Emilia

643 views
596 views

Published on

0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total views
643
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
3
Actions
Shares
0
Downloads
0
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Emilia

  1. 1. 5ª Sessão 2010/2011 BE/CRE DO AGRUPAMENTO VERTICAL DE ESCOLAS DO PARCHAL Guião de Promoção da Leitura Cada vez mais a leitura tem um papel fundamental na nossa sociedade. Para tal a Biblioteca Escolar assume um papel importante na formação de leitores assim como na divulgação de informação nas mais diversas áreas do conhecimento. Por isso: “As bibliotecas escolares devem constituir recursos básicos do procedimento educativo, sendo-lhes atribuído papel central em domínios tão importantes como a aprendizagem da leitura, da literacia, a criação e o desenvolvimento do prazer de ler a aquisição de hábitos de leitura, as competências da informação e o aprofundamento da cultura cívica, cientifica, tecnológica e artística.” (Ministério da Educação, Rede de Bibliotecas Escolares) Ler é um acto que enriquece o pensamento, estimula o sonho, a imaginação e a criatividade. “Não se esqueçam que ler bem um livro é entrar para dentro dele e viver a vida, os sonhos e as aventuras das personagens” Rosa Lobato de Faria 1
  2. 2. 5ª Sessão 2010/2011 BE/CRE DO AGRUPAMENTO VERTICAL DE ESCOLAS DO PARCHAL Objectivos Promoção da literacia; Promoção da Biblioteca como centro de informação e de aprendizagem; Formar os leitores para as normas da Biblioteca; Promover a autonomia e o espírito crítico; Fomentar o gosto pela leitura; Promover o intercâmbio escola/família; Promover a transversalidade nas aprendizagens e a interdisciplinaridade; Fomentar a capacidade de leitura intertextual; Valorizar o património oral e tradicional; Elevar os níveis de compreensão da leitura; Incentivar a pesquisa e a investigação; Promover o livro enquanto fonte de prazer e fonte de conhecimento; Possibilitar o contacto com obras de diferentes autores; Sensibilizar para a utilização e conservação do livro; 2
  3. 3. 5ª Sessão 2010/2011 BE/CRE DO AGRUPAMENTO VERTICAL DE ESCOLAS DO PARCHAL Disponibilizar o espaço da biblioteca para actividades de carácter pedagógico-cultural. Actividades Empréstimo domiciliário O empréstimo domiciliário decorre como previsto no artº4 do capítulo III do Regimento Interno da Biblioteca Escolar/ Centro de Recursos Educativos do Agrupamento Vertical de Escolas do Parchal. Poderá ocorrer empréstimo domiciliário entre Bibliotecas, como é o caso dos livros do Plano Nacional de Leitura para a sala de aula. Pode ainda surgir reserva de livros por parte dos alunos sempre que manifestem interesse. Público-alvo: Toda a comunidade escolar “O livro que li” Os alunos, após a leitura do livro, farão a apresentação do mesmo. Deverão convencer os colegas de que o livro é muito interessante, de modo a que estes também o queiram ler. Para tal preenchem uma ficha e colocam-na na caixa das leituras. Aí, um outro irá tirar dessa caixa uma dessas fichas e aceita ou não a sugestão do 3
  4. 4. 5ª Sessão 2010/2011 BE/CRE DO AGRUPAMENTO VERTICAL DE ESCOLAS DO PARCHAL colega podendo escolher outro livro. Contudo não deverão revelar o final. Público-alvo: 3º e 4º ano. “Aqui há gato” Consiste na identificação de erros, que o leitor comente quando lê o texto pela segunda vez, pois determinadas palavras serão substituídas por outras idênticas. Tem como objectivo captar a atenção, assim como exercitar a memória. Público-alvo: 1º e 2º anos. “Projecto de Leitura-a-Par” Consiste em seleccionar um livro pela criança e com o acompanhamento de um adulto fazer leitura diária durante 5 minutos. Deverão registar em ficha própria o livro escolhido o tempo que leu e com quem. Inicialmente faz-se o registo da leitura no início do projecto em vídeo e depois no final. O objectivo desta actividade é exercitar a fluência de leitura. Público-alvo: 2º e 3º anos. “Inventa outro final” Há livros que tem um final pouco divertido. Esta actividade consiste em propor que inventem um desfecho perfeito. Cada um anota a 4
  5. 5. 5ª Sessão 2010/2011 BE/CRE DO AGRUPAMENTO VERTICAL DE ESCOLAS DO PARCHAL sua ideia e tem de convencer o resto do grupo de que o seu ”final” é o mais interessante. É uma forma de conversar sobre o livro. Público-alvo: 3º e 4º anos.  “A Árvore das Boas Palavras” Consiste na decoração de uma árvores, previamente desenhada em papel cenário ou cartolina, com palavras relacionadas com um tema, como por exemplo: o Natal. Variante: pode-se decorar a árvore com rimas feitas pelos alunos. Público-alvo: 2º, 3º e 4º anos. “Vamos ler, ouvir e contar” Consiste na selecção de uma história do Plano Nacional de Leitura ou da tradição oral popular. Leitura em voz alta quer pelo professor quer pelos alunos. Previamente será feito um guião da história onde serão descritas as actividades a desenvolver nos mais diversos momentos da leitura. Público-alvo: 1º, 2º, 3º e 4º anos. “Jogos de poesia” Consiste na recitação de poemas relacionados com um determinado tema. Em seguida os alunos poderão inventar as suas próprias rimas ou a ilustração do que ouviram. Público-alvo: 3º e 4º anos. 5
  6. 6. 5ª Sessão 2010/2011 BE/CRE DO AGRUPAMENTO VERTICAL DE ESCOLAS DO PARCHAL  “Com o Magalhães vamos sonhar nesta turma de encantar” Esta actividade baseia-se na elaboração de histórias a partir de outras contadas pelos Pais/Encarregados de Educação. São utilizados os programas Paint, Word, Photo Story para a elaboração das mesmas. Também poder-se-á fazer a descoberta de livros digitais on-line através do uso do computador Magalhães, fomentando assim a promoção da leitura e da literacia digital. Público-alvo: 3º. Podendo ser alargado ao 1º, 2º e 4º ano. Componente de apoio à família A leitura é fundamental para a formação da personalidade e para o desenvolvimento da criatividade e da capacidade crítica. O fomento pelo gosto da leitura convém que seja feito antes da criança saber ler. Assim é necessário que lhes conte histórias adequadas à sua idade, para que conheçam a tradição popular, mas também entrem em contacto com outras realidades. A criança deve envolver-se na história, identificar-se com as personagens. Quem lê a história deve estimular as estratégias criativas. A forma de como a criança é iniciada na leitura é fundamental para esta se tornar ou não um leitor competente e motivado. “Passeando pelas Histórias”– selecção de obras do Plano Nacional de Leitura para leitura em voz alta, dramatizada, e com actividades na área da expressão plástica, de acordo com um guião previamente elaborado. Actividade em parceria com as educadoras. 6

×