• Save
investeducar  - Planejamento Financeiro Pessoal
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×
 

investeducar - Planejamento Financeiro Pessoal

on

  • 6,063 views

Curso investeducar - Planejamento Financeiro Pessoal: investimentos e previdência suplementar

Curso investeducar - Planejamento Financeiro Pessoal: investimentos e previdência suplementar

Statistics

Views

Total Views
6,063
Views on SlideShare
6,049
Embed Views
14

Actions

Likes
10
Downloads
0
Comments
0

1 Embed 14

http://www.slideshare.net 14

Accessibility

Upload Details

Uploaded via as Adobe PDF

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

investeducar  - Planejamento Financeiro Pessoal investeducar - Planejamento Financeiro Pessoal Presentation Transcript

  • Quem Somos? O investeducar é um portal financeiro e uma empresa especializada em educar e formar novos investidores. Nossa instituição foi criada com objetivo de ensinar e tornar nosso aluno apto a analisar, tomar decisões e definir suas estratégias de investimentos de acordo com seu perfil de investidor. Missão Contribuir para o desenvolvimento da sociedade por meio da educação e capacitação. Visão Ser uma empresa líder na formação de investidores capacitados.
  • Quem Somos? http://www.investeducar.com.br/
  • Todos os tópicos possuem conteúdo aprofundado na apostila View slide
  • Planejamento Financeiro Pessoal Investimentos e Previdência Suplementar View slide
  • Agenda Finanças Pessoais Mercado Financeiro Produtos de Investimento Número de Slides: 93 Orientação ao Investidor Duração Prevista: 9 horas Planos de Previdência da Metrus
  • Agenda Finanças Pessoais Mercado Financeiro Produtos de Investimento Orientação ao Investidor Planos de Previdência da Metrus
  • Finanças Pessoais p.04 Valor do dinheiro no tempo Planejamento Financeiro
  • Finanças Pessoais Valor do dinheiro no tempo Valor Presente e Valor Futuro Dinheiro possui valor no tempo... 2 anos 1 ano Hoje
  • Finanças Pessoais Valor do dinheiro no tempo Valor Presente e Valor Futuro Entendendo o juro composto Juros Montante DO D30 D60
  • Finanças Pessoais Valor do dinheiro no tempo Valor Presente e Valor Futuro Entendendo o juro composto
  • Finanças Pessoais Valor do dinheiro no tempo Valor Presente e Valor Futuro Entendendo o juro simples Juros Montante DO D30 D60 D90
  • Finanças Pessoais Valor do dinheiro no tempo Valor Presente e Valor Futuro Fluxo de Caixa O 1 2 3 4
  • Finanças Pessoais Valor do dinheiro no tempo Exemplo 1 p.06 O Sr Sanvicente possui um saldo de 1000 reais deseja emprestar metade de seu capital ao Sr Matias à taxa de 2% ao mês por 3 meses. Qual o saldo final do Sr Sanvicente após a devolução deste empréstimo? Neste caso, o valor empregado foi 500 reais, basta então aplicar a fórmula de valor futuro à este empréstimo que será somado ao capital restante: Saldo total = 1000 reais Valor utilizado = valor presente = 500 reais Valor futuro = ? (Nossa incógnita) i = 2% a.m. n=3
  • Finanças Pessoais Valor do dinheiro no tempo Decisões em investimentos p.06 Tempo de aplicação ? Retorno a Forma de ser obtido capitalização Montante Liquidez da aplicado aplicação
  • Finanças Pessoais Planejamento Financeiro Organização financeira pessoal Receitas Despesas
  • Finanças Pessoais Planejamento Financeiro Organização financeira pessoal "Consumo consciente exige planejamento..." O que você O que você quer? precisa? Com piscina... Uma casa... Definir metas de consumo CUSTOS PLANOS PRAZOS
  • Finanças Pessoais Planejamento Financeiro Organização financeira pessoal Necessidades de auto-realização: - Viagens; - Aposentadoria. Necessidades sociais: - Aquisição de um imóvel; - Compra de bens para bem-estar. Necessidades de segurança: - Reserva para momentos de crise; - Gastos não previstos e necessários. Necessidades básicas: - Pagar as contas sem ficar no negativo; - Gastos não previstos e urgentes.
  • Finanças Pessoais Planejamento Financeiro Objetivos Investimento Viagem de carro Itens analisados para cumprir o objetivo OBJETIVO Poupar 100 mil reais Chegar à Pasárgada Fim do Objetivo Comprar uma casa Visitar o Rei Prazo 10 anos 10 dias Caminho Investir em CDB Rodovia BR-999 Ferramenta CDB do Banco Pedra Ford T Preta Riscos Quebra do país Buracos e chuvas
  • Finanças Pessoais Planejamento Financeiro Definição de perfil e prazo de investimento Curto Prazo Longo Prazo Arrojado Moderado Conservador Mais Arriscado Menos Arriscado
  • Agenda Finanças Pessoais Mercado Financeiro Produtos de Investimento Orientação ao Investidor Planos de Previdência da Metrus
  • Mercado Financeiro p.12 Participantes do Mercado Financeiro O Mercado Bancário O Mercado de Capitais O Mercado de Câmbio Macroeconomia
  • Mercado Financeiro Participantes do Mercado Financeiro Sistema Financeiro Nacional Autoridades Monetárias Autoridades de Apoio Instituições Financeiras Comissão de Valores Crédito a CP Mobiliários (Xerife do Conselho Monetário mercado) Crédito a Médio e LP Nacional Banco do Brasil Crédito para Bens Duráveis Banco Nacional de Desenvolvimento Crédito Imobiliário Econômico e Social Intermediação no Merc Cap Banco Central do Brasil Caixa Econômica Federal (Banco dos bancos) Seguros e Capitalização Conselho de Recursos do Sistema Financeiro Nacional Arrendamento Mercantil Fonte: Fortuna
  • Mercado Financeiro Participantes do Mercado Financeiro Sistema Financeiro Nacional Responsável pela fixação de diretrizes da política monetária, creditícia e cambial do País. Funciona como um conselho de política econômica. Atua como órgão executivo central do sistema financeiro, fazendo Comissão de Valores Crédito a CP cumprirMobiliários (Xerife do as disposições e normas do CMN. Conselho Monetário mercado) Crédito a Médio e LP Órgão normativo do sistema financeiro, desenvolve, disciplina e Nacional fiscaliza o mercado de valores mobiliários. Banco Nacional de Desenvolvimento Responsável pela política de investimentos de longo prazo do Econômico e Social governo federal, sendo a principal instituição de fomento no Cap Intermediação no Merc país. Banco Central do Brasil (Banco dos bancos) Bancos comerciais, bancos cooperativos, bancos múltiplos, etc. Bancos de desenvolvimento, bancos de investimento, etc. Bancos de investimento, corretoras, agentes autônomos, etc.
  • Mercado Financeiro O Mercado Bancário O mercado bancário se norteia principalmente pela função dos bancos, que é de unir agentes deficitários e superavitários cobrando margens pela prestação deste serviço. O gerente do Nível Alto de Decisão O banqueiro produto fala fala com o com o cliente 4 cliente 3 10 1: Banco do Brasil 8 2: Unibanco 3: Banco BBM Baixo 9 Alto 4: Credit Suisse Relacionamento Relacionamento 5: Banco Real 7 6: Bradesco Prime 5 7: Citibank 8: Itaú BBA 6 9: Consórcio Rodobens 2 10: Banco Alfa 1 O cliente é O gerente da atendido no Nível Baixo de Decisão conta fala com balcão o cliente Fonte: Fortuna
  • Mercado Financeiro O Mercado de Capitais O mercado de capitais é: Podemos dividir o mercado de capitais pela natureza da espécie: Um sistema de distribuição de valores mobiliários... Mercado de Crédito • Curto Prazo • Longo Prazo ...que proporciona liquidez aos títulos de emissão de empresas... Mercado de Títulos ...e viabiliza o processo • Propriedade (Ações) de capitalização. • Dívidas (Debêntures) Fonte: Bovespa
  • Mercado Financeiro O Mercado de Capitais ATIVO PASSIVO Empréstimo bancário: Operação de crédito de curto prazo Commercial paper: Títulos de dívida de curto prazo Debêntures: Títulos de PATRIMÔNIO dívida de longo prazo LÍQUIDO Ações: Títulos de propriedade
  • Mercado Financeiro O Mercado de Capitais ATIVO PASSIVO Empréstimo bancário: CAIXA Operação de crédito de curto prazo Commercial paper: Títulos de dívida de curto prazo Debêntures: Títulos de PATRIMÔNIO dívida de longo prazo LÍQUIDO Ações: Títulos de propriedade
  • Mercado Financeiro O Mercado de Câmbio Envolve negociação de moedas estrangeiras e seus interessados. Mercado de Câmbio Operações de Câmbio Compra: recebe moeda estrangeira Caixas Venda: recebe moeda naciona Bancos Econômicas Arbitragem: só moeda estrangeira CTVMC SCFI Tipos de Câmbio DTVMC Comercial: comércio exterior. Agências de Meios de Paralelo: via doleiros. Turismo Hospedagem Turismo: via bancos. RMCCI RMCCI –Regulamento do Mercado de Câmbio e Capitais Internacionais SCFI - Sociedade de Crédito, Financiamento e Investimento CTVMC – Corretora de Títulos e Valores Mobiliários e Câmbio DTVMC – Distribuidoras de Títulos e Valores Mobiliários e Câmbio Fonte: Cosif
  • Mercado Financeiro O Mercado de Câmbio Exemplo de um mercado de câmbio Brasil EUA US$ US$ R$ R$ US$
  • Mercado Financeiro O Mercado de Câmbio Exemplo de um mercado de câmbio Brasil EUA US$ R$ R$ US$
  • Mercado Financeiro O Mercado de Câmbio Exemplo de um mercado de câmbio Brasil EUA US$ US$ R$ R$ US$
  • Mercado Financeiro O Mercado de Câmbio Exemplo de um mercado de câmbio Brasil EUA R$ US$ R$ R$ US$
  • Mercado Financeiro Macroeconomia O nível de emprego está O Produto Interno Bruto (PIB) de diretamente relacionado ao um país é a soma no valor de consumo privado e ao os gastos mercado de todos os bens e públicos, pois o governo tem serviços finais produzidos num como principal fonte de receita PIB dado período de tempo. os impostos. Nível de A balança comercial tem Inflação Emprego Inflação é uma alta generalizada influencia direta sobre a cotação Economia e persistente do nível de preços do câmbio, pois quanto maior o e Bolsa da economia. A situação oposta saldo comercial, maior a oferta Brasileira chama-se deflação. de Dólar em relação ao Real. Balança Taxas de Comercial Juros A Ptax é média ponderada dos negócios em dólar comercial, Taxa de As taxas de juros que devemos apurada pelo Banco Central ao Cambio estar atentos no Brasil são a fim de cada dia. É referência referencial básica (COPOM), a para o pagamento de dívidas do negociada (Selic) e a TJLP. governo em dólar. Fontes: Mankiw/Oliveira & Pacheco/BNDES/BCB/Financenter
  • Mercado Financeiro Macroeconomia Alguns valores e comparativos das finanças nacionais: Crescimento do PIB (em %) 5,7% 5,7% 5,1% 4,3% 4,0% PIB 2008 no Brasil: R$ 2,889 trilhões. 3,2% 2,7% O IPCA, a "inflação oficial" usada pelo Banco 1,3% 1,1% Central para definição das metas de inflação, ficou em 4,31%, em 2008 o valor era de 5,90%. 2000 2001 2002 2003 2004 2005 2006 2007 2008 Maiores PIBs do mundo (2008 - US$ TJLP de janeiro a março de 2010: 6,00% Trilhões) Estados Unidos 14,204 Japão 4,909 Selic acumulada em 2009: 9,50% China 3,860 Alemanha 3,652 Dólar fechou 2009 com depreciação de 25% a França 2,853 R$1,743 (fechou 2008 a R$2,333) Reino Unido 2,645 Itália 2,293 Brasil 1,612 Rússia 1,607 Espanha 1,604 Fontes: IBGE/Receita Federal/BNDES/Banco Mundial
  • Agenda Finanças Pessoais Mercado Financeiro Produtos de Investimento Orientação ao Investidor Planos de Previdência da Metrus
  • Produtos de Investimento p.26 Renda Fixa – Títulos Públicos Renda Fixa – Títulos Privados Renda Variável Fundos de Investimento Imóveis Riscos
  • Produtos de Investimento 1 Diferença entre renda fixa e renda variável Vale a pena pesquisar sobre "The Monty Hall Problem"
  • Produtos de Investimento Renda Fixa – Títulos Públicos Tipos de Títulos Públicos Assumir dívida estadual ou Letra do Tesouro municipal Nacional (LTN) Déficit orçamentário e antecipação de receitas 1 - 4 anos Dívida externa e equalização de juros Pré-fixado de financiamentos
  • Produtos de Investimento Renda Fixa – Títulos Públicos Tipos de Títulos Públicos Assumir dívida estadual ou Letra Financeira do municipal Tesouro Nacional (LFT) Déficit orçamentário e antecipação de receitas 2 - 5 anos Dívida externa e equalização de juros Pós-fixado: SELIC de financiamentos
  • Produtos de Investimento Renda Fixa – Títulos Públicos Tipos de Títulos Públicos Assumir dívida estadual ou Nota do Tesouro municipal Nacional (NTN) Déficit orçamentário e antecipação de receitas à definir Dívida externa e equalização de juros Pré-fixado Pós-fixado: vários de financiamentos
  • Produtos de Investimento Renda Fixa – Títulos Públicos Exemplo de aplicação em títulos públicos p.28 R$ 34.952,57 taxa fixa de 11,77% ao ano 01/01/2010 01/01/2012
  • Produtos de Investimento Renda Fixa – Títulos Privados Poupança, CDI e CDB e Debêntures • É a mais tradicional do público brasileiro Poupança • Garantia até 60 mil reais pelo FGDLI • Rende 0,5% ao mês, mais TR • Comprovante de Depósito Bancário CDB • Garantia até 60 mil reais pelo FGC • Rentabilidade atrelada ao CDI • Certificado de Depósito Interbancário CDI • Apenas os bancos negociam esses títulos • Taxa calculada pela Cetip • Título de dívida de emissão de S/A de capital aberto Debêntures • Garantias definidas na escritura da emissão • Podem ser pré/pós e conversíveis ou não * - Fundo de Garantia dos Depósitos e Letras Imobiliárias
  • Produtos de Investimento Renda Variável p.30 Funcionamento do mercado de ações Codificação das ações Remuneração do acionista A BM&FBovespa Câmbio Taxas de Câmbio Derivativos
  • Produtos de Investimento Renda Variável Funcionamento do mercado de ações Porque uma empresa abre o capital? Desobrigação Desobrigação ABERTURA Capital Intensivo de com o capital DE remuneração investido CAPITAL
  • Produtos de Investimento Renda Variável Funcionamento do mercado de ações Porque os investidores compram ações em aberturas de capital? Taxa de Expectativa COMPRA Atratividade retorno de do negócio acima da valorização DE média das ações AÇÕES
  • Produtos de Investimento Renda Variável Funcionamento do mercado de ações Uma ação é a menor fração do capital social de uma empresa formada por ações. Capital Social da Empresa S/A: R$ 80,00
  • Produtos de Investimento Renda Variável Funcionamento do mercado de ações Como o capital desta Pode-se dizer ainda que empresa é de 8 ações, quem possui ações de cada ação vale R$ 10,00. uma empresa é dona de parte dela. Portanto investir em ações é investir em empresas e ter uma expectativa de retorno, além de confiar em suas operações. Capital Social da Empresa S/A: R$ 80,00
  • Produtos de Investimento Renda Variável Codificação das ações Codificação de uma ação: Exemplos de códigos: AMBV - Ambev BBAS - Banco do Brasil BBAS 3 GGBR - Gerdau A primeira parte é O número identifica ITAU - Banco Itaú composta de 4 o tipo de ação em POMO - Marcopolo letras que questão. NATU - Natura identificam a PETR - Petrobras empresa emissora. TAMM - Tam “Numerologia” das ações: 1 e 2 - Subscrição de ON e PN 3 – Ação ON 4 – Ação PN 5, 6, 7 e 8 – Ações PNA, PNB, PNC e PND 9 e 10 – Recibos de Subscrição 11 – Units, BDRs e outros. 12, 13, 14 e 15 – Bônus de Ações
  • Produtos de Investimento Renda Variável A BM&FBovespa Compradores e O vendedor ao fechar As corretoras representam os vendedores fecham negócio, entrega as ações compradores e vendedores negócios para o comprador. na negociação. A CBLC registra as Comprador Vendedor operações para dar segurança às operações em CBLC Bolsa. Corretora A bolsa de valores é o BM&FBOVESPA O comprador ao receber as ambiente de negociação ações, paga o vendedor. entre as partes.
  • Produtos de Investimento Renda Variável A BM&FBovespa
  • Produtos de Investimento Renda Variável Proventos DRE BP Receita Impostos sobre Lucro Líquido Passivos Totais Receita Ativos Totais Custos Patrimônio Líquido Impostos sobre Lucro Lucro Líquido Lucro Líquido
  • Produtos de Investimento Renda Variável Proventos Lucro Líquido Dividendo DIV1 DIV2 Patrimônio Líquido Ação 1 Ação 2 Ações
  • Produtos de Investimento Renda Variável Proventos DRE BP 100 20 20 200 300 50 100 10 20 20
  • Produtos de Investimento Renda Variável Proventos 20 10 5 5 Patrimônio Líquido Ação 1 Ação 2 Ações
  • Produtos de Investimento Renda Variável Proventos Juros Sobre Capital Próprio (JSCP) • São juros pagos ou creditados em dinheiro, individualmente aos sócios ou acionistas, a título de remuneração do capital próprio. Equivalem aos dividendos, com a vantagem para a empresa pagadora de serem dedutíveis do lucro tributável. Subscrição • Subscrição é o direito de aquisição de um novo lote de ações pelos acionistas quando se aumenta o capital, em quantidade proporcional as possuídas.
  • Produtos de Investimento Renda Variável Proventos Ação R$ 25,00 Ação Ação R$ 25,00 R$ 100,00 Ação R$ 25,00 Ação R$ 25,00
  • Produtos de Investimento Renda Variável Proventos Ação Ação Ação Ação R$ 1,00 R$ 1,00 R$ 1,00 R$ 1,00 Ação Ação Ação Ação R$ 1,00 R$ 1,00 R$ 1,00 R$ 1,00 Ação Ação Ação Ação Ação R$ 1,00 R$ 1,00 R$ 1,00 R$ 1,00 R$ 20,00 Ação Ação Ação Ação R$ 1,00 R$ 1,00 R$ 1,00 R$ 1,00 Ação Ação Ação Ação R$ 1,00 R$ 1,00 R$ 1,00 R$ 1,00
  • Produtos de Investimento Renda Variável Derivativos Títulos cujos valores dependem dos valores de outras variáveis mais básicas. Exemplos: opção de ação, contrato futuro de café, seguro do carro. Exemplo Prático: seguro do carro. No mercado de capitais, esse prêmio é o preço da opção compra que é negociado em bolsa. Fonte: Hull
  • Produtos de Investimento Renda Variável Derivativos: Opções Exemplos de empresas que possuem opções Codificação de uma opção: negociadas em bolsa com liquidez: PETR – Petrobras PETRK40 O número é VALE – Vale BVMF – BMFBOVESPA A primeira parte é chamado de OGXP – OGX Petróleo composta de 4 STRIKE. É o número letras que que identifica o Códigos e meses de vencimento: identificam a valor a ser pago empresa emissora. pelo ativo até a OPÇÃO data de vencimento Compra Venda MÊS DE VENCIMENTO A M Janeiro B N Fevereiro A letra intermediária identifica o mês de C O Março vencimento da opção em questão. D P Abril E Q Maio F R Junho No Brasil G S Julho H T Agosto Negociam-se mais opções de compra do I U Setembro tipo americana. J V Outubro K W Novembro Liquidação ocorre em D+1 L X Dezembro
  • Produtos de Investimento Renda Variável Derivativos: Opções VALE5 = R$ 42,00 VALEK40 = R$2,00 VALE5 = R$ 41,00 VALE5 = R$ 41,00 VALEK40 = R$1,00 VALEK40 = R$1,00 VALE5 = R$ 40,00 VALEK40 = R$0,00 D0 D30
  • Produtos de Investimento Renda Variável Derivativos: Termo Comprar a termo consiste em: Comprar o ativo Compra de 1000 a 35,00 Pegar dinheiro emprestado para pagar taxa fixa de 0,9% ao mês Imbutir o custo do empréstimo no preço 26/10/2009 26/11/2009 Oferecer uma garantia pela operação
  • Produtos de Investimento Fundos de Investimento p.39 Fundos de curto prazo Fundo Referenciado Fundo de Renda Fixa Fundo Cambial Fundo de Ações Fundos Dívida Externa Fundos Multimercado Fundos Previdenciários Fundos Hedge Alavancagem em Fundos
  • Produtos de Investimento Fundos de Investimento Fundo de curto prazo • Investem em TPF com vencimento de, no máximo, 375 dias Fundo Referenciado • Procuram acompanhar o desempenho de um índice (ex: DI) Fundo de Renda Fixa • 80% da carteira em títulos de renda fixa Fundo Cambial • 80% da carteira exposto ao fator de risco, câmbio neste caso Fundo de Ações • 67% da carteira deve ser composta por ações Fundo Dívida Externa • 80% de sua carteira em títulos da dívida externa da União Fundos Hedge • Retornos altos e pouco correlacionados com o mercado Clubes de investimento
  • Produtos de Investimento Fundos de Investimento Fundo Multimercado Macro • Baseadas em cenários macroeconômicos de médio e LP Trading • Que procuram explorar oportunidades de curto prazo; Multiestratégia • Que não se restringem a uma estratégia; Multigestor • Que investem em outros fundos; Juros e moedas • Que excluem investimentos em renda variável; Estratégia Específica • Que se expõem a um fator de risco, como commodities; Long And Short Neutro • Long and Short com aplicações em DI Long And Short Direcional • Long and Short apostando nos papéis Balanceados • Montam uma carteira diversificada Capital Protegido • Expõe-se ao risco, mas com garantias do principal.
  • Produtos de Investimento Fundos de Investimento Fundo Previdenciário • Vitalícia Tipos de • Temporária • Vitalícia com prazo mínimo Renda • Vitalícia Transferível • Soberano: só TPF Tipos de • Renda Fixa: TPF + Privadas • Composto: Até 49% em RV Planos
  • Produtos de Investimento Fundos de Investimento Alavancagem em fundos Pode se dar por meio de empréstimos bancários ou por meio do uso de derivativos Em mercados de alta, grandes ganhos Em mercados em baixa, grandes prejuízos
  • Produtos de Investimento Imóveis Imóveis Baixa Liquidez Imposição de disciplina ao investidor Distorções de preços Facilidades de financiamento Assimetria de Informações Tangibilidade Custos de manutenção Baixa volatilidade Custos de transação Propriedade exclusiva Apego ao imóvel Proteção contra a inflação Riscos operacionais Satisfação Riscos de mercado
  • Produtos de Investimento Imóveis Fundos Imobiliários Que investem em imóveis Maior liquidez, de menor investimento inicial mínimo e com maior possibilidade de diversificação No mínimo, 75% da carteira deve estar alocado em um empreendimento imobiliário
  • Produtos de Investimento Riscos
  • Produtos de Investimento Riscos Renda Fixa • Flutuação nas taxas de juros pré e pós Renda Variável • Incertezas associadas à expectativas • Por conta da incerteza das cotações das Cambial moedas Alavancagem • Já demonstrados na parte de fundos...
  • Agenda Finanças Pessoais Mercado Financeiro Produtos de Investimento Orientação ao Investidor Planos de Previdência da Metrus
  • Orientação ao Investidor p.47 Identificação do Perfil Tipos de Orientação Tributação Investimentos em Renda Fixa Investimentos em Renda Variável
  • Orientação ao Investidor Identificação do Perfil Conhecimento dos produtos Decisão de investimento Riscos que deseja correr Capital Inicial Horizonte de investimento
  • Orientação ao Investidor Identificação do Perfil TPF e Fundos Fundos de Derivativos Derivativos Poupança Fundos Hedge Ações Renda Fixa Renda Variável com travas sem travas Mapa dos perfis Curtíssimo Médio Longo Curto Prazo Patrimônio Prazo Prazo Prazo Ultra-conservador X Conservador Conservador / Moderado Moderado Moderado / Agressivo Agressivo Risk-lover X
  • Orientação ao Investidor Tipos de Orientação Orientação de Orientação de Gestão de carteira investimento estratégias em • Ativa ou passiva • Filosofia de bolsa • Diversificação investimentos • Conhecer as • Disciplina ferramentas • Gerenciar risco
  • Orientação ao Investidor Tributação Renda Fixa Para renda fixa usa-se a tabela regressiva como regra geral, descontado na fonte: 15% para investimentos com prazo acima de 720 dias. 17,5% para investimentos com Quanto maior o prazo de 361 dias até 720 dias; prazo, menor o 20% para investimentos com imposto prazo de 181 dias até 360 dias; 22,5% para investimentos com prazo inferior de até 180 dias;
  • Orientação ao Investidor Tributação Renda Fixa Come-cotas é o imposto cobrado no último dia útil dos meses de maio e novembro para os fundos de investimento sem prazo de carência, ou com prazo de carência superior a 90 dias. Simula-se o resgate do fundo para apurar o rendimento obtido no período. O imposto é pago na forma de diminuição da quantidade de cotas que o investidor tem aplicadas no fundo. Ou seja, é como se houvesse um resgate com a intenção de se pagar o imposto de renda. Nesse caso, o valor da cota não se altera, mas sim o número de cotas que o investidor possui. Por conta dessa diminuição no número de cotas, esse imposto acabou ficando conhecido como “come-cotas”. A alíquota é de 20% sobre os rendimentos para os fundos de curto prazo e de 15% para os fundos de longo prazo.
  • Orientação ao Investidor Tributação Renda Variável "Neste mundo nada pode ser dado como certo, à exceção da morte e dos impostos“. (Benjamin Franklin) Para entender bem a tributação, não devemos nos ater às fórmulas para decorar e sim às origens e destinos do tributo. O importante é saber... Fato Imposto Alíquota a Gerador Rastreador Pagar Fonte: Lei nº 11.033
  • Orientação ao Investidor Tributação • 1% em caso de 20% sobre lucro day-trade; líquido em day- Venda de Ações • 0,005% em caso trade e/ou 15% em de alienações operações normais. Fato (vendas) normais. Imposto Alíquota a Gerador Rastreador Pagar Isenção em vendas Lucro líquido é o lucro bruto normais inferiores a menos todos os custos (inclusive 20 mil para ações. os impostos rastreadores).
  • Orientação ao Investidor Investimentos em Renda Fixa Títulos públicos Títulos privados Atenção para... Atenção para... Custo operacional Custo operacional Planejamento de uso Risco de crédito Alterações nas taxas de juros Alterações nas taxas de juros
  • Orientação ao Investidor Investimentos em Renda Variável Clubes Fundos Ações Tributação Gestão Performance Formalização Diversificação Flexibilidade Limitação de Performance Gestão Operações Liquidez Tributação
  • Agenda Finanças Pessoais Mercado Financeiro Produtos de Investimento Orientação ao Investidor Planos de Previdência Metrus
  • Planos de Previdência Metrus p.53 Entendendo os Planos de Previdência do Instituto Metrus Formas de investimento do Patrimônio/Política de Investimentos Entendendo o Simulador
  • Planos de Previdência Metrus 1 Entendendo os Planos de Previdência do Instituto Metrus PLANO I CONTRIBUIÇÃO MENSAL Plano 1 SALÁRIO DE PARTICIPAÇÃO (R$) MULTIPLICAR POR SUBTRAIR ATÉ R$ 2.446,70 0,0133 0 DE R$ 2.446,71 ATÉ R$ 4.893,40 0,0269 R$ 33,28 DE R$ 4.893,41 ATÉ R$ 10.171,73 0,2151 R$ 954,21 ACIMA DE R$ 10.171,73 Mensalidade Fixa = 1.233,73 Plano 2 Faixa do Salário de Participação % sobre a parcela do Salário Participação até R$ 2.404,80 de 0 a 2 de R$ 2.404,81 a R$ 4.809,60 de 0 a 3 de R$ 4.809,61 até R$ 9.997,61 de 0 a 7
  • Planos de Previdência Metrus 1 Entendendo os Planos de Previdência do Instituto Metrus Participante Ativo Participante Assistido 85% RF 75% RF 65% RF 100% RF 90% RF 85% RF + + + + + + 15% RV 25% RV 35% RV 0% RV 10% RV 15% RV Plano 2 Faixa do Salário de Participação % sobre a parcela do Salário Participação até R$ 2.404,80 de 0 a 2 de R$ 2.404,81 a R$ 4.809,60 de 0 a 3 de R$ 4.809,61 até R$ 9.997,61 de 0 a 7
  • Planos de Previdência Metrus 2 Formas de investimento do Patrimônio/Política de Investimentos Alocação Limite Limite Plano 1 Segmento de Objetivo inferior superior aplicação (%) (%) (%) Renda fixa 70 27 93 Renda variável 20 7 50 Imóveis 5 0 8 Empréstimos aos participantes 5 0 15 Limite Limite Segmento de Alocação inferior superior Plano 2 aplicação Objetivo (%) (%) Renda fixa 50,79 40 95 Renda variável 30 0 50 Imóveis 6,21 0 8 Empréstimos aos participantes 13 0 15
  • Planos de Previdência Metrus 3 Entendendo o Simulador
  • Planos de Previdência Metrus 3 Entendendo o Simulador Comparativos (base: 1998) 900 800 700 600 500 Conservador Moderado 400 Arrojado 300 Ibovespa 200 CDI 100 0 dez/98 dez/99 dez/00 dez/01 dez/02 dez/03 dez/04 dez/05 dez/06 dez/07 dez/08 jun/99 jun/00 jun/01 jun/02 jun/03 jun/04 jun/05 jun/06 jun/07 jun/08 jun/09
  • Planos de Previdência Metrus Extras Onde posso saber em quais empresas o Metrus investe? como saber mais sobre essas empresas? Se houver inadimplência nos empréstimos, afetará meu investimento? Quanto mais empréstimos houver, maior será o meu investimento? Corro o risco de perder dinheiro da minha previdência privada aplicando em renda variável e/ou renda fixa?
  • Planos de Previdência Metrus Extras Sou assistido, já recebo benefício do Metrus e fiz minha escolha para um perfil, isso aumentará o valor do meu benefício? Em quanto tempo? De imediato, o valor do benefício não é aumentado pela mera escolha do perfil, já que o valor do benefício depende do saldo em conta total. O benefício aumentará a depender do desempenho do mercado. A escolha do perfil Conservador 3 trará melhores resultados quando a renda variável tiver um desempenho melhor e o Conservador 1 terá desempenho melhor, comparativamente com o 3, se a renda fixa oferecer maior rendimento.
  • Planos de Previdência Metrus Extras Quando poderei recolher o que eu investi? O Regulamento dos planos de pensão lista as situações em que o benefício poderá ser requerido. Para o Plano II, o participante pode requerer o benefício no caso de aposentadoria normal, antecipada ou por invalidez, auxílio doença, benefício diferido por desligamento, benefício proporcional ou abono anual. Os detalhes sobre cada tipo de benefício podem ser encontrados no site do Metrus . Para mais informações, consulte o Regulamento do Plano II , Capítulo XII.
  • Fim Obrigado pela sua atenção. Contato: Marcio Rodrigues – investeducar@investeducar.com.br