Jornal mural da eja

  • 2,275 views
Uploaded on

 

More in: Education
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Be the first to comment
    Be the first to like this
No Downloads

Views

Total Views
2,275
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0

Actions

Shares
Downloads
5
Comments
0
Likes
0

Embeds 0

No embeds

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
    No notes for slide

Transcript

  • 1. E M E F J OÃODA SILVA Jackson Gomes Tolentino 2010-10-09
  • 2. HISTóRICO DA UNIDADE ESCOLAR: Aos 11 dias de junho de 1999, a EMEF JARDIM LUCELIA teve seu inicio de funcionamento, atendendo pais para matricula. A escola constava com a supervisora escola Sra. Maria do Carmo F. Lolfi e respondendo pela direção o professor Marcelo Augusto Machado. A escola estava localizada na rua organização popular, nº 1.198, Jardim Lucélia, a escola foi construída em caráter emergencial, sem infra-estrutura adequada. A unidade escolar era formada por módulo “Escola de latinha”assim distribuída: 06 salas de aula; 01 secretaria; 01 sala de diretor.
  • 3. BAIRRO Conheça o Grajaú O Grajaú é um distrito da cidade de São Paulo, situado na subprefeitura da capela do socorro (zona sul). Localiza-se próxima à divisa São Bernardo do Campo e às margens da Represa Billings. O Grajaú é um dos distritos mais populosos da cidade de São Paulo, com cerca de 600 mil habitantes. A maioria das pessoas que moram aqui são migrantes da região nordeste. A região enfrenta muitos problemas. Tais como: ausência de coleta de esgoto em alguns lugares, enchentes, falta de segurança, muitas favelas, ocupações em áreas de mananciais, trânsito congestionado e outras dificuldades. Por outro lado, há algumas opções de lazer nessa região. Um dos lugares mais freqüentados pela população são os CEU’s (Centro de Educação Unificado) feito pela prefeitura de São Paulo para a população de baixa renda, tem quadras, piscinas, teatros, aulas de música, canto e muitas outras atividades. Outras opções de lazer nos finais de semana de muito sol para a população dessa região são: o Sesc Interlagos e a Represa. Muitas pessoas freqüentam e fazem o famoso piquenique da população de renda baixa. Os Telecentros são recursos para a população acessar a Internet. Além disso, também oferecem cursos gratuitos de informática. A avenida principal da região é a Dona Belmira Marin. Nela há muitos comércios (cerca de 400). Dentre eles, o que mais se destaca é o comércio de roupas e calçados, além das cinco agências bancárias situadas na avenida. O distrito abriga um único Hospital de suporte grande que é o Hospital Grajaú que recebe quase toda a população dessa região. A melhor coisa que o governo já fez pelo distrito foi o Terminal Grajaú e a Estação Grajaú em que milhares de pessoas passam todos os dias. O maior problema da região é o congestionamento da avenida principal. Algumas das soluções pensadas pela comunidade seria alargar a avenida, tirar a Garagem “Cidade Dutra “ ( a antiga Bola Branca ) e até mesmo construir uma ponte ligando o bairro Cocaia até a região do Sesc. Enquanto as obras não são concretizadas, é bom ter um pouquinho de paciência para chegar ao seu destino. Tome maracujá para poder sobreviver e não morrer de nervoso. Daniele e Viviane (4º B).
  • 4. LENDAS URBANAS A LOIRA DA ESTRADA Segundo a lenda nas estradas à noite, uma loira muito atraente pede carona aos caminhoneiros. Durante a viagem, ela os seduz e ao tentar beijá-la, o caminhoneiro tem a língua decepada e depois é morto.Conta-se que essa mulher, teve uma morte trágica, atropelada por um caminhão.Desde então, sua alma busca eterna vingança. Cuidado ao pedir caronas!!! LEVANDO CRIANÇA NO SACO A lenda do Homem do Saco era e ainda hoje é muito usada pelas mães para assustar as crianças malcriadas, que não obedecem e que saem sozinha na rua. Então, conforme a lenda vagava... pelas ruas andava um velho com um saco sujo nas costas.... e também com as roupas sujas e rasgadas, com aparência de um morador de rua... As mães contam para os filhos que o velho é bem cruel e faz com as crianças sabonetes e botões. Será que você ao entrar no banheiro de sua escola já se deparou com a loira do banheiro? Ou já segurou no colo o bebê diabo? É bastante assustador!!! Cuidado ao entrar no banheiro de sua escola ou cuidado ao segurar o bebê de sua tia!!!! Você acredita mesmo em lenda?! Maria Marta Santos 4ªA
  • 5. Tributo a Vinícius Na noite do dia 17 de agosto, no CEU Três Lagos, na zona sul de São Paulo, o cantor Carlos Navas fez um tributo a Vinícius de Moraes para os alunos da região. Os portões abriram ás 20h, o tributo começou com um documentário, Carlos Navas cantou músicas de grande sucesso de Vinícius de Moraes . Depois da música Carlos Navas recitou poemas, e cantou musicas infantis do livro “A arca de noé”. Depois da música cantada por Carlos Navas, e dos poemas recitados por ele, a platéia começou-o a aplaudi-los, Segundo Carlos Novas, ele voltará ao CEU Três Lagos, ainda neste ano, para fazer uma homenagem á Chico Buarque e Vinícius de Moraes.
  • 6. ENTREVISTA Nome:Alexandre Andriolo 1)Como foi o inicio de sua carreira? R:Carreira iniciada como professor de ensino primário e professor de história com suplência (jovens e adultos). 2) Há quanto tempo o senhor é diretor? R:Na rede estadual há dezenove anos como professor. E na rede municipal há dezessete anos. Dentre esses dezessete anos, cinco transformei em cargo de diretor, prestando um concurso 3) Qual o motivo que o levou a escolher essa profissão. Sua família o apoiou? R:No começo não apoiaram, porque diziam que eu iria ganhar pouco e como homem teria que sustentar a família. Mas com o tempo viram que era uma coisa que eu tinha vocação e que eu gostava e acabaram aceitando.
  • 7. 4) Você encontrou muitos desafios? Quais foram os principais? R:Preconceito, porque poucos homens fazem um curso para dar aula para o primário. Dificuldade de iniciante... e o desafio da carreira como qualquer pessoa enfrenta, como passar seus objetivos, o que você planeja ao estar no local. 5) Se o senhor não fosse diretor, o que gostaria de ser? R:Se caso eu não fosse diretor de escola e se eu pudesse escolher uma outra carreira, escolheria a carreira de cantor, pois eu adoro cantar e acho bonito quem canta. 6) Qual foi sua maior dificuldade encontrada na escola? R:Uma certa rejeição há minha chegada, e essa rejeição era por motivos infudados. Muitas vezes negaram me ajuda por consideração ao outro diretor. Até que elas perceberam que, em uma repartição pública, você deve desenvolver seu trabalho independente de quem esta no “comando”. 7) Qual o maior problema da nossa escola? R:Felizmente não considero E.M.E.F João da Silva uma escola problemática. Alguns problemas que interferem como, por exemplo, a falta de aluno para o noturno que irá ocasionar o fechamento do ensino noturno: um problema grave! 8) Em que medida as condições sociais definem a escola? Bom, sendo diretor de uma escola que fica na periferia um bairro onde há muitas pessoas carentes. Uma escola que há muito tempo recebe o nome de escola do mutirão; isso não é vergonha alguma isso até e alegria e muito orgulho, porque mutirão é um sistema de trabalho onde se exige a colaboração de todos. Onde as pessoas se unem para um bem comum. 9) Até que ponto a escola pode transformar as condições sociais? Bem, a escola é um grande celeiro... Uma escola alegre, onde as pessoas trabalhem com prazer, que tenha projetos como o de xadrez, Ed física; alunos monitores da sala de informática uma escola que tenha as crianças e adolescentes envolvidas em atividade educacionais que as levem a ter amor pelo patrimônio público, se valorizarem... São pessoas que saem transformadas, pessoas transformadas, transformam o mundo.
  • 8. 10) Quando um diretor se torna gestor? Um diretor se torna gestor quando ele pensa o coletivo. Quando, por exemplo, antes de tomar uma decisão pede ajuda e não toma nenhuma decisão antes de falar com seus auxiliares. 11) As famílias e a comunidade demandam da escola soluções para problemas sociais. De que forma a sua gestão lida com essas situações e como trazer os pais para o convívio escolar? Esse desafio de trazer os pais para a escola estamos enfrentado, lutamos para aumentar a qualidade e aumentando a qualidade aumenta os números de pessoas... Estamos planejando fazer um projeto de “Escola de pais”, nesse projeto os pais e outros trarão opiniões sugestões para a escola, 12) Cada vez mais, exige-se que a escola colabore para transformar esse cenário, perceptível do lado de foro de seus muros, tematizando-o em suas atividades diárias com objetivo de melhorar o futuro dos estudantes. Como é trabalhado na escola esse cenário? Já realizamos varia atividades com a comunidade como: mutirão da saúde, programa para tirar o RG, CPF e outros. Temos uma sala de apoio à inclusão, essa sala trabalha com pessoas com deficiência auditivas e é aberta para alunos ouvintes e para alunos de outra escola e para a comunidade. 13) O senhor acha importante que todos estejam envolvidos com educação escolar do bairro onde a escola esta inserida? Sim, prova disso é que há dois anos juntamente com os professores saímos pelo bairro, para que eles tivessem a dimensão de como vivem as pessoas; mas nenhum momento para descriminá-los. Para conhecer outras entidades e outras atividades fora da escola. E para conhecer as atividades que os alunos da nossa escola têm fora dela.
  • 9. C ORDEL Cidade de São Paulo Casa entre esgoto. Mulher entre brigas. Trabalhar, amar e cantar. Um homem ignorante. Um cachorro muito bravo. Um motoqueiro com pressa de chegar. Devagar... São Paulo pára como trânsito. Esta vida corrida, meu Deus! Margarida Maria da Silva C idade esquisita Casas entre córregos Mulher indo trabalhar Ódio rancor gritar. Um homem apressado Um cachorro com raiva. Um ônibus ali quebrado. Mais do que pressa. As pessoas se recolhem. Eta vida esquisita, Meu Deus! Christian Stefan Macaroff
  • 10. G rande São Paulo São Paulo grande São Paulo Cidade de muita gente. Um lugar que tem de tudo. Tem malandro e maloqueiro. Mas tem gente excelente, também tem, Cachorro e mendigo que vive no meio da gente. Quando cheguei em São Paulo Achei que fosse o paraíso Mas aos poucos fui conhecendo Um lugarzinho terrível Também tudo que não presta. Mas também tem coisas muito bonitas. Exemplo, o Ibirapuera lugar de Passeio e lazer, diferente dos Viadutos, cheio de mendigos Que não tem o que comer. Pede um pão, uma esmola Para tentar sobreviver. Enquanto os empresários Tem tudo que imagina. Sua casa tem ar quente na noite Que está fria os pobrezinhos dos mendigos Sofrendo de barriga vazia Sua cama é papelões, nas noites serenas e frias. José Marcos da Silva
  • 11. P oema de São Paulo São Paulo de prédios e casas São Paulo que tem mulher que canta lugares de creches e escola. Meninos de rua que pedem e choram Pessoas que trabalham 24 horas. Bairros de trânsitos e muitas histórias Um homem que para e olha Ruas de esgotos e poças. Este é lugar onde eu moro, meu Deus Aparecida Mendes C idadezinha qualquer Casas entre bananeiras mulheres entre laranjeiras pomar amor cantar. Um homem vai devagar. Um cachorro vai devagar. Um burro vai devagar. Devagar... as janelas olham. Eta vida besta, meu Deus. Carlos Drummond de Andrade
  • 12. SIMPATIAS Sal grosso com alho: quebra Simpatia com coração da olho gordo. galinha para saber o sexo do bebê. Bebê que põe o bumbum para cima está chamando outro Manga com leite mata. bebê. Tomar sopa quente e tomar Vassoura atrás da porta água fria em seguida os olhos espanta visitas mal desejadas. saltam. Dar água na colher de pau para Três pulos para São Longuinho criança faz a criança falar mais faz achar o que está perdido. rápido. Guardar dólar na carteira trás Ganhar perfume de namorada: prosperidade. quando o perfume acabar, acaba junto o Branco na entrada do ano traz paz amor e alegria. relacionamento.
  • 13. CIÊNCIA POP ! Xarope para bronquite - Ingredientes: 1 “coração” de bananeira, lavado e cortado em fatias bem finas. litro de água quanto baste de alho ½ xícara de açúcar - Preparo: Numa panela funda, coloque o açúcar em fogo baixo e mexa constantemente. Quando ficar marrom, coloque um pouco de água e continue mexendo até ferver. Reserve. Numa outra panela, coloque o “coração” da bananeira já fatiado e cozinhe por alguns minutos e depois escorra. Coloque o alho, o açúcar queimado e espere esfriar. Chá para bronquite: Chá para pedras nos rins: - Ingredientes: - Ingredientes: 5 folhas de abacate 3 galhos de quebra- pedra ½ litro de água Preparo: Coloque os ingredientes numa Quanto baste de folhas de poejo panela Quanto baste de folhas de hortelã com água e deixe ferver. Mel ou açúcar queimado para adoçar Chá para doenças renais: - Ingredientes: Preparo: 3 folhas de carobinha Ferva as folhas de poejo e hortelã. 6 folhas de quebra pedra Espere ficar morno e depois adoce 250 ml de água com um pouco de mel ou açúcar Preparo: queimado. Ferva a água. Depois, coloque as folhas e tampe o recipiente por alguns minutos. Após frio, o chá estará pronto.