Projeto 10 Doc
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×
 

Like this? Share it with your network

Share

Projeto 10 Doc

on

  • 1,185 views

 

Statistics

Views

Total Views
1,185
Views on SlideShare
1,185
Embed Views
0

Actions

Likes
0
Downloads
11
Comments
0

0 Embeds 0

No embeds

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Adobe PDF

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

Projeto 10 Doc Document Transcript

  • 1. Rede Municipal de Cultura INOVA GESTÃO REDE MUNICIPAL DE CULTURA Programe-se num Clique Grupo 2: Cristiane Magalhães – Secretaria de Serviços Elisabete Rodrigues – Serviço Funerário Giovanni Palermo – Secretaria do Governo Luciana Guimarães – Secretaria do Governo Maira Moya – Secretaria do Verde e do Meio Ambiente Paulo Rodrigues – Secretaria de Cultura Rogerio Ceron – Secretaria de Finanças Coach: Jose Antonio Carlos (Pepe) Novembro / 2009
  • 2. TÍTULO DO PROJETO: Rede Municipal de Cultura RESUMO DO PROJETO: Objetivo: Integrar e aperfeiçoar a programação Cultural da Cidade de São Paulo, que é oferecida pelas secretarias de Cultura, Educação e Verde e Meio Ambiente, bem como garantir ao usuário cidadão mecanismos mais fáceis, ágeis e democráticos de acesso a essa produção cultural, através da implantação da Rede Municipal de Cultura. Tal Rede visa otimizar a programação e a utilização dos mais de trezentos equipamentos culturais pertencentes à Prefeitura espalhados por toda a Cidade, bem como garantir ao cidadão o direito de opinar, interagir e avaliar a referida programação, equipamentos e eventos culturais. Produto Principal: Criação de um Portal Único para a divulgação das atividades culturais das secretarias de Cultura, Educação e Verde e Meio Ambiente na cidade de São Paulo. São milhares de ações por ano que estarão dispostas de uma maneira prática e inteligente em um só portal, democratizando a informação, economizando tempo e melhorando a vida dos milhões de pessoas que participam dos eventos culturais na cidade. Inovações: As principais inovações do projeto são: - Criação de Comitês Intersecretariais, fomentando a migração do atual Sistema de Gestão Hierarquizado e Segregado para o de Gestão Articulada e Compartilhada dos Equipamentos Públicos. - Unificação das ações de comunicação das atividades culturais. - Criação de um serviço de busca objetivo, ágil e que trará informações atualizadas sobre os eventos e equipamentos disponíveis. - Criação de canais de interatividade com o Cidadão, através de enquetes de avaliação da programação e dos eventos, abrindo também espaços para depoimentos e sugestões. - Aperfeiçoamento e ampliação do marketing ativo, por meio da criação de pequenos vídeos de divulgação da programação e da Rede Municipal de Cultura, além de 2 de 24
  • 3. serviços de envio da programação de eventos através de e-mails e mensagens de texto para celulares. - Desburocratização administrativa, através do aperfeiçoamento de processos de contratação da programação cultural. ANÁLISE DE CONTEXTO E JUSTIFICATIVA A Prefeitura de São Paulo disponibiliza a população uma rede de cultura composta por 312 equipamentos públicos, espalhados por toda a Cidade e que atendem milhões de cidadãos anualmente. A tabela abaixo mostra uma síntese da composição dos equipamentos públicos ofertados pela Administração Municipal, permitindo reconhecer a quantidade e diversidade desses equipamentos. Categoria Número de Equipamentos Bibliotecas – Sec. de Cultura 55 Bibliotecas CÉUS – Sec. Educação 45 Pontos de Leitura – Sec. de Cultura 10 Salas de Cinema – Sec. de Cultura 6 Salas de Cinema CÉUS – Sec. Educação 45 Teatros – Sec. de Cultura 12 Teatros CÉUS – Sec. Educação 45 Casas Históricas – Sec. de Cultura 15 Casas de Cultura – Sec. de Cultura 14 Outros Equipamentos – Sec. Cultura * 7 Parques Municipais – Sec. Verde e MA 58 TOTAL 312 * Centro Cultural de São Paulo, Centro Cultural da Juventude, Teatro Municipal, Arquivo Histórico, Biblioteca Mário de Andrade, Monteiro Lobato e Galeria Olido. 3 de 24
  • 4. A seguir se apresenta mapa com a disposição dos equipamentos culturais. 4 de 24
  • 5. Todo esse rol de equipamentos permite a realização de milhares de eventos anualmente, sendo que somente em 2008 foram mais de 10.600 atingindo publico estimado de 4,2 milhões (excluindo-se a Virada Cultural, que sozinha trouxe em 2008 um publico estimado de 3 milhões). Em que pese à existência de uma robusta e diversificada rede de cultura, a gestão, programação e realização de eventos culturais nesses equipamentos estão sob responsabilidade de diferentes Secretarias, notadamente Cultura, Educação e Verde e Meio Ambiente. A Secretaria de Educação sendo responsável pelos equipamentos localizados nos CEUs, a Secretaria do Verde e Meio Ambiente pelos espaços dentro dos parques públicos e a Secretaria de Cultura, pelos demais. Dentro desse contexto, a gestão do uso dos equipamentos que compõem a rede é feita de forma dispersa, dificultando a formação de uma política macro de cultura no âmbito Municipal. Por conseqüência, a ausência de integração efetiva das políticas executadas pelas Secretarias Municipais dificulta a otimização da utilização dos recursos públicos, seja pelas ineficiências geradas na definição e contratação dos eventos, da distribuição espacial, temporal ou mesmo nas ações de divulgação da programação. Além dos problemas relacionados à gestão dos equipamentos e recursos públicos envolvidos, a dispersão das ações gera efeitos negativos sobre a percepção dos cidadãos acerca da existência de uma rede de cultura ofertada pelo ente municipal. O cidadão tem percepção clara da existência de uma rede municipal de educação e de uma rede municipal de saúde, mas não acontece o mesmo com a cultura. Mesmo não havendo pesquisas específicas sobre esse efeito, dentro da Administração Pública Municipal nota-se, seja através de críticas diretas recebidas dos cidadãos ou pela mídia, grande discrepância entre a oferta efetiva de eventos culturais e a percepção dos cidadãos e da mídia sobre a quantidade, variedade, qualidade e localização desses eventos. Em relação à quantidade e variedade ficam evidentes as discrepâncias. Em 2008 foram ofertados mais de 10.600 eventos, entre peças teatrais, espetáculos de dança, música, exposições de arte, entre outros tipos de eventos. No entanto, a despeito das reclamações sobre a baixa quantidade de eventos culturais ofertados pelo ente Municipal, a taxa de ociosidade dos eventos não foi desprezível, sendo em alguns casos significativas. 5 de 24
  • 6. Obviamente, a ociosidade de alguns equipamentos pode estar relacionada à percepção, por parte do público, da qualidade do evento. Entretanto, ao menos as críticas quanto à pequena quantidade e variedade de eventos ofertados deveriam ser atenuadas, o que não vem ocorrendo e corrobora a interpretação de que o processo de comunicação Estado-Cidadão precisa ser aperfeiçoado. A ausência de mecanismos eficientes de avaliação e coleta de opinião por parte do público também é sintomático. Como não há um canal simples e direto de comunicação do cidadão com o Estado, o munícipe sente-se à margem do processo e a Administração Pública Municipal sem ter um retorno efetivo sobre a adequação das políticas, quer seja sobre aspectos mais gerais, como quantidade e qualidade dos eventos, como de assuntos mais específicos, como adequação da programação nos aspectos espaciais (localização dos eventos) e temporais (datas e horários dos eventos). Dessa forma, a obtenção de retorno sobre a adequação das políticas é captado via matérias na mídia, do recebimento de críticas ou sugestões dos usuários através de canais não muito diretos, como pela Ouvidoria Municipal ou, finalmente, pela contratação de pesquisas de opinião, geralmente demoradas e de alto custo. Portanto, mesmo reconhecendo a necessidade de ampliação e aperfeiçoamento das políticas públicas voltadas à área, fica evidente que a não percepção das ações atuais por parte dos cidadãos e da mídia, provavelmente está relacionada à comunicação do Estado com o Cidadão, que por alguma razão não está sendo adequada em transmitir ao público às políticas em curso. Para identificar os pontos falhos e as oportunidades de melhorias, torna-se necessário uma análise sobre o processo atual de comunicação. Tal processo, no momento, ocorre de três formas: material de divulgação impresso, comunicação à mídia e divulgação nas páginas oficiais das Secretarias que programam eventos culturais. No primeiro caso, o grande veículo de comunicação é a Revista Em Cartaz, um instrumento de alta qualidade, com linguagem acessível e formato convidativo. No entanto, a tiragem atual é de 62.500 exemplares de custo não desprezível de reprodução de R$ 28 mil por mês. Além disso, é distribuída em locais que favorece o público que já se utiliza da rede de cultura, sendo pouco útil para atração de novos 6 de 24
  • 7. usuários. Dessa forma, embora seja um veículo de alta qualidade, sua capacidade de atingir grande número de cidadãos é bastante limitada. A comunicação via mídia é um canal interessante de divulgação, pois permite o acesso a um número muito maior de usuários e com baixo custo unitário. No entanto, embora a mídia, em suas diferentes formas, tenha dado espaço para a divulgação da programação, geralmente essa divulgação é parcial (apenas os eventos de maior destaque) e muitas vezes a vinculação do evento com o poder público municipal não é citada ou feita de forma marginal. Por fim, a divulgação por meio das páginas eletrônicas da Prefeitura é um processo de enorme potencial, uma vez que a população paulistana possui um dos maiores índices de acesso à internet do país e também porque o custo de divulgação através desse meio é muito baixo, tendendo a zero com o crescimento do número de usuários atendidos. No entanto, o quantitativo de acessos às páginas atuais está aquém das potencialidades do mecanismo. Como a comunicação via a Revista Em Cartaz é limitada pelo alto custo de reprodução e distribuição de cópias, os espaços para melhoria da comunicação por meio deste meio aparenta ser bastante limitado. Ou seja, a revista cumpre atualmente um importante papel, mas não é o mecanismo adequado para permitir a universalização do acesso à informação acerca da programação cultural da Cidade. A divulgação via mídia é um canal útil, mas pelas próprias características desse meio não há condições de dar espaço suficiente para a divulgação adequada e completa da programação cultural. Portanto, também é um instrumento com limitadas oportunidades de aperfeiçoamento. Já a divulgação eletrônica das informações possui excelentes oportunidades de melhorias. Primeiro porque é um veículo que permite o atingimento de milhões de cidadãos que já estão conectados à rede mundial e tantos outros que se conectarão devido ao crescimento exponencial dos usuários na Cidade e no país. Segundo, a reprodução da informação possui custos desprezíveis, podendo ser um instrumento que permita a comunicação com milhões de usuários a custos unitários próximos de zero. Além disso e talvez mais importante, este meio permite a interatividade com o cidadão, criando amplas possibilidades de relacionamento entre o cidadão e o Estado, seja para avaliar a programação, sugerir melhorias ou mesmo permitir que o Estado se comunique de forma ágil com o Munícipe. 7 de 24
  • 8. Como já citado, a comunicação através das páginas oficiais pode ser aperfeiçoada, em função das potencialidades ainda não exploradas. O fato do número de acessos não ser ainda maior pode estar relacionados a duas hipóteses, não excludentes: desconhecimento da existência das páginas por parte da população ou inadequação da divulgação da programação dos portais, que resulta no desestímulo por parte de alguns cidadãos e a não reincidência do acesso. Embora não haja pesquisas específicas sobre o desconhecimento dos paulistanos acerca da grade de eventos culturais disponibilizados na internet pela Prefeitura, a relação do número de acessos à pagina de programação com o de cidadãos que possuem acesso à internet ainda não é o ideal e pode evidenciar que o desconhecimento é presente em parcela da população, assim como é possível que a reincidência do acesso também esteja aquém do ideal. De toda forma, para validar a hipótese de que o processo de comunicação atual pode ser melhorado, adotamos um teste simples, com o intuito de verificar até que ponto a comunicação tem sido ou não eficiente, eficaz e efetiva em atender o público. Supondo um cidadão de formação educacional e cultural mediana, com razoável conhecimento de navegação na internet, procurando informações nas páginas eletrônicas da Prefeitura sobre a programação cultural a ser ofertada no dia 15 de novembro de 2009, buscou se mensurar o tempo gasto e as dificuldades que poderiam levar ao desestímulo do uso desse meio de comunicação. O cidadão em questão estaria interessado, a princípio, em qualquer tipo de atividade cultural a ser realizado na região Sul, só definindo sua escolha após saber as ofertas gratuitas disponíveis para o dia. Partiu-se do pressuposto que o cidadão soubesse que os eventos culturais são programados por mais de uma Secretaria Municipal e que poderia ocorrer da programação estar dispersa nas páginas dessas Secretarias. Para dar início à pesquisa, o usuário acessou a página da Secretaria da Cultura. Facilmente foi possível visualizar no menu principal um link denominado “programação cultural”. Clicando no link o usuário foi direcionado para outra página com diversos links de acordo o tipo de programação pretendida para o mês de novembro (Cinema, dança, exposições, teatro, música, entre outros). Como o cidadão está aberto a qualquer tipo de evento cultural, acessou todos os links disponíveis. O quadro abaixo resume os resultados encontrados. 8 de 24
  • 9. Ao não ter disponível a opção de filtrar a programação por data e por região, o cidadão recebeu volume significativo de dados, gerando grandes perdas em termos de tempo e bem-estar. Cada evento da programação do mês vem acompanhado de informações sobre o local de realização, data, horários e, em quase todos, breve sinopse. Por isso, cada evento ocupava, em média, cerca de 4 linhas. Como em novembro há programado mais de 500 eventos, os dados expostos ao cidadão superou duas mil linhas. Um primeiro grande problema foi o tempo despendido. Mesmo considerando uma boa capacidade de leitura, sendo suficiente para ler uma linha por segundo, ainda assim teria gasto quase 40 minutos para percorrer toda a programação. Portanto, inegável a perda de bem-estar do cidadão com o tempo gasto nesta busca pela programação e, provavelmente, a maioria dos usuários não teria tempo e disposição para percorrer toda a grade. Indo ao portal da Secretaria do Verde e Meio Ambiente, o cidadão do teste deparou-se com o link da programação dos parques. Embora seja um link com a programação geral dos parques e contido num sub-link dentro do menu principal, ainda assim não se pode considerar o primeiro acesso difícil. Uma vez selecionado o link, abre-se uma página com links para os 58 parques municipais que disponibilizam informações da programação esportiva e cultural na internet. O problema novamente é a obrigação da escolha de um parque, sendo que no caso da busca aberta pela região sul o usuário clicou em cada parque da região e obteve acesso a programação ordenada por data, o que reduz o tempo de busca. Como a 9 de 24
  • 10. programação cultural mensal em cada parque dificilmente ultrapassa cinco eventos, as dificuldades pela inexistência de mecanismos de filtros versáteis são atenuadas. Mesmo assim, dificilmente o cidadão teria gasto menos de 5 minutos nessa busca. Por fim, entrando na página da educação, em busca da programação cultural nos CEUs, no menu principal aparece a indicação do link “CEUs” e dentro dele, sublinks, dentre os quais o da programação. Entrando na página da programação, há uma lista de cada CEU com a referida programação. Dentro de cada link a programação cultural em ordem de data. Assim como na Secretaria do verde e Meio- Ambiente, a ausência de filtros faz com que haja necessidade de acesso a vários links, gerando gasto de tempo para acesso a uma programação com alguns poucos eventos. Enfim, o teste permitiu verificar que: • A existência de três grades de programação independentes, em páginas e formato diferentes, dificulta o acesso à informação. • A ausência de mecanismos de filtro prolonga significativamente o tempo de busca de eventos na grade de programação. • A falta de integração da programação, a ausência de mecanismos ágeis de busca e o desconhecimento de parcela da população acerca da programação cultural, certamente são fatores que geram ineficiências nas ações de divulgação por parte da Administração Pública. Portanto, fica evidente que além das oportunidades para otimização dos recursos públicos através da gestão articulada e compartilhada dos equipamentos públicos culturais, a comunicação do Estado com o cidadão sobre as ações atuais também pode ser aprimorada. Notadamente no caso da programação e divulgação dessa grade, as ineficiências e distorções geradas são notáveis e demandam ações de melhoria. Dentro desse contexto, há relevância na implementação de um projeto que propicie a integração das ações de comunicação acerca da programação cultural, criando as condições para que, ao longo do tempo, a integração das ações de comunicação entre as Secretarias avance para a integração efetiva das políticas referentes à Cultura, entre as diversas secretarias envolvidas, gerando inegáveis benefícios ao Munícipe. 10 de 24
  • 11. Os benefícios são notáveis tanto para os Cidadãos, como para a Administração Pública, para o turismo cultural na Cidade e, consequentemente, para a economia local. ÁRVORE DE PROBLEMAS E OBJETIVOS O problema central do projeto está atrelado à desarticulação e comunicação falha das ações culturais promovidas pela Prefeitura de São Paulo. As causas que geram e perpetuam o problema são várias, dentre as quais merecem destaque a ausência de integração entre as políticas, a falta de diversidade nos canais de divulgação e comunicação, a ausência de interatividade e procedimentos distintos de formulação e contratação de serviços. Por conta disso, geram-se vários efeitos negativos aos cidadãos e a própria administração, como subutilização dos equipamentos públicos, desinformação e descontentamento do cidadão, falta de otimização na utilização dos recursos públicos, entre outros. Dentre desse contexto, o objetivo do projeto é a articulação e melhoria da comunicação das ações culturais, otimizando a utilização da rede de Cultura da Cidade. Para tanto, o meios utilizados serão vários, com ênfase para os processos de unificação das ações de divulgação da programação cultural, gestão articulada e compartilhada das políticas de comunicação, utilização de ferramentas sociais para comunicação e interação entre os cidadãos, etc. Finalmente, espera-se conseguir resultados que levem a utilização adequada dos equipamentos, melhor utilização dos recursos públicos, melhora na percepção dos paulistanos com relação às ações promovidas pela Prefeitura, entre outros. Os quadros abaixo representam tanto a árvore de problemas como a de objetivos. 11 de 24
  • 12. SELEÇÃO DO PROJETO Da árvore de problemas e objetivos pode-se vislumbrar, ainda que com significativo grau de generalidade, o caminho a ser percorrido pelo projeto. Assim, a partir do delineamento geral passamos a definição do foco do projeto e da especificação das ações, como segue: 12 de 24
  • 13. Projeto: Realização de ações visando articular e melhorar as políticas e ações de comunicação da programação cultural. Objetivo: Integrar e aperfeiçoar a programação Cultural da Cidade de São Paulo, que é oferecida pelas secretarias de Cultura, Educação e Verde e Meio Ambiente, bem como garantir ao usuário cidadão mecanismos mais fáceis, ágeis e democráticos de acesso a essa produção cultural, através da implantação da Rede Municipal de Cultura. Resultados Esperados: melhora na percepção dos cidadãos acerca da existência de um rede municipal de cultura, atração de mais cidadãos para usufruir da programação ofertada, otimização dos recursos públicos através da integração entre as políticas das diversas Secretarias Municipais que programam cultura e aproximação do Poder Público com o cidadão. Metas: Dobrar o número de acessos às páginas de programação cultura da Prefeitura e aumentar em 10% o público total da rede de cultura, ambos no primeiro ano do projeto. DETALHAMENTO DO PROJETO O atingimento do objetivo geral do projeto pressupõe o alcance de outros objetivos específicos, conforme exposto abaixo: 1. Integrar as ações de comunicação e a própria programação cultural produzida pela PMSP. 2. Melhorar o acesso à informação sobre a programação cultural ofertada pela PMSP. 3. Permitir que o cidadão avalie e opine acerca da programação, equipamentos e eventos culturais. Para o atingimento desses objetivos específicos, que levariam ao alcance do objetivo geral do projeto, torna-se necessário por em prática uma série de ações para cada objetivo, conforme detalhamento a seguir: 1. Objetivo Específico: Integrar as ações de comunicação e a própria programação cultural produzida pela PMSP. a. Instituição de Comitê Intersecretarial Executivo para gerenciamento do processo de divulgação da programação cultural e de integração da referida programação. 13 de 24
  • 14. A criação desse Comitê busca gerar o compromisso, por parte dos responsáveis pela definição de políticas relacionadas à cultura, nas Secretarias Municipais envolvidas, com o processo de integração das ações de comunicação e das próprias políticas na área cultural. Desse modo, através de um Decreto, pretende-se implantar um Comitê Executivo (CE) com o objetivo de deliberar sobre as ações de integração efetiva da comunicação relativa à programação cultural das Secretarias envolvidas e definir o escopo e prazos para integração da programação cultural, inclusive quanto ao compartilhamento de espaços, aquisições de bens e serviços de forma conjunta, distribuição temática, espacial e temporal dos eventos, entre outros. O Comitê seria composto por representantes da Secretaria da Cultura, Educação, Verde e Meio Ambiente, Comunicação, Gestão, Governo e pelo presidente do Comitê Gerencial. Compete ao Presidente do Comitê Gerencial garantir a execução das decisões tomadas no âmbito do Comitê Executivo. O Comitê determinará a forma, condições, prazos e responsáveis por inserir e manter atualizada a programação de eventos, ofertados pelas Secretarias, no portal unificado da programação cultural. b. Instituição de Comitê Intersecretarial gerencial para garantir a implantação das políticas definidas pelo Comitê Executivo. No mesmo Decreto apontado na ação anterior, será instituído um Comitê Gerencial (CG) com a responsabilidade pelas ações gerenciais e operacionais que garantam a implementação das decisões tomadas no âmbito do CE. Compete ao CG garantir a melhor utilização dos recursos financeiros, físicos e humanos disponibilizados à implementação das ações, inclusive quanto à observância de prazos e de diretrizes editoriais. c. Criação de Portal centralizado com informações sobre a programação cultural da Cidade. 14 de 24
  • 15. Em função da programação cultural ofertada pela PMSP estar dispersa em diversas Secretarias, pretende-se desenvolver um portal de internet (vide proposta de layout no anexo) que atuará como meio de unificação das informações relacionadas à programação cultural da Cidade. O produto final esperado é um portal de conteúdo com foco no cidadão, colaborando para a transmissão de informações e interação entre a Administração Pública e o Munícipe, mantido e atualizado de forma simplificada por funcionários as diversas Secretarias envolvidas. 2. Objetivo Específico: Melhorar o acesso à informação sobre a programação cultural ofertada pela Prefeitura. a. Aperfeiçoamento dos mecanismos de buscas relacionados à programação cultural. Como atualmente quase não há mecanismos de filtro na programação cultural, torna-se praticamente impossível a obtenção de informações de forma ágil e objetiva sobre a programação numa determinada data, por exemplo. Portanto, para corrigir esse problema pretende-se criar mecanismos de filtro sob diversos parâmetros, como data, região e tipo de evento, reduzindo drasticamente o tempo para obtenção da informação desejada pelo cidadão. O quadro abaixo mostra os impactos desta ação: 15 de 24
  • 16. Enquanto atualmente para ter acesso à programação para o dia 15 de novembro, por exemplo, são necessários 94 cliques e como resultado será fornecido uma lista com 1.350 eventos e mais de três mil e trezentas linhas de informação. Com a integração da programação e criação de mecanismos de filtro, a mesma pesquisa seria feita com apenas 1 clique e teria como retorno 46 eventos que serão realizados na data selecionada. Enfim, o impacto para o cidadão será muito significativo. Além de reduzir substancialmente o tempo para obtenção de informações, o que já pode ser considerado um grande avanço, espera-se ainda disponibilizar juntamente com a lista de eventos, obtida após a definição de critérios para o mecanismo de filtro, a avaliação de cada evento por parte dos cidadãos que já usufruíram do evento. A implementação desse serviço será uma inovação significativa, gerando valor aos dados existentes e transformando-os em informação rápida e útil ao usuário. Por fim, para cada evento listado será informado o local, com possibilidade acesso a mapas de localização, facilitando e reduzindo o tempo de navegação do usuário. b. Divulgação da Programação Cultural através de redes sociais. Considerando que as redes sociais (Orkut, Twitter, Youtube, etc) agregam milhões de usuários, com poder de difusão significativo, torna-se oportuno que esses instrumentos sejam utilizados pelo Estado para comunicação direta como o cidadão. Dessa forma, o intuito é democratizar as informações sobre a programação cultural nessas redes, com formato e linguagem adaptada ao meio, para que a programação possa chegar ao maior número de cidadãos. c. Divulgação dos eventos realizados através de redes sociais. Na linha de melhorar a comunicação com o cidadão e também objetivando a melhoria da percepção da existência de uma rede municipal de cultura, esta ação se propõe a criar mecanismos de 16 de 24
  • 17. difusão de informações em redes sociais, como pequenos vídeos ou fotos sobre eventos realizados, vídeos curtos com um resumo do relatório de gestão na área cultural, entre outros. d. Divulgação da Programação cultural por meio de mensagens de texto para celular (SMS). Através da formação de um cadastro de usuários interessados em receber informações sobre determinados eventos culturais, seriam enviadas mensagens de textos pontuais, de modo a informar rapidamente o cidadão sobre a programação de um evento. e. Criação de redes de difusão da Programação Cultural. Aproveitando-se do uso das redes sociais, do cadastro de interessados em difundir a programação cultural e das redes de difusão já existentes em cada Secretaria, ampliaremos o número de cidadãos com acesso a programação cultural da cidade. 3. Objetivo Específico: Permitir que o cidadão avalie e opine acerca da programação, equipamentos e eventos culturais. a. Criação de espaços virtuais para coleta de opiniões dos cidadãos. O presente projeto possui uma série de pequenas inovações, que quando agregadas pretendem gerar uma inovação radical na forma de prestar o serviço ao cidadão. Nessa linha, mais uma inovação será a criação de espaços para enquetes e comentários dos usuários, permitindo a geração de avaliações sobre os eventos, úteis para os usuários e ainda mais úteis para os gestores públicos. As enquetes serão tabuladas automaticamente e os resultados das avaliações de cada evento serão disponibilizados, praticamente em tempo real, ao banco de dados da programação cultural, que permitirá ao usuário obter a programação e a avaliação dos eventos. b. Criação de espaços para depoimentos e troca de informações entre os cidadãos usuários. Haverá ainda um espaço aberto para depoimentos e sugestões de melhoria por parte dos cidadãos. Dessa forma, poderá ser criado 17 de 24
  • 18. um canal direto de obtenção de retorno do cidadão acerca das políticas ofertadas, bem como as alternativas de aperfeiçoamento. Prevê-se ainda a possibilidade de criação de concursos amadores e profissionais de cultura, com avaliação direta pelos usuários através de mecanismos virtuais. BENEFÍCIOS DO PROJETO Com a implantação do projeto, os seguintes benefícios são esperados: Melhora na utilização dos espaços públicos voltados à cultura A unificação e integração das ações de comunicação propiciarão a aproximação entre as Secretarias Municipais, gerando efeitos de médio e longo prazo sobre o grau de articulação efetiva das políticas. Nesse sentido, a própria integração das ações de comunicação poderá suscitar questões como redundância de eventos em determinadas regiões ou temas, tendo como contraponto insuficiência ou ausência em outros. Dessa forma, com o amadurecimento da relação intersecretarial, a cessão de espaços públicos geridos por uma Secretaria para realização de eventos organizados por outra Secretaria será cada vez mais recorrente e, com isso, a adequada utilização dos espaços será substancialmente melhorada. • Aumento da eficiência na utilização dos recursos públicos (atingir mais cidadãos com os mesmos recursos). As ações de difusão da programação cultural resultaria em economias de recursos de duas formas. Por um lado as ações de comunicação unificada e integrada atenuarão eventuais redundâncias e ineficiências nos gastos com divulgação. Por outro, a intensificação das ações de comunicação sobre a programação cultural resultaria em aumento do público nos eventos. Como a grande maioria dos eventos possui custo fixo dado e custo marginal por expectador tendente a zero, o aumento do público significará, em última instância, atender mais cidadãos com os mesmos recursos, portanto, reduzindo o custo do evento por cidadão e permitindo o atendimento de mais cidadãos com praticamente o mesmo volume de recursos. • Melhora na percepção dos paulistanos acerca das ações da Administração Municipal na área da cultura. 18 de 24
  • 19. O sucesso do projeto aumentará o acesso do público à programação cultural, resultando em melhora da percepção sobre a existência de uma rede de equipamentos e eventos ofertados pelo poder público municipal. Desse modo, o poder público poderá ser avaliado de forma mais adequada e justa em relação às políticas adotadas, seja nas virtudes ou deficiências. • Promoção da atividade econômica atrelada à cadeia de eventos culturais na Cidade. As ações de comunicação resultariam em aumento do público nos eventos, o que poderá gerar dois efeitos positivos sobre a cadeia produtiva atrelada a rede de cultura. Por um lado, o aumento do público nos eventos incrementará a renda das atividades acessórias aos eventos e dependentes do público presente: transportes, postos de alimentação, comércio local, etc. Em segundo e mais importante, o aumento do público pode resultar em rearranjos e aumento nas taxas de ocupação da programação atual. Assim, novos investimentos podem ser demandados em virtude do plena utilização dos equipamentos culturais e suas programações, motivando a geração de novos eventos, gerando empregos, renda e fomentando toda a cadeia cultural e econômica da Cidade. CRONOGRAMA EXECUTIVO O projeto terá início com a instituição dos Comitês Intersecretariais, e esses Comitês definirão os critérios para contratação da empresa para concepção, desenvolvimento e implantação do portal. Dentro do primeiro mês, será feita a contratação da empresa (PRODAM) para o desenvolvimento do portal, bem como as atividades de arquitetura e designer. Nos três meses seguintes o desenvolvimento, testes e implantação do portal. Entre os meses 5 e 6 serão desenvolvidas atividades para disponibilização de conteúdo no portal, juntamente com os novos serviços a serem ofertados aos cidadãos. 19 de 24
  • 20. RECURSOS NECESSÁRIOS As atividades relacionadas à programação cultural já são desenvolvidas no momento, de forma fragmentada e pouco articulada. Assim, haverá apenas articulação, organização e redirecionamento dos recursos, não implicando custos adicionais. Ou seja, os recursos humanos e materiais existentes são suficientes para permitir a implantação das ações propostas neste projeto. Os custos adicionais gerados pelo projeto serão os relacionados ao desenvolvimento e manutenção do portal e Comitês Intersecretariais. O quadro abaixo explicita tais custos. 20 de 24
  • 21. Além dos recursos já existentes e os adicionais descritos acima, usaremos para divulgar a rede recursos de mídia já existentes para esse fim da SECOM (Sec da Comunicação). FONTES DE FINANCIAMENTO A Secretaria Municipal de Cultura será patrocinadora do projeto, sendo responsável pelo aporte de recursos financeiros adicionais do projeto. As demais Secretarias participarão com Recursos Humanos e Materiais já utilizados nas atividades relacionadas à programação cultural para dar suporte a implantação, operação e continuidade do projeto. STAKEHOLDERS Há vários grupos que serão influenciados pelo projeto. No entanto, os atores críticos para o sucesso do projeto são os Secretários Municipais que programam atividades culturais e os servidores atualmente envolvidos na área. Sem dúvidas os Secretários são atores essenciais ao sucesso do projeto. O aval e interesse no projeto facilita de forma decisiva sua implantação. Para mapear eventuais pontos de conflito ou reações adversas ao projeto, os Secretários das Pastas envolvidas foram consultados e todos manifestaram interesse e apoio. MONITORAMENTO DO PROJETO O Comitê Executivo terá reuniões periódicas, de cunho deliberativo sobre assuntos relacionados à implantação do projeto e sobre o escopo da integração das políticas relacionadas às atividades culturais. Após a implantação do projeto, as reuniões terão o objetivo de avaliar seus resultados, bem como prosseguir na consolidação da gestão articulada e compartilhada da programação cultural. 21 de 24
  • 22. O Comitê Gerencial terá reuniões mensais, acompanhando a execução do contrato de implantação do portal e demais atividades relacionadas à implantação do projeto, avaliando resultados e propondo correções de rumo ao Comitê Executivo. INDICADORES Os indicadores selecionados para avaliar a efetividade do projeto são: I) Número de acessos ao portal da programação cultural, composto por um site agregador (www.redemunicipaldecultura.net) e diversas ferramentas sociais a ele conectados (tais como blogs, comunidades, twitters, torpedos (SMS), pesquisas, mapas localizadores, etc.). No ano de 2009 houve uma média mensal de 20.000 acessos no portal da Prefeitura com relação aos eventos promovidos pela Secretaria da Cultura. Como a população da cidade de São Paulo tem cerca de 11 milhões de habitantes, esse acesso pode ser considerado pequeno, isso sem considerar a população turística e a população residente dos municípios vizinhos que trabalham e estudam na cidade e buscam entretenimento na cidade de São Paulo. Considerando que o portal vai além da simples agregação da programação, incluindo diversos canais interativos de comunicação com a população, baseados no uso de ferramentas sociais, o número de acessos a essas ferramentas também será um indicador de efetividade a ser considerado. II) Taxa de utilização efetiva dos equipamentos e eventos culturais (público efetivo / capacidade). Os equipamentos serão responsáveis pela contagem do público nos eventos, devendo comunicar esses resultados ao responsável da sua Secretaria. O percentual de utilização dos equipamentos culturais antes e depois da implantação (série histórica) de nosso projeto também será um indicador a ser monitorado. A mensuração do número de usuários por evento possibilitará verificar o efeito da divulgação. Ao dividirmos o número de usuários por evento pela capacidade, teremos mensurado o percentual de utilização e a otimização dos recursos, ou seja, mais público com os mesmos recursos, tornando o projeto efetivo. III- Número de usuários por evento 22 de 24
  • 23. Independente da taxa de ocupação, uma outra forma de verificar o efeito da divulgação, é mensurar o número de usuários por evento antes e depois da implantação do projeto. IV- Interatividade com o usuário Um dos mais importantes indicadores, será medir a participação do usuário com as ferramentas sociais oferecidas no portal. Exemplos - número de seguidores no Twittter, números de cadastros no SMS, números de comentários postados no blog e pesquisa de opinião. Essa aproximação é um dos objetivos principais do projeto. Nosso sistema possibilitará, a montagem de um cadastro pormenorizado dos hábitos e preferências dos usuários. CONSIDERAÇÕES FINAIS O projeto possui objetivos de curto prazo e expectativas de gerar resultados mais profundos de médio e longo prazo. No curto prazo, espera-se inovar a forma de relação da Administração Pública Municipal com o Munícipe, aperfeiçoando os canais de comunicação existentes e criando outros, visando estreitar a comunicação direta com o cidadão e aumentar os usuários da Rede Municipal de Cultura. No entanto, o projeto vai além e pretende criar as condições para estreitar a relação entre as diversas Secretarias Municipais, para que gradativamente a gestão hierárquica, hoje predominante, dê lugar a gestão articulada, compartilhada e cooperativa. Obviamente o desafio de alterar estruturas e culturas não se faz de uma hora para outra. Justamente por essa percepção, a proposta do projeto é avançar inicialmente sobre as estruturas e formas de gestão existentes, com pequenas alterações que favoreçam a cooperação entre Secretarias. Com as alterações propostas e com os resultados que podem surgir dessa articulação inicial, acredita- se que o caminho para o aprofundamento do modelo de gestão compartilhada poderá ser percorrido sem maiores percalços. Finalmente, o sucesso dessa proposta inovadora servirá de modelo para a introdução de aperfeiçoamentos em outros inúmeros serviços prestados pelo poder público municipal ao cidadão. Os desafios são grandes, mas as oportunidades e os benefícios, maiores ainda. 23 de 24
  • 24. Anexo Proposta de Layout do Portal 24 de 24