3 redes sociais – a conexão
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×
 

3 redes sociais – a conexão

on

  • 1,221 views

 

Statistics

Views

Total Views
1,221
Views on SlideShare
1,220
Embed Views
1

Actions

Likes
0
Downloads
27
Comments
1

1 Embed 1

http://www.slideshare.net 1

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Adobe PDF

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

3 redes sociais – a conexão 3 redes sociais – a conexão Document Transcript

  • #A comunicação no mundo 2.0Universidade Cruzeiro do Sul – Campus Liberdade | www.cruzeirodosul.edu.br
  • #3-Redes Sociais – a conexão
  • #Índice:3- Redes Sociais – a conexão# 3.1- O Panorama das Redes Sociais no Brasil# 3.2- O Crescimento – não pára# 3.3- Investimentos em publicidade – aumento constante# 3.4 -Preciso entrar nas Redes Sociais?# 3.5 -Qual a importância de se ouvir as Redes Sociais?# 3.6 -As redes sociais dando poder às pessoas# 3.7-Relações Públicas – construindo a imagem# 3.8- Quer saber o que é dito sobre você no mundo virtual? Digiteseu nome no Google e veja o resultado.# 3.9 -As redes sociais na busca por um emprego View slide
  • #3- Redes Sociais – a conexãoAs redes sociais representam, cada vez mais, uma ferramenta importante paraprofissionais e empresas. O uso desses canais pode ser justificado facilmente peloseu crescimento - para se ter uma ideia, o Orkut, a rede mais popular do país, tem32,4 milhões de usuários, logo atrás vem o Facebook, que cresce rapidamente e jáultrapassou os 17,9 milhões de usuários no Brasil. O microblog Twitter apresenta9,8 milhões de usuários. Nos últimos doze meses, o alcance cresceu de 17,5% a21,8%.Confira o perfil de quem navega na rede no infográfico abaixo: Fonte:http://ojornalista.com/blog/2010/12/a- Infográfico Sugerido: internet-no-brasil-em-2010/ 3.1-IMG1#3.1-O Panorama das Redes Sociaisno Brasil ! “Não subestimem as redes sociais” (Charlene Li, 2010) Infográfico Sugerido: 3.2-IMG1Hoje, sabemos que o facebook acaba de ultrapassar o Orkut em números detráfego de usuários – aqui no Brasil. O Alexa Internet, que mantém um ranking dos500 sites mais acessados em diferentes países, mostra que o Facebook (facebook.com) figura em quarto lugar na lista de ‘tops sites’, deixando para trás o Orkut(orkut.com.br), que se mantém no sexto lugar. Infográfico Sugerido: 4.2-IMG2 View slide
  • A Google continua líder de acessos locais com o seu motor de buscas (google.com.br), seguido do endereço internacional (google.com), em segundo lugar. Emterceiro está o YouTube, na frente da rede social de Mark Zuckerberg (facebook).O grupo deixa para trás sites como Windows Live, Blogger e Yahoo. Em 11º oOrkut reaparece no ranking, mas com seu endereço global (orkut.com). A divisãosegmenta o cálculo do tráfego de usuários, que podem fazer login por meio dasduas versões: a brasileira e a internacional da rede social. O Twitter segue longe,em 14º lugar no ranking.Analisar os números e colocações deve ser um trabalho contínuo e atendo, poisao exemplo do Twitter, mesmo com a colocação no ranking, hoje acolhe cerca 200milhões de usuários (mundo) – dado passado pelo no início de abril pelo TwitterInc., empresa por trás do microblog. Os números da rede ainda são disponíveis porregião/país.#3.2-O Crescimento – não páraUma pesquisa realizada, recentemente, pela Nielsen revelou que 86% dosbrasileiros que usam internet navegam em blogs e redes sociais. O crescimento éascendente – a tendência é sempre superar os números anteriores.O desafio maior é saber em qual (is) delas o público de interesse está presente etrabalhar a melhor estratégia.Veja a pesquisa sobre Redes Sociais (2010/11) que MBI publicou: Leia: 4.3-PDF1#3.3-Investimentos em publici-dade – aumento constanteOs números apontam: em 2015, redes sociais receberão US$ 8,3 bilhões empublicidade, esse montante é quatro vezes maior que o investimento atual e maiorparte desse dinheiro será destinado ao Facebook. Segundo o estudo da consultoriaBIA/Kelsey, os displays - anúncios comuns exibidos nos sites – vão continuar sendoa maior parte do investimento, respondendo por US$ 7,7 bilhões.Em 2010, o gasto com publicidade em redes sociais foi de US$ 2 bilhões. Para esteano, estima-se que sejam investidos US$ 3 bilhões e, em 2012, US$ 3,93 bilhões.Em comparação, só no passado, o Facebook faturou US$ 1,68 bilhões em aportepublicitário.
  • De acordo com o link do Estadão, os bilhões apontados pelo levantamento nãolevam em conta bens virtuais, recompensas, e-commerce e games sociais. Essesnúmeros mostram o quão importante tornou-se o segmento de marketing digitaldentro da área de marketing nas empresas. O cenário de investimentos e o mercadonunca tiveram tão aquecidos como agora. A internet entrou na briga pela disputa Quer saber mais ?de verba junto com os tradicionais veículos, radio, jornal, televisão, cinema, dentre Veja o vídeo:outros. 3.3-VID1 Leitura sugerida: 3.3-PDF5#3.4-Preciso entrar nas RedesSociais? ! “Pessoas comuns conseguem espalhar boas e más informações sobre marcas mais rapidamente que as pessoas de marketing.”Ray JohnsonNão há regras, porque estar nas redes pode ser uma escolha ou às vezes não. Ofundamental é saber se você já não está lá.Muitas empresas já “transitam” nas redes mesmo sem saber – por não terem essapreocupação ou mesmo ciência. Mais de 80% dos blogs hoje, falam de marcas,serviços e produtos. O indicado é traçar uma estratégia que estude sua presença naweb 2.0 e estabeleça um objetivo. Os internautas estão expressando sua opinião, ecabe as empresas se posicionarem para escutá-los, entendê-los e proporcioná-losum canal de comunicação. Imagem Sugerida: 3.3-IMG1 Fonte: Revista Época – 25 de abril de 2011
  • #3.5-Qual a importância de se ou-vir as Redes Sociais? ! “Seus mais insatisfeitos clientes são sua maior fonte de aprendizado.” (Bill Gates)De uma coisa podemos ter certeza: a vida e os negócios ganharam um ritmo muitomais acelerado. Mas até que ponto isso influência a relação empresa x cliente?A tecnologia avançou novamente, a vida se tornou mais corrida e agora osconsumidores não aceitam mais ter que ouvir a espera telefônica com as famosas“musiquinhas”, enquanto espera para ser atendido.Agora o atendimento mais eficiente é SAC 2.0. É atender clientes pelas diversasredes sociais – por conta da agilidade, rapidez da resposta.Uma empresa para entrar nesse universo, deve agir rápido – serviço deve terverdadeiro sentido para o usuário. Se antes as pessoas esperavam dias ousemanas para terem uma resposta, hoje o processo é absolutamente o contrárioe irreversível. Esperar um retorno via Twitter pode significar uma eternidade paraquem está do outro lado.É importante as empresas se atentarem para as possíveis consequências – quantoa lentidão no atendimento online. Quantos clientes podem ficar insatisfeitos pelalentidão do entendimento? Quantos novos negócios deixaram de ser efetivados pornão conseguirem agir a tempo? Quantos clientes perdidos pela falta de respostapor parte da empresa? As hipóteses são inúmeras.Mas, o lado positivo também existe - pensar ao contrário é ter a certeza de um efetivoganho no relacionamento com o cliente, o que pode refletir num ambiente favorávelpara troca de informações e ganhos no oferecimento de serviços e produtos. Ofato é: atender a necessidade em tempo hábil é garantia de um bom negócio paraambos os lados.Você não precisa esperar que alguém reclame de sua empresa para saber quetem algo errado. As Redes te possibilitam um feedback contínuo e em tempo real,onde com facilidade é possível diagnosticar crises que estão por vir ou serviços eprodutos com problemas de aceitação, etc. O contrário também é válido, elogios esugestões também podem ser usados para nortear futuras estratégias. Infográfico Sugerido: 10 razões para adotar redes sociais nas empresas Imagem Sugerida: 3.3-IMG1
  • #3.6-As redes sociais dandopoder às pessoas ! “A Web 2.0 está revolucionando as relações humanas e mudando o cenário da atividade de Relações Públicas. Agora o poder não está mais apenas nas mãos da imprensa tradicional e dos CEOs das empresas. A Internet possibilitou que as vozes dos consumidores fossem ouvidas em todos os lugares e em outras milhares de comunidades de relaciona- mento” (Ronald Mincheff, 2007)Hoje, as pessoas se movimentam e se relacionam, a fim de partilharem de umamesma causa – seja ideológica ou funcional. Com isso, as redes sociais deramum poder as pessoas de se expressarem, defenderem seus interesses, atuaremem causas, fazerem amigos e também se realocarem ou conseguirem o primeiroemprego. Temos uma grande transformação no relacionamento entre empresa econsumidor.Como explicar a proporção que alguns assuntos tomam nas redes sociais? Vejamcomo exemplo o churrasco em homenagem ao casamento do príncipe Willian, criadovia Facebook onde 350.000 pessoas confirmaram presença para um evento fictício.O que falar dos presidentes depostos da Líbia e do Egito, onde as manifestaçõestomaram corpo em discussões via Twitter e Facebook. Trazendo para os dias atuaistivemos uma nova manifestação, trata-se do churrascão da gente diferenciada, quesurgiu devido o cancelamento da estação de metrô na avenida Angélica, com maisde 56 mil pessoas confirmadas para o evento. Para compreender esse poder leiam: http://www.natanaeloliveira.com.br/o-poder-das-redes-sociais-caso-arezzo/
  • #3.7-Relações Públicas –construindo a imagem ! “Você leva anos para ter credibilidade no ambiente online e segundos para perdê-la.”Andre TellesAgora, nós não somos apenas consumidores de imagens e textos, somos produtoresde conteúdos. Para as empresas seus produtos e serviços podem ser avaliados emfóruns e blogs especializados a todo o momento; os RHs de muitas empresas hojebuscam currículos nas redes – e como justificativa para a escolha: a reputação.Com isso, as empresas têm a chance de se mostrarem de maneira mais pessoal,clara e antever necessidades de seus consumidores – o que eles estão falando?Quais são as suas dúvidas? Se antecipar a futuros problemas e até montarestratégias baseadas no feedback recebido pode ser uma grande e assertivaestratégia para o marketing digital. Leitura sugerida: 5.1-PDF1É inevitável que o comportamento do consumidor 2.0 não faça referências a marcase serviços nas redes. Hoje, as pessoas se movimentam e se relacionam, a fim departilharem de uma mesma causa – seja ideológica ou funcional. Os fóruns, porexemplo, que em sua maioria, são canais onde consultamos sobre a qualidade eidoneidade de empresas, pessoas – ajudam na escolha certa ou em partilharem deexperiências (seja para alertar ou induzir a compra de algo).Neste ambiente é possível agregar evangelizadores (consumidores defensores demarcas, produtos, serviços) e até “perseguidores”, consumidores que vão expor aempresa ou pessoa, de maneira negativa.O mais importante é firmar um relacionamento transparente, empático, proativo econstruir a reputação da marca em conjunto – afinal, a reputação deve ser real, asredes é só o reflexo disso.
  • #3.8-Quer saber o que é dito sobrevocê no mundo virtual? Digite seunome no Google e veja o resultado. ! “Dar sentido a um texto é o mesmo que ligá-lo, conectá-lo a outros textos, e portanto, é o mesmo que construir um hipertexto.Quanto mais conexões o item a ser lembrado possuir com os outros nós da rede, maior será o numero de caminhos associativos possíveis para a propagação da ativação no momento em que a lembrança for procurada.”Pierre LévyHoje, com apenas uma busca no Google consegue-se traçar a reputação online deuma pessoa. Se vierem imagens comprometedoras ou inadequadas, prepare-sepois sua reputação está baixa, ou traduzindo, “seu filme está queimado”.Um dos principais fatores é que no mundo virtual podemos criar diversas identidadese se esconder atrás de pseudônimos.Para recuperar uma reputação uma das iniciativas é começar a publicar boasinformações sobre você e dessa forma estar nas primeiras páginas dos resultadosde buscas. Uma outra boa iniciativa é preencher o currículo online com informaçõesque os empregadores gostam, como praticar eventos saudáveis, praticar trabalhoscolaborativos, participar de cursos e campeonatos. Todas essas medidas ajudam acriar referencias cruzadas de links, com isso os resultados na busca das ferramentasde buscas (Google, Bing, Yahoo) subam nas primeiras posições. Uma outra dica étorna-se “proprietário” do seu nome. Tenha um site ou blog, uma conta no twitter,um perfil no linked in, no facebook, enfim torne seu nome forte e marcante na web.
  • #3.9 -As redes sociais na buscapor um empregoAs redes sociais representam, cada vez mais, uma ferramenta importante paraprofissionais que estão em busca de trabalho e para empregadores na caça demão de obra qualificada.Prova de que ter um perfil no Twitter, Facebook ou LinkedIn deixou de ser coisa demomento e conquistou um novo público. Hoje, jornalistas, empresários, políticos,formadores de opinião, candidatos e as próprias empresas usam essas ferramentascomo meio de ver e ser visto, é o famoso Networking.O networking nada mais é do que conhecer pessoas com interesses em comume estabelecer uma rede de relacionamento, onde é possível manter contato, porexemplo, com profissionais da mesma área que a sua e até mesmo com o RH deuma empresa em que você deseja trabalhar.Estatísticas recentes comprovam que, em média, 70% dos profissionais encontraramseu último emprego, trabalhando sua rede de contatos online. O LinkedIn, redesocial voltada especificamente para relacionamento profissional, é uma dasprincipais opções para os candidatos.Se interessou? Confira o link e veja dicas elaboradas pela consultora do LinkedIn,Danielle Restivo, para o seu currículo estar presente na rede: