HISTÓRIA – BRASIL_UNIÃO IBÉRICA 01 - 2014 Página 1
HISTÓRIA – BRASIL_UNIÃO IBÉRICA 01 – 2014
Questão 1: (UPE) A exploração...
HISTÓRIA – BRASIL_UNIÃO IBÉRICA 01 - 2014 Página 2
(
SILVA & BASTOS, p. 52) A análise do esquema e os conhecimentos sobre ...
HISTÓRIA – BRASIL_UNIÃO IBÉRICA 01 - 2014 Página 3
Questão 9: (PUC-MG) Analise as informações fornecidas pelo mapa abaixo ...
HISTÓRIA – BRASIL_UNIÃO IBÉRICA 01 - 2014 Página 4
A - a decadência do bandeirantismo como atividade de penetração, já que...
HISTÓRIA – BRASIL_UNIÃO IBÉRICA 01 - 2014 Página 5
b) a preação de indígenas e o aproveitamento econômico do rio da Prata....
HISTÓRIA – BRASIL_UNIÃO IBÉRICA 01 - 2014 Página 6
GABARITO - HISTÓRIA – BRASIL_UNIÃO IBÉRICA 01 – 2014
GRUPO 01
questão 1...
Upcoming SlideShare
Loading in …5
×

História – brasil união ibérica 01 2014

237 views
134 views

Published on

Published in: Education
0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total views
237
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
1
Actions
Shares
0
Downloads
4
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

História – brasil união ibérica 01 2014

  1. 1. HISTÓRIA – BRASIL_UNIÃO IBÉRICA 01 - 2014 Página 1 HISTÓRIA – BRASIL_UNIÃO IBÉRICA 01 – 2014 Questão 1: (UPE) A exploração das terras brasileiras pela Coroa Portuguesa exigia investimentos expressivos. Portugal conseguiu aliados para explorar a Colônia, com destaque inicial para a Holanda, que: A - se interessou pelo rico comércio do pau-brasil, nas regiões do Norte e Nordeste; B - financiou a exploração das minas no Oeste da Colônia, conseguindo lucros excepcionais; C - vendeu muitos navios de guerra para proteger o litoral do Brasil, reforçando as tropas portuguesas; D - teve papel importante no comércio do açúcar, obtendo bons lucros; E - estreitou as relações de Portugal com a Espanha, favorecendo o comércio de ouro e prata. Questão 2: (UPE) A presença holandesa no Brasil colônia causa, até hoje, polêmicas entre historiadores. As controvérsias se localizam, sobretudo, em relação à atuação de Maurício de Nassau, que dirigiu os empreendimentos da Companhia das Índias Ocidentais no Brasil. Nassau conseguiu destacar-se, mas terminou sendo demitido em 1643. Com relação ao seu governo, é correto afirmar que: A - procurou restabelecer a produção do açúcar, mas fracassou devido à falta de recursos. B - teve cuidados especiais com o Recife, onde fixou sua residência, melhorando suas condições. C - apesar do empenho, não conseguiu aumentar os domínios territoriais dos holandeses. D - reconstruiu a cidade de Olinda, onde pretendia se instalar E - não conseguiu estabelecer boas relações com os grandes proprietários que tramavam, desde o início, sua expulsão. Questão 3: (Fuvest) Entre as mudanças ocorridas no Brasil Colônia durante a União Ibérica (1580 - 1640), destacam- se a) a introdução do tráfico negreiro, a invasão dos holandeses no Nordeste e o início da produção de tabaco no recôncavo Baiano. b) a expansão da economia açucareira no Nordeste, o estreitamento das relações com a Inglaterra e a expulsão dos jesuítas. c) a incorporação do Extremo-Sul, o início da exploração do ouro em Minas Gerais e a reordenação administrativa do território. d) a expulsão dos holandeses do Nordeste, a intensificação da escravização indígena e a introdução das companhias de comércio monopolistas. e) a expansão da ocupação interna pela pecuária, a expulsão dos franceses e o incremento do bandeirismo. Questão 4: (PUC-RS) As invasões holandesas no Brasil, no século XVII, estavam relacionadas à necessidade de os Paí ses Baixos manterem e ampliarem sua hegemonia no comércio do açúcar na Europa, que havia sido interrompido: A - pela política de monopólio comercial da Coroa portuguesa, reafirmada em represália à mobilização anti-colonial dos grandes proprietários de terra; B - pelos interesses ingleses que dominavam o comércio entre o Brasil e Portugal; C - pela política pombalina, que objetivava desenvolver o beneficiamento do açúcar na própria Colônia, com apoio dos ingleses; D - pelos interesses comerciais dos franceses, que estavam presentes no Maranhão, em relação ao açúcar; E - pela guerra de independência dos Países Baixos contra a Espanha, e seus conseqüentes reflexos na Colônia portuguesa, devido à União Ibérica. Questão 5: (UFBA) OBSERVE O DIAGRAMA
  2. 2. HISTÓRIA – BRASIL_UNIÃO IBÉRICA 01 - 2014 Página 2 ( SILVA & BASTOS, p. 52) A análise do esquema e os conhecimentos sobre o Brasil colonial permitem concluir: 1 - O episódio registrado em A só se tornou possível a partir de mudanças da política holandesa em relação à produção dos grandes proprietários de engenhos e às suas dívidas para com a Companhia Holandesa das Índias Ocidentais. 2 - B articula-se à política internacional do século XVI, visto que se constituiu mais um fator de derrota para a Holanda, que já estava enfraquecida com seu envolvimento na guerra comercial contra a Inglaterra de Cromwell. 4 - B e D estão articulados por causa dos prejuízos que incidiram sobre o comércio colonial brasileiro, dependente, até o início do século XVIII, do preço das exportações do açúcar. 8 - B e D estão articulados por causa dos prejuízos que incidiram sobre o comércio colonial brasileiro, dependente, até o início do século XVIII, do preço das exportações do açúcar. 16 - A criação do Estado do Maranhão relaciona-se com E, em razão de ser ele destinado à produção do açúcar em larga escala, o que levou à superação da referida crise. 32 - F refere-se ao apoio tecnológico para a exploração de minas de ouro, prestado pela Inglaterra à Portugal, levando o país a superar a concorrência indicada em D. SOMATÓRIA (_____) Questão 6: Questão 7: (UFF/RJ) O domínio holandês no Brasil, sobretudo no governo de Maurício de Nassau, foi marcado por grande desenvolvimento cultural e artístico. Tal processo pode ser relacionado a características peculiares da República das Províncias Unidas no século XVII. Relativamente a este momento histórico é incorreto afirmar: A - A assimilação da arte, identificada mais fortemente na produção artística de Rembrandt, testemunhou o poderio da burguesia holandesa do período. B - Os holandeses viviam numa república descentralizada que encorajava não só a eficiência econômica, como também o florescimento das artes e ciências. C - O calvinismo foi o fator determinante para o desenvolvimento do capitalismo holandês. D - A cultura holandesa era mais receptiva às inovações, assim como aos elementos estrangeiros. E - A inexistência de uma corte contribuiu para que a burguesia holandesa não assimilasse, mais efetivamente, o consumismo exacerbado ditado pelos padrões culturais europeus. Questão 8: (PUC-MG) O ideário iluminista dos inconfidentes mineiros tinha algumas limitações, entre as quais podemos citar, exceto: A - a participação de pessoas voltadas mais para seus interesses do que para os do povo; B - a abolição da cobrança de dízimos e liberdade para a extração de diamantes; C - a oposição manifestada por muitos conjurados contra o fim da escravidão; D - a preservação da estrutura econômica e da ordem social vigentes.
  3. 3. HISTÓRIA – BRASIL_UNIÃO IBÉRICA 01 - 2014 Página 3 Questão 9: (PUC-MG) Analise as informações fornecidas pelo mapa abaixo reproduzido. As áreas destacadas indicam: A - os focos de tensão da Guerra dos Mascates no século XVIII; B - a extensão máxima do cultivo da cana no século XVI; C - a ocupação holandesa, no Brasil, durante o século XVII; D - as regiões integrantes da Confederação do Equador no século XIX. Questão 10: (UFPR) No período compreendido entre os anos de 1624 e 1654, o Brasil Colônia foi alvo de duas tentativas de conquista por parte da Companhia das Índias Ocidentais, importante empresa mercantil dos Países- Baixos (Holanda). Sobre a conjuntura do domínio holandês no Brasil, é correto afirmar que: 1 - a ocupação holandesa se fez sem resistência de qualquer espécie; 2 - a invasão foi decidida principalmente em função dos lucros que poderiam ser auferidos pela Companhia das Índias Ocidentais com a exploração do açúcar, então a principal riqueza do Brasil; 4 - o ataque à colônia era uma tentativa dos Países-Baixos de atingir a Espanha, país com o qual travou uma guerra prolongada, uma vez que, com a União Ibérica, o reino de Portugal e todas as suas colônias haviam passado ao domínio do imperador espanhol Filipe II; 8 - com a saída dos holandeses do Nordeste brasileiro, a economia açucareira atinge o apogeu no Brasil; 16 - Maurício de Nassau havia desenvolvido política de financiamento e reconstrução de engenhos. Com o fim de seu governo, os latifundiários endividados foram cobrados, crescendo a incompatibilidade entre os interesses dos produtores e o ocupante holandês. SOMATÓRIA (_____) Questão 11: O ataque da Holanda ao Brasil foi conseqüência da ruptura nas relações amistosas entre Portugal e os holandeses. A modificação das relações entre os dois países foi determinada por qual dos fatores abaixo relacionados? A - As lutas entre a Holanda e a Inglaterra fizeram com que os holandeses atacassem as colônias de Portugal, tradicional aliado da Inglaterra. B - A intenção da Holanda era o ataque às colônias espanholas e para isso precisava de um ponto de apoio na América, no caso o Brasil. C - A Holanda tinha pretensões específicas sobre a Colônia de Sacramento, ponto estratégico para seu comércio na América; para conquistá-la aos espanhóis buscaram, primeiramente, um ponto de apoio no Brasil. D - A unificação política da Península Ibérica sob o domínio espanhol motivou o fechamento das colônias espanholas e portuguesas ao comércio holandês, na ocasião inimigo da Espanha. E - O Brasil determinou unilateralmente o fim do acordo de transporte e refino do açúcar que era incumbência dos comerciantes holandeses. Questão 12: (PUC-PR) Uma das principais conseqüências da União Ibérica (1580 - 1640) para o Brasil foi:
  4. 4. HISTÓRIA – BRASIL_UNIÃO IBÉRICA 01 - 2014 Página 4 A - a decadência do bandeirantismo como atividade de penetração, já que o Tratado de Tordesilhas deixou de funcionar; B - o desenvolvimento da economia mineratória, aproveitando-se os brasileiros da experiência espanhola nesse setor; C - a formação da Companhia Geral do Comércio de Pernambuco, por determinação direta de Filipe II; D - a eclosão de vários movimentos nativistas de tendência emancipadora, como a Guerra dos Emboabas; E - a invasão holandesa do Nordeste e a posterior decadência da cultura canavieira brasileira, com a fixação dos holandeses nas Antilhas. Questão 13: (UAM/SP) Segundo se pôde concluir das poucas e suspeitas notícias encontradas a respeito nos escritos contemporâneos, Calabar exercia a profissão de contrabandista; nem de outro modo se podem explicar os roubos feitos à fazenda real de que o acusam os nossos ... Era o único homem capaz de se medir com Matias de Albuquerque; e como tinha sobre este a vantagem de dispor do mar, desfechou-lhe os golpes mais certeiros. Qual móvel o levou a abandonar os compatriotas, nunca se saberá; talvez a ambição ou a esperança de fazer mais rápida carreira entre os estranhos, tornando-se pela singularidade de seus talentos indispensável aos novos patrões ou, talvez, o desânimo, a convicção da vitória certa e fácil do invasor. (ABREU, Capistrano. Capítulos da História Colonial.) O texto trata: A - da Revolução Praieira; B - da Revolução dos Alfaiates; C - da Balaiada; D - da Invasão Holandesa; E - da Revolução Pernambucana de 1817. Questão 14: (FIC/PR) As invasões sofridas pelo Brasil no século XVII, primeiro na Bahia (1624 - 1625) e depois no Nordeste (1630 -1654), devem ser entendidas como: A - um reflexo direto da crise européia motivada pela ocorrência de conflitos religiosos gerados pela reforma; B - uma tentativa de manutenção dos interesses açucareiros pela Holanda depois da união das Coroas Ibéricas; C - uma disputa entre imperialismo inglês e batavo - a fim de controlar o transporte marítimo no Atlântico; D - um reflexo da guerra civil das colônias americanas, o que determinou um grande afluxo de imigrantes estrangeiros; E - um conflito para superar a crise comercial gerada pelo colapso de produção de açúcar nas Antilhas. GRUPO 02 1)(UFPR) São ações resultantes da conquista e ocupação do território brasileiro, exceto: a) expedições militares organizadas pelo governo b) bandeirantes que percorriam o sertão c) padres jesuítas que fundavam aldeias para catequização dos índios d) criadores de gados que tiveram seus rebanhos e fazendas e) A invasão dos mineiros com a descoberta de ouro no litoral. 2) São cidades que surgiram no período das expedições militares, exceto: a) São Vicente b) Filipeia de Nossa Senhora das Neves c) Forte dos Reis Magos d) Fortaleza de São Pedro e) Forte do Presépio 3) (UFRS) Como objetivos da expansão oficial, podemos destacar a) a recuperação econômica das áreas canavieiras, destruídas pelos holandeses, e a exploração econômica da Amazônia.
  5. 5. HISTÓRIA – BRASIL_UNIÃO IBÉRICA 01 - 2014 Página 5 b) a preação de indígenas e o aproveitamento econômico do rio da Prata. c) a defesa do território e a extinção do Quilombo de Palmares. d) a exploração econômica da Amazônia e o aproveitamento econômico da Prata. e) a obtenção de riquezas, graças à exploração de jazidas minerais. 4) O desenvolvimento da economia das “Drogas do Sertão”, na bacia Amazônica, na segunda metade do século XVII e primeira do século XVIII, está ligado a) ao desempenho das missões religiosas, particularmente dos jesuítas, utilizando mão-de-obra indígena. b) ao Tratado de Badajóz (1801), pelo qual Portugal perdeu alguns domínios no Oriente para a Holanda. c) à falta de interesse da Inglaterra em distribuir o açúcar e o algodão brasileiros na Europa. d) à concorrência das especiarias orientais comercializadas no mercado europeu pela Inglaterra e Holanda. e) ao período da união das Coroas ibéricas, em que Portugal e Brasil ficaram subordinados aos reis Habsburgos. 5) A pecuária do Nordeste foi uma atividade a) que preexistiu à economia açucareira,pois os indígenas já praticavam o pastoreio. b) que se desenvolveu paralelamente à economia açucareira visando a abastecer esta última em alimentos (carne) e força motriz. c) auto-suficiente, totalmente desvinculada da grande lavoura. d) que decorreu de um plano elaborado pela Metrópole. 6) A interiorização do povoamento no território brasileiro nos séculos XVII e XVIII decorreu: a) do êxito da empresa agrícola que liberou mão-de-obra livre e escrava para a ocupação do interior. b) do interesse português em ocupar o interior com a cana-de-açúcar. c) da ampliação do quadro administrativo da metrópole. d) da expansão das atividades econômicas, particularmente da pecuária e da mineração. e) exclusivamente do estabelecimento de missões jesuíticas no interior da Colônia. 7) (Fuvest-SP) No século XVII, contribuíram para a penetração para o interior brasileiro: a) o desenvolvimento das culturas da cana-de-açucar e do algodão. b) o apresamento de indígenas e a procura de riquezas minerais. c) a necessidade de defesa e o combate aos franceses. d) o fim do domínio espanhol e a restauração da monarquia portuguesa. e) a Guerra dos Emboabas e a transferência da capital da colônia para o Rio de Janeiro. 8) (Fuvest-SP) Em 1694, uma expedição chefiada pelo bandeirante Domingos Jorge Velho foi encarregada pelo governo metropolitano de destruir o quilombo de Palmares. Isto se deu porque: a) os paulistas, excluídos do circuito da produção colonial centrada no Nordeste, queriam aí estabelecer pontos de comércio, sendo impedidos pelos quilombos. b) os paulistas tinham prática na perseguição de índios, os quais, aliados aos negros de Palmares, ameaçavam o governo com movimentos milenaristas. c) o quilombo desestabilizava o grande contingente escravo existente no Nordeste, ameaçando a continuidade da produção açucareira e da dominação colonial. d) os senhores de engenho temiam que os quilombolas, que haviam atraído brancos e mestiços pobres, organizassem um movimento de independência da colônia. e) os aldeamentos de escravos rebeldes incitavam os colonos à revolta contra a metrópole, visando trazer novamente o Nordeste para o domínio holandês
  6. 6. HISTÓRIA – BRASIL_UNIÃO IBÉRICA 01 - 2014 Página 6 GABARITO - HISTÓRIA – BRASIL_UNIÃO IBÉRICA 01 – 2014 GRUPO 01 questão 1: D - questão 2: B - questão 3: E - questão 4: E - questão 5: 15 - questão 6: A - questão 7: C - questão 8: B - questão 9: C - questão 10: 22 - questão 11: D - questão 12: E - questão 13: D - questão 14: B - questão 15: A GRUPO 02 1) E 2) A 3) D 4) A 5) B 6) D 7) B 8) C FONTE ... http://olhonahistoria.blogspot.com.br/2011/07/atividades-de-historia-do-brasil_8401.html ... http://mestresdahistoria.blogspot.com.br/2012/05/confira-correcao-do-simula-enem.html

×