Your SlideShare is downloading. ×

A Independência da América Latina

57

Published on

0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total Views
57
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0
Actions
Shares
0
Downloads
5
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

Report content
Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
No notes for slide

Transcript

  • 1.  O contexto do século XVIII  A crise do Antigo Regime  O significado da Independência
  • 2.  A modificações do sistema colonial  A consolidação da Revolução Industrial  O desenvolvimento das colônias  A influência das teorias iluministas  As contradições internas (criollo e chapetones)  A política napoleônica
  • 3. • Grande turbulência • Forte repressão 1810- 1816 • Movimentos revolucionários • Apoio internacional 1817- 1824
  • 4.  México (1821) - Lideranças: Padre Hidalgo e Morellos - Grande participação de populares - Propostas radicais e libertação de escravos - Devolução de terras indígenas  O governo de Augustin de Itúrbide e a destituição em 1823  A independência das Províncias Unidas (1838): Guatemala, El Salvador, Nicarágua, Honduras e Costa Rica.
  • 5.  Haiti (1804) - Ilha de Santo Domingo (1791) - Participação de escravos - Liderança de DominiqueToussaint (Louverture) - Estabelecimento de um governo constitucional e fim da escravidão - A invasão das tropas napoleônicas - O reconhecimento da emancipação - A divisão: Oriente (República Dominicana) e Ocidente (Haiti)
  • 6.  Lideranças: - Antonio Sucre e Simón Bolívar (Colômbia – 1819;Venezuela – 1821) - San Martin (Argentina – 1816; Chile - 1818) - A Independência do Peru (1824) - A independência do Equador (1822) e da Bolívia (1825) - O Sonho Bolivariano: o projeto panamericanismo
  • 7. “Uma liga verdadeiramente americana, não formada apenas dentro dos princípios de uma aliança (...) ofensiva e defensiva. Deve ser mais rigorosa que a liga formada recentemente na Europa contra as liberdades populares (a chamada Santa Aliança entre Áustria, Rússia e Prússia). Nossa sociedade deve ser de nações irmãs, unidas, fortes, e capazes de suportar a agressão de potências externas.” TREND, J. B. Bolívar e a Independência da América Espanhola. Rio de Janeiro: Zahar. p. 145.

×