07   Ceaal Trabalho
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×
 

Like this? Share it with your network

Share

07 Ceaal Trabalho

on

  • 895 views

 

Statistics

Views

Total Views
895
Views on SlideShare
895
Embed Views
0

Actions

Likes
0
Downloads
1
Comments
0

0 Embeds 0

No embeds

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Microsoft PowerPoint

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

07 Ceaal Trabalho Presentation Transcript

  • 1. OBJETOS VIRTUAIS DE APRENDIZAGEM NO ENSINO DE ASTRONOMIA COMO TEMA TRANSVERSAL EM UMA ESCOLA PÚBLICA DE MACEIÓ Ivanderson Pereira da Silva João Pessoa – PB 02 e 03 de maio de 2008
  • 2. Introdução
    • No atual contexto escolar brasileiro, os educadores necessitam de alternativas pedagógicas que auxiliem o processo de ensino/aprendizagem de forma mais eficiente, uma vez que aulas tornam-se a cada dia menos atrativas, o que é um dos principais motivos da evasão escolar. Essa pesquisa tem por objetivo principal testar a eficácia do uso de Objetos Virtuais de Aprendizagem no ensino de Física para o Ensino Médio Noturno, esses OVA serão selecionados do repositório RIVED um projeto da SEED/MEC, através de um estudo de campo com a aplicação de OVA no laboratório de Informática com 5 turmas de segundo ano do Ensino Médio Noturno, turmas essas com 20 alunos em média, onde esses alunos não tiveram a disciplina de Física no primeiro ano do Ensino Médio, devido a carência de professores nessa área.
  • 3. Objetivo
    • A faixa etária desses alunos encontra-se entre 17 e 41 anos, esses alunos, vítimas de um sistema sócio-educacional excludente, estão de volta as escolas em busca de uma nova oportunidade, mas dessa vez estão cansados e outras preocupações que não as educacionais os afligem.
    • O uso de OVA com essas turmas será interessante pois tornam a aula diferente da aula tradicional com quadro e giz, a aula torna-se interativa, multimídiática e o fato de eles próprios poderem construir seu conhecimento eleva sua auto-estima pois eles não se sentirão guiados por um professor, muitas vezes mais novo que eles, eles serão seus próprios professores, autores do próprio conhecimento.
    • Ao final do processo, espera-se que os alunos tenham aprendido de maneira significativa e sejam capazes de fazer associações entre teoria e prática, essa capacidade adquirida será avaliado através de um relatório final elaborado por cada dupla.
  • 4.  
  • 5.  
  • 6. Caracterização do Problema
    • Este trabalho surgiu da necessidade de produzir aprendizagem com significado num curto intervalo de tempo com volume considerável de informações na disciplina de Física em alunos do 1° ano do Ensino Médio da rede estadual de Educação de Alagoas. Baseia-se no uso de ferramentas de software desenvolvidas com o propósito de instruir e produzir conhecimento, os Objetos Virtuais de Aprendizagem. O estudo se desenvolve no contexto da recuperação final que tem por objetivo avaliar a aptidão ou não do aluno que apresentou durante o ano letivo notas insuficientes.
    • No ano letivo de 2007, que teve início em março do mesmo ano, a Rede Estadual de Educação de Alagoas enfrentou duas greves; a primeira, dos professores e teve duração de aproximadamente três meses, a segunda dos servidores técnico-administrativos com duração de um mês. Diante desse quadro, o calendário escolar das turmas se estendeu na Escola Estadual Rosalvo Lobo para meados de abril de 2008.
  • 7.  
  • 8.  
  • 9. Objetos Virtuais de Aprendizagem
    • Os Objetos Virtuais de Aprendizagem podem ser compreendidos como “qualquer recurso digital que possa ser reutilizado para o suporte ao ensino” (WILEY, 2000, p.3). Existe um consenso de que ele deve ter um propósito educacional bem definido, um elemento que estimule a reflexão do estudante e que sua aplicação não se restrinja a um único contexto (BETTIO, MARTINS, 2004). Para Sá Filho e Machado (2003) são como recursos digitais que podem ser reutilizados e combinados com outros objetos para formar um ambiente de aprendizado rico e flexível.
  • 10.  
  • 11.  
  • 12.  
  • 13.  
  • 14. Avaliando Os objetos seriam explorados numa carga horária de 8 horas divididas em dois dias consecutivos, onde o aluno deveria completar as atividades e desafios propostos pelo OVA sob orientação do professor; uma terceira etapa consistiria na elaboração de um relatório descritivo, onde seria avaliado o grau de intimidade com o qual o aluno trataria os conceitos físicos abordados, com finalidade de documentar o processo avaliativo, que deu-se no processo. A última atividade desse circuito seria a proposta do mesmo questionário da etapa 1, com a intenção de verificar possíveis avanços do aluno.
  • 15.  
  • 16. Com relação à aprovação, os alunos que completaram as atividades propostas, avançaram. Dos 20 que foram para a recuperação final, 16 trabalharam com os OVA e foram aprovados e dos outros 4 que optaram pela avaliação tradicional só compareceu e também foi aprovado. O aluno que teve um ano letivo conturbado com greves, ausência de professores e tem necessidade de trabalhar para ajudar nas despesas domésticas, realmente têm sérias dificuldades de entrar no ritmo do Ensino Médio. Apesar disso, os alunos que foram aprovados para o segundo ano, têm plenas condições de estar nessa etapa, pelo menos no que tange à disciplina de Física. Como relatado anteriormente por A1, “Nesses dias não sentimos dificuldades em nenhum assunto dado. O objeto virtual ajudou com certeza nos assuntos para nós”. (A1), e nesse discurso é visível que o conceito estava em sua mente, só não tinha sentido nem significado lógico, agora têm .
  • 17. Referências
    • BETTIO, R. W. de; MARTINS, A. Objetos de aprendizado : um novo modelo direcionado ao ensino a distância. Fica em <http://www.universia.com.br/materia/materia.jsp?id=5938>. Acesso em: 20 mai. 06
    • BRASIL. SEF. Parâmetros Curriculares Nacionais : Matemática, Brasília: MEC/SEF, 1998
    • CACHAPUZ, A.; PRAIA, J.; JORGE, M. Da educação em ciências às orientações para o ensino das ciências : um repensar epistemológico. Ciência & Educação, v. 2, n. 3, p. 363-381, 2004.
    • MERCADO, L. P. L; CAVALCANTE, M. A. S. (Orgs.); Formação do pesquisador em educação: p rofissionalização docente, políticas públicas, trabalho e pesquisa. Maceió, 18o EPENN, Edufal. 2007
    • MOREIRA, Marco A. A teoria da Aprendizagem Significativa e sua implementação em sala de aula . Brasília: Edunb, 2006
    • PAPERT, S. A máquina das crianças : repensando a escola na era da informática. Porto Alegre: Artes Médicas, 1994.
    • SÁ FILHO, C. S.; MACHADO, E. C. O computador como agente transformador da educação e o papel do objeto de aprendizagem . 2004.
    • SANTOS, M. E.; PRAIA, J. Percurso de mudança na didáctica das ciências sua fundamentação epistemológica. In: Ensino de ciências e formação de professores . n.1, Projeto MUTARE. Aveeiro: Eduardo & Nogueiro, 1992
    • SCHLÜNZEN, E. T. Mudanças nas práticas pedagógicas do professor : criando um ambiente construcionista contextualizado e significativo para crianças com necessidades especiais físicas. São Paulo: Tese de Doutorado, PUC/SP, 2000.
    • WILEY, D. The instructional use of learning objects . Online version. Disponível em: <http://reusability.org/read/>.2000. Acesso em 20 fev 2007