Síntese das falácias informais

1,260 views
1,183 views

Published on

Published in: Education
0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total views
1,260
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
782
Actions
Shares
0
Downloads
19
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Síntese das falácias informais

  1. 1. Erros de Raciocínio
  2. 2. • ERROS DE RACIOCÍNIO FALÁCIAS •ERROS DE RACIOCÍNIO QUE TÊM UNICAMENTE A VER COM A FORMA LÓGICA. 1. FORMAIS •ERROS DE RACIOCÍNIO QUE NÃO TÊM A VER SOMENTE COM A FORMA LÓGICA. 2. INFORMAIS
  3. 3. Falácia do Termo Não Distribuído Falácia da Ilícita Menor Falácia da Negação do Antecedente Falácia da Ilícita Maior Falácia da Afirmação do Consequente 1) FORMAIS
  4. 4. FALÁCIAS FORMAIS 4 1) Falácia da Afirmação do Consequente 2) Falácia da Negação do antecedente 1. Se P, então Q. 2. Ora, Não P. 3. Logo, não Q. 1. Se P, então Q. 2. Q. 3. Logo, P.
  5. 5. 2) FALÁCIAS INFORMAIS
  6. 6. Hmm ... Interessante!
  7. 7. EXEMPLO: AS MULHERES SÃO A NOSSA DESGRAÇA PORQUE UMA DELAS DESTRUIU-ME A VIDA. Jules, o australiano, roubou a minha carteira. Portanto, os Australianos são ladrões.
  8. 8. Esta falácia ocorre quando uma generalização se baseia num número muito limitado de casos.
  9. 9. EXEMPLO: AS MULHERES SÃO A NOSSA DESGRAÇA PORQUE UMA DELAS DESTRUIU-ME A VIDA. Jules, o australiano, roubou a minha carteira. Portanto, os Australianos são ladrões.
  10. 10. Exemplo: Os empregados são como pregos. Temos de martelar a cabeça dos pregos para estes desempenharem a sua função. O mesmo deve acontecer com os empregados.
  11. 11. Comete-se esta falácia por várias razões: 1. o número de objectos comparados é reduzido; 2. o número de semelhanças entre os objectos é escasso; e 3. as semelhanças apresentadas são pouco ou nada relevantes.
  12. 12. Exemplo: Os empregados são como pregos. Temos de martelar a cabeça dos pregos para estes desempenharem a sua função. O mesmo deve acontece com os empregados.
  13. 13. Exemplo: O gato miou quando eu abri a porta. Logo, o gato miou porque eu abri a porta.
  14. 14. Garanto-te que é verdade porque aparece na Wikipédia.
  15. 15. Esta falácia ocorre quando : A pessoa não está qualificada para ter uma opinião de perito no assunto. Não há acordo entre os peritos do campo em questão. A autoridade não pode, por algum motivo ser levada a sério — porque estava brincar, estava ébria ou por qualquer outro motivo. Argumentum ad verecundiam
  16. 16. Garanto-te que é verdade porque aparece na Wikipédia.
  17. 17. Exemplo: Ou concordas comigo ou não. (Porque se pode concordar parcialmente.)
  18. 18. Esta falácia ocorre quando é dado um limitado número de opções (na maioria dos casos apenas duas), quando de facto há mais.
  19. 19. Exemplo: Ou concordas comigo ou não. (Porque se pode concordar parcialmente.)
  20. 20. Exemplo: Ninguém provou que Deus existe. Logo, Deus não existe. Ninguém provou que Deus não existe. Logo, Deus existe.
  21. 21. Esta falácia ocorre quando se argumenta que uma proposição é verdadeira porque não foi provado que é falsa ou falsa porque não foi provado que é verdadeira.
  22. 22. Exemplo: Ninguém provou que Deus existe. Logo, Deus não existe. Ninguém provou que Deus não existe. Logo, Deus existe.
  23. 23. As pessoas que querem legalizar o aborto, querem prevenção irresponsável da gravidez. Mas nós queremos uma sexualidade responsável. Logo, o aborto não deve ser legalizado. Exemplo:
  24. 24. Esta falácia ocorre quando a tese dos adversários é distorcida e deturpada para ser atacada mas isso significa que se falha o alvo. A tese do adversário é atacada, mas só depois de ser alterada.
  25. 25. As pessoas que querem legalizar o aborto, querem prevenção irresponsável da gravidez. Mas nós queremos uma sexualidade responsável. Logo, o aborto não deve ser legalizado. Exemplo:
  26. 26. EXEMPLO: Se beberes um copo de vinho, vais beber dois. Se beberes dois copos de vinho, vais beber três. Logo, se beberes um copo de vinho, vais tornar- te alcoólico.
  27. 27. Esta falácia ocorre quando a conclusão resulta de uma série de consequências cujo encadeamento é muito improvável.Para se mostrar que uma proposição p é inaceitável, se extrai uma série de consequencias inaceitáveis de p.
  28. 28. EXEMPLO: Se beberes um copo de vinho, vais beber dois. Se beberes dois copos de vinho, vais beber três. Logo, se beberes um copo de vinho, vais tornar- te alcoólico.
  29. 29. Exemplo: Os ecologistas dizem que consumimos demasiado energia; mas não ligues porque eles têm uma tendência para o exagero.
  30. 30. Esta falácia ocorre quando se ataca a pessoa (o carácter, a condição social, a etnia, a religião, a ideologia, etc) que apresentou um argumento e não o argumento.
  31. 31. Exemplo: Os ecologistas dizem que consumimos demasiado energia; mas não ligues porque eles têm uma tendência para o exagero.
  32. 32. Exemplo: Toda a gente sabe que a Terra é plana. Então por que razão insistes nas tuas excêntricas teorias?
  33. 33. Esta falácia ocorre quando se sustenta que uma proposição é verdadeira por ser aceite como verdadeira por algum sector representativo da população.
  34. 34. Exemplo: Toda a gente sabe que a Terra é plana. Então por que razão insistes nas tuas excêntricas teorias?
  35. 35. 1. Falácia da Generalização Precipitada 3. Falácia da Falsa Causa 5. Falácia do Falso Dilema 7. Falácia do Apelo à Ignorância 9. Falácia da Derrapagem 2. Falácia da Falsa Analogia 4. Falácia do Apelo à Autoridade 6. Falácia da Petição de Princípio 8. Falácia do Boneco de Palha 10. Falácia Contra o Homem 2) informais 11. Falácia do Apelo à Piedade 12. Apelo ao Povo
  36. 36. Realizado por: Isabel MouraD

×