• Share
  • Email
  • Embed
  • Like
  • Save
  • Private Content
Diálogo sobre as perspectivas de Popper e kuhn acerca da Questão da Objectividade Científica
 

Diálogo sobre as perspectivas de Popper e kuhn acerca da Questão da Objectividade Científica

on

  • 682 views

Trabalho realizado pelas alunas Joana Valente e Margarida Abreu.

Trabalho realizado pelas alunas Joana Valente e Margarida Abreu.

Statistics

Views

Total Views
682
Views on SlideShare
682
Embed Views
0

Actions

Likes
0
Downloads
6
Comments
0

0 Embeds 0

No embeds

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Adobe PDF

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

    Diálogo sobre as perspectivas de Popper e kuhn acerca da Questão da Objectividade Científica Diálogo sobre as perspectivas de Popper e kuhn acerca da Questão da Objectividade Científica Document Transcript

    • Diálogo sobre as Perspectivas de Popper e Kuhn acerca do Problema da Objectividade CientíficaSituação: Uma tarde, um café, duasamigas e …Margarida: Que é que andas a ler?Joana: Lembras-te de eu te dizer que não conseguia acabar de ler um livro?Margarida: Hum ... Hum ...Joana: Este consegui.Margarida: Porque raio …Joana: Filosofia, minha amiga.Margarida: Tinha de ser (rindo).Joana: Não digas isso. É sobre Popper, Kuhn e a Problemática da Objectividade Científica.Margarida: Aposto que estás a favor de Kuhn?J.oana: Nem por isso, Popper adequa-se melhor à minha maneira de pensar.Margarida: A sério? Eu não concordo com ele.Joana: Estás-me a dizer que concordas com a perspectiva de que a ciência não é inteiramenteobjectiva (tom irónico)?Margarida: Sim porque não? A posição de Kuhn está bem fundamentada com a tese daincomensurabilidade dos paradigmas, dos critérios ditos objectivos e das escolhas subjectivas. 1
    • Joana: Há sim porque Popper também não tem razão alguma quando diz que a ciência éobjectiva apoiando-se no facto das teorias serem descrições da realidade, e que, o avanço daciência implica uma aproximação à verdade, graças à falsificação e à corroboração das teorias.Sim, pois … (tom irónico)Margarida: Yes, kuhn is the BEST!!Joana: Estás cega, teoria mais confusa não existe...Margarida: Sou toda ouvidos...Joana: Então, em primeiro lugar, Kuhn afirma que a ciência não é objectiva pelo facto dosparadigmas serem incomensuráveis - tu sabes o que isso significa, não podem ser comparadosde forma objectiva, não há um melhor (mais próximo da verdade) do que o outro, apenasdiferente … Até porque a teoria geocêntrica (Terra no Centro) e a teoria heliocêntrica (Sol nocentro) são totalmente incomparáveis. Nenhuma está mais próxima da verdade. .. AhahhMargarida: Não sou burra.Joana: Pois, continuando ...Em segundo lugar, Kuhn afirma que existem critérios objectivos para escolher entre teorias, masestes são vagos e imprecisos. Ah, não esquecendo que por vezes entram em contradição!! Oque torna a sua aplicação subjectiva. Por favor ...Margarida: Talvez até tenhas alguma razão… mas pelo menos ele reconhece a existência decritérios objectivos, apesar de defender que estes não são suficientes para determinar umaescolha objectiva. If you know what i mean ...Joana: AhAh … Sim. Pois mesmo assim ... A simplicidade, a abrangência, a consistência, aprecisão e a fecundidade são pseudo-critérios. E ainda mais .... Como as pessoas não são iguais,e os cientistas são pessoas, existem várias formas de interpretar os critérios. E …Margarida: Sim, mas Kuhn é o primeiro a reconhecer que a escolha entre as teorias referentes adois paradigmas em conflito é, em parte, determinada por factores subjectivos. Por exemplo,quando os critérios de escolha de teorias entram em conflito, ou seja, a teoria Y tem uma maiorfecundidade do que a teoria S, mas a teoria S é mais simples do que a teoria Y, a escolha irá 2
    • depender do gosto pessoal do cientista, e a sua aceitação dependerá também do seu prestígiona comunidade científica.Logo, não me parece que essa tua crítica faça sentido.Joana: Ainda queres argumentar?Margarida: Mas e o teu “ídolo”? Sim porque para Popper a falsificação de teorias é sinónimo deevolução científica. Teorias! Descrições da realidade! Aproximações à verdade!! My God!Joana: Pelo menos Popper não defende algo claramente absurdo como faz Kuhn quando afirmaque as mudanças de paradigmas não implicam uma aproximação à verdade. Really? EntrePtolomeu e Copérnico, há alguma dúvida sobre qual teoria se aproxima da verdade?Margarida: Bem ... é melhor pararmos por aqui e mudarmos de assunto.Joana: Sim, também acho. Trabalho elaborado pelas alunas Joana Valente e Margarida Abreu. 3