Your SlideShare is downloading. ×
  • Like
Poeiras minerais
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

×

Now you can save presentations on your phone or tablet

Available for both IPhone and Android

Text the download link to your phone

Standard text messaging rates apply

Poeiras minerais

  • 57,678 views
Published

Agentes Químicos. Sílica e asbesto (amianto)

Agentes Químicos. Sílica e asbesto (amianto)

Published in Business , Technology
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
No Downloads

Views

Total Views
57,678
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0

Actions

Shares
Downloads
742
Comments
1
Likes
9

Embeds 0

No embeds

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
    No notes for slide

Transcript

  • 1. AGENTES QUÍMICOS Poeiras Minerais
  • 2. Definição Poeira é toda partícula sólida de qualquer tamanho, natureza ou origem, formada por trituração ou outro tipo de ruptura mecânica de um material original sólido, suspensa ou capaz de se manter suspensa no ar. Classificam-se em : Poeiras Minerais; Poeiras Vegetais; Poeiras Alcalinas; Poeiras Incômodas
  • 3. SÍLICA O termo sílica refere-se aos compostos de dióxido desilício, SiO2, nas suas várias formas incluindo sílicas cristalinas,sílicas vítreas e sílicas amorfas. Pela sua abundância na crosta terrestre, a sílica élargamente utilizada como constituinte de inúmeros materiais. As três formas mais importantes da sílica cristalina, doponto de vista da saúde ocupacional são o quartzo, a tridimitae a cristobalita.A seguir apresentam-se exemplos de indústrias, operações e atividadesespecíficas onde podem ocorrer exposição ocupacional à sílica livrecristalina.
  • 4. Indústria/Atividade Operação Específica/Tarefa Agricultura Aragem, colheita, uso de máquinas Mineração e operações relacionadas ao A maioria das ocupações (em baixo da terra, superficial, beneficiamento do minério moinho) e minas (metal, não metal, carvão)Lavra/extração e operações relacionadas com o Processo de trituração de pedra, areia e pedregulho, beneficiamento do minério corte de pedra, abrasivo para jateamento, trabalho com ardósia, calcinação da diatomita Abrasivos para jateamento de estrutura, edifícios.Construção de alto estrada e túneis.Escavação e Construção movimentação de terra.Alvenaria, trabalho com concreto, demolição. Vidro incluindo fibra de vidro Vidro incluindo fibra de vidro Cimento Processamento da matéria prima Produção de carbeto de silício/Fabricação Abrasivos de Produtos Abrasivos Misturas, moldagem, Cobertura vifriticadaCerâmicas, incluindo tijolos, telha, porcelana sanitária, porcelana, olaria, refratários, esmaltes vitrificados. ou esmaltada, acabamento. Fabricação de ferro e aço Fabricação (manipulação) de refratários e reparos em fornos Silício e ferro-silício Manuseio de matérias primas Fundição da peça, choques para retirada da peça do Fundições (ferrosos e não ferrosos) molde.Limpeza da peça que encontra-se com areia aderida na superfície. Uso de abrasivo. Operações de alisamento/aplainamento.Instalação e reparo de fornos.
  • 5. Indústria/Atividade Operação Específica/TarefaProdutos de metal, incluindo metal estrutural, Abrasivo para jateamento maquinaria, equipamento de transporte.Construção civil e manutenções (reparos) Abrasivo para jateamento Borrachas e plásticos Manuseio de matéria prima Tintas Manuseio de matéria prima Sabões e cosméticos Sabões abrasivos, pós para arear Asfalto e papelão alcatroado Aplicação como enchimento e granuladoSubstâncias químicas para a agricultura Trituração e manuseio de matérias primas Joalheria Corte, esmerilhar, polimento, lustramento Material dental Areia abrasiva, polimento Reparos de automóveis Abrasivo para jateamento Escamação de "boiler" "Boiler" com queima de carvão
  • 6. Exposição Ocupacional A exposição ocupacional dá-se por meio da inalação, pelo trabalhador, de poeira contendo sílica livre cristalizada. O local de deposição das partículas no sistema respiratório humano depende diretamente do tamanho das partículas:• Inaláveis - partículas menores que 100 μm, são capazes de penetrar pelo nariz e pela boca;• Torácicas - partículas menores que 25 μm, são capazes de penetrar além da laringe;• Respiráveis - partículas menores que 10 μm, são capazes de penetrar na região alveolar.
  • 7. Riscos da Exposição à Sílica Caracteriza-se como trabalhadores expostos ao risco ocupacional de adoecimento por Silicose, todo indivíduo que trabalha em ambiente onde respira-se esse tipo de poeira. Sílica Livre: (sílica cristalina ou quartzo) composto unitário de SiO2 (dióxido de silício) com um átomo de oxigênio nas pontas de um tetraedro. A sílica livre cristalina é extremamente tóxica para o macrófago alveolar devido às suas propriedades de superfície que levam à lise celular.
  • 8. Efeitos Tóxicos Os efeitos tóxicos sobre o organismo humano devido a exposição à poeiras contendo sílica livre cristalina dependem de uma série de variáveis: Tipo de Exposição: composição da fração respirável, concentração de poeira ambiental, concentração de sílica livre cristalina, outros minerais presentes na fração respirável, tamanho da partícula e o tempo de exposição; Tipo de Resposta Orgânica: integridade do sistema mucociliar e das respostas imunológicas; concomitância de outras doenças respiratórias; hiperreatividade brônquica.
  • 9. Asbesto ( Amianto ) O asbesto, também conhecido como amianto , é uma designação comercial genérica para a variedade fibrosa de seis minerais metamórficos,divididos em dois grupos, de ocorrência natural e utilizados em vários produtos comerciais. Trata-se de um material com grande flexibilidade e resistências tênsil, química, térmica e elétrica muito elevadas e que além disso pode ser tecido. Os seis minerais asbestiformes são divididos em :• Serpentinas (Amianto Branco);• Anfíbolas (Amiantos Marrom, Azul e outros).
  • 10. Usos e Aplicações O crisótilo é o mineral mais utilizado na produção de asbesto. As suas aplicações são inúmeras incluindo:• Telhas de fibrocimento(cerca de 85% do consumo mundial);• Revestimentos de travões e embreagens de automóveis;• Revestimentos e coberturas de edifícios;• Gessos e estuques;• Revestimentos à prova de fogo;• Vestimentas de proteção à prova de fogo
  • 11. Riscos da Exposição ao Asbesto Quase todas as pessoas são expostasao asbesto em algum momento das suasvidas. No entanto, a maioria das pessoas nãoadoece em conseqüência dessa exposição. As pessoas que adoecem devido àexposição ao asbesto são geralmenteaquelas expostas de forma regular, a maiorparte das vezes no seu posto de trabalho emque entram em contato diretamente com omaterial ou através de contato ambientalsubstancial. Vários estudos sugerem que os efeitosnocivos do Amianto são muito maiores nogrupo das Anfíbolas. Experimentos comratos de laboratório já provocaram a induçãode processo cancerígeno causado porAmianto Crisotila, porém em doses muito Pulmão com Asbestosealtas que sequer são encontradas fora doambiente de laboratório.
  • 12. Proibição No Brasil, alguns estados (Rio Grande do Sul, Pernambuco, Rio de Janeiro e São Paulo) e municípios brasileiros proibiram a industrialização e a comercialização de todos os tipos de amianto, inclusive o crisotila. Por outro lado, a Lei Federal nº 9055, de 1º de julho de 1995 dispõe sobre a mineração, industrialização, transporte e comercialização do amianto e dos produtos que o contém. O Decreto nº 2350 de 1997 regulamenta a Lei nº 9.055. Há um projeto em andamento para o banimento do amianto em todo o território brasileiro.O relatório sugere a desativação da única mina de amianto ainda em operação no Brasil, localizada em Minaçu (GO). Diversos países proíbem o uso do amianto. Na América do Sul o uso do amianto é proibido na Argentina, no Chile e no Uruguai.
  • 13. Substitutos do Asbesto Como conseqüência da proibição quase generalizada de utilização de asbesto têm surgido numerosos materiais como seus possíveis substitutos. No entanto, nenhum deles se mostrou tão versátil como o asbesto. Alguns dos materiais substitutos são:• Silicato de Cálcio;• Fibra de Carbono;• Fibra de Celulose;• Fibra Cerâmica;• Fibra de Vidro;• Fibra de Aço;• Wollastonite;• Aramida;• Polietileno;• Polipropileno;• Politetrafluoretileno
  • 14. Prevenções contra Poeiras Minerais
  • 15. Limite de Tolerância descrito na NR-15 anexo-12 expresso por milhões de partículas por decímetro cúbico : LT = 8,5 mppdc³ %quartzo+10 (milhões de partículas por decímetro cúbico) O limite de tolerância para poeira respirável, expresso em mg/m³, é dado pela seguinte fórmula : LT= 8 mg/m %quartzo+2
  • 16. Meios de Mitigação1. Nos locais onde haja geração de poeiras, na superfície ou no subsolo, deve ser realizado o monitoramento periódico da exposição dos trabalhadores, através de grupos homogêneos de exposição e das medidas de controle adotadas, com o registro dos dados observando-se, no mínimo, o Anexo que segue.1.2 Quando ultrapassados os limites de tolerância à exposição a poeiras minerais, devem ser adotadas medidas técnicas e administrativas que reduzam, eliminem ou neutralizem seus efeitos sobre a saúde dos trabalhadores e considerados os níveis de ação estabelecidos nas NR.
  • 17. 1.3 Em todo setor deve estar disponível água em condições de uso, com o propósito de controle da geração de poeiras nos postos de trabalho, onde estiver sendo perfurado, cortado, detonado, carregado, descarregado ou transportado.1.3.1 As operações de perfuração ou corte devem ser realizadas por processos umidificados para evitar a dispersão da poeira no ambiente de trabalho1.3.2 Caso haja impedimento de umidificação, mineralógicas, impossibilidade técnica ou quando a água acarretar riscos adicionais, devem ser utilizados dispositivos ou técnicas de controle, que impeçam a dispersão da poeira no ambiente de trabalho.
  • 18. 1.4 As superfícies de máquinas, instalações e pisos dos locais de trânsito de pessoas e equipamentos devem ser periodicamente umidificados ou limpos, de forma a impedir a dispersão de poeira no ambiente de trabalho
  • 19. Medidas de ControleI - Umidificação;II - Neutralização com Material Inerte, ouIII - Lavagem Periódica, em intervalos de tempo a serem determinados para cada local, das paredes, teto e chão.
  • 20. Doenças causadas por Poeiras Minerais
  • 21. Doenças causadas por Asbesto Os problemas com o asbesto surgem quando as fibras se dispersam no ar e são inaladas. Devido ao tamanho das fibras, os pulmões não conseguem expeli-las. Entre as doenças causadas pelo asbesto incluem-se:• Asbestose – É uma formação de tecido cicatricial nos pulmões, causadas pela aspiração do pó de amianto. Os sintomas aparecem gradualmente só depois de muitas cicatrizes e o pulmão perde sua elasticidade. Alguns sitomas é a falta de ar e a diminuição da capacidade para o exercício físico.• Mesotelioma - Um câncer do revestimento do pulmão. A única causa conhecida é a exposição ao asbesto; e eles se desenvolvem depois de 30 ou 40 anos de exposição ao amianto.• Câncer - Cânceres do pulmão, do trato gastrointestinal do rim e laringe foram associados ao asbesto;• Verrugas de Asbesto - produzidas quando fibras aguçadas se alojam na pele sendo recobertas por esta causando efeitos semelhantes a calos;• Placas Pleurais – Ocorre na inalação de fibras de asbestos pequenas o suficiente para penetrar nos alvéolos (tubo que leva o ar até o pulmão) onde são removidos pelos vasos linfáticos e são conduzidas para o folheto parterial, no caso o tórax.• Espessamento Pleural Difuso - semelhante à anterior. Geralmente sintomática, pode causar perda de capacidade respiratória se a sua extensão for grande. O mecanismo que produz essa alteração é desconhecido, mas os sintomas são tosse seca e falta de ar.
  • 22. Doença causada por SílicaSilicose - É a principal pneumoconiose no Brasil, causada por inalação de poeirade sílica livre cristalina (quartzo). Caracteriza-se por um processo de fibrose, comformação de nódulos isolados nos estágios iniciais e nódulos conglomerados edisfunção respiratória nos estágios avançados. Os sintomas, normalmente, aparecem após períodos longos de exposição,cerca de 10 a 20 anos. É uma doença irreversível, de evolução lenta e progressiva.Sua sintomatologia inicial é discreta - tosse e escarros. Nesta fase não se observaalteração radiográfica. Com o agravamento do quadro, surgem sintomas como a dispnéia deesforço (falta de ar) e astenia (perda da capacidade muscular). Em fases maisavançadas, pode surgir insuficiência respiratória, com dispnéia aos mínimosesforços e até em repouso. O quadro pode evoluir para o corpulmonale crônico(insuficiência cardíacas, causadas por doença pulmonar) . A forma aguda, conhecida como Silicose Aguda, é uma doençaextremamente rara, estando associada à exposição a altas concentração de poeirade sílica.
  • 23. Diagnósticos das Doenças
  • 24. • História Clínica-Ocupacional completa, explorando os sintomas respiratórios, sinais clínicos e exames complementares, o estabelecimento da relação temporal adequada entre o evento e as exposições a que foi submetido o trabalhador. Certas doenças requerem informações sobre a história ocupacional do indivíduo e de seus pais, como no caso da exposição ao asbesto trazido do local do trabalho nos uniformes profissionais, contaminando o ambiente familiar;• Informações Epidemiológicas existentes e estudo do conhecimento disponível na literatura especializada;• Informações sobre o Perfil Profissiográfico do trabalhador e sobre as avaliações ambientais,fornecidas pelo empregador ou colhidas em inspeção da empresa/local de trabalho
  • 25. Exames Complementares• Radiografias do Tórax;• Provas de Função Pulmonar (espirometria,volumes pulmonares, difusão de CO2);• Broncoscopia com lava do bronco alveolar;Biópsia;Testes Cutâneos;Gasometria Arterial;Hemograma;entre outros. Obs.: apesar de todo avanço tecnológico ocorrido na área de diagnósticos por imagens, o diagnóstico definitivo de pneumoconiose ainda depende basicamente da interpretação do radiograma de tórax. A tomografia computadorizada convencional pouco acrescentou como método diagnóstico das doenças intersticiais difusas.Com o advento dos aparelhos de quarta geração(nível de resolução de 200μm – Tomografia computadorizada de alta resolução), houve um avanço na detecção e qualificação das imagens intersticiais,incluindo algumas pneumoconioses como a Asbestose.