Dificuldade e Distúrbio de Aprendizagem

22,716 views
23,612 views

Published on

Published in: Education
0 Comments
7 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total views
22,716
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
3,965
Actions
Shares
0
Downloads
538
Comments
0
Likes
7
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Dificuldade e Distúrbio de Aprendizagem

  1. 1. DIFICULDADE E DISTÚRBIO DE APRENDIZAGEMFonoaudióloga e Psicopedagoga Renata F. Mamede CRFa 1763 - Go
  2. 2. CONCEITO DE APRENDIZAGEM “Melhor adaptação do indivíduo a seu meio por mudanças mais ou menos permanentes no SNC com modificações funcionais em resposta a uma ação ambiental”. Rotta &Guardiola, 1996
  3. 3. Para que haja Contínua aprendizagem Global significativa é Dinâmica preciso que haja Pessoal mudança. Gradativa APRENDIZAGEM: Cumulativa
  4. 4. CONDIÇÕES PARA APRENDIZAGEM:1. Motivação: Intrínsica – geradora de satisfação Extrínseca – resposta ao exterior
  5. 5. CONDIÇÕES PARA APRENDIZAGEM:2. Retenção ou Apreensão:Construção de um conjunto relacional de uma rede (cumulativa)
  6. 6. CONDIÇÕES PARA APRENDIZAGEM:3. Transferência:Depende:- currículo- Disponibilidade do aluno- Competência docente
  7. 7. ETAPAS DO DESENVOLVIMENTO DA LINGUAGEM:
  8. 8. 1. Aquisição do significado: a criança adquire a noção e a função dos objetos que a rodeiam atribuindo-lhes um significado social.* Observação e da experimentação
  9. 9. 2. Compreensão da linguagem falada: os objetos aquiriridos são associados aos seus nomes. * Objeto ↔ imagem mental
  10. 10. 3. Expressão da palavra falada: sons ainda não se assemelham ao adulto. * A partir daqui o comportamento vocal (fala) da criança começa a se assemelhar à fala do adulto pela comparação. *A fala se desenvolve por imitação.
  11. 11. 4. Compreensão da palavra impressa: LEITURA
  12. 12. 5. Expressão da palavra impressa: ESCRITA
  13. 13. PRINCIPAIS TIPOS DE ERROS(ZORZI, 1998)1. Erros por representações múltiplas - serviço/cevico2. Apoio na oralidade – cadeira/cadera3. Omissão – compraram/copraram4. Confusão am/ão – tanque/tãoqui
  14. 14. 5. Trocas surdas/sonoras – machucado/majucado6. Acréscimo de letras – caçador/cacaçador7. Confusão entre letras parecidas – cimento/cineto8. Inversão de letras – enxugar/nijucar
  15. 15. 9. Outras alterações:• Falhas por processamento fonológico• Correspondência fonema / grafemaEx: zelador/velador
  16. 16. AQUISIÇÃO DA LEITURA:• Envolve dois processos básicos:DECODIFICAÇÃO ↔ COMPREENSÃO• Aprender a ler não significa somente associar letra e som/palavra e significado;
  17. 17. Uma pesquisa científica identificou seis dimensões importantes para o sucesso da leitura( National Research Council, Reading Panel, 2000):• Motivação• Vocabulário• Compreensão• Fluência• Consciência Fonológica• Princípio Alfabético
  18. 18. • Aprender a ler implica: perceber, reconhecer, elaborar e interpretar símbolos através deassociações sucessivas e simultâneas: visoauditivas visomotoras visoespaciais audiovisuais
  19. 19. Hemisférios cerebrais:• Direito: • Esquerdo:- Reconhecimento da - Processa dados palavra como um todo; simbólicos;- Recolhe dados - Compara com os pré – sensoriais e forma existentes; imagens; - Analítico e regido pela- Anárquico e funciona lógica. pela intuição.
  20. 20. ROTAS PARA LEITURA:Fonológica, indireta: Lexical / visual /direta:• Baseia-se na segmentação • Mais rápida - fonológica das palavras reconhecimento global da escritas, por meio da palavra e sua consciência fonológica. pronunciação imediata Análise entre som e letra/ sem necessidade de grafema; análise.• Permite o reconhecimento das letras das palavras e • Permite o reconhecimento sua transformação em de palavras familiares. sons.
  21. 21. ROTAS DE LEITURA:fonológica ← Palavra Escrita → lexicaldecodificação(fonema)reconhec. auditivo reconhec. visual (léxico) significado pronúncia ou fala
  22. 22. • PNEUMOULTRAMICROSCOPICOSSILICOVULCANIÓTICO• MNEUMOULTRASILICERCOMASTERVULCARICÓISE
  23. 23. • De aocdo com uma pesqsiusa de uma uinrvesriddae ignlsea, não ipomtra em qaul odrem as lteras de uma plravaa etãso, a úncia csioa iprotmatne é que a piremria e útmlia lteras etejasm no lgaur crteo.O rseto pdoe ser uma bçguana ttoal,que vcôe anida pdoe ler sem pobrlmea.
  24. 24. • Itso é poqrue nós não lmeos cdaa Ltera isladoa, mas a plravaa cmoo um tdoo.
  25. 25. Distúrbio/Transtorno XDificuldade de Aprendizagem
  26. 26. Com que se aprende Oambiente Quemno qual se aprende aprende Como se aprende
  27. 27. Fatores a considerar no diagnósticoOrgânicos Emocionais Ambientais
  28. 28. Orgânicos• Integridade dos órgãossensoriais;• Aspectos neurológicos: equilíbrio - pré - natal - perinatal ritmo - pós - natal flexibilidade
  29. 29. Fatores Orgânicos:• Gravidez:- Desenvolvimento cerebral pode ser interrompido: 1. Primeiro trimestre – morte ou profundos déficits ao nascer( atraso mental); 2. Após o primeiro trimestre – especialização das células neuronais – erros de localização ou conexão( lesão ou disfunção)
  30. 30. Pré – natais: Perinatais: Pós – natais:* Genético * Anoxia* ou hipoxia *traumatismoOtotóxico * Doenças * traumas infecciosas* Álcool *Tabagismo * Aspectos *baixo peso * Intoxicação nutricionais *prematuridade *desnutrição *drogas * infecções
  31. 31. Fatores Emocionais:• Interação e estrutura familiar;• Maturidade;• Hábitos deletérios;• Mudança de comportamento após trauma.
  32. 32. Fatores Ambientais:• Relação aprendente – ensinante afeta diretamente a subjetividade do outro;• Estímulos variados;• Condições das salas de aula;• Flexibilidade no uso de recursos que propiciem aprendizagem;• Ambiente familiar.
  33. 33. FRANÇA apud NUTTI (2002): DISTÚRBIO DIFICULDADE- Sugere a existência de - relacionada a comprometimento problemas de ordem neurológico em funções psicopedagógica corticais específicas e/ou sócio - culturais- perspectiva clínica ou remediativa - Perspectiva preventiva
  34. 34. DIFICULDADES DE APRENDIZAGEM
  35. 35. A DIFICULDADE DE APRENDIZAGEM PODE DESIGNAR:• Não aprender• Aprender lentamente• Não revelar o que aprendeu• Fugir das situações de possíveis aprendizagens
  36. 36. GOIÂNIA, 20098• 42.346 crianças avaliadas:• 74% abaixo do esperado pela série. Profa. Josetti de Parada
  37. 37. ● Visuo-espacial ● Auditivo-linguística (dificuldades na (surdez, que pode ir de percepção da leitura de um grau ligeiro a um "b/d" e p/q“), grau severo), ● Acadêmica (é a mais● Organizacional comum; a criança pode (dificuldades em cumprir apresentar tarefas com sequência), dificuldades na área da matemática e/ou da leitura/escrita),● Motora (problemas na SOUZA(2007): coordenação global ou fina, por exemplo, a ● Socioemocional (dificuldade no nível da escrita), cumprimentos de normas sociais).
  38. 38. PROVÁVEIS ETIOLOGIAS:* Causas internas à * Causas externas à estrutura familiar e estrutura familiar e individual (desejo individual inconsciente de não ( confronto entre o aluno aprender) . e escola) ;
  39. 39. DISTÚRBIOS DE APRENDIZAGEM
  40. 40. PREVALÊNCIA ESTIMADA• 5 a 10% das pessoas em idade escolar• Predomínio no sexo masculino: 5:1
  41. 41. CID – 10: Organização Mundial de Saúde - OMS/1992• ..."grupos de transtornos manifestados por comprometimentos específicos e significativos no aprendizado de habilidades escolares. Estes comprometimentos no aprendizado não são resultados diretos de outros transtornos (tais como retardo mental, déficits neurológicos grosseiros, problemas visuais ou auditivos não corrigidos ou perturbações emocionais) embora eles possam ocorrer simultaneamente em tais condições"... (1993, p. 237)
  42. 42. . DSM – IV: Associação Psiquiátrica Americana/1995• “Os transtornos de aprendizagem são diagnosticados quando os resultados do indivíduo em testes padronizados e individualmente administrados de leitura, matemática ou expressão escrita estão substancialmente abaixo do esperado para sua idade, escolarização ou nível de inteligência...Os transtornos de aprendizagem podem persistir até a idade adulta” (1995, p. 46)
  43. 43. 3 TIPOS DE TRANSTORNOS:• Leitura (oral/silenciosa/compreensão)• Escrita (disgrafia e/ou disortografia)• Habilidades matemáticas (discalculia).
  44. 44. PRÉ REQUISITOS:• Ausência de comprometimento intelectual, neurológico evidente ou sensorial;• Adequadas condições de escolarização;• Início obrigatoriamente na primeira ou início da segunda infância;
  45. 45. DISTÚRBIOS DE ESCRITA• Escrever significa relacionar o signo verbal a um signo gráfico;• Relação: audição (palavra falada), o significado (vivência da criança) e a palavra escrita.
  46. 46. DISGRAFIA• Perturbação da escrita quanto ao traçado das letras e à disposição dos conjuntos gráficos no espaço utilizado, tornando a grafia praticamente indecifrável.• Dificuldades motoras e espaciais.
  47. 47. “Será considerada disgráfica todacriança cuja escrita seja defeituosa,quando ela não tiver um importante déficit neurológico ou intelectual que a justifique. Crianças intelectualmente normais que escrevem devagar e de forma ilegível o que atrasa seu progresso escolar” Ajuriaguerra, 1977.
  48. 48. Disgrafia• É a soma da praxia e da linguagem e só pode ser realizada a partir de certo grau de organização espacial global;• O ato de escrever une literalmente o corpo à palavra: Insistir em corrigir a letra esquecendo – se da problemática corporal que ela expressa não faz mais que fixar o sintoma.
  49. 49.  DISGRAFIA MOTORA  DISGRAFIA PERCEPTIVA: (DISCALIGRAFIA): Não consegue fazer A criança consegue falar relação entre o sistema e ler, mas tem dificuldades simbólico e as grafias que na coordenação motora representam os sons, as fina para escrever as palavras e frases. letras, palavras e números. Características da dislexia TIPOS DE DISGRAFIA: .
  50. 50. Modelos de disgráficos:• Escrita rápida – esquecem • Micrografia – dificuldade na de se ater a forma ou compreensão do escrito( proporção das letras emocional??) →organização espacial defeituosa;• Escrita lenta – se perde na lentidão e produz pseudopalavras → memória visual defeituosa;
  51. 51. PRINCIPAIS TIPOS DE ERROS:● Movimentos contrários aos ● Apresentação desordenada da escrita convencional do texto ● Margens malfeitas ou● Separação inadequada das inexistentes letras ● Espaço irregular entre palavras, linhas e● Traçados de má qualidade, entrelinhas tamanho pequeno ou grande, ● Distorção da forma da letra pressão leve ou forte e a substituição de curvas por ângulos
  52. 52. PROVÁVEIS ETIOLOGIAS:• Distúrbios de motricidade ampla e especialmente fina,• Distúrbios de coordenação visomotora,• Deficiência da organização temporoespacial,• Problemas de lateralidade.
  53. 53. DISORTOGRAFIA• Conjunto de erros da escrita que afetam a palavra, mas não o seu traçado ou grafia;• Nem sempre se repetem na leitura.
  54. 54. PRINCIPAIS ERROS:● Confusão de sílabas com • Confusão de letras (trocas tonicidade semelhante: auditivas), consoantes cantarão/cantaram. surdas por sonoras: f/v, p/b, ch/j. • Uso de palavras com um• Vogais nasais por orais: mesmo som para várias na/a, en/e, in/i, on/o, letras: casa/caza, un/u. azar/asar... • Confusão de letras (trocas visuais): b/d, p/q ; semelhantes: a/o.
  55. 55. PROVÁVEIS ETIOLOGIAS:• 90% das disortografias têm como causa um atraso de linguagem ou atraso global de desenvolvimento.
  56. 56. DISCALCULIA• DIS – dificuldade• CALCULIA – cálculos matemáticos
  57. 57. • Discalculia é definido como uma desordem neurológica específica que afeta a habilidade de uma pessoa de compreender e manipular números... inabilidade de executar operações matemáticas e/ou conceitualizar números como um conceito abstrato de quantidades comparativas.
  58. 58. A discalculia é um impedimento da matemática queapresenta também outras limitações, tais como aintrospecção espacial, o tempo, a memória pobre, e osproblemas do ortografia. Há indicações de que é umimpedimento congenito ou hereditário, com umcontexto neurologico; podendo atingir crianças eadultos.
  59. 59. Organização espacial; • Auto-estima;Linguagem/leitura; • Orientação temporal;Impulsividade; • Memória;Inconsistência • Habilidades sociais;(memorização). ÁREAS COMPROMETIDAS: • Habilidades grafomotoras.
  60. 60. SINTOMAS MAIS COMUNS:• Dificuldades freqüentes com os números, confundindo os sinais ( +, -, ÷ , x). Problemas de diferenciar entre esquerdo e direito.• Falta de senso de direção (para o norte, sul, leste, e oeste) e pode também ter dificuldade com um compasso.• A inabilidade de dizer qual de dois números é o maior.
  61. 61. • Melhor nos assuntos tais como a ciência e a geometria, que requerem a lógica mais que as fórmulas,• Dificuldade com tempo conceitual e julgar a passagem do tempo,• Dificuldade com tarefas diárias como verificar a mudança e ler relógios analógicos,• Dificuldade em estimar medidas de um objeto ou de uma distância.
  62. 62. DISLEXIA• DIS – distúrbio. LEXIA - (do latim) leitura; (do grego) linguagem. DISLEXIA - dificuldades na leitura e escrita.
  63. 63. International Dyslexia Association - IDA• "Dislexia é um dos muitos distúrbios de aprendizagem. É um distúrbio específico da linguagem caracterizado pela dificuldade de decodificar palavras simples. Mostra uma insuficiência no processo fonológico. Estas dificuldades de decodificar palavras simples não são esperadas em relação a idade. Apesar de submetida a instrução convencional, adequada inteligência, oportunidade sócio-cultural e não possuir distúrbios cognitivos e sensoriais fundamentais, a criança falha no processo de aquisição da linguagem. A dislexia é apresentada em várias formas de dificuldade com as diferentes formas de linguagem, freqüentemente incluídas problemas de leitura, em aquisição e capacidade de escrever e soletrar."
  64. 64.  Os sintomas podem ser  A dislexia não é uma doença aliviados com acompanhamento adequado, direcionado às  Não se pode falar em cura condições de cada caso. Congênita e hereditária
  65. 65. Fixe seus olhos no texto e deixe que sua mente leia• 35T3 P3QU3N0 T3XTO 53RV3 P4P4 M05TR4R COMO N0554 C4B3Ç4 CONS3GU3 F4Z3R COI545 IMPR3551ON4NT35! R3P4R3 N155O!NO COM3Ç0 35T4V4 M310 COMPLIC4DO, M45 N3ST4 L1NH4 SU4 M3NT3 V41 D3C1FR4ND0 O CÓD1GO 4UTOMAT1C4M3NT3, S3M PR3C1S4R P3NS4R MU1T0, C3RT0?
  66. 66. POD3 FIC4R B3M ORGULHO5O D155O!SU4 C4P4C1D4D3 M3R3C3 P4R4B∑N5!!!!!!!
  67. 67. DIAGNÓSTICO:* História familiar;* História pregressa com atraso de fala.
  68. 68. IMPORTANTE: Não é necessário que estejam presentes todos os indicadoresem simultâneo, para que seja diagnosticado um caso de dislexia.Estes indicadores devem apenas alertar para a possibilidade deum possível caso de dislexia, já que é preciso compreender arazão destes comportamentos.
  69. 69. SINAIS DE ALERTA• Na Primeira Infância:- Atraso na aquisição da linguagem e fala pode ser um primeiro sinal de alerta- “Linguagem bebê” além do tempo normal.- Omissão e a inversão de sons em palavras (fósforos/fosfos, pipocas/popicas...).
  70. 70. SINAIS DE ALERTA:• Educação Infantil e Alfabetização:- Linguagem “bebê” persistente- Frases curtas, palavras mal pronunciadas, com omissões e substituições de sílabas e fonemas- Dificuldade em aprender nomes: de cores (verde, vermelho), de pessoas, de objetos, de lugares...- Dificuldade em memorizar canções e parlendas
  71. 71. SINAIS DE ALERTA:- Dificuldade em perceber que frases são formadas por palavras e que as palavras em sílabas- Não sabe as letras do seu nome próprio.- Dificuldade em aprender e recordar os nomes e os sons das letras
  72. 72. SINAIS DE ALERTA:• No Primeiro Ano de Escolaridade:- Dificuldade em associar as letras aos seus sons, em associar a letra “ éfe ” com o som f.- Erros de leitura por desconhecimento das regras de correspondência grafo-fonémica: vaca/ faca; janela/chanela; calo/galo...- Dificuldade em ler monossílabos e em soletrar palavras simples: ao, os, pai, bola, rato...- Maior dificuldade na leitura de palavras isoladas e de pseudopalavras “modigo”.
  73. 73. SINAIS DE ALERTA:- Recusa ou insistência em adiar as tarefas de leitura e escrita.- Necessidade de acompanhamento individual do professor para prosseguir e concluir os trabalhos.- Relutância, lentidão e necessidade de apoio dos pais na realização dos trabalhos de casa.- Queixas dos pais e dos professores em relação às dificuldades de leitura e escrita.- história familiar de dificuldades de leitura e ortografia noutros membros da família
  74. 74. SINAIS DE ALERTA: A partir do segundo ano:1. Problemas de Leitura:- Progresso muito lento na aquisição da leitura e ortografia.- Dificuldade de ler palavras desconhecidas, irregulares e com fonemas e sílabas semelhantes.- Insucesso na leitura de palavras multissilábicas. Quando está quase a concluir a leitura da palavra, omite fonemas e sílabas ficando um “buraco” no meio da palavra: biblioteca / bioteca...- Substituição de palavras de pronúncia difícil por outras com o mesmo significado: carro/automóvel...
  75. 75. SINAIS DE ALERTA:- Tendência para adivinhar as palavras- Melhor capacidade para ler palavras em contexto do que para ler palavras isoladas.- Dificuldade em ler pequenas palavras funcionais como “aí, ia, ao, ou, em, de... ”.- Dificuldades na leitura e interpretação de problemas matemáticos.- Tensão durante a leitura oral- Dificuldade em terminar as atividades no tempo previsto- Dificuldade na orientação espacial e temporal
  76. 76. SINAIS DE ALERTA:- Caligrafia imperfeita- Os trabalhos de casa parecem não ter fim ou com os pais recrutados como leitores.- Falta de prazer na leitura, evitando ler livros ou sequer pequenas frases.- A correção leitora melhora com o tempo, mantém a falta de fluência e a leitura trabalhosa.- Baixa autoestima, com sofrimento, que nem sempre é evidentes para os outros.
  77. 77. SINAIS DE ALERTA:2. Problemas de Linguagem:- Discurso pouco fluente com pausas, hesitações, um’s...- Pronúncia incorreta de palavras longas, não familiares e complexas.- Uso de palavras imprecisas em substituição do nome exato: a coisa, aquilo, aquela cena...- Dificuldade em encontrar a palavra exata, humidade / humanidade...
  78. 78. SINAIS DE ALERTA:- Dificuldade em recordar informações verbais, problemas de memória a curto termo: datas, nomes, telefone…- Dificuldades de discriminação, segmentação e sequencia silábica e fonémica.- Omissão, adição e substituição de fonemas e sílabas.- Necessidade de tempo extra, dificuldade em dar respostas orais rápidas
  79. 79. SINAIS DE ALERTA:• Jovens e Adultos:- Não reconhecer palavras que leu ou ouviu quando as lê ou ouve no dia seguinte.- Preferência por livros com poucas palavras por página e com muitos espaços em branco.- Longas horas na realização dos trabalhos escolares.- Penalização nos testes de escolha múltipla.- Preferência por utilizar palavras menos complexas, mais fáceis de escrever.
  80. 80. SINAIS DE ALERTA:• Competências:- Boa capacidade de raciocínio lógico, abstração e imaginação.- Maior facilidade de aprendizagem dos conteúdos compreendidos de que memorizados sem integração numa estrutura lógica.- Melhor compreensão do vocabulário apresentado oralmente, do que do vocabulário escrito.
  81. 81. SINAIS DE ALERTA:● Competências:- Capacidade para ler e compreender melhor as palavras das suas áreas de interesse, que já leu, praticou, muitas vezes.- Melhores resultados nas áreas que têm menor dependência da leitura: matemática, informática, artes visuais...- Boa compreensão dos conteúdos quando lhe são lidos
  82. 82. Tipos de Dislexia
  83. 83. 1. Dislexia disfonética:• Falha no processamento auditivo- tanto do que se escuta do outro quanto de si mesmo;• Falha na estruturação da linguagem escrita.
  84. 84. Principais sintomas:• Dificuldade no ditado; • Omissões – pode• Substituições de aparecer na leitura e fonemas semelhantes escrita; auditivamente. Ex: • Adição de letras ou/p / e /b /; / t / e / d /. sílabas na leitura;•Inversões. Ex: saca/casa; • Má pronúncia em• Déficit de memória palavras familiares; auditiva - depende do • Dificuldade de tamanho da palavra e soletração; rimas e familiaridade. recitar o alfabeto.
  85. 85. Dislexia diseidética:• Dificuldade na percepção visuoespacial.
  86. 86. Principais sintomas:• Dificuldade na orientação espacial; • Inversões;• Falhas no esquema • Omissões; corporal; • Junções indevidas;• Alterações na lateralidade; • Não reconhece o erro;• Rotação. Ex: b/d; q/p; • Falha na cópia;• Falha na discriminação • Consegue soletrar mas tem figura fundo; dificuldade para ler.
  87. 87. Dislexia Mista:• Encontramos alterações tanto no nível auditivo quanto visual.
  88. 88. PREVALÊNCIAS:• Nos EUA, e segundo o DSM-IV, é de 5% a 10% estimativa da prevalência da perturbação da leitura nas crianças com idade escolar.• Isto significa que um pouco menos de um estudante inteligente em cada dez apresenta uma dislexia-disortografia mais ou menos importante.• Dislexia ↔ discalculia: aproximadamente em 4 de cada 5 casos de perturbação da aprendizagem.
  89. 89. • Outros estudos: 40% dos irmãos de crianças disléxicas apresentam de uma forma mais ou menos grave a mesma perturbação.• Uma criança cujo pai seja disléxico apresenta um risco 8 vezes superior à da população média.• Nos vários estudos realizados até então constata-se uma patente desproporção entre meninos e meninas( antigamente 7 :1; atualmente relativa igualdade)
  90. 90. “Escolas que são asas não amam pássarosengaiolados. O que elas amam são pássaros em vôo. Existem para dar aos pássaros coragem para voar. Ensinar o vôo, isso elas não podem fazer, porque o vôo já nasce dentro dospássaros. O vôo não pode ser ensinado. Só pode ser encorajado”. RUBEM ALVES

×