Aula 03 fontes de energia e industria   prevupe
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×
 

Like this? Share it with your network

Share

Aula 03 fontes de energia e industria prevupe

on

  • 2,763 views

 

Statistics

Views

Total Views
2,763
Views on SlideShare
2,513
Embed Views
250

Actions

Likes
0
Downloads
25
Comments
2

3 Embeds 250

http://prevupegeografia.wordpress.com 243
https://www.facebook.com 6
http://ww.prevupegeografia.wordpress.com 1

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Microsoft PowerPoint

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

Aula 03 fontes de energia e industria prevupe Presentation Transcript

  • 1.  Energia é a capacidade de realizar trabalho.  Os combustiveis fornecem mais ou menos energia de acordo com seu poder calorifero. Ex.: 1Kg de petroleo fornece cinco vezer mais energia que a mesma quantidade de bagaço de cana, ao passo que 500g de urânio fornecem a mesma quantgidade de energia que 6.000 barris de petroleo (1 barril = 158,00l)
  • 2.  Fontes Renováveis – Tem a possibilidade de se renovar. (Se bem cuidada pode durar indefinidamente). Não-Renováveis – Se esgotam com o uso. Antigas ou arcaicas (Força muscular) Modernas (carvão mineral, petróleo, energia nuclear, hidroeletricidade) Alternativas (energia solar, eólica, das marés, geotérmica e outras)
  • 3.  1ª revolução (movida a carvão) 2 ª revolução (carvão, petróleo, gás natural e hidroelétrica) Sec. XX Energia nuclear para fins não pacíficos, posteriormente com finalidades pacificas.
  • 4.  Compostos orgânicos formados de carbono e hidrogênio. Resultam da decomposição de plantas e microrganismos soterrados entre camadas de rochas por centenas de milhares de anos.
  • 5.  Substancia sólida de origem orgânica, resultante da transformação de restos vegetais soterrados a milhões de anos. 97% se encontram no hemisfério norte, principalmente na Rússia, Estados Unidos, na Europa e China Vem sendo usado desde a Revolução industrial.
  • 6.  A composição varia conforme a idade geológica da jazida.  Turfa: Possui menos teor de carbono (55%). É o primeiro estágio de desenvolvimentos do carvão.  Linhito: Possui teor de carbono de 65% a 75%. É o segundo estágio.  Hulha: tipo mais abundante e mais consumido, teor de carbono de 75% a 90%.  Antracito: possui de 90% a 96% de carbono. É o melhor e também mais raro.  Junto ao carvão mineral encontramos as águas amoniacas importante para produção de adubos e também o alcatrão matéria prima para o benzeno, antraceno, naftaleno, tolueno, fenol e etc
  • 7.  Origem ligada ao soterramento e decomposição de animais e vegetais marinhos. Geralmente é encontrado associado a jazidas de gás natural.
  • 8.  Smoke + Fog Simplificadamente, podemos considerar o smog fotoquímico como sendo uma mistura de O3 e compostos orgânicos O smog fotoquímico tem sua origem nas reações fotoquímicas entre:  1) Hidrocarbonetos volateis;  2) Compostos de Nitrogênio com o Oxigênio NxOy (Principalmente NO2)  3) O2 da atmosfera
  • 9. No2 UV No + OO + O2 = O 3 Formação de ozônio na baixa Atmosfera.Ele é extremamente prejudicial, pois alem de tóxico é um forte agente oxidante.
  • 10.  Obtido por meio da destilização seca da madeira
  • 11.  No Brasil atende a mais de 93,5% das necessidades nacionais. Brasil 6.000 usinas China 20.000 usinas
  • 12. • Fissão nuclear
  • 13.  É obtido com a decomposição de dejetos orgânicos.
  • 14.  Solar – Será capas de fornecer energia barata e limpa. EUA, China e Israel Geotérmica – Calor do interior da terra. EUA, México, Filipinas, Japão. Eólica – Vento. EUA, Dinamarca, Gracia Holanda. Marítima – Maremotriz. Noruega, França. Biomassa
  • 15.  As atividades do setor Primário são:  Atividades extrativas  Agricultura  Pecuária. A Agricultura pode ser dividida em: de subsistência, comercial, especulativa, coletivista, moderna e agroindústria. No período pré-capitalista, as sociedades eram basicamente agrícolas e não se diferenciavam muito umas das outras.
  • 16.  O setor primário, tradicionalmente caracterizado como rural, com pequena participação nos índices nacionais de produção e técnicas rudimentares, passou por uma grande evolução nas últimas décadas. As novas tecnologias permitem realizar melhoramentos genéticos na agropecuária e aumentar a produtividade, imprimindo um ritmo industrial a essa atividade.
  • 17.  Nas sociedades antigas, a agricultura era a principal atividade econômica. O campo constituía o espaço da produção; a cidade, o espaço da circulação e do consumo das mercadorias produzidas. As civilizações urbanas que se desenvolveram na Mesopotâmia e no Egito eram sustentadas pelo trabalho dos camponeses. O excedente da produção rural se transformava em tributos pagos aos governantes e sacerdotes, habitantes das cidades. A agricultura também foi a base econômica durante toda a Idade Média. Nesse caso, o trabalho agrícola cabia aos servos, e o excedente da produção alimentava os senhores feudais (inclusive o clero) e seus exércitos.
  • 18.  Países Desenvolvidos: A agricultura e a pecuária são praticadas de forma intensiva, com grande utilização de técnicas biotecnológicas modernas. Em razão disso, é pequena a utilização de mão de obra no setor primário da economia. Nesses países, além dos elevados índices de produtividade, obtém-se também um enorme volume de produção que abastece o mercado interno e é responsável por grande parcela do volume de produtos agropecuários que circulam no mercado mundial.
  • 19.  INDÚSTRIA: Parte da economia que engloba empresas cujas principais atividades são a industrialização de matérias-primas e a manufatura de bens para consumo ou elaboração adicional. Quanto a sua evolução histórica, podemos reconhecer três estágios fundamentais:  Artesanato  Manufatura  Maquinofatura. Com a Revolução Industrial, o homem aumentou a sua capacidade de produção.
  • 20.  O artesão além de possuir os meios de produção, participava de todo o processo produtivo, assim como os trabalhadores manufatureiros (apesar de não possuírem os meios de produção, mas somente sua força de trabalho). Contudo, mudanças profundas na divisão e nas relações de trabalho ocorrem com o surgimento do taylorismo, fordismo e toyotismo (just-in-time).
  • 21.  Início do século XX Engenheiro industrial norte-americano Frederick Winslow Taylor. Objetivo de que o trabalho fosse executado de acordo com uma seqüência e um tempo pré- programados, de modo a não haver desperdício operacional.
  • 22.  Henry Ford, outro engenheiro industrial dos Estados Unidos. Criou a denominada linha de montagem Em vez dos trabalhadores se deslocarem pela fábrica, cada um realizava uma única tarefa repetidas vezes.
  • 23.  É um modo de organização da produção que se desenvolveu a partir da globalização do capitalismo na década de 1980.  Mecanização flexível;  Processo de multifuncionalização de sua mão-de- obra;  Implantação de sistemas de controle de qualidade total;  Sistema just in time (menores estoques e maior diversidade produtos).
  • 24.  Algumas características permeiam a automação industrial:  A redução de custos de pessoal;  Redução de custos do estoque (intermédios e terminais);  Aumento da qualidade dos produtos;  Maior disponibilidade dos produtos;  Ágil desenvolvimento tecnológico;  Aumento da flexibilidade da produção.
  • 25. •Segunda metade, emergem na Inglaterra, grande potência daquele período, uma série de transformações de ordem econômica, política, social e técnicaséculo XVlll •Industrialização começou no continente europeu 1815 •A produção industrial se descentralizou da Inglaterra e se expandiu rapidamente pelo mundo, principalmente para o noroeste europeu, e para o leste dos Estados Unidos. Porém, cada país se desenvolveu em um ritmoApós 1850 diferente baseado nas condições econômicas, sociais e culturais de cada lugar
  • 26. INDÚSTRIA E ORGANIZAÇÃO ESPACIAL Rússia – Nas últimas décadas do Alemanha –em 1870, houve a século XIX. Os principais fatoresUnificação Alemã, que, impulsionou para que ela acontecesse foi a grandea Revolução Industrial no país que já disponibilidade de mão-de-obra, estava ocorrendo desde 1815 (foi a intervenção governamental na partir dessa época que a produção economia através de subsídios e de ferro fundido começou a investimentos estrangeiros à aumentar de forma exponencial). indústria. Japão – A modernização data do EUA – Industrializaçãoinício da era Meiji, em 1867, quando relativamente tardia, pode sera superação do feudalismo unificou explicada pelo fato que existia muita o país. A propriedade privada foi terra per capita; demorou bastante estabelecida, a autoridade política tempo para que a indústria ficasse foi centralizada, possibilitando a mais importante que a agricultura. intervenção estatal do governo Outro fator é que os Estados do Sulcentral na economia, o que resultou eram escravagistas, o que retardava no subsídio à indústria. a acumulação de capital
  • 27. 1a fase: 1822 a 1930 2a fase: 1830 a 1956 3a fase: 1956 a 1989 • Muitos autores consideram o ano de 1930 o ano da “Revolução Industrial” no• Esse período Brasil, ele marca o início do processo de industrialização no país. • A crise do café determinada pela Crise de 1929, fez com que na região Sudeste o •Período de maior capital fosse transferido para a indústria. caracteriza-se por • Quase a exclusividade de indústrias de bens de consumo não duráveis (denominado período de “Substituição de importações”). crescimento industrial do • Governo de Getúlio Vargas investiu na criação de empresas estatais do setor de país em todos os tipos de uma reduzida base como a CSN – Companhia de Siderurgia Nacional - siderurgia, PETROBRÁS (extração e refino de petróleo e a CVRD – Companhia Vale do Rio Doce - mineração. indústria, tendo como base atividade industrial, a aliança entre o capital devido a estatal e o capital característica agrário- estrangeiro. exportadora do país. •O governo Juscelino Nessa fase, no Kubitschek dá início a chamada entanto, ocorrem dois “Internacionalização da fatos que facilitam a Economia”. industrialização •Entrada de empresas futura: abolição da transnacionais, escravatura e a principalmente do setor entrada de automotivo. imigrantes, que vão •O processo iniciado por servir e mão-de-obra. J.K. teve continuidade durante a Ditadura Militar (1964 a 1985), destacando- se o Governo Médici, período do “Milagre Brasileiro”, que determinou crescimento econômico, mas também aumento da dívida externa e concentração de renda.
  • 28. 4a fase: 1989 à atualidade 4a fase: 1989 à atualidade• Governo Collor com • Os últimos anos marcaram a continuidade até o Governo abertura do mercado brasileiro, atual. com expressivas reduções na• Marca o avanço do alíquota de importação. Neoliberalismo no país, com • Aumento do desemprego, sérias repercussões no setor devido a falência de empresas e secundário da economia, as inovações tecnológicas devido a grande flexibilização adotadas, com a utilização de da mesma. máquinas e equipamentos• Privatização de quase todas as industriais de última geração, empresas estatais, tanto no necessários para aumentar a setor produtivo, como as competitividade e resistir à siderúrgicas e a CVRD, quanto concorrência internacional. no setor da infra-estrutura e serviços, como o caso do sistema Telebrás.
  • 29.  Abertura da economia brasileira nos anos 90 – pela inserção da política neoliberal - facilitou a entrada de muitos produtos importados, forçando as empresas nacionais a se modernizarem e a incorporarem novas tecnologias ao processo produtivo para concorrerem com as empresas estrangeiras.
  • 30.  A indústria pode ser de beneficiamento, de construção ou de transformação: Beneficiamento: Consiste em transformar um produto para que possa ser consumido, como descascarem cereais ou refinar o açúcar. Construção: Utiliza diferentes matérias-primas para criar um novo produto, como a construção civil. Transformação: Emprega sistemas, com diferentes graus de sofisticação, nas atividades de reelaboração de uma matéria-prima.
  • 31.  Quanto a destinação de seus produtos: de bens não-duráveis e de bens duráveis. Indústria de bens não-duráveis: Produz bens que são consumidos num tempo breve, como os produtos alimentares, cigarros, confecções, bebidas, calçados e medicamentos Indústria de bens duráveis: Que produz bens de longa duração, como eletrodomésticos, máquinas, motores e veículos.
  • 32. De uma maneira mais genética: Indústria de base: Produz bens que servirão de base para outras indústrias, como a metalurgia, a indústria química, fabricação de cimento. Indústria de bens de produção: Considerada a mais importante, pois é por meio dela que são criadas as condições necessárias a outras indústrias. É a indústria de máquinas e ferramentas, cuja existência determina o caráter da economia de um país: dependente ou independente. Assim, se um país produz seus bens de consumo e de uso, mas não produz os meios com os quais possa realizar tais produções, estará na dependência de outros que lhe forneça os equipamentos indispensáveis. Indústria de bens de consumo: É aquele que vai, com produtos da indústria de bens de produção (máquina), fabricar aquilo que o mercado consumidor necessita.  Subdivisão: a) Indústria de bens finais: Produz bens prontos para o uso ou consumo. b) Indústria de derivados: É aquela que emprega como matéria-prima bens já beneficiados ou semi acabados, dando-lhes um novo acabamento (exemplo: indústria de confecções).
  • 33.  Quanto a tonelagem de matérias-primas empregadas e à quantidade de energia consumida, a indústria pode ser: Leve: Produtos alimentares, têxteis, fumo, bebidas, produtos farmacêuticos e calcados Pesada: Metalúrgica, siderúrgica, fabricação de máquinas, veículos automotores e navios
  • 34.  As indústrias tradicionais são aquelas ligadas às descobertas da Primeira Revolução Industrial.  Utilizam muita mão de obra e pouca tecnologia. As indústrias de ponta, ao contrário, utilizam muito capital e tecnologia, e pouca força de trabalho (mão de obra).
  • 35.  Capital;  Energia;  Mão-de-obra;  Matéria-prima; Mercado consumidor; Meios de transportes.
  • 36.  A partir dos anos 50, passou a ocorrer uma intensificação no processo de expansão das multinacionais, em direção a diversas regiões do mundo. Primeiros países que mais receberam filiais das multinacionais foram Brasil, Argentina, México e África do Sul. Década de 60, tal processo de expansão das multinacionais e disseminação da atividade industrial atingiu a Coreia do Sul, Taiwan, Hong Kong e Cingapura. A partir dos anos 80, outros países do sudeste asiático começaram a ter, gradativamente, a indústria como um setor importante da economia. É o caso da Malásia, da Tailândia e da Indonésia
  • 37.  NICs latinos: Ofereciam mão de obra barata, investimentos estatais em infraestrutura de transporte, energia e processamento de matérias- primas essenciais à instalação industrial. Dos incentivos fiscais, a participação nos mercados internos, sem a necessidade de transpor barreiras alfandegárias, e a facilidade de remessa de lucros eram atrativos tentadores às empresas estrangeiras. NICs asiáticos: A estratégia industrial traçada por Taiwan, Cingapura, Coreia do Sul e Hong Kong apoiou-se na IOE (Industrialização Orientada para a Exportação). Objetivo principal: o comércio externo. Daí a expressão plataformas de exportação para designar os tigres asiáticos.  Enquanto na ISI foi preponderante a participação do capital
  • 38.  China: A introdução da economia de mercado está sendo feita pelo próprio Partido Comunista Chinês, em áreas determinadas: ZEEs (Zonas Econômicas Especiais).Idealizadas por Deng Xiaoping e implantadas a partir de 1978 Objetivo de suplantar a estagnação econômica. Nas cidades escolhidas, abriram-se para o investimento estrangeiro, baixos impostos, isenção total para a importação de máquinas e equipamentos industriais, e facilidades para a remessa de lucros ao exterior. Mão de obra mais barata do mundo, o que torna os preços dos produtos de baixo aporte tecnológico (têxtil, calçados e brinquedos) imbatíveis no mercado internacional.
  • 39.  Estão situadas próximas às áreas litorâneas, a pouca distância dos outros grandes centros econômicos do Pacífico. Em 1992, o governo chinês criou 28 novas zonas de livre mercado, mais para o interior, ao longo do rio Yang-Tsé-Kiang.
  • 40.  Setor de serviços, encarrega-se de parte da economia.  Comércio  Corretagem de valores  Seguro  Transportes  Serviços de consultoria  Intermediação financeira  Atividades bancárias  Turismo É o setor que mais cresce. E a principal fonte de renda dos países desenvolvidos.
  • 41.  Eliminação de empregos nos setores primário e secundário; Diversificação do setor terciário; Novos empregos (atividades que exigem aptidões dos seres humanos e difíceis de serem mecanizadas tais como criatividade, liderança, iniciativa, resolução de situações imprevistas, inteligência emocional, etc)
  • 42. Pecuária Primário Agricultura Extrativismo TransformaçãoSetores da Economia Secundário Construção Civil Indústria Comércio Terciário Serviços Administração