Inova GestòO Cgpei Gci Slides Final
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×
 

Like this? Share it with your network

Share

Inova GestòO Cgpei Gci Slides Final

on

  • 1,719 views

 

Statistics

Views

Total Views
1,719
Views on SlideShare
1,699
Embed Views
20

Actions

Likes
0
Downloads
35
Comments
0

1 Embed 20

http://www.slideshare.net 20

Accessibility

Upload Details

Uploaded via as Microsoft PowerPoint

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

Inova GestòO Cgpei Gci Slides Final Presentation Transcript

  • 1.  
  • 2. A longa jornada do conhecimento O conhecimento em detalhe A marca dos nossos dias Conhecimento e setor público Do dado ao conhecimento Técnicas gerenciais Ferramentas sociais
  • 3. A longa jornada do conhecimento O conhecimento em detalhe A marca dos nossos dias Conhecimento e setor público Do dado ao conhecimento Técnicas gerenciais Ferramentas sociais
  • 4. “ É muito difícil aprender aquilo que você pensa que já sabe” Epitetus
  • 5. Desde o início da revolução neolítica (pedra polida), há mais de 10.000 anos, a sociedade passou por três grandes períodos econômicos . Em cada um deles, os fatores de produção terra, trabalho, capital e conhecimento tiveram contribuição distinta.
  • 6. No primeiro e longo período, a era agrícola , a geração de riqueza estava fortemente atrelada ao uso fator terra, seguido de perto pelo recurso trabalho. Já no período seguinte, a era industrial , iniciada na segunda metade do século XVIII, o capital foi o insumo predominante na produção de riqueza. Desde o final do século passado, o conhecimento , embora desigualmente distribuído pelo planeta, começa a ganhar destaque como o fator determinante no processo de criação de riqueza.
  • 7. Era do Conhecimento Era Industrial Era Agrícola
  • 8. Quais as principais mudanças e inovações que potencializaram o surgimento dessas eras econômicas?
  • 9. Mudanças Climáticas (fim da era glacial) Semeadura Era Agrícola
  • 10. 1ª. Fase – Final do Século XVIII Carvão como fonte energética Motor a vapor Mecanização das atividades texteis Abertura de canais e estradas de ferro 2ª. Fase – Após 1870 Eletrificação Motor a explosão Era Industrial
  • 11. Inovação em Gestão na Sociedade Industrial Henri Fayol – Cada departamento tem sua lógica própria isolada do todo Henry Ford – Processos rígidos que garantam ganhos de escala Frederick Taylor – Cada trabalhador deve atuar como um robô , repetindo movimentos definidos pela área de Organização & Métodos Max Weber – Burocracia moderna, suporte técnico-administrativo, formado especialistas , selecionados segundo critérios racionais e impessoais 1841-1925 1863-1947 1856-1915 1864-1920
  • 12. Novos Materiais Biotecnologia Nanotecnologia Microeletrônica Internet Web 2.0 Era do Conhecimento
  • 13. Inovação em Gestão na Sociedade do Conhecimento Toyotismo – Flexibilização da produção, Just in Time , Kanban , Formação de Times , Qualidade Total Taiichi Ohno 1912-1990
  • 14. Quais serão os gurus da sociedade do conhecimento? Nonaka Takeuchi Senge Stewart Davenport Sveiby Wenger Morin Pierre Lévy Gurteen Terra Snowden Cavalcanti Prusak Plonski Polanyi Hamel Drucker
  • 15. A longa jornada do conhecimento O conhecimento em detalhe A marca dos nossos dias Conhecimento e setor público Do dado ao conhecimento Técnicas gerenciais Ferramentas sociais
  • 16. “ Qualquer conhecimento que eu adquira hoje, tem o seu valor determinado pela minha habilidade em lidar com ele” Mark van Dore
  • 17. Quais as características mais marcantes do conhecimento? Sem dimensão física Tem origem nas pessoas Cresce com o compartilhamento
  • 18. Dizer que a riqueza vem do conhecimento, equivale a dizer que ela é preponderantemente gerada pela produção e comercialização de produtos e serviços ricos em conhecimento .
  • 19. Exemplos de produtos ricos em conhecimento Softwares Royalties Patentes Licenciamentos Direitos Autorais Consultoria Marcas Bens Culturais Marketing Natural Incorporado Automóveis Televisores Celulares Câmeras MP3 Players Computadores Robôs Aviões Satélites
  • 20. Cinco exemplos do valor do conhecimento
  • 21. 1 Fonte: Apresentação “Fazer Acontecer”, proferida pelo Professor Marcos Cavalcanti, dezembro 2007 De coadjuvante a ator principal
  • 22. 2 Na balança do conhecimento Soja Carro Avião Satélite Ap. Eletrônico - 100 1000 500.000 10.000 Quantos quilos de soja eu preciso para comprar um quilo de ...
  • 23. Fonte: Apresentação “Fazer Acontecer”, proferida pelo Professor Marcos Cavalcanti, dezembro 2007 3 Etiquetas que valem ouro
  • 24. Fonte: PIB do Brasil, FIBGE e 100 marcas mais valiosas. Revista Business Week 4 Marcas que valem um país 70% do PIB
  • 25. Fonte: Entrevista do professor Antônio B. Castro ao Jornal do Economista, 2001 O que a Nike faz Desenvolvimento Design Marketing Quanto vale isso? A soma dos salários de milhares de trabalhadores da fábrica terceirizada da Nike na Indonésia é inferior à dos 12 diretores da Nike em NY 5 Conhecimento bem remunerado
  • 26. A longa jornada do conhecimento O conhecimento em detalhe A marca dos nossos dias Conhecimento e setor público Do dado ao conhecimento Técnicas gerenciais Ferramentas sociais
  • 27. Você erra todos os tiros que não dá Wayne Gretzky
  • 28. O que existe de diferente na atualidade, que nos distingue das eras anteriores?
  • 29. A liderança do fator conhecimento, traz no seu bojo, pela primeira vez na história da humanidade, a predominância do intelecto sobre o músculo . Isto irá acelerar fortemente o processo de inovação.
  • 30. Fonte dos Elementos Básicos: Angeloni, Maria Teresa. 6ª Jornada Catarinense de Tecnologia Educacional. Florianópolis, maio 2005.
  • 31. Aceleração da mudança inovação como rotina - hoje 85% das inovações - 200 anos era cristã - 2009 anos vida na terra - 4 bilhões de anos universo - 14 bilhões de anos
  • 32. Aumentando o “zoom”, veremos que, neste período de 200 anos, a maioria das inovações concentram-se nas décadas mais recentes. Temos indícios suficientes para dizer, portanto, que estamos entrando na era da inovação continuada .
  • 33. A prevalência do conhecimento como fator líder e da inovação como rotina traz para a sociedade atual quatro características que fazem que ela se distinga de qualquer outro período da história
    • Mudança
    • Incerteza
    • Complexidade
    • Ansiedade
    Fonte: Organizacional Survival in the New World – Alex & David Bennet
  • 34. Estas quatro características vão afetar drasticamente a vida das organizações , sejam elas privadas ou públicas .
  • 35. A grande maioria das organizações atuais foi montada para dar respostas a uma sociedade moldada pelos paradigmas da era industrial . Na medida que a sociedade do conhecimento avança, fica mais evidente a necessidade de readequá-las para o exercício da criação e do compatilhamento do conhecimento, bem como do estímulo à inovação .
  • 36. O que separa as organizações de ambas as eras?
  • 37.
    • Modo Industrial
    • Foco na estabilidade organizacional, precisão e repetição de processos internos
    • Tomada de decisão centralizada com cumprimento, sem questionamento, das ordens superiores
    • Usa a tecnologia para melhorar a eficiência e espera que os empregados se adaptem
    • Estabelecer processos sem flexibilidade para assegurar precisão e estabilidade com pouca preocupação com valor gerado
    • Minimiza o uso de times para manter forte controle e assegura que o conhecimento seja mantido nos níveis superiores
    Fonte: Organizacional Survival in the New World – Alex & David Bennet, Tabela 1-1, Página 9
  • 38. Síntese do Modo Industrial de Agir Por que cada vez que preciso de um par de braços , sou obrigado a trazer junto uma cabeça . Henry Ford Fonte: Organizacional Survival in the New World – Alex & David Bennet, Tabela 1-1, Página 9
  • 39.
    • Modo Conhecimento
    • Foco na flexibilidade e na resposta ao cliente e/ou cidadão
    • Utiliza práticas que enfatizem o uso de idéias e capacidades dos empregados para melhorar a tomada de decisão e a efetividade organizacional
    • Usa a tecnologia para estimular o envolvimento e a efetividade dos empregados
    • Adota ações para eliminar disperdícios e processos desnecessários e enfatizar a maximização do valor adicionado
    • Estimula o uso de times para balizar a tomada de decisão, compartilhamento de conhecimento e aprendizagem
    Fonte: Organizacional Survival in the New World – Alex & David Bennet, Tabela 1-1, Página 9
  • 40. Síntese do Modo Conhecimento de Agir Nosso grande desafio, ao contratar um funcionário, é estimulá-lo a usar sua cabeça para inovar . Akio Morita
  • 41. A longa jornada do conhecimento O conhecimento em detalhe A marca dos nossos dias Conhecimento e setor público Do dado ao conhecimento Técnicas gerenciais Ferramentas sociais
  • 42. “ A impressão que tenho é que o estado brasileiro foi regulamentado para não funcionar” Luiz Inácio Lula da Silva
  • 43. Já vimos que a economia centrada do conhecimento está alterando fortemente a vida das organizações, sejam elas privadas ou públicas. Um simples passar de olhos na lista das maiores empresas privadas do mundo, na atualidade, mostra um quadro bastante distinto daquele observado até alguns anos atrás, privilegiando a subida de organizações inovadoras , que mais rapidamente souberam se despir do tradicional figurino industrial .
  • 44. Mas se no setor privado , ficar alheio aos os novos tempos significa fechar as portas ou perder mercado , nos governos a situação é mais procupante . Embora estes últimos não possam formalmente ir à falência, a dificuldade para desligar os paradigmas industriais e buscar soluções inovadoras acentua o descompasso entre as demandas sociais e a capacidade de resposta pelo setor público. Isto pode ser facilmente percebido por meio de uma simples consulta à jornais, revistas e outras fontes de informação ...
  • 45. Enquanto a sociedade, a cada dia que que passa, mais e mais se organiza em rede , o governo permanece preso a hierarquias rígidas incapazes de enxergar soluções para problemas complexos. Governo Sociedade
  • 46. Na prática, abandonar rotinas e modelos mentais que foram sendo construídos há mais de um século , não é tarefa fácil. Mudar cabeças é infinitamente mais difícil do que descartar uma uma máquina que não nos serve mais.
  • 47. Infelizmente, a realidade das organizações governamentais em nada se assemelha à uma orquestra , onde todos os agentes envolvidos obedecem ao comando do maestro.
  • 48. A melhor metáfora para o dia a dia em uma organização governamental é a de um cabo de guerra onde interesses conflitantes de todo o tipo tendem, se não trabalhados sob novo olhar, a imobilizar o estado e afastá-lo dos mais legítimos interesses da cidadania. Não Inova Inova X
  • 49. Prosseguindo com a metáfora, o sucesso do time da inovação requer um modelo de gestão centrado na produção do conhecimento e no estímulo à criatividade , que resulte no aumento da inteligência governamental . Não Inova Inova X
  • 50. O estímulo à inovação no setor público demanda uma profunda mudança ambiental , envolvendo pessoas, estrutura administrativa, processos, técnicas, e tecnologia.
  • 51. O que um ambiente favorável à inovação deve ter
    • Pessoas
    • Comprometimento
    • Qualidade (aprendizagem continuada com foco nas atividades de governo, conectividade)
    • Predisposição para o trabalho em equipe (interdisciplinaridade, respeito a diversidade, transparência, ética)
    • Instinto criador
    • Prazer
  • 52. O que um ambiente favorável à inovação deve ter
    • Organização
    • Burocracia limitada ao indispensável
    • Estruturada em rede
    • Praticante da aprendizagem organizacional (visão sistêmica, modelagem mental inovadora, visão compartilhada)
  • 53. O que um ambiente favorável à inovação deve ter
    • Processos
    • Focados no cidadão
    • Alinhados com as inter-relações cada vez mais complexas da sociedade contemporânea (o mundo não é linear)
    • Incorporem as mudanças no ambiente externo (o cidadão tende cada vez mais a fazer marcação sob pressão)
  • 54. O que um ambiente favorável à inovação deve ter
    • Técnicas Gerenciais
    • Estimulem a visão sistêmica, a cooperação e a criatividade
    • Facilitem a produção e o compartilhamento do conhecimento organizacional
    • Incorporem métricas adequadas a economia do conhecimento
  • 55. O que um ambiente favorável à inovação deve ter
    • Tecnologia
    • Sintonizada com os objetivos do setor público
    • Interfaces amigáveis
    • Usabilidade
    • Estímulo a criatividade
    • Conectividade
  • 56. Ação de governança orientada para a promoção de mudanças culturais , educacionais , organizacionais , metodológicas e tecnológicas , que estimulem a criação de conhecimento e a produção de inovações necessárias para garantir ao estado, efetividade em suas atividades estratégicas , gerenciais e de prestação de serviços . Gestão do Conhecimento e Inovação no Setor Público Uma Definição Beta
  • 57. A longa jornada do conhecimento O conhecimento em detalhe A marca dos nossos dias Conhecimento e setor público Do dado ao conhecimento Técnicas gerenciais Ferramentas sociais
  • 58. “ Nos afogamos em informações mas somos carentes em conhecimento” John Naisbitt
  • 59. Dado Observações da realidade, que nada dizem sobre a própria existência . Davenport e Prusak
  • 60. Informação É o dado acrescido de significado , relevância , contexto , conexão , propósito . Davenport e Prusak
  • 61. Conhecimento Capacidade para a ação efetiva . Peter Senge
  • 62. Entendendo o caminho da sofisticação Conhecimento Dado Dado Dado Informação Informação Ação Significado
  • 63. Um exemplo completo.
  • 64. CIA investigava seqüestradores de aviões, diz revista Cerca de 3 mil pessoas morreram em 11 de setembro Uma reportagem publicada nesta segunda-feira na revista americana Newsweek revela que a central de inteligência americana, a CIA, sabia que dois homens ligados à rede Al-Qaeda estavam nos Estados Unidos meses antes de participarem dos atentados de 11 de setembro. Com o título "Os terroristas que a CIA deveria ter prendido", a reportagem sugere que a CIA tinha o paradeiro de um homem, Nawaf al-Hazmi, logo depois de ele participar de um encontro da Al-Qaeda na Malásia em janeiro de 2000. Os agentes da CIA também teriam descoberto que um outro homem, Khalid al-Mihdhar, já havia obtido um visto de entrada no país. A reportagem garante que o Departamento de Estado dos Estados Unidos até renovou o visto de Mihdhar em julho de 2001, mesmo depois de a CIA ter ligado Mihdhar a um dos homens que atacou o porta-aviões USS Cole no Iêmen, em 2000. O diretor do FBI, Robert Mueller, que também vem enfrentando críticas de que poderia ter evitado os ataques, disse, na semana passada que, se as pistas sobre 11 de setembro tivessem sido colocadas juntas, "quem sabe o que aconteceria", referindo-se sobre a possibilidade de se evitar os ataques. Fonte: BBC Brasil, in Site da BBC 03/06/2002 Atenção para esta nota
  • 65. O diretor do FBI, Robert Mueller, que também vem enfrentando críticas de que poderia ter evitado os ataques, disse, na semana passada que, se as pistas sobre 11 de setembro tivessem sido colocadas juntas , "quem sabe o que aconteceria", referindo-se sobre a possibilidade de se evitar os ataques. Fonte: BBC Brasil, in Site da BBC 03/06/2002
  • 66. O diretor do FBI, Robert Mueller, que também vem enfrentando críticas de que poderia ter evitado os ataques, disse, na semana passada que, se as pistas sobre 11 de setembro tivessem sido transformadas em conhecimento , "quem sabe o que aconteceria", referindo-se sobre a possibilidade de se evitar os ataques.
  • 67. Como enfrentar o imenso desafio de criar e compartilhar conhecimento e inovar ? Foto obtida em http://www.hrvoice.org/, em 18/08/2009
  • 68. Uma das mais importantes contribuições para o entendimento dos limites e potencialidades da utilização do conhecimento como recurso organizacional foi dada, quase meio século antes do surgimento da disciplina gestão do conhecimento, pelo químico e fílosofo húngaro, Michael Polanyi , 1896-1971. Foi Polanyi que estabeleceu a clássica divisão do conhecimento em tácito e explícito .
  • 69. Segundo Polanyi, o conhecimento tácito é composto por uma dimensão técnica , normalmente definida como know-how e uma outra cognitiva , que abriga elementos como intuições , emoções , valores , crenças e atitudes . O conhecimento tácito é complexo , desenvolvido e interiorizado durante um largo período de tempo, sendo praticamente impossível reproduzí-lo num documento ou em uma base de dados . Já o conhecimento explícito pode ser facilmente expresso em documentos textuais , fórmulas matemáticas , mapas , etc.
  • 70. A partir da divisão proposta por Polanyi, os professores Ikujiro Nonaka e Hirotaka Takeuchi publicaram em 1997, um modelo dinâmico de criação do conhecimento baseado na hipótese de que o mesmo é criado e expandido através da interação social entre suas facetas tácita e explícita .
  • 71. Conhecimento Explícito Conhecimento Tácito Conhecimento Organizacional
  • 72. Manual - Documento - Publicação Banco de dados - Planilha - E-mail Gráfico - Tabela - Figura - Vídeo Know-how - Emoção - Experiência Crença - Valor - Ideal - Percepção - Habilidade - Intuição - Idéia - Inspiração -Vivência - Modelo Mental Conhecimento Explícito Conhecimento Tácito
  • 73. Conversão do Conhecimento – Nonaka e Takeushi
  • 74. Outra importante contribuição para a Gestão do Conhecimento e Inovação foi trazida por Thomas Stewart. Ele utiliza a categoria capital intelectual para expressar o conhecimento que transforma as matérias-primas e as torna mais valiosas . Na elaboração de Thomas Stewart, o capital intelectual pode ser subdividido em capital humano , estrutural e de relacionamento .
  • 75. Capital Intelectual
    • habilidades, talento, intelecto, experiências
    • processos, patentes bancos de dados, manuais, marcas
    • clientes, cidadãos, fornecedores
  • 76. Outro importante pensador no campo do conhecimento como recurso organizacional estratégico é Karl Erik Sveiby. Sveiby, por praticidade, utiliza a expressão competência no lugar de conhecimento. Ainda segundo o autor, a competência é composta por cinco elementos: conhecimento explícito , habilidade , experiência , julgamento de valor , e rede social .
  • 77. Experiência Habilidade Julgamento de Valor Rede Social
    • fatos, Informações e demais elementos obtidos pela educação formal
    • saber fazer, adquirido pela prática
    • reflexão sobre casos de sucesso e fracasso
    • percepção entre o certo e o errado
    • relação do indivíduo com seus semelhantes
    Competência Conhecimento Explícito
  • 78. A longa jornada do conhecimento O conhecimento em detalhe A marca dos nossos dias Conhecimento e setor público Do dado ao conhecimento Técnicas gerenciais Ferramentas sociais
  • 79. Boa gestão é a arte de tornar os problemas tão interessantes e a sua solução tão útil que todos queiram trabalhar e lidar com eles. Paul Hawken
  • 80. A crescente importância do conhecimento tem propiciado o surgimento de diversas técnicas gerenciais voltadas para o tratamento desse fator. Muitas delas são apenas variações sobre um mesmo tema, rebatizadas por conveniência mercadológica. Vamos destacar, aqui, algumas das técnicas mais utilizadas no imenso desafio de construir ambientes organizacionais propícios para a criação e o compartilhamento do conhecimento e o surgimento de inovações .
  • 81. “ Brainstorming” Montagem de grupos orientados para discutir idéias e sugestões sobre uma situação de interesse organizacional Sessões de “brainstorming” são usadas para resolver problemas emergentes , fazer inovações de produtos , ampliar os modelos de comunicação , planejar novos projetos , aperfeiçoar serviços ao cidadão, etc.
  • 82.
      • Captação de Ideias
      • Criação de um ou diversos processos dedicados a estimular, captar, organizar e implementar ideias sugeridas pelos funcionários, independente de sua posição hierárquica.
      • Este mecanismo envolve a alocação de recursos para teste e implantação de experiências piloto , identificadas como mais promissoras.
  • 83.
      • Comunidades de Prática
      • Rede virtual de colaboração entre pessoas com atividades afins (comunidade de compras governamentais, médicos de utis, professores de pessoas com necessidades especiais, etc.)
      • Esta comunidade contempla estruturas existentes, combinando redes de trabalho horizontais e verticais , dentro e entre as organizações.
  • 84.
      • Facilitação da Inovação (Coaching, mentoring, etc.)
      • Designação formal de pessoas experientes com bom trânsito na organização, capazes de ensinar, apoiar e instruir pessoas com menos conhecimento em uma determinada área .
      • Objetiva desenvolver competências, reforçar a compreensão da organização e de sua cultura , bem como promover o aprimoramento profissional .
      • Este profissional pode se relacionar com determinada pessoa em particular ou com grupos com interesses comuns.
  • 85.
      • Lições Aprendidas
      • Estabelecimento de uma sistemática de trabalho na qual, ao cabo de qualquer atividade ou projeto, sejam compartilhadas as experiências obtidas nesse processo (dicas, erros, riscos assumidos, inovações identificadas, etc.) que possam balisar equipes envolvidas em outras ações ou em eventos futuros.
      • Devem participar desses encontros, coordenadores, técnicos senior e lideranças importantes identificadas nas equipes.
  • 86. “ Páginas Amarelas” Ambiente virtual que dá acesso ao mapa de competências e interesses disponíveis em uma determinada organização. Facilita a mobilização de equipes para a realização de programas , projetos , ações emergenciais , bem como a realização de conversas simples nas quais as pessoas podem trocar idéias sobre problemas afins.
  • 87. “ Storytelling” Técnica de comunicação utilizada para compartilhar conhecimentos que normalmente ficam à margem dos relatórios formais da organização. Deve seguir uma estrutura narrativa . Embora contar histórias seja uma das mais antigas práticas da humanidade, só recentemente ingressou no mundo corporativo, motivada pela necessidade de ampliar a base de conhecimento das organizações.
  • 88. A longa jornada do conhecimento O conhecimento em detalhe A marca dos nossos dias Conhecimento e setor público Do dado ao conhecimento Técnicas gerenciais Ferramentas sociais
  • 89. "Dêem-me um ponto de apoio e, com a minha alavanca, erguerei o mundo“ Arquimedes
  • 90. A criação de conhecimento , a geração de inovações em gestão pública e a aplicação de técnicas adequadas foram amplamente facilitadas a partir do surgimento das ferramentas web 2.0
  • 91. O termo web 2.0 foi cunhado por Tim O’Reilly, especialista no uso de tecnologias voltadas para inovação, pretendendo identificar uma nova geração de serviços disponíveis na internet voltados para a ampliação da participação dos usuários na produção e compartilhamento de conteúdo on-line
  • 92. Antes dessa revolução, a publicação de conteúdo digital nas organizações era fortemente dependente das estruturas formais de processamento , que naturalmente conferem maior prioridade às atividades de rotina, como a elaboração de cadastros e sistemas de informação corporativos .
  • 93. Mais importante do que a revolução tecnológica em si, é o fato de que pessoas comuns, antes simples espectadoras , transformam-se em produtoras de conteúdo (textos, fotos, gravações de áudio, vídeos, etc.), tornando-se co-autoras das bases de conhecimento disponíveis na grande rede.
  • 94. Tal como as técnicas voltadas para a gestão do conhecimento e inovação, também os serviços on-line da web 2.0, igualmente conhecidos como ferramentas sociais , aumentam dia após dia. Falaremos aqui de seis delas: blogs, micro-blogs, wikis, videocasts, audiocasts e redes sociais
  • 95. “ Blogs” Uma das mais utilizadas ferramentas sociais, os blogs permitem a qualquer pessoa com acesso a internet criar , em poucos minutos e sem ônus, uma página web para armazenamento, publicação e compartilhamento de conteúdo (textos, fotos, imagens, links, etc.) Começou como ferramenta de uso pessoal, tornando-se, aos poucos, recurso utilizado pelas empresas privadas para ampliar sua relação com clientes e mais recentemente pelos governos para possibilitar formas mais diretas e informais de contato com a cidadania. Segundo a Technorati Media, atualmente, existem indexados na Internet cerca de 133 milhões de “blogs” .
  • 96. Micro-Blogs Os micro-blogs são serviços semelhantes aos blogs, porém com limitação de tamanho de escrita . De início, foram utilizados para fornecer informações praticamente real time sobre a localização e atividade do “blogueiro”. Com o passar do tempo, passou a ser utilizado para tarefas com mais propósito, tais como cobertura de eventos diretamente do local e na hora em que ocorrem, envio de manchetes jornalísticas, alertas de utilidade pública (lembrando os torpedos dos telefones celulares), entre outros. O serviço líder nesta modalidade é o “twitter” com cerca de 14 milhões de acessos mensais .
  • 97. Wikis Serviço voltado para a criação coletiva de um documento “web”. Tal como a grande maioria das ferramentas sociais, também este serviço prima pela facilidade de utilização. A “wikipedia” , enciclopédia livre criada em 2001, que conta hoje com mais de 300.000 verbetes , é o mais conhecido exemplo de ambiente produzido com o uso de ferramentas desta categoria.
  • 98. “ Podcasts” Os “podcasts” são serviços on-line que permitem gravar, hospedar e distribuir o registro de áudios , com o formato de arquivos de áudio MP3. Esta ferramenta possibilita aos usuários montarem sua própria estação de rádio, cujo conteúdo e público alvo serão definidos por seus produtores. Seguindo uma tendência comum a quase todas as ferramentas sociais, também os “podcasts” são utilizados por pessoas, empresas privadas e governos.
  • 99. “ VideoCasts” Serviço gratuito, destinado ao armazenamento e compartilhamento de vídeos . Estes registros abrangem desde material caseiro produzido de forma rudimentar até produções mais sofisticadas que são enviados por usuários, empresas privadas e organizações governamentais. O mais típico exemplo desta família de serviços é o Youtube, site que armazena 20 novas horas de vídeo, a cada minuto .
  • 100. Redes Sociais Ambiente , aberto ou exclusivo, que congrega pessoas com interesses comuns , dispostas a interagir e ampliar relações , por meio da troca de idéias, discussão de temas de interesse comum, busca de soluções para questões propostas, sejam elas de cunho profissional ou pessoal. As mais conhecidas redes hoje disponíveis são: Orkut , Myspace , Facebook , Ning e Linkedin .
  • 101. Vocês terão oportunidade de conhecer e praticar estes e outros recursos na oficina “Ferramentas Sociais Aplicadas a Projetos de Inovação” que integra a grade temática deste curso.
  • 102. Mais informações sobre gestão do conhecimento , inovação , técnicas gerenciais e ferramentas sociais voltadas o setor público podem ser conferidas no Portal do Inova Gestão
  • 103. Muito Obrigado.