Thomas kuhn e o Desenvolvimento da Ciência
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×
 

Thomas kuhn e o Desenvolvimento da Ciência

on

  • 10,824 views

 

Statistics

Views

Total Views
10,824
Views on SlideShare
6,131
Embed Views
4,693

Actions

Likes
1
Downloads
267
Comments
1

4 Embeds 4,693

http://isabelamd.wordpress.com 4668
https://isabelamd.wordpress.com 23
http://www.google.pt 1
http://translate.googleusercontent.com 1

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Microsoft PowerPoint

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

Thomas kuhn e o Desenvolvimento da Ciência Thomas kuhn e o Desenvolvimento da Ciência Presentation Transcript

  • THOMAS KUHN 1922 - 1996
  • FUNCIONAMENTO DA CIÊNCIACiência Normal Paradigma 1 ANOMALIAS(actividade do cientista dentro dos limites do (casos Crise (Período de paradigma vigente) problemáticos) acumulação de anomalias) REVOLUÇÃO CIENTÍFICA (Novo Ciência extraordinária Paradigma) Paradigma 2Ciência Normal ANOMALIAS Crise Ciência extraordinária (período de crise que antecede a revolução)
  • Paradigma: Procedimentos técnicos: 1. regras Visão do mundo paraLeis e pressupostos teóricos aplicar a teoria à realidade; 2. regras Princípios Filosóficos instrumentos para usar científicos ede Trabalho; para avaliar Hábitos 3. regras explicações científicas.
  • ParadigmaEXEMPLO: O PARADIGMA COPERNICANO Muda-se de CENTRA QUE SE paradigma NA (visãoTESE do HELIOCÊNTRICA mundo e forma SUBSTITUIU O de fazer ciência) PARADIGMA PTOLOMAICO QUE SE CENTRA NAeste oferece mais respostas quando TESE GEOCÊNTRICA. que o anterior.
  • Paradigma ptolomaico VS paradigma copernicano
  • ANOMALIAS E CRISE
  • A incomensurabilidade dos paradigmas A razão de tal impossibilidade  Impossibilidade de comparar radica no facto dos paradigmas objectivamente dois paradigmas de serem demasiado diferentes entre modo a concluir que um é superior si. Uma mudança de paradigma ao outro. significa uma mudança de visão do mundo.
  • A incomensurabilidade dos paradigmasPARADIGMA
  • COMUNIDADE CIENTÍFICA  POUCO ABERTA À INOVAÇÃO;  OS SEUS MEMBROS RESISTEM À MUDANÇA;  NÃO É DIRIGIDA PELO IDEAL DE VERDADE.
  • Ciência normal e extraordinária Chama-se ciência normal ao período vãoCom a acumulação de anomalias que de surgindo no decorrer da cientifica trabalha a tempo que a comunidade investigação dá-se um período de crise e de polémica em que se partir do paradigma (impreciso) vigente; ensaiam e confrotam soluções novas para os Objectivo: Desenvolver o paradigma; Dupla novos problemas que ameaçam o tarefa: 1. solucionar pequenas ambiguidades paradigma, a este período chama-se ciência teóricas; e 2. investigar fenómenos ainda não extraordinária. explicados.
  • Ciência Extraordinária: Momento em que os fundamentos indispensável ao surgimento de uma Revolução do paradigma estabelecido são Científica; questionados.
  • Revolução Científica Período em que um novo  Autêntica ruptura, pois os paradigma (nova forma de paradigmas em confronto interpretar o mundo) é são incomensuráveis. adoptado (aceite) pela comunidade científica;
  • Revolução Científica As Revoluções Científicas são raras dado que os cientistas resistem a abandonar o paradigma vigente.
  • Ciência e Verdade A ciência não  Os paradigmas  Uma mudança de paradigma sãoé um processo incomensuráveis (diferentes, (revolução científica) não não superiores); o paradigma de significa queaproximação à estabelecido esteja mais próximo da verdade ou nos verdade. dê uma imagem mais objectiva da realidade.
  • Ciência e Verdade Há Não há desenvolvimento progresso científico científico pois nenhum paradigma é melhor período da (mudanças): 1. Contínuo no do que Ciência Normal; 2. Descontínuo no outro; período da Revolução Científica (mudança de paradigma).
  • KUHN: A CIÊNCIA É OBJECTIVA? ELIMINAÇÃO DA OBJECTIVIDADE COMO PROPRIEDADE FUNDAMENTAL DA CIÊNCIA
  • KUHN: A CIÊNCIA É OBJECTIVA?  Existência de critérios que tornam possível avaliar objectivamente as teorias:
  • KUHN: A CIÊNCIA É OBJECTIVA? 1. Precisão: teorias as 2. Consistência: de acordo com nãoobservação ser teorias a devem e a experiência; incoerentes nem incompatíveis com outras teorias aceites;
  • KUHN: A CIÊNCIA É OBJECTIVA? 3. 4. Simplicidade: Abrangência: as as teorias devem ir além teorias unificar os fenómenos; do observado;
  • KUHN: A CIÊNCIA É OBJECTIVA? Se uma teoria não apresentar estas características, poderá ser considerada irracional. No entanto, apesar de estes critérios darem alguma objectividade à Ciência, o seu alcance é limitado.
  • KUHN: A CIÊNCIA É OBJECTIVA?Conclusão:A ciência não é objectiva – apesar deexistirem critérios objectivos de escolhaentre teorias e paradigmas, as escolhasnão são completamente objectivas.
  • KUHN: A CIÊNCIA É OBJECTIVA? Factores subjectivos responsáveis por uma Ciência não objectiva: o prestígio;  a ideologia;  interesses einterpretar os o modo de gostos pessoais; critérios em questão.
  • KUHN: A CIÊNCIA É OBJECTIVA? Em suma, Kuhn afirma que os cientistas estão dependentes de condições sociais e são ninfluenciados por valores, crenças e normas aceites pela comunidade científica.
  • KUHN: A CIÊNCIA É OBJECTIVA?A comunidade científica trabalha combase num paradigma e evita colocarem questão esse paradigma, ou seja, oideal de objectividade não é umobjectivo a atingir.
  • CIÊNCIA E VERDADE Não depende unicamente mas dos acordos do rigor metodológico e intersubjectivos entre da objectividade cientistas quanto às da experiênciamétodos teorias, científica; e técnicas dominantes.
  • Crítica de Kuhn a Popper A ciência não progride em direcção à verdade; A Ciência não é um conhecimento objectivo pois não nos dá uma imagem cada vez mais objectiva e livre de preconceitos da REALIDADE.
  • QUESTÕES?