Your SlideShare is downloading. ×
0
Utilizando RUP e Modelagem de processo para especificar aplicações Web 2.0
Utilizando RUP e Modelagem de processo para especificar aplicações Web 2.0
Utilizando RUP e Modelagem de processo para especificar aplicações Web 2.0
Utilizando RUP e Modelagem de processo para especificar aplicações Web 2.0
Utilizando RUP e Modelagem de processo para especificar aplicações Web 2.0
Utilizando RUP e Modelagem de processo para especificar aplicações Web 2.0
Utilizando RUP e Modelagem de processo para especificar aplicações Web 2.0
Utilizando RUP e Modelagem de processo para especificar aplicações Web 2.0
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

×
Saving this for later? Get the SlideShare app to save on your phone or tablet. Read anywhere, anytime – even offline.
Text the download link to your phone
Standard text messaging rates apply

Utilizando RUP e Modelagem de processo para especificar aplicações Web 2.0

1,503

Published on

Utilizando RUP e Modelagem de processos para especificar aplicações Web 2.0.

Utilizando RUP e Modelagem de processos para especificar aplicações Web 2.0.

Published in: Business
0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total Views
1,503
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0
Actions
Shares
0
Downloads
0
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

Report content
Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
No notes for slide

Transcript

  • 1. ITA – Instituto Tecnológico de Aeronáutica Pós – Graduação em Engenharia Elétrica e Computação Professor Dr. José Maria Parente de Oliveira CE – 262 – Ontologia e Web Semântica Projeto SMS usando DSEO Alexandre Bittencourt Faria Flávio Roberto Ianagui Jaguaraci Batista Silva Roberto Sávio de O. Jr
  • 2. Motivação Como abstrair paradigmas (e.g. POO, POA, POM). Durante a construção de um modelo conceitual de uma aplicação. Como realizar uma verificação semântica de um domínio específico de aplicação. Como associar uma ontologia a um modelo de processo de software existente em empresas.
  • 3. Introdução DSEO Desenho de software para especificação de ontologias. Conjunto de tarefas e artefatos baseados no RUP. Fases de Concepção, Elaboração, Construção, Transição.
  • 4. Introdução SMS Semantic Music Search. Ontologia e ferramenta que permita buscas semânticas.
  • 5. Fases do DSEO Concepção Requisitos Iniciais. Pesquisa de Ontologias para reaproveitamento. Glossário inicial. Elaboração Profundidade técnica dos termos. Casos de uso. Definição de entidades e propriedades.
  • 6. Fases DSEO Construção Diagrama de classe. Avaliar e aprovar. Geração ontologia. Transição Testar. Homologar. Implantar.
  • 7. Artefatos SMS Relatório Conclusão.
  • 8. Conclusão A modelagem de um domínio de aplicação com uma aproximação a ontologia, permite utilizar-se de mecanismos para abstrair paradigmas (e.g. POO, POA, POM). A semântica de um domínio específico de aplicação muda constantemente. Principalmente em função dos requisitos de software estabelecidos pelos stakeholders em diferentes empresas. Construir um software, usando modelos de processos (e.g. RUP, XP, etc;) é mais uma tentativa de diminuir o tempo total de produção, porém não é o bastante. A ontologia, neste caso, pode representar melhor os conceitos.

×