Tudo Sobre Câncer de Próstata

44,300 views
43,601 views

Published on

Material Educativo sobre Câncer de Próstata: Sintomas, Prevenção, diagnóstico e tratamento

Published in: Health & Medicine
6 Comments
34 Likes
Statistics
Notes
No Downloads
Views
Total views
44,300
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
3,611
Actions
Shares
0
Downloads
2,202
Comments
6
Likes
34
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Tudo Sobre Câncer de Próstata

  1. 1. Tudo sobre Câncer de Próstata
  2. 2. A próstata é uma glândula do sistema genital masculino, cuja função é produzir o fluído que protege e nutre os espermatozoides no sêmen. Logo atrás da próstata, estão as glândulas denominadas vesículas seminais, que produzem a maior parte do fluido para o sêmen. O câncer de próstata é o mais comum em homens com mais de 50 anos, depois do câncer de pele. Esse tipo de câncer geralmente apresenta crescimento lento e pode não causar grandes danos. Porém, alguns casos da doença são mais agressivos e podem se disseminar para outros órgãos, caso o paciente não procure tratamento. O que é Câncer de Próstata?
  3. 3. O câncer de próstata em estágio inicial geralmente não causa sintomas, enquanto em estágio avançado pode provocar sintomas como: • Micção frequente. • Fluxo urinário fraco ou interrompido. • Impotência. • Vontade de urinar frequentemente à noite. • Sangue no líquido seminal. • Dor ou ardor durante a micção. • Fraqueza ou dormência nas pernas ou pés. • Perda do controle da bexiga ou intestino, devido a pressão do tumor sobre a medula espinhal. Sinais e Sintomas
  4. 4. A hiperplasia prostática benigna não é câncer e não se transforma em câncer. Entretanto, pode ser um problema clínico importante para alguns homens. Caso seja necessário tratamento, são prescritos medicamentos para reduzir o tamanho da próstata ou relaxar a musculatura, o que geralmente ajuda o fluxo normal de urina. Em alguns casos, pode ser necessária a realização de uma cirurgia, como a ressecção transuretral da próstata. Hiperplasia da Próstata ou Câncer de Próstata?
  5. 5. Envelhecer é o fator de risco mais importante para o aparecimento do câncer de próstata. Esse risco aumenta principalmente após os 50 anos. Estudos sugerem que após os 70 anos de idade uma grande porcentagem dos homens desenvolverão câncer de próstata, mesmo sem sintomas evidentes. Fique sabendo: O histórico familiar aumenta o risco de desenvolver câncer de próstata. Ter pai ou irmão com a doença em idade inferior aos 60 anos pode dobrar o risco de um homem ter a doença. Fatores de Risco que NÃO PODEM ser controlados
  6. 6. A alimentação parece ter um papel importante para o desenvolvimento (ou não) do câncer de próstata. A doença é muito mais comum em países onde carne vermelha e alimentos ricos em gordura são consumidos com frequência. A ligação entre a alimentação e o desenvolvimento do câncer não é clara. Porém, acredita-se que o consumo de carne vermelha pode aumentar a produção de hormônios masculinos, o que pode levar ao aparecimento do câncer de próstata. Uma dieta pobre em frutas e vegetais, também, pode ser prejudicial e favorecer o aparecimento desse tipo de câncer. Fatores de Risco que PODEM ser controlados
  7. 7. O rastreamento deve ser iniciado aos 50 anos para os homens que têm um risco médio para a doença. Aos 45 anos em homens com alto risco de doença, isto inclui aqueles que têm um parente de primeiro grau com diagnóstico de câncer de próstata antes dos 65 anos. O rastreamento deve ser iniciado aos 40 anos em homens com mais de um parente de primeiro grau que tiveram câncer de próstata em uma idade precoce. O rastreamento inclui o PSA no sangue e toque retal. A periodicidade desses exames depende dos resultados do PSA: • A cada 2 anos para homens com PSA < 2,5 ng/ml. • Anualmente para homens com PSA ≥ a 2,5 ng/ml. Detecção Precoce do Câncer de Próstata
  8. 8. O médico realizará o toque retal com o objetivo de procurar massas ou detectar regiões endurecidas na próstata. Ele solicitará, também, um exame de sangue para medir a presença de PSA no sangue. Um nível elevado de PSA no sangue pode indicar que a pessoa esteja com câncer na próstata. No entanto, há outras condições que podem aumentar o PSA, de modo que esse aumento nem sempre indica câncer. É possível ainda que, mesmo com um nível de PSA normal, seja detectado o câncer de próstata. Detecção Precoce: Toque Retal e PSA
  9. 9. O nível de PSA considerado normal deve estar abaixo de 4 ng/ml de sangue. Valores acima de 10 ng/ml sugerem alto risco de câncer na próstata. Considerações importantes: • Homens podem ser diagnosticados com câncer de próstata mesmo que apresentem PSA menor que 4 ng/ml. • Inflamação na próstata (prostatite) ou hiperplasia prostática podem aumentar o nível de PSA no sangue. • Alguns remédios para hiperplasia prostática podem diminuir o nível de PSA no sangue (mesmo com a presença de câncer de próstata). Antígeno Prostático Específico (PSA)
  10. 10. Se o exame físico (de toque) ou o PSA apontarem anormalidades, o médico solicitará a realização de uma biópsia. A biópsia é um procedimento em que são retirados fragmentos de tecido do tumor para serem examinados por um patologista, para a detecção de células malignas. A biópsia é o exame que identifica células cancerígenas, portanto é o exame que dá o diagnóstico da doença. Diagnóstico: Biópsia
  11. 11. A graduação de Gleason é utilizada para avaliar ou graduar as células de câncer de próstata obtidas através de biópsia por agulha. O patologista buscará células que apresentem anormalidades e também analisará os tecidos retirados na biópsia a partir da escala de Gleason, dividida em 5 níveis. Os diferentes níveis determinados pela Escala de Gleason ajudam a identificar as chances do câncer se disseminar (ou não). Esses níveis de 2 (tipo menos agressivo) a 10 (tipo muito agressivo). Diagnóstico: Graduação de Gleason É importante identificar a agressividade do tumor para escolher o tratamento mais adequado.
  12. 12. A radioterapia pode ser usada como primeira opção terapêutica com intuito curativo ou após o tratamento cirúrgico da próstata. Também é usada para aliviar as dores ósseas provocadas pela disseminação da doença. A radioterapia é focada sobre a glândula da próstata a partir de uma fonte de radiação externa. As principais técnicas utilizadas são: radioterapia conformacional 3D, IMRT, IGRT e arcoterapia volumétrica modulada (VMAT). Os possíveis efeitos colaterais deste tratamento podem incluir: problemas intestinais, problemas na bexiga, incontinência urinária, impotência, sensação de cansaço, linfedema e estreitamento uretral. Tratamento: Radioterapia
  13. 13. O principal tipo de cirurgia para o câncer de próstata é a prostatectomia radical, que consiste na retirada de toda a próstata, além de alguns tecidos adjacentes, incluindo as vesículas seminais. Os tipos de prostatectomia radical incluem: • Prostatectomia radical retropúbica. • Prostatectomia radical perineal. • Prostatectomia radical por laparoscopia. • Prostatectomia radical por laparoscopia assistida por robótica. Tratamento: Cirurgia
  14. 14. Existem diferentes graus de incontinência urinária, que podem afetar o homem, não só fisicamente, mas emocional e socialmente: • Incontinência de estresse - Quando a urina escapa a um movimento repentino como tossir, rir ou espirrar. • Incontinência por transbordamento - Quando a bexiga não é totalmente esvaziada. • Incontinência de urgência - Quando se tem uma necessidade súbita de urinar. Efeitos Colaterais: Incontinência Urinária
  15. 15. Os nervos que permitem as ereções podem estar lesionados ou terem sido removidos, impedindo a ereção durante a relação sexual. A capacidade de ter novamente ereções após a cirurgia, muitas vezes ocorre lentamente, podendo levar até 2 anos. Durante os primeiros meses, o paciente provavelmente não será capaz de ter uma ereção espontânea, precisando usar medicamentos ou outros tratamentos. Se a impotência permanece após a cirurgia, a sensação de orgasmo deve continuar a ser agradável, mas não existe a ejaculação do sêmen, o orgasmo é seco. Efeitos Colaterais: Impotência (Disfunção Erétil)
  16. 16. Quimioterapia é um tratamento sistêmico com medicamentos para destruir o câncer, administrados por via intravenosa ou oral. É recomendado para tratar cânceres em estágio avançado ou que não respondem à hormonioterapia. Os medicamentos usados no tratamento do câncer de próstata incluem: docetaxel, cabazitaxel, mitoxantrona, estramustina, doxorrubicina, etoposido, vinblastina, paclitaxel, carboplatina, vinorelbina. Tratamento: Quimioterapia Os efeitos colaterais da quimioterapia podem incluir: alopecia, inflamações na boca, perda de apetite, náuseas, vômitos, diarreia, infecções, hemorragias ou hematomas, fadiga e reações alérgicas.
  17. 17. A terapia hormonal ou terapia de privação de andrógeno ou terapia de supressão androgênica tem o objetivo de reduzir o nível dos hormônios masculinos (andrógenos), no corpo. Os principais tipos incluem: Tratamento: Hormonioterapia • Degarrelix - Usada para tratar o câncer de próstata avançado. • Abiraterone - Bloqueia a produção dos andrógenos pelos testículos. • Antiandrógenos - Administração, via oral, de flutamida, bicalutamida e nilutamida, diariamente. • Orquiectomia bilateral (Castração cirúrgica) - Remoção cirúrgica dos testículos. • Terapia com análogo do LHRH (Castração química) - Consiste na administração de uma droga que reduz o nível de testosterona. • Enzalutamide - Bloqueia o sinal do receptor de andrógeno para a célula.
  18. 18. • Diminuição ou ausência da libido. • Impotência. • Ondas de calor. • Diminuição dos testículos e do pênis. • Sensibilidade e crescimento do tecido mamário. • Osteoporose. • Anemia. • Diminuição da agilidade mental. • Perda de massa muscular. • Ganho de peso. • Fadiga. • Aumento do colesterol. • Depressão. Efeitos Colaterais da Hormonioterapia Os principais efeitos colaterais desse tratamento incluem:
  19. 19. A criocirurgia também denominada crioterapia ou crioablação é utilizada para tratar por congelamento o câncer de próstata localizado. Essa técnica congela e destrói as células cancerígenas da próstata. Esse método não é muito utilizado pois os benefícios a longo prazo ainda não estão bem definidos. É um tratamento menos invasivo se comparado à cirurgia e o processo de recuperação também é mais rápido. Entretanto, a crioterapia tem indicações bastante limitadas. Tratamento: Crioterapia
  20. 20. O sipuleucel-T é uma vacina contra o câncer, que ao contrário das vacinas tradicionais, que aumentam o sistema imunológico para prevenir doenças infecciosas, esta vacina estimula o sistema imunológico para que ele ataque as células cancerígenas do câncer de próstata no organismo. Essa vacina é usada para tratar o câncer de próstata avançado que não está mais respondendo à hormonioterapia, mas que está causando poucos ou nenhum sintoma. A vacina sipuleucel-T é produzida individualmente e não em larga escala. Tratamento: Vacina
  21. 21. Como o câncer de próstata geralmente cresce de forma lenta, alguns homens, especialmente os mais velhos ou aqueles com outros problemas de saúde, muitas vezes não iniciam de imediato o tratamento. Nesses casos, recomenda-se: • Vigilância ativa - Acompanhado de perto com exames regulares de PSA, toque retal e ultrassons em intervalos regulares de tempo. Biópsias podem ser realizadas, para verificar a evolução da doença. Mas, se a qualquer momento for constatado o crescimento do tumor ou outra alteração com base nos resultados dos exames realizados, o tratamento é iniciado. • Conduta expectante - É um acompanhamento menos intensivo, o que pode significar menos exames, dependendo das alterações nos sintomas, para decidir se o tratamento é (ou não) necessário. Conduta Expectante e Vigilância Ativa
  22. 22. Seu médico continuará monitorando os níveis de PSA no sangue e poderá solicitar outros exames após o término do tratamento. Se a doença se disseminar para outros órgãos, provavelmente será recomendado um tratamento adicional. Fica a dica: Adotar hábitos de vida saudáveis, também, são importantes para manter uma qualidade de vida após o tratamento do câncer. Esperança para Casos Avançados

×