Your SlideShare is downloading. ×
Folha da serra junho (1)
Folha da serra junho (1)
Folha da serra junho (1)
Folha da serra junho (1)
Folha da serra junho (1)
Folha da serra junho (1)
Folha da serra junho (1)
Folha da serra junho (1)
Folha da serra junho (1)
Folha da serra junho (1)
Folha da serra junho (1)
Folha da serra junho (1)
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

×
Saving this for later? Get the SlideShare app to save on your phone or tablet. Read anywhere, anytime – even offline.
Text the download link to your phone
Standard text messaging rates apply

Folha da serra junho (1)

199

Published on

0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total Views
199
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0
Actions
Shares
0
Downloads
0
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

Report content
Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
No notes for slide

Transcript

  • 1. Cristalina-GO - Junho de 2013 - Ano II - Nº 22Anuncie: (61) 3447-1998 Atendimento ao Leitor (61) 3039-1258 redacao@folhadaserrago.com.br www.folhadaserrago.com.brA Agrobrasília já mostrou a sua pujança no ano passado e em 2013 bateu novos recordes. A Feira, que acontece noDistrito Federal, movimentou mais de R$ 500 milhões em negócios e recebeu 79 mil visitantes durante os cincodias de evento. A comunidade de Cristalina foi representada pelos produtores rurais e Prefeitura Municipal. Pág. 7Raio X das obrasem CristalinaCriado o Núcleo dePrática Jurídica daFaculdade Central deCristalina Pág. 11Comarca de Cristalinarealiza casamentohomoafetivo Pág. 8Inaugurada a Praçado Garimpeiroque homenageiatrabalhadores minerais Pág. 9Agrobrasília bate recordesTiagoOliveiraFOLHA DA SERRAEnioDionatamO jornal FOLHA DA SERRA deste mêsfez um levantamento de todas as obrasanunciadas pelo Governo do Povo até 31de maio de 2013. Com a matéria exclusiva,você pode acompanhar a situação de cadauma delas. Pág. 3
  • 2. 2 Folha da Serra Junho de 2013CristalinaEnio DionatamFacebook é um site deserviço de rede socialque foi lançado em 4 defevereiro de 2004. Em4 de outubro de 2012, oFacebook atingiu a mar-ca de 1 bilhão de usuáriosativos. Em média, 316.455pessoas se cadastram pordia desde sua criação. Osusuários devem se regis-trar antes de utilizar osite. Depois disso, podemcriar um perfil pessoal,adicionar outros usuá-rios como amigos e tro-car mensagens, incluindonotificações automáticas,quando atualizarem o seuperfil. Além disso, os usu-ários podem participar degrupos de interesse co-mum de outros utilizado-res, organizados por esco-la, trabalho ou faculdade,ou outras características,e categorizar seus amigosem listas como “as pesso-as do trabalho” ou “ami-gos íntimos”. O Facebookpermite que qualquerusuário que declare ter,pelo menos 13 anos, possase tornar usuário registra-do do site.Na campanha eleitoralde 2012, o Facebook foiusado por quase a totali-dade dos candidatos a pre-feito e vereador. Eleitoresapaixonados abusaram daferramenta para defenderou atacar. Denúncias eelogios compartilharam omesmo espaço.A Prefeitura Munici-pal registrou a Fan Page“Cristalina Goiás” e temmais de 3500 usuárioscadastrados que acom-panham as ações institu-cionais. A Fan Page “Pro-teste Já Cristalina” usa arede para atacar as açõesda Prefeitura e levantarquestões polêmicas. Nogrupo “Classificados Cris-talina”, os mais de 6300membros podem anunciargratuitamente a venda,compra e aluguel de qual-quer coisa. Se o objetivoé acompanhar os eventosque acontecem na cida-de, a Fan Page “Galera doCerrado” traz fotos e ca-lendário das festas.Em geral, a popularida-de de um usuário é medidapelo número de amigos queele possui. Uma das críticasà rede social é o fato de se termilhares de amigos virtuaise se conhecer pouquíssimospessoalmente. Em Cristali-na, o Face é muito usado porpessoas de todas as idades efaixas sociais. De jovens naperiferia ao Prefeito, todosusam o Facebook para com-partilhar sua vida, seus inte-resses e protestos.Editora ExecutivaLydia CostaChefe de RedaçãoMaiana NevesRedaçãoEnio Dionatamredacao@folhadaserrago.com.brProjeto GráficoEquipe VincereDiagramaçãoFelipe Pires (estagiário)Tiago OliveiraJornalista responsávelLydia Costa - DRT/DF 9164ComercialTaine Côrte(61) 8529-1328comercial@folhadaserrago.com.brRevisãoEnio DionatamLuiz Alberto GuimarãesMaiana NevesDistribuiçãoFernando CenciCirculaçãoCristalina e regiãoTiragem3.000 exemplaresImpressãoImprima Editora & Gráfica LtdaEditado porVincere Editora LtdaTel.: (61) 3039-1258Telefax: (61) 3447-1998SCLN 406 Bl. E - Sala 2012º Andar - Asa Norte - Brasília - DFCep: 70.847-550Endereço paracorrespondênciaJornal Folha da SerraRua Aymores, Quadra 55,Lote 08 Setor AeroportoCEP: 73850-000Cristalina - GOÉ permitida a reproduçãoparcial ou total das matériasdesde que citada a fonte.Os artigos assinados são deinteira responsabilidade deseus autores.Apoio InstitucionalATAGOEDITORIAL O POVO FALA NO TWITTER EXPEDIENTENA WEBFacebook atingiu a marca de 1 bilhão de usuários ativosA rede social foi usada por quase a totalidade dos candidatos a prefeito e vereador em CristalinaThalita Braga @thalitabraga55@eniodionatamhag parabéns pela matéria “Dnit,Celg e Saneago ignoram Cristalina”, fico feliz porsaber que alguém poderá ter voz por aqui!Marquinho Abrão @marquinhoabraoSaiu mais uma edição do Jornal Folha da Serra doamigo e diretor@eniodionatamhagpic.twitter.com/eiHJg0f0ISMatheus Vasconcelos @MatheusVasParabéns ao amigo @eniodionatamhag pela ediçãodo #FolhadaSerra, sempre muito objetivo e correto!Bruno Campos15(PMDB) @BrunoCampos_GO@eniodionatamhag aqui em Caldas Novas me fala-ram do jornal que o amigo é editor chefe excelentesmateriasEliezer Bispo @EliezerBispoO @eniodionatamhag já recebeu elogios meus váriasvezes. Agora, merece, mais uma vez, pela edição dFolha d Serra q circulou final d semanaFRANKLIN RIBEIRO @senfranklinAcabo de receber das mãos do @mikearanha o Jor-nal Folha da Serra do jornalista@eniodionatamhagficou muito informativo. Parabéns!O jornal FOLHA DA SERRA deste mês traz uma ma-téria especial sobre as obras realizadas pelo Governo doPovo. A matéria aponta a trajetória do trabalho do prefeitoLuiz Attié. Segundo o prefeito de Cristalina, entre as gran-des conquistas para a cidade nos próximos meses está avinda de uma empresa americana que produzirá energiacom lixo, além da instalação do Instituto Federal Goiano eo início de funcionamento da Carreta da Mulher. O jornalaproveitou para fazer um levantamento de todas as obrasanunciadas pelo Governo do Povo até 31 de maio de 2013.Além disso, esta edição aborda a luta dos agricultorespela democratização da água, a participação do Sicredi, doSindicato Rural de Cristalina e da Prefeitura Municipal naAgrobrasília, a feira tecnológica realizada no Distrito Fe-deral, entre os dias 14 e 18 de maio, e a legalização dosmicroempreendedores cristalinenses.Na editoria Quem Foi?, você conhecerá a história deChaud Salles, que nasceu em 1900 e aos 28 anos chegouao Brasil, fugindo de uma guerra em seu país natal. ChaudSalles casou com Benedita Ataídes, uma filha de italianos,com que teve quatro filhos. Na editoria Perfil, confira umpouco da vida e do trabalho de Simony Côrtes, uma cidadãcristalinense que é uma das maiores autoridades do Brasilquando o assunto é meio ambiente.Esta edição traz ainda uma matéria sobre o Facebook,site de serviço de rede social que foi lançado em 4 de feve-reiro de 2004. No texto, você confere informações impor-tantes sobre o site e como ele foi usado nas eleições do anopassado. Conheça também o Núcleo de Prática Jurídica daFaculdade Central de Cristalina (FACEC). O Núcleo pres-ta assistência jurídica para as pessoas da comunidade quenão podem contratar um advogado. Na editoria Meu Bairro, conheça a história do bair-ro Recurso. Acompanhe ainda, nesta edição, outros temassobre Política, Social, Tecnologia e Entretenimento.Boa leitura!
  • 3. 3Folha da SerraJunho de 2013 CristalinaPOLÍTICAAttié e seus desafiosO prefeito de Cristalina tem quatro anos para entregar as obras anunciadasPrefeito de Cristalina, Luiz Carlos AttiéCreche no Povoado de São Bartolomeu. Entrega prevista para setembro de 2013Enio DionatamLuiz Carlos Attié é re-conhecido em todo oDistrito Federal como umimportante corretor deimóveis que participou degrandes momentos de Bra-sília. Sua atuação foi re-conhecida ao longo dos 16anos em que atuou comopresidente do Creci-DF,um poderoso conselho dacapital federal. Acumulouexperiência administrativae colecionou importantescontatos no plano empre-sarial e no setor político.É hábil nas negociaçõese rápido nas finalizações.Vê oportunidades aonde amaioria não enxerga. Lidacom crises, como poucos, eatrai para seu grupo oposi-tores históricos.Em 2008, Attié aprovei-tou um momento de trans-formação do município eagregou valores políticos deCristalina num projeto queduraria, inicialmente, qua-tro anos. Na primeira elei-ção que disputou na vidavenceu o maior grupo dacidade. Implantou um esti-lo nunca visto na Serra dosCristais e esbarrou numasituação vivida em 100%dos municípios brasileiros.A administração de uma ci-dade é bem diferente do queacontece numa empresa.No início de seu primeiromandato, Attié exoneravaassessores e secretários nomesmo ritmo em que se de-mitem funcionários incom-petentes. Mas, na políticaisso tem consequências. Hágrupos e interesses; indica-ções e cobranças; ações ereações. Algumas dezenasde funcionários passarampelas secretarias e não con-seguiram atingir a rapidezque o prefeito queria. Mas,o tempo mostrou que nemele conseguiria. Seus planossaíram do papel, mas os re-cursos não acompanharamo novo ritmo.Attié nunca negou serum sonhador. Porém, nalida pública é necessáriomuito mais do que vontadede fazer. Tudo acontece sehouver recursos. Recursosque nem sempre aparecemou que são mal usados. Noseu primeiro mandato, afalta de um deputado es-tressou Attié, que se desdo-brava dia e noite em idas evindas a Brasília e Goiânia.Fez o papel que caberia aodeputado. Sua ausência daprefeitura era sentida porsecretários e população quenão entendiam a burocra-cia governamental e a im-portância de estar “na cola”do governador que pareciacastigar a cidade porqueseu prefeito não o apoiarana eleição. Mas, Attié nãodesistiu e garante que a si-tuação mudou. “Hoje temosuma boa relação com o go-vernador. Por intermediodo nosso senador Gim Ar-gello, conseguimos ajudar oEstado na liberação de im-portantes recursos federais.Prova disso é a liberação deR$ 2 milhões e 800 mil paraobras no Jardim Planaltoe Cristal”, relata o prefeitoLuiz Attié. Ele aponta que,atualmente, há represen-tantes no Legislativo comoos Deputados Tiago Peixo-to, Frederico Nascimento eHélder Valin.O Prefeito não escondeque poderia ter sido feitomais em sentido físico noprimeiro mandato. Mas, en-tão qual foi o maior legadodesses últimos quatro anos?“A volta da autoestima donosso povo. O município es-tava na UTI e hoje nossa po-pulação gosta da cidade emque vive”, garante Attié.Luiz Attié diz, com or-gulho, que Cristalina é umdos municípios brasileiroscom mais projetos cadas-trados no PAC 2 e por issorecebeu do Governo Fede-ral uma verba de R$ 400mil para serem usados ex-clusivamente na elaboraçãode projetos.Entre as grandes con-quistas para a cidade nospróximos meses, Attié des-taca a vinda de uma empre-sa americana que produziráenergia com lixo; a insta-lação do Instituto FederalGoiano e o início de funcio-namento da Carreta da Mu-lher, que fará consultas eexames de forma itinerante.Fotos:EnioDionatamUma Agência deComunicação Especializada noMEIO RURAL
  • 4. 4 Folha da Serra Junho de 2013CristalinaPOLÍTICA FRUTICULTURAObra Situação atual Previsão de entregaHospital Municipal Chaud Salles Concluída EntregueUPA (Unidade de Pronto Atendimento) no bairro DNER Inacabada Dezembro de 2013*Quadra de esportes no Distrito de Campos Lindos Concluída EntregueGalpão de Triagem de Resíduos Sólidos no bairro Riode JaneiroConcluída Julho de 2013*Asfalto na Vila Andrade Asfalto deteriorado EntregueTrevo de entrada Obra do DNIT InacabadaPórtico de entrada Anunciada Sem previsãoIluminação na Av. Jonathas Turra Concluída EntregueQuadra de esportes na Vila Andrade Nenhuma obra realizada Sem previsãoAsfalto na Vila Guanabara Concluída EntreguePraça na Vila Andrade Concluída EntregueAsfalto no Bairro Cristal Pontos deteriorados EntregueMuro e Capela do Cemitério Concluída EntregueAsfalto na Rua Visconde de Mauá Concluída EntregueRecapeamento nas Ruas Goiás e 21 de Abril Concluído EntregueFeira em São Bartolomeu Apenas terraplanagem. Sem previsãoEscola no bairro Rio de Janeiro Anunciada Sem previsãoCreche no bairro Cristal Em obras Julho de 2013*CAT Concluído EntregueQuadra no bairro Rio de Janeiro Em obras Aguardando licitação *Galeria Pluvial Cristalina Velha Concluído EntregueCiclovia em volta do quartel Inacabado. Sem previsãoPonte 3 Barras Concluída EntregueRevitalização da Praça da Liberdade Anunciada Sem previsãoPista de Cooper Concluída EntregueBriquetes Concluída EntregueFeira dos Produtores Anunciada CanceladaCasa do Artesão Anunciada. Sem previsãoDrenagem na Vila Andrade Concluída parcialmente. Sem previsãoCemitério do Ouro Fino Concluída EntregueGinásio Tancredão Concluída EntregueCasas populares Concluída EntreguePraça no Belvedere Anunciada Sem previsãoPraça Floriano Alves Concluída EntregueCapela Mortuária São Bartolomeu Anunciada Sem previsãoPraça Nilton Fiscal Concluída EntregueReservatórios de água Concluído parcialmente. Sem previsão04 km de rede de esgoto Anunciado Sem previsãoTerminal Rodoviário Anunciado Sem previsãoDistrito Industrial Asfalto feito. Junho de 2013*Aeroporto Regional Iniciado a terraplanagem Novembro de 2013*Hospital do Câncer Anunciado Sem previsãoPlaygrounds Concluído EntregueParque Ecológico Em obras Aguardando recursos*Asfalto em São Bartolomeu Anunciado Sem previsãoGinásio em São Bartolomeu Em obras Junho de 2013*Asfalto no bairro Rio de Janeiro Concluído parcialmente Restante sem previsãoAv. dos Garimpeiros Iniciada e paralisada EmbargadaPrefeitura Concluída EntreguePraça da Vitalidade Iniciada e paralisada Aguardando recursos*Creche em São Bartolomeu Em obras Setembro de 2013*Praça do Garimpeiro Concluída EntregueCreche na Vila São João Em obras Dezembro de 2013*Iluminação pública Concluída EntregueAcademia da Saúde Em obras Agosto de 2013*Praça em Campos Lindos Iniciada Julho de 2013*O Jornal FOLHA DA SERRA fez um levantamento de todas as obras anunciadaspelo Governo do Povo até 31 de maio de 2013. Acompanhe a situação de cada umadelas. Esta matéria é exclusiva sobre obras e não menciona o trabalho realizado nasáreas econômica, de pessoal e social.Enio DionatamCristalina já se con-solidou na tecnolo-gia e alta produção decereais e legumes. Umprojeto pioneiro desen-volvido pela empresaBrava, em parceria como Instituto Agronômi-co de Campinas, estáapresentando aos pro-dutores de Cristalina asvantagens econômicasem produzir frutas. Oprojeto Entre Rios foiimplantado na fazen-da de mesmo nome depropriedade de Edil-son Danielli. Numaárea de oito hectares,foram plantadas, em2010, maçã, tangerinasponkan e dekopon, li-mão taiti, laranja, aba-cate, atemóia, caqui,uva, pêssego, nectarinae ameixa. No final de2013, inicia-se a colhei-ta com quantidade su-ficiente para abastecero mercado interno. Ocultivo é feito com irri-gação por gotejamento.O proprietário daempresa Brava explicaporque investir em fru-tas num mercado domi-nado por cereais e legu-mes. “Trouxemos maisoportunidades de negó-cio para nossos clientes.Isso estimula a rotaçãode culturas e a diver-sificação da produção.Temos excelentes con-dições climáticas, logís-tica interessante e es-tamos muito próximosa grandes mercadosconsumidores”, explicaEdson Carlos.Os mesmos moti-vos levaram o produtorrural Edson Ferrari adeixar as grandes la-vouras de soja e cebolapara investir nas frutas.Em apenas um hectare,Ferrari produz moran-go, figo, uva e manga.Em menos de um ano,já entregou mais de3000 bandejas de mo-rango para os sacolõese supermercados deCristalina. “A principaldiferença é o tempo. Eucolho e entrego na hora,enquanto o que vem deoutras cidades demora,no mínimo, dois diaspara chegar aqui”, con-ta Edson Ferrari.Produtores investemna fruticulturaClima ameno e altitude favorecema produção de frutasProdução de morangos na propriedade do Senhor Edson FerrariEnioDionatam*Previsão informada pela Secretaria de Obras
  • 5. 5Folha da SerraJunho de 2013 CristalinaRaio-XMais fatos e menos boatosSecretário: Valter Tomaz, oValtinho, tem tido uma atua-ção diferente como secretáriode Obras com, pelo menos,duas vantagens: não é políticoe nem tem pretensão de ser.Trabalha de forma imparcialsem esperar benefícios. Tam-bém tem a seu favor o fatode ter trabalhado quase que24 horas ao lado do prefeitoAttié no primeiro mandato.Conhece como ninguém o per-fil exigente do chefe e consegueatender aos pedidos de formacorreta. Claro, dentro do queo orçamento permite. Entre asgrandes obras que coordenaráeste ano está a pavimentaçãoasfáltica dos bairros Cristal eJardim Planalto.Silton: Além de não ter vencido as eleições em 2012, o candidato Silton daOK terá que pagar multa de R$ 53 mil à Justiça Eleitoral por ter comparecidoà inauguração do Cartório Eleitoral no período da campanha. Silton recorreue o caso está no TRE.Homenagem? A Avenida dos Garimpeiros morreu antes de nascer. O tratorencontrou um problema ambiental na sua frente. Os advogados da empresaproprietária do terreno por onde passaria a avenida deram sinal vermelho paraa Prefeitura, que já desistiu da obra.Piso: Nenhuma classe tem sido tão prestigiada pelo pre-feito Luiz Attié como os professores. Nos últimos anos,o município tem saído na frente na adequação do pisosalarial definido pelo Governo Federal com base em da-dos do Fundeb. Com o aumento de 7,97%, o salário basepassou de R$ 1.450,86 para R$ 1.567,00. O valor foi pagoa partir de abril, retroativo a janeiro, fevereiro e março.Presos: Os 114 reeducandos dos regimes fechado e se-miaberto da Unidade Prisional de Cristalina terão atendi-mento médico no próprio presídio. A iniciativa é uma par-ceria entre a unidade e a Prefeitura de Cristalina, por meioda Secretaria Municipal de Saúde. Toda segunda-feira, umclínico geral e uma enfermeira estarão no local.Casa: Desde 2007, o Ministério Público instaurou procedimento obrigando o mu-nicípio a criar a Casa Cristal, entidade de acolhimento institucional para adolescen-tes em situação de risco. O projeto está saindo do papel. Foram iniciadas as obras dereforma e adequação do prédio que estava sendo utilizado pela Faculdade Fesurv,no bairro Belvedere. A Casa será administrada pela Secretaria de Promoção Social.Deputado: Marquinho Abrão abrirá, nos pró-ximos dias, um escritório político para continuaratendendo à população e não sair da mídia. Bempróximo ao poder, o escritório fica em frente à Pra-ça da Prefeitura. Marquinho foi responsável porquase a totalidade dos votos obtidos por Edu Mar-tini no pleito de 2012. Ex-vereador com experiên-cia, Marco Aurélio Ribeiro pretende usar sua po-pularidade e a liderança natural da oposição parasair candidato a deputado estadual. Não confirmanem desmente. Saindo ou não, apoiará Célio Sil-veira para Deputado Federal.Por Enio DionatamCargos: De forma discreta, o Prefeito Luiz Attiéestá nomeando secretários e indicando cargos noestado. Com o aval de Attié, a psicóloga AdrianeSilveira assumiu a Superintendência Regional doCiretran e a educadora Tânia Bittencourt assumiu adireção do CENTEC. Na administração municipal,Rose Attié é a nova Chefe de Gabinete. WanderleyMeireles deixou o Gabinete e assumiu a Secretariade Meio Ambiente. Carlos Sponchiado retornou àSecretaria de Agricultura e Paulo Henrique é o se-cretário Executivo do GGIM (central que controlaas câmeras de segurança). Para os próximos dias,deve haver reforço na Comunicação e no Turismo emudanças no Jurídico e Saúde.Racha: Um grande boato pegou de surpresa a classe política de Cristalina. Pormeio das redes sociais, espalharam que quatro vereadores da base do PrefeitoAttié teriam traído sua confiança. Capitaneados por Marcelo Pezão, os vereadoresZemar da Garagem, Lúcia Salles e Luciana Cândida formariam um terceiro grupona Casa. “Não tenho conhecimento que eu Marcelo Pezão e os demais vereadoresLuciana Cândida, Josemar Reis e Maria Lúcia Salles deixaram de apoiar, de acre-ditar, de confiar, de ser parceiro do Prefeito Luiz Carlos Attié”, respondeu Marcelo.Academia: Está em construção a Acade-mia da Saúde. A obra do Governo Fede-ral terá sala para atividades físicas, salade prevenção e acompanhamento médicopara usuários cadastrados. Foram desti-nados cerca de R$ 100 mil para constru-ção e aparelhagem. A obra está sendo edi-ficada ao lado do Posto de Saúde da ZonaSul Nova (Vila São João) e tem entregaprevista para o segundo semestre.
  • 6. 6 Folha da Serra Junho de 2013CristalinaOMinistério da Agricul-tura, Pecuária e Abas-tecimento (Mapa) apoia ouso da agricultura irriga-da. Além de gerar renda aoprodutor, o uso racional daágua destinada à irrigaçãoajuda na preservação domeio ambiente, o que tor-na a técnica sustentável erentável. Por meio de polí-ticas de fomento à técnica jáconhecida por agricultorese linhas de crédito especí-ficas, como o Programa deIncentivo à Irrigação e à Ar-mazenagem (Moderinfra),o ministério incentiva o usoda irrigação nas pequenas,médias e grandes proprie-dades agrícolas.Na atual safra, o Mo-derinfra está ofertandoao produtor R$ 1 bilhãoem recursos para adesãoao programa. O financia-mento com juros anuais de6,75% permite pagamentoem até 12 anos. Com o fo-mento do governo federalao uso da agricultura irri-gada, o produtor pode sepreparar melhor para en-frentar os fenômenos cli-máticos que vêm afetandoo setor agropecuário, nãoapenas no semi-árido, masem outras regiões do paísonde a irrigação é necessá-ria. Como complemento àprática, também deve serincluída a drenagem agrí-cola nos projetos de irriga-ção devido à importânciano controle do excesso deágua e na redução do pro-cesso de salinização dasterras sob irrigação.Outra importante con-tribuição do Ministérioda Agricultura que tratadiretamente da utilizaçãoracional dos recursos hí-dricos diz respeito ao zo-neamento agroclimático,além de estudos voltadospara o melhor aproveita-mento das águas das chu-vas. O trabalho, realizadoem parceria com a Empre-sa Brasileira de PesquisaAgropecuária (Embrapa)e com o Instituto Nacionalde Meteorologia (Inmet),informa aos produtores ru-rais sobre a adequação decultivares melhoradas, ca-racterísticas de solo e climaem áreas de produção.PráticaProdutores rurais deCristalina, no sudeste deGoiás, estão investindo noaproveitamento de recursoshídricos para aumentar aprodutividade, com a pre-servação do meio ambiente.Hoje, o município dispõede 45 mil ha de lavourasirrigadas. O uso de águade forma sustentável pelosagricultores locais é consi-derado exemplo no Brasil ena América Latina.“Queremos conscienti-zar os produtores da regiãosobre o uso da água daschuvas em barragens”, diz oprodutor rural Luiz Figuei-redo. O agricultor pertenceao grupo que está mudandoo perfil do município goia-no, a partir da irrigação. Aterra úmida e fértil da re-gião favorece o cultivo deprodutos como café, feijão,milho, batata, cebola, alho,tomate, trigo, soja, cevada,abóbora, ervilha e algodão.Hoje, o município produz2,7 milhões de toneladas dealimentos por ano.O produtor VerniWehrmann também in-vestiu nos sistemas de ir-rigação dos 2,3 mil ha dapropriedade, localizadano interior de Goiás, paraa produção de alho, bata-ta, cenoura e cebola. Commais de dois mil emprega-dos na fazenda, ele ressaltaque o sistema de irrigaçãopermite melhor controlede pragas e doenças, re-sultando no menor uso deagrotóxicos e em maiorqualidade nos alimentos.“Os produtores daqui têma consciência de que asustentabilidade tambémvem da irrigação. Arma-zenamos água na épocadas chuvas e usamos parairrigação nos períodos deseca”, ensina.Fonte:www.agricultura.gov.brAgricultura irrigada promove sustentabilidadeCRISTALINA NA MÍDIAIRRIGAÇÃOEnioDionatamProdutores rurais de Cristalina estão investindo no aproveitamento de recursos hídricosO comando volanteda Regional de Luziâniaapreendeu 228 mil kgde milho, avaliados emcerca de R$ 140 mil, eidentificou os reais ven-dedores do produto. Acarga era originária deCristalina e tinha comodestino Pernambuco.Os produtos com do-cumentação irregularestavam acondiciona-dos em cinco veículosdo Distrito Federal. Amercadoria foi libera-da após o pagamento deR$ 33.144,64, sendo R$16.916,30 de ICMS e R$16.189,34 de multa.Fonte:www.noticias.goias.gov.brFisco apreende milho sem notaAgricultores lutam pela democratização da águaAusência de lei e de energia impedem crescimento na agricultura irrigadaEnio DionatamAtualmente, cerca de 54mil hectares são irriga-dos no município de Cristali-na. Boa parte da água usadavem das 110 represas queacumulam água da chuva. Afalta de uma lei de irrigaçãoimpede que a produção agrí-cola cristalinense seja aindamaior.O presidente do Sindica-to Rural de Cristalina, AlécioMaróstica, é também supe-rintendente de Irrigação doEstado de Goiás e um dosmaiores especialistas do as-sunto no país. Alécio lembraa discriminação que há porparte de muitos que achamque a irrigação de lavourasirá acabar com a água. “Te-mos um importante lema:mínimo de água com o máxi-mo de produtividade. O quedesejamos é a democratiza-ção da água; que ela seja usa-da pelo grande produtor ru-ral e também pelo agricultorfamiliar. Há água suficienteno Brasil”, diz o presidente.Estudos indicam que háuma divisão de interesses.Há os que querem a águapara produção de alimentose os que querem usá-la parageração de energia. Aléciolembra que é possível usar amesma água que passa pelasusinashidrelétricasparamo-ver os pivôs de irrigação. “Épecado usar a água da chuvaque vai parar no mar?” pon-tua Alécio.Recentemente, repre-sentantes da Celg, empresaenergética de Goiás, garan-tiram aos produtores que,até meados de 2014, haveráaumentonaofertadeenergiaAlécio Maróstica, presidente do Sindicato Rural de Cristalina esuperintendente de Irrigação do Estado de Goiásna região. A saturação im-pede que novos pivôs sejamligados e até força os agricul-tores a controlarem o horáriode uso dos equipamentos.“Vamos aguardar. Agricultorsempreacredita.Mas,estánahora de diversificar a matrizenergética. Estamos implan-tando estudos para uso daenergia solar na irrigação”,conta Alécio Maróstica.ENIODIONATAM
  • 7. 7Folha da SerraJunho de 2013 CristalinaAGROBRASÍLIAAgrobrasília 2013 bate recordes e surpreendeProdutores e comunidade cristalinense participam de FeiraDa RedaçãoA Agrobrasília 2013 em-placou novos e cada vez maisimpressionantes recordes.Segundo o balanço parcialda organização, a Feira mo-vimentou mais de R$ 500milhões em negócios, umaumento de 30% em relaçãoao ano passado, e recebeu 79mil visitantes durante os cin-co dias. O número de expo-sitores também foi destaque:385 empresas e instituiçõesajudaram a engrandecerainda mais a sexta edição doevento no Parque Tecnoló-gico Ivaldo Cenci. Em 2014,a Agrobrasília será maior emelhor, tornando-se a Gran-de Feira Internacional doCerrado Brasileiro.O presidente da Coopa-DF e da Agrobrasília, Le-omar Cenci, ressaltou queos resultados são fruto dotrabalho conjunto da orga-nização e parceiros, da con-fiança dos expositores e daqualidade e interesse dosagricultores que visitam aFeira. “É um esforço da co-munidade. O diferencial é oatendimento que o exposi-tor tem. É uma família quetrabalha aqui dentro. Nãoé fácil, para 110 associados,fazer um evento desse tama-nho. É graças à comunidadedo PAD-DF e entorno queabraçam a Feira”. A Agrobrasília movimentou mais de R$ 500 milhões em negócios e recebeu 79 mil visitantesLuiz Attié e o ministro da Agricultu-ra, Antônio AndradeCom estande na Agrobrasília, Sindicato Rural recebeu produtores e visitantesO presidente do Sindi-cato Rural de Cristalina,Alécio Maróstica, recebeuprodutores e visitantes daAgrobrasília no estandemontado em parceria comoutras entidades de apoioà produção agrícola. AlécioMaróstica parabenizou aFeira, que se destaca a cadaano no cenário nacionalcom foco nas culturas pra-ticadas no Cerrado. “Tra-tar da irrigação e debaterum assunto tão importan-te para o agricultor comoo combate à Mosca Bran-ca coloca a Agrobrasíliacomo um evento diferente,que trata de temas locaise apresenta as tecnologiasque são criadas aqui e uti-lizadas em todo o Brasil”,elogia Alécio.O prefeito de Cristali-na, Luiz Attié, participou daabertura da Agrobrasília emconjunto com o Governadordo Distrito Federal, Agne-Sicredi apresentou linhas de crédito aos clientes durante a AgrobrasíliaSicredi participa daAgrobrasíliaEstande recepcionou visitantes e associadosEnio DionatamMais uma vez, a Coo-perativa de CréditoSicredi Planalto Centralparticipou da maior fei-ra do Cerrado brasileiro.Na Agrobrasília, a equi-pe Sicredi recepcionouseus clientes e o públicopresente num belíssi-mo estande. Na ocasião,apresentou as linhas decrédito do BNDES e FCOfocados no financiamentode máquinas agrícolas.Para Pedro Caldas,presidente da Sicredi Pla-nalto Central, na feira épossível mostrar aos agri-cultores as diferenças dosistema cooperativista emrelação a outras institui-ções financeiras.O Sicredi fez ques-tão de levar associadosde Pires do Rio, Ipamerie Campo Alegre para co-nhecerem a Agrobrasília.“Trouxemos esse benefí-cio para nossos associa-dos para que eles tenhamnovas experiências, co-nheçam outros produto-res e adquiram mais co-nhecimento”, disse PedroCaldas.Para 2013, o presi-dente anuncia a aberturade novas agências do Si-credi em Catalão, Orizo-na e Silvânia.SÉRGIOKREMERSindicato Rural na AgrobrasíliaPrefeitura participa da Feiralo Queiroz, e com o Minis-tro da Agricultura, Pecuáriae Abastecimento (Mapa),Antônio Andrade. O GDF eMapa têm muito interesseno que acontece em Crista-lina. A produção agrícola domunicípio abastece a capitalfederal e boa parte do país.A Prefeitura providencioua montagem de um estandeem que foram apresentadosprodutos industrializadosno município que se tornouo novo polo de produção dealimentos do Brasil. O mi-nistro Antônio Andrade e oMapa defendem e incenti-vam os projetos de irrigaçãopraticados em Cristalina.TiagoOliveiraSÉRGIOKREMERENIODIONATAM
  • 8. 8 Folha da Serra Junho de 2013CristalinaEnio DionatamOserviço de mototáxi emotofrete foi legaliza-do em Cristalina. Por inter-medio da Superintendên-cia Municipal de Trânsito(SMTCris), foram criadasregras para melhorar ascondições de trabalho dacategoria que ainda nãotem um sindicato organiza-do na cidade para defenderseus interesses.Atualmente, há oito pon-tos registrados que podemoperar com, no máximo, 12motos cada. Cada motota-xista participou de um cursoespecífico para o setor e ad-quiriu equipamentos obriga-tórios de proteção e identifi-cação. Estes incluem antenascorta pipas, protetor contracachorros, capacetes com vi-seiras e coletes refletivos.Antônio Gabiraba éproprietário do MototáxiUnião Crist alinense, o pri-meiro da cidade, aberto hámais de 15 anos. Antônioaprova as intervenções daSMTCris, mas lembra queainda não é possível usar oscoletes. “A Prefeitura aindanão liberou as placas ver-melhas que são de aluguel.Se pegarmos rodovia, comoacontece toda hora, e tiver-mos com colete, mas sema placa vermelha, a PolíciaRodoviária nos prende porque estamos ilegais”, dizGabiraba. Ele explica quetodos os mototaxistas estãoaguardando a liberação dasplacas e que, por isso, oscoletes de identificação sãousados apenas nas corridasdentro da cidade.Em Cristalina, o serviçoé muito usado por não haversistema de transporte coleti-vo. Dentro da cidade, o custode uma viagem de moto foifixado em R$ 4. Para fora,combina-se com o piloto novalor de R$ 1 por km. Estáproibida a abertura de novospontos de mototáxi.CIDADE E ENTORNOMototáxis aguardam placas vermelhasA placa vermelha identifica as motos de aluguel e transporte de passageirosEnioDionatamDIVULGAÇÃOA Prefeitura de Cris-talina pretende, nospróximos dias, instalar,em um só local, os trêsmecanismos de ajudaao microempreendedore pequeno empresário.Unindo o Sebrae, o Ban-co do Povo e a Sala doEmpreendedor, espera-se dar toda orientaçãotécnica a quem já lega-lizou sua prestação deserviço e para aquelesque ainda deverão sairda informalidade.As facilidades e bene-fícios para se abrir umamicroempresa têm atra-ído diversos prestadoresde serviço que, duranteanos, trabalharam semamparo legal. Vende-dores ambulantes, pe-dreiros, donos de bares,bordadeiras, doceiras,costureiras, cabeleireiroe manicure estão entreas atividades que pode-rão ser registradas comdireito a CNPJ e emissãogratuita de nota fiscal. Oparticipante poderá emi-tir notas no valor máximode R$ 60 mil por ano ouR$ 5 mil por mês.Conhecido como Mi-croempreendedor Indi-vidual (MEI), o progra-ma gera benefícios delongo prazo. O contri-buinte pagará, mensal-mente, o equivalente a5% do salário mínimo,hoje R$ 33,90. O valoré dividido entre a Previ-dência Social e o ICMSou ISS. Assim, o empre-endedor e sua família es-tarão protegidos com co-bertura previdenciária.O prefeito Luiz Attiédecidiu que não cobraráa taxa do alvará no pri-meiro ano, como formade estímulo à legaliza-ção. Os documentos ne-cessários são cópias doCPF e RG, comprovan-te de residência, títuloeleitoral, carnê de IPTUe, em caso de local alu-gado, cópia do contratode locação. Informaçõesna Sala do Empreende-dor que funciona dentroda Secretaria de Pro-moção Social no antigoFórum ou pelo telefone3612-1230,comAnneMohn.Microempreendedoresestão sendo legalizadosCom contribuição de 5% do salário mínimo, o empreendedor fica legalizado etem amparo da Previdência Social.Prefeitura de Cristalina legaliza microempreendedores da cidadeMototáxi é o principal meio de transporte pago em CristalinaCasamento homoafetivo érealizado em CristalinaCartórios são obrigados a realizar qualquer tipo deunião homossexual no paísEnio DionatamDurante séculos, a ex-pressão “e viveram fe-lizes para sempre” foi apli-cada a um homem e umamulher que, entrando numconto de fadas ou não, es-colheram “juntar as es-covas de dente”. O tempomudou e a composição fa-miliar também, agora am-parada pela lei. Homense mulheres homossexuaispodem, com a legalizaçãoda justiça, formalizar suaunião como sempre foipara os heterossexuais.Duas mulheres que jáviviam uma união estávelem Cristalina entraramcom um processo na Co-marca de Cristalina pedin-do a conversão da uniãoestável num casamentocivil. A cerimônia foi rea-lizada em maio. “Foi nor-mal. Fiquei um pouco ner-vosa no momento de dizero noivo e a noiva, mas faleicerto ‘a noiva e a noiva”,conta Leila Barbosa, Juízade Paz de Cristalina, querealizou a cerimônia civil.O casamento homoafetivoem Cristalina foi o segun-do realizado em Goiás.O Conselho Nacionalde Justiça, órgão de con-trole externo das ativida-des do Poder Judiciário,obrigou todos os cartóriosdo país a cumprirem adecisão do Supremo Tri-bunal Federal (STF), demaio de 2011, de realizara união estável de casaisdo mesmo sexo. Além dis-so, obrigou a conversãoda união em casamento etambém a realização dire-ta de casamento civil entrepessoas do mesmo sexo.
  • 9. 9Folha da SerraJunho de 2013 CristalinaEnio DionatamAPrefeitura de Cristali-na, por meio da Supe-rintendência Municipal deTrânsito (SMTCris), estáempenhada em organizar otrânsito na cidade. Recen-temente, foi instalada, naGaragem Municipal, umafábrica própria de placasde trânsito que são insta-ladas pela equipe da SMT-Cris. Sob coordenação deLuiz Marques, a Superin-tendência instalou, em trêsmeses, mais de 600 placasde parada obrigatória, que-bra-molas, estacionamentoexclusivo para motos, defi-ciente e idoso. Está previs-ta, para os próximos dias,a instalação de mais trêssemáforos nas ruas KaledCosac e 21 de Abril, ao cus-to total de R$ 70 mil.Com uma equipe denove pessoas e um cami-nhão doado pela ReceitaFederal, a SMTCris pre-tende moralizar o até entãoconfuso e desrespeitadotrânsito cristalinense. Fo-ram detectados inúmeroserros de projeto como fai-xas de pedestre em locaiserrados e ruas com senti-do contrário. Uma grandecampanha educativa estásendo desenvolvida. Apósa conscientização, have-rá cobrança de multas. ASMTCris é credenciadajunto ao DETRAN paraincluir as infrações no sis-tema nacional. Os valoresarrecadados com as mul-tas serão aplicados na me-lhoria do trânsito.Idosos e deficientes fí-sicos devem comparecer àSuperintendência no pré-dio da Rodoviária para aemissão da carteirinha queautoriza estacionar em áre-as específicas, como portasde bancos. São necessá-rios documentos pessoais,CNH, documento do ve-ículo e, no caso dos defi-cientes, o laudo médico. Aemissão é gratuita.Em parceria com o Go-verno de Goiás, será im-plantado, em Cristalina,o Programa Goiás Sina-lizado, que levará sinali-zação horizontal e verti-cal a todos os municípiosdo Estado. O Detran-GOEnio DionatamNo dia 16 de maio de1951, um trágico aci-dente tirou a vida de cincogarimpeiros. Todos foramvítimas de um desmorona-mento no famoso Garimpodo Criminoso. Entre estes,Domiciano Ribeiro, quefundou o povoado do “Res-friado” em Ipameri e quemais tarde recebeu o nomede seu fundador. Devido àtragédia, o dia 16 de maiotornou-se, oficialmente, umferiado municipal em Cris-talina, o dia do Garimpeiro.Hoje, a exploração docristal representa muito pou-co na economia do municí-pio.Mas,ahistóriadevemui-to aos bravos garimpeirosque transformaram Cristali-na numa das mais prósperascidades do Brasil. Sessenta edois anos depois do trágicoacidente, foi inaugurada aPraça do Garimpeiro, em ho-menagem aos trabalhadoresminerais. A praça foi cons-truída na Avenida AntoninoCamilo de Andrade, próximoà Praça da Liberdade.Orçada em mais deR$ 201 mil, com recursosprovindos do Ministériodo Turismo, o novo lo-cal de lazer homenageiaos garimpeiros com umaréplica da obra do artistaplástico local Germano deOliveira Melo. As peçasusadas remetem aos ob-jetos usados no garimpocomo pá, sarrilho, cava-deira, picareta e lata pararecolher os cristais. Entreos homenageados estavaSeu Antônio Pereira, 91,o garimpeiro mais idosoda cidade. Emocionado,disse que a praça “foi amelhor coisa que já teveem Cristalina.” Garim-peiro desde os 16 anos,ele apoia a interdição daexploração para plantio.“Está certo. O alimento émais importante do que apedra”, declara confiante.Estiveram presentesmuitos garimpeiros e familiares, o prefeito Luiz Attié,o presidente da AssembleiaLegislativa de Goiás, HélderValin, e o superintendenteda Conab, Marcelo Melo.Marcelo foi autor da emen-da parlamentar para cons-trução da praça quando eradeputado federal.CIDADE E ENTORNOSeiscentas placas de trânsito são instaladasCom fábrica própria, Prefeitura incrementa a sinalização do trânsitoInaugurada a Praça do GarimpeiroNa praça, há uma réplica da obra “O Garimpeiro”, de Germano de Oliveira MeloEnioDionatamEnioDionatamNovas placas estão sendo instaladas nas ruas de CristalinaEstátua representa o trabalho na exploração de cristaisvai disponibilizar projetotécnico e implantar a si-nalização na cidade, alémde oferecer educação detrânsito à comunidade.O programa é sustenta-do pelo tripé engenharia,educação e fiscalização.O primeiro passo consis-te na análise e elaboraçãode projetos de engenharia.Em seguida, o municípioreceberá a sinalização ver-tical e horizontal. Quandoa cidade já estiver com asinalização novinha, outraequipe do Detran-GO virápara desenvolver trabalhosde educação de trânsito.Só depois dessa etapa, serádado início à fiscalização.
  • 10. 10 Folha da Serra Junho de 2013CristalinaArquivopessoalSocialQuem foi?Enio DionatamÉbem provável quevocê não conheça Ca-frum Badra, uma peque-na cidade na Síria. Mas,se mora em Cristalina jáouviu falar de alguém quenasceu em Cafrum e tor-nou-se um dos mais im-portantes cidadãos cris-talinenses. Chaud Sallesnasceu em 1900 e aos 28anos chegou ao Brasil, fu-gindo de uma guerra emseu país natal. Em For-mosa, conheceu e casou-se com Benedita Ataídes,uma filha de italianos. Ti-veram quatro filhos queainda hoje colaborampara o progresso da cida-de dos cristais.O empreendedor natocomprava cristal e leva-va para o Rio de Janeiro.De lá, exportava para aAlemanha. Nessa época,o cristal era usado na fa-bricação de material béli-co. Chaud também tinhaautorização do Ministérioda Guerra do Brasil paravender explosivos, inclu-sive dinamite usada na ex-tração mineral.Naquele tempo não ha-via energia elétrica em Cris-talina. Chaud Salles com-prou um gerador de energiae montou a fábrica de man-teiga Monte Castelo, pro-duto de altíssima qualidadeque era exportado para osEstados Unidos. O geradortambém fornecia energiapara o primeiro cinema dacidade, que também per-tencia a Chaud. Uma ban-da de música tocava antese depois de cada filme. Oprefeito Jonh Edward Sim-monds comprou o geradore ampliou a distribuiçãopara toda a cidade, cerca de700 casas naquela época.No mesmo período,Chaud foi o mentor, jun-to com outros cidadãosilustres, da construção doHospital Municipal. Comindicação do então vere-ador e hoje vice-prefeitoJoão Carlos Fachinello, ohospital recebeu o nome deChaud Salles.Empreendedor, co-merciante, desbravadore guerreiro. Personalida-de forte e destemida deum árabe que colaboroupara o progresso que sevê hoje em Cristalina.Morreu em 1978, vítimade enfisema pulmonar.Continua tendo muitosfilhos. Todos os dias,nasce mais um filho doChaud, um legítimo cris-talinense no HospitalMunicipal Chaud Salles.Conheça a história de Chaud SallesChaud Salles e sua esposa Benedita AtaídesOfotografocristalinenseLéoRibeiroestáparticipan-dodoconcursocultural“FotografeoBrasil”comestabela imagem feita em Brasília. Para votar nesta foto,acesseositewww.competitions.gettyimages.com.Hannah Attié Souza, 18 anos, estudante e modelocristalinense, já coleciona alguns trabalhos im-portantes em sua carreira.Ana Caroline da Silva Gonçalves, estudante do en-sino médio, se prepara para sua festa de debutanteneste mês de junho.Heitor de Alcântara Sgarbossa completou 2 me-ses de vida. Ele é filho de Aline de Alcântara Nu-nes e Delcio Sgardossa.Daniely da Silva Gonçalves, 23 anos, formada emAdministração de Empresas e Carlos EduardoSoares Padilha, 24 anos, formado em Técnico emRadiologia subirão ao altar no mês de julho.Natália Cristina, 18 anos, estudante, foi PrincesaAgropecuária de Cristalina em 2011. Mora, atual-mente, em Rio Verde (GO).Por Enio DionatamFotos Léo Ribeiro
  • 11. 11Folha da SerraJunho de 2013 CristalinaEnio DionatamÉlogo ali, depois da Cris-talina Velha, após aponte sobre o rio Almocra-fe. O bairro Recurso é umdos mais antigos da cidade.Na década de 60, o casal degarimpeiros José e Elza Co-elho veio de Paracatu (MG)atraídos pelas históriasda exploração de cristal.Quando chegaram e se ins-talaram com os dez filhosonde hoje é o Recurso haviasomente três casas. O localera uma grota, um grandeburaco. Carro não chegavaali. Uma ponte bem fracaservia de travessia sobre orio onde a comunidade seencontrava para lavar rou-pa e tomar banho.A grande riqueza na-tural brilhava por todocanto. Muitas pessoaschegavam ali em busca dodinheiro da exploração docristal, pouco ou em gran-de quantidade. Naquelaépoca, havia teatro e cine-ma em Cristalina. Quemqueria levar a namoradaà diversão e não tinha di-nheiro valia-se da natu-reza para agradar a com-panhia. Pegava-se quaseque sobre a terra algu-mas pedras ou miçangasde cristal, vendia-se paraos comerciantes locais econseguia-se um “dinhei-rinho” ou um recurso. Foiassim que surgiu o nomedo bairro. Quem precisavade dinheiro, ia em buscade um recurso.A professora CatarinaCoelho, filha do Seu JoséCoelho, destaca a quali-dade do bairro. “Semprefomos muito unidos. Osmoradores se uniam paragarimpar e conseguir me-lhorias coletivas. Água eluz só chegaram em 1976.Algumas casas ficaramsem a ligação com a rede.Nós mesmos fizemos a li-gação no trecho que a Pre-feitura não fez”.Uma das carências dobairro é a falta de comércio.Enio DionatamAAuxiliar de CozinhaÉlia Fernandes, 25,procurou o Ministério Pú-blico em Cristalina para re-ceber do pai do seu filho apensão que ele não paga háquase um ano. Lá, foi orien-tada a conhecer o Núcleo dePrática Jurídica da Facul-dade Central de Cristalina(FACEC). Como em Goiásnão há Defensoria Pública,a criação do Núcleo ajudaaqueles que precisam dajustiça, mas não podem pa-gar um advogado.A partir do sétimo pe-ríodo, todas as faculdadesde Direito são obrigadas acriar o Núcleo. Os atendi-mentos práticos realizadospelos alunos com acompa-nhamento dos professoresfaz parte dos requisitos queo MEC exige e é matériaobrigatória. Neste semes-tre, nove alunos realizam,em média, 60 atendimentosmensais uma vez por sema-na na sede da OAB local. Nopróximo semestre, haveráreforço de mais 22 alunos.Ricardo Rodrigues, 37,formou-se em Biologia, massempre desejou atuar nodireito ambiental. Elogia aestrutura da Faculdade eo Núcleo. “Está superandotodas as expectativas. Saberque estamos ajudando quemprecisa é muito bom”, contao aluno, que já fez cerca de20 atendimentos, protoco-lou ação e conseguiu realizardiversas conciliações. “Nos-sos atendimentos são emcausas de família, criminaise cíveis que não envolvampatrimônio”, explica o Coor-denador do Curso de Direitoe do Núcleo de Prática Ju-rídica da FACEC, advogadoHugo Molena.O Ministério Público, aOAB e o Poder Judiciáriodão total apoio às ativida-des. “Nossos alunos podemparticipar de audiênciase tirar dúvidas na promo-toria a qualquer momen-to”, diz a coordenadora doEniodionatamEniodionatamMEU BAIRROAÇÃO SOCIALConheçam a história do bairro RecursoMoradores destacam a tranquilidade e a união no bairroNúcleo de Prática Jurídica da FACEC faz papel de Defensor PúblicoCausas de família são as principais petições apresentadas pelo NúcleoRua de entrada do bairro RecursoFormando em Direito faz atendimento no NúcleoJá houve um matadouro euma fábrica de manteiga.Hoje, há uma merceariae alguns bares. Porém, atranquilidade é destacadapelos moradores. Mais de240 crianças estudam naEscola Municipal MiguelCury que é mantida pelaPrefeitura em prédio cedidopela Maçonaria. Na escola,há consultório odontoló-gico, quadra de esportes esala de informática.Núcleo, advogada MarianaBeatriz Silva. A Coordena-ção criou uma carta conviteque estimula a conciliaçãoentre as partes envolvidas.O assunto é resolvido e ojudiciário apenas faz a ho-mologação do pedido, evi-tando o acúmulo de proces-sos. As triagens são feitasnas tardes de terça-feira naFACEC e os atendimentos ànoite na sede da OAB. Tudogratuito.
  • 12. 12 Folha da Serra Junho de 2013CristalinaEnioDionatamPERFILConheça Simony CôrtesA cristalinense trabalha em prol do meio ambienteEnio DionatamUma cidadã cristalinenseé uma das maiores au-toridades do Brasil quandoo assunto é meio ambiente.Simony Côrtes, 42, foi dele-gada de Goiás no encontrointernacional Rio +20. Édoutora em gestão ambien-tal pela Universidade deCoimbra em Portugal. Fun-cionária pública municipale estadual, Simony possui28 anos de bons serviçosprestados. Já foi professorade português, inglês e ma-temática do ensino funda-mental ao superior. Foi co-ordenadora pedagógica domunicípio e secretária mu-nicipal de Meio Ambiente.Acredita que sua maiorcontribuição nesses anos deserviço público foi ajudar adespertar, nas crianças, ointeresse e gosto pelas ques-tões ambientais. Simonyentende que somente coma perfeita convivência en-tre o homem e a naturezaserão possíveis dias melho-res. E como preservar o quenão conhece? Para isso, elaorganiza caminhadas, tri-lhas e passeios ecológicosna Reserva Linda Serra dosTopázios, uma imensa áreade 500 hectares com faunae flora preservados, onde setrabalha a ecologia humana.Simony tem dois filhos.A Camila tem 19 anos e é es-pecial; nasceu com paralisiacerebral. Ficou 45 dias naUTI e teve morte aparente.Mas, sua inteligência ficoupreservada. Camila é a gran-de inspiração e instrutorada mãe. Ela despertou emSimony a importância de seprestar atenção no ser hu-mano, principalmente nosespeciais, que manifestamseus desejos e temores pelospequenos gestos. A maior li-ção para uma pessoa agitadacomo Simony foi aprender,com Camila, a resolver, comcalma, as coisas.Simony é tambémempresária. Por meio daÁguia Ambiental, elaboraprojetos e licenciamentosambientais. Seus projetosfuturos sempre incluemo melhor para Cristalina.Está coordenando umapesquisa que resultará nainstalação de uma usinapara queima de resíduossólidos (lixo) e tratamentodos gases. Isso resultaráem despoluição do solo deforma adequada, corretotratamento do lixo e reor-ganização do aterro sani-tário com a implantação dacoleta seletiva.Simony Côrtes é umadas muitas pessoas quecontribuem para umaCristalina cada vez me-lhor. Seu lema traduz suasações: “Educar é Preciso”.Simony e sua filha Camila

×