Informe Rural - 31/10/13

242 views
166 views

Published on

0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total views
242
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
1
Actions
Shares
0
Downloads
1
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Informe Rural - 31/10/13

  1. 1. Secretaria de Agricultura e Desenvolvimento Rural Informativo do Sistema Público da Agricultura - Ano II - Edição n° 50 - Brasília, 31 de outubro de 2013. Tecnologia acessível ao agricultor familiar GDF promove dia de campo para divulgar equipamentos adequados a pequenas propriedades Mais de 400 agricultores participaram do Dia de Campo de Mecanização Agrícola para a Pequena Propriedade, no Parque Ivaldo Cenci, no PAD/DF. A atividade foi realizada pelo Governo do Distrito Federal, pela primeira vez, com o objetivo de demonstrar na prática o que existe de mais moderno em implementos e equipamentos voltados para a pequena propriedade. O secretário de Agricultura do Distrito Federal, Lúcio Valadão, destacou a importância dos agricultores conhecerem esses maquinários, já que a mão de obra na área rural está cada vez mais difícil. “É fundamental que vocês tenham acesso a esses instrumentos porque isso permite que seus filhos tenham interesse em dar continuidade ao trabalho desenvolvido na área rural do DF”, pontuou. No local foram apresentados desde maquinários a preços acessíveis — como plantadeira, colhedeira e encateirador — a instrumentos simples, como o “arrancador de mandioca” que pode ser construído com duas barras de metal e que acelera a colheita do produto. Os agricultores ficaram satisfeitos com o evento. “Foi compensador, e o engraçado é ver que tudo isso é importante para que possamos utilizar em nossa propriedade. É muito conhecimento”, enfatizou o produtor Antônio dos Santos. O diretor executivo da Emater-DF, Carlos Banci, salientou que a atividade é fundamental para aumentar a produtividade local, uma vez que a área rural do DF tende a manter do mesmo tamanho. “A área pode ser a mesma, mas temos capacidade de aumentar a produtividade local por meio de tecnologias que auxiliem o agricultor”. O Dia de Campo foi organizado pela Emater-DF, junto à Secretaria de Agricultura do DF, BRB, Sebrae e Cooperativa dos Agricultores da Região do Distrito Federal (Coopa-DF). Foram oito estações com os seguintes temas: sistema de plantio direto; pulverização; encanteiramento; plantio e colheita da mandioca; produção de feno em pequenas propriedades; pequenos equipamentos de uso diário na pequena propriedade; demonstração de tratores de pequeno porte; e alternativas de linhas de crédito para a pequena propriedade. Casa própria está mais perto Moradores da Taquara definem comissão que vai acompanhar construção de moradias do programa habitacional rural Moradores do núcleo rural Taquara (região administrativa de Planaltina) se reuniram na noite desta terça-feira (29) para definir os membros da comissão que vai acompanhar a construção de 30 casas por meio do Programa Nacional de Habitação Rural (PNHR). O grupo escolhido deverá atuar junto à Caixa Econômica Federal (CEF), além de participar do projeto social que envolve o programa. Cerca de 30 pessoas participaram da reunião. O PNHR prevê R$ 885 mil para a Taquara — dos quais R$ 855 mil são para a construção das moradias, R$ 18 mil para o projeto de engenharia e R$ 12 mil destinados ao Projeto de Trabalho Técnico e Social (PTTS), que é gerenciado por uma assistente social e prevê o desenvolvimento de ações de apoio e envolvimento das famílias no programa. A Emater-DF, por meio do escritório na Taquara, realiza o trabalho de mobilização e apoio das famílias. Na região, serão 80 casas construídas. O PNHR já entregou dez unidades no assentamento Fazenda Larga, também na região rural de Planaltina. Ao todo, serão construídas 400 moradias no Distrito Federal. Cada família recebe da Caixa um financiamento de R$ 29,5 mil e paga quatro prestações anuais de R$ 286. As casas têm 52m² e possuem sala, cozinha, área de serviço coberta, banheiro e dois quartos. Todas obedecem aos parâmetros de acessibilidade, com rampas e portas com largura mínima para cadeirantes. Experiência brasileira é exemplo para o mundo Representantes do governo da Costa do Marfim visitam o Distrito Federal para conhecer programas de segurança alimentar Representantes do governo da Costa do Marfim estão no Brasil durante esta semana para conhecer a experiência brasileira nos programas de segurança alimenar. A comitiva é liderada pela ministra da Educação do país africano, Kandia Câmara, que pretende implantar políticas públicas para erradicar a fome. Nesta quinta-feira (22), os costa-marfinianos visitaram propriedades rurais no Distrito Federal, e Pela manhã, a delegação visitou a Ceasa-DF, onde puderam ver como funciona a entrega de produtos para o Banco de Alimentos. Em seguida, os africanos almoçaram no Restaurante Comunitário de Brazlândia para ver de perto um dos programas mais eficientes de redução da fome adotados no país. E logo depois, conheceram a Escola Classe Incra 7, na região rural de Brazlândia, onde os alunos recebem refeições com produtos vindos da agricultura familiar. Na sequência, a ministra conheceu a propriedade dos produtores Abdias Moura de Menezes e Noilde Maria de Jesus — ambos no Assentamento Betinho, região administativa de Brazlândia. A experiência dos agricultores atendidos pela Emater-DF comoveu os membros da equipe africana. O foco da visita foram os programas de compras institucionais, onde o governo compra a produção da agricultura familiar para distribuir a entidades que atendem a pessoas em situação de risco alimentar. A ministra Kandiá Câmara se disse muito satisfeita com o que viu em Brasília. “Sei que é impossível fazer o mesmo em nosso país, mas com certeza podemos nos inspirar na experiência brasileira para adaptar algumas práticas à nossa realidade”, explicou. A visita está sendo conduzida pelo Programa Mundial de Alimentos (PMA) — órgão ligado à ONU e que tem parceria com o governo brasileiro para organizar trocas de experiências entre os países para promover a segurança alimentar no mundo. No Distrito Federal, a delegação de Costa do Marfim foi recebida pelo extensionistas Luiz Rocha e Blaiton de Carvalho, da Emater-DF.
  2. 2. Produção com mais qualidade Agricultores do Assentamento Contagem recebem equipamentos para transporte e acondicionamento de alimentos Produtores rurais do Assentamento Contagem, na Fercal, receberam caminhão, frízeres, balanças digital e mecânica e embaladoras à vácuo na manhã desta terça-feira (29). Com a entrega, mais de 300 assentados serão beneficiados. “Tenho certeza que este caminhão e os demais equipamentos vão mudar a realidade dessa região. A comunidade pode sempre contar com a Secretaria de Agricultura e a Emater. É determinação do governador Agnelo que os órgãos de governo atuem de maneira conjunta e é assim que trabalhamos”, explicou o secretário de Agricultura, Lúcio Valadão. Os equipamentos foram obtidos por meio de convênio entre o Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA) e o governo do Distrito Federal (GDF), no valor de R$ 142 mil. A contrapartida do GDF foi de R$ 80 mil. “Esses equipamentos vieram na hora certa. Precisamos muito desse caminhão. Sempre precisamos pagar frete e nem sempre tinha caminhão disponível quando precisávamos, além de encarecer a produção. Agora isso vai mudar”, disse Luiz Valença, produtor de mandioca, banana e maracujá. Para Valadão, a cooperação entre os moradores também pode fazer a diferença para alavancar a geração de renda. “A comunidade que se junta para usar os recursos tem sucesso. Isso é sabido. Mas tem que fazer reunião, debater as coisas, ter solidariedade e acreditar no que faz”, ressaltou. O desenvolvimento foi apontado por Itamar Vitor, presidente da Associação dos Produtores do Projeto Contagem (Approcon), como a principal consequência da entrega dos equipamentos. “Com esses bens que chegaram à associação, vamos ter mais desenvolvimento, conseguir mais recursos, crescer financeiramente e trazer um futuro melhor para as nossas famílias”, disse. Para Tarcísio Marques, presidente do Conselho de Desenvolvimento Rural de Sobradinho, os equipamentos podem trazer mais solidariedade entre os associados. “Esse bem irá trazer à comunidade geração de renda e, possivelmente, união. Isso é muito importante, pois demonstra a importância dos produtores estarem organizados”, apontou. Marques também elogiou o trabalho da Secretaria de Agricultura (Seagri). “Essas conquistas são reflexo da atual gestão da Seagri, totalmente voltada para o desenvolvimento rural, especialmente dos pequenos e médios produtores”, avaliou. História — Criado em 1996, o Assentamento Contagem possui mais de 45 famílias de agricultores, que comercializam principalmente nas feiras de Sobradinho e na Ceasa, além de fornecerem o que produzem ao Programa de Aquisição de Alimentos. A comunidade produz hortaliças, principalmente a mandioca, além da produção leiteira e de frutas como maracujá e banana. A Aprocom também foi uma das contempladas com o projeto Patrulhas de Mecanização Agrícola, que leva tratores e implementos a associações e cooperativas de agricultores familiares. GDF leva melhorias ao Buriti Vermelho Comunidade rural recebe conjunto de mecanização agrícola e Ponto de Encontro Comunitário Os moradores da Colônia Agrícola Buriti Vermelho, na região administrativa do Paranoá, terão mais qualidade de vida com a inauguração do Ponto de Encontro Comunitário (PEC) e produzirão com mais eficiência com a entrega de conjunto de mecanização agrícola, ocorridas no último sábado (26). “O governador Agnelo assumiu o compromisso de levar desenvolvimento para a área rural e a Secretaria de Agricultura trabalha de maneira incessante para cumprir essa determinação”, destacou o secretário de Agricultura, Lúcio Valadão. Exercícios — O Ponto de Encontro Comunitário (PEC), instalado ao lado do Centro de Ensino Fundamental Buriti Vermelho irá beneficiar cerca de mil moradores da região. “Agora nossa vida vai melhorar bastante. Minha mãe tem 69 anos e precisava fazer caminhadas para se exercitar. Ela saia pelas ruas de terra, por onde passam caminhões pesados e eu ficava preocupada”, contou Antônia Arruda, moradora do Buriti Vermelho. “Agora ela tem onde se exercitar e eu posso trabalhar despreocupada. O local se tornou realmente um ponto onde a comunidade se encontra”, completou. “Em dois anos e dez meses, o atual governo já fez mais pela área rural do que o governo que mais tinha feito. Ter investido R$ 15 milhões na agricultura familiar, por meio dos programas de compras institucionais, no último ano, já é muita coisa”, ressaltou o deputado distrital Joe Valle. Para o deputado distrital Rôney Nemer, levar benefícios à área rural é especial. “Quando fui secretário de Obras, o vice-governador Filippelli me falou sobre a importância de ajudar a área rural e realmente é muito prazeroso fazer isso porque vocês participam e cuidam das coisas”, disse Nemer à comunidade. Patrulhas Mecanizadas — A Associação Comunitária da Colônia Agrícola Buriti Vermelho foi uma das contempladas do projeto Patrulha de Mecanização Agrícola, que entrega conjunto de maquinários para preparo da terra e plantio a associações e cooperativas da agricultura familiar. “Essa patrulha veio para esta associação por meio de uma chamada pública. Várias associações se inscreveram e houve concorrência. Tiverem que fazer um plano de uso dos equipamentos, que foi avaliado. A que apresentou o melhor plano, venceu”, explicou Valadão. “As máquinas vão beneficiar muita gente. Não tínhamos trator nem os outros equipamentos. Alugávamos, mas era caro, o trabalho atrasava e não tinha qualidade, além da mão de obra ser escassa. Agora isso vai mudar”, comemorou o presidente da associação vencedora, Ismael dos Santos. Cada conjunto de mecanização é composto por trator agrícola; grade aradora, de 14 discos de 26 polegadas; carreta agrícola, com capacidade para 4 toneladas; enxada rotativa com kit encanteirado e distribuidor de calcário e adubo orgânico com capacidade para 2,5 toneladas. As organizações dos agricultores vencedoras das concorrências poderão ficar com o maquinário por até cinco anos. Em contrapartida, terão que fazer seguro das máquinas e cumprir as demais exigências dos editais. A expectativa é que o conjunto de mecanização auxilie os trabalhos de plantio de mais de 50 famílias de agricultores do Buriti Vermelho. Informativo produzido pelas assessorias de comunicação social: Secretaria de Agricultura e Desenvolvimento Rural (Seagri-DF) - 3051-6347 Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural (Emater-DF) - 3340-3002 Centrais de Abastecimento do Distrito Federal (Ceasa-DF) - 3363-1024 Siga o Sistema Agricultura nas redes sociais: facebook.com/SeagriDF facebook.com/ematerdistritofederal facebook.com/ceasa-df twitter.com/ematerdf

×