• Share
  • Email
  • Embed
  • Like
  • Save
  • Private Content
Lesões ósseas císticas benignas
 

Lesões ósseas císticas benignas

on

  • 6,582 views

 

Statistics

Views

Total Views
6,582
Views on SlideShare
6,512
Embed Views
70

Actions

Likes
0
Downloads
34
Comments
0

1 Embed 70

http://radiologiaufsm.com.br 70

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Microsoft PowerPoint

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

    Lesões ósseas císticas benignas Lesões ósseas císticas benignas Presentation Transcript

    • LESÕES ÓSSEAS CÍSTICAS BENIGNAS Lucas teodoro
    • LESÕES ÓSSEAS CÍSTICAS BENIGNAS• Lesões ósseas mais comuns encontradas em radiografias.• Importante identificar padrões.• Usar critérios para encurtar a lista de diagnósticos diferenciais: – Idade – Número de lesões presentes – A/Sintomática – Local – Aparência radiográfica• Chaves “discriminadoras”
    • DISPLASIA FIBROSA• Processo congênito benigno• Qualquer idade• Aparência Irregular• Expansiva• Múltipla• Não há periostite• Indolor, a menos que haja fratura associada (comum em ossos longos)• Quase nunca há degeneração maligna• Mono/poliostótica• Aparência fosca quando a matriz se calcifica
    • • Predileção pela pelve, fêmur proximal, costelas e crânio• Quando acomete a pelve fêmur ipsilateral• Fêmur proximal pode ser afetado isoladamente• Aspecto lítico nas costelas posteriores• Aspecto esclerótico nas costelas anteriores• Adamantinoma: – Tumor maligno que se assemelha à displasia fibrosa – Tíbia e maxilar – Raro
    • • Síndrome de McCune-Albright: – Displasia fibrosa poliostótica – Associação com manchas café-com-leite e puberdade precoce – Muitas vezes unilateralmente• Querubismo: – Displasia fibrosa no maxilar – Bochechas salientes e olhar angelical – Regride com a idade adulta
    • ADAMANTINOMATumor maligno que se assemelha à displasia fibrosaTíbia e maxilarRaro
    • ENCONDROMAOcorrem em qualquer osso formado a partir decartilagem.Podem ser centrais, excêntricos, expansivos ou não-expansivos.Invariavelmente com matriz condróide calcificada (excetoquando nas falanges).Formação endóstea em forma de conchaAusência de periostiteDiferenciar: Infarto Ósseo= borda serpiginosa, densamente esclerótica e bem definida Condrossarcoma= dor
    • Doença de OllierEncondromas múltiplos.
    • • Síndrome de Maffucci Encondromas múltiplos associados a hemangiomas nos tecidos moles.
    • GRANULOMA EOSINOFÍLICO● Forma de Histiocitose X.● Muitos aspectos: ● Lítico ou esclerótico. ● Bem definido ou indistinto. ● Borda pode ou não ser esclerótica. ● Pode ou não ter reação periósteal.● Quando presente, a reação periosteal é tipicamente de aparência benigna (espessa, uniforme, ondulada), mas pode ser amorfa ou lamelada.● Lesão permeante (inicial).
    • TUMOR DE CÉLULAS GIGANTES● Lesão rara.● Impossível definir se o Tumor de Células Gigantes é benigno ou maligno pelo aspecto radiográfico.● Cerca de 15% são considerados malignos devido à recorrência.• Quatro critérios: – Unicamente em pacientes com epífises fechadas. – Lesão deve ser epifisária e fazer contato com a superfície articular. – Excentricamente localizados no osso, em oposição a estarem centralmente situados na cavidade medular. – Borda nitidamente definida e não esclerótica (não se aplica a ossos chatos ou apófises).
    • FIBROMA NÃO-OSSIFICANTE● Defeito fibroso cortical.● Provavelmente a lesão óssea mais comumente encontrada pelos radiologistas.● Em até 20% das crianças e, em geral, regride espontaneamente (raro em >30anos).● Assintomáticas benignas.
    • FIBROMA NÃO OSSIFICANTE EM PROCESSO DE CURA• Se “consolidam” rotineiramente por esclerose e acabam por desaparecer geralmente por 20-30 anos.• Durante esta período de consolidação podem parecer quentes a uma cintilografia óssea, por haver atividade osteoblástica.
    • • <30 anos.• Ausência de periostite ou dor.• Lesões de base cortical.
    • OSTEOBLASTOMAExpansivosAparência de bolha de sabãoOcorrem comumente nos elementos posteriores dos corpos vertebraisRaros
    • DOENÇA METASTÁTICA• Considerada em qualquer lesão lítica, de aparência benigna ou agressiva, em pacientes com mais de 40 anos.• Qualquer lesão óssea em paciente >40 anos deve ter a doença metastática como uma das considerações, a não ser que traumatismo ou uma artrite seja a preocupação principal.• Lesões líticas expansivas podem provir de tumores da tireóide e tumores renais.• Única lesão que é apontada como sempre lítica é o carcinoma de células renais.
    • MIELOMA MÚLTIPLO• Se evidencia mais comumente como processo permeante difuso nos ossos, mas pode se manifestar inicialmente como lesão solitária ou múltiplas lesões líticas.• Plasmocitomas lesões líticas.• Mais comum em >35anos.• Plasmocitoma pode preceder em 3-5 anos as evidências clínicas ou histológicas de mieloma.
    • CISTO ÓSSEO ANEURISMÁTICO• Especialmente em <30anos.• Primário= sem causa ou associação conhecida.• Secundário= conseqüência de traumatismo ou em conjunção a uma outra lesão (TCG, osteossarcomas...).• Podem surgir em qualquer parte do esqueleto.• Dor.• <30 anos.• Lesão expansiva.
    • CISTO ÓSSEO SOLITÁRIO• Cistos ósseos simples ou cistos ósseos unicamerais.• Localização central.• Assintomáticas, a não ser que associadas a fratura.• Raramente formam periostite.• <30 anos.• De 2/3 a ¾ das lesões ocorrem no úmero ou fêmur proximal.• Começam na placa fiseal nos ossos longos e crescem até a epífise óssea.• Sinal do fragmento caído: pedaço do córtex se desprende depois de uma fratura e afunda=patognomônico.
    • Lesão central.<30 anos.Ausência de periostite.
    • OSTEOMIELITE• Aparência radiográfica variável.• Pode acometer qualquer osso em paciente de qualquer idade.• Expansivo ou não.• Borda esclerótica ou não.• Pode apresentar periostite.• Quando próximo a uma articulação, esta será invariavelmente afetada se houver contato com a superfície articular e vai evidenciar perda da cartilagem, um derrame articular ou ambos.
    • CONDROBLASTOMA• Lesão óssea.• Unicamente nas epífises.• <30 anos.• 40-60% com calcificações.• Lesão lítica na epífise de <30 anos: – Infecções – Condroblastoma – Tumor de células gigantes
    • FIBROMA CONDROMIXOIDE• Rara.• Qualquer faixa etária.• Extensão às epífises.• Pode haver dor.• Calcificações cartilaginosas quase nunca são vistas.• Raramente evoluem para processos malignos.
    • fim