Your SlideShare is downloading. ×
Tudo sobre Câncer de Mama
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

×
Saving this for later? Get the SlideShare app to save on your phone or tablet. Read anywhere, anytime – even offline.
Text the download link to your phone
Standard text messaging rates apply

Tudo sobre Câncer de Mama

44,575

Published on

Tire todas as suas dúvidas sobre câncer de mama!

Tire todas as suas dúvidas sobre câncer de mama!

Published in: Health & Medicine
7 Comments
25 Likes
Statistics
Notes
No Downloads
Views
Total Views
44,575
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
3
Actions
Shares
0
Downloads
1,596
Comments
7
Likes
25
Embeds 0
No embeds

Report content
Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
No notes for slide

Transcript

  • 1. Tudo sobre Câncer de Mamawww.oncoguia.org.br
  • 2. O que é câncer de mama? O câncer de mama é uma doença que ocorre devido à perda da capacidade das células de limitar e controlar o seu próprio crescimento, multiplicando-se rapidamente e sem controle.www.oncoguia.org.br
  • 3. O Câncer de Mama hoje Descobrir um Câncer de Mama hoje não é mais como há 20 anos. O número de pacientes que alcança a cura cresce cada vez mais, graças às campanhas de conscientização, à detecção precoce e aos avanços no tratamento. Se diagnosticado em estágio inicial (ainda pequeno), o câncer de mama tem, hoje, 95% de chances de cura!www.oncoguia.org.br
  • 4. Por que falar de câncer de mama? O câncer de mama é uma das maiores causas da morte de mulheres por câncer no mundo e no Brasil, apesar de ser uma doença com alta chance de cura desde que descoberta no início. Existem ainda mitos em torno da doença, seu diagnóstico e tratamento que devem ser esclarecidos.www.oncoguia.org.br
  • 5. Conheça os números de 2010/2011! Mundo Brasil 1.300.000 novos casos 50.000 novos casos 500.000 mortes 11.000 morteswww.oncoguia.org.br
  • 6. No Brasil A cada hora, 6 novos diagnósticos... ¼ das mulheres tem menos que 50 anos No mundo A cada 24 segundos uma mulher recebe o diagnóstico de câncer de mama A cada 69 segundos, uma morre... Fonte: Komen/Incawww.oncoguia.org.br
  • 7. O que devo fazer? Autocuidado das mamas – Detecção precoce! • Conheça seu risco • Faça exames de rotina • Mamografia a partir dos 40 anos • Saiba o que é normal para você - Conheça as suas mamas • Escolha hábitos saudáveis Fonte: Komenwww.oncoguia.org.br
  • 8. Fatores de Risco ... Será que eu tenho? Ser mulher já é um fator de risco para o câncer de mama. Homens também podem desenvolver a doença, porém o risco do câncer de mama em mulheres é 100 vezes maior. Ter mais do que 55 anos de idade ou ter parentes próximos que tenham desenvolvido a doença são outros fatores de risco. Mas lembre-se que 80% das mulheres com câncer de mama não possuem histórico familiar relacionado ao câncer.www.oncoguia.org.br
  • 9. Genética Algumas mulheres apresentam alto risco de desenvolver câncer de mama devido a mutação de alguns genes específicos. Trata-se dos genes BCRA1 ou BCRA 2. As mutações são raras e devem ser investigadas em pacientes jovens que desenvolvem câncer e, se presentes, podem ser investigadas em parentes próximos. Mulheres com mutações nesses genes apresentam 80% de chances de desenvolver câncer de mama em algum momento da vida.www.oncoguia.org.br
  • 10. Checklist – Fatores de risco! • Qual a sua idade? • Qual a sua raça? (negra, parda, branca) • Com que idade teve sua primeira menstruação? • Se você tem filhos, qual a sua idade no primeiro parto? • Com quantos anos você entrou na menopausa? • Você já fez ou faz uso de reposição hormonal? • Você tem parentes de primeiro grau que já tiveram câncer de mama? Quantos? • Você já foi submetida a uma biópsia de mama? • Quantas biópsias já foram feitas? • Alguma das biópsias mostrou laudo de hiperplasia atípica? • Você já fez radioterapia no tórax? • Você pratica exercícios físicos? • Você bebe, e se sim, com que frequência? • Você está acima do peso?www.oncoguia.org.br
  • 11. Fique atenta aos Sinais e Sintomas do Câncer de Mama •Região mais quente, inchada ou escura na mama; •Caroço, endurecimento ou engrossamento; •Mudança na forma ou tamanho da mama; •Inversão do mamilo (quando o bico volta-se para dentro), caso você não tivesse isto anteriormente; •Covinha ou enrugamento da pele; •Dor contínua em alguma parte da mama, que não cede naturalmente; •Vermelhão, coceira ou descamação no mamilo. •Secreção que inicia de repente no mamilowww.oncoguia.org.br
  • 12. Sinais do Carcinoma Inflamatório de Mama É um tipo raro que se desenvolve rápido e geralmente não apresenta nódulo saliente. Pode apresentar os seguintes sinais: • Pele do seio espessa, avermelhada e porosa (aspecto semelhante a casca de laranja) • Pode dar a sensação que a área está quente ou muito sensível • Pequenas saliências que se parecem com uma assadura também podem aparecer.www.oncoguia.org.br
  • 13. Ultrassom de Mama e Ressonância Magnética Além da mamografia, seu médico também poderá pedir outros exames adicionais, como ultrassom e ressonância magnética. O ultrassom pode ajudar a determinar a presença de cistos. A ressonância magnética pode complementar a mamografia e dar um resultado mais específico para mulheres com alto risco de desenvolver câncer de mama.www.oncoguia.org.br
  • 14. Autoexame - O que devo saber?O autoexame das mamas NÃO basta para diagnosticar precocemente o câncerde mamaO autoexame não apresenta eficácia para a detecção do tumor.O importante é que você saiba o que normal para você e conheça suasmamas. Fique atenta a qualquer tipo de mudança!Fale com seu médico rapidamente diante de qualquer mudança!Seja proativa com relação a sua própria saúde.www.oncoguia.org.br
  • 15. E se eu achar um nódulo? Antes de qualquer coisa: tente não entre em pânico! 80% dos nódulos encontrados nas mamas não são câncer. Geralmente são cistos benignos ou alterações relacionadas ao ciclo menstrual. Porém, se algo diferente/estranho for encontrado, não deixe de avisar seu médico o mais rápido possível. Se for câncer, quanto mais cedo for detectado, maiores são as chances de cura. E se não for câncer, você terá checado e poderá ficar tranquilawww.oncoguia.org.br
  • 16. Câncer de Mama e Mamografia Quanto mais cedo o Câncer de Mama for detectado, mais fácil é a cura. A mamografia da mama pode detectar o tumor antes mesmo que ele seja palpável. A Sociedade Brasileira de Mastologia recomenda que toda mulher (que não faça parte do grupo de alto risco) comece a fazer mamografia anualmente a partir dos 40 anos. A mamografia é o exame mais completo para a detecção precoce do câncer de mamawww.oncoguia.org.br
  • 17. Biópsia da Mama A única maneira de identificar se o nódulo é cancerígeno ou não é por meio da biópsia. Isso significa que será retirada uma amostra do nódulo para análise pelo médico patologista. Essa amostra pode ser pequena ou grande (nesse caso precisa ser realizada uma cirurgia, que irá retirar parte do nódulo). O resultado da biópsia confirmara se é um tecido canceroso ou não, e, caso se trate, irá identificar qual é o tipo de câncer de mama (existem diferentes tipos e os tratamentos recomendados variam de acordo com o tipo de câncer).www.oncoguia.org.br
  • 18. Estrogênio Progesterona Hormônios ligados ao Câncer de Mama Alguns tipos de câncer de mama são potencializados por dois hormônios: progesterona e estrogênio. A biópsia pode revelar se o tumor tem relação com a presença do estrogênio (ER-positivo) e/ou da progesterona (PR- Positivo). Aproximadamente 2 em cada 3 tumores de mama estão relacionados a esses hormônios. Existem diversas medicações que são utilizadas para controlar a produção desses tipos de hormônios.www.oncoguia.org.br
  • 19. HER2-PositivoEm aproximadamente 20% dos pacientes, as células do câncer de mamaestão ligadas à uma proteína chamada HER2. Esse tipo de câncer de mama éconhecido como HER2-positivo e tende a se espalhar mais rápido do queoutros tipos. É importante determinar o tipo de câncer, pois existemtratamentos específicos para as diferentes formas da doença. Na imagem seobserva células mamárias HER2-Positivo.www.oncoguia.org.br
  • 20. Estágios do Câncer de Mama – Fazendo o estadiamento do seu casoApós o câncer de mama ser diagnosticado, o próximo passo é detectar emqual estágio ele se encontra, ou seja, qual o tamanho e se já se espalhou ounão. Médicos usam estágios de 0-4 para descrever se o câncer estálocalizado apenas nas mamas, se alcançou os linfonodos ou se já se espalhoupara outros órgãos, como pulmão. Saber o estágio em que o tumor seencontra e de que tipo é o que ajuda a definir o tratamento mais adequado eeficaz. Lembre-se: Cada caso é um caso!!!www.oncoguia.org.br
  • 21. Existem possibilidade de Cura? As possibilidades de cura para o câncer de mama estão diretamente relacionadas ao estágio em que a doença é detectada. Quanto mais avançada a doença, mais difíceis são as chances de cura. Contudo, o avanço da medicina oferece cada vez mais opções de tratamentos, o que é extremamente favorável na busca pela cura. Se detectado logo no início, o Câncer de Mama tem até 95% de chances de cura.www.oncoguia.org.br
  • 22. Os tratamentos: A Cirurgia Existem diferentes tipos de cirurgias para a retirada do tumor mamário. Tumorectomia remove apenas o tumor; Quadrantectomia retira o tumor, uma parte do tecido normal que o envolve e o tecido que recobre o peito abaixo do tumor; Mastectomia simples ou total remove apenas a mama as vezes, no entanto, os gânglios linfáticos mais próximos também são removidos; Mastectomia radical modificada retira a mama, os gânglios linfáticos das axilas e o tecido que reveste os músculos peitorais; Mastectomia radical retira a mama, os músculos do peito, todos os gânglios linfáticos da axila, alguma gordura em excesso e pele.www.oncoguia.org.br
  • 23. Os tratamentos:A Radioterapia para Câncer de MamaA radioterapia utiliza radiação para matar as células cancerígenas. Geralmente,é utilizada após a cirurgia, como forma de destruir possíveis célulascancerígenas que não foram removidas com a cirurgia. Também pode serutilizada junto com a quimioterapia, para tratamento de câncer que já tenha seespalhado a outras regiões do corpo.A radioterapia, assim como outros tratamentos, pode ter alguns efeitoscolaterais, como: fadiga e sensação de queimação na área atingida pelaradiação.www.oncoguia.org.br
  • 24. Os tratamentos: A Quimioterapia É um tipo de tratamento que tem como finalidade matar células cancerígenas em qualquer local do corpo (ação sistêmica). Geralmente a quimioterapia é realizada por via venosa, porém, também pode ser realizada por via oral. Em mulheres com câncer de mama avançado, a quimioterapia pode ajudar a controlar o crescimento desordenado das células cancerígenas. Por ser um tratamento sistêmico podem aparecer efeitos colaterais tais como: náuseas, fadiga, queda de cabelo, queda do sistema imunológico e infecções.www.oncoguia.org.br
  • 25. Os tratamentos: A Hormonioterapia A mama necessita de hormônios sexuais para seu crescimento e funcionamento. O câncer de mama mantém certa dependência desses hormônios. A hormonioterapia busca inibir o crescimento do câncer pela retirada do hormônio da circulação ou pela introdução de uma substância com efeito contrário (antagonista). Assim como a quimioterapia, a hormonioterapia tem ação sistêmica ou seja, age em todas as partes do corpo. Geralmente é utilizada em combinação com cirurgia, radioterapia e quimioterapia no controle do câncer. Não deve confundir-se hormonioterapia com tratamento de reposição hormonal.www.oncoguia.org.br
  • 26. Os tratamentos: Terapia Alvo para Câncer de Mama É um tratamento inovador que age diretamente em determinadas propriedades das células cancerosas, por exemplo, mulheres que apresentam câncer de mama do tipo HER2-positivo com a Terapia Alvo é possível barrar a ação dessa proteína e impedir que o tumor se desenvolva. Geralmente esse tratamento é utilizado junto com a quimioterapia. Como qualquer outro tratamento podem existir efeitos colaterais com a Terapia Alvo.www.oncoguia.org.br
  • 27. A vida após o diagnóstico e a importância do apoio psico-socialNão há dúvida que o câncer provoca grandes mudanças na vida de uma pessoa. Ostratamentos necessários podem causar efeitos colaterais difíceis de lidar, tais comofadiga ou queda dos cabelos a mulher pode sentir-se perdida, com dificuldades deadministrar atividades do dia a dia como trabalho e vida social. Isso pode levar a umsentimento de solidão e isolamento. Por isso, é muito importante contar com o apoiode amigos e familiares! Eles poderão lhe acompanhar nos dias de fazer quimio ousimplesmente lembrá-la que você não está sozinha.Muitos pacientes decidem fazer parte de grupos de apoio isso pode ajudar e muito.www.oncoguia.org.br
  • 28. Reconstrução MamáriaMuitas mulheres que são submetidas a cirurgia optam pela reconstruçãomamária. Trata-se de uma cirurgia que restaura pele, mamilos e tecidomamário perdidos durante a mastectomia. A reconstrução pode ser feitacom um implante (silicone) ou com tecido de alguma parte do próprio corpo,como a barriga.Alguns mulheres optam por fazer a reconstrução logo após a mastectomia.Porém, também é possível fazer a reconstrução meses ou anos após acirurgia.www.oncoguia.org.br
  • 29. Enchimento de silicone – Cuidando da autoestima Uma alternativa para ajudar na recuperação da auto-estima é usar um enchimento de silicone. O enchimento deve ser colocado dentro do sutiã. Para mulheres que não querem se submeter a uma nova cirurgia, o enchimento é uma boa opção.www.oncoguia.org.br
  • 30. Pesquisas e o futuro do câncer Em todo o mundo, médicos, especialistas e pesquisadores continuam buscando tratamentos mais efetivos para o câncer de mama e a cura para essa doença que ainda mata muitas mulheres. Há muitos avanços e muita esperança de sucesso! Participe dessa luta!!!www.oncoguia.org.br

×