Passos para Implantação Certificação Qualidade em Abatedouro de Aves
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×
 

Passos para Implantação Certificação Qualidade em Abatedouro de Aves

on

  • 2,071 views

O processo de implantação da qualidade em frigoríficos de Aves requer estratégia e comprometimento da Alta Direção. Apresentamos aqui algumas considerações importantes para abreviar o caminho ...

O processo de implantação da qualidade em frigoríficos de Aves requer estratégia e comprometimento da Alta Direção. Apresentamos aqui algumas considerações importantes para abreviar o caminho da certificação.
A Gestão da Qualidade em Abatedouros de Aves tem se tornado, além de uma obrigação legal, um diferencial competitivo para as empresas produtoras de derivados de Aves e Suínos. O controle de qualidade focado para a Certificação BRC e ISO requer um volume de pessoas considerável para implementação dos controles requerido nas várias etapas do processo produtivo. Este produto visa atender a Função Qualidade dentro das plantas de abate de aves e suínos de forma 100% automatizadas eliminando formulários em papel dentro da produção e otimizando o uso da mão de obra focada para a qualidade. Um banco de dados com base de conhecimentos sólidos está disponível para as empresas previamente configurado reduzindo significativamente o tempo e o esforço de implantação da qualidade total focada para a certificação internacional. Os processos sugeridos já foram amplamente auditados em várias empresas onde o produto está implantado e em perfeito funcionamento garantindo a plena rastreabilidade sem burocracia e sem desperdício de pessoal qualificado na digitação de dados e confecção de relatórios e planilhas manuais. A Agrosys é a pioneira em oferecer ao mercado produto com tamanha abrangência e verdadeiramente eficiente no controle da Função Qualidade Garantida.

Statistics

Views

Total Views
2,071
Views on SlideShare
2,071
Embed Views
0

Actions

Likes
1
Downloads
26
Comments
0

0 Embeds 0

No embeds

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Adobe PDF

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

Passos para Implantação Certificação Qualidade em Abatedouro de Aves Passos para Implantação Certificação Qualidade em Abatedouro de Aves Presentation Transcript

  • GESTÃO DA QUALIDADE CONCEITOS E CONSIDERAÇÕES
  • GESTÃO DA QUALIDADE EVOLUÇÃO
  • ESTRATÉGIA DE IMPLANTAÇÃO TQC - TQM
  • ESTRATÉGIA DE IMPLANTAÇÃO GESTÃO DA QUALIDADE
  •  Fundada em 1940;  Membro fundador:  ISO (International Organization for Standardization);  COPANT (Comissão Panamericana de Normas Técnicas);  AMN (Associação Mercosul de Normalização);  Representante Exclusiva das seguintes entidades internacionais:  ISO (International Organization for Standardization);  IEC (International Electrotechnical Comission);  Entidades de Normalização regional: COPANT (Comissão Panamericana de Normas Técnicas);  AMN (Associação Mercosul de Normalização); PROGRAMAS E CERTIFICAÇÕES ORGANISMOS
  •  ISO 9000  Publicada em 1987;  Preocupações em a qualidade:  Atender aos requisitos de qualidade do consumidor;  Atender aos requisitos regulatórios aplicáveis;  Melhorar a satisfação dos consumidores;  Conseguir uma contínua melhora no seu desempenho em busca desses objetivos.  ISO 14000  Publicada em 1996;  Preocupação com o ambiente:  Minimizar os efeitos danosos ao meio ambiente causados por suas atividades; e  Conseguir ma contínua melhora no seu desempenho ambiental.  Vantagens  Credibilidade, reconhecimento, uso eficiente dos recursos  Melhoria na relação com os fornecedores, funcionários e clientes. PROGRAMAS E CERTIFICAÇÕES ISO
  •  BS 8800 E OSHA 18000  Sistema de Gestão da Segurança e Saúde no Trabalho (1996);  Estruturada e de responsabilidade do órgão Britânico de Normas Técnicas denominado British Standards; PROGRAMAS E CERTIFICAÇÕES ISO
  • BRC (British Retail Consortium): Referencial publicado com caráter obrigatório para todos os fornecedores verejistas do Reino Unido envolvendo grandes empresas de serviços alimentícios, como a Asda, Tesco e Sainsbury's. A certificação de acordo com o BRC é um processo baseado em auditorias direcionadas aos fornecedores de alimentos dos grandes varejistas do Reino Unido. A adoção deste referencial alargou-se nos diversos continentes possibilitando uma diminuição do número de auditorias e uniformizando os critérios de avaliação dos requisitos. IFS (International Food Standard) Foi desenvolvido por empresas varejistas alemães com o objetivo de estabelecer requisitos de auditoria a fornecedores de produtos alimentares. Em 2003, os varejistas Franceses juntaram-se ao grupo de trabalho IFS e contribuíram para o desenvolvimento da atual versão da Norma. Grandes grupos de varejo estiveram presentes no desenvolvimento deste referencial como a Aldi, Lidl e Metro. Diferenças entre o BRC e IFS: Ambos se dirigem a fornecedores de varejo, mas optam por diferentes vertentes. Apesar de princípios idênticos, os critérios diferem. O IFS tem um sistema de pontuação e classificação, o BRC não. As semelhanças permitem que uma terceira parte realize auditorias combinadas, mas os relatórios exigidos são muito distintos, situação que não poupa tempo a quem se candidata aos dois referenciais. A margem de diferença entre o BRC e o IFS parece dever-se a diferenças culturais: o BRC, por exemplo, aceita a certificação de um fornecedor mesmo que algum requisito importante não seja cumprido, desde que existam evidências objetivas de correção da situação em 28 dias; já o IFS jamais autorizaria a emissão de um certificado em caso de qualquer desvio significativo. PROGRAMAS E CERTIFICAÇÕES BRC E IFS
  • QMI BENEFÍCIOS CHAVE (BRC E IFS):  Facilidade no acesso aos mercados do Reino Unido, Alemanha e França; Fortalecimento das relações; Maior transparência; Aumento da confiança do cliente; Minimização de riscos alimentares; Controlo eficaz dos processos internos e minimização do risco de falhas; Demonstração de uma abordagem proativa em relação à segurança alimentar PROGRAMAS E CERTIFICAÇÕES ORGANISMOS CERTIFICADORES
  • QMI BRC GLOBAL STANDARD FOR FOOD SAFETY BRC GLOBAL STANDARD STORAGE & DISTRIBUTION Gestão de riscos de segurança alimentar na fazenda e na colheita - Resíduos de pesticidas - Patógenos Definir melhor prática agrícola Gestão de segurança alimentar e qualidade do pacote assegurarando a rastreabilidade e preservando a integridade do produto PROGRAMAS E CERTIFICAÇÕES ORGANISMOS CERTIFICADORES
  •  Comprometimento da gestão do topo;  Adoção e implementação de um plano HACCP (Análise de Riscos e estabelecimento de Pontos Críticos de Controle);  Um sistema de Gestão da Qualidade efetivo e documentado;  Programas ambientais, controles de perigos genéricos abrangendo as Boas Práticas de Fabricação e as Boas Práticas de Higiene, Programa de controle de pestes, Programa de manutenção;  Auditorias anunciadas e não anunciadas (BPF, registros, sistemas e documentação). PRE-REQUISITOS PARA IMPLANTAÇÃO PASSOS IMPORTANTES
  • PRE-REQUISITOS PARA IMPLANTAÇÃO COMPROMETIMENTO DA ALTA DIREÇÃO
  •  Comprometimento da administração  dificuldades, investimento, tempo,  recursos, treinamento e  certificação;  Seleção e designação do coordenador  comunicação com a alta direção  conhecimento da instituição;  Formação do Comitê de Coordenação  Diretoria, Gerentes ou Chefes e Coordenadores; PRE-REQUISITOS PARA IMPLANTAÇÃO COMPROMETIMENTO DA ALTA DIREÇÃO
  • AUTOMAÇÃO TOTAL DA FUNÇÃO QUALIDADE EM ABATEDOUROS DE AVES
  •  Gerenciamento da Qualidade  Documentação e Versão de Documentos  Aprovadores e Aprovação de Documentos,  Copias Controladas e Controle de Revisões  Circular 175 com todos os seus 18 Elementos  Laboratório e Laudos  Especificação Técnica dos Insumos e Produtos  Vinculação de Imagens  Desenho Técnico  Atributos e Características para controle nas inspeções de qualidade  Avaliação e Qualificação de Fornecedores  Rastreabilidade assistida  Informatização do SIF  Registro On-Line de condenações e Anomalias  Amostragens da Qualidade e Inspeção em Produtos e Insumos  RNC – Plano de Ação e Relatórios de Não Conformidades  Diário da Qualidade (Amostragens Chão de Fábrica/Insumos)  Diário de Atributo e Garantia da Qualidade GESTÃO DA QUALIDADE 100% INFORMATIZADA ABRANGÊNCIA DOS CONTROLES
  • CIRCULAR 175 TOTAL CONTROLE INFORMATIZADO VIA COLETORES RF E TABLET
  • CIRCULAR 175 / 1 MANUTENÇÃO DAS INSTALÇÕES E EQUIPAMENTOS
  • CIRCULAR 175 / 2 VESTIÁRIOS, SANITÁRIOS E BARREIRAS SANITÁRIAS
  • CIRCULAR 175 / 3 ILUMINAÇÃO
  • CIRCULAR 175 / 4 VENTILAÇÃO
  • CIRCULAR 175 / 5 ÁGUA E ABASTECIMENTO
  • CIRCULAR 175 / 6 ÁGUAS RESIDUAIS
  • CIRCULAR 175 / 7 CONTROLE DE PRAGAS
  • CIRCULAR 175 / 8 LIMPEZA E SANITIZAÇÃO - PPHO
  • CIRCULAR 175 / 9 HIGIENE, HÁBITOS HIGIÊNICOS E SAÚDE DOS OPERARÁRIOS
  • CIRCULAR 175 / 10 PROCEDIMENTO SANITÁRIO DAS OPERAÇÕES - PSO
  • CIRCULAR 175 / 11 MATÉRIAS PRIMAS, INGREDIENTES E MATERIAL DE EMBALAGEM
  • 28 GERAÇÃO DE RNC PARA O FORNECEDOR PARA DIVERGÊNCIAS NA QUALIDADE OU CONDIÇÕES DE APARÊNCIA E APRESENTAÇÃO DO INSUMO. VISIBILIDADE DAS NÃO CONFORMIDADES NAS PRÓXIMAS NEGOCIAÇÕES COMUNICAÇÃO DE RNC PARA O FORNECEDOR VIA E-MAIL CIRCULAR 175 / 11 MATÉRIAS PRIMAS, INGREDIENTES E MATERIAL DE EMBALAGEM QUALIFICAÇÃO DE FORNECEDORES
  • CIRCULAR 175 / 11 MATÉRIAS PRIMAS, INGREDIENTES E MATERIAL DE EMBALAGEM - INSPEÇÃO
  • CIRCULAR 175 / 11 MATÉRIAS PRIMAS, INGREDIENTES E MATERIAL DE EMBALAGEM RASTREABILIDADE
  •  Avaliação da Carga e Check List Recebimento  Avaliação da Arte, Insumos e conformidade com a Especificação Técnica  Avaliação da Amostragem em conformidade com as normas ABNT  Geração de Relatório de Não Conformidade (RNC) de Insumos  Envio de e-mail para o Fornecedor e Representante sobre a ocorrência  Solicitação de resposta eletrônica pelo fornecedor utilizando-se de formulário eletrônico de resposta associado a RNC  Acompanhamento das RNC e visibilidade das ocorrências nas próximas negociações no momento da solicitação de compra CIRCULAR 175 / 11 MATÉRIAS PRIMAS, INGREDIENTES E MATERIAL DE EMBALAGEM RASTREABILIDADE
  •  Identificação do Lote, fornecedor, data de validade  Apontamento por Pallet ou com controle individual por código de barras  Controle de Locais de Estocagem e estoque armazenado  Liberação do Lote para uso para sala de preparação de embalagens ou sala preparação de condimentos  Vinculação aos produtos produzidos por Lote em cada produto produzido  Baixa Insumos via Ordem de Produção com vinculação pela ordem de uso  Sequestro de Insumos retidos pela qualidade  Análise de Laboratório para itens críticos e condimentos CIRCULAR 175 / 11 MATÉRIAS PRIMAS, INGREDIENTES E MATERIAL DE EMBALAGEM RASTREABILIDADE
  • QUALIFICAÇÃO DE FORNECEDORES AUTO-AVALIAÇÃO, AUDITORIAS EXTERNAS E DOCUMENTAÇÃO
  • QUALIFICAÇÃO DE FORNECEDORES CHECK LIST E AUDITORIAS ELETRONICAS
  • FORNECEDORES DESQUALIFICADOS SÃO BLOQUEADOS NAS COTAÇÕES DE COMPRA DE INSUMOS ACOMPANHAMENTO DAS RNC DE FORNECIMENTO NO MOMENTO DA NEGOCIAÇÃO DO COMPRADOR COM O FORNECEDOR QUALIFICAÇÃO DE FORNECEDORES AUTO-AVALIAÇÃO, AUDITORIAS EXTERNAS E DOCUMENTAÇÃO
  • CIRCULAR 175 / 12 TEMPERATURAS  Interligação com a Central de controle de temperatura e sala de máquinas  Registro direto utilizando leitura PT100  Acompanhamento de Alarmes para temperatura critica
  • CIRCULAR 175 / 13 CALIBRAÇÃO E AFERIÇÃO DE INSTRUMENTOS DE PROCESSO
  • CIRCULAR 175 / 14 ANÁLISE DE PERIGOS E PONTOS CRÍTICOS DE CONTROLE - APPCC
  • CIRCULAR 175 / 15 RESULTADOS LABORATORIAIS (MICROBIOLÓGICOS, FISICO-QUIMICOS, BIOQUIMICOS, TOXICOLOGICA E SOROLÓGICA
  •  Módulo de laboratório para análise internas e remessa para análises externas;  Solicitações/Recepção de Análises com identificação de lote e origem. Amostras de produtos da fábrica de ração, granjas, incubatorio, cama, soro, água e insumos;  Supervisão de Análises em Andamento e Encerradas (internas e externas)  Rastreamento de Amostras Não Conformes  Contra prova  Bloqueio de Lotes para insumos não conformes e Bloqueio Expedição  Análise para unidades de armazenagem para Grãos e fábrica de ração  Agendamento Automático de Análises periódicas e acompanhamento da Freqüência de Análises  Função Rastreabilidade e Estratificação/Tipificação Salmonela desde a fábrica de ração até o produto na linha de abate;  Remessa de amostras para análise em laboratórios externo com atualização eletrônica do fornecedor diretamente na base de dados Agrosys;  Gerenciamento dos custos das análises para o laboratório interno e tabelas padrões de custo para laboratório conveniado CIRCULAR 175 / 15 RESULTADOS LABORATORIAIS (MICROBIOLÓGICOS, FISICO-QUIMICOS, BIOQUIMICOS, TOXICOLOGICA E SOROLÓGICA
  • CIRCULAR 175 / 15 RESULTADOS LABORATORIAIS (MICROBIOLÓGICOS, FISICO-QUIMICOS, BIOQUIMICOS, TOXICOLOGICA E SOROLÓGICA
  • CIRCULAR 175 / 15 RESULTADOS LABORATORIAIS – RASTREABILIDADE SALMONELA
  • CIRCULAR 175 / 16 RESPALDOS PARA CERTIFICAÇÃO SANITÁRIA DE PRDUTOS CERTIFICAÇÃO BRC
  • CIRCULAR 175 / 17 FORMULAÇÃO E COMPOSIÇÃO DOS PRODUTOS - PPCAPP
  •  Geo-Referenciamento das granjas, localização de composteiras e arco de desinfecção  Registro de Temperatura, Ventilação, Programa de Luz, Análise do material da cama e controle de quantidade de criações para cada lote  Vazio sanitário  Densidade de aves por M2  Jejum  Transporte de aves  Tempo de Espera na plataforma  Inspeção de caixas CIRCULAR 175 / 18 BEM ESTAR ANIMAL
  • CIRCULAR 175 / 18 BEM ESTAR ANIMAL  Transporte de aves, descarga, pendura, insensibilização e sangria
  • Acompanhamento das RNC para os Programas de Autocontrole visualizando a quantidade de RNC em cada status ajustando o plano de ação e complementando informações de como se encontra o processo de solução do problema reportado. RNC E AUTO CONTROLES GERAÇÃO DE RNC E ACOMPANHAMENTO DO PLANO DE AÇÃO
  • RNC E DESDOBRAMENTOS GERAÇÃO DE RNC E ACOMPANHAMENTO DO PLANO DE AÇÃO
  • EXPERIÊNCIA EM IMPLANTAÇÃO CONSULTORIA, BANCO DE DADOS PRE-MONTADO  Equipe experiente com participação em mais de 10 processos de certificação BRC e ISSO  Relatórios de rastreabilidade e documentação da qualidade já homologado em auditorias internas, externas e auditorias de certificação  Processo e metodologia de rastreabilidade e controle com eficiência comprovada  Redução do número de pessoas focadas para a garantida da qualidade mediante automação e informatização dos controles  Segurança das informações e relatórios homologados pelo SIF  Sequestro de Produtos e Programa de Recall  Certificado de Rastreabilidade na expedição de produtos até o cliente homologado
  • EXPERIÊNCIA EM IMPLANTAÇÃO CONSULTORIA, BANCO DE DADOS PRE-MONTADO  Rotinas da Qualidade pré-configurada garantindo redução no tempo e caminho crítico para a certificação  Modelo de documentos e formulários homologados garantindo padronização e foco no controle  Gerenciamento eletrônico das não conformidades com validação mediante plano de ação  Captura dos dados relevantes para o controle de forma informatizada e na linha de produção evitando digitações posteriores e eliminando formulários de apontamento no chão de fábrica  Implantação dos controles em tempos reduzidos