Your SlideShare is downloading. ×
Oficina Comunique-se
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

×
Saving this for later? Get the SlideShare app to save on your phone or tablet. Read anywhere, anytime – even offline.
Text the download link to your phone
Standard text messaging rates apply

Oficina Comunique-se

131

Published on

0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total Views
131
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0
Actions
Shares
0
Downloads
1
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

Report content
Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
No notes for slide

Transcript

  • 1. Mídias Sociais para Jornalistas
  • 2. Jacqueline Lafloufa jornalista de tecnologia desde 2009, trabalhando com conteúdos para mídias digitais. Integrou a equipe Blue Bus, onde era responsável pela curadoria das editorias de tecnologia, publicidade, jornalismo, inovação e mídia. É editora no Brainstorm#9 e colabora com matérias especiais no Tecnoblog. É formada em literatura e pós-graduada em jornalismo científico pela Unicamp. Mídias sociais para jornalistas
  • 3. E você? Conte um pouco sobre o seu interesse, formação e por que está aqui. Mídias sociais para jornalistas
  • 4. 1Pra quê usar mídias sociais no jornalismo?
  • 5. Por que a sua audiência sabe mais do que você
  • 6. Internet = rede mundial de PESSOAS Mídias sociais para jornalistas
  • 7. Mídias sociais = jeitos de conectar pessoas Mídias sociais para jornalistas
  • 8. O jornalismo não é mais o único detentor de notícias Cada pessoa pode emitir sua própria breaking news nas suas mídias Mídias sociais para jornalistas
  • 9. Breaking News involuntária, ainda Mídias sociais para jornalistas
  • 10. Era isso: Mídias sociais para jornalistas
  • 11. Jornalismo agora é uma conversa, não uma palestra
  • 12. É um processo, não um produto
  • 13. Cada vez mais, as notícias são apresentadas ‘em desenvolvimento’ Mídias sociais para jornalistas
  • 14. Surgem online primeiro, pela rapidez da mídia digital Mídias sociais para jornalistas
  • 15. Veículos não conseguem ser mais rápido que as mídias sociais, e às vezes não têm mais crédito com o leitor Mídias sociais para jornalistas Dados da Raquel Recuero - 17/junho/2013
  • 16. E os seus leitores são suas melhores fontes
  • 17. A sua rede pode ter informações valiosas Mídias sociais para jornalistas
  • 18. E o melhor: antes de chegar aos jornais Mídias sociais para jornalistas
  • 19. 2 Cada rede tem um propósito
  • 20. Experimente e observe como cada rede se comporta
  • 21. Twitter: a queridinha dos jornalistas Mídias sociais para jornalistas Rápida, ágil - 140 caracteres de informação Permite conversas mesmo fora das redes pessoais (@replies) Conceito de seguidores - você é grande curador das suas redes Listas - privadas e públicas DMs - Só entre pessoas que se seguem mutuamente
  • 22. Facebook: a intimidade das redes privadas Mídias sociais para jornalistas Cunho mais pessoal, reservado Profissionais costumam separar perfis privados e páginas públicas (personalidades) Permite seguidores e amigos (diferentes graus de intimidade) mensagens em privado - INBOX mensagens públicas - menções Grupos de Discussão - grande flanco a ser explorado
  • 23. Pinterest: a rede social de imagens Mídias sociais para jornalistas Conteúdos imagéticos conseguem ser melhor organizados Menos instantaneidade, mais emoção Usos curiosos: murais com conteúdos específicos, como por exemplo procurados pela justiça.
  • 24. Google+ Mídias sociais para jornalistas Ainda está apagadinha, coitada Em todo caso, ajuda bastante no pagerank do Google Autores podem ter suas páginas pessoais linkadas – e a imagenzinha ajuda as pessoas a clicarem
  • 25. LinkedIn: stalking profissional Mídias sociais para jornalistas Dá para saber onde a pessoa trabalha, em que cargo está, quais foram os últimos postos ocupados A ferramenta de conexão pode ser usada para deixar mensagens É possível checar tanto interesses e especialidades quanto expertises e recomendações
  • 26. LinkedIn: postagens mais profissionais Mídias sociais para jornalistas Como jornalista, dá para fazer postagens razoavelmente frequentes (diárias) para destacar o seu trabalho
  • 27. LinkedIn: company page Mídias sociais para jornalistas Pode ser um ambiente interessante para divulgar suas informações para um determinado público As mensagens são exibidas para quem segue a sua empresa É possível automatizar esse processo.
  • 28. Exercício: Escolha uma publicação e imagine o que poderia ser postado em cada rede 15 min
  • 29. Ferramentas que podem ajudar Mídias sociais para jornalistas Hootsuite / Tweetdeck / Storify / Buffer
  • 30. TWEETDECK Mídias sociais para jornalistas Visualizar múltiplas timelines
  • 31. TWEETDECK Mídias sociais para jornalistas Agendamento de postagens Postagem em mais de uma conta
  • 32. TWEETDECK Mídias sociais para jornalistas Acompanhamento de listas Buscas / Filtros
  • 33. HOOTSUITE Mídias sociais para jornalistas Similar ao Tweetdeck Vantagem: controlar mais de uma rede social ao mesmo tempo
  • 34. HOOTSUITE Mídias sociais para jornalistas Outra vantagem: automatizar algumas postagens usando RSS
  • 35. HOOTSUITE Mídias sociais para jornalistas Diversas abas de streaming
  • 36. STORIFY Mídias sociais para jornalistas Criar uma história embedável usando diversas mídias
  • 37. BUFFER Mídias sociais para jornalistas Deixar postagens ‘penduradas’ para determinados horários
  • 38. 3Você é o curador da sua rede de informações
  • 39. Atenção aos temas discutidos na sua timeline Mídias sociais para jornalistas siga pessoas variadas, passe a seguir alguém que está dando uma opinião muito diferente do restante, busque #hashtags para compreender o contexto. Dê uma fuçada básica na lista de pessoas que são seguidas por gente influente ou informada. É um jeito interessante de expandir a própria rede. Xerete quem as pessoas influentes seguem 5+ falando sobre o mesmo tema = pode ser relevante
  • 40. Saiba o que rola nos Trending Topics #TT Mídias sociais para jornalistas O assunto só chega ao Trending Topics do Twitter quando é citado por muitas pessoas, o que significa que há uma relevância naquele tema. Verifique se é importante ou interessante para você. Eles são regionais - certifique-se de checar a sua região, o país e, em alguns casos, o TT mundial TTs são a ‘pauta do dia’ do Twitter.
  • 41. Organizando seu Twitter Mídias sociais para jornalistas • siga pessoas influentes nas esferas que você atua • assine listas • crie suas próprias listas privadas • entenda quem é seguido por quem, e especule se é útil para você • utilidade: quando o assunto não for mais do seu interesse, você pode deixar de seguir alguns perfis • interaja em conversas
  • 42. Twitter: listas pra que te quero Mídias sociais para jornalistas https://twitter.com/jacquelinee/lists
  • 43. Twitter: Magic Recs Mídias sociais para jornalistas https://twitter.com/MagicRecs
  • 44. Curadoria de Facebook Mídias sociais para jornalistas siga pessoas influentes aproxime-se de grupos de discussão acerta do seu tema use a inbox para fazer perguntas (caso seja necessário confirmar ou entrevistar) siga páginas de publicações ou siga pessoas que não são suas amigas confira quem segue quem no Facebook
  • 45. Facebook: também dá para organizar por listas Mídias sociais para jornalistas
  • 46. Facebook: 'leia mais tarde' em um grupo só seu Mídias sociais para jornalistas
  • 47. Realtime: Twitter > Facebook Mídias sociais para jornalistas Para saber o que está rolando A-GO-RA, o Twitter ainda é mais eficiente que o Facebook. Isso porque o algoritmo do Zuck ainda esconde algumas informações em tempo real por não considerá-las relevantes - é bom ficar atento. Bom caso de uso de Realtime: Pinguim do @pontofrio
  • 48. PAUSA voltamos depois do almoço 
  • 49. VOLTAMOS! 
  • 50. 4 Seja profissional SEMPRE
  • 51. Mas não seja um robô ;)
  • 52. Jornalista ganha marca própria, independente do veículo Mídias sociais para jornalistas "Apesar do caráter essencialmente de entretenimento que os brasileiros dão às redes sociais, é importante salientar que muitos pilares da sociedade não podem se dar ao luxo de transformarem esses ambientes em locais de constante festividade. No caso dos jornalistas, sim, o local também é de entretenimento, mas deve ser levado essencialmente como um eterno ambiente profissional, pois jornalistas são jornalistas dentro e fora das redes, 24 horas por dia." TORRES, Cleyton Carlos - Observatório da Imprensa O leitor assíduo te ajuda - é crítico, aponta pautas e até auxilia conferindo a ortografia (typos acontecem)
  • 53. Jorge Pontual: fotos de gatinhos e até piada com Jared Leto no Oscar Mídias sociais para jornalistas
  • 54. William Bonner: crise de meia idade e escolha da gravata do dia Mídias sociais para jornalistas
  • 55. Exercício: Escolha um dos jornalistas acima e imagine como ele poderia usar as redes Guga Chacra Juca Kfouri Ilze Scamparinni Marília Gabriela Mônica Waldwogel Tadeu Schmidt Rachel Sheherezade Glória Kalil 15 min
  • 56. 5Pesque tendências
  • 57. Mas confira sempre a veracidade da informação
  • 58. “With great power, comes great responsability" - PARKER, Benjamin Mídias sociais para jornalistas O jornalista que está nas mídias será sempre mais cobrado sobre o que escreve - isso porque estar nesse meio é estar mais à disposição (e mais acessível) ao leitor. É preciso redobrar o cuidado com as informações divulgadas e sobre os posicionamentos pessoais feitos nas redes sociais. Vale lembrar que nem tudo que circula na rede é verdade, e é preciso se manter cético e sempre verificar as informações ou buscar fontes confiáveis.
  • 59. Caso: Repórter da Internet Mídias sociais para jornalistas Coletivo de jornalistas que se dispunha a verificar as informações divulgadas na rede durante as manifestações de junho de 2013. Funcionamento: uma central pescava boatos e tendências que eram comentadas nas redes e acionava jornalistas que estavam nos locais para confirmar (ou desmentir) a informação. Nos casos onde não existe a confirmação, deixar isso claro e/ou evitar a publicação. Quando viável, checar com as autoridades qual é o posicionamento oficial (uma alternativa é avisar que autoridade X foi contatada para comentar o caso, e que a notícia será atualizada.)
  • 60. 6Ética e transparência: exigências da rede
  • 61. O jornalista é a sua própria marca. E a rede não perdoa. Mídias sociais para jornalistas Jamais se esqueça da ética. As pessoas que estão na rede perdoam erros, mas não costumam perdoar má fé. Cuidado com associações à marcas e falta de veracidade de informações. A empresa para a qual você trabalha pode sair ilesa, mas o jornalista irá carregar o estigma consigo.
  • 62. Citar outros jornalistas (ou até a concorrência) não é vergonha. Mídias sociais para jornalistas Quando a informação divulgada não tiver sido obtida em primeira mão, não deixe de citar a fonte do original. O mesmo vale para a dica vinda do leitor. Agradeça sempre que possível. Esse reconhecimento de que é preciso fazer uso das suas conexões para completar a matéria é bem visto pelo público. Reconhece quem deve e completa o trabalho jornalístico que fulaninho talvez não saiba/possa/tenha meios de fazer.
  • 63. Acredite no poder da transparência Mídias sociais para jornalistas É preciso ter a coragem de fazer uma nota de rodapé na notícia em questão para avisar sobre o conteúdo que foi atualizado, e deixar claro qual era a informação que havia sido veiculada erroneamente. Isso é especialmente importante para o caso de alguém ter copiado e colado a matéria com o dado errado, ou ter compartilhado um print screen do conteúdo com falhas. A versão web precisa ser sempre a mais recente, e estar atualizada de acordo com as erratas necessárias.
  • 64. 7Não tenha medo de inovar e experimentar
  • 65. “Não se faz jornalismo digital da sua zona de conforto” - Steve Buttry
  • 66. Entenda as novas ferramentas e utilize-as a seu favor Mídias sociais para jornalistas Twitter, por exemplo, permite boa cobertura em tempo real, e gera uma boa gama de leitores para o futuro. A tendência, que levou a Mídia Ninja ao seu reconhecimento, é importante e tem público. Quando a cobertura tradicional (televisiva ou impressa) cessa, o virtual surge como uma forma de prover mais conteúdo para quem ainda quer mais material. Conteúdo com pouca edição e foco no tempo real passa sensação de veracidade. Fotos e pequenos vídeos ajudam a ilustrar o momento. O leitor gosta do conteúdo ‘cru' - ele tira as próprias conclusões depois. Caso: Mídia Ninja
  • 67. Caso: Entrevista via Skype + Soundcloud Mídias sociais para jornalistas Em 2013, a pós TV fez um enorme sucesso durante os protestos. Em uma das transmissões, chegou a um ponto do Ibope. Consegui o contato do Bruno Torturra e conversei com ele. A conversa foi inteira para o Blue Bus. https://soundcloud.com/jacquelinelafloufa/entrevista-com-bruno-torturra
  • 68. Caso: Entrevista via Skype + Soundcloud Mídias sociais para jornalistas http://www.bluebus.com.br/cobertura-independente-do-midia-ninja-entrevista-com-bruno-torturra-ouca-aqui/ o Veloz o Direto o Licença poética para não editar o Realização remota o Multimídia
  • 69. Caso: Entrevista via Skype + Soundcloud Mídias sociais para jornalistas http://www.bluebus.com.br/cobertura-independente-do-midia-ninja-entrevista-com-bruno-torturra-ouca-aqui/ BASTIDORES:
  • 70. Mídias ainda não consolidadas podem ser 'embedadas' Mídias sociais para jornalistas Cada vez mais o jornalismo é multimídia. As pessoas querem ler, mas também ter a possibilidade de assistir, ver ou de ouvir uma notícia. 6 segundos de vídeo fotos e 15 segundos de vídeo Aúdios mais extensos Use-as a seu favor. Cada mídia pode ser útil em um ambiente diferente.
  • 71. Caso: Coberturas imagéticas com auxílio de Vine e Instagram Mídias sociais para jornalistas Eventos como a Campus Party ou o youPIX são essencialmente imagéticos. As pessoas querem ver as imagens, ou vídeos, para se sentirem mais próximas da cobertura. Essa é, no geral, a vantagem de uma cobertura televisiva, mas parte desse encantamento pode ser replicado com a publicação de imagens em tempo real (ou no tempo mais real que o 3G permitir). No Blue Bus, a equipe foi instruída a publicar conteúdos no Vine e no Instagram, e essas postagens eram então incorporadas ao site. A inovação era feita trazendo a cobertura de cada um para um mesmo local, com imagens, vídeos, etc.
  • 72. Caso: Coberturas imagéticas com auxílio de Vine e Instagram Mídias sociais para jornalistas
  • 73. Caso: Coberturas imagéticas com auxílio de Vine e Instagram Mídias sociais para jornalistas
  • 74. Caso: Coberturas imagéticas com auxílio de Vine e Instagram Mídias sociais para jornalistas
  • 75. Caso: Coberturas imagéticas com auxílio de Vine e Instagram Mídias sociais para jornalistas
  • 76. Caso: Coberturas imagéticas com auxílio de Vine e Instagram Mídias sociais para jornalistas
  • 77. Caso: Coberturas imagéticas com auxílio de Vine e Instagram Mídias sociais para jornalistas
  • 78. Exercício: Escolha um assunto, evento ou cobertura jornalística que você tenha interesse e imagine como ela poderia ser melhorada com as redes 30 min
  • 79. “Não se faz jornalismo digital da sua zona de conforto” - Steve Buttry
  • 80. Obrigada! jacqueline.lafloufa@gmail.com @jacquelinee

×