Biome ca nica
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×
 

Biome ca nica

on

  • 514 views

 

Statistics

Views

Total Views
514
Views on SlideShare
514
Embed Views
0

Actions

Likes
0
Downloads
32
Comments
0

0 Embeds 0

No embeds

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Microsoft PowerPoint

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

Biome ca nica Biome ca nica Presentation Transcript

  • BIOMECÂNICA DA CORRIDA PROFADRIANA
  • A corrida pode ser considerada, dentro de uma visão simplista, uma série de pequenos saltos de um pé para o outro que se repete por alguns metros a vários kilômetros.
  •  A velocidade de corrida de um depende da combinação de dois fatores: (1) amplitude da passada; (2) freqüência da passada. A amplitude da passada corresponde à soma de três distâncias: distância de impulsão, distância de vôo e distância de chegada ao solo. A freqüência de passada corresponde ao número de passadas executadas em um determinado tempo. Essa freqüência está diretamente relacionada ao tempo gasto para completar uma passada completa, o qual corresponde à soma do tempo em que o atleta está no solo com o tempo de vôo (HAY, 1981).
  •  FREQUÊNCIA DA PASSADA = ESFORÇO MUSCULAR
  •  Durante cada aterrissagem do pé no solo o corredor fica exposto a forças de impacto repetidas estimadas em duas a três vezes o seu próprio peso corporal. Aplicando este fato a um corredor de 70 kg de peso, que realiza durante a corrida uma média de 250 aterrissagens por pé por kilômetro percorrido, durante um kilômetro cada pé irá suportar 38 a 57 toneladas de força.
  •  Corredores com média de 60 a 120 km/sem podem expor seu corpo à aproximadamente 16.000 a 32.000 impactos por perna por semana, o equivalente a 2.400 a 7.200 toneladas de força.
  • Tipos de Pisadasa) Neutra: Inicia o contato com o solo do lado externo do calcanhar e,então, ocorre uma rotação moderada para dentro, terminando apassada no centro da planta do pé. Calçado ideal, entreamortecimento e estabilidadeb) Supinada: A pisada inicia no calcanhar do lado externo e semantém o contato do pé com o solo do lado externo, terminando apisada entre o 4º e 5º metatarso (dedinho do pé). Pé supinado é, emgeral, muito rígido. Calçado ideal, aumento do amortecimento e daflexibilidade.c) Pronada: Aquela em que a pisada também se inicia do lado externodo calcanhar, ou algumas vezes um pouco mais para a parte interna,para então ocorrer uma rotação acentuada do pé para dentro,terminando a passada perto do hálux (dedão do pé). A pronação é umproblema de hipermobilidade. Calçado ideal, menos flexível, maisestabilidade, e controle do movimento (retropé).
  • Evolução Cronológica dos Calçados Esportivos1866 - Produção do primeiro calçado com sola de borracha;1873 - Surge o termo "Sneaker" (Tênis - Calçado);1890 - Josefh William Foster produz os primeiros calçados com "tachas/pinos/travas" na sola (mais tarde a sua companhia torna-se aReebok);1892 - Fundação d a "Us Rubber Company";1897 - O catálogo "Sears" apresenta "sneaks" de lona branca a um dólar;1908 - Marquis M Converse funda a sua indústria;1909 - Surgem os calçados para basquetebol em couro;1915 - A Marinha americana encomenda os primeiros "Sneaks" para os soldados "1ª Guerra Mundial";1917 - Aparecem os Keds e os Converse "All Star";1920 - O Duque de Windsor lança a moda dos tênis brancos na sua visita aos Estados Unidos;1925 - É fundada a "Dassler Sport Shoes" (mais tarde daria origem à Puma e a Adidas);1929 - A Spalding apresenta o apoio para a Arcada e a Keds solas coloridas;1934 - A Keds apresenta os calçados de lona colorida;1935 - Os calçados de lona azul são aceitos nos campos de tênis;1942 - Desenvolvimento da borracha sintética;1948 - Adi Dassler funda a Adidas e Rudolph Dassler funda a Puma;1949 - Onitsuka Tiger fabrica os primeiros calçados esportivos no Japão (ASICS);1950 - Surgem os ilhoses nas laterais dos tênis para a transpiração;1961 - A New Balance apresenta o "Trackster", o primeiro calçado esportivo disponível em diferentes larguras;1968 - O "Boom" dos calçados esportivos;1971 - Phil Knight e Paul Bowerman fundam a Nike;1972 - A sola "Waffle" revoluciona os tênis para corrida;1979 - Paul Fireman compra os direitos da Reebok;1981 - A Reebok apresenta o primeiro tênis para atividades aeróbicas para senhoras;1989 - A Reebok lança o Pump por 175 dólares;1992 - A Nike introduz a tecnologia Huarache (tênis com uma meia embutida em neoprene);2000 - A Nike introduz um conceito novo: O shox (tênis com sistema de amortecimento em forma de molas);2004 - A Adidas lança o primeiro calçado com chip na sola intermédia (A1), que adapta o sistema de amortecimento conforme ascondições do solo;2006 - A Adidas em parceria com o fabricante de monitores de freqüência cardíaca, apresenta o primeiro calçado capaz de aceitar umsensor de velocidade e distância, fazendo parte de um conjunto calçado/têxtil monitor de freqüência cardíaca, capazes de comunicarcom o relógio do usuário;2006 - A Nike lança o tênis Air 360, tornando-se assim, a primeira empresa a fabricar um par de calçado esportivo, cujo amortecimentoda sola intermédia é totalmente não baseada em espuma de PU;2007 - Isaac Daniel lança uma linha de calçado esportivo com GPS incorporado, este calçado permite ao usuário utilizar um botão de"pânico" caso esteja em situações de perigo;2008 - A Brooks lança a tecnologia BioMogo, um composto da sola intermédia 100% biodegradável em apenas 20 anos, em lugar dos1000 que tarda uma sola convencional;Futuro - A indústria do calçado desportivo é uma indústria de materiais.
  • CALÇADO DESPORTIVO Todo praticante de atividade física, desportistas e atletas, que façam da corrida ou caminhada seu instrumento de condicionamento, devem se preocupar com o uso correto do tênis. Correm riscos de lesões se algumas questões não forem observadas adequadamente.
  •  Faz-se necessário, porém, apontar algumas características fundamentais para às quais o atleta/desportista deve estar atento. 1) Biomecânica: É comum que as lesões por sobrecarga sejam provocadas por uma combinação de fatores intrínsecos e extrínsecos. Dentre os fatores intrínsecos, posso destacar: desalinhamento do pé (pé plano, hiperpronação, pé cavo, tíbia vara, geno valgum, geno varum, patela alta, anteversão da cabeça femoral); discrepância de comprimento dos membros inferiores; fraqueza muscular; flexibilidade reduzida; composição e tamanho corporal; sexo e tipo de pé.
  • O fator extrínseco mais considerável é à força de reação do solo (FRS). No caso da corrida, o contato do pé com o solo, produz uma elevação muito aguda das forças verticais de reação que certamente se constituem, no fator mais importante para as lesões por sobrecarga. Neste sentido, os tênis para treinamento/atividade física são construídos objetivando dar suporte funcional ao pé, evitar movimentos rotacionais excessivos e evitar forças excessivas em geral
  •  Assim são observados alguns princípios: Limitar as forças de impacto durante o apoio (amortecimento), dar suporte ao pé durante o apoio médio (estabilização) e conduzir o pé durante a fase final de apoio (orientação). Podemos afirmar que os principais objetivos em relação à biomecânica do calçado são, de maximizar o rendimento, prevenir lesões e controlar sobrecarga no aparelho locomotor.
  •  Como usar o tênis adequadamente: A indústria utiliza principalmente, EVA (acetato vinil etileno), P.U(poliuretano), MoGo (uma liga plástica), SPEVA, SOLYTE e o X10(carbono), entre outros, na confecção da entressola do tênis. Este material é deformado de acordo com as pressões exercidas na marcha e na corrida. E necessita-se de pelo menos 24 horas para este material se “recuperar” das pressões exercidas, devendo assim considerar, quem corre todos os dias, a relevância da aquisição de um segundo modelo. Um modelo para treino longo, outro para treino de intensidade, por exemplo.
  •  ESTABILIDADE a característica mais importante na escolha do tênis para o treinamento ou atividade física, no que se refere à prevenção de lesões, funcionamento biomecânico correto dos membros inferiores e a performance. E assim, deve ser dada preferência se o indivíduo não for um supinador excessivo ou um pronador excessivo, usar tênis da categoria ESTABILIDADE.
  •  a) Controle do Movimento (pronadores excessivos): São os mais rígidos. Geralmente, são mais pesados, mas muito duráveis, e têm solado plano para oferecer maior estabilidade e suporte. Você deve preferir este tipo de tênis caso tenha um grau de pronação muito acentuada. b) Estabilidade (pronadores leves a moderados, corredores neutros e supinadores leves a moderados podem optar por tênis desta categoria): Estes tênis possuem uma boa estabilidade, sem deixar de lado o amortecimento. Apresentam solado semi-curvo. Em geral a grande maioria de atletas e ou desportistas vão se enquadrar nesta categoria.
  •  c) Amortecimento. (Supinadores moderados a severos): Tem como principal objetivo amortecer o impacto com o solo. Os supinadores, que normalmente têm o pé mais rígido, encontrarão aqui os modelos mais adequados. Solado curvo ou semicurvo para estimular os movimentos dos pés. d) Performance (competição): são tênis mais leves indicados para as competições ou até mesmo treino de intensidade. e) Trilha: Tracking, caminhadas em montanhas, terrenos arenosos e entre outros.
  •  Bom amortecimento prevenindo assim as lesões, dependendo do modelo, entre 500 e 800 km de uso.
  • COMO ESCOLHER O TÊNIS IDEAL? Em primeiro lugar, é preciso entender que os tênis de corrida, em geral, são agrupados em cinco categorias: estabilidade, controle de movimento, amortecimento, performance e trilha. O que de fato vai nos interessar são as três primeiras categorias.
  •  CONTROLE DO MOVIMENTO São os mais rígidos. Geralmente, são mais pesados, mas muito duráveis, e têm solado plano para oferecer maior estabilidade e suporte.
  •  ESTABILIDADE- Estes tênis possuem uma boa estabilidade, mas não deixam totalmente de lado o amortecimento. Amortecem o impacto, pelo menos no calcanhar, e sua estrutura procura minimizar o movimento de pronação , estabilizando o pé após seu contato com o solo.
  •  AMORTECIMENTO Amortecimento: está do outro lado do espectro em relação à categoria Controle de Movimento. Tem como principal objetivo amortecer o impacto com o solo.
  •  Lesões por Supinação excessiva - Entorses por inversão do tornozelo. - Síndrome do estresse tibial medial - Tendinite dos fibulares . - Síndrome do atrito no trato iliotibial. - Bursite trocantérica. - Fratura por estresse do 5º metatarso (fratura de Jones)
  •  Lesões por Pronação excessiva - Fratura por estresse do navicular. - Fratura por estresse do 2º metatarso ( fratura de March). - Joanete. - Fasciíte plantar. - Tendinite do tibial posterior .
  •  - Tendinite do tendão de aquiles. - Síndrome do estresse tibial medial (sóleo e tibial posterior). - Dor na parte medial do joelho. - Neuroma de morton. - Subluxação do cubóide. - Síndrome do túnel do tarso.
  • estabilidade
  • amortecimento
  • trilha