Tatiana Akabane, da Childhood Brasil, no Seminário Balanço da Copa
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Like this? Share it with your network

Share

Tatiana Akabane, da Childhood Brasil, no Seminário Balanço da Copa

  • 186 views
Uploaded on

Apresentação de Tatiana Akabane, da Childhood Brasil, no Seminário Balanço da Copa 2014, organizado pelo Instituto Ethos no dia 22 de maio de 2014

Apresentação de Tatiana Akabane, da Childhood Brasil, no Seminário Balanço da Copa 2014, organizado pelo Instituto Ethos no dia 22 de maio de 2014

  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Be the first to comment
    Be the first to like this
No Downloads

Views

Total Views
186
On Slideshare
149
From Embeds
37
Number of Embeds
1

Actions

Shares
Downloads
1
Comments
0
Likes
0

Embeds 37

http://www.jogoslimpos.org.br 37

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
    No notes for slide

Transcript

  • 1. Seminário Nacional “Balanço da Copa: como está este jogo?” Mesa 3: Direitos Humanos 22 de maio de 2014
  • 2. A Childhood Brasil, parte da World Childhood Foundation, luta por uma infância livre de exploração e abuso sexual. A organização - que é internacional e foi criada, em 1999, por Sua Majestade Rainha Silvia da Suécia – conta com escritórios na Suécia, Alemanha e Estados Unidos, além da unidade brasileira. Globalmente, a World Childhood Foundation apoia projetos em 16 países. No Brasil, a organização, prioritariamente, opera programas próprios focando em advocacy, geração e disseminação de conhecimento e comunicação. Quem somos
  • 3.  Boas práticas ORGANIZAÇÕES SOCIEDADE CIVIL  Educação  Justiça  Sistema de Garantia de Direitos GOVERNO Cultura de proteção integral à infância BRASIL ATUA COMO A EMPRESAS  Turismo  Transportes  Construção Civil CHILDHOOD
  • 4. O que a exploração sexual de crianças e adolescentes tem a ver com a Copa do Mundo?
  • 5. A Vulnerabilidade da Infância em Grandes Eventos Esportivos Grandes Eventos Esportivos aumentam riscos de violações de direitos humanos de crianças e adolescentes.* Fontes de risco para crianças associados a grandes eventos esportivos: • Cronograma de construção acelerados com um grande número de homens separados de suas famílias e recorrendo a sexo pago – e com menores de idade; • Migração por trabalho e alta demanda de trabalhos temporários; • Trabalhador migrante sem acesso a creche, educação e serviços de saúde; • Deslocamento de crianças dos seus lares para locais temporários e desconhecidos; • Coação de crianças para atividades ilegais como tráfico de drogas, roubo, violência; • Prorrogação das férias escolares sem supervisão ou sem programação. * Fonte - Pesquisa realizada pela Brunel University London, intitulada “Exploração de Crianças e Adolescentes e a Copa do Mundo: uma análise dos riscos e das intervenções de proteção”.
  • 6. Papel da Childhood Brasil Articular Diferentes Atores Gerar e Disseminar Conhecimentos Comunicar a Causa
  • 7. Conquistas do Projeto Copa 2012 - 2014 Gerar e Disseminar Conhecimentos Mapeamento - 2012 Seminário Nacional e Pesquisa - 2013 Área no Site Institucional - 2014
  • 8. Pesquisa “Exploração Infantil e a Copa do Mundo: estudo dos riscos e das intervenções de proteção” • É um chamado para à ação para as entidades organizadoras de grandes eventos esportivos, governo e a sociedade civil; • Busca contribuir com a adoção de estratégias de atenuação de riscos para crianças e adolescentes; • Reuniu exemplos, estudos de casos, experiências verificadas em grandes eventos esportivos no passado, incluindo Copas do Mundo e Jogos Olímpicos.
  • 9. Podem ser classificados em quatro categorias: 1.Trabalho infantil 2.Deslocamento de crianças como resultado de remoções forçadas 3.Exploração sexual de crianças e adolescentes 4.Tráfico de pessoas para exploração sexual afetando crianças * Fonte - Pesquisa realizada pela Brunel University London, intitulada “Exploração de Crianças e Adolescentes e a Copa do Mundo: uma análise dos riscos e das intervenções de proteção”. Riscos específicos para a criança
  • 10. Violações de Direitos Humanos contra Crianças e Adolescentes em eventos passados Trabalho infantil • Crianças costurando a mão bolas de futebol, na Índia e Paquistão, antes da Copa do Mundo de 1998 na França; • Envolvimento de crianças na fabricação de produtos para os Jogos Olímpicos de 2004 na Grécia. Deslocamento de crianças como resultado de remoções forçadas • Os Jogos Olímpicos de 2008 em Beijing declaradamente deslocaram 1,25 milhão de residentes; • Os Jogos da Commonwealth de 2010 em Delhi, na Índia, acarretaram a remoção de 300.000 pessoas das favelas. Exploração sexual • Garotas menores de idade encontradas pelas autoridades policias durante a Copa da África do Sul pareciam ser originárias de áreas rurais pobres do país, preparadas e coagidas a trabalhar no comércio sexual, mas inexistem informações sólidas que embasem essa percepção. Tráfico de pessoas para exploração sexual afetando crianças • Os jogos olímpicos de 2004, na Grécia, foram o primeiro grande evento esportivo onde essa questão atraiu um interesse significativo do público. O número de vítimas do tráfico de pessoas aumentou em 94% em 2004 e continuou alto nos anos subsequentes.
  • 11. Intervenções realizadas em eventos esportivos passados • Trafico de pessoas com efeito sobre crianças – Intensificação da ação policial; estratégias de proteção infantil e conscientização sobre HIV/Aids • Exploração sexual de crianças e adolescentes – Abordagem multisetorial usando a Copa da Africa do Sul como plataforma para promover a conscientização e prevenção da HIV/Aids – Diversas ações para manter atividades estruturadas para crianças durante as férias escolares; – Implantação de linhas diretas para receber denúncias; – Aplicativo Child Trafficking Basics. • Advocacy – Campanhas: “Foul Ball”; “Play Fair”; Cartão Vermelho etc...
  • 12. 1. Sabemos que existem riscos significativos para as crianças em torno de grandes eventos esportivos; 2. Não temos dados para definir se, como e em qual extensão esses riscos se traduzem em danos; 3. A maior parte das atenções é conferida ao tráfico e à exploração sexual, ao mesmo tempo em que o trabalho e o deslocamento provavelmente constituem problemas maiores; 4. Damos pouca atenção ao fato de as crianças serem vítimas “por tabela” das injustiças experimentadas pelos adultos ao redor delas; 5. Não devemos supor que ausência de dados signifique ausência de problemas. Conclusões da Pesquisa
  • 13. 4 das 11 Recomendações para os organizadores dos eventos e “advocates” 1. Estabelecer o quanto antes uma coalizão entre todos os parceiros e criar uma estratégia coerente que atribua responsabilidades claras e evite interrupções no trabalho diário das ONGs locais; 2. Garantir que todas as intervenções estabeleçam desde o início planos sólidos de monitoramento e avaliação; 3. Não supor que a ausência de dados seja sinônimo de ausência de problemas; 4. Adotar parâmetros relacionados à proteção a infância como requisitos nas licitações e candidaturas para todos os grandes eventos esportivos.
  • 14. Conquistas do Projeto Copa 2012 - 2014 Articular Diferentes Atores Gerar e Disseminar Conhecimentos Agenda de Convergência do Ministério de Direitos Humanos Protagonismo Juvenil Engajamento do Setor Privado Mapeamento - 2012 Seminário Nacional e Pesquisa - 2013 Área no Site Institucional - 2014
  • 15. OBJETIVO: propor, executar e monitorar ações de prevenção às violações de direitos contra crianças e adolescentes durante grandes eventos esportivos. Agenda de Convergência para a Copa do Mundo
  • 16. • Plano de Ação para a Copa do Mundo construído; • Desenvolvimento de uma Campanha comum - Proteja Brasil; • Comitês Locais pela Proteção à Infância criados nas 12 cidades sede; • Equipagem mínima dos 12 Conselhos Tutelares das 12 cidades sede; • Grupo de Trabalho de Indicadores criado (Childhood, Unicef, SDH e Fundação Itaú Social); • Aplicativo Projeto Brasil (Unicef; Starsoft e SDH) Conquistas da Agenda de Convergência para a Copa do Mundo
  • 17. Conquistas do Projeto Copa 2012 - 2014 Articular Diferentes Atores Gerar e Disseminar Conhecimentos Comunicar a Causa Agenda de Convergência do Ministério de Direitos Humanos Protagonismo Juvenil Engajamento do Setor Privado Mapeamento - 2012 Seminário Nacional e Pesquisa - 2013 Área no Site Institucional - 2014 Apoio a projetos de jovens em 9 cidades sede VII Concurso de Jornalismo Investigativo Tim Lopes Treinamento voluntário da Copa do Ministério dos Esportes Campanha Institucional
  • 18. Relatos da Mídia Reportagens VII Prêmio Tim Lopes • Parceria Childhood Brasil, Unicef e ANDI • Seis propostas de reportagem vencedoras sobre Direitos da Infância e Adolescência no âmbito da Copa do Mundo 2014. http://www.andi.o rg.br/pagina- minisite-tim- lopes/setima- edicao
  • 19. Relatos da Mídia Reportagens VII Prêmio Tim Lopes INFÂNCIA ESQUECIDA NOS PORTOS DA COPA “7 das 12 cidades sede da Copa do Mundo têm portos que vão receber navios estrangeiros e nacionais durante o evento. Terminais marítimos e fluviais de todo o país são pontos para a exploração sexual de adolescentes; trabalho infantil e uso de drogas.” Fonte: Cais do Abandono / Correio Braziliense OS DESABRIGADOS DA COPA “As pessoas estão sendo deslocadas sem nenhum processo de transição. Isso tem um grande impacto na infância porque aumenta a desestruturação das famílias e é possível notar crescimento de notificações de violência, maus-tratos e abuso no entorno desses grandes projetos”. Fonte: Cais do Abandono / Correio Braziliense EDUCAÇÃO PARA ESCANTEIO “Crianças e adolescentes residentes em vilas e favelas tiveram que mudar de escola ou creche em função das desapropriações ou remoções para as obras dos megaeventos.” Fonte: Copa sem Escola / HojeEmDia
  • 20. Lançamento da campanha 13/05. Clique aqui para ver o vídeo da campanha. Estrelas da campanha Neymar Jr e Daniel Alves (feita pela Lew´LaraTBWA) Artes disponíveis para produção: Cartaz A3, Faixa, Anúncio, Folder, Folheto, Banner de internet, email mktg, Imagem de Capa para Facebook, filme Instagram e para redes fechadas de TV. Adaptações para diferentes mídias são possíveis. Estratégia de lançamento Viral: Neymar Jr., Daniel Alves, Ivete Sangalo, Tiago Abravanel, Raí, Alexandre Pires, Xuxa, Junno, Princesa Madeleine, Patrícia Abravanel e escritórios globais. Parceiros oficiais da campanha Atlantica Hotels (mais de 400 mil turistas), EY (antes Ernst & Young): todos os funcionários, GRU Airport (300 mil pessoas/dia), Grupo CCR (4 MM de pessoas/dia e 3000km de estradas), Secretaria de Direitos Humanos (orgãos do governo), TAM Linhas Aéreas (20 mil voos, 3MM de pessoas). Em negociação com outros parceiros nacionais e internacionais. Cobertura pela imprensa Alguns meios: Jornal Hoje, Bom Dia Brasil, Globoesporte.com, Rádio Globo, UOL, R7, Lance!net, Jornal da Cultura, Jornal Sport (Espanha), Thomson Reuters Foundation (em inglês). Veículos A campanha será veiculada na Rede Globo durante a Copa.
  • 21. Em Resumo 1. A exploração sexual de crianças e adolescentes é um problema presente historicamente no Brasil; 2. Grandes Eventos Esportivos aumentam riscos de violações de direitos humanos de crianças e adolescentes; 3. Não é possível afirmar em que medida esse risco se reverteu em dano, ou seja se houve a correlação entre grandes eventos esportivos passados e o aumento da exploração sexual; 4. No Brasil, em 2012, foi criada a Agenda de Convergência com foco na Copa do Mundo para construir soluções conjuntas que possam prevenir e enfrentar violações de direitos humanos contra crianças e adolescentes; 5. Os Comitês Locais de Proteção a Infância nas 12 cidades-sede vem se articulando desde então para fortalecer a Rede de Proteção Local; bem como gerar dados/evidencias.
  • 22. Obrigada! Tatiana Akabane van Eyll akabanetatiana@gmail.com