Your SlideShare is downloading. ×
0
Altas Habilidades
Altas Habilidades
Altas Habilidades
Altas Habilidades
Altas Habilidades
Altas Habilidades
Altas Habilidades
Altas Habilidades
Altas Habilidades
Altas Habilidades
Altas Habilidades
Altas Habilidades
Altas Habilidades
Altas Habilidades
Altas Habilidades
Altas Habilidades
Altas Habilidades
Altas Habilidades
Altas Habilidades
Altas Habilidades
Altas Habilidades
Altas Habilidades
Altas Habilidades
Altas Habilidades
Altas Habilidades
Altas Habilidades
Altas Habilidades
Altas Habilidades
Altas Habilidades
Altas Habilidades
Altas Habilidades
Altas Habilidades
Altas Habilidades
Altas Habilidades
Altas Habilidades
Altas Habilidades
Altas Habilidades
Altas Habilidades
Altas Habilidades
Altas Habilidades
Altas Habilidades
Altas Habilidades
Altas Habilidades
Altas Habilidades
Altas Habilidades
Altas Habilidades
Altas Habilidades
Altas Habilidades
Altas Habilidades
Altas Habilidades
Altas Habilidades
Altas Habilidades
Altas Habilidades
Altas Habilidades
Altas Habilidades
Altas Habilidades
Altas Habilidades
Altas Habilidades
Altas Habilidades
Altas Habilidades
Altas Habilidades
Altas Habilidades
Altas Habilidades
Altas Habilidades
Altas Habilidades
Altas Habilidades
Altas Habilidades
Altas Habilidades
Altas Habilidades
Altas Habilidades
Altas Habilidades
Altas Habilidades
Altas Habilidades
Altas Habilidades
Altas Habilidades
Altas Habilidades
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

×
Saving this for later? Get the SlideShare app to save on your phone or tablet. Read anywhere, anytime – even offline.
Text the download link to your phone
Standard text messaging rates apply

Altas Habilidades

7,371

Published on

Published in: Education
0 Comments
5 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total Views
7,371
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
4
Actions
Shares
0
Downloads
235
Comments
0
Likes
5
Embeds 0
No embeds

Report content
Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
No notes for slide

Transcript

  • 1. ALTAS HABILIDADES / SUPERDOTAÇÃO NO AEE
  • 2. EMENTA: Características Cognitivas, afetivas e Sociais do aluno com Altas Habilidades/Superdotação. Conceito deInteligência. Teorias de: Stenberg – Gardnere Renzulli. Tipos de Superdotação: Renzulli e MEC. Família. Perfil do Professor.
  • 3. AMPARO LEGAL O atendimento ao aluno com altas habilidades está fundamentado e amparado legalmente: • Lei de Diretrizes e Bases da Educação - LDB (Lei 9394/96) – Arts Nº 58 a 60 – 20/12/96• Parâmetros Curriculares Nacionais: AdaptaçõesCurriculares – Estratégias para a Educação de Alunos comNecessidades Educacionais Especiais - 1998•Plano Nacional de Educação – (Lei 10172/01) – 09/01/01 • Parecer Nº 17/01 do Conselho Nacional de Educação/Câmara de Educação Básica – 03/07/01 • Resolução Nº 2 do Conselho Nacional de Educação/Câmara de Educação Básica – 11/09/01 – Institui as Diretrizes Nacionais para a Educação Especial na Educação Básica do Ministério da Educação – 2002
  • 4. OBJETIVO Promover a identificação, oatendimento e o desenvolvimento dos alunos com altas habilidades /superdotação das escolas públicas de educação básica , possibilitando sua inserção efetiva no ensino regular edisseminando conhecimentos sobre otema nos sistemas educacionais, nas comunidades escolares, nas famílias em todos o Estados .
  • 5. Para que a ESCOLA possa propor aestratégia educacional mais adequada a seu ALUNO, é necessário que o PROFESSOR tenha um conceito apropriado sobre superdotação, criatividade e talento e esteja ciente dos processos de identificação deste ALUNO, de como atender às suas necessidades e estimular seu potencial.
  • 6. TALENTO Corresponde a potencial superior em uma das áreas ouconjunto de inteligências de Gardner.
  • 7. Talento acadêmicoTalento musicalTalento nas artes plásticasTalento nas artes cênicasTalento em diferentes esportesTalento para liderança
  • 8. Precoce:indivíduo que apresenta alguma habilidadeespecífica prematuramente desenvolvida em qualquerárea do conhecimento. Ex: uma criança que lê antes dos4 anos; um aluno que ingressa na universidade aos 13. Prodígio : se refere àquelas crianças que, em uma idade precoce (até 10 anos) demonstram um desempenho ao nível de um profissional adulto em algum campo cognitivo específico. Ex.: Mozart (música); Josh Waitzkin (xadrez).
  • 9. Gênio : implica na transformação de um campo de conhecimento com consequências fundamentais e irreversíveis. O gênio seria aquele que, além de deixar sua marca pessoal no seu campo de atuação, leva as pessoas a pensarem de forma criativa e diferente.Ex.: Einstein, Freud.
  • 10. A escola precisará vencer preconceitos, superar osmitos, entender as peculiaridades da superdotação e dotalento e capacitar, adequadamente, os profissionais. Profª. Maristela
  • 11. TEORIAS DA INTELIGÊNCIA
  • 12. INTELIGÊNCIAÉ mais fácil ser medida do que ser definida. Scheilla Abbud Vieira “Não existe um conceito de INTELIGENCIA universal”
  • 13. Conceituando InteligênciaTEORIAS: 1- Psicométricas 2- Desenvolvimentistas 3- Socioculturais 4- Cognitivista
  • 14. Psicométricas: Inteligência única, inata e, logicamente mensurável. Autores: Galton, Simon e Binet *Inteligência inclui múltiplos fatores que também podem ser avaliados com instrumentos de mensuração. Autores: Spearman, Guilford e Trurstone (DELOU, 2001; Pérez, 2003)
  • 15. Desenvolvimentista: Processo de adaptação na busca doequilíbrio e se desenvolve em estágios. Autor: PIAGEAT (WECHSLER, 1998; DELOU,2001)
  • 16. Socioculturais Contribuições sobre a formação e desenvolvimento dos processos psíquicos superiores e o conceito de Zona de Desenvolvimento Real e Proximal. Autor: VIGOTSKY
  • 17. Cognitivistas Abrange diversas inteligências, ou diversos componentes. Assim como a teoria desenvolvimentista, a cognitivista, tem o foco na compreensão das capacidades humanas, considerando os mecanismos mentais básicos e subjacentes do comportamento inteligente. (VIEIRA, 2002)
  • 18. Autores InterpretaçõesInteligências Culturas Período histórico
  • 19. UNIDIMENSIONAL Avaliações Psicométricas ( QI ) Aptidões cognitivas Características internas e abstratas da mente Hereditária
  • 20. MULTIDIMENSIONAL Conceito mais abrangente e flexível da inteligênciasomada as características do meio social.
  • 21. GARDNER A inteligência é um potencial biológico e psicológico que se realiza, de acordo com os estímulos, oportunidades e motivações que o meio ambiente proporciona. Conceito: habilidade para resolver problemas ou criar produtos que sejam significativos em um ou mais ambientes culturais (Gama, 2006)
  • 22.  Capacidade que permite aos indivíduos um desenvolvimento (maior ou menor) em qualquer área da atuação humana. Desempenho precoce em uma área, esta na média em outra ou mesmo abaixo da média em outra área. Muitas capacidades desenvolvem porque são valorizadas pela cultura.
  • 23. LÓGICO/MATEMÁTICA – habilidade de usar númerosefetivamente;VERBAL/LINGÛÍSTICA – habilidade no uso da palavra oral eescrita;CORPORAL/CINESTÉSICA – habilidade no uso do corpo todopara expressaridéias e sentimentos;MUSICAL/SONORA – habilidade para ritmo, melodia ou tons damúsica;EMOCIONAL/INTERPESSOAL – habilidade de perceber ecompreender o interiordas outras pessoas;EMOCIONAL/INTRAPESSOAL – habilidade de perceber ecompreender o interiorde si mesmo;VISUAL/ESPACIAL – habilidade para perceber e usar o mundovisual eemocionalmente;
  • 24. NATURALISTA/ECOLÓGICA – habilidade de reconhecer e usarprodutivamente afauna e a flora; eESPIRITUALISTA/EXISTÊNCIA – habilidade para entenderfenômenosrelacionados a uma força superior, religiões e mistérios daexistência humana.Atualmente, estão sendo pesquisadas mais trêsoutras inteligências pelo mesmo autor:POLÍTICA – habilidade para lidar com assuntos de cidadania,direitos humanos,legislação, políticas públicas, etc.;ÉTICA/MORAL – habilidade de entender condutas humanas soba ótica da ética emoral; ePICTOGRÁFICA – habilidade de expressar sentimentos e idéiasatravés de ilustrações.
  • 25. Inteligências Inteligências Intrapessoal Linguística Linguística Intrapessoal Musical MusicalNaturalistaNaturalistaInterpessoal Espacial EspacialInterpessoal Cinestésica Logicomatemática Logicomatemática Cinestésica
  • 26. ROBERT STERNBERG“Inteligência deve ser vista como autogoverno mental”.Inteligência – meios que o indivíduo organiza seus pensamentos e ações de forma coerente e apropriada para lidar com as necessidades internas e as demandas do meio.
  • 27. TEORIA TRIÁRQUICATrês subteorias:1º - Relacionada ao mundo interior * Aquisição de conhecimento * Desempenho * Metas
  • 28. 2º - Duas facetas 1ª - habilidade para lidar com novidade 2ª - habilidade para automatizar o processo de informações. 1+ 2 = mais eficiente
  • 29. 3º ContextoPapel do meio ambiente e controle do indivíduo sobre a sua relação com o meio
  • 30. A Inteligência tem que operar no mundo real: Relevância Propósito Adaptação Transformação (maximizar o lado positivo) Seleção de ambiente(quando não da para adaptar ou transformar)
  • 31. Tipos de inteligências:ANALÍTICA – maior facilidade e controle de seus processos mentais e com os componentes de aquisição de conhecimento. Sucesso na vida acadêmicoCRIATIVA – habilidade para lidar com novidades e automatizar o processamento de informações.PRÁTICA – funcionamento mental, mediados pela experiência. Inclui as duas primeiras, facilidade em si adaptar e executar tarefas com precisão. Sucesso no mundo real
  • 32. STERNBERG – cria uma concepção plural de Superdotação – Modelo Pentagonal: * Excelência * Raridade * Produtividade * Demonstratividade * Valor
  • 33.  Na teoria de Gardner, as inteligências correspondem a diferentes conteúdos ( lógica, linguagem, música, etc.) Na teoria de Sternberg, o comportamento se dá através de processos (analítico, criativo e prático)
  • 34. Renzulli & Reis ( 1997) Entender a superdotação como umacondição ou um comportamento que podeser desenvolvido em algumas pessoas,em certas ocasiões e sob certascircunstâncias.
  • 35. JOSEPH RENZULLIHABILIDADEACIMA DA CRIATIVIDADEMÉDIA AH/SD ENVOLVIMENTO COM A TAREFARenzulli, J. S. (1997). The Schoolwide Enrichment Model . CLP.
  • 36. E O TAMANHO DOS ANÉIS PODE MUDAR?Maristela Barcelos Costa – Curso de Atendimento Educacional Especializado para Alunos com Altas Habilidades/Superdotação - NAAH/S de Goiás – maio de 2011.
  • 37. CAPACIDADE CAPACIDADE ACIMA DA ENVOLVIMENTO ACIMA DA MÉDIA COM A TAREFA MÉDIA ENVOLVIMENTO SD COM A TAREFA SD CRIATIVIDADE CAPACIDADE CRIATIVIDADE ACIMA DA MÉDIA SD ENVOLVIMENTO CRIATIVIDADE COM A TAREFA
  • 38. Renzulli (2004 )Divide superdotação em: Acadêmica:– Flexibilidade;– Produção intelectual;– Julgamento crítico;– Habilidade para resolver problemas;– Capacidade de atenção, concentração e memória;– Interesse e motivação;– Rapidez de aprendizagem.
  • 39. Produtivo-criativo:• Não gosta da rotina;• Gosta de ler muito e em muitas áreas diferentes• Dispersivo quando a tarefa não lhe interessa;• Idéias, produtos, expressões artísticas originais;• Parece ser mais questionador;• Muitas vezes seu desempenho é consideradobaixo e/ou com falta de motivação;• Prefere trabalhar sozinho, mas sempre volta aogrupo;• Habilidades mais restritas a um campoespecífico;• Modos originais de abordar e resolver osproblemas.
  • 40. TIPOS QUE SE DESTACAM (EDUCAÇÃO INCLUSIVA – P OLÍTICA NACIONAL DE EDUCAÇÃO ESPECIAL)Tipo Intelectual – alto nível de abstração e raciocínio, criticidade,habilidade notória para a memorização e resolução de problemas;Tipo Acadêmico – aptidão acadêmica específica, gosto e motivação pordisciplinas, concentração, agilidade no raciocínio, capaz de avaliar, sintetizar eorganizar os conhecimentos adquiridos;Tipo Criativo – apresenta originalidade, imaginação, capacidade deresolução de problemas de forma alternativa e inovadora, além deauto-expressão fluência, flexibilidade;Tipo Social – capacidade de liderança, cooperação e sentimento desensibilização com o outro, alto poder de persuasão,enfim, capacidade inatapara estabelecer relações sociais;Tipo Talento Especial – habilidades específicas nas seguintes áreas:artes plásticas, musicais, literatura e artes cênicas; eTipo Psicomotor – grande habilidade e interesse por atividadespsicomotoras, apresentando exímio desempenho quanto à velocidade, controle ecoordenação motora, resistência física.
  • 41. As crianças que apresentam a superdotação escolar tendem a apresentar as seguintes características (Renzulli & Reis, 1997):Tira notas boas na escola Apresenta grande vocabulárioGosta de fazer perguntas Necessita pouca repetição do conteúdo escolarAprende com rapidez Apresenta longos períodos de concentraçãoTem boa memória É perseveranteApresenta excelente raciocínio É um consumidor deverbal e/ou numérico conhecimentoLê por prazer Tende a agradar aos professoresGosta de livros técnicos/ Tendência a gostar do ambienteprofissionais escolar
  • 42. Dentre suas características afetivo-emocionaisdeste grupo, Renzulli e Reis (1997a) destacamDemonstra perseverança nasatividades motivadoras a ele Osuperdotado do tipo “escolar” tem Demonstra perseverançanecessidade de saber sempre mais e nas atividadesbusca ativamente por novas motivadoras a eleaprendizagens. No entanto, podeestabelecer metas irrealisticamentealtas para si mesmo (às vezesreforçadas pelos pais) e sofrer pormedo de não atingir tais metas.Apresenta grande necessidade Apresenta grandede estimulação mental. intensidade emocional Revela intensoTem paixão em aprender perfeccionismo
  • 43. As crianças que apresentam superdotação do tipo criativo-produtivo tendem a apresentar as seguintes características (Renzulli & Reis,1997); Não necessariamente apresenta Pensa por analogias QI superiorÉ criativo e original Usa o humorDemonstra diversidade de interesse Gosta de fantasiarGosta de brincar com ás idéias Não liga para convençõesÉ inventivo constrói novas É sensível a detalhesestruturasProcura novas formas de fazer ascoisas É produtor de conhecimentoNão gosta de rotina Encontra ordem no caos
  • 44. Renzulli e Reis (l997) destacam neste grupo as seguintes características afetivas e emocionais:• Investem uma quantidade significativa • Apresentam preocupação moral em de energia emocional naquilo que idades precoces; fazem;• Necessitam de professores sensíveis • Precisam do apoio dos adultos para aos seus intensos sentimentos de persistir em suas tarefas ou para frustração, paixão, entusiasmo, raiva canalizar suas energias de forma e desespero; mais eficiente;• Frequentemente questionam regras / • Demonstram sensibilidade / empatia; autoridade;• Demonstram autoconsciência; • Demonstram perceptividade (insight);• Demonstram capacidade de reflexão; • Apresentam senso agudo de justiça.• Apresentam imaginação vívida
  • 45. A falta de sintonia entre as suasnecessidades: emocionais, sociais, cognitivas,educacionais e as condições oferecidas pelasociedade geram um desafio para quem convivediariamente com AH/SD, pois estes fatorescostumam desencadear conflitos intra einterpessoais. Essa assincronia pode ser traduzida pordesenvolvimentos não lineares, característicos dosuperdotado, e que seriam os geradores desentimentos de descompasso do indivíduo emrelação a si mesmo e à sociedade.
  • 46. O desenvolvimento emocional tem origem em processos internos e externos ao indivíduo, facilitados pela alta capacidade e percepção aguçada. Para compreender seu mundo emocional, eles despendem um alto nível de energiapsíquica, muitas vezes incompatível com sua idade cronológica.
  • 47. Do conjunto afetivo, Sabatella (2005) enfatiza três características de AH/SD.Humor senso de humor aguçado, maduro e sofisticado. Gostam de piadas, uso de metáforas, jogos de palavras e rimas;Preocupação apreensão e inquietação em áreas que vão desde ecologia, relações sociais a habilidades intra e interpessoais;Capricho planejamento e organização geralmente não são atributos de alunos com altas/superdotação. A letra quase sempre ilegível e desfigurada é expressão dessa inabilidade.
  • 48. RISCO PSICOSSOCIALa) Fora do estágio: ao lidar com conceitos e metas fora da sua idade;b) Fora de fase: ao sentir alienado, ou sem alguém para interagir;c) Fora de sincronia: ao se sentir diferente ao seu contexto social.
  • 49. Dirigidos a ela própria: Autoconceito negativo, insegurança; Atos de delinquência social Sentimentos gerais de inadequação; Frustração e raiva por não atingirem a perfeição. Winner, 1998
  • 50. Reaações dirigidas ao mundo externo:Comportamento social inadequado;Hostilidade e agressão com relação a figuras de autoridade;Busca constante de atenção em casa e na EscolaAtos de delinquência social. Winner, 1998
  • 51. FamíliaAs AH/SD produzem um impacto nos papéis dos pais e da criança na família ocasionando mudanças nas interações pais – criança.Dificuldades vivenciadas pelos pais: * mitos * falta de apoio da sociedade * falta de informações sobre recursos, programas e serviços disponíveis. *recursos financeiros limitados *expectativas conflitantes *hostilidade encoberta por parte da sociedade *família centrada na criança com AH/SD *negligenciam os outros filhos.
  • 52. PAIS PROVEDORES EDUCADORES MENTORES MODELOS INTELECTUAIS e SOCIAIS DISCIPLINADORES CONSELHEIROS OUVINTES e COMPANHEIROS
  • 53. BLOOM ( Com os pais podem influenciar o desenvolvimento o da inteligência e do potencial de seus filhos) Combinar apoio e altas expectativas; Encorajar a criança nos seus esforços para aprender novas habilidades; Providenciar recursos e oportunidades de aprendizagem além do escolar; Estimular seus filhos a se engajarem na área de interesse o mais cedo possível,escolhendo um instrutor com cuidado;
  • 54. LEWIS (recomenda aos educadores que considerem três papéis) AVENTUREIRO: disposição interior para explorar novos caminhos, padrões e informações para construir novas idéias; ARTISTA: personagem interior que transforma as informações (novas ideias, perspectivas e conceitos) ATLETAS: possuem o entusiasmo a energia criativa e a determinação dos campeões.
  • 55. PROFESSORES... MESTRES... FACILITADORES... MEDIADORES... PONTES...
  • 56. “... Que os professores ideais são os que sefazem de pontes, que convidam os alunos a atravessarem, e depois facilitado a travessia, desmoronam-se com prazer, encorajando-os a criarem as suas próprias pontes.” Leo Buscáglia
  • 57. AUTO-EFICIÊNCIA: Confiança no funcionamento mental; Perceber-se no aprender, compreender e entender fatos; Escolher e tomar decisões; Sentir-se confiável; Autoconfiança e segurança pessoal
  • 58. Auto-respeito Atitude de afirmação do direito de viver; Ser feliz; Sentir-se confortável ao expressar idéias, vontades e necessidades; Sensação pessoal de que o prazer e a satisfação são seus direitos naturais.
  • 59. Auto-estima O respeito e o valor que é dado a si mesmo 1.Sentir-se bem; 2. Sentir-se aceito; 3. Sentir-se confiável
  • 60. Pilares da auto-estima A atitude de viver conscientemente; A atitude da auto-aceitação; A atitude da auto-responsabilidade; A atitude da auto-afirmação A atitude da intencionalidade; A atitude da integridade pessoal.
  • 61. Auto-estima“...disposição para experimentar a si mesmo como alguém competente para lidar com os desafios básicos da vida e ser merecedor da felicidade...” Pierre Weil
  • 62. Auto-estima do professor Apresentar-se de maneira positiva estimulando os alunos a terem boas atitudes; Gostar de gente; Saber se colocar no lugar do outro; Interesse pela aprendizagem; Ser justo, imparcial e amigo; Ter bom astral
  • 63. Atributos do professor Flexibilidade; Otimismo; Entusiasmo; Abertura; Atitude confiante.
  • 64. Papel do professor Aceita idéias divergentes; Exprime entusiasmo pelo ensino; Possibilita escolhas; Encoraja independência; Servem de modelos
  • 65. Um professor assimeu queria para mim !!!
  • 66. Ingredientes de um ato ideal de aprendizagem
  • 67. O professor O aluno HabilidadesConhecimento Romance cognitivas, Interesses da com a e não disciplina disciplina Intelectivas Estilos Técnica de instrucional aprendizagem Conteúdo e Estrutura metodologia da Da disciplina disciplina Apelo à imaginação O currículo

×