Your SlideShare is downloading. ×
0
Versificação
Versificação
Versificação
Versificação
Versificação
Versificação
Versificação
Versificação
Versificação
Versificação
Versificação
Versificação
Versificação
Versificação
Versificação
Versificação
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

×
Saving this for later? Get the SlideShare app to save on your phone or tablet. Read anywhere, anytime – even offline.
Text the download link to your phone
Standard text messaging rates apply

Versificação

22,541

Published on

0 Comments
13 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total Views
22,541
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
18
Actions
Shares
0
Downloads
749
Comments
0
Likes
13
Embeds 0
No embeds

Report content
Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
No notes for slide

Transcript

  • 1. VERSIFICAÇÃO
  • 2. 1- O que é versificação. O que é verso.• Versificação é a arte de fazer versos.• Verso é o nome que se dá a cada linha de um poema. Por exemplo: Minha terra tem palmeiras,
  • 3. 2- A estrofe ou estância. O estribilho.• O conjunto de versos se chama estrofe ou estância.• A estrofe de dois versos se chama dístico; a de três versos, terceto; a de quatro, quadra ou quarteto; a de cinco, quintilha; a de seis, sextilha; a de sete, setilha (muito rara); a de oito, oitava; a de nove, muito rara não possui designação própria; e a de dez versos recebe o nome de décima. Estrofes com mais de dez versos são raras. Quando o verso repete no fim das estrofes temos o estribilho.
  • 4. 3- Elementos do verso.• Todo verso possui, normalmente,estes elementos: metro, ritmo e rima. Deles, os mais importantes são o metro e o ritmo.
  • 5. 4- O metro. As sílabas métricas.• Damos o nome de metro à extensão da linha do poema; é o número de sílabas do verso. Em nossa língua, a poética tradicional só admite versos de uma a doze sílabas. Os poetas modernos, no entanto, já compõem versos com mais de doze sílabas ( são os chamados versos bárbaros). As sílabas de um verso recebem o nome de sílabas métricas.
  • 6. 5- como se faz a contagem das sílabas métricas. Os versos agudos, graves e esdrúxulos.• É preciso não confundir sílabas gramaticais com sílabas métricas. A diferença entre elas está em que a contagem das sílabas métricas se faz auditivamente e obedece a estes critérios:a) quando há vogal no fim de uma palavra e vogal no início da palavra seguinte, formando ditongo (grande amor= grandia-mor).b) no verso, a contagem de sílabas métricas se faz somente até a sílaba tônica da última palavra. Portanto, se a palavra for paroxítona, você não contará a última sílaba ( por exemplo: saudade; sangue, destino); se for proparoxítona, as duas últimas sílabas serão desprezadas ( por exemplo: lágrima, cínico, único).c) Os versos que terminam por palavras oxítonas ou monossílabas são chamados versos agudos; os que terminam por palavras paroxítonas são denominados versos graves, e os que terminam por palavra proparoxítona, esdrúxulos.
  • 7. Vamos, então, tomar os versos já vistos e dividi-los em sílabas métricas: 1 2 3 4 5 6 7mi nha te rra tem pal meiOn de can tao sa bi á;As a ves que a qui gor jeiNão gor jei am co mo lá
  • 8. Em todos os versos há sete sílabasmétricas, e a contagem destas só se faz atéa sílaba tônica da última palavra do verso (no primeiro verso desprezamos a sílaba ras e no penúltimo desprezamos a sílaba am). Escandir um verso é fazer o que fizemos: dividi-lo em sílabas métricas.
  • 9. 6- Os versos quanto ao número de sílabas.Vejamos os versos mais comuns quanto ao número de sílabas: pentassílabos ou redondilhas menores (5 sílabas); hexassílabos (6 sílabas); heptassílabos ou redondilhas maiores(7 sílabas); octossílabos (8 sílabas); eneassílabos (9 sílabas); heroicos ou sáficos(10 sílabas) hendecassílabos (11 sílabas); dodecassílabos ou alexandrinos ( 12 sílabas).
  • 10. 7- O ritmo do verso.O ritmo é a música do verso. Para que umverso tenha ritmo, usam-se sílabas fortes e sílabas fracas, com intervalos regulares. Asequência rigorosa dessas sílabas é que dá ao verso música, harmonia e beleza.
  • 11. 8- Os versos mais importantes: decassílabos e alexandrinos.Os versos realmente importantes são mesmo os decassílabos. Não só porque aparecem com mais frequência, como também porque foram os preferidos de Luís Camões, em Os Lusíadas.
  • 12. 9- As rimas quanto ao valor.• Rimas pobres: quando formadas por palavras da mesma classe: amor e flor(substantivos); amar e calar (verbos); doloroso e amoroso (adjetivos).• Rimas ricas: quando formadas por palavras de classes diferentes: arde e covarde(verbo e adjetivo); penas e apenas (substantivo e palavra denotativa); fino e menino (adjetivo e substantivo).• Rimas preciosas: quando formadas por três palavras: vê- lo e novelo e sê-lo.• Rimas raras: quando formadas entre palavras com terminações não muito comuns: cisne e tisne.
  • 13. 10- As rimas, em relação ao lugar que ocupam na estrofe.a) Cruzada ou alternadas (ABAB): Se o casamento durasse A Semanas, meses fatais, B Talvez eu me abalançasse; A Mas toda a vida... É demais! B (Afonso Celso)
  • 14. b) Emparelhadas ( AABB)Uma noite estendi a música na estante AE o cravo suspirou... Naquele mesmo instante, ADa ebúrnea palidez doentia do teclado BManso e manso evolou-se o aroma do passado. B (Gonçalves Crespo)
  • 15. C) Interpoladas ou opostas (ABBA): Não sei bem quem seja o autor A Desta sentença de peso: B O beijo é o fósforo aceso BNa palha seca do amor. A (Bastos Tigre)
  • 16. Os versos que não apresentamrimas entre si são chamados de versos brancos.

×