Romance à Maneira de Deus
Eric e Leslie Ludy
Título Original: Romance God's Way
Tradução: Ariane Nishimura
Bless Gráfica e...
Para Leslie,
minha Princesa da Pureza.
Obrigado por revelar-me de forma tão
suave o que significa amar a sua vida

Eric

P...
O que os leitores estão dizendo...
"A mensagem do Romance à Maneira de Deus causou em minha
vida um impacto maior do que a...
Sumário
(clique para ir ao capítulo)

Prefácio
Introdução: O Que Pode Estar Acontecendo no Céu
Capítulo 1: Aquela Palavra!...
AG R AD E C I M E N TOS

Um agradecimento especial a
Richard Runkles
por tornar este projeto possível.

A Mark Ludy, pela ...
PREFÁCIO
Conheci Eric e Leslie durante a primeira viagem deles à
Austrália, em 1996. enquanto os entrevistava para um
prog...
todas essas verdades de forma tão poderosa. Um casal
excepcional desenvolvendo um trabalho excepcional! E o desejo
de seus...
INTRODUÇÃO: O QUE PODE ESTAR ACONTECENDO

NO

CÉU

- Eric Todo o Céu estava em agitação! A hoste angelical estava
na "pont...
assentos. Enquanto o filme começava, o Pai, todo exultante,
inclinou-Se e cutucou Miguel, dizendo:
- Fui eu mesmo quem uni...
de sorrisos calorosos com o jovem de cabelos encaracolados.
Então, silenciosamente, o jovem entrou.
A porta se fechou atrá...
Os céus explodiram de emoção. Alguns anjos se
cumprimentavam, enquanto outros passavam a caixa de lenço
de papel.
- Ele co...
verdade, essa mensagem é tão importante que os dois jovens
que acabaram de aparecer no filme estão escrevendo um livro.
Se...
CAPÍTULO 1: AQUELA PALAVRA!

- Eric –
Eu me lembro do dia fatal em que minha mãe proferiu
aquela palavra pela primeira vez...
- Que bonitinho! Eric. você está passando pela... E outra
vez. tão claro como o dia, tão mal cheiroso quanto um gambá
-aqu...
- Então. hum. Eric... ah. acho que você poderia me ajudar
a planejar a posição do time para o jogo de amanhã contra os
Bla...
insegurança e ameaçando-os com constrangimento. Este
indivíduo, digno de condenação, é conhecido por desorientar
gerações ...
Eu estava mudando. Meu rosto estava ficando cabeludo
como uma casca de pêssego. Minha voz estava falhando.
Coisas estranha...
cabelo estivesse fora do lugar, isso era suficiente para que eu
largasse o café da manhã para colocá-lo no lugar.
Comecei ...
Tenho de admitir e dizer que, embora eu desejasse muito
ser atraente, eu estava pronto para nunca mais usar
maquiagem, mes...
E, é verdade, confesso que eu era um beijador de
travesseiro! Aquele desejo interno estava crescendo, e eu não
tinha uma "...
CAPÍTULO 2: NA PUBERDADE

E

SEM SAÍDA

- Eric –
Talvez muitos dos que estão lendo este livro tenham se
identificado com a...
Eu tinha aquele desejo e queria que fosse realizado! Mas
havia um enorme empecilho. Havia uma barreira gigante entre
mim e...
Podemos imaginar Deus criando o ser humano. Podemos
vê-Lo formando a cabeça, moldando os braços e pernas, podemos até mesm...
Toda aquela conversa sobre aquela palavra aconteceu para
compreendermos que o que tem acontecido dentro de nós,
inclusive ...
atuar. Permita que Ele corrija o seu conceito sobre a
puberdade. Permita que Ele lhe mostre a Sua verdadeira
natureza. E. ...
CAPÍTULO 3: APRENDENDO

A

MANEIRA

DO

MUNDO:

A

MANEIRA MAIS DIFÍCIL

- Leslie Nunca vou me esquecer da primeira vez qu...
se tão satisfeito com aquilo quanto eu, e não demorou muito
para começarmos a tagarelar e rir como se fôssemos amigos de
l...
No princípio, sair com o "homem dos meus sonhos" era
algo sensacional. Talvez eu tenha sido bem avoada na oitava
série, ma...
que aquelas palavras era o que todos os namorados diziam um
para o outro, então, depois de alguns meses, acabei me
acostum...
eu estava no colegial, havia, pelo menos, centenas de outros
rapazes com quem poderia sair e que eram tão atraentes e
lega...
romântico. Continuei pensando que algum dia eu realmente
iria curtir aquilo. Mas, por alguma razão, esse dia nunca
chegou....
sabe que isso é impossível. Não dá para esquecer. Cada pessoa,
a quem você entrega suas emoções, fica gravada em seu
coraç...
humana permitiria que você realizasse uma operação no cão
para retirar o seu tesouro. Você teria de fazer o que uma
senhor...
.Quantos de vocês, ao serem dadas essas duas opções,
seriam malucos o suficiente para deixar o valioso diamante
num copinh...
com uma entrevista com "A senhora Palmatória" era o
suficiente para mudar nossas atitudes.
Conseqüências eram uma coisa qu...
- Está bem, Deus, farei o que for necessário. Apenas me
mostra como investir no meu futuro casamento e como amar o
meu fut...
Aquela era uma decisão ousada e corajosa, mas eu não
me sentia tão ousada e corajosa ao tomá-la! Pensamentos
horríveis sob...
Entretanto, será que era com Deus que eu gastava horas
ao telefone todos os dias? Era Deus quem consumia cada
pensamento m...
= = = = = = = = =
Foge, outrossim, das paixões da mocidade.
Segue a justiça, a fé, o amor e a paz com
todos com os que, de...
Senhor, estou pronta
Leslie Ludy

Eu já falara muitas vezes atrás,
Mas, Senhor, desejo que desta vez ...
Eu saiba com o me...
CAPÍTULO 4: CASA

DE

CARTÕES

OU

CASTELO?

- Eric Aos treze anos eu era um garoto de cara empipocada e,
todas as vezes q...
Com as mãos de um cirurgião, eu colocava habilmente
dois cartões em pé, com as extremidades encostadas, e,
cuidadosamente,...
Bem, eu tinha outro passatempo predileto que oferecia
desafios e lições semelhantes. Fui criado como um Ludy, para
amar a ...
finalmente eu estava começando a entender. "Quer dizer que,
mesmo que eu passe toda uma tarde construindo uma obra de
arte...
engenhosidade inspirativa e a visão extraordinária desse
homem.
O homem sábio simplesmente percebeu que, para
enfrentar os...
castelo de sonhos! Um relacionamento que não fosse apenas
satisfatório, mas sensacional!
Agora, eu sabia como construir ca...
embelezando a paisagem. É assim que Deus deseja que o nosso
casamento seja - um testemunho para as futuras gerações de
que...
= = = = = = = = =
"Todo aquele, pois, que ouve estas minhas
palavras e as pratica, será comparado a um
homem prudente que ...
O Seu Castelo de Sonhos
No ponto em que estamos, talvez você esteja decidido a
começar a construir um castelo, em vez de u...
CAPÍTULO 5: PÃO

NO

TERREIRO?

- Leslie Quando eu tinha seis anos, um de meus passatempos
favoritos era escutar discos de...
colher o trigo sozinha. "Dinnng!" (Hora de virar a página do
livro.) Depois, a Pequena Galinha Ruiva precisou moer o trigo...
Leslie quer com tudo isso? Ei, relaxe! Há uma razão, apenas
continue lendo...
Cada jovem com quem já conversamos sobre a á...
que Ele nos abençoe sem que O tenhamos feito Senhor de
nossas vidas.

♥ ♥ ♥
Qual dos animais do terreiro é o mais parecido...
Sem escapatória. Sem olhar para trás. E assim que deve
ser a renúncia. Não dá para ter um pé na canoa da renúncia e
o outr...
Eu renuncio a minha vontade
Laura Hart
Todos os dias sou desafiada com a escolha de fazer as coisas
A Tua maneira ou a min...
CAPÍTULO 6: A

FOSSA DO

SUPER BOWL

- Eric –
Looody! Looody! Eles gritavam, enquanto eu entrava no
refeitório, naquela tr...
magoado, desapontado com meus heróis, frustrado com meu
time. Era como se Ele tivesse sentado ao meu lado e,
carinhosament...
minhas máscaras haviam sido criadas naquela sala. A máscara
"Tá tudo sob controle", a máscara "A sensação das gatas", a
má...
achava atraente. Havia sempre umas pessoas esquisitas
sentadas nos bancos.
Durante todo o tempo eu resisti a Deus. Eu não ...
Lembro-me do dia em que minha mãe interrompeu-me
bem no meio de um jogo do Denver Broncos. Eu estava
berrando, gritando e ...
2. Se Deus assim desejar, estou disposto a me casar e
permitir que Ele faça o papel de "casamenteiro"?
3. Se Deus assim de...
Romance à maneira de Deus   eric e leslie ludy
Romance à maneira de Deus   eric e leslie ludy
Romance à maneira de Deus   eric e leslie ludy
Romance à maneira de Deus   eric e leslie ludy
Romance à maneira de Deus   eric e leslie ludy
Romance à maneira de Deus   eric e leslie ludy
Romance à maneira de Deus   eric e leslie ludy
Romance à maneira de Deus   eric e leslie ludy
Romance à maneira de Deus   eric e leslie ludy
Romance à maneira de Deus   eric e leslie ludy
Romance à maneira de Deus   eric e leslie ludy
Romance à maneira de Deus   eric e leslie ludy
Romance à maneira de Deus   eric e leslie ludy
Romance à maneira de Deus   eric e leslie ludy
Romance à maneira de Deus   eric e leslie ludy
Romance à maneira de Deus   eric e leslie ludy
Romance à maneira de Deus   eric e leslie ludy
Romance à maneira de Deus   eric e leslie ludy
Romance à maneira de Deus   eric e leslie ludy
Romance à maneira de Deus   eric e leslie ludy
Romance à maneira de Deus   eric e leslie ludy
Romance à maneira de Deus   eric e leslie ludy
Romance à maneira de Deus   eric e leslie ludy
Romance à maneira de Deus   eric e leslie ludy
Romance à maneira de Deus   eric e leslie ludy
Romance à maneira de Deus   eric e leslie ludy
Romance à maneira de Deus   eric e leslie ludy
Romance à maneira de Deus   eric e leslie ludy
Romance à maneira de Deus   eric e leslie ludy
Romance à maneira de Deus   eric e leslie ludy
Romance à maneira de Deus   eric e leslie ludy
Romance à maneira de Deus   eric e leslie ludy
Romance à maneira de Deus   eric e leslie ludy
Romance à maneira de Deus   eric e leslie ludy
Romance à maneira de Deus   eric e leslie ludy
Romance à maneira de Deus   eric e leslie ludy
Romance à maneira de Deus   eric e leslie ludy
Romance à maneira de Deus   eric e leslie ludy
Romance à maneira de Deus   eric e leslie ludy
Romance à maneira de Deus   eric e leslie ludy
Romance à maneira de Deus   eric e leslie ludy
Romance à maneira de Deus   eric e leslie ludy
Romance à maneira de Deus   eric e leslie ludy
Romance à maneira de Deus   eric e leslie ludy
Romance à maneira de Deus   eric e leslie ludy
Romance à maneira de Deus   eric e leslie ludy
Romance à maneira de Deus   eric e leslie ludy
Romance à maneira de Deus   eric e leslie ludy
Romance à maneira de Deus   eric e leslie ludy
Romance à maneira de Deus   eric e leslie ludy
Romance à maneira de Deus   eric e leslie ludy
Romance à maneira de Deus   eric e leslie ludy
Romance à maneira de Deus   eric e leslie ludy
Romance à maneira de Deus   eric e leslie ludy
Romance à maneira de Deus   eric e leslie ludy
Romance à maneira de Deus   eric e leslie ludy
Romance à maneira de Deus   eric e leslie ludy
Romance à maneira de Deus   eric e leslie ludy
Romance à maneira de Deus   eric e leslie ludy
Romance à maneira de Deus   eric e leslie ludy
Romance à maneira de Deus   eric e leslie ludy
Romance à maneira de Deus   eric e leslie ludy
Romance à maneira de Deus   eric e leslie ludy
Romance à maneira de Deus   eric e leslie ludy
Romance à maneira de Deus   eric e leslie ludy
Romance à maneira de Deus   eric e leslie ludy
Romance à maneira de Deus   eric e leslie ludy
Romance à maneira de Deus   eric e leslie ludy
Romance à maneira de Deus   eric e leslie ludy
Romance à maneira de Deus   eric e leslie ludy
Romance à maneira de Deus   eric e leslie ludy
Romance à maneira de Deus   eric e leslie ludy
Romance à maneira de Deus   eric e leslie ludy
Romance à maneira de Deus   eric e leslie ludy
Romance à maneira de Deus   eric e leslie ludy
Romance à maneira de Deus   eric e leslie ludy
Romance à maneira de Deus   eric e leslie ludy
Romance à maneira de Deus   eric e leslie ludy
Romance à maneira de Deus   eric e leslie ludy
Romance à maneira de Deus   eric e leslie ludy
Romance à maneira de Deus   eric e leslie ludy
Romance à maneira de Deus   eric e leslie ludy
Romance à maneira de Deus   eric e leslie ludy
Romance à maneira de Deus   eric e leslie ludy
Romance à maneira de Deus   eric e leslie ludy
Romance à maneira de Deus   eric e leslie ludy
Romance à maneira de Deus   eric e leslie ludy
Romance à maneira de Deus   eric e leslie ludy
Upcoming SlideShare
Loading in …5
×

Romance à maneira de Deus eric e leslie ludy

1,348 views
1,174 views

Published on

Published in: Spiritual
0 Comments
4 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total views
1,348
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
12
Actions
Shares
0
Downloads
58
Comments
0
Likes
4
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Romance à maneira de Deus eric e leslie ludy

  1. 1. Romance à Maneira de Deus Eric e Leslie Ludy Título Original: Romance God's Way Tradução: Ariane Nishimura Bless Gráfica e Editora, 1ª ed., 1999 ISBN 85-87244-11-6 Digitalizado por guerreira http://semeadoresdapalavra.top-forum.net/portal.htm OBS.: Mantida a formatação de fontes, tanto quanto possível. Ilustrações não adicionadas, por serem meramente decorativas, e não terem ficado com boa qualidade na digitalização. Nossos e-books são distribuídos gratuitamente, com a única finalidade de oferecer leitura edificante a todos aqueles que não tem condições econômicas para comprar. Se você é financeiramente privilegiado, então utilize nosso acervo apenas para avaliação, e, se gostar, abençoe autores, editoras e livrarias, adquirindo os livros. SEMEADORES DA PALAVRA e-books evangélicos
  2. 2. Para Leslie, minha Princesa da Pureza. Obrigado por revelar-me de forma tão suave o que significa amar a sua vida Eric Para Eric, meu Príncipe de Armadura Brilhante. Obrigada por construir para mim um castelo de sonhos. Leslie * * * Eu é que sei que pensamentos tenho a vosso respeito, diz o Senhor; pensamentos de paz, e não de mal, para vos dar o fim que desejais. Jeremias 29:11 * * * Os Autores Eric e Leslie Ludy são escritores, palestrantes e músicos que têm viajado muito para compartilhar a mensagem do Romance à Maneira de Deus com jovens e adultos. O ministério desse casal inclui vários seminários e conferências não só nos Estados Unidos como também em outros países. O desejo de Eric e Leslie é inspirar, desafiar e equipar a sua geração para viver de acordo com o padrão de Cristo.
  3. 3. O que os leitores estão dizendo... "A mensagem do Romance à Maneira de Deus causou em minha vida um impacto maior do que as palavras possam expressar. Agora sei que Deus tem escolhido a dedo um companheiro para mim e que posso confiar essa área da minha vida a Sua perfeita fidelidade." Kristen Baldwin, 15 Lufkin,TK "Por meio da mensagem do Romance à Maneira de Deus, aprendi a colocar Deus em primeiro lugar em todas as áreas da minha vida, especialmente nos relacionamentos com o sexo oposto. Eu agradeço a Deus pelo testemunho de Eric e Leslie e eu sei que este livro tocará a sua vida como tocou a minha." Jeremy Fernando, 19 Victoria, Austrália "Essa mensagem é o que a nossa geração precisa para combater os caminhos do mundo. Por meio do Romance à Maneira de Deus, encontrei a segurança em saber que existe uma maneira melhor de construir relacionamentos... à Maneira de Deus." Matt O' Neil, 15 Ontário, Canadá "Posso ver a unção de Deus sobre Eric e Leslie por meio de seu exemplo, seus livros e suas palavras. O desejo deles é que as pessoas busquem a vontade de Deus em cada área de suas vidas.Suas histórias são reais e inspirativas." Heather Morehouse, 17 Kalamazoo, MI
  4. 4. Sumário (clique para ir ao capítulo) Prefácio Introdução: O Que Pode Estar Acontecendo no Céu Capítulo 1: Aquela Palavra! Capítulo 2: Na Puberdade e Sem Saída Capítulo 3: Aprendendo a Maneira do Mundo: a Maneira Mais Difícil Capítulo 4: Casa de Cartões ou Castelo? Capítulo 5: Pão no Terreiro? Capítulo 6: A fossa do Super Bowl Capítulo 7: Deus é um Velhote? Capítulo 8: Sem Garota Numa Sexta-Feira à Noite? Capítulo 9: A Visão do Túnel Capítulo 10: Amor: Passageiro ou Eterno? Capítulo 11: A Chave Secreta do Romance Capítulo 12: Mais do que Flores Capítulo 13: Os Cavaleiros de Armadura Brilhante Realmente Existem? Capítulo 14: Luz, Câmera, Ação!
  5. 5. AG R AD E C I M E N TOS Um agradecimento especial a Richard Runkles por tornar este projeto possível. A Mark Ludy, pela sua criatividade hilariante. E a Marlene Bagnull por trabalhar paciente e diligentemente no reforço desta mensagem. Acima de tudo, agradecemos ao verdadeiro Autor por tudo o que possa ser digno nestas páginas. A Ele seja a glória!
  6. 6. PREFÁCIO Conheci Eric e Leslie durante a primeira viagem deles à Austrália, em 1996. enquanto os entrevistava para um programa de televisão. Fiquei rapidamente entusiasmado com a mensagem e o ministério desse casal. Sinto-me emocionado ao recomendar com grande alegria o novo livro de Eric e Leslie a qualquer pessoa que esteja buscando sabedoria divina na área de relacionamentos, pois creio que a mensagem contida no Romance à Maneira de Deus indica uma mudança de direção para os jovens de hoje. O livro que você está prestes a ler o encantará e o inspirará! Eric e Leslie enriquecem estas páginas com talento e personalidade, com lances de jornadas pessoais e com uma visão clara de como semear sementes vivas nos corações. Romance à Maneira de Deus é uma mensagem de esperança. Para muitos jovens, famílias e líderes, a "esperança" tem sido enterrada nas cinzas de sonhos queimados. Porém, Eric e Leslie têm provado em suas vidas que não apenas existe uma maneira melhor de construir relacionamentos, mas que essa maneira já foi vivida com sucesso. Isso não é um apelo sentimental às pessoas emocionalmente vulneráveis. Estas páginas foram gravadas com a experiência pessoal, visão de oração, obediência à fé e uma profunda busca da realidade. O resultado é um livro pleno de uma sabedoria que nos ensina a repensar, a reconquistar e a vivificar a visão para um futuro santo e glorioso. O humor, os casos, as ilustrações e a realidade do dia-a-dia trazem a verdade a nossa compreensão. Eric e Leslie são cem por cento sinceros, absolutamente reais, genuínos na preocupação com a vida, sensíveis ao amor do Senhor e ricos em seus próprios relacionamentos ao explorar o tesouro do caminho excelente de Deus. Esse material tem sido várias vezes apresentado em todos os Estados Unidos e na Austrália. O ensino tem sido testado e aprovado por jovens de diferentes formações. Não tenho conhecimento de outras pessoas que tenham compartilhado
  7. 7. todas essas verdades de forma tão poderosa. Um casal excepcional desenvolvendo um trabalho excepcional! E o desejo de seus corações é que essa mensagem o atraia, o liberte e o dirija a sua própria jornada para que você também tenha uma mensagem para as nações. Não permita mais que o doloroso padrão do mundo continue arruinando a sua vida. Sua mensagem singular transformará a sua vida e semeará sementes de grande satisfação e doce felicidade. Leia com o coração aberto. Leia com confiança e esteja pronto para aplicar a verdade com um compromisso real de fé. Leia e seja transformado! Chris Field Melbourne, Victoria, Austrália Chris Field é um pastor australiano e uma personalidade da televisão. Ele apresenta dois programas semanais de TV, na cidade de Melbourne, Victoria - um programa de estudo bíblico. "Living Word" ("Palavra Viva") e um programa de entrevista. "Melbourne Alive" ("Melbourne ao Vivo"). Chris tem cinco filhos e uma filha e ministra, principalmente, sobre família, casamento, integridade pessoal e aplicação da Palavra.
  8. 8. INTRODUÇÃO: O QUE PODE ESTAR ACONTECENDO NO CÉU - Eric Todo o Céu estava em agitação! A hoste angelical estava na "ponta das asas" desde domingo à noite, esperando... observando... imaginando. Todos os olhos celestiais estavam fixos no entusiasmado Pai assentado em Seu trono, adornado em todo o seu esplendor. Uma miríade de serafins iluminados fitavam o Seu terno rosto, imaginando o momento em que Seus lábios finalmente profeririam as palavras tão esperadas. As horas passavam, e a expectativa crescia. Foi somente na segunda-feira, às sete e meia, que Ele. finalmente, chamou o arcanjo para o seu lado. Parecia que Ele estava rindo, enquanto sussurrava alguma coisa no ouvido de Miguel. O céu alvoroçava-se de curiosidade. Com um sorriso exultante, o mensageiro do Rei posicionou-se perante a hoste celestial. Um audível "ssshhhhhh" ressoou entre a curiosa multidão. Cada serafim e querubim estava quieto, esperando... observando... imaginando. O radiante arcanjo comprimiu o lábio, tentando reprimir e controlar a sua própria ansiedade. Depois de uma pausa, que pareceu durar um milênio, Miguel começou a falar com alegria radiante e risos incontroláveis: - Meus amigos, sua voz ecoou pelos céus, o Pai diz que É CHEGADA A HORA! Trepidação de asas, sons de harpas, pés de anjos dançando sobre as ruas de ouro. É chegada a hora! Finalmente a hora chegou!!! E todo o Céu estava exuberante! O pipoqueiro chegou assim que começavam a abrir as cortinas. Todos os ansiosos serafins se acomodavam nos
  9. 9. assentos. Enquanto o filme começava, o Pai, todo exultante, inclinou-Se e cutucou Miguel, dizendo: - Fui eu mesmo quem uniu esses dois. Miguel, rindo daquela afirmação tão conhecida, deu uns tapinhas amigáveis nas costas do seu Herói, o Grande Diretor dos Estúdios Universais. Então, todos vêem um rapaz surgindo naquela tela gigante, totalmente despercebido ao fato de que bilhões de olhos estavam a observá-lo. Era uma sexta-feira chuvosa de abril. Ele permanecia à porta, do lado de fora. esperando... observando... imaginando. Em uma das mãos ele segurava um buquê de rosas e na outra uma caixinha branca. Os acontecimentos a seguir deixariam todo o Céu nas pontas dos pés. Cada ser angelical imaginava como ele faria. Como ele a surpreenderia? Qual seria a reação dela? Ela aceitaria? Apenas o Autor Todo-Poderoso sabia o que aconteceria e Ele sempre guardava o segredo a sete chaves. O auditório inquietou-se quando os vizinhos, ao retornarem para casa, curiosamente observavam o rapaz ali... na chuva... do lado de fora da grande casa azul. De repente, a cena mudou. Uma graciosa moça. em uma sala iluminada por luz de velas, entrava em foco. Ela estava rodeada pela sua família, o que dava a impressão de ser um momento muito simbólico. Depois de lhe terem dirigido palavras doces, a mocinha foi convidada a sentar-se no sofá, com os olhos fechados. Fora-lhe dito que o presente, que eles lhe desejavam dar há tanto tempo, estava do lado de fora e que eles iriam buscá-lo A família se afastou, deixando sua jóia preciosa. Os olhos da mocinha estavam fechados e apertados em expectativa. Logo que a família saiu pela porta dos fundos, ouviu-se uma linda música. Era uma música que ela apreciava - que lhe trazia lágrimas aos olhos. Novamente a cena da noite chuvosa com o rapaz segurando o buquê de rosas apareceu na tela, dessa vez, entretanto, a porta estava aberta. A família da mocinha passou silenciosamente pela porta e compartilhou um breve momento
  10. 10. de sorrisos calorosos com o jovem de cabelos encaracolados. Então, silenciosamente, o jovem entrou. A porta se fechou atrás dele. Um corredor escuro, iluminado apenas pela luz dos seus sonhos, o recebeu. Aquela melodia enchia os seus ouvidos e tocava o seu coração, enquanto ele se dirigia para a sala. nas pontas dos pés. Ele estava a alguns segundos do momento que havia esperado por toda a sua vida. A mocinha, com a face rosada, apareceu na tela. Dessa vez o foco estava nas lágrimas que escorriam pelo seu rosto delicado e suave. Aquela música trazia lembranças de um jovem à sua mente. Pensar que seu príncipe de armadura brilhante estava a milhares de milhas distante era como alfinetadas em seu coração. - Um dia ele virá. ela assegurava a si mesma, ele prometeu que voltaria. Sem que ela percebesse, o jovem entrou na sala. Ele a observava em toda a sua beleza, enquanto lágrimas continuavam a escorrer pela sua face. - Leslie. ele sussurrou, tentando conter-se. A preciosa princesa levantou a cabeça espantada. Através da cortina de lágrimas, ela viu a imagem do seu príncipe. Como se fosse um sonho, ela o fitava vindo ao seu encontro e ajoelhando-se aos seus pés. Com lágrimas nos olhos, ele gentilmente confessou a sua adoração e o seu amor por ela. Ele a presenteou com as rosas e com uma caixinha branca. E a surpreendeu com um pedido de casamento. - Minha Leslie. sua voz rouca sussurrava, você quer se casar comigo? Enquanto dizia essas palavras, ele olhava fixamente nos olhos dela. A música de fundo crescia com intensidade e grande comoção. Os olhos dela brilhavam, suas bochechas enrubesciam com entusiasmo. Ela não conseguia falar. De repente, a música chegou ao seu clímax, e ela disse "Sim".
  11. 11. Os céus explodiram de emoção. Alguns anjos se cumprimentavam, enquanto outros passavam a caixa de lenço de papel. - Ele conseguiu, um ser angelical gritava. Um coral de vozes cantava o "Aleluia" na versão hip-hop. Enquanto as cortinas se fechavam, todos se dirigiam ao trono para parabenizar o Diretor. Miguel apressou-se triunfantemente para o lado do Rei, enquanto a congregação de críticos de cinema rodeava o trono. O Rei inclinou-Se e sussurrou ao ouvido de seu querido arcanjo: - Com a experiência que eu tenho em escrever textos, pense em alguns outros casais e me dê mais oportunidades como essa. Miguel sorriu e virou-se para falar à multidão: - Eu sei que vocês devem estar se perguntando porque hoje em dia é tão raro assistir a cenas como essas pelo telão. Depois de uma pausa, elevou mais a sua voz: -A razão é muito simples, não temos mais histórias românticas de boa qualidade que sejam puras o suficiente para serem produzidas e exibidas aqui! Os céus responderam àquelas palavras com risos. E Miguel continuou: - Mas parece que as coisas lá embaixo estão mudando. O ajuntamento celestial olhava para Miguel com interrogações nos olhos. Seria verdade? Será que existiriam histórias de amor que fossem puras entre as pessoas lá embaixo? - Sim, meus amigos, disse Miguel, é verdade! Nosso glorioso Criador está escrevendo o enredo para milhares de pessoas que tenham as mais puras histórias de amor. Ele está apenas esperando que os jovens casais aceitem os papéis de personagens principais! Os anjos se entreolhavam com uma expectativa jubilosa. - Tudo o que precisamos é levar uma mensagem muito importante para os filhos que estão lá embaixo na terra. Na
  12. 12. verdade, essa mensagem é tão importante que os dois jovens que acabaram de aparecer no filme estão escrevendo um livro. Se os jovens lá da terra entenderem essa mensagem, eles permitirão que o Diretor Mestre escreva suas histórias de amor. Então, meus amigos, teremos a grande possibilidade de gastar nossos gloriosos anos assistindo a produções como essa que acabamos de ver hoje! - Qual é a mensagem? perguntou a multidão celestial. - É simples, respondeu Miguel. Tudo o que eles precisam saber é que o Criador do Universo... ADORA ROMANCES! Uma agitação de asas surgiu da incontável multidão entusiasmada. Miguel finalizou com um desfecho inspirativo: - Vamos a nossa missão! Levemos essa mensagem aos filhos da terra. O mundo nunca mais será o mesmo assim que eles entenderem a essência do Romance à Maneira de Deus. ♥ ♥ ♥ E, querido leitor, nunca se soube como este livro foi cair em suas mãos. Pode ter sido simplesmente o trabalho de algum bravo mensageiro do Céu entregando-o diretamente do próprio Pai a você. Por quê? Porque talvez Ele deseja que você saiba que... Ele está escrevendo um romance só para você neste exato momento!
  13. 13. CAPÍTULO 1: AQUELA PALAVRA! - Eric – Eu me lembro do dia fatal em que minha mãe proferiu aquela palavra pela primeira vez. Aquilo chegou aos meus ouvidos como um carrapicho na meia e cheirou mal como uma torrada queimando na cozinha. Eu nunca mais seria o mesmo. Como pude ser exposto de tal forma àquela palavra? Eu estava bem na minha quando, de repente, percebi que o nariz de minha mãe se aproximava do meu rosto como se ela fosse um cientista maluco analisando pelo microscópio uma ameba amassada. Eu, sentindo-me um tanto desconfortável, tentava desviar-me. mas o nariz persistia - aproximando-se cada vez mais perto... e mais perto... e mais perto. Até que finalmente: - Ah! Minha mãe vencera! Ela descobrira a verdade escondida... um pontinho amarelado! Mas a pior parte estava por vir. Foi a palavra que ela disse que provocou mal-estar e embaraço. - Eric, parece que você está na... E foi bem aí que ela falou aquela palavra! Pouco tempo depois, fui novamente exposto àquela terrível e abominável palavra. Outra vez ela saiu dos lábios inocentes e confiantes de minha própria mãe. Dessa vez, aconteceu na cozinha. Eu não sabia do perigo iminente, enquanto fuçava, matava a sede e a fome em um de meus cômodos preferidos da casa. Era lá onde eu encontrava algum refrigério. Era naquele exato lugar onde eu encontrava paz, alegria e satisfação. Mas também foi lá onde eu me vi face a face com aquela palavra! - Mãe, me dá um copo de leite? Enquanto dizia aquilo, minha voz falhou como uma taquara rachada. Foi como se um enorme ovo tivesse sido quebrado bem em minha cara. Minha mãe riu e disse:
  14. 14. - Que bonitinho! Eric. você está passando pela... E outra vez. tão claro como o dia, tão mal cheiroso quanto um gambá -aquela palavra. É muito triste ter de dizer isto: eu, Eric, não sou o único que foi amaldiçoado por essa terrível palavra. Essa palavra tem uma reputação! Na realidade, é algo centenário! Sabemos que ela fez com que os criminosos mais durões ficassem corados de vergonha. Muitas mães já experimentaram grande desgosto, e pais se esconderam devido ao seu simples pronunciamento. E ela não afetou apenas a plebe. A história nos revela que ela derrotou até mesmo o cavaleiro mais corajoso e a princesa mais digna. Na verdade, essa palavra maluca é conhecida por ter fraquejado os joelhos do zagueiro mais durão e por ter amolecido como gelatina o coração do mais bravo oficial da marinha. Aquele dia fatal na cozinha não seria a última vez que eu teria uma colisão frontal com aquela palavra. Não passou muito tempo para que as espinhas começassem a brotar em meu rosto como os cactos do nosso jardim e uns odores estranhos começassem a exalar de minhas cuecas anunciando em "claro e alto som" que Eric estava embarcando em um período de sua vida chamado... AQUELA PALAVRA! Logo depois, todo o caos culminou com um enorme massacre da dignidade de minha infância, quando meu pai me chamou para termos "A conversa". "A conversa" baseou-se naquela palavra. Tudo o que era mais desagradável, tudo o que era estranho, tudo o que era gorduroso era culpa daquela palavra! Uma noite meu pai me convidou para acompanhá-lo em uma volta pela cidade. Não havia nenhuma razão em particular, apenas um passeio inocente pela cidade. Foi uma conspiração! Eu devia ter pressentido no ar, mas estava muito distraído para perceber. Entramos em nosso carro amarelo cor de banana (uma linda lembrança dos meus tempos de criança) e nos dirigimos para a rua para um... estacionamento! Meu pai sabia o ambiente perfeito para fazer com que seu filho se sentisse confortável. Com a justificativa de conversar sobre estratégias de futebol (meu pai era o meu técnico, e nós teríamos um jogo na manhã seguinte), ele começou a falar:
  15. 15. - Então. hum. Eric... ah. acho que você poderia me ajudar a planejar a posição do time para o jogo de amanhã contra os Blazers. o que acha? Ele perguntou com um constrangimento que encheu todo o nosso carro amarelo cor de banana. Concordei, e papai prosseguiu - procurando por uma folha de papel que tirava de sua maleta. Eu podia sentir que uma granada estava para explodir. - Bom. porque não colocamos o Luck aqui. à direita, e talvez o Johnny no meio do campo, à esquerda e...uh... Ele parou. De repente, o silêncio pairou no carro como o vento gelado de inverno atravessa a camiseta. Passados alguns segundos, com a coragem de um novilho que sabe que está indo para o matadouro, ele continuou: - Éééééé que. bem... ele murmurou. - Hã! hã!... pigarreou e continuou, falando nisso. Eric. tem uma coisa que quero falar com você. A granada havia sido lançada, e eu era o alvo. Nunca me esquecerei daquela noite no estacionamento. Passei, praticamente, toda a noite fitando o chão do carro amarelo cor de banana, com as bochechas enrubescidas e com os ouvidos transbordando com aquela palavra. Naquela monotonia, a única coisa que eu disse durante toda a noite foi "u-hum". Era como se fossem dois terríveis pesadelos em um só: beijar o meu irmão na boca e ir para a escola sem roupa. Mas se para mim era difícil, imagine para o meu pai. pois ele foi a pessoa que. de fato. falou aquela palavra! Se eu pudesse, nunca mais pensaria naquela palavra, ou a ouviria, ou a pronunciaria novamente. Mas acontece que um crime imperdoável ocorreu em nossa sociedade, e o culpado precisa ser claramente identificado. É isso mesmo - aquela palavra é a suspeita principal. Essa não é uma acusação trivial. Esse foi um crime capital merecedor de uma punição que "coloque todos os pingos nos is" até que haja o cumprimento total da lei. Existe alguma coisa em nossa sociedade que tem torturado as mentes dos jovens, atormentando-os com
  16. 16. insegurança e ameaçando-os com constrangimento. Este indivíduo, digno de condenação, é conhecido por desorientar gerações inteiras de jovens da verdadeira beleza de se tornar um adulto, jogando-os em um dilema causado pelas palavras engraçadas e por falsas interpretações. Eu experimentei, por conta própria, lidar dignamente com esse indivíduo e fazer justiça sem delongas. Neste momento, quero apresentar-lhes os maiores suspeitos, um dos quais é aquela palavra: 1) alcachofras 2) hora de dormir 3) lição de casa 4) fígado com cebolas 5) e... é... pu... pubahh...puberdade! Agora, é óbvio para todos que cada uma dessas coisas é uma tremenda ameaça para os jovens, mas existe uma que sobrepuja as demais. Uma palavra que faz com que as outras sejam "fichinha'". E! Você está absolutamente certo! É aquela palavra1. É aquela palavra que faz nascer espinhas na sua cara. mas que não lhe explica como se livrar delas. É aquela palavra que o transforma de um menininho bonitinho em um quatro olhos desengonçado e otário com cabelo seboso, sem, ao menos, ter a polidez de enviar um cartão de "melhore logo". Aquela palavra é a única responsável por nos confundir a cabeça com todas essas palavras engraçadas. Eu me lembro de olhar para o fundo da classe e ver Cindy McFarlane (este não é o seu nome verdadeiro). "O que é aquilo?" Minha mente questionou em agitação. Uma outra parte de mim respondeu sarcasticamente: "Aquilo é uma garota, esperto!" Eu sabia que Cindy era uma garota, mas tinha certeza de que alguma coisa havia mudado. Até então, eu estava condicionado a reagir comum "credo!" Mas. subitamente, o "credo!" não coincidia com os sentimentos em meu interior. Talvez um "uaaauuu ". mas nunca um "credo!"
  17. 17. Eu estava mudando. Meu rosto estava ficando cabeludo como uma casca de pêssego. Minha voz estava falhando. Coisas estranhas estavam acontecendo comigo, e eu me sentia deslocado dos outros. Sentia-me como um pingo de sorvete derretendo na calçada. Meu pai "havia me ajudado" a compreender as mudanças físicas durante "A conversa", mas havia algumas outras coisinhas acontecendo também. Eram coisas internas. Desejos dentro de mim que eu nunca havia sentido antes. A palavra maluca, puberdade. ecoava por todos os lados e parecia gritar para mim: Ei. você. seu otário. João Ninguém em puberdade. apenas se olhe no espelho! Você acha que alguém poderia amá-lo do jeito que você é? Até então, eu nunca havia questionado se os outros me achavam atraente ou não. ou se eu era uma pessoa que pudesse despertar o amor de uma garota. Mas. subitamente, eu só conseguia pensar naquilo: Puberdade! Puberdade! Puberdade! Você está na puberdade! Aquela palavra inundava a minha mente. Imagens de Cindy McFarlane despontavam em minha mente, enquanto eu sussurrava: "Desiste, seu desengonçado de boca metálica!" Dentro de mim estavam acontecendo coisas que "A conversa" daquela noite no estacionamento não me havia preparado. De repente, eu sentia o desejo de ser atraente. Durante os últimos doze anos. eu não me importava se o meu cabelo estava arrepiado, se a minha camiseta estava amarrotada ou se havia molho de pizza no meu queixo... Agora, surgindo repentinamente do nada. eu sentia que precisava ser atraente. Talvez a Cindy até olhe para mim hoje! Eu advertia a mim mesmo ao acordar uma hora mais cedo do que o normal para me aprontar para ir à escola. Comecei a ficar horas e horas escolhendo o traje certo, passando esfoliante na cara para ver se me livrava daquelas espinhas obscenas e, é claro, cuidando do item número 1 do horário de minha agenda matutina: o penteado. Desenvolvi um estilo de penteado que era embelezado e ornamentado à perfeição. Eu precisava estar cem por cento. Se um fiozinho de
  18. 18. cabelo estivesse fora do lugar, isso era suficiente para que eu largasse o café da manhã para colocá-lo no lugar. Comecei a estudar revistas que tivessem homens do tipo "machão". Lembro-me de quando folheava uma revista e me deparei com o Arnold Schwarzenegger sem camisa. Pensei comigo mesmo: Uau! Então é assim que devo parecer? Imediatamente fui para o banheiro e tirei a camiseta. Olhei para o espelho com um sorriso a La Clint Eastwood, curvei os braços e os flexionei como o Schwarzenegger na revista. "Puf!" Uma pelotinha de músculo apareceu em meu braço e "Puft!" Sumiu. Foi naquele momento que enxerguei pela primeira vez "O magrela". Meu desejo de ser atraente levou-me, uma manhã, antes de ir para a escola, ao estojo de maquiagem de minha mãe. Minhas espinhas estavam se multiplicando em meu rosto como uma ninhada de coelhos, e eu não conseguia descobrir o que fazer. Encontrei, entre os vários produtos, uma coisa chamada "base" e, em frente do espelho, tapei, cuidadosamente, cada um dos pontinhos de espinha. Maquiagem: esta era uma outra coisa não abordada pelo meu pai naquele bate-papo que tivemos no carro amarelo cor de banana. Eu não tinha a mínima idéia de que existiam diferentes tipos de tonalidades de maquiagem e de que é necessário certificar-se de que o tom combine com a cor da pele. Quero dizer, como é que eu deveria saber tudo isso? Bom. aprendi rapidamente aquela lição logo que entrei no vestiário masculino naquela tarde. Um cara superlegal, que passou por mim e percebeu que eu não havia combinado o tom da base com a minha cor morena, teve a bondade de, graciosamente, anunciar bem alto para todo o vestiário ouvir: - Você tá usando maquiagem! Imediatamente gaguejei um "não", mas ele insistia, no caso de alguém não ter escutado: - O Eric tá usando maquiagem!
  19. 19. Tenho de admitir e dizer que, embora eu desejasse muito ser atraente, eu estava pronto para nunca mais usar maquiagem, mesmo que corresse o risco de deixar que minhas espinhas arruinassem minha vida. Outra nítida mudança que estava acontecendo dentro de mim era um súbito desejo de compartilhar minha vida com Cindy McFarlane. Era a coisa mais estranha, mas eu desejava conhecê-la. E eu queria que ela me conhecesse também! Aquele desejo continuou a crescer... e crescer... e crescer. No início, eu apenas desejava conhecer a sua cor preferida do arco-íris, mas, com o passar das semanas e dos meses e com o aprofundamento daquele desejo, almejei nada menos do que saber qual seria a sensação de ter os lábios de Cindy contra os meus. Lembro-me claramente de ter assistido a filmes quando mais novo (este foi o meu primeiro grande erro) e ver o desenrolar de uma história de amor. Rapaz conhece garota. Rapaz convida garota para sair. Rapaz se aproxima. Rapaz move os lábios. E rapaz dá um beijo certeiro nos lábios vermelhos da garota. Tudo tão fácil, tão tranqüilo, tão harmonioso (e tão melado). Sentei-me para observar aquele prodígio e estudei detalhadamente como eles posicionavam os lábios, como movimentavam as cabeças e, até mesmo, onde colocavam as mãos. Aquele negócio era uma arte, e eu era absolutamente um zero à esquerda naquele assunto. Eu estava intrigado com aqueles dois pombinhos que haviam aprendido a beijar tão bem. Eu estava convencido de que devia existir uma escola secreta de beijo que todo o mundo conhecia, menos eu. Então, se eles não estavam dispostos a me convidar para fazer parte, decidi que eu mesmo iria iniciar o meu aprendizado. Estarrecido, deitei-me em minha cama e me aconcheguei debaixo do meu cobertor. Mas não conseguia dormir. Minha mente continuava ligada a Cindy McFarlane! Imaginei seus lábios e tentei beijá-los, mas aquilo não era real. Então, virei de lado, agarrei outro travesseiro e o trouxe para perto de mim. Movi meus lábios e "chwmack", meu travesseiro recebeu o beijo que intencionei dar na adorável face de Cindy.
  20. 20. E, é verdade, confesso que eu era um beijador de travesseiro! Aquele desejo interno estava crescendo, e eu não tinha uma "cobaia" humana. Conseqüentemente, meu travesseiro tornou-se a minha única opção. Aquela palavra - aquela inútil palavra maluca - havia me transformado em um quatro olhos, boca metálica, cabelo seboso, cara maquiada, adorador de Cindy. beijador de travesseiro e magrela imitador de Schwarzenegger. Foi aí que percebi que, se um dia eu viesse a escrever um livro sobre romance, seria melhor que eu começasse a fazer alguma coisa rapidamente.
  21. 21. CAPÍTULO 2: NA PUBERDADE E SEM SAÍDA - Eric – Talvez muitos dos que estão lendo este livro tenham se identificado com alguma coisa do capítulo anterior - seja com "aquela palavra", ou com "A conversa", ou com Cindy McFarlane na cabeça, ou mesmo com o fato de que os únicos beijos que você já deu tenham sido na sua mãe, na sua avó e no seu travesseiro. Bom, pelo menos agora você sabe que existe mais alguém neste mundo que já passou pelos mesmos problemas! Se algum dia você precisar de um ombro amigo, não hesite em me ligar. Ohhhh! Estou na puberdade! Nããooo! Isso não soa como um filme de ficção científica em que um horrível monstro gigante engole um pobre soldado espacial? Para alguns de nós, esse sentimento pode soar bem familiar. Quando chegamos aos onze, doze ou treze anos. de repente, este monstrengo de cara espinhuda. chamado Puberdade. surge de debaixo de nossas camas, no meio da noite, e nos agarra. Uma vez que nos pega, não há escapatória! Não sei se você já sentiu isso ao experimentar os efeitos "adoráveis" daquela palavra. Eu, com certeza, já senti. Cheguei a sentir, até mesmo, vergonha daquilo que estava acontecendo com o meu próprio corpo. Eu me sentia mal pelo que estava acontecendo no meu exterior, mas eram as transformações dentro de mim que faziam com que eu me sentisse miserável e confuso. Eu desejava compartilhar minha vida com Cindy McFarlane. Desejava uma companhia em minha vida. Queria amar alguém e ser correspondido. E aquele estranho desejo não desapareceu com o tempo. Pelo contrário, era um desejo que crescia. Com o passar dos anos. continuou crescendo... e crescendo... e crescendo. Quando completei dezesseis anos. pensei seriamente que explodiria e que haveria um monte de pedacinhos de Eric Ludy espalhados por todas as paredes.
  22. 22. Eu tinha aquele desejo e queria que fosse realizado! Mas havia um enorme empecilho. Havia uma barreira gigante entre mim e meu apaixonado caso de amor com Cindy McFarlane DEUS! Ali estava Ele. bem no meio do caminho! Eu costumava vê-Lo como o "Sem Graça". Poderia ter feito o que fosse, mas o "Sem Graça" estava sempre ali para berrar um "É proibido!" Você já pensou em Deus como um velho de cara fechada e cabelos grisalhos que fica no céu e cujas frases prediletas são: "Ah! Peguei você no pulo! Mais um movimento e você será exterminado com um raio de luz!"? Por alguma razão, quando somos jovens, temos uma tendência de associar Deus com qualquer coisa que seja extremamente séria e com todas as coisas que sejam entediantes e previsíveis. Não há divertimento no Reino de Deus, Eric Ludy! Minha consciência me repreendia toda vez que eu participava da classe de Escola Dominical. Comparo isso com o "princípio da nutrição". Se eu pudesse mencionar todos os tipos de alimentos deliciosos, como bolo de chocolate, sorvete, sucrilhos açucarados, o que você logo me diria sobre os seus valores nutricionais? Sim. você acertou! Por serem saborosos, podemos automaticamente presumir que não fazem bem para o nosso corpo. E se eu tivesse mencionado alimentos mais leves e sem sabor como brócolis. couve-flor e broto de feijão? O que você diria sobre seus valores nutricionais0 É. você acertou novamente! Pelo fato de serem sem graça e sem gosto, podemos concluir seguramente que devem ser bons para a nossa saúde. O "princípio da nutrição" indica que aquilo que é saboroso e agradável é prejudicial e o que é leve e sem graça é benéfico. Durante os anos de puberdade, somos despertados pelo desejo de apreciar o sexo oposto. MAS. simplesmente, sentimos Deus falando ao nosso ouvido: - Você já leu o livro de Levítico hoje? Deus e a nossa sexualidade são como óleo e água - não se misturam. Por quê? Porque Deus é enfadonho e qualquer coisa associada à área de nossa sexualidade é estimulante.
  23. 23. Podemos imaginar Deus criando o ser humano. Podemos vê-Lo formando a cabeça, moldando os braços e pernas, podemos até mesmo imaginá-Lo cavando o umbigo. Mas nunca, NUNCA conseguimos imaginá-Lo todo orgulhoso por ter sido o criador daquelas (hum...) partes que,. você sabe (cof, cof). ficam no meio do corpo. E como se imaginássemos isto: ao criar Adão, Deus se esqueceu das falhas e disse que '"tudo era bom". Mas, ao perceber o erro, Ele simplesmente grudou uma folha de figueira "nas partes" para cobrir o defeito. Que pensamento mais distorcido! Precisamos entender que a puberdade é. sem duvida nenhuma, obra de Deus! Ele é o criador da puberdade. Talvez eu deva dizer que Ele é o criador deste período de nossas vidas. Não consigo imaginar Deus usando aquela palavra para descrever qualquer coisa que seja! Entretanto, todas estas coisas estranhas que estão acontecendo em nosso corpo durante este período são resultado de Sua inteligência e engenhosidade. A coisa mais chocante é a novidade sobre aquele desejo interno crescente, pronto para entrar em erupção, de compartilhar nossas vidas com alguém do sexo oposto. Foi Deus quem colocou isso em nós! É proposital, e eu não estou brincando! Deus não vê os nossos "anos de puberdade" como um período de constrangimento devido a nossa boca metálica. Sua visão é completamente diferente! Na realidade, se Deus tivesse um nome para esse período, certamente seria algo bonito e nobre. Vocês percebem. Deus quer que compreendamos tudo isso durante esse período de nossas vidas. Ele está nos moldando em homens e nos esculpindo. Moças, este e um período de suas vidas em que vocês estão sendo transformadas em princesas e em rosas perfumadas. Isso não soa romântico? Assim como um fazendeiro planta na primavera para colher no outono. Deus planta sementes da masculinidade e feminilidade em nós (respectivamente) durante esse período para que, com o passar dos anos, possamos dar frutos de uma fase adulta madura. ♥ ♥ ♥ Se alguns de vocês estão se perguntando quando é que começaremos a falar sobre romance, então, a hora chegou!
  24. 24. Toda aquela conversa sobre aquela palavra aconteceu para compreendermos que o que tem acontecido dentro de nós, inclusive aquele desejo crescente por uma companhia que começa a agitar, a cutucar e a bater com o passar dos anos, é uma obra milagrosa de Deus. Mas muitos de nós nunca percebemos que foi Deus quem colocou em nosso interior o desejo de amar e ser amado. Como resultado, não O buscamos para descobrir o que Ele deseja que façamos. Acredite ou não, Deus tem uma maneira de lidar com esse desejo crescente. É uma maneira que talvez você nunca tenha imaginado antes - uma maneira que, ao contrário do "princípio da nutrição", está repleta de uma beleza surpreendente, alegria indescritível e incomparável romance. O inimigo tem trabalhado incansavelmente para nos desviar dessa maneira, porque ele sabe que o destino que Deus tem para as nossas vidas será desvendado para nós. Você verá que essa maneira que eu e Leslie compartilhamos com você é surpreendentemente simples e profundamente desafiante. Você descobrirá porque o inimigo tem tentado nos confundir tanto para nos desviarmos do Romance à Maneira de Deus. A versão de Deus para o romance faz com que a versão do mundo pareça uma vela de jantar jogada no latão de lixo. O Romance à Maneira de Deus nos desafia e nos traz muito mais satisfação! A maioria das pessoas pensa que a maneira de Deus encontrar um companheiro para nós seja a maneira do mundo mais uma lista inteira de "é proibido..." Mas a maneira de Deus é completamente diferente e excepcional em sua beleza e não pode ser comparada com a maneira do mundo. Isso será muito mais do que uma jornada para descobrir uma maneira melhor de abordar o romance. Esperamos que seja um encontro com a pessoa de Deus! Sendo Deus o inventor do romance, não podemos ignorá-Lo em nossa busca. Ele sabe melhor do que qualquer um de nós a razão pela qual Ele mesmo colocou esse ímã intrínseco dentro de nós que nos atrai ao sexo oposto. Antes que você continue a leitura, eu o desafio a se perguntar: Estou disposto a ser transformado por Deus? Sabe, se você estiver disposto. Deus está pronto e desejoso para
  25. 25. atuar. Permita que Ele corrija o seu conceito sobre a puberdade. Permita que Ele lhe mostre a Sua verdadeira natureza. E. acima de tudo, permita que Ele tenha o controle da sua vida e que o modele a Sua imagem. A primeira e mais importante pergunta que devemos fazer é: Qual a diferença entre a maneira do mundo e a maneira de Deus?
  26. 26. CAPÍTULO 3: APRENDENDO A MANEIRA DO MUNDO: A MANEIRA MAIS DIFÍCIL - Leslie Nunca vou me esquecer da primeira vez que o vi. Ele olhou para mim da frente da classe, e os seus olhos azul-escuros ganharam a minha atenção. Seus belos traços e seus cabelos dourados eram irresistíveis. Ele era alto (aproximadamente 1,57m), esportista, popular... tudo o que eu poderia sonhar. Sim, a partir daquele dia eu sabia que havia encontrado o homem dos meus sonhos! É claro que, quando você é uma garota de treze anos e está na oitava série, bem na aula de computação da Senhora Johnson, você enxerga o mundo com olhos que pensam saber tudo, principalmente sobre amor e romance. Quero dizer, o cara era maravilhoso e popular! O que mais era preciso? Por quase treze longos anos - está bem, talvez uns três anos, eu estivera esperando pela maravilhosa e extraordinária experiência chamada "namoro". Eu estava mordendo a isca, prontinha para entrar em cena. Naquele dia inesquecível, quando o vi pela primeira vez, eu sabia que não poderia esperar mais. Simplesmente, eu precisava ter um namorado e queria que fosse ele. Por várias semanas fiquei sonhando com Johnny (este não é o seu nome verdadeiro). Subitamente, a computação tornou-se a minha matéria favorita Duvido que eu tenha aprendido mais do que ligar o computador, mas gastava tempo suficiente estudando os olhos, os lábios e a personalidade de Johnny. Perguntava-me se algum dia ele viria conversar comigo. Eu já havia percebido que ele olhava em minha direção algumas vezes, sempre lançando um de seus sorrisos arrebatadores, mas nunca nos havíamos aproximado o suficiente para termos um diálogo. Meu dia de sorte chegou quando a Sra Johnson nos colocou juntos para fazermos aula de laboratório. Johnny mostrou-
  27. 27. se tão satisfeito com aquilo quanto eu, e não demorou muito para começarmos a tagarelar e rir como se fôssemos amigos de longa data. Ele possuía uma personalidade que combinava com a sua aparência. Eu ansiava por estar cada vez mais próxima dele a cada dia. - O que é que está rolando entre você e o Johnny? Era a pergunta que minhas amigas me faziam nos corredores. Eu dava uma risadinha e contava tudo o que ele me dizia. Falava sobre as cinco vezes que ele sorria para mim em apenas uma hora! E perguntava-lhes com um sorriso confiante. - Tudo isso deve significar alguma coisa, vocês não acham? E elas me asseguravam: - Até o fim da semana ele vai te convidar pra sair, com certeza! Eu estava ganhando rapidamente atenção e popularidade com aquela amizade com Johnny. E eu curtia muito tudo aquilo. Finalmente, o dia chegou! Por intermédio de um de seus amigos "escudeiros", ele me convidou para sair. Fiquei eletrizada! Eu nem sabia o que dizer. Preciso dar uma explicação àqueles que ainda não chegaram a viver o melodrama da oitava série: "sair" não significa que o cara a está pedindo em namoro (a maioria de nós não podia namorar oficialmente), mas que ele deseja que você seja a "sua garota". Isso significa dar as mãos no corredor da escola, falar horas e horas pelo telefone e fazer questão de que todos os seus amigos sempre se refiram a vocês como sendo um casal. Aos treze anos, "sair" a promove da condição de uma "menininha" à de "adulta-madura-em-sériorelacionamento". Nós nos considerávamos um tanto "modernas". Todas nós vivíamos em nossa própria novelinha de oitava série, o nosso mundo era construído ao redor de cada "relacionamento". Então, quando Johnny me convidou para sair. eu havia finalmente, aterrissado nesse mundo e estava adorando cada minuto dessa nova vida!
  28. 28. No princípio, sair com o "homem dos meus sonhos" era algo sensacional. Talvez eu tenha sido bem avoada na oitava série, mas eu tinha sólidos padrões de moral. E Johnny, além de lindo e popular, também tinha sólidos padrões de namoro. Algumas de minhas colegas já estavam se envolvendo com caras e trocando de namorado como quem troca de roupa. É, eu sei que estamos falando de garotas de treze anos, mas é a triste verdade! Elas estavam começando a experimentar drogas e álcool, e muitas delas tinham notas muito baixas no boletim. Eu fora educada em um lar cristão e sabia distinguir o certo do errado, por isso tentava evitar amizades com tais tipos de pessoas. As amigas com quem eu andava tinham uma tendência para mentir, enganar, fofocar e falar palavrões, mas não eram más e isso aliviava a minha consciência. E, embora Johnny fosse popular e bonito, ele não me pressionava a transar com ele. Eu tinha certeza de que havia encontrado o melhor dos dois mundos. Eu e Johnny nos mantivemos como "um casal" durante o restante do ano escolar. Começamos a passar cada vez mais tempo juntos. Toda vez que falávamos pelo telefone, gastávamos, pelo menos, uma ou duas horas. Ele satisfazia minhas necessidades de sentir-me apreciada e amada. É claro que eu tinha certeza de que meus pais me amavam, mas o meu relacionamento com Johnny era totalmente diferente. Na realidade, isso significava que uma pessoa popular e atraente do sexo oposto estava escolhendo ter um relacionamento comigo! Eu compartilhava meus pensamentos, sonhos e emoções com ele, e ele me escutava e me entendia. Seus elogios e sua apreciação permitiam que eu passasse por um período que, caso contrário, seria de muita solidão e insegurança. - Eu te amo. Ele me dizia apaixonadamente todos os dias. Tenho de admitir que, no começo, achava muito estranho aceitar o "amor" de um cara de apenas quatorze anos que havia alcançado altura suficiente para andar na montanha russa do Six Flags * há apenas um ano. Mas eu simplesmente percebi * Six Flags é um parque nos USA muito conhecido pela grande variedade e quantidade de montanhas russas. (N. da T.)
  29. 29. que aquelas palavras era o que todos os namorados diziam um para o outro, então, depois de alguns meses, acabei me acostumando e comecei a acreditar nelas. Por estarmos ligados emocionalmente um ao outro, começamos a sentir a necessidade de expressar o nosso "amor" por meio de outras formas além das palavras. Eu havia feito um voto de abstinência sexual até o casamento e não tinha nenhuma intenção de quebrá-lo, mas sinto ter de reconhecer que eu e Johnny começamos a desenvolver coisas na área física que nunca pensei que pudesse acontecer. Cada vez que eu o escutava dizer "eu te amo" e cada vez que compartilhava um pedaço do meu coração com ele, a minha decisão quanto à área física fraquejava. Eu estava muito dependente do afeto de Johnny. Nunca "fomos até o fim", mas fomos muito mais além do que o recomendado. E cada vez que nos tocávamos, um pedaço maior de mim era dado a ele. Ao olhar para trás, me arrepio só de me lembrar daquele tempo. Como pude dar algo tão sagrado para um garoto de quatorze anos que apenas desejava satisfazer as suas necessidades e desejos? Que desperdício! Talvez nos tenhamos considerado "adultos-maduros-em-um-relacionamento-sério", mas na realidade não tínhamos a mínima idéia de que o que estávamos fazendo nos afetaria pelo resto de nossas vidas. Nosso relacionamento durou mais ou menos dez meses. Todas as minhas amigas admiravam o nosso "compromisso" e maravilhavam-se com o longo período em que estávamos juntos. Ter Johnny em minha vida me trazia muita segurança, e nunca considerei terminar o relacionamento com ele. O simples fato de ter um namorado fazia com que eu me sentisse valorizada. Mas, ao passar do ginásio para o colegial, comecei a notar que aquele era o momento da minha vida para entrar com tudo no "mundo do namoro". Havia muitos outros rapazes ao meu redor, e eu comecei a me perguntar como seria começar a namorar outra pessoa. Finalmente, Johnny e eu percebemos que era hora de cada um de nós prosseguir no seu próprio caminho. Não imaginei que seria tão difícil terminar com Johnny. Afinal de contas, nunca o levei muito a sério - quero dizer, nunca planejei me casar com ele ou coisa parecida. Agora que
  30. 30. eu estava no colegial, havia, pelo menos, centenas de outros rapazes com quem poderia sair e que eram tão atraentes e legais como Johnny. Mas não foi tão simples assim. Na noite em que terminamos oficialmente pelo telefone, uma onda de comoção inundou minhas emoções. Talvez pudéssemos ter considerado aquilo como um divórcio! Entretanto, eu não esperava que o término causasse tanta desordem interior. - É o fim da minha vida. Soluçava histericamente ao jogar-me sobre a cama. Chorei até que todas as lágrimas acabassem. Fiquei arrasada emocionalmente e não comi nem dormi direito durante dias. Estava confusa e ferida e não conseguia compreender a razão daquela experiência estar sendo tão traumática. Ao olhar para trás, enxergo o que não conseguia enxergar antes. Durante meses me senti emocionalmente segura naquele relacionamento com "meu-namorado-ideal-da-oitavasérie". Embora eu não tenha me entregado a ele completamente na área física, na área emocional entreguei-me totalmente sem ter percebido. Depositei nele a minha segurança e o meu conforto, e, durante dez meses, ele abrandou o meu latente desejo interno de ser amada e apreciada por alguém do sexo oposto. Como é que eu esperava terminar algo daquele tipo sem que alguém se machucasse? Como mencionei anteriormente, naquela época eu era bem imatura. ♥ ♥ ♥ Depois que o meu relacionamento com Johnny terminou, fiquei tão desesperada por uma "atenção masculina" que comecei a ter um relacionamento após o outro. Cada vez que eu terminava o namoro, acabava com o coração partido. Mas continuei namorando e continuei quebrando e esmagando as minhas emoções. Meu coração tornou-se sem valor - pois eu simplesmente o entregava, deixava-o em pedacinhos, que catava, e começava tudo de novo. Não havia outra alternativa (pois não namorar estava totalmente fora de questão). Esperei tanto tempo e finalmente estava fazendo parte do mundo do namoro. Aquilo seria superdivertido e muito
  31. 31. romântico. Continuei pensando que algum dia eu realmente iria curtir aquilo. Mas, por alguma razão, esse dia nunca chegou. Onde estava a diversão? Onde estava o romance? O que eu tinha feito de errado? Aos quinze anos, sentia como se tivesse casado e divorciado umas três ou quatro vezes. Era como se o meu coração fosse nada mais do que carne de hambúrguer. Foi nessa situação de desesperança que Deus começou a falar ao meu coração. Um dia estava lendo minha Bíblia - algo que comecei a fazer cada vez menos desde que havia começado a namorar. Um versículo de Provérbios 31 chamou minha atenção. Você conhece o capítulo que descreve a "mulher virtuosa"? Preciso deixar bem claro que não era do meu costume ler versículos sobre casamento. Casamento era algo que estava bem distante da minha realidade, e eu não iria preocupar-me com aquilo por um bom tempo. Mas aquele versículo estava falando sobre uma esposa sábia. Ele diz que: "Ela lhe faz bem, e não mal, todos os dias da sua vida." Espere um pouco! Todos os dias da sua vida? Quer dizer que ela pensa no seu marido antes mesmo de conhecê-lo? Como ela poderia "fazer o bem a ele" todos os dias da sua vida mesmo sem saber onde ele está ou o que está fazendo? Eu pensei no meu futuro marido. Imaginei que ele estivesse por aí... em algum lugar. Será que eu estava fazendo bem a ele? Sempre pensei que estivesse fazendo o melhor que podia ao evitar o sexo antes do casamento. Quero dizer, isso era muito mais do que todos os outros estavam fazendo. Mas comecei a pensar que eu possuía algo mais do que apenas o tesouro físico para guardar para ele... Um dia eu iria dar ao meu marido o tesouro do meu coração e das minhas emoções. Eu. certamente, não estava realizando um bom trabalho para guardar esse tesouro. Minhas emoções estavam sendo machucadas e moídas pelos relacionamentos nos quais eu me envolvia. Quando eu era mais nova. costumava pensar que. quando chegasse o tempo de me casar. eu me esqueceria de todas as experiências de namoro que tivesse tido no colegial e na faculdade. Qualquer um que já tenha se envolvido em um relacionamento
  32. 32. sabe que isso é impossível. Não dá para esquecer. Cada pessoa, a quem você entrega suas emoções, fica gravada em seu coração e na sua memória. Frágil ou Resistente? Imagine se um dia eu aparecesse na sua frente e lhe oferecesse um diamante valioso. (Eu sei que talvez as garotas fiquem um pouco mais entusiasmadas do que os rapazes quando o assunto é esse. mas. rapazes, apenas pensem que. se o assunto sobre anéis de diamante não lhes interessa muito, sempre haverá uma possibilidade de vendê-los e usar o dinheiro para comprar um carro!) A única coisa é que você não poderá usar o diamante de forma nenhuma durante cinco anos. Você precisa guardá-lo cuidadosamente durante esse período. Agora você tem um probleminha. Você possui um tesouro valiosíssimo e precisa de um lugar seguro para guardá-lo durante os próximos cinco anos. Então, você me pede algumas sugestões. Bem, tenho duas opções para você. A primeira é um copo descartável. Ele possui muitas vantagens, incluindo o fato de que não custa nada - uma ótima sugestão de economia para os estudantes - e é muito fácil de ser cuidado, quero dizer, você nem precisa lavá-lo ou poli-lo. Depois de usar é só jogar fora! Será que consegui convencê-lo? O copo descartável seria um excelente recipiente, não é? O quê? Você deseja olhar para o lado negativo da coisa? Bem, se você deseja guardar algo de valioso nele. esse copo realmente possui algumas pequenas inconveniências. Se pegassem o copo (o cachorrinho do vizinho, por exemplo), seria muito difícil dizer "quem" o teria pegado. Os cachorros possuem uma estranha atração por esses tipos de copos. Eles são conhecidos por mordê-los e danificálos. Então, se, por ventura, o seu diamante estiver dentro de um desses copos quando o cãozinho decidir fazer a festa, bem... dê tchauzinho ao seu diamante. Logo, o seu tesouro estará no estômago do cãozinho, e eu duvido que a sociedade
  33. 33. humana permitiria que você realizasse uma operação no cão para retirar o seu tesouro. Você teria de fazer o que uma senhora de Denver fez quando o seu cachorro comeu o seu anel de diamante: dar a ele xarope de ipecacuanha para forçá-lo a vomitar umas sete vezes. Daí, colocar luvas de borracha e enfrentar todas aquelas coisas asquerosas para recuperar o diamante. O quê? Perdeu o apetite? Ó, perdão. Acho que talvez esse copo não seja a melhor opção para o seu diamante, não é? Os copos descartáveis são úteis apenas em piqueniques ou churrascos, porque são facilmente amassados e jogados no lixo depois de usados. Talvez você tenha razão, esse tipo de material não é um dos melhores para guardar um tesouro valioso, pois não foi projetado para durar. Portanto, um copo descartável não é o lugar ideal para você guardar o seu diamante. Está bem, aqui está a segunda sugestão. Tenho um copo resistente, de prata, que a mãe do Eric me deu recentemente. É uma herança de família muito especial, porque os pais de Eric mandaram gravar o nome dele no copo. Era o copinho de Eric quando bebê. Eu nunca vi um cachorro tentando morder um copo desse tipo nem alguém tentando jogá-lo no lixo. Então, sim. esse seria um lugar bem mais seguro para o seu diamante. Essa opção possui desvantagens? Algumas. Primeiro: custa dinheiro. Quero dizer, você não acha que vou simplesmente lhe dar uma herança de família, acha? Especialmente um copinho em que está gravado o nome do Eric! Ele é muito valioso, por isso é bem provável que você tenha de trabalhar durante as férias para comprá-lo de nós. Segundo: um copo de prata necessita de cuidados e dá um pouco mais de trabalho. Você tem de limpá-lo e poli-lo. Não é tão fácil de cuidar como acontece com o copo descartável. Mas, ao fim dos cinco anos, você poderá ter a certeza de que o seu diamante estará intacto. Nenhum cachorro em seu perfeito juízo tentará mastigar um copo de prata (mesmo um cachorro que não esteja em seu perfeito juízo!). E eu duvido que alguém o jogue no lixo. Seu diamante estará seguro nesse copo. e você terá a certeza de que em cinco anos colherá os benefícios de ter tomado tal decisão.
  34. 34. .Quantos de vocês, ao serem dadas essas duas opções, seriam malucos o suficiente para deixar o valioso diamante num copinho descartável? Espero que nenhum de vocês! Agora pense da seguinte forma: suas emoções são um tesouro, um presente de Deus. Elas são muito mais valiosas do que qualquer diamante. Algum dia você as entregará ao seu futuro cônjuge. Você está cuidando direito delas? Ou. neste momento, elas estão dentro de um copo descartável sendo mastigadas, pisoteadas e jogadas fora? ♥ ♥ ♥ Eu me lembro do meu primeiro dia de aula da quinta série. Eu e meus amigos entramos na sala de aula rindo e fazendo barulho. Quando o nosso professor entrou, tínhamos apenas uma coisa em nossas mentes: ele iria tolerar a nossa bagunça? Ele seria um bom professor? De que forma conseguiríamos levar aquele ano escolar? - Na minha aula vocês podem fazer qualquer coisa! Aquelas foram as primeiras palavras que saíram de sua boca. Entreolhamo-nos agitadamente sem poder acreditar na nossa sorte. Isso é demais! Pensávamos. Vamos detonar! Poderemos desenhar caretas no quadro-negro. esmagar giz de cera no carpete, rabiscar nossas folhas e a lição de casa... - Vocês poderão fazer qualquer coisa na minha aula. ele disse novamente, contanto que estejam prontos para enfrentar as conseqüências de suas atitudes. Opa! Conseqüências? Aquela era uma palavra pesada! Todos nós mudamos as nossas atitudes bem depressa. Sentávamos direito, olhávamos para o professor, segurávamos as risadinhas e a conversa e sempre devolvíamos nossas folhas com a lição de casa sem rabiscos. Porquê? Simples. Conseqüências! Percebemos, pela declaração do nosso professor, que seríamos punidos ou recompensados dependendo de nossas decisões tomadas dentro da sala de aula todos os dias. É claro que isso aconteceu um tempo atrás, quando os diretores ainda podiam usar palmatórias de madeira! Um simples pensamento relâmpago de ser punido
  35. 35. com uma entrevista com "A senhora Palmatória" era o suficiente para mudar nossas atitudes. Conseqüências eram uma coisa que não entrava em minha cabeça durante o tempo em que estive envolvida com Johnny. Eu não percebia que cada decisão tomada afetaria meu futuro casamento tanto de forma positiva como negativa. É claro que eu sabia que sexo antes do casamento, de alguma forma, afetaria meu futuro relacionamento. Mas, apesar disso, eu não enxergava como alguns relacionamentos casuais de namoro pudessem possivelmente me prejudicar. Eu olhava para os anos de colégio e faculdade como uma grande festa - divirta-se, deixe as coisas sérias para depois. Por alguns anos eu iria namorar para me divertir, então, um dia. bem lá na frente, eu encontraria o cara "certo para mim". Nós nos apaixonaríamos, casaríamos e viveríamos felizes para sempre. Parece bem simples, não é? Infelizmente, eu não tinha idéia de como as coisas realmente são - isso até Deus começar a me desafiar a pensar sobre meu futuro marido. Finalmente, percebi que o meu coração era um tesouro que eu deveria guardar e proteger com cuidado para o meu futuro marido. E esse tesouro tornava-se cada vez mais sujo e frio quando eu me relacionava com um rapaz atrás do outro. Subitamente, comecei a desejar lutar pelo meu futuro casamento, investir no meu futuro casamento, embelezar e fortalecer o meu futuro casamento. E, pela primeira vez em minha vida, descobri como viver da maneira certa antes mesmo de conhecer o homem com quem eu viveria pelo resto de minha vida. Relacionamentos temporários de namoro - dar e receber emoções e afetos com o objetivo de viver com segurança e de ter prazer temporário - não estavam me ajudando construir um relacionamento visando um futuro casamento. Estavam apenas demolindo tudo. Meu diamante estava se tornando cada vez menos atraente! Percebi que, ainda que eu desejasse tanto namorar e viver um incrível romance de adolescente, eu desejava muito mais investir no relacionamento que duraria para sempre... meu futuro casamento.
  36. 36. - Está bem, Deus, farei o que for necessário. Apenas me mostra como investir no meu futuro casamento e como amar o meu futuro marido. Estou cansada de ficar entregando o meu coração para um rapaz atrás do outro. Mostra-me o que Tu desejas que eu faça, Senhor. Estou pronta. Burra, burra, burra, burrinha...Uma música tenebrosa e nebulosa tocou em minha mente logo que fiz aquela oração. "O que é que eu fiz? O que Deus vai exigir de mim agora? Ó não, e se Ele tomar essa área da minha vida? Ele vai acabar comigo!!!" O medo tomou conta de mim assim que tomei conhecimento do que tinha acabado de dizer a Deus. pois, tão logo disse aquelas palavras, percebi o que Ele estava me pedindo... Desistir do mundo do namoro! Ahhhhh! NÃO! Como eu poderia fazer aquilo? Aquilo era ridículo! Era loucura! - Olha, Deus, acho que o Senhor não está entendendo muito bem o problema pelo qual estou passando. Então, deixeme explicar. Tenho dezesseis anos. Eu sei que no céu talvez isso não signifique muita coisa, mas, aqui na terra, dezesseis anos é o momento para viver! A vida gira em torno de festas e de dança e do... NAMORO! Se eu renunciar isso, serei uma ninguém! Então, Deus, eu realmente não posso fazer muita coisa, mas obrigada pelo interesse! Eu sei que foi de coração. Por mais que eu desejasse tomar de volta a minha oração "Senhor estou pronta", eu não podia. Sabia o que Deus estava me pedindo e, por mais que detestasse admitir aquilo, eu sabia que Ele estava certo. Se eu realmente desejava obedecer a Sua vontade e investir no relacionamento do meu futuro casamento, eu não poderia mais fazer parte do mundo do namoro. Então, naquele dia catastrófico de fevereiro, aos dezesseis anos, eu, oficialmente, renunciei o namoro. Meu compromisso era dedicar toda a minha vida para servir a Deus e confiar que, a Seu tempo e a Sua maneira, Ele iria trazer a minha vida o meu futuro marido. Até lá, eu nem iria procurá-lo. Eu confiaria em Deus, esperaria pacientemente e me guardaria - física e emocionalmente para aquele homem com quem um dia eu iria me casar.
  37. 37. Aquela era uma decisão ousada e corajosa, mas eu não me sentia tão ousada e corajosa ao tomá-la! Pensamentos horríveis sobre o que eu me tornaria encheram minha mente. Eu me imaginava uma triste adolescente sentada em uma cadeira de balanço olhando para fora da janela todas as noites. Sem telefonemas. Sem amigos. Sem vida. Apenas balançando, balançando, balançando. Eu simplesmente sabia que havia desperdiçado minha vida. Algumas de minhas amigas, ao ouvirem minha decisão, me olhavam com desgosto e falavam: - Leslie. como você espera se casar um dia se você não estiver namorando? Como você espera que o seu Príncipe Encantado bata a sua porta se ele nem ao menos sabe que você existe? Você está sendo uma boba mesmo. Legal! Obrigada pelo encorajamento. Era exatamente isso que eu precisava, garotas! O que eu ainda não percebia eram os planos maravilhosos que Deus estava preparando para mim... bem ali no meu nariz! Tudo o que Ele precisava era que eu desse o primeiro passo de obediência e dissesse "Senhor, estou pronta". Uma linda história de amor estava para ser escrita. E isto pode surpreendê-lo, mas ela começou no mesmo dia em que eu me comprometi a parar de namorar! Como? Simples! O meu amor pelo meu futuro marido tinha de começar primeiro com o meu amor por Jesus Cristo. Não há casamento que dure. a menos que seja construído sob o amor de Jesus. Então, quando decidi abandonar meus relacionamentos de namoro e concentrar-me em Jesus, dei o meu primeiro passo para a edificação de um relacionamento de amor verdadeiro com meu futuro marido. Jesus disse: "É impossível servir a Deus e ao dinheiro." O mesmo acontece com os relacionamentos de namoro. Você não pode servir a Deus e ao namoro. Os relacionamentos de namoro haviam se tornado o centro de minha vida. por mais que eu dissesse: - Deus é número 1 em minha vida.
  38. 38. Entretanto, será que era com Deus que eu gastava horas ao telefone todos os dias? Era Deus quem consumia cada pensamento meu? Era com Deus que eu gastava incontáveis noites sonhando acordada? Era sobre Deus que eu e minhas amigas conversávamos constantemente? Os pôsteres que eu grudava na parede do meu quarto eram de Deus? Não! Eram de RAPAZES! Rapazes eram uma distração constante para mim. Eu gastava todo o meu tempo e energia tentando conquistá-los, procurá-los, impressioná-los. Eu tinha pouco tempo de sobra para Deus. Bom, depois da minha oração "Senhor, estou pronta", as coisas mudaram. Jesus Cristo tornou-se real para mim! Eu comecei a perceber que, gradualmente, eu O havia afastado de minha vida para que eu pudesse fazer as minhas coisas. Agora, eu queria conhecê-Lo novamente. Em vez de gastar o meu tempo livre concentrando-me nos rapazes, comecei a concentrar-me Nele. Iniciei um diário. E cada dia eu escrevia a Deus falando sobre meus temores, sonhos e desejos. Comecei a passar horas estudando a Bíblia, procurando maneiras de aplicá-la a minha vida. Eu realmente comecei a me apaixonar por Jesus! Ele começou a ser tão próximo, tão real. Alguns meses depois de assumir meu compromisso de "não namorar", percebi que Ele estava satisfazendo todas as minhas necessidades. Eu não precisava de um namorado para estar feliz! Eu não precisava estar no mundo do namoro para estar feliz! Finalmente, eu me sentia satisfeita com o meu relacionamento com Jesus Cristo. Esse foi o primeiro passo para amar o meu futuro marido. Casamentos fortes DEVEM ser construídos no princípio de amor por Jesus Cristo - encontrar satisfação somente Nele. Com o passar das semanas, percebi que Deus tinha algo especial a caminho, embora aquele tempo não tenha sido fácil.
  39. 39. = = = = = = = = = Foge, outrossim, das paixões da mocidade. Segue a justiça, a fé, o amor e a paz com todos com os que, de coração puro, invocam o Senhor. 2 Timóteo 2:22 ♥ ♥ ♥ Senhor, reconheço como tenho vivido de forma egoísta nessa área da minha vida. Tenho aceitado o sistema do mundo que me diz para fazer as coisas a minha maneira. Tenho entregado o meu coração e as emoções, e não tenho me guardado para aquela pessoa especial que Tu tens escolhido para mim. Peço o Teu perdão. A partir de hoje, decido viver para honrar e amar o meu futuro marido, para me guardar pura, tanto fisicamente como emocionalmente para aquele com quem viverei. Decido afastar-me de relacionamentos temporários e confiar que Tu trarás essa pessoa para mim no Teu perfeito tempo. Até lá, ajuda-me a tê-Lo em primeiro lugar da minha vida. = = = = = = = = =
  40. 40. Senhor, estou pronta Leslie Ludy Eu já falara muitas vezes atrás, Mas, Senhor, desejo que desta vez ... Eu saiba com o meu coração, creia com a minha alma, Estou pronta para dar tudo o que sou. Coloco a minha vida nas Tuas mãos E declaro: "Faze conforme o Teu querer" Não importa para onde Tu me levarás, Senhor, Se tenho a Ti, nada me faltará. Senhor, estou pronta Para fazer o que desejas que eu faça Senhor, estou pronta Para render-Te tudo que sou, Tudo o que serei Senhor, estou pronta para que em minha vida A Tua vontade seja feita.
  41. 41. CAPÍTULO 4: CASA DE CARTÕES OU CASTELO? - Eric Aos treze anos eu era um garoto de cara empipocada e, todas as vezes que eu me sentia entediado, eu gostava de ficar em um lugar especial, meu closet *, onde eu deixava a minha imaginação fluir livremente. Ali eu me enfurnava e abria um espaço no chão para despejar o tesouro do meu baú. Agora, meninas, o tesouro de um rapaz é geralmente bem diferente do de uma garota! Eu tirava a tampa de papelão da minha desbotada caixa de sapatos e retirava as minhas preciosidades. Então, cuidadosamente, eu tirava a borrachinha que envolvia a pilha de preciosidades e uma a uma eu me intoxicava com a sua beleza indescritível. Está bem, está bem - talvez a minha coleção de cartões de beisebol estivesse um pouco encardida. Talvez os cartões estivessem rabiscados. Talvez alguns deles até mesmo tivessem marcas da estima e do amor de meu irmãozinho (uma vez, durante a noite, ele pensou que a minha caixa fosse uma lata de lixo e vomitou em cima da minha coleção). Mas aqueles cartões eram o meu tesouro. Passava horas deitado no chão do meu closet, observando-os. Eu decorava a altura, o peso, a data de nascimento, enfim, todos os dados sobre os jogadores. Eu me imaginava em seus lugares correndo ao redor das bases depois de um grand slam **. Um dia eu também poderia estar num daqueles cartões, mesmo que eu ganhasse uns quilinhos a mais (eu pesava mais ou menos 40 quilos). Acredite ou não, mesmo me distraindo com as centenas de cartões, às vezes eu me entediava. Para evitar o indesejável sentimento de tédio durante as férias, fui levado a criar um Plano B -levantando um edifício. * Closet: uma dependência específica para guardar roupas. (N. da T.) Grande slam: no jogo de beisebol é o golpe que permite ao batedor completar o circuito das bases com três homens na base. (N. da T.) **
  42. 42. Com as mãos de um cirurgião, eu colocava habilmente dois cartões em pé, com as extremidades encostadas, e, cuidadosamente, colocava outro cartão em cima. De forma vagarosa, porém, segura, eu ia construindo uma magnífica casa de cartões. Mas não levou muito tempo para que eu descobrisse que bastava apenas um movimento errado e. ploft, minha casa de cartões ia ao chão. O menor erro, o deslize mais insignificante, a brisa mais suave e já era! Muitas vezes, essa brisa mais suave era graciosamente proporcionada pelo meu irmão, Mark, que aparecia de supetão, sem dar sinal de que estava chegando. Sempre naquele momento em que o cartão estava sendo delicadamente colocado no lugar mais importante de minha maravilhosa superestrutura, meu irmão abria a porta com um safanão. Minha casa de cartões ficava apenas na lembrança, e normalmente minha mãe tinha de lavar a minha boca com sabão depois que toda a minha cólera era expressada com palavrões. Aquelas situações eram irritantes, mas Deus plantava sementes da verdade em minha mente e em meu coração cada vez que eu fracassava na construção da minha casa de cartões. A minha frustração levou-me à porta de entrada da Casa de Cartões Ilimitada, uma empresa de serviço ao consumidor criada pela minha rica imaginação. Pronto para colocar as minhas reclamações, ergui a mão para abrir a porta. De repente, meus olhos fixaram uma nota pendurada na caixa de correspondência que continha este princípio elementar das casas de cartões: Ei, otário! O que você esperava? Elas são construídas para divertir e não para durar! Lágrimas sentimentais escorreram dos meus olhos, enquanto eu me afastava para refletir naquela mensagem cruel. Eu nunca mais iria aceitar o pensamento: "Certamente, um dia, meus filhos vão apreciar esta casa de cartões. " Eu tinha de aceitar o fato de que eles nunca a veriam.
  43. 43. Bem, eu tinha outro passatempo predileto que oferecia desafios e lições semelhantes. Fui criado como um Ludy, para amar a areia da praia. O lema dos Ludy é este: Onde existe mar, devemos edificar! Onde nasci, a praia era sinônimo de "castelo de areia". Em nossas reuniões de família, meu pai era famoso pela sua habilidade artística em trabalhar com areia molhada. E me orgulho de dizer que essa habilidade foi passada para - está bem. está bem. para o meu irmão. Mas a questão é.... ela foi passada! Nós gastávamos toda a tarde de sábado cavando fossas, levantando os muros do castelo e esculpindo com criatividade as torres do castelo, quando subitamente... a maré subia! Em apenas alguns minutos, tudo o que tínhamos para mostrar de um dia inteiro de trabalho era a foto borrada tirada acidentalmente pelo meu primo Joey com sua câmera Polaroid. Todo o dia de trabalho era destruído. Não havia sobrado nada para mostrar às mulheres que haviam saído para fazer compras. Com o aumento progressivo de minhas frustrações no decorrer do tempo, fui forçado a visitar a porta do Castelo de Areia Internacional, outra empresa muito útil para prestar serviço ao consumidor. Encostado à ombreira da porta, vi uma nota semelhante àquela que li anteriormente. Ei, otário! Eu já não o vi antes? Leia os meus lábios: Se é construído à tarde, certamente será destruído. O que efeito para durar não deve ser rapidamente edificado! Meu cérebro em puberdade estava enfrentando sérias dificuldades de compreender esse conceito simples, mas
  44. 44. finalmente eu estava começando a entender. "Quer dizer que, mesmo que eu passe toda uma tarde construindo uma obra de arte, nunca poderei mostrá-la para a minha esposa um dia? " Minha mente raciocinava. Devagar, eu começava a perceber que as casas de cartões e os castelos tinham uma grande coisa em comum: nenhum era construído para durar! Com a mudança mais insignificante do meio ambiente, como vento ou marés, as casas desmoronavam muito mais rápido do que o tempo que se levava para edificá-las. Elas não duram porque não foram construídas sobre uma estrutura sólida. Jesus nos dá uma parábola no livro de Mateus, no capítulo sete. Ele nos mostra dois homens - um tolo e um sábio. Acho que o tolo é muito parecido comigo quando me encontro em meus momentos de fraqueza. Ele procura uma maneira mais fácil de terminar o seu trabalho. Ele é o camarada mais sovina, que está sempre com pressa e que nunca escuta quando sua mãe diz: - Paciência é uma virtude! Ele constrói a casa, mas a constrói em cima da areia. Jesus diz, e eu faço a minha paráfrase:" Que tolo!" Vejam, esse tolo pode até ter a sua casa, mas ele não a construiu pensando no futuro. Em outras palavras, ele não pensou que o vento e a chuva, eventualmente, pudessem vir. Ele nunca refletiu no terrível fato de que as estações mudam e as marés sobem. E quando isso acontece, não é necessário um biofísico para desvendar o que está acontecendo. Tudo o que o tolo tinha para mostrar de todo o seu trabalho eram montes de madeira e de entulho e uma horrível dor de cabeça (apenas imagine uma casa caindo em cima de você!). Agora, antes que você tenha lágrimas nos olhos, deixe-me lembrá-lo de que havia um outro construtor. Quem? O construtor sábio! O fato não é que ele tenha feito algo de extraordinário, ele, simplesmente, construiu a sua casa da maneira correta. Ele pensou: Se eu vou construir uma casa que dure, acho que, provavelmente, eu deveria começar a construção levantando o alicerce. Aplaudamos, então, a
  45. 45. engenhosidade inspirativa e a visão extraordinária desse homem. O homem sábio simplesmente percebeu que, para enfrentar os futuros desafios, ele precisava fortalecer as bases de sua casa de forma sólida. O que esse homem escolheu fazer não é diferente do que faríamos se estivéssemos nos preparando para construir uma casa. Vejam que o alicerce é a chave para a estabilidade e o segredo para a longevidade de uma casa. Quanto mais extenso e profundo o alicerce, mais alto você poderá construir. E quanto mais sólido, mais difícil será derrubar a casa. ♥ ♥ ♥ Você já pensou que os relacionamentos com o sexo oposto são construídos da mesma forma que uma casa? Assim como uma casa sem alicerce, um relacionamento sem preocupação com o futuro ruirá com o primeiro sinal de nuvens de chuva. Ironicamente, assim como o construtor tolo e o construtor sábio, existem dois tipos de pessoas na área de relacionamento: o ignorante e o esperto. O ignorante - sem, é claro, perceber que é um ignorante -começa a construir o seu relacionamento rapidamente. Ele só consegue pensar naquilo que irá obter com menos tempo de trabalho. Ele não considera o fato de que, quando as tempestades do relacionamento aparecerem, ele não terá como manter a sua casa de amor intacta. Aí, você me pergunta: - Mas quem seria ignorante o suficiente para construir um relacionamento dessa forma? Bom, eu mesmo já construí alguns relacionamentos desse tipo quando era mais novo e mais ignorante. Eu construía relacionamentos que não poderiam ter durado muito, mesmo que eu quisesse. Certamente, eu não estava me preparando para um casamento que durasse para sempre. Deus queria me ensinar como ser um construtor mais inteligente. E Ele não desejava apenas que eu construísse uma casa para mim - Ele queria me ensinar como construir um
  46. 46. castelo de sonhos! Um relacionamento que não fosse apenas satisfatório, mas sensacional! Agora, eu sabia como construir casas de cartões, mas não tinha idéia nenhuma sobre aquilo que Deus estava querendo me ensinar quando Ele começou a me mostrar a planta de um castelo. Primeiro, eu precisava recordar um pouco de História e aprender um pouco mais sobre os castelos. Castelo era outro termo usado para forte ou contraforte. Os castelos eram enormes estruturas construídas na antigüidade e podiam acomodar toda uma cidade quando um exército invadia a terra. Eles eram imponentes, como o nariz de um romano, e eram facilmente notados por serem bem diferentes dos inúmeros casebres que enchiam a região - não só na estrutura e tamanho, mas também na beleza e na graça. A nobreza morava nos castelos, isto é, se você fosse um príncipe ou uma princesa, o seu destino seria ter um castelo como lar. Mas há uma coisa importante a ser notada: Os castelos levavam anos para serem construídos! Vejam bem, eles eram construídos para durar milhares de anos. Não era necessário apenas um bom planejamento, mas muita disposição por parte do construtor. Era necessário também que o construtor se comprometesse com a obra. mas ele sabia que o resultado superaria todos os sacrifícios temporários. Deus deseja que possamos construir nosso relacionamento de futuro casamento como se estivéssemos construindo castelos. Por quê? Porque tanto os casamentos como os castelos são projetados para durar. Se você viajar pela Europa nos dias de hoje, verá castelos construídos há centenas de anos (talvez até milhares de anos)
  47. 47. embelezando a paisagem. É assim que Deus deseja que o nosso casamento seja - um testemunho para as futuras gerações de que um relacionamento, quando é construído de forma correta, pode desafiar as tempestades da vida. Mas, assim como o sábio construtor, precisamos estabelecer a estrutura apropriada. ♥ ♥ ♥ Quantos de vocês, quando visitam uma casa bonita, elogiam o dono da casa pelo lindo alicerce? É ridículo, certo? Nós nunca observamos o alicerce de uma casa, mas é a coisa mais importante. Você poderá ter os candelabros mais lindos do mundo, mas, se não tiver um alicerce sólido, sua casa despencará. O assentamento do alicerce não é a parte divertida de uma construção; trabalhar com concreto nunca é. A cor acinzentada não é atraente aos olhos e. certamente, não é nada romântica. Mas, se a estrutura da casa não estiver propriamente assentada, não há razão para nos preocuparmos com a decoração. Então, prepare-se para o trabalho! Nós forneceremos as pás, vamos cavar profundamente os nossos corações e nos preparar para o trabalho pesado do romance. Até o final deste livro estaremos falando sobre como construir um castelo de sonhos. Ao descobrir o primeiro e mais importante passo, lembre-se de que a pedra fundamental de um relacionamento para toda a vida não está diretamente relacionada com o seu futuro companheiro, mas com tudo o que estiver ligado ao seu relacionamento com Jesus Cristo.
  48. 48. = = = = = = = = = "Todo aquele, pois, que ouve estas minhas palavras e as pratica, será comparado a um homem prudente que edificou a sua casa sobre a rocha." Mateus 7:24 ♥ ♥ ♥ Senhor, ajuda-me a assentar um forte alicerce para o meu futuro relacionamento com meu companheiro. Desejo um casamento que prevaleça ao teste do tempo. Dá-me a força e a coragem para construir o alicerce a Sua maneira. = = = = = = = = =
  49. 49. O Seu Castelo de Sonhos No ponto em que estamos, talvez você esteja decidido a começar a construir um castelo, em vez de uma casa de cartões. Se isso for verdade, parabéns! O processo é longo e difícil, mas você nunca se arrependerá do árduo trabalho quando receber as recompensas. PASSO 1 na lista de trabalho: cimentar. Traduzindo para relacionamentos, significa: entregar a Deus e aprender a confiar Nele.
  50. 50. CAPÍTULO 5: PÃO NO TERREIRO? - Leslie Quando eu tinha seis anos, um de meus passatempos favoritos era escutar discos de historinhas no meu pequeno toca-discos de plástico vermelho e branco. Enquanto eu escutava a historinha, eu podia olhar o livrinho com figura. E, toda vez que chegava a hora de virar a página do livro, o tocadisco avisava com um alto e fino "Dinnng!". Uma de minhas historinhas favoritas era a da Pequena Galinha Ruiva. E uma história maravilhosa, que eu gostaria de contar a vocês agora. Não é emocionante? Bem, vamos lá. A Pequena Galinha Ruiva estava um dia no terreiro e decidiu assar uma fôrma de pães. (Por favor, não me pergunte a razão pela qual uma galinha no terreiro deseja fazer pão. Essa não é a questão principal aqui.) Então, ela foi até o cavalo e perguntou: - Você me ajudaria a colher trigo? O cavalo disse: - Não, não posso ajudá-la a colher trigo. Estou muito ocupado! (E, por favor, não me pergunte com que, neste mundo, um cavalo poderia ocupar-se no terreiro, porque não tenho a menor idéia, e acho que isso é problema do cavalo e não nosso.) Então, a Pequena Galinha Ruiva foi até o porco e repetiu a pergunta: - Não, estou muito ocupado para ajudá-la a colher trigo, respondeu o porco. (Está bem, esses animais do terreiro tinham uma vida social! O que posso fazer?) Então, a Pequena Galinha Ruiva procurou todos os animais do terreiro para lhes perguntar se poderiam ajudá-la a colher trigo. Para poupá-lo da agonia de passar por todos os animais do terreiro, vou simplesmente dizer que TODOS disseram a mesma coisa. Todos estavam muito ocupados para ajudar a colher trigo. Então, a Pequena Galinha Ruiva teve de
  51. 51. colher o trigo sozinha. "Dinnng!" (Hora de virar a página do livro.) Depois, a Pequena Galinha Ruiva precisou moer o trigo. Ela procurou todos os animais, e, é claro, todos estavam muito ocupados para ajudá-la. (O terreiro era realmente um local de muito trabalho, como vocês já devem ter percebido.) Então, ela moeu o trigo sozinha. Aí, chegou a hora de misturar a massa. Mesma coisa. Todos muito ocupados. "Dinnng!" (Hora de virar a página outra vez.) (No caso de você ainda não ter notado, estou resumindo bem a história e deixando de lado muitos detalhes importantes. Se você realmente desejar um efeito completo, é melhor comprar um desses toca-discos de plástico!) Então, a mesma coisa aconteceu quando ela precisou assar os pães. Todos estavam muito ocupados para ajudar. Pobre Pequena Galinha Ruiva. Não é para ficar com pena dela? Aposto que você está pensando consigo mesmo: Eu ajudaria a Pequena Galinha Ruiva! E claro que sim! Eu também ajudaria! Bem, de qualquer forma, chegou a hora de a Pequena Galinha Ruiva tirar os pães do forno. Aquele cheiro delicioso de pães quentinhos encheu o terreiro (substituindo agradavelmente alguns dos outros odores que pairavam no ar). A Pequena Galinha Ruiva perguntou quem a ajudaria a comer os pães. - Eu ajudo! disseram todos os animais do terreiro a uma só voz. Eles se apressaram desesperados para devorar os pães. Mas a Pequena Galinha Ruiva era uma garota esperta e disse para todos os animais: - NÃO! Vocês estavam todos muito ocupados para me ajudar a colher e moer o trigo, para misturar a massa e para assar os pães, então agora, vocês não merecem comê-los! Vou comê-los sozinha! E assim ela comeu tudo sozinha. ♥ ♥ ♥ Grande historinha, não é? Eu também achava. Agora, eu sei que você deve estar sentado aí refletindo: O que é que a
  52. 52. Leslie quer com tudo isso? Ei, relaxe! Há uma razão, apenas continue lendo... Cada jovem com quem já conversamos sobre a área de relacionamentos com o sexo oposto possui o mesmo desejo ter um relacionamento que seja bonito e duradouro. Ninguém (pelo menos ninguém em seu perfeito juízo) deseja crescer, casar e se divorciar. Esse não é, normalmente, o objetivo número 1 na lista de metas para a vida! Provavelmente, você não é diferente.Você deseja uma vida amorosa maravilhosa e um relacionamento que consiga vencer o teste do tempo. Mas aqui está uma pergunta chave... Você está disposto a fazer o que for necessário para que isso aconteça? Mesmo que isso signifique (cof, cof) renunciar essa área e entregá-la a Jesus Cristo? Ai! Isso dói. Confiamos mais Nele ou em nós mesmos? Por algum tempo, tive a certeza absoluta de que não precisava da ajuda de Deus nessa área da minha vida. Eu sabia o que desejava em um homem e achava que Ele não sabia. Mas toda aquela minha confiança não me levou a lugar nenhum na área de relacionamentos. Toda vez que eu decidia as coisas por conta própria, eu acabava com meu coração partido. Finalmente, cheguei à conclusão de que, sendo Deus o meu criador, Ele sabia cada sonho e desejo do meu coração. Ele sabia o que estava guardado para mim no futuro. Então, depois de alguns dias de luta, choro e dúvidas, eu, finalmente, consegui renunciar essa parte da minha vida e entregá-la a Deus. Só depois disso é que Ele pôde começar a pintar uma linda história de amor em minha vida... à Sua Maneira. - Quero ter uma história de amor como a sua e a do Eric! É a frase que sempre escutamos de garotas sonhadoras. Elas ficam com estrelinhas nos olhos quando lêem em nosso livro as passagens que contam a maneira doce e romântica como Eric me pediu em casamento e a beleza do nosso primeiro beijo no dia do nosso casamento. Elas olham para o futuro e desejam experimentar em suas vidas esse mesmo tipo de beleza e romance. Mas, da mesma forma, elas não percebem que tudo isso começa com uma cirurgia do coração. Se Jesus Cristo não for o Senhor dessa área de nossas vidas, Ele não poderá ser o centro de nossa vida amorosa nem nos ajudar a construir um relacionamento que dure para sempre. Não devemos esperar
  53. 53. que Ele nos abençoe sem que O tenhamos feito Senhor de nossas vidas. ♥ ♥ ♥ Qual dos animais do terreiro é o mais parecido com você hoje? Você é como a Pequena Galinha Ruiva, que tinha o objetivo de fazer pães fresquinhos e que estava disposta a enfrentar todo trabalho duro, as lutas e o sacrifício para obtêlos? Ou você é como. o cavalo, o porco, o cabrito e a vaca, que esperavam tirar proveito das bênçãos do pão, mas que estavam totalmente indispostos para fazer o que fosse necessário para que o pão ficasse pronto? Se você se considera hoje um "muumuu" ou um "oinc-oinc", é hora de algumas mudanças! Eric e eu não acordamos um dia e simplesmente decidimos que queríamos ter um relacionamento puro. Tudo começou com o nosso relacionamento com Deus. Começou com a renúncia de nossas vidas para entregá-las a Jesus Cristo. Você não pode contratar um engenheiro para construir uma casa se não tiver uma propriedade. Ele não terá como começar a trabalhar! Da mesma forma, Deus precisa ter a propriedade da sua alma e do seu coração antes que Ele possa começar a construir uma verdadeira e pura história de amor. De que modo você começa a construir um castelo de sonhos? Ao renunciar tudo. Não, não é a parte divertida. Não é a parte emocionante. Com certeza, NÃO é a parte romântica. Mas, sem esse alicerce. Deus não tem como trabalhar. A renúncia é um ato radical de confiança em Deus. Não é algo que a gente consiga fazer de qualquer forma. A lenda nos conta que uma vez um grande conquistador navegou até uma ilha com seus homens para conquistar nativos selvagens. Quando chegaram à ilha, perceberam que estavam perdendo a batalha. O inimigo era muito mais forte do que eles imaginavam. Os homens perceberam que talvez tivessem de recuar para o navio e fugir para salvar suas próprias vidas. Mas o líder da expedição tinha outros planos. Ele ordenou aos seus homens que o navio fosse incendiado. Ele sabia que, se os seus homens não tivessem mais escapatória, eles lutariam o suficiente para vencer o inimigo.
  54. 54. Sem escapatória. Sem olhar para trás. E assim que deve ser a renúncia. Não dá para ter um pé na canoa da renúncia e o outro na canoa do seu próprio caminho. E tudo ou nada! A verdadeira renúncia não dá chances para recuar. Nela, paramos de lutar, de brigar, de tramar, de planejar, de nos preocupar... e nos preocupar. Renunciar é simplesmente dizer: Senhor, sou todo Teu. Dou essa parte de minha vida a Ti. Tu podes fazer o que quiseres. Vou esperar pelo Teu tempo. Vou esperar pelo Teu melhor. Quero que Tu sejas o autor da minha história de amor. A partir deste dia, essa área é Tua - não mais minha. Renunciar não é algo que você faz uma vez e pronto. É um compromisso diário! Você pode começar com uma decisão de esperar pelo melhor de Deus nessa área, mas você terá de viver essa decisão cada dia da sua vida. Um ato de renúncia é quando você se disciplina a não namorar, enquanto todas as suas amigas estão namorando. Um ato de renúncia é quando você decide não paquerar. Um ato de renúncia é quando você se recusa a ter pensamentos errados sobre outras pessoas. Não, não é fácil. Mas um dia, cada momento de sacrifício se transformará em um pedaço do maravilhoso presente que Deus lhe dará por todos os seus atos de renúncia. No final, tudo isso valerá a pena! ♥ ♥ ♥ O verdadeiro sentimento de uma pessoa que renuncia a sua vida para entregá-la a Deus foi muito bem captado por Laura, uma estudante universitária de vinte anos, na canção que ela escreveu. Talvez você esteja pronto para fazer dessa canção uma oração.
  55. 55. Eu renuncio a minha vontade Laura Hart Todos os dias sou desafiada com a escolha de fazer as coisas A Tua maneira ou a minha; Mas quando faço ao meu modo, sempre descubro Que os Teus caminhos são melhores, que a Tua visão é mais forte, E Tu simplesmente desejas o que é melhor para mim. Então, eu renuncio a minha vontade Renuncio a minha vontade, Senhor Renuncio a minha vontade; entrego a Ti a minha vida. Algumas vezes a minha vontade insiste em ter o controle Luto para fazer as coisas a minha maneira, mas sempre acabo percebendo Que os Teus caminhos são melhores, a Tua visão para mim é muito mais ampla, E Tu simplesmente desejas o que é melhor para mim. Então, eu renuncio a minha vontade Renuncio a minha vontade, Senhor Renuncio a minha vontade; entrego a Ti a minha vida. Quando as coisas ficam mais difíceis, a minha alma se enfraquece Meu coração se desanima e não consigo prosseguir sozinha... Então, eu renuncio a minha vontade Renuncio a minha vontade, Senhor Renuncio a minha vontade; entrego a Ti a minha vida.
  56. 56. CAPÍTULO 6: A FOSSA DO SUPER BOWL - Eric – Looody! Looody! Eles gritavam, enquanto eu entrava no refeitório, naquela trágica noite de janeiro. Parecia que todo o campus universitário sabia da minha humilhação. - Looody! Looody! O sarcasmo continuava, enquanto meu rosto ficava vermelho como a capa do Superman. Eu havia depositado toda a minha fé no Denver Broncos *. Apostei o meu pescoço neles, e eles me deixaram na mão. Parecia que todos sabiam que eu era o torcedor mais fanático do Broncos, e todos queriam que eu reconhecesse o meu erro em ter colocado toda a minha fé no time. Eles não perderam apenas, eles foram mastigados e cuspidos. E eu, seu torcedor mais fiel, estava sendo tentado a dizer que nunca havia morado em Denver, Colorado, enquanto a multidão gritada: - Looody! Looody! Eu não era simplesmente um fã do Broncos, eu era um broncomaníaco! Eu sonhava em laranja e azul e, fielmente, ao final do quarto tempo de cada jogo, eu já havia perdido toda a minha voz. Pôsteres dos meus heróis cobriam as paredes do meu quarto, e até mesmo a colcha da minha cama não permitia que eu esquecesse aquela minha devoção. Mas aquela terrível derrota havia jogado em mim um balde de água congelante. Fiquei deprimido. Era difícil enxergar um significado real para a vida. Afinal de contas, o Broncos perdia o seu quarto Super Bowl ** ! Será que existia uma luz no fim do túnel? Foi bem aí que Deus conseguiu quebrar a barreira de som dos meus ouvidos. Ele sabia que eu era um garotinho * Denver Broncos: time profissional de futebol americano de Denver, Colorado. (N. da T.) ** Super Bowl: liga anual de futebol americano profissional. (N. da T.)
  57. 57. magoado, desapontado com meus heróis, frustrado com meu time. Era como se Ele tivesse sentado ao meu lado e, carinhosamente, colocado o Seu braço sobre o meu ombro. - Então, o seu time perdeu hoje, não é? Ele falou suavemente como se compreendesse o meu sofrimento. - É... murmurei, enquanto olhava para o chão. - Você realmente colocou toda a sua fé neles, não foi? Ele se compadecia. - É, coloquei. Sussurrei, enquanto me segurava para não rasgar todos os pôsteres. - Bem. Eric, Ele falou docemente ao meu coração, você sabia que, mesmo continuando a depositar sua fé no Denver Broncos, você sempre se decepcionará? Olhei para Ele com as minhas emoções despedaçadas, imaginando curiosamente o que Ele estava para me dizer. - Mas Eric! Ele continuou. Se você depositar a sua fé em mim, eu nunca o decepcionarei - e sempre vencerei! Há períodos em nossa caminhada com Deus nos quais Ele nos leva a uma encruzilhada. É nesse lugar onde percebemos que temos dedicado nossas afeições e fidelidade a pessoas erradas e que nos temos esquecido, até mesmo, do verdadeiro sentido da vida. Nessas horas preciosas, é como se Deus se tornasse claro em nossos corações. Reconhecemos que as nossas vidas verdadeiramente pertencem a Ele. E, nessas horas, temos a oportunidade de fazer escolhas! - Deus, repliquei, enquanto sentia meu coração sendo apertado por Ele, por que parece que o Senhor está sempre me pedindo para eu dizer "não" a todas essas coisas em minha vida as quais todas as outras pessoas podem fazer sem problema algum? Simplesmente, sabia que Ele queria mais de mim e eu compreendi rapidamente que Ele desejava ter-me por completo. Dessa vez, Ele estava batendo em uma porta do meu coração que dava em uma sala chamada "Orgulho Ludy". Era naquela sala onde eu havia aprendido a me vestir para impressionar, a falar para seduzir e a andar como um "machão". Todas as
  58. 58. minhas máscaras haviam sido criadas naquela sala. A máscara "Tá tudo sob controle", a máscara "A sensação das gatas", a máscara "O corajoso irmão mais velho", e, até mesmo, a máscara "O cara legal" vinha daquele lugar. - Mas, Deus. eu protestava, enquanto me via como um futuro morador do "Bobosville", se eu disser "não" a todas essas coisas, o que vai ser de mim? Quero dizer, eu já desisti do Denver Broncos por Sua causa. Qual será o meu futuro além de um otário sem uma vida? Parecia que eu estava sempre brigando com Deus, quando Ele me levava àquelas encruzilhadas. Ele começou com isso em 1990. com a minha disposição de me identificar com o Seu nome. Depois, Ele começou a dar umas cutucadas na área de esportes, e de lá para cá Ele começou a mexer com o meu "Orgulho Ludy". O seu objetivo era (e continua sendo) moldarme a Sua própria semelhança. Era como se Ele estivesse estendendo a Sua mão para mim, pedindo-me que eu entregasse a minha vida aos Seus cuidados. Pela Sua graça, eu poderia dar a Ele aquelas áreas da minha vida e logo descobrir uma nova liberdade e uma nova beleza na vida. Mas, de vez em quando. Deus ultrapassa os limites e pede alguma coisa que não é da Sua conta. Quando Deus começou a bater na porta do meu coração que levava à sala denominada "Relacionamentos com o Sexo Oposto", reagi em defesa: -Nunca! NUNCA!!! Por algum tempo sentia que Deus estava ultrapassando os limites. Quero dizer. Ele estava me pedindo coisas que eu nunca O vira pedindo a ninguém mais. Por alguma razão, quando Deus bateu naquela porta sagrada do meu coração, descobri que eu não estava a fim de discutir. - Deus. esta é a minha área! Reagi passionalmente. Relacionamento é algo muito importante para que eu simplesmente passe para as Suas mãos! Se eu entregasse a Deus aquela área, sabia que uma das duas coisas aconteceria. Ou eu seria condenado a viver sozinho, ou eu seria sentenciado a viver para sempre com '"A MONSTRA"! Eu ia à igreja e conhecia o tipo de gente que Deus
  59. 59. achava atraente. Havia sempre umas pessoas esquisitas sentadas nos bancos. Durante todo o tempo eu resisti a Deus. Eu não estava conseguindo ver uma coisa: Deus não queria me "pegar"', Ele queria me abençoar! Se, de alguma forma, eu tivesse conseguido ver o Seu coração de Pai amoroso, saberia que depositar completamente o meu coração em Suas mãos seria a coisa mais sensata a fazer. ♥ ♥ ♥ Todos nós nos apegamos a várias coisas em nossa vida, determinados a não abrir mão delas. Como pequenos "posseiros", abraçamos nossos brinquedinhos decididos a não permitir que o amoroso Pai os tire de nossas mãos para que Ele possa nos presentear com coisas maiores e mais belas - e bem mais duradouras. Precisamos aprender a desejar esses momentos e a crer que Aquele que tira é também Aquele que renunciou a todas as coisas por nós. Não é para o Seu próprio benefício, mas para o nosso! Será que estou disposto a renunciar alguma coisa a que estou apegado? Essa é a oração que muitos temem fazer. Temos medo de perder o controle da direção de nossas vidas. Mas. se realmente conhecêssemos o Seu caráter, desejaríamos fazer essa oração. Enquanto estava na faculdade. Deus me levou a renunciar tudo em minha vida, desde o Denver Broncos a Cindy McFarlane. Deus levou outras pessoas a renunciarem os Beatles e torta de abóbora. Cada um de nós luta. secretamente, para ter o controle de nossas vidas, e todos nós temos coisas diferentes a serem rendidas nas mãos graciosas do nosso Deus. A maioria consegue renunciar facilmente a lição de casa por amor a Deus. mas qual de nós anseia por renunciar nossa popularidade, nossos relacionamentos, nossa aparência - e que tal, a música? Renunciar é o cimento do nosso castelo. Quando Cristo, a Rocha Sólida, é o alicerce de todas as coisas em nossa vida. é aí que estamos seguros e inabaláveis.
  60. 60. Lembro-me do dia em que minha mãe interrompeu-me bem no meio de um jogo do Denver Broncos. Eu estava berrando, gritando e vaiando, e minha mãe simplesmente disse: - Eric, se você fica tão entusiasmado com o futebol, imagine quanto você deveria ficar com Jesus! Aquelas palavras se alojaram em minha memória e me perseguiram por anos. Só quando eu tive aquela conversa com Jesus sobre a minha mania de futebol é que eu percebi que estava dedicando minhas afeições e fidelidade a pessoas erradas. Existia uma Pessoa que nunca me decepcionaria, o Verdadeiro Herói, que havia entregado a Sua própria vida em meu lugar. Na minha vida havia uma coisa pela qual era realmente válido me entusiasmar, ou até mesmo morrer. Jesus era a Pessoa que havia dado tudo o que tinha por mim. O mínimo que eu poderia fazer era dar-Lhe tudo o que eu tinha Renunciar por amor a Jesus é a coisa mais lógica a fazer. Ele nos criou e Ele sabe o que é melhor para nós. Na área de relacionamentos com o sexo oposto, podemos facilmente duvidar da Sua credibilidade. Nos esquecemos que Ele conhece cada pequeno detalhe de nossas vidas. Temos medo de que Ele não saiba aquilo que nos atrai, mas Ele é Aquele que nos deu o dom da atração. O sucesso dos relacionamentos começa com Jesus no centro de ambas as vidas. Renunciar a área de relacionamentos para entregá-la a Jesus é bem assustador. Mas temos de nos lembrar de que Ele é a pessoa mais interessada nessa área. Se desejamos construir um castelo de sonhos, devemos primeiro assentar o concreto. Devemos lidar de forma séria com Deus e permitir que Ele tome a direção de nossas vidas. Assim estaremos prontos para começar a construir. Devemos desafiar os nossos corações com três perguntas sérias: 1. Se Deus assim desejar, estou disposto a permanecer solteiro, tendo apenas Jesus como meu cônjuge?
  61. 61. 2. Se Deus assim desejar, estou disposto a me casar e permitir que Ele faça o papel de "casamenteiro"? 3. Se Deus assim desejar, estou disposto a me casar e permitir que Ele determine o tempo certo? O Romance à Maneira de Deus começa com a renúncia completa da sua vida. O concreto nunca é bonito aos nossos olhos, é sempre cinza, mas o castelo que surgirá é formidavelmente lindo. O restante dessa mensagem dependerá de como você reage a todas essas coisas neste momento. Se você estiver disposto a permitir que Deus ocupe o Seu legítimo lugar em sua vida. você descobrirá um romance que superará todos os seus sonhos. Apenas quando colocamos a caneta em Suas mãos é que Ele pode escrever para nós a nossa fantástica história de amor.

×