Your SlideShare is downloading. ×
0
Oriente medio israel palestina prevupe
Oriente medio israel palestina prevupe
Oriente medio israel palestina prevupe
Oriente medio israel palestina prevupe
Oriente medio israel palestina prevupe
Oriente medio israel palestina prevupe
Oriente medio israel palestina prevupe
Oriente medio israel palestina prevupe
Oriente medio israel palestina prevupe
Oriente medio israel palestina prevupe
Oriente medio israel palestina prevupe
Oriente medio israel palestina prevupe
Oriente medio israel palestina prevupe
Oriente medio israel palestina prevupe
Oriente medio israel palestina prevupe
Oriente medio israel palestina prevupe
Oriente medio israel palestina prevupe
Oriente medio israel palestina prevupe
Oriente medio israel palestina prevupe
Oriente medio israel palestina prevupe
Oriente medio israel palestina prevupe
Oriente medio israel palestina prevupe
Oriente medio israel palestina prevupe
Oriente medio israel palestina prevupe
Oriente medio israel palestina prevupe
Oriente medio israel palestina prevupe
Oriente medio israel palestina prevupe
Oriente medio israel palestina prevupe
Oriente medio israel palestina prevupe
Oriente medio israel palestina prevupe
Oriente medio israel palestina prevupe
Oriente medio israel palestina prevupe
Oriente medio israel palestina prevupe
Oriente medio israel palestina prevupe
Oriente medio israel palestina prevupe
Oriente medio israel palestina prevupe
Oriente medio israel palestina prevupe
Oriente medio israel palestina prevupe
Oriente medio israel palestina prevupe
Oriente medio israel palestina prevupe
Oriente medio israel palestina prevupe
Oriente medio israel palestina prevupe
Oriente medio israel palestina prevupe
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

×
Saving this for later? Get the SlideShare app to save on your phone or tablet. Read anywhere, anytime – even offline.
Text the download link to your phone
Standard text messaging rates apply

Oriente medio israel palestina prevupe

2,918

Published on

0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total Views
2,918
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
1
Actions
Shares
0
Downloads
47
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

Report content
Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
No notes for slide

Transcript

  • 1. CONFLITO ENTRE ISRAEL E PALESTINA
  • 2. ORIENTE MÉDIO
  • 3. IMPORTÂNCIA ESTRATÉGICA DO ORIENTE MÉDIO 1. presença do petróleo na região 2. presença de armamento bélico 3. localização estratégica no globo terrestre 4. influência cultural e religiosa• IMPORTÂNCIA GEOGRÁFICA – localizado no sudoeste asiático, estrategicamente entre três continentes: Europa, Ásia e África.• Pontos importantes: 1.Canal de Suez – ligação artificial entre o mar Mediterrâneo e o mar Vermelho 2.Estreito de Ormuz – liga o Golfo Pérsico ao oceano Índico (rota obrigatória dos petroleiros dos países árabes) 3.Estreito de Bósforo – liga o mar Mediterrâneo e o mar Negro (passagem da Europa para países asiáticos)
  • 4. ECONOMIA • Constituído por 17 países, mais o Estado Palestino (ainda não reconhecido) • Presença de importantes jazidas de petróleo na Península Arábica
  • 5. HISTÓRIA E DIVERSIDADE ÉTNICA E RELIGIOSA• Área de ocupação antiga, a região recebeu influências de diversas civilizações (egípcios, civilizações da Mesopotâmia – sumérios, assírios e caldeus, hebraica, fenícia e pérsa.• Expansionismo árabe (séc. VII a XV) e presença de do Império Otomano (séc. VII a XX).• Após a I Guerra Mundial, as áreas que então pertenciam ao Império Otomano foram repartidas entre França e Reino Unido• Berço das 3 maiores religiões monoteístas – judaísmo, cristianismo e islamismo.
  • 6. CONFLITOS TERRITORIAIS• Ocasionados pelas diversidades étnicas e religiosas e pela disputa de território.• A região é a maior consumidora do mercado mundial de armas.• Dentre as disputas, a questão da Palestina é a mais sangrenta
  • 7. A QUESTÃO DA PALESTINA• Palestina (do original Filistina – “Terra dos Filisteus”) é o nome dado desde a Antigüidade à região do Oriente Próximo (impropriamente chamado de “Oriente Médio”), localizada ao sul do Líbano e a nordeste da Península do Sinai, entre o Mar Mediterrâneo e o vale do Rio Jordão. Trata-se da Canaã bíblica, que os judeus tradicionalistas preferem chamar de Sion. • Há 60 anos tem sido alvo de violenta disputa entre árabes e judeus. • A Palestina foi conquistada pelos hebreus ou israelitas (mais tarde também conhecidos como judeus) por volta de 1200 a.C.
  • 8. PALESTINA• Por volta de 1750 a.C. uma terrível seca atingiu a Palestina. Os hebreus foram obrigados a deixar a região e buscar melhores condições de sobrevivência no Egito. Permaneceram no Egito, cerca de 400 anos, até serem perseguidos e escravizados pelos faraós. Liderados então, pelo patriarca Moisés, os hebreus abandonaram o Egito em 1250 a.C., retornando à Palestina. Essa saída em massa dos hebreus do Egito é conhecida como Êxodo.De acordo com a Bíblia, foi durante o êxodo dos hebreus, que Moisés recebeu de Deus a tábuados Dez Mandamentos (Decálogo), quando atravessava o deserto do Sinai. A partir daí, oshebreus passaram a adorar um só deus, adotando o monoteísmo.
  • 9. JUDEUS• Descendentes dos hebreus (antigos habitantes da Palestina que haviam sido expulsos pelos romanos no início da era Cristã• Dispersos pelo mundo (diáspora), passaram a ser chamados de judeus (hoje – israelenses)• Alegam direitos históricos sobre a Palestina (longa ocupação da região)
  • 10. ÁRABES• Ocuparam a região durante sua expansão (entre os séc. VII e XV).• Permaneceram na região durante o domínio do Império Otomano e do protetorado britânico.• Também denominados de palestinos.
  • 11. O FIM DA PALESTINA ÁRABE• Segunda Guerra Mundial: Holocausto.• Sob a doutrina racista do III Reich, cerca de 7,5 milhões de pessoas perderam a dignidade e a vida em campos de concentração, especialmente preparados para matar em escala industrial.• Estima-se que entre 5,1 e 6 milhões de judeus tenham sido mortos, o que representava na época cerca de 60% da população judaica na Europa.
  • 12. O Holocausto marcou a humanidade para a história degradante e os limites sem fronteiras da pesquisa clínica desvirtuada, agressiva, perversa e degradante. Para a ética da Pesquisa, surge no Tribunal de Nuremberg em Genebra, o Código de Nuremberg ( 1947 ). Posteriormente surgem novos Códigos e Declarações Internacionais e no Brasil o CONEP, Comissão Nacional de Ética em Pesquisa do ConselhoMulher de 30 anos vítima dos Nacional de Saúde que estabeleceexperimentos científicos. as Diretrizes e Normas Regulamentadoras de Pesquisas em Seres Humanos.
  • 13. 1947 – ONU APROVA A PARTILHA DA PALESTINA• Estado Judeu (Israel)  56,7% da áreas• Estado Palestino  42,6% da área• Jerusalém  Área Internacional sob administração da ONU
  • 14. 1947 – ONU APROVA A PARTILHA DA PALESTINA• Palestinos, que somavam 1.300.00 habitantes, ficaram com 11.500 km2• Judeus, que eram 700.000, ficaram com um território maior (14.500 km2), apesar de serem em número menor.• Os judeus transformam suas terras áridas em produtivas.• 1948 criação do Estado de Israel. Palestinos reagem atacando Jerusalém que, segundo a ONU, deveria ser uma área livre.
  • 15. INÍCIO DO CONFLITO• Movimento sionista – surgiu na Europa no final do séc. XIX, quando os judeus elegeram a Palestina como a terra prometida para a construção de seu respectivo Estado• A Inglaterra (responsável pela região na época) permitiu a entrada de colonos judeus na Palestina• O choque com os habitantes locais (árabes) foram inevitáveis e cada vez mais intensos
  • 16. AGRAVAMENTO DO CONFLITO APÓS A II GUERRA MUNDIAL• Durante a II Guerra Mundial, o fluxo migratório dos judeus para o Oriente Médio aumentou, devido a perseguição a qual estes foram submetidos pelos nazistas• Com o final da II Guerra e a independência dos protetorados ingleses, a situação entre árabes e judeus ficou insustentável
  • 17. A PARTILHA DA PALESTINA• Intervenção da ONU• 1947• Divisão da região em dois Estados: – um Estado árabe – um Estado judaico
  • 18. 1º CONFLITO: GUERRA DEINDEPENDÊNCIA DE ISRAEL (1948-1949) (Egito, Síria, • Países Árabes Jordânia, Líbano e Iraque) e povo palestino atacam Israel. • Objetivos  Impedir a formação do Estado de Israel e • expulsar os judeus da Palestina. • Inconformados com a decisão da ONU, os palestinos declararam guerra aos israelenses, com a intenção de expulsá-los da região • A guerra (1948/49) terminou com a vitória de Israel e o fim da territorialidade árabe no Estado que lhes fora designado pela ONU
  • 19. RESULTADO DO 1º CONFLITO• Israel vence e ocupa parte do território dos Palestinos• Egito ocupa a Faixa de Gaza• Jordânia ocupa a Cisjordânia• Jerusalém é dividida: Parte Ocidental (domínio dos Judeus) e Parte Oriental (ocupação da Jordânia)• PALESTINOS FICAM SEM TERRITÓRIO (sem seu próprio Estado)
  • 20. RIVALIDADE• Apesar de perder o território, os árabes preservaram a vontade de manter a soberania em suas terras, agora ocupadas por Israel• Com a derrota, cerca de 750 mil palestinos foram expulsos de sua pátria (estes passaram a viver em países vizinhos, onde eram tratados como cidadãos de segunda classe)• O mesmo aconteceu com os palestinos que permaneceram no Estado de Israel
  • 21. 2º CONFLITO: GUERRA DOS SEIS DIAS 1967• Egito, Jordânia e Síria preparam um novo ataque a Israel• Israel antecipa o ataque dos árabes e ataca primeiro
  • 22. RESULTADO DO 2º CONFLITO• Israel em apenas seis dias conquista:1. Toda Faixa de Gaza (antes sob domínio egípcio)2. Toda Península do Sinai (Território do Egito)3. Toda a Cisjordânia (antes sob domínio da Jordânia)4. Colinas de Golan (Território da Síria)5. Toda cidade de Jerusalém
  • 23. IMPORTÂNCIA DE CADA ÁREACONQUISTADA NA GUERRA DOS SEIS DIAS• Faixa de Gaza e Cisjordânia  Controle total sob a Palestina (sionismo)• Península do Sinai  Segurança Nacional (Proteção de suas fronteiras com o Egito)• Colinas de Golan  Área de Nascentes (Recursos Hídricos)
  • 24. 3º CONFLITO: GUERRA DO YOM KIPPUR 1973 do Perdão”).• Guerra do Yom Kippur (“Dia Aproveitando o feriado religioso judaico, Egito e Síria atacam Israel; são porém derrotados e os israelenses conservam em seu poder os territórios ocupados em 1967.• Para pressionar os países ocidentais, no sentido de diminuir seu apoio a Israel, a OPEP (Organização dos Países Exportadores de Petróleo) provoca uma forte elevação nos preços do petróleo.
  • 25. REAÇÃO PALESTINA - A OLP• 1959 – o líder palestino Yasser Arafat cria o organização terrorista Al-Fatah, que passou a lutar pela recuperação dos territórios palestinos• Em 1964, a Al-Fatah transformou-se na OLP (Organização para a Libertação da Palestina)• Instalada na Jordânia, a OLP passou a atacar Israel e também a receber ataques israelenses (apoiados pelos EUA)• Em 1970, a OLP foi expulsa da Jordânia e migrou para Beirute, atacando Israel a partir do sul do Líbano
  • 26. DIÁLOGO ENTRE A OLP E ISRAEL• Em 1982, devido aos intensos ataques de Israel ao Líbano, a OLP deixou o país, instalando-se na Tunísia• Em 1988, a OLP mudou seu discurso e Arafat renunciou ao terrorismo, aceitando dialogar com os representantes israelenses• Início dos anos 90 – pequena esperança de paz na região (líderes moderados assumiram o poder em Israel)
  • 27. JERUSALÉM – POMO DE DISCÓRDIA• PALESTINOS – presença das mesquitas do Domo da Rocha e de Al-Aqsa (sagradas) na porção oriental, onde o profeta Maomé subiu aos céus, conforme a crença Vista de Jerusalém muçulmana• ISRAELENSES – única capital e centro da vida judaica quando esse povo habitava a Palestina, onde vivia o rei Davi e onde está o Muro das Lamentações Torre de Davi
  • 28. EXTREMISMOS• Grupos radicais de ambos os lados não aceitam os acordos estabelecidos por seus respectivos líderes, não admitindo a convivência de um Estado palestino com um Estado judeu• Árabes – Hezbollah (Partido de Deus), Hamas e Jihad não aceitam a representação da OLP e os acordos de paz• Israel – Kach, Yesha e Eyal• Fanatismo religioso• Atentados terroristas – homens-bomba• Jihad – guerra santa
  • 29. O MURO DE ISRAEL • Em 2002, os israelenses começaram a construir um muro entre Israel e Cisjordânia, visando proteger seu território contra ataques terroristas palestinos • A construção gerou tensões políticas internas e muitas críticas palestinas e da comunidade internacional
  • 30. CAUSAS DOS CONFLITOS QUE OCORREM NO ORIENTE MÉDIO• Os curdos são um grupo étnico que se considera como sendo nativo de uma região freqüentemente referida como Curdistão, que inclui partes adjacentes de IRÃ, IRAQUE, SÍRIA e TURQUIA. Comunidades curdas também podem ser encontradas no LÍBANO, ARMÊNIA, AZERBAIJÃO (Kalbajar e Lachin, a oeste de Nagorno-Karabakh) e, em décadas recentes, em alguns países europeus e nos Estados Unidos
  • 31. PALESTINA HEZBOLLAH HAMAS JIHAD
  • 32. HAMAS“RESISTÊNCIA ISLÂMICA” • Hamas é a abreviatura de Harakat Al-Muqawama Al- Islamia (Movimento de Resistência Islâmica), uma organização política palestina que luta contra a existência do Estado de Israel. O movimento ficou conhecido somente em 1987, quando este grupo islâmico conservador surgiu atuante na Faixa de Gaza e na Cisjordânia, tornando questionável a atuação da Organização para a Libertação da Palestina (OLP).
  • 33. JIHAD• Organização criada por por estudantes palestinos no Egito. Em 1981, o Jihah assassinou o presidente egpcio Anwar Sadat• O grupo tem uma pequena base de apoio. Ao contrário do Hamas, que é bem maior e administra escolas e hospitais, a Jihad Islâmica não tem nenhum verdadeiro papel social ou político. A facção é baseada na capital da Síria, Damasco, e acredita-se que seus recursos financeiros venham do Irã. A Jihad Islâmica tem como objetivo a criação de um Estado palestino islâmico e a destruição de Israel por meio de uma guerra santa. O grupo também se opõe aos governos árabes alinhados com o Ocidente.
  • 34. • Apesar de pequeno, o Jihad é conhecido pela repercussão, em geral, dos seus atentados organizados, por vezes, em cooperação com o Hamas.
  • 35. O Jihad foi autor devários atentados àbomba
  • 36. HEZBOLLAH – Partido de Deus (Organização xiita apoiada pelo governo do Irã)• Nasceu como uma milícia islâmica após a invasão israelense no Líbano em 1982.• É considerado um grupo terrorista pelos Estados Unidos. No Líbano, não é visto como uma entidade terrorista, mas como um grupo de resistência contra a invasão israelense ao país, em 1982. O grupo também é um dos principais partidos libaneses, realiza ações humanitárias e possui uma rede de escolas e hospitais. Os serviços sociais do Hizbollah concentram-se em cinco áreas: ajuda a familiares de mártires, saúde, educação

×