Gladiador Fernanda 1VD

2,185 views

Published on

0 Comments
1 Like
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total views
2,185
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
13
Actions
Shares
0
Downloads
17
Comments
0
Likes
1
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Gladiador Fernanda 1VD

  1. 2. O que é um GLADIADOR? <ul><li>Gladiador era um lutador escravo treinado na Roma Antiga. O nome &quot;Gladiador&quot; provém da espada curta usada por este lutador, o gladius (gládio). Eles se enfrentavam para entreter o público, e o duelo só terminava quando um deles morria, ficava desarmado ou ferido sem poder combater. Nesse momento do combate é que era determinado por quem presidia aos jogos, se o derrotado morria ou não, frequentemente influenciado pela reação dos espectadores do duelo. Alguns dizem que bastava levantar o polegar para salvar o lutador, outros dizem que era a mão fechada que deveria ser erguida. </li></ul>
  2. 3. História <ul><li>As primeiras lutas conhecidas aconteceram em Roma em 286 a.C. , no começo da Primeira Guerra Púnica. Porém o &quot;esporte&quot; teve início com os Etruscos. </li></ul><ul><li>Durante cerca de sete séculos, as lutas dos gladiadores, entre si ( ordinarii ) ou contra animais ferozes, o que era menos valorizado e prestigioso para os lutadores, foram os espectáculos preferido dos romanos. </li></ul><ul><li>O Coliseu , era o principal palco dessas lutas, em Roma, e suas ruínas ainda se constituem numa atração turística da cidade. </li></ul><ul><li>No ano de 73 a.C. , aconteceu a terceira guerra contra escravos, que teve início com um gladiador, de nome Espártaco . Este liderou um grupo rebelde de gladiadores e escravos, que assustou a então República Romana. A revolta terminou dois anos depois graças a Marcus Crassos . Depois disso os lutadores eram vistos com medo nas épocas de crise. </li></ul>
  3. 5. Filme GLADIADOR Explicação Do filme Gladiador
  4. 6. Gladiator (Gladiador em Portugal e no Brasil) é um filme lançado em 2000, do gênero drama histórico, sob a direção de Ridley Scott. Foi vencedor de cinco prêmios Oscar, e trouxe novamente à moda a temática de histórias situadas em civilizações antigas, tal como o filme Alexandre de 2004.
  5. 7. Enredo O ano é 180 e o general romano Máximo, servindo ao seu imperador Marco Aurélio, prepara seu exército para impedir a invasão dos bárbaros germânicos. Durante o combate, Máximo fica sabendo que Marco Aurélio, já velho e ciente de sua morte, quer lhe passar o comando do Império Romano. A trama onde Cômodo, filho do imperador, mata o pai, assumindo o comando do Império, não é historicamente verídica. Na verdade, Cômodo assumiu quando seu pai morreu afetado por uma peste, adquirida durante uma nova campanha no Danúbio. Enquanto Cômodo assume o trono, Máximo que escapa da morte, torna-se escravo e gladiador, travando batalhas sangrentas no Coliseu, a nova forma de divertimento dos romanos. Máximo, disposto a vingar o assassinato de sua mulher e de seu filho, sabe que é preciso triunfar para ganhar a confiança da platéia. Acumulando cadáveres nas arenas o gladiador luta por uma causa pessoal, de forma quase que solitária e leva benefícios ao povo, submetido pela política do &quot;pão e circo&quot;. &quot;Nesta vida ou na próxima eu terei minha vingança&quot;. Máximo sabe que o controle da multidão será vital para que possa arquitetar sua vingança, que culmina em um combate com o próprio Cômodo.
  6. 8. Contexto Histórico <ul><li>O Império, terceira e última etapa na história da civilização romana, foi antecedido pelos períodos monárquico (753-509 a. C.) e republicano (509-27 a . C.). Trata-se do maior e mais duradouro Império da história universal, estendendo-se pela Europa, norte da África e Ásia no Oriente Próximo desde 27 a C. até 476 na porção ocidental e até 1453 na porção oriental. Durante o Império consolida-se o Modo de Produção Escravista, que se desenvolve até o século III, quando problemas estruturais, marcam o início da crise do escravismo, e conseqüentemente do próprio Império. O agravamento provocado pelas invasões bárbaras culminou com a tomada de Roma pelos ostrogodos no séculoV. </li></ul>
  7. 9. <ul><li>Se inicialmente a retração militar pouco afetou a vida do Império, o fim das guerras de conquista acabou por gerar um processo inflacionário que corroeu a economia romana. A diminuição do afluxo de riquezas e a falta de mão-de-obra escrava, além da corrupção, cada vez maior nos altos cargos do Império, caracterizam uma realidade de profunda crise, que se reflete com as divisões políticas (tetrarquias e depois em Ocidental/Oriental) e com a própria difusão do cristianismo, já que o Império debilitado em sua infra-estrutura e dividido politicamente, não tinha mais forças para resistir a uma religião em que cerca de 1/3 de sua população já havia aderido. </li></ul>
  8. 10. <ul><li>Aproveitando-se da debilitação de Roma, as tribos bárbaras vizinhas começaram a assaltar as fronteiras do Império. Os partos (da Pérsia), penetraram na Síria, sendo derrotados pelos generais de Marco Aurélio. Mais grave para os debilitados romanos foi a longa guerra contra as tribos que habitavam as fronteiras do Danúbio. Os germanos foram expulsos da Itália e empurrados para além do Danúbio. Contra os marcomanos, os iaziges e os quados, Marco Aurélio conduziu pessoalmente as campanhas do Danúbio. A paz foi assinada em 175 e pela primeira vez, os bárbaros foram recebidos como colonos ou como soldados do Império. </li></ul>
  9. 12. <ul><li>Componentes: </li></ul><ul><li>Alexsandro </li></ul><ul><li>Bruna </li></ul><ul><li>Fernanda </li></ul><ul><li>Lívia </li></ul><ul><li>Ronaldo </li></ul><ul><li>Adriano </li></ul><ul><li>Rafaela </li></ul><ul><li>Fábio </li></ul><ul><li>Railane </li></ul><ul><li>Ádna </li></ul>“ O que fazemos na vida ecoa na eternidade...” (Maximus)

×