• Share
  • Email
  • Embed
  • Like
  • Save
  • Private Content
Aula 6 Eisenstein
 

Aula 6 Eisenstein

on

  • 2,073 views

 

Statistics

Views

Total Views
2,073
Views on SlideShare
1,950
Embed Views
123

Actions

Likes
4
Downloads
41
Comments
0

3 Embeds 123

http://teoriadaedicaosmd.blogspot.com.br 93
http://www.teoriadaedicaosmd.blogspot.com.br 29
http://teoriadaedicaosmd.blogspot.de 1

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Microsoft PowerPoint

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

    Aula 6 Eisenstein Aula 6 Eisenstein Presentation Transcript

    • Edição Audiovisual
    • Cinema mudo Aula 4
    • Sergei Eisenstein: o teórico damontagemSerguei Mikhailovitch Eisenstein (1898 – 1948) O mais importante cineasta soviético edos maiores de todo o mundo. Ligado ao movimento de vanguarda russa, participouativamente da Revolução de 1917. É considerado o maior teórico da montagemcinematográfica.
    • A teoria da montagem de EisensteinSergei Eisenstein estudou engenharia e arquitetura, largando osestudos para militar no movimento revolucionário, servindo aoExército Vermelho. Interessou-se pela arte japonesa e oscaracteres Kanji. Transferido para Moscou iniciou carreira naprodução teatral e como designer.Juntando estes conhecimentos, Eisenstein iniciou-se no cinema,tentando reunir Griffith com Karl Marx, criando filmes querevolucionaram a montagem e a estética cinematográfica.Eisenstein experimentou teorizar sobre a montagem como umchoque de imagens e idéias. O cinema de Eisenstein é umcinema militante. Sua formação marxista fez com que tivesseuma grande preocupação com a teoria e a dialética.
    • A teoria da montagem de EisensteinA teoria de Eisenstein sobre montagem écomposta por cinco tipos: Métrica Rítmica Tonal Atonal Intelectual
    • A montagem métricaA montagem métrica refere-se à duração decada um dos planos.Encurtar os planos diminui o tempo que opúblico tem para absorver a informação de cadaum deles.Esse procedimento aumenta a tensão da cena.O uso de planos próximos cira uma sequenciamais intensa.
    • A montagem rítmicaRelaciona-se à continuidade visual entre osplanos.A continuidade baseada na ação e nas entradase saídas do quadro são exemplos da montagemrítmica.Esse procedimento tem potencial parademonstrar conflitos pelas diferentes direçõesdos elementos.
    • A montagem tonalNa montagem tonal, as decisões da montagembuscam estabelecer uma característicaemocional da cena.As emoções mudam, logo devem mudar tambémo tom da cena.Na sequencia da escadaria de Odessa, emEncouraçado Potemkim, a morte de uma jovemmãe, e a descida descontrolada do carrinhodestacam a profundidade da tragédia.
    • Seqüência da escadaria de Odessa emO Encouraçado Potemkim (1925)
    • A montagem atonalA montagem atonal conjuga as montagensmétrica, rítmica e tonal, manipulando o tempodo plano, idéias e emoções a fim de conquistar oefeito desejado na platéia.Os planos que enfatizam os excessos do uso deforça pelo exército e a exploração deenfraquecidos cidadãos pontuam a mensagem.
    • A montagem IntelectualA montagem intelectual trata da inserção deidéias em uma seqüência de grande cargaemocional.Exemplifica essa forma de montagem o filmeOutubro (1928). Kerensky, o líder mancheviqueda primeira revolução russa, sobe as escadas tãorapidamente quanto sobe na linha do poderapós a queda do Czar. Intercaladas com estaascensão, há planos de um pavão mecânicoajeitando suas penas.
    • Outubro (1928)
    • A teoria da montagem de EisensteinEisenstein era um cineasta profundamenteintelectualizado. Mesmo na União Soviética, eraconsiderado muito acadêmico.Aos olhos contemporâneos, Eisensteinpermanece excessivamente militante.No entanto, Eisenstein foi um cineasta quedescobriu a racionalidade possível em umamontagem, tornando-se o grande mestre destaarte.
    • FIM