissão de Sustentabilidade Gabinete de Qualidade,Para Pinto & Bentes, S.A., que sempre pautou a sua actuação no mercado pela Segurança e Ambientetomada da dianteira na utilização das melhores práticas em termos de qualidade, GQSAsegurança e ambiente, a inclusão efectiva da Sustentabilidade na gestão da Empre-sa, foi um processo simples e linear. Segurança / AmbienteA Comissão de Sustentabilidade, entretanto criada, foi formada com o intuito deobter vários inputs de diferentes áreas da Empresa, de forma a enriquecer o mais Formaçãopossível o trabalho. Os elementos constituintes durante o período deste Relatórioforam: Ana Guerreiro (Gab. Qualid. Seg. e Amb.), André Sousa (Gás, Águas e Organograma 2009:Saneamento), Carla Canseiro (Núcleo Desenv. Autarquias e Particulares), CarlosMazzetti (Subestações, delegação de Aveiro), Cristina Martins (Gab. Qualid. Seg. eAmb.), Helder Godinho (Gás, Águas e Saneamento), Jaime Branco (Núcleo deAprovisionamento e Logística, e Mecânica e Metalomecânica), Jonathan Bandeira Organograma 2010:(Administrativo e Financeiro), Pedro Carvalho (Subestações), Ricardo Bentes (Gab.Qualid. Seg. e Amb.), Ricardo Farinha (Empreitada Contínua), Vânia Fernandes Gabinete de Qualidade, Administração(Alta e Muito Alta Tensão) e Vasco Tavares (Internacional). ADM Segurança e Ambiente GQSAA Comissão reuniu várias vezes durante todo o processo, nas suas diferentesfases. Isto permitiu recolher informações e ideias, válidas não só para a elaboração Qualidade e Segurançado documento em si, mas também para a implementação de soluções para ques-tões que se foram levantando com o processo de análise da Empresa. Permitiu Comissão daigualmente que o trabalho fosse distribuído de acordo com as competências dos Ambiente e Sustentabilidade Sustentabilidadeseus elementos, aproveitando conhecimentos e experiências. Foi um trabalho deequipa muito válido, benéfico e muito proveitoso. Formação e Respons. Social Pinto & Bentes, S.A. | Relatório de Sustentabilidade | 2009 - 21 -
  • 22. Relacionamento com Stakeholders Tendo em conta a rede de pessoas e empresas que interagem com a Pinto & Bentes, e após a sua priorização, considerámos 9 grupos de stakeholders. Ou seja, a partir da longa lista de pessoas e grupos que considerámos serem, de alguma forma, influenciados e/ou controlados pela nossa Empresa ou capazes de nos influenciar/controlar, tentámos perceber em que situações essa influência era de facto significativa. Neste processo adaptámos a Tabela de Priorização da GRI à nossa realidade. O resultado foi o seguinte: Mesmo tendo em conta que já existiam alguns instru- mentos de interacção e comunicação para certos stake- holders (como por exemplo os inquéritos à satisfação de clientes, inquéritos de consulta aos trabalhadores), Clientes foram criados inquéritos específicos para auscultar as principais preocupações em termos de sustentabilidade Fornecedores Trabalhadores dos referidos 9 grupos. No caso dos trabalhadores da Empresa, foi selecciona- do um número de indivíduos (amostragem com um grau de confiança de 85%) para responder a um inqué- rito específico, distribuído e recolhido em mão. Prestadores de Subempreiteiros Serviços Pinto Para os restantes stakeholders os inquéritos foram & entregues e recebidos por e-mail. Em alguns casos, Bentes recorreu-se a um contacto telefónico prévio e a um acompanhamento posterior por parte da Comissão de Sustentabilidade. Tendo em conta que esta Comissão é composta por pessoas das principais áreas de negócio Concorrentes Banca da Empresa, beneficiou-se, sempre que possível, das relações privilegiadas existentes entre estas e os stake- holders. Governo Seguradoras As principais questões levantadas foram comuns à maior parte dos grupos, mas as especificidades das perspectivas diferentes foram um contributo válido, originando um conjunto de dez indicadores que iremos relatar (ver página 51). Pinto & Bentes, S.A. | Relatório de Sustentabilidade | 2009 - 22 -
  • 23. Relacionamento com StakeholdersCompromissos com Iniciativas ExternasPara além do resultado da auscultação aos stakeholders o nosso relato pretende igualmente dar resposta às expectativas das entidades de referência (em diversas áreas) deque fazemos parte ou com que colaboramos.Do Sector da ConstruçãoAPIEE A APIEE, Associação Portuguesa dos Industriais de Engenharia Energética, é uma Associação sem fins lucrativos que agrupa industriais de engenharia eléctrica, gás e telecomunicações. Tem em vista a defesa dos interesses comuns dos Associados, a sua promoção e real- ce junto das entidades públicas e privadas. A P&B é sócia efectiva (n.º 005) da APIEE desde 30 de Setembro 1996SustentabilidadeBCSD Portugal O BCSD Portugal – Conselho Empresarial para o Desenvolvimento Sustentável é uma associação sem fins lucrativos, criada em Outubro de 2001, cuja missão principal é fazer com que a liderança empresarial seja catalisadora de uma mudança rumo ao Desenvolvimento Sus- tentável e promover nas Empresas a eco-eficiência, a inovação e a responsabilidade social. Propusemos a nossa entrada no final de 2009ParceriasAramus É uma Empresa dedicada à prestação e gestão de serviços de manutenção integral de instalações, sistemas e equipamentos – facilities – e de outros serviços técnicos de suporte à actividade central dos clientes empresariais. A P&B colabora com a Aramus desde 2004Gasfomento A Gasfomento é uma Empresa com actividades no âmbito da Eficiência Energética, Energia Solar e Serviços Gasistas. A P&B colabora com a Gasfomento desde 2006Postejo A Postejo é uma Empresa que se dedica à fabricação de postes de betão para linhas eléctricas A P&B colabora com a Postejo desde 2001CertificaçãoGabinete O Gabinete Nacional de Segurança, através da Autoridade Nacional de Segurança, nos moldes do Decreto-Lei n.º 170/2007, credenciouNacional de a Pinto & Bentes nos graus de segurança Nato Confidential, Confidencial e Confidentiel U.E., habilitando-a à realização de trabalhos emSegurança instalações contendo matérias classificadas. A P&B é certificada pelo Gabinete Nacional de Segurança desde 2008. Pinto & Bentes, S.A. | Relatório de Sustentabilidade | 2009 - 23 -
  • 24. Ac t u a ç ã o S u s t e n t á v e l d a E m p r e s a Desempenho Económico O Desempenho Económico de uma Empresa é um dos três pilares fun- Da análise aos resultados da consulta aos stakeholders, conclui-se que damentais da Sustentabilidade, juntamente com o Desempenho Ambien- os indicadores económicos não foram dos aspectos mais referidos. tal e o Desempenho Social, descritos mais à frente. Questões relacionadas com o Desempenho Ambiental e o Social foram indicadas prioritariamente. De acordo com cumprimento dos requisitos Logicamente, uma Empresa Sustentável deverá ser económica e finan- G3 da GRI, optou-se por relatar o Valor Económico Directo Gerado e ceiramente saudável, caso contrário poderá pôr em risco a sua existên- Distribuído (EVG&D), que se acredita darem uma imagem completa e cia e a dos elementos que integram a sua cadeia de valor. adequada do Desempenho Económico da Pinto & Bentes. No difícil contexto económico actual, os indicadores de cariz económico É importante referir que alguns parâmetros apresentam dados de vários traduzem naturalmente as dificuldades que as Empresas, em geral, atra- anos, para que se consiga uma imagem mais completa da progressão vessam. A Pinto & Bentes, que nos últimos anos tem demonstrado um dos aspectos económicos. Os dados dos anos anteriores são dados bom desempenho, está a efectuar um reposicionamento e uma reestru- fechados, auditados e confirmados. Os dados do ano 2009 ainda não turação interna que permita reforçar a Empresa em todas as suas áreas são definitivos. No próximo ciclo serão apresentados os dados após con- de negócio, com base nos nossos valores de Responsabilidade, Segu- firmação final, que poderão apresentar algumas diferenças decorrentes rança, Eficiência e Respeito. do processo de fecho; mas, actualmente são estes os dados disponíveis referentes ao ciclo de relato e serão estes que servirão como referência. Pinto & Bentes, S.A. | Relatório de Sustentabilidade | 2009 - 24 -
  • 25. Ac t u a ç ã o S u s t e n t á v e l d a E m p r e s aVendas LíquidasNos últimos 3 anos a Pinto & Bentes tem vindo a ter uma evolução positiva em grande parte devido às limitações do desenvolvimento da economia nacional etermos de volume de negócios. Em 2009 atingiu cerca de 30 Milhões de Euros de mundial, em particular o sector da construção sofreu uma quebra acentuada, comvendas, apesar de uma ligeira redução comparativamente com o ano anterior, em consequência ao nível das infra-estruturas. Vendas Líquidas (Milhões de Euros) EBITDA (Milhões de Euros) Resultados Lí quidos ( M ilhares de Euros ) 288 254 32,6 30,2 27,3 1,7 1,5 173 1,3 2007 2008 2009 2007 2008 2009 2007 2008 2009 Pinto & Bentes, S.A. | Relatório de Sustentabilidade | 2009 - 25 -
  • 26. Ac t u a ç ã o S u s t e n t á v e l d a E m p r e s a Distribuição da Produção Analisando a distribuição de produção pelas áreas de negócio da to das áreas da Empreitada Contínua e da Distribuição, que consti- Pinto & Bentes verifica-se que área de Muito Alta Tensão representa tuem uma elevada quota de produção. De destacar a aposta na uma parte significativa da produção da Empresa, resultado da aposta diversificação do negócio, em áreas como o Gás e Saneamento, na melhor utilização do know-how, dos meios e da alta especializa- Obras de Autarquias e Particulares e Subestações, que já represen- ção de mais de 57 anos de história nesta área. De realçar o contribu- tam uma percentagem interessante. Distribuição da Produção 6,7% 30,3% Gás, Águas e Saneamento 6,9% Distribuição Eléctrica Trabalhos em Tensão 2,3% Área de Negócio Alentejo Autarquias e Particulares Alta e Muito Alta Tensão 10,1% Projecto Subestações 1,8% Área de Negócio Região Norte 3,5% Metalomecânica e Mecânica Automóvel Telecomunicações 6,6% 1,6% Trabalhos Ferroviários 1,8% Energias Renováveis 5,0% 5,0% Internacional 1,2% Empreitada Contínua 0,7% 0,5% Outros 15,9% Pinto & Bentes, S.A. | Relatório de Sustentabilidade | 2009 - 26 -
  • 27. Ac t u a ç ã o S u s t e n t á v e l d a E m p r e s aValor Económico DistribuídoA Pinto & Bentes directa e indirectamente distribui valor acrescentado pelos um elevado número de pessoas que se relacionam com a Empresa.fornecedores nacionais e trabalhadores da Empresa alcançando desta forma Custos com Pessoal Fornecim entos e Serviços Externos Investim entos Im posto sobre o Rendim ento (Milhares de Euros) (Milhares de Euros) (Milhares de Euros) (Milhares de Euros) 184 7,0 7,5 7,8 1.663 25,8 129 132 20,7 20,3 765 221 2007 2008 2009 2007 2008 2009 2007 2008 2009 2007 2008 2009IndicadoresOs principais indicadores de performance apresentados indicam umaevolução positiva, revelando uma maior solidez da Empresa. EBITDA/Vendas Autonom ia Financeira Cobertura do Im obilizado 5,6% 5,3% 4,5% 3,7 4,0 17,8% 14,7% 14,6% 2,1 2007 2008 2009 2007 2008 2009 2007 2008 2009 Pinto & Bentes, S.A. | Relatório de Sustentabilidade | 2009 - 27 -
  • 28. Ac t u a ç ã o S u s t e n t á v e l d a E m p r e s a D e s e m p e n h o Am b i e n t a l As preocupações ambientais já não são uma novidade. Nos dias de hoje ambiental, informadas, e que se alinham e motivam por é impossível não existir uma consciência dos problemas e das medidas Empresas ambientalmente responsáveis. a tomar para uma redução ou mesmo eliminação dos impactos causa- • Melhorias ambientais podem levar à implementação de dos pelas várias actividades, quer seja pela informação disponível, quer soluções inovadoras. pela legislação publicada, que tende a ser cada vez mais rigorosa. • Descoberta de novos mercados. Muitas vezes as imposições legais são vistas apenas como exigências Da consulta aos stakeholders, juntamente com o processo de identificação que implicam investimentos e, consequentemente, acréscimos de cus- dos Aspectos Ambientais e avaliação dos Impactes Ambientais, chegámos tos. No entanto, é importante reconhecer que as melhorias ambientais, aos principais impactos decorrentes das actividades desenvolvidas pela Pinto tanto as impostas, como as realizadas por iniciativa própria, se traduzem & Bentes. São estes os impactos que nos interessa primeiramente medir, quase sempre em ganhos: controlar e melhorar. Os indicadores escolhidos estão directamente relaciona- dos com os principais impactos, com o objectivo de nos auxiliar na sua moni- • Benefícios económicos – poupança de recursos e mate- torização, e no processo da sua gradual melhoria. riais promovidos por questões ambientais levam a meno- res custos operacionais e à optimização de linhas de pro- dução. O simples facto de se disponibilizar informação concreta, por • Redução de riscos e benefícios fiscais – o incumprimento exemplo dados de consumos de recursos, leva a uma consciencia- de legislação ambiental pode levar a penalizações, coi- lização e a uma mudança de atitude. É o chamado o “Efeito Prius” mas, perdas de certificações, que fragilizam grandemente – ao conduzir o automóvel híbrido da Toyota, o condutor consegue uma Empresa. verificar em tempo real quais os consumos efectuados, ficando • Resposta a pressões colocadas através da cadeia de valor consciente dos efeitos dos seus hábitos de condução, e de como e por outros stakeholders, e melhoria da imagem da ajustá-los, competindo consigo próprio para baixar os consumos. Empresa. Não se consegue mudar o que não se conhece, ou gerir o • Atracção e manutenção dos melhores trabalhadores nas que não se mede. Daí ser tão importante a concretização real em Empresas – pessoas que têm elevada consciência valores, dos impactos ambientais. Pinto & Bentes, S.A. | Relatório de Sustentabilidade | 2009 - 28 -
  • 29. Ac t u a ç ã o S u s t e n t á v e l d a E m p r e s aProdução de Gases de Efeito de EstufaA actividade da Pinto & Bentes distribui-se actualmente por Portugal continental, e tam- Assim optou-se por relatar os indicadores EN16 e EN17 na mesma alínea, por transmitirbém por mercados internacionais, que, dada a dimensão do seu contributo estão fora do uma quantificação mais completa e correcta deste, que pode ser considerado como oâmbito deste Relatório. A produção de Gases de Efeito de Estufa (GEE’s) é, em primei- principal impacto ambiental da Empresa.ro lugar, resultado da necessidade de deslocações entre os Estaleiros Centrais(localizados nas instalações de Ouressa/ Sintra, Barreiro e Ponte de Sôr) e os diferentesEstaleiros Temporários, para transporte de máquinas, equipamentos, materiais e resí- Total de Emissões Directas e Indirectas de Gases Causadores deduos produzidos, operações essenciais à execução das Obras. E, claro, também de Efeito de Estufa, por Peso (toneladas de CO2 equivalente)mão-de-obra. Ou seja, o transporte e o consequente consumo de combustíveis fósseis,é o principal responsável pelas emissões directas de GEE’s. O funcionamento dasmáquinas e alguns equipamentos deverá ser também quantificado, pois os seus consu- Emissões Directas de Gases de Efeito de Estufa de todas as fontes da propriedade damos ainda são consideráveis e, uma vez que o seu trabalho resulta sobretudo de opera- Empresações de transporte de materiais, produtos ou resíduos, considera-se lógico a sua inclu- Transporte de materiais, produtos e resíduos 1 306, 479 ton de CO2 eqsão no cálculo das emissões directas de GEE’s. Funcionamento de Máquinas e Equipamentos 91, 220 ton de CO2 eqHá também que contabilizar o processo de consumo de combustíveis da estufa de pin- Consumo de Combustível pela Estufa de Pintura 2, 075 ton de CO2 eqtura, embora estes valores sejam muito inferiores comparativamente aos primeiros. Outros processos de combustão (forja) não quantificadoNa categoria fontes de emissão directas de GEE’s pode ainda ser referido o processode combustão da forja da Oficina de Serralharia; no entanto, a sua utilização é tão resi- Emissões Indirectas de Gases de Efeito de Estufa resultantes da Geração de Electricidadedual (em 2009 trabalhou apenas 37 horas) e tão difícil de contabilizar (pelo uso de car- Comprada:vão mineral, cujas emissões resultantes não são axiomáticas), que optámos por não aincluir nestes cálculos. Instalações (armazéns, escritórios, oficinas) e Estaleiros Centrais (EC) Estaleiros Móveis (EM) – obras cuja duração prolongou-se durante todo o período aAs emissões indirectas, também consideráveis causadores de emissões de GEE’s, que que se refere o Relatório (2009)no caso da Pinto & Bentes resultam da geração de electricidade comprada, ou seja oconsumo de electricidade adquirida à EDP. 147, 252 ton CO2 equivalente Pinto & Bentes, S.A. | Relatório de Sustentabilidade | 2009 - 29 -
  • 30. Ac t u a ç ã o S u s t e n t á v e l d a E m p r e s a Os valores de dióxido de carbono equivalente das emissões directas What is the GHG Protocol? foram obtidos com base em dados específicos da Empresa (os consu- mos de combustível referentes ao ano de 2009), utilizando como The Greenhouse Gas Protocol (GHG Protocol) is the most metodologia a especificada no Greenhouse Gas Protocol (GHG Proto- widely used international accounting tool for government and business leaders to understand, quantify, and manage col), assim como as suas ferramentas de cálculo disponíveis em greenhouse gas emissions. A decade-long partnership www.ghgprotocol.org. between the World Resources Institute (WRI) and the World Business Council for Sustainable Development (WBCSD), the Já as emissões indirectas foram calculadas por estimativa, com base GHG Protocol is working with businesses, governments, and environmental groups around the world to build a new nas informações facilitadas pela EDP Serviço Universal, na Tabela de generation of credible and effective programs for tackling Emissões Associadas a Consumos Médios Anuais presente no seu climate change. folheto informativo intitulado “Rotulagem de Energia Eléctrica”. Para o In “About the GHG Protocol” em www.ghgprotocol.org próximo Relatório esta informação será calculada de forma diferente, pois a partir de Maio de 2009 a EDP passou a informar os seus consu- midores quanto às quantidades de CO2 e outros gases de efeito de estufa emitidas, com base nas fontes de energia utilizadas. Assim, este cálculo, no futuro, resultará de valores mais directos. Total de Emissões Directas e Indirectas de Gases Causadores de Efeito de Estufa: 1 547, 026 ton CO2 equivalentes Pinto & Bentes, S.A. | Relatório de Sustentabilidade | 2009 - 30 -
  • 31. Ac t u a ç ã o S u s t e n t á v e l d a E m p r e s a Outras Emissões Indirectas Relevantes de Gases Causadores de Efeito de Estufa, por Peso (toneladas de CO2 equivalente)No caso concreto da Pinto & Bentes, os valores deste Indicador não serão maioresdo que os do Indicador anterior. No entanto, a sua ordem de grandeza relativa ésuficientemente elevada para o controle da emissão de GEE’s. Para além dos aspectos já mencionados (logística do transporte de máquinas,Emissões Directas de Gases de Efeito de Estufa de todas as fontes da propriedade equipamentos, materiais e mão-de-obra, funcionamento de máquinas e equi-da Empresa pamentos, incluindo a estufa de pintura e consumos de electricidade), há que Outras Emissões Indirectas – Transporte de empregados considerar outros aspectos importantes que contribuem para estes valores: a 390, 645 ton de CO2 equivalente frota da Empresa é, no geral, bastante antiga, o que leva a que os consumos sejam mais elevados; por outro lado, ainda que muitas das equipas de traba-Estas emissões perfazem 25% do valor anterior, o que pode ser considerado um lhadores permaneçam hospedados durante a semana em locais próximos davalor relevante. Obra, por não compensar as deslocações diárias a partir e para as suas resi- dências, existem sempre as deslocações no início e fim da semana. Foram já Total de Outras Emissões Indirectas Relevantes de Gases Causadores de preconizadas medidas a tomar para minimizar este impacto, conforme se Efeito de Estufa: 390, 645 ton de CO2 equivalente pode verificar na tabela abaixo. Objectivo Meta Métrica Acções Data de início Data de fim Controlar os consumos de combustíveis na frota automóvel, máquinas 01-01-2010 31-03-2010 e equipamentos Acções de Informação/ Sensibilização 01-06-2010 31-12-2010 Manutenção dos equipamentos 01-01-2010 31-12-2010 Reduzir o Consumo de Reduzir em 5% o con- ton de CO2 equiva- Combustíveis sumo de combustíveis lentes Se necessário (se acções anteriores não resultarem) Acção de forma- NA NA ção em Condução Ecológica Se necessário (se acções anteriores não resultarem) criar Sistema de NA NA Penalizações aplicável aos trabalhadores Pinto & Bentes, S.A. | Relatório de Sustentabilidade | 2009 - 31 -
  • 32. Ac t u a ç ã o S u s t e n t á v e l d a E m p r e s a Gestão de Resíduos Ainda que a principal actividade da Pinto & Bentes seja a prestação de ser- Peso Total de Resíduos, por Método e viços, e como tal não se classifique como Produtor de Resíduos, de acordo Tipo de Disposição com as definições da legislação em vigor, não tendo muitas vezes a respon- sabilidade formal sobre os mesmos, tem uma responsabilidade prática na As quantidades de resíduos gerados estão apresentadas no quadro seguinte, sua gestão (produção, recolha, armazenamento temporário e encaminha- por toneladas de grupos de Resíduos. Apresentam-se os dados desde 2007, mento para Operadores Licenciados). para um histórico mais completo das operações. Estão classificados por códi- go LER, de acordo com a Lista Europeia de Resíduos, transposta para o A produção de Resíduos decorrentes das actividades, a nossa responsabili- Direito Nacional através da Portaria n.º 209/2004, de 3 de Março. A entrega a dade e a necessidade de optimizar o processo do fluxo de resíduos, levou- Operadores é normalmente para operações de Reciclagem, ou de Armazena- nos à obtenção do Alvará de Licença para a Realização de Operações de mento Temporário nas suas instalações. Esta informação é obtida na terceira Gestão de Resíduos em 2007, para Armazenagem Temporária de Resí- via da Guia de Acompanhamento de Resíduos (Modelo A), via que é remetida duos. Com este Alvará é-nos permitido a recolha e armazenamento tempo- ao Produtor e onde é especificado pelo Operador a operação a realizar, con- rário dos resíduos produzidos, que são transportados das diferentes Obras forme legislação aplicável. para os Estaleiros Centrais de Ouressa e Ponte de Sôr, e posteriormente, quando armazenadas quantidades suficientes, entregues a Operadores A obtenção do Alvará de Licença para a Realização de Opera- Licenciados, segundo o esquema: ções de Gestão de Resíduos, para Armazenagem Temporária de Resíduos implicou a inscrição no SIRAPA – Sistema Inte- grado de Registo da Agência Portuguesa do Ambiente. OBRA “Através do SIRAPA a Agência Portuguesa do Ambiente pro- OPERADOR LICENCIADO porciona uma plataforma de comunicação com as entidades OBRA ESTALEIRO CENTRAL clientes e parceiras no âmbito dos vários enquadramentos ambientais, nomeadamente a gestão de resíduos. O sistema OPERADOR LICENCIADO visa a integração da informação de forma normalizada, facul- OBRA tando um conjunto de serviços aos seus utilizadores, que irá crescendo à medida que o sistema evolua e se consolide. Armazenamento Encaminhamento para Produção Recolha Através do SIRAPA as entidades registadas poderão vir a sub- Temporário Operadores Licenciados meter a informação ambiental a que estão obrigadas pela lei, efectuar pedidos de informação ou de licenciamento e consul- tar o estado da sua resolução ou resposta, aceder à sua infor- mação sobre pagamentos.” In http://www.apambiente.pt Pinto & Bentes, S.A. | Relatório de Sustentabilidade | 2009 - 32 -
  • 33. Ac t u a ç ã o S u s t e n t á v e l d a E m p r e s a Quantidade (ton) Código 2007 2008 2009 Grupo de Resíduo – descrição 08 01 0,142 0,092 0,110 Resíduos do Fabrico, Formulação, Distribuição, Utilização e Remoção de tintas e vernizes 13 02 6,000 0,320 0,320 Óleos de motores, transmissões e lubrificação usados 13 05 9,300 7,940 21,200 Conteúdo de separadores de óleo/ água 14 06 0,153 0,169 0,184 Resíduos de solventes, e fluidos de refrigeração e gases propulsores orgânicos 15 01 6,000 11,440 8,903 Embalagens (incluindo resíduos urbano e equiparados de embalagens, recolhidos separadamente) 15 02 1,010 0,072 1,178 Absorventes, materiais filtrantes, panos de limpeza, e vestuário de protecção Veículos em fim de vida de diferentes meios de transporte (incluindo máquinas de todo o terreno) e resíduos 16 01 7,174 3,040 6,763 de desmantelamento de VFVs e da manutenção de veículos 16 02 0,000 0,180 0,121 Resíduos de equipamentos eléctricos e electrónicos 16 06 0,950 0,720 0,770 Pilhas e acumuladores 17 01 4,000 0,000 0,000 Betão, tijolos, ladrilhos, telhas e materiais cerâmicos 17 02 2,940 0,000 0,000 Madeira, vidro e plástico 17 04 79,900 32,980 23,200 Metais (incluindo ligas) 20 01 62,917 47,987 54,850 Fracções recolhidas selectivamente 20 02 0,000 76,150 1,560 Resíduos de Jardins e Parques 20 03 0,530 0,478 2,535 Outros resíduos urbanos e equiparados (ex. monstros) Código LER ResíduoAs diferenças nas quantidades dos Grupos de Resíduos Resíduos da remoção de tintas e vernizes contendo solventes orgânicos ou outras substâncias peri- 08 01 17*nos vários anos prendem-se com os tipos de Obras reali- gosas 13 02 08* Outros óleos de motores, transmissões e lubrificaçãozados, que variam de ano para ano. 13 05 02* Lamas provenientes dos separadores de óleo/águaNa Lista Europeia de Resíduos identificam-se os resíduos 13 05 08* Misturas de resíduos provenientes de desarenadores e de separadores óleo/água 14 06 03* Outros solventes e mistura de solventesconsiderados perigosos com a simbologia «*» a seguir 15 01 10* Embalagens contendo ou contaminadas por resíduos de substâncias perigosasaos números do código, de acordo com critérios estabele- Absorventes, materiais filtrantes (incluindo filtros de óleo não anteriormente especificados), anos de 15 02 02*cidos na Directiva 91/689/CEE relativa a resíduos perigo- limpeza e vestuário de protecção, contaminados com substâncias perigosassos. Como na tabela estão apresentados por grupo de 16 01 07* Filtros de óleoresíduos, é especificado de seguida que Resíduos Peri- 16 01 14* Fluidos anticongelantes contendo substâncias perigosas 16 06 01* Acumuladores de chumbogosos foram já incluídos na gestão da Pinto & Bentes. 16 07 08* Resíduos contendo hidrocarbonetos 20 01 21* Lâmpadas Fluorescentes e outros resíduos contendo mercúrio Equipamento eléctrico e electrónico (REEEs) fora de uso não abrangido em 20 01 21 ou 20 01 23 Pinto & Bentes, S.A. | Relatório de Sustentabilidade | 2009 20 01 35* contendo componentes perigosos - 33 -
  • 34. Ac t u a ç ã o S u s t e n t á v e l d a E m p r e s aPara uma ainda maior agilização do processo de Gestão de Resíduos, para além do enquadramento dado em obra pelos nossos principais clientes, temos como Objectivo: Objectivo Meta Métrica Acções Data de início Data de fim Implementar utilização de Plano de Prevenção e Gestão de Resí- duos de Construção e Demolição nas Obras 01-01-2010 31-08-2010 Criar Regulamento Interno com regras para depósito de Resíduos e Materiais no espaço exterior das instalações de Ouressa 01-01-2010 31-01-2010 Aumentar a entrega de Aumentar em 5% a entrega de Resí- Resíduos a Operadores duos a Operadores de Gestão de ton ou m3 Manter actualizado o Registo de Guias de Acompanhamento de de Gestão de Resíduos Resíduos Licenciados Resíduos (Modelo A) e Guias de Acompanhamento de RCD (de 01-01-2010 31-03-2010 Licenciados acordo com a Portaria n.º 417/2008) e o Registo MIRR no SIRAPA Pagamento da taxa de gestão de resíduos (TGR) 01-01-2010 30-04-2010 Acções de Informação/ Sensibilização 01-01-2010 31-12-2010Derrames Acidentais de Produtos Químicos PerigososO termo “Produtos Químicos Perigosos” é utilizado para designar todos os produtos quí- Os derrames acidentais que acontecem podem ter vários impactos:micos que tenham alguma perigosidade, para a saúde humana ou para o ambiente. É • Afectações da saúde humana (irritações da pele e vias respiratórias, quei-um termo que entrou no vocabulário comum da Segurança e Higiene no Trabalho, a par- maduras, lesões oculares, envenenamento, etc.)tir da definição encontrada na Legislação (Portaria n.º 732-A/96, de 11 de Dezembro e • Contaminação dos Solos, de Recursos Hídricos;Decreto-Lei n.º 82/2003, de 23 de Abril). • Entrada na cadeia alimentar, contaminando Fauna e Flora.No caso da Pinto & Bentes, Produtos Químicos Perigosos podem ser encontrados emquase todas as actividades, pois classificam-se produtos desde lubrificantes e óleos,tintas, diluentes, até à acetona. Pinto & Bentes, S.A. | Relatório de Sustentabilidade | 2009 - 34 -
  • 35. Ac t u a ç ã o S u s t e n t á v e l d a E m p r e s a Total de Derramamentos Significativos, pois os acidentes não apresentam uma dimensão Número e Volume Total de Derramamentos Significativos que justifique, por exemplo, uma declaração às entidades ambientais responsáveis, como a APA (Agência Portuguesa do Ambiente), são, para a Empresa, uma questão importan- te, identificada como Aspecto Ambiental Significativo, que importa controlar. Aproveitando o impulso do Relatório de Sustentabilidade e a existência específica deste Indicador,Felizmente os acidentes que têm ocorrido, são sempre de pequenas quantidades de resolvemos implementar um sistema para o registo e controle dos Derrames Acidentaissubstâncias químicas, mas infelizmente são bastante comuns. São causados sobretudo de Produtos Químicos Perigosos, quantificar os resultados obtidos no final do ciclo anual,por erro humano ou por falha no funcionamento de máquinas, equipamentos ou viaturas. para que, por altura da publicação do próximo Relatório seja possível ter valores, objecti-Assim, não cumprindo exactamente os requisitos do Indicador EN23 – Número e Volume vos e metas mais concretos. Objectivo Meta Métrica Acções Data de início Data de fim NA Criar registo para relatar ocorrências 01-01-2010 31-12-2010 Implementar Metodologia para Controlo N.º de registos Implementar uso do registo de ocorrências (acompanhamento em 01-01-2010 31-12-2010 das ocorrências entregues Obra e nas Reuniões das Comissões) N.º de registos Quantificar quantidades durante o ano de implementação 01-01-2010 31-12-2010 entregues Diminuir/ Eliminar os derrames nos equi- Entregar os equipamentos parqueados que se podem classificar pamentos parqueados nas instalações de l ou m3 01-01-2010 31-03-2010 como resíduos a Operadores de Gestão de Resíduos Licenciados Reduzir/ Controlar Der- Ouressa rames Acidentais de Formação ambientalProdutos Químicos Peri- gosos Sensibilização em obra Reduzir as quantidades de produtos l ou m3 Acompanhamento nas Reuniões das Comissões 01-01-2011 31-12-2011 químicos perigosos derramados Falhas de máquinas, equipamentos e viaturas: informar a Oficina de avarias Formação ambiental Reduzir as quantidades de meios afecta- l ou m3 Sensibilização em obra 01-01-2011 31-12-2011 dos (solos, água, outros) Acompanhamento nas Reuniões das Comissões Outros Compromissos, Objectivos e Metas associados: Temos, para o nosso futuro próximo, mais Objectivos e Metas a cumprir. Assumindo o verificar na tabela da página seguinte. Mas, para além destes, no capítulo Compromissos, compromisso de um Relatório de nível B, daqui a dois ciclos anuais, queremos já come- Objectivos e Metas, referimos outros Indicadores importantes, que queremos ver geridos çar, gradualmente, a trabalhar para o conseguir. Vamos começar pelas preocupações já no futuro da Pinto & Bentes. identificadas, que se podem associar inclusive a Indicadores da GRI, conforme se pode Pinto & Bentes, S.A. | Relatório de Sustentabilidade | 2009 - 35 -
  • 36. Ac t u a ç ã o S u s t e n t á v e l d a E m p r e s a Objectivo Meta Métrica Acções Data de início Data de fim Controlar os consumos de combustíveis na frota automóvel, máquinas 01-01-2010 31-03-2010 e equipamentosReduzir o Consumo de Acções de Informação/ Sensibilização 01-06-2010 31-12-2010 Combustíveis Reduzir em 5% o consumo de Manutenção dos equipamentos 01-01-2010 31-12-2010 CO2 equivalentes Indicador EN29 combustíveis Se necessário (se acções anteriores não resultarem) Acção de forma- NA NA ção em Condução Ecológica Se necessário (se acções anteriores não resultarem) criar sistema de NA NA Penalizações aplicável aos trabalhadores Organizar/ separar e identificar Criar Regulamento Interno com regras para depósito de Resíduos e Organização/ Limpeza resíduos temporariamente arma- NA 01-01-2010 31-01-2010 Materiais no espaço exterior das instalações de Ouressa do Estaleiro Geral das zenadosInstalações de Ouressa Identificar Resíduos temporários e Materiais 01-01-2010 31-12-2010 Indicador EN26 Operação de Limpeza Horas x Homem Organizar, arrumar e identificar 01-01-2010 31-12-2010 Entregas Resíduos a Operadores de Gestão de Resíduos Licenciados 01-01-2010 31-12-2010 Reduzir o Consumo de Sensibilização dos trabalhadores para boas práticas de poupança de Energia Eléctrica em 01-01-2010 31-12-2010 energia eléctricatodas as Instalações da Reduzir em 7,5% o consumo de Empresa kwH energia eléctrica Instalar um regulador de fluxo da IP e substituir baterias de condensa- 01-01-2010 31-12-2010Indicador EN7 + EN3 + dores nas instalações de Ouressa EN4 Reduzir o Consumo de Água (da rede e/ou dofuro) em todas as Insta- Reduzir em 5% o consumo de Sensibilização dos trabalhadores para boas práticas de poupança de l 01-01-2010 31-12-2010 lações da Empresa água água Indicador EN8 Pinto & Bentes, S.A. | Relatório de Sustentabilidade | 2009 - 36 -
  • 37. Ac t u a ç ã o S u s t e n t á v e l d a E m p r e s a Objectivo Meta Métrica Acções Data de início Data de fim Altura das chaminés NA Manutenção da altura das chaminés 11-03-2009 11-03-2011Monitorização de Efluen- Isenção de monitorização dos NA Manutenção das actuais condições de funcionamento 11-03-2009 11-03-2011 tes Gasosos efluentes da forja Monitorização de 3 em 3 anos Indicador EN18 dos efluentes dos sistemas de vários parâmetros Manutenção das actuais condições de funcionamento 11-03-2009 11-03-2011 exaustão das oficinas Diminuição das Não Conformida- des Ambientais decorrentes do N.º de Não Conformi- Identificação da Legislação Ambiental aplicável e implementação dos Diminuição das Não 01-01-2010 31-12-2010 incumprimento da Legislação dades seus requisitosConformidades Ambien- Aplicável tais Indicador EN28 Diminuição das Não Conformida- N.º de Não Conformi- des Ambientais decorrentes das Formação Ambiental em Obra 01-01-2010 31-12-2010 dades Obras Pinto & Bentes, S.A. | Relatório de Sustentabilidade | 2009 - 37 -
  • 38. Ac t u a ç ã o S u s t e n t á v e l d a E m p r e s aDesempenho SocialEmbora a presença de preocupações sociais nas práticas empresariais não seja tes vantagens competitivas, decorrentes de uma imagem positiva projectada naum hábito recente, há, inegavelmente, um despertar crescente dos gestores para comunidade e do aumento da satisfação e da melhoria do desempenho dos traba-a necessidade de respeitarem condutas eticamente responsáveis em todas as lhadores, a verdade é que só as acções tomadas podem ser o espelho de umaactividades da Empresa. Estas preocupações são transversais aos trabalhadores genuína preocupação e responsabilidade social.da própria Empresa, à comunidade onde nos inserimos e mesmo à sociedade emgeral. Durante o ano de 2009, mesmo sem um programa de responsabilidade social definido, a Pinto & Bentes foi-se associando a diversos eventos de cariz clara-Embora muitas vezes se diga que esta percepção está relacionada com a mente solidário ou simplesmente social.assumpção de que, no longo prazo, uma postura ética pode resultar em importan- Estimular e criar condições para a excelência na educação dos trabalhadores e dosAtribuição de Bolsas e Prémios a Estudantes (Trabalhadores e filhos) seus filhos. Possibilitar que os trabalhadores tenham acesso a serviços de saúde privados a pre-Atribuição de Cartões de Saúde aos Trabalhadores ços controlados. Apoio a Instituição Particular de Solidariedade Social do Município de Sintra (montanteDonativo à Obra Padre Gregório proveniente do dinheiro recolhido das máquinas de bebidas da Empresa) Apoio aos Bombeiros Voluntários da Parede através da recuperação de forma gratuitaRecuperação metalomecânica de carro de bombeiros de um equipamento de combate a incêndios. Preservação do património histórico e arquitectónico. Desenvolvimento da eficiênciaRestauro, conservação, remodelação e valorização do Palácio Centeno energética e da sustentabilidade ambiental (Protocolo que incluiu várias entidades,(sede da Reitoria da Universidade Técnica de Lisboa) entre elas a EDP). Pinto & Bentes, S.A. | Relatório de Sustentabilidade | 2009 - 38 -
  • 39. Ac t u a ç ã o S u s t e n t á v e l d a E m p r e s a Parcerias, Criação de Emprego e Retenção de TalentosAtravés do Boletim Informativo, que publica bimestralmente, a Empresa fez ainda a divul- começando a trabalhar na nossa Empresa.gação de diversas iniciativas de responsabilidade social promovidas por outras entidades,para que os trabalhadores tivessem oportunidade de participar ou divulgar. A realização de estágios é alargada aos jovens recém-licenciados à procura de primeiro emprego, através de parceria com o Centro de Emprego de Sintra - Instituto de EmpregoA Pinto & Bentes estabeleceu ainda parcerias com escolas para a realização de estágios e Formação Profissional, perfazendo assim na totalidade, a atribuição de 20 estágioscurriculares, de modo a possibilitar uma vivência em ambiente real de trabalho aos jovens durante o ano de 2009. De realçar que a taxa de retenção dos jovens que realizaramestudantes. Estabeleceu igualmente uma ligação ao Estabelecimento Prisional do Linhó, Estágio Profissional durante o ano de 2009 foi de 63%.possibilitando que 2 reclusos em regime aberto iniciassem a reinserção na sociedade, Estágios Profissionais 2009 Estágios Curriculares 2009 1 estagiário de Segurança e Higiene do Trabalho - ISLA - Instituto Superior 9 estágios de nível IV e V, na área da Electrotecnia de Línguas e Administração de Leiria 2 estagiários de Técnicas de Secretariado - Centro de Formação Profissional 3 estágios de nível V, na área da Gestão de Sintra 3 estagiários do Curso Tecnológico de Electrotecnia/Electrónica - Escola 2 estágios de nível III, na área Administrativa e Armazém Secundária de Leal da Câmara Pinto & Bentes, S.A. | Relatório de Sustentabilidade | 2009 - 39 -
  • 40. Ac t u a ç ã o S u s t e n t á v e l d a E m p r e s aRetrato Social da EmpresaNa Pinto & Bentes, como em grande parte das Empresas, é a sua equipa de trabalhado- Dos trabalhadores que fazem parte do Universo Pinto & Bentes, 95%res o principal recurso, por isso, cada vez mais, pretendemos dar real importância às pes- encontram-se na Empresa a tempo inteiro. No final do ano, a força de tra-soas. Actualmente a equipa é constituída por 407 trabalhadores, distribuídos por quatro balho distribuía-se entre 56% de efectivos, 37% contratados a termo certolocais estratégicos em Portugal continental. e 7% correspondentes a contratos de trabalho de termo incerto. Tipo de Contrato 7% Trabalhadores Efectivos Trabalhadores Contrato a Termo Certo Trabalhadores Contrato a Termo Incerto 37% 56% Aveiro 6 Afectação Temporal 5% Ponte Sôr Mem Martins 101 Trabalhadores a Tempo Integral 296 Trabalhadores a Tempo Parcial Barreiro 4 95% Pinto & Bentes, S.A. | Relatório de Sustentabilidade | 2009 - 40 -
  • 41. Ac t u a ç ã o S u s t e n t á v e l d a E m p r e s aA taxa de rotatividade do ano de 2009, tendo em conta os 407 trabalhadores no final género e por região pode ser vista nos gráficos.do ano, foi de 0,4. A distribuição da rotatividade de empregados por faixa etária, por Taxa de Rotatividade Homens Taxa de Rotatividade Mulheres 0,63,53,0 0,5 Mem Martins Mem Martins2,5 Barreiro 0,42,0 Ponte Sôr 0,3 Aveiro Aveiro, Barreiro e1,5 Ponte Sôr 0,21,00,5 0,10,0 0,0 18-29 30-39 40-49 50-59 60 anos e 18-29 30-39 40-49 50-59 60 anos e anos anos anos anos + anos anos anos anos +A taxa de rotatividade global da Pinto & Bentes é elevada, como acontece, aliás, na Os dois picos verificados justificam-se pelo número de trabalhadores na delegaçãogeneralidade no sector da construção. Tal como na economia em geral, a taxa de do Barreiro e do número de mulheres na Empresa face aos totais ser muito peque-rotatividade feminina é inferior à masculina e é superior em escalões etários mais no. Assim, qualquer alteração nos valores traduz-se em taxas elevadas, emborabaixos (<40 anos), o que se explica pelo facto de um indivíduo mais jovem, mais tenha pouca relevância para a realidade da Empresa.facilmente conseguir emprego noutro tipo de actividade. À medida que a faixa etáriavai aumentando, a rotatividade vai diminuindo, devido ao facto de estes trabalhado-res ficarem com menos opções de escolha. Pinto & Bentes, S.A. | Relatório de Sustentabilidade | 2009 - 41 -
  • 42. Ac t u a ç ã o S u s t e n t á v e l d a E m p r e s aSegurança e Saúde no TrabalhoA Segurança no Trabalho é uma preocupação diária na Empresa Pinto & Bentes, todos os trabalhadores as melhores condições de trabalho com vista à reduçãoque contempla a realização de diversas acções de formação e sensibilização no destes riscos.local de trabalho permanente ou em obra, uma vez que são, essencialmente, asactividades associadas aos trabalhos no terreno que envolvem um maior risco de Ainda assim, e em consonância com a mensagem deixada pela nossa administra-acidentes. Nesse sentido é preocupação constante da Empresa proporcionar a ção, o ano de 2009 foi marcado por alguns acidentes. Distribuição Geográfica dos Acidentes 1 Nº Total de Acidentes 24 Mem Martins Taxa de dias perdidos 1.969,1* 5 Aveiro Taxa de absentismo 5,7 Ponte de Sôr Barreiro Óbitos ocorridos 0 0 * Taxa calculada com base na fórmula: dias perdidos por acidente / potencial máxi- mo de horas trabalháveis no ano * 1.000.000 18 Índice de Frequência Índice de Gravidade 171,4 5,5 3 1,7 28,5 34,3 0 0 Mem Martins Aveiro Ponte de Sôr Barreiro Mem Martins Aveiro Ponte de Sôr Barreiro Pinto & Bentes, S.A. | Relatório de Sustentabilidade | 2009 - 42 -
  • 43. Ac t u a ç ã o S u s t e n t á v e l d a E m p r e s aFormaçãoNo âmbito da valorização dos recursos humanos da Empresa, e no que Os profissionais semi-qualificados representaram a categoria onde se verificouconcerne à formação, verifica-se que em 2009 foram administradas 12.596 um maior número de horas de formação. Esta situação é facilmente justificadahoras de formação, o que representa cerca de 30 horas de formação por pela constante preocupação com a Segurança e Higiene no Trabalho e com acolaborador. Tendo em conta a grande diversidade de áreas de negócio da necessidade de sensibilização permanente dos trabalhadores que exercem activi-Empresa, podemos verificar que a formação é bastante variada (Prevenção dades em que o risco de acidentes é maior.e Segurança, Formação Comportamental e Formação Técnica) embora seja Form ação por Grupo Profissional Formação Horas Acolhimento Novos Trabalhadores 9 Dirigentes Quadro s Quadro s Superio res M édio s Sensibilizações - Segurança e Ambiente 440 Segurança e Ambiente - Outras Acções 424 Primeiros Socorros 252 Quadro s P ro fissio nais P ro fissio nais Passaportes de Segurança 1.302 Intermédio s Qualificado s Semiqualif. Trabalhos com Geradores 20 TET / MT 3.199 Montagem de Linhas MAT 6.624 P ro fissio nais P raticantes / ITED Projecto 144 Não Qualif. A prendizes Qualidade 4 Sustentabilidade 48 Formação de Formadores 100 Para além dos grupos profissionais considerados, a Pinto & Bentes dá também Contabilidade 30 TOTAL 12.596 formação aos seus subempreiteiros, em matérias de Segurança, Saúde e Ambiente, pois o seu desempenho é, em parte, responsabilidade da Empresa.de salientar a ênfase dada aos temas da segurança no trabalho nas forma-ções decorridas. Esta preocupação tem início, desde logo, nas acções de Tendo em conta que a Pinto & Bentes revê nos seus recursos humanos um ele-acolhimento realizadas. Normalmente de curta duração e dirigidas a todos mento diferenciador fundamental e o seus mais valioso activo ao serviço da pro-os trabalhadores que integrem a Empresa são, no caso, dos trabalhadores gressão da Empresa, pretende-se que a aposta na formação destes seja cadaa integrar obras, direccionadas para as regras gerais de segurança aplicá- vez mais uma realidade.veis. Pinto & Bentes, S.A. | Relatório de Sustentabilidade | 2009 - 43 -
  • 44. Ac t u a ç ã o S u s t e n t á v e l d a E m p r e s aAssim, pretende-se actuar no reforço das formações já existentes, promovendo forma- Foi nesse sentido que foi solicitado à Direcção-Geral do Emprego e das Relações deção específica que garanta a melhoria e alargamento da base de conhecimentos e Trabalho (DGERT), que é um serviço central da administração directa do Estado quevalências técnicas e de gestão de todos os quadros, designadamente daquelas que se tem por missão apoiar a concepção das políticas relativas ao emprego, formação e cer-apresentam como mais críticas à prossecução dos objectivos da Empresa nas suas tificação profissional e às relações profissionais; aguarda-se a acreditação da Empresadiversas áreas; dinamização de projectos de formação contínua na área comportamen- enquanto Entidade Formadora em 2010.tal, nomeadamente ao nível da liderança, gestão da mudança, espírito de equipa ecomunicação, permitindo aos diferentes níveis da organização a melhoria de comporta- Esta acção permitirá ainda a potenciação do Centro de Formação da Pinto & Bentes,mentos e atitudes e o reforço das competências de gestão de equipas e de orientação em Alter do Chão, que já foi notícia por, em colaboração com o Centro de Formaçãopara os resultados; desenvolvimento de um conjunto articulado de acções, quer de sen- Profissional de Portalegre ter formado mulheres em Muito Alta, Alta e Média Tensão.sibilização, quer de qualificação, abrangendo um conjunto alargado de trabalhadores, adiferentes níveis, que reforce e melhore os conhecimentos em matéria de segurança, de São ainda objectivos a curto prazo a criação de um Código de Ética e um Processo demodo a garantir o cumprimento dos requisitos legais. Pretende-se ainda actuar no Avaliação de Desempenho e Gestão de Carreiras. A introdução de um sistema capazaumento e consolidação de competências informáticas, nomeadamente em softwares de avaliar o desempenho dos trabalhadores favorece não só a possibilidade de identifi-específicos de trabalho, de modo a potenciar as ferramentas existentes e criar um car o mérito como também potencia nos próprios trabalhadores uma maior motivação eambiente aberto à mudança, para a identificação e desenvolvimento de ideias inovado- responsabilidade.res. Nesse sentido pretende-se também actuar ao nível da criação de novas áreas deaprendizagem. Pinto & Bentes, S.A. | Relatório de Sustentabilidade | 2009 - 44 -
  • 45. Ac t u a ç ã o S u s t e n t á v e l d a E m p r e s aParalelamente à formação directa dos trabalhadores, existe ainda uma cultura depromoção da educação. Quer através da divulgação do Programa Novas Oportu-nidades, quer através das Bolsas e Prémios de Estudo atribuídas aos trabalha-dores estudantes e a filhos dos trabalhadores, que frequentem estabelecimentosde ensino, de acordo com um regulamento que pretende estimular e criar condi-ções para a máxima eficiência, continuidade e excelência na educação. Bolsas Prémios Ano-lectivo 2008/2009 3 alunos 2 Alunos Ano-lectivo 2009-2010 3 alunos A decorrerA Pinto & Bentes dispõe ainda de programas de educação, aconselhamento, pre-venção e controle de risco para dar assistência a empregados, seus familiares oumembros da comunidade em relação a algumas doenças específicas, como o Iniciativas no Âmbito da Prevenção de DoençasAlcoolismo, a Gripe A ou a Surdez. Prevenção e Controlo doPara além destas acções pontuais, a Empresa disponibiliza Médico do Trabalho a Criação de um novo Regulamento. Consumo de Álcooltodos os seus trabalhadores (assegurado por uma Empresa externa de serviçosde SHST). Assim, realizam-se periodicamente consultas e exames auxiliares dediagnóstico com o objectivo de despistar a ocorrência de doenças graves, que Afixação de cartazes com as indicações da Direc-podem estar relacionadas com as condições de trabalho ou com a actividade ção Geral de Saúde (DGS) em locais estratégicos Gripe A (casas de banho e cozinha).profissional. Publicação das mesmas indicações no Boletim Informativo.A cadência das consultas difere com a idade e a actividade do trabalhador.Assim, os trabalhadores com menos de 18 anos e mais de 50 anos são alvo deconsulta médica anualmente, assim como trabalhadores cuja função seja Traba- Realização de Avaliação de Exposição Individual Surdez ao Ruído Laboral e consequente controlo atravéslhos em Tensão, enquanto para os restantes a consulta só se realiza a cada dois de Audiogramas — Medicina no Trabalho.anos. Pinto & Bentes, S.A. | Relatório de Sustentabilidade | 2009 - 45 -
  • 46. Compromissos Objectivos e MetasO nosso Compromisso para com o Desenvolvimento Sustentável está assumido. mica, ambiental, direitos humanos, práticas de trabalho, sociedade e responsabilida-Como desenvolvimento implica crescimento, temos como Objectivo para 2011 um de pelo produto.” As nossas Metas para 2011 (tarefa a preparar e a executar duranteRelatório de Sustentabilidade mais completo, que descreva o nosso empenho em os próximos anos) são controlar os parâmetros que nos dão dados para descrever osmedir para melhor gerir – um Relatório nível B, que, de acordo com o conteúdo dis- Indicadores actuais, juntamente com outros parâmetros que respondam aos Indica-criminado pela GRI “responde a um mínimo de 20 Indicadores de desempenho, dores requeridos para o nível B, conforme a seguinte tabela:incluindo pelo menos um de cada uma das seguintes áreas de desempenho: econó- INDICADORES DE DESEMPENHO ECONÓMICO Desempenho Económi- co Valor económico directo gerado e distribuído, incluindo receitas, custos operacionais, remuneração de funcionários, doações e outros EC1* investimentos na comunidade, lucros acumulados e pagamentos a investidores e governos Presença no Mercado EC5 Rácio entre o salário mais baixo e o salário mínimo local, nas unidades operacionais importantes Impactos Económicos Desenvolvimento e impacto dos investimentos em infra-estruturas e serviços, que visam essencialmente o benefício público através de Indirectos EC8 envolvimento comercial, em géneros ou actividade pro bono * - Indicadores de Desempenho incluídos no presente Relatório de Sustentabilidade Pinto & Bentes, S.A. | Relatório de Sustentabilidade | 2009 - 46 -
  • 47. INDICADORES DE DESEMPENHO AMBIENTALMateriais EN1 Discriminação das matérias-primas, por peso ou por volumeEnergia EN3 Discriminação do consumo directo de energia, por fonte de energia primária EN4 Discriminação do consumo indirecto de energia, por fonte primária EN7 Iniciativas para reduzir o consumo indirecto de energia e objectivos alcançadosÁgua EN8 Consumo total de água por fonteBiodiversidade EN12 Impactos significativos de actividades sobre áreas protegidas ou de elevado valor de biodiversidade EN13 Habitats protegidos ou recuperados EN14 Estratégias e programas, actuais e futuros, de gestão de impactes na biodiversidade Número de espécies na Lista Vermelha da IUCN e em listas nacionais de conservação das espécies com habitats em áreas afectadas por EN15 operações, discriminadas por nível de risco de extinçãoEmissões, Efluentes e EN16* Totalidade das emissões de gases causadores do efeito de estufa, por pesoResíduos EN17* Outras emissões relevantes e indirectas de gases com efeito de estufa, por peso EN18 Iniciativas para reduzir as emissões de gases com efeito de estufa e reduções obtidas EN21 Descarte total de água, por qualidade e destino EN22* Quantidade total de resíduos (em peso), por tipo e método de deposição EN23* Número e volume total de derramamentos significativosProdutos e Serviços EN26 Iniciativas para mitigar os impactos ambientais de produtos e serviços e o grau da redução dos impactesConformidade EN28 Coimas e sanções não-monetárias por incumprimento das leis e regulamentos ambientaisTransporte Impactos ambientais significativos do transporte de produtos e outros bens e materiais utilizados nas operações da organização, bem EN29 como do transporte de trabalhadoresGeral EN30 Total de investimentos e gastos em protecção ambiental, por tipo Pinto & Bentes, S.A. | Relatório de Sustentabilidade | 2009 - 47 -
  • 48. Compromissos Objectivos e Metas INDICADORES DE DESEMPENHO SOCIAL Indicadores de Desempenho referentes a Práticas Trabalhistas e Trabalho Decente Emprego LA1* Total de trabalhadores, por tipo de emprego, contrato de trabalho e região LA2* Número total e taxa de rotatividade de empregados, por faixa etária, género e regiãoRelação entre Trabalha-dores e Entidade Admi- LA4 Percentual de empregados abrangidos por acordos de negociação colectivanistradoraSegurança e Saúde noTrabalho LA7* Taxa de lesões, doenças ocupacionais, dias perdidos, absentismo e óbitos relacionados com o trabalho, por região Programas de educação, formação, aconselhamento, prevenção e controle de risco para garantir assistência a trabalhadores, seus LA8* familiares ou membros da comunidade afectados por doenças gravesFormação e Educação LA10* Média de horas de formação, por ano, por funcionário, discriminadas por categoria profissional LA12 Trabalhadores que recebem análises de desempenho e de desenvolvimento de carreiraDiversidade e Igualdadede Oportunidades Composição dos órgãos administrativos, e discriminação de trabalhadores por categoria, género, faixa etária, minorias e outros indica- LA13 dores de diversidade LA14 Discriminação do rácio do salário base de homens e mulheres, por categoria profissional* - Indicadores de Desempenho incluídos no presente Relatório de Sustentabilidade Pinto & Bentes, S.A. | Relatório de Sustentabilidade | 2009 - 48 -
  • 49. Indicadores de Desempenho referentes à SociedadeCorrupção SO3 Percentual de empregados treinados nas políticas e procedimentos anti corrupção da organizaçãoConcorrência Desleal SO7 Número total de acções judiciais por concorrência desleal, práticas de concertação e monopólio e seus resultadosConformidade Valor monetário de multas significativas e número total de sanções não-monetárias resultantes de não-conformidades com leis e regu- SO8 lamentos Indicadores de Desempenho referentes a Direitos HumanosPráticas de Investimen- Percentual e número total de contratos de investimento significativos que incluam cláusulas referentes a direitos humanos ou que foramto e de Processos de HR1Compra submetidos a avaliações referentes a direitos humanosTrabalho Infantil Operações identificadas como de risco significativo de ocorrência de trabalho infantil e as medidas tomadas para contribuir para a aboli- HR6 ção do trabalho infantilTrabalho Forçado ouAnálogo ao Escravo Operações identificadas como de risco significativo de ocorrência de trabalho forçado ou análogo ao escravo e as medidas tomadas HR7 para contribuir para a erradicação do trabalho forçado ou análogo ao escravoDireitos Indígenas HR9 Número total de casos de violação de direitos dos povos indígenas e medidas tomadas Indicadores de Desempenho referentes à Responsabilidade pelo ProdutoSegurança e Saúde doCliente Número total de casos de não-conformidade com os regulamentos e códigos voluntários relacionados aos impactos causados por pro- PR2 dutos e serviços na saúde e segurança durante o ciclo de vida, discriminados por tipo de resultadoRotulagem de Produtose Serviços PR5 Práticas relacionadas à satisfação do cliente, incluindo resultados de pesquisas que medem essa satisfaçãoPrivacidade do Cliente PR9 Número total de reclamações comprovadas relativas a violação da privacidade e perda de dados de clientes * - Indicadores de Desempenho incluídos no presente Relatório de Sustentabilidade Pinto & Bentes, S.A. | Relatório de Sustentabilidade | 2009 - 49 -
  • 50. Sumário Conteúdo GRI DESIGNAÇÃO PÁGINAEstratégia e Análise1.1 Declaração do detentor do cargo com maior poder de decisão na organização 5Perfil Organizacional2.1 Nome da Organização 8, 102.2 Principais marcas, produtos e/ou serviços 122.3 Estrutura operacional da organização 10 a 132.4 Localização da sede da organização 112.5 Número de países em que a organização opera 10, 152.6 Tipo e natureza jurídica da propriedade 152.7 Mercados atendidos pela organização 152.8 Porte da organização relatora 152.9 Principais mudanças durante o período coberto pelo relatório 102.10 Prémios recebidos no período coberto pelo relatório 9Parâmetros para o Relatório3.1 Período coberto pelo relatório 83.2 Data do relatório anterior mais recente n.a.3.3 Ciclo de emissões de relatórios 83.4 Dados para contacto em caso de perguntas 83.5 Processo para definição do conteúdo do relatório 8, 223.6 Limite do relatório 83.7 Declaração sobre quaisquer limitações específicas quanto ao escopo ou ao limite do relatório 83.8 Base para a elaboração do relatório no que se refere a joint ventures, subsidiárias, instalações arrendadas, operações treceirizadas e outras organizações n.a.3.10 Explicação das consequências de quaisquer reformulações de informações fornecidas em relatórios anteriores e as razões para tais reformulações n.a.3.11 Mudanças significativas em comparação com anos anteriores n.a.3.12 Sumário de Conteúdo GRI 50, 51Governação, Compromisso e Envolvimento4.1 Estrutura de governação da organização 20, 214.2 Indicação caso o presidente do mais alto órgão de governação também seja um director executivo n.a.4.3 Declaração do número de membros independentes ou não-executivos do mais alto órgão de governação n.a.4.4 Mecanismo para que accionistas e empregados façam recomendações ou dêem orientações ao mais alto órgão de governação 204.14 Relação de grupos de stakeholders engajados pela organização 224.15 Base para a identificação e selecção de stakeholders com os quais se engajar 22 Pinto & Bentes, S.A. | Relatório de Sustentabilidade | 2009 - 50 -
  • 51. Sumário Conteúdo GRIINDICADOR DESCRIÇÃO PÁGINA Valor económico directo gerado e distribuído, incluindo receitas, custos operacionais, remuneração de funcionários, doações e outros EC 1 25 a 27 investimentos na comunidade, lucros acumulados e pagamentos a investidores e governos EN 16 Totalidade das emissões de gases causadores do efeito de estufa, por peso 29 a 30 EN 17 Outras emissões relevantes e indirectas de gases com efeito de estufa, por peso 31 EN 22 Quantidade total de resíduos (em peso), por tipo e método de deposição 32 a 34 EN 23 Número e volume total de derramamentos significativos 34 a 35 LA 1 Total de trabalhadores, por tipo de emprego, contrato de trabalho e região 40 LA 2 Número total e taxa de rotatividade de empregados, por faixa etária, género e região 41 LA 7 Taxa de lesões, doenças ocupacionais, dias perdidos, absentismo e óbitos relacionados com o trabalho, por região. 42 Programas de educação, formação, aconselhamento, prevenção e controle de risco para garantir assistência a trabalhadores, seus fami- LA 8 45 liares ou membros da comunidade afectados por doenças graves LA 10 Média de horas de formação, por ano, por funcionário, discriminadas por categoria profissional 43 a 45 Pinto & Bentes, S.A. | Relatório de Sustentabilidade | 2009 - 51 -
  • 52. Ficha Técnica Pinto & Bentes, S.A. Av. Almirante Gago Coutinho, 161, 2725-322 Mem Martins Telf.: +351 219 248 260 | Fax: +351 219 248 278 | pb@pintoebentes.pt | www.pintoebentes.pt Desenvolvimento e Coordenação Ana Guerreiro (Project Liasion) Carla Canseiro Contributos Administração Comissão de Sustentabilidade Fotografias Carlos Cerqueira; Mariana Cancela de Abreu; Nuno Miguel Soares Impressão Tip C — Tipografia Catarino Lda Este Relatório foi Bentes, S.A.com tintas ecológicas em |papel reciclado Pinto & impresso | Relatório de Sustentabilidade 2009 - 52 -
  • 53. Inquérito —Feedback dos StakeholdersGostaríamos de Saber a Sua Opinião!Obrigado por ler o nosso Relatório: gostaríamos de saber a sua opinião, pois é muito importante para nós e será um excelente contributo para a melhoria do nosso tra-balho. Agradecemos que use um pouco do seu tempo a responder ao questionário que se segue e a enviá-lo para a Responsável pela Sustentabilidade da Pinto & Ben-tes SA. Se preferir, o questionário encontra-se disponível para resposta na nossa página Web (www.pintoebentes.com).1. A que grupo de stakeholders pertence? 2. Que temas ou assuntos pensa importantes para incluir no âmbito do próximo Relatório? Clientes Trabalhadores Subempreiteiros Fornecedores Prestadores de serviços 3. Qual é a sua opinião sobre o conteúdo deste Relatório de Sustentabilidade? Empresa concorrente Banca Muito bom Bom Médio Mau Seguradoras Opinião Geral Entidades Oficiais Perfil Organizacional Media Estratégia e Análise Outros (especifique sff) Governação, Compromissos e Envolvimento Relacionamento com os Stakeholders Actuação Sustentável da Empresa Desempenho Económico Desempenho Ambiental Desempenho Social Compromissos, Objectivos e Metas Pinto & Bentes, S.A. | Relatório de Sustentabilidade | 2009 - 53 -
  • 54. Inquérito —Feedback dos Stakeholders4. Que aspectos do Relatório considerou mais interessantes? E menos interessantes? Porquê?5. Na sua opinião, houve assuntos que considera importantes que não viu relatados? Quais?6. Qual é a sua opinião sobre a forma deste Relatório de Sustentabilidade? Muito bom Bom Médio Mau Conteúdo geral Profundidade do tratamento dos temas Linguagem utilizada Estrutura do Relatório Imagem Objectividade, transparência e clareza Interesse7. Necessita de algum esclarecimento?8. Outros comentários que pense pertinentes: Identificação Nome: Empresa: Função: Muito obrigado! Pinto & Bentes, S.A. | Relatório de Sustentabilidade | 2009 - 54 -
  • 55. Pinto & Bentes, S.A. | Relatório de Sustentabilidade | 2009 - 55 -
  • 56. Pinto & Bentes, S.A. | Relatório de Sustentabilidade | 2009 - 56 -