A Independência da América Latina

  • 45 views
Uploaded on

 

More in: Education
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Be the first to comment
    Be the first to like this
No Downloads

Views

Total Views
45
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0

Actions

Shares
Downloads
1
Comments
0
Likes
0

Embeds 0

No embeds

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
    No notes for slide

Transcript

  • 1.  O contexto do século XVIII  A crise do Antigo Regime  O significado da Independência
  • 2.  A modificações do sistema colonial  A consolidação da Revolução Industrial  O desenvolvimento das colônias  A influência das teorias iluministas  As contradições internas (criollo e chapetones)  A política napoleônica
  • 3. • Grande turbulência • Forte repressão 1810- 1816 • Movimentos revolucionários • Apoio internacional 1817- 1824
  • 4.  México (1821) - Lideranças: Padre Hidalgo e Morellos - Grande participação de populares - Propostas radicais e libertação de escravos - Devolução de terras indígenas  O governo de Augustin de Itúrbide e a destituição em 1823  A independência das Províncias Unidas (1838): Guatemala, El Salvador, Nicarágua, Honduras e Costa Rica.
  • 5.  Haiti (1804) - Ilha de Santo Domingo (1791) - Participação de escravos - Liderança de DominiqueToussaint (Louverture) - Estabelecimento de um governo constitucional e fim da escravidão - A invasão das tropas napoleônicas - O reconhecimento da emancipação - A divisão: Oriente (República Dominicana) e Ocidente (Haiti)
  • 6.  Lideranças: - Antonio Sucre e Simón Bolívar (Colômbia – 1819;Venezuela – 1821) - San Martin (Argentina – 1816; Chile - 1818) - A Independência do Peru (1824) - A independência do Equador (1822) e da Bolívia (1825) - O Sonho Bolivariano: o projeto panamericanismo
  • 7. “Uma liga verdadeiramente americana, não formada apenas dentro dos princípios de uma aliança (...) ofensiva e defensiva. Deve ser mais rigorosa que a liga formada recentemente na Europa contra as liberdades populares (a chamada Santa Aliança entre Áustria, Rússia e Prússia). Nossa sociedade deve ser de nações irmãs, unidas, fortes, e capazes de suportar a agressão de potências externas.” TREND, J. B. Bolívar e a Independência da América Espanhola. Rio de Janeiro: Zahar. p. 145.