No período de 13 a 17 de maio, no Parque
TecnológicoIvaldoCenci,oEspaçodeValorização
da Agricultura Familiar (Evaf), na Ag...
Ouvidoria da Emater comemora aniversário
Um importante canal de comunicação
entre governo e sociedade: a Ouvidoria da
Emat...
Pavimentação da DF 355 e construção de ponte
beneficiam produtores de Planaltina
Os produtores rurais de Planaltina foram
...
Período do Vazio Sanitário do Feijoeiro é divulgado
Foi divulgado, na terça-feira (29), o período
do vazio sanitário do fe...
Secretario de Agricultura discute soluções
com agricultores de Brazlândia
O secretário de Agricultura, Lúcio Valadão,
reun...
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Informe Rural - 05/05/2014

55

Published on

Published in: News & Politics
0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total Views
55
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0
Actions
Shares
0
Downloads
1
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Informe Rural - 05/05/2014

  1. 1. No período de 13 a 17 de maio, no Parque TecnológicoIvaldoCenci,oEspaçodeValorização da Agricultura Familiar (Evaf), na AgroBrasília 2014, apresentará nove rotas com tecnologias de baixo custo com demonstração de métodos de produção orgânica e convencional em harmonia com as práticas agroecológicas. Segundo o coordenador do Evaf, Ricardo Magalhães, extensionista da Emater-DF, o principal objetivo do espaço neste ano é promover e estimular a sustentabilidade da produção. “Vamos mostrar aos agricultores que, mesmo em um sistema de produção convencional, é possível produzir seguindo princípios agroecológicos, reduzindo o uso de defensivos e insumos químicos”, explica. A área, coordenada pela Emater-DF, aumentou de 28 para 40 mil metros quadrados. Durante todos os dias de evento, os visitantes vão receber orientação técnica sobre diversos temas e poder levar para casa o Caderno de Inovações Tecnológicas, com o passo a passo para desenvolver na propriedade o que foi apresentado no Evaf. O Espaço de Valorização da Agricultura Familiar é uma realização da Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do DF (Emater-DF), da Secretaria de Agricultura e Desenvolvimento Rural e Ceasa-DF com apoio do Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA), por meio do Mais Alimentos e Secretaria da Agricultura Familiar —, além do Incra, Sebrae, Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil, Instituto Federal de Brasília, Universidade de Brasília e Embrapa. Queijo Candango — No Evaf será realizado mais um concurso do Queijo Candango. Desde 2012, diversos laticínios do DF vêm sendo capacitados pela Emater-DF para a produção do alimento. Com a inclusão de novos participantes, o concurso vai analisar parâmetros como textura, aroma, odor, sabor e aspecto ao corte e revestimento. O Candango é um queijo meia cura, com a receita elaborada pelo laticinista da Emater-DF, JoséRobertodeOliveira.Oobjetivoépotencializar o mercado de laticínios do DF, além de promover a sustentabilidade, o desenvolvimento da área rural e a criação de cultura de produção de alimentos típicos do DF. O concurso será realizado no dia 15 (quinta-feira), com resultado divulgado no sábado (17). Circuitos do Evaf 1. Horticultura Um dos grandes destaques do Evaf, a rota da horticultura atrai a atenção de muitos produtores. Com 8,5 mil m², a grande novidade do espaço é o consórcio entre as diversas espécies de hortaliças, o que proporciona a otimização da adubação e da irrigação. Serão demonstradas três tecnologias de produção de hortaliças: no campo, em telado e em estufa. No local, são produzidos tomate, pimentão, pepino, alface, pimenta, berinjela, couve-flor, pupunha e mandioca. Os visitantes poderão conferir as diferenças do plantio dessas espécies em canteiros com palhada, mulching e sem cobertura. 2. Leite Muito frequentada devido ao grande número de produtores de leite na região, essa rota vai mostrar um sistema viável de produção de leite Informativo do Sistema Público da Agricultura - Ano II - Edição n° 71 - Brasília, 30 de abril de 2014. Secretaria de Agricultura e Desenvolvimento Rural Sustentabilidade em foco na AgroBrasília baseado em forragens como tifton 85, mombaça e braquiarão. Técnicos estarão à disposição para explicar sobre o manejo das forragens, do pastejo e sobre adubação e irrigação. Também será possível conferir informações sobre alimentação para o período de seca, conservação de forragens e técnicas de fenação e silagem. 3. Avicultura Atividade com expressiva participação no PIB agropecuário do DF e de importância ímpar para a agricultura familiar, a avicultura tem destaque no Evaf. Nessa rota, serão apresentadas todas as fases de cria, recria e engorda das aves caipiras, as técnicas de alimentação com hortaliças e forragens, manejo, sanidade e bem-estar, em três tipos de instalações. 4. Floricultura São 5,8 mil m² com viveiro de plantas ornamentais de corte, como copo-de-leite e lírio, mais 15 canteiros de gladíolos de diversas cores. Haverá também estufa com flores em vaso e apresentadas técnicas de paisagismo, com forrações, arbustos e palmeiras. 5. Piscicultura A Emater-DF tem desenvolvido métodos especiais para esse segmento. A piscicultura é a atividade da pecuária que mais cresceu nos últimos dois anos. No Evaf, três tecnologias foram escolhidas para a demonstração: produção intensiva em tanque de ferrocimento, tanque escavado com tanque-rede e um sistema semi- intensivo em tanque escavado. No evento, está previsto o encontro dos piscicultores do DF e Entorno e venda de produtos específicos para a atividade. 6. Fruticultura Instalada em um módulo com 10 mil m², essa área inova com plantio de uva, mirtilo, nêspera, pêssego e ameixa. Toda área é plantada e conduzida no sistema orgânico, provando que a região, além de ser uma potencial produtora de frutas consideradas exóticas, também pode adotar os ensinamentos agroecológicos. 7. Agroecologia A rota da agroecologia vai apresentar o projeto Sistema Agroflorestal Integrado Agroecológico (Sabia) em 5,2 mil m², onde serão reunidas várias tecnologias agroecológicas em área cercada de agroflorestal com criação de pequenos animais (frango, galinha e ovelhas) e produção de frutas e hortaliças orgânicas. Os visitantes aprenderão a fazer compostos orgânicos e a adotar tecnologias de produção com adubação verde e cultivo protegido. 8. Legislação ambiental Esse tema gera diversas dúvidas aos produtores rurais. Para esclarecê-los e incentivá- los a cumprir a lei, a Emater ensinará como formar uma área de Reserva Legal de baixo custo financeiro. 9. Dinâmica de máquinas e tecnologias adaptadas Em 20 mil m² serão demonstradas máquinas adaptadas à realidade dos nossos produtores familiares, com a oportunidade de compra por meio dos programas de crédito rural disponíveis na feira. Também será o espaço para mostrar 30 tecnologias de baixo custo para o agricultor familiar, como arrancador de mandioca, porta-isca para mosca-da-fruta, curral de pneu e armadilha para formigas. Espaço da Agricultura Familiar terá 40 mil metros quadrados com tecnologias de baixo custo e adaptadas às pequenas propriedades rurais
  2. 2. Ouvidoria da Emater comemora aniversário Um importante canal de comunicação entre governo e sociedade: a Ouvidoria da Emater-DF completou, nesta semana, seis anos de atividades. Para comemorar a data, foi realizado um evento na terça-feira (29), com participação da ouvidora-geral do Distrito Federal, Vera Lúcia Coelho de Medeiros, além de ouvidores de vários órgãos do GDF. Para o presidente da Emater-DF, Marcelo Piccin, a ouvidoria tem desempenhado um papel fundamental na relação da empresa com seu público-alvo. “Graças a esse serviço, temos aprimorado nosso trabalho de extensão”, destacou. Já o presidente da Ceasa, Wilder Santos, informou que, graças à ouvidoria, a instituição está promovendo uma campanha de educação no trânsito para seus usuários e consumidores. De acordo com a ouvidora-geral Vera Lúcia Coelho, desde 2012 uma lei distrital garante o funcionamento das ouvidorias do GDF. “A demanda do cidadão tem que ser encaminhada para o setor responsável e existe um prazo de vinte dias para darmos a resposta”, explicou ela. Vera Lúcia acrescentou ainda que todas as ouvidorias do governo estão interligadas e 3,5 mil servidores foram treinados para executar o serviço. A ouvidoria da Emater-DF tem dado voz ao público-alvo da empresa. Diversos produtores e trabalhadores rurais, além do público externo variado, têm recorrido ao serviço para apresentar queixas, sugestões e elogios ao trabalho desenvolvido pelos extensionistas. A ouvidora da Emater-DF, Maria Mazzarello, explica que a ouvidoria tem promovido uma mudança de cultura e comporamento não só no GDF como em todo o mundo. “Hoje o cidadão tem muito mais consciência de seus direitos e sente que os governos estão de ouvidos abertos para lhe atender. Isso é importante, porque reflete na melhoria do nosso trabalho como servidores”, finaliza
  3. 3. Pavimentação da DF 355 e construção de ponte beneficiam produtores de Planaltina Os produtores rurais de Planaltina foram beneficiados com a pavimentação de 14 quilômetros da rodovia DF 355, que liga os núcleos rurais Tabatinga e Rio Preto, além de uma ponte de concreto que substitui uma estrutura provisória sobre o córrego Ribeirão Jardim. As melhorias, inauguradas no domingo (27), pelo governador Agnelo Queiroz, acompanhado do vice-governador, Tadeu Filippelli, somam R$14,1 milhões em investimentos. Os núcleos rurais têm cerca de 40 mil hectares de área plantada, de onde saem, anualmente, cerca de 200 mil toneladas de grãos. Por isso, a região ostenta o título de maior produtora de grãos do Distrito Federal. “Estamos beneficiando tanto a área produtiva, quanto as 2 mil pessoas que residem na região e terão mais qualidade de vida. Aqui, já temos escolas, postos da Emater e de saúde e uma empresa que emprega 400 funcionários”, destacou o governador Agnelo Queiroz. O presidente da Associação dos Produtores Rurais do Rio Preto, Valcir Canabarro, lembrou que a demanda pelo asfalto na região, onde existem 347 produtores, era antiga. “Esse asfalto veio para preencher uma lacuna que tínhamos há 30 anos para melhorar o escoamento da produção. No passado, já perdemos uma grande produtora de ovos em função desse problema”, disse. Segundo Canabarro, outra empresa, produtora de ração instalada no local, chega a empregar 200 pessoas. “Por isso, a obra é indispensável do ponto de vista econômico e para o desenvolvimento do DF”, complementou. Já o presidente da Associação de Agricultores de Tabatinga, Wilson Thomas, destacou que a ação reduzirá os custos de produção. “Essa pavimentação vai nos trazer economia, porque gastamos muito com a manutenção dos caminhões, que enfrentavam chão de terra batida e lama”, afirmou. Segundo o coordenador das Cidades, Francisco Machado, essa é mais uma obra realizada pelo Orçamento Participativo. “Essa obra foi elencada como uma das prioridades em uma plenária realizada em 2012 e que foi plenamente atendida”, finalizou. (A.S./I.M.) Fonte: Ailane Silva - Agência Brasília
  4. 4. Período do Vazio Sanitário do Feijoeiro é divulgado Foi divulgado, na terça-feira (29), o período do vazio sanitário do feijoeiro de 2014, em reunião ocorrida no auditório da Coopa-DF, com produtores rurais. Durante a reunião, os servidores da Secretaria de Agricultura e Desenvolvimento Rural (Seagri) também dialogaram com os agricultores acerca do vazio sanitário do ano passado. Neste ano, o vazio sanitário do feijoeiro será entre 20 de setembro e 20 de outubro. Além do DF, Minas Gerais e Goiás também adotaram o mesmo período. Agricultores que desrespeitarem o vazio ficam submetidos a sanções, multas e até a erradicação das plantações existentes. Para Lara Line, engenheira agrônoma da Seagri, a mentalidade do agricultor tem mudado junto com o caráter da fiscalização, que mais do que punir busca melhorar as práticas de cultivo. “O produtor rural deixou de pensar na fiscalização como inimiga, e sim como aliada”, pondera. As multas partem de R$ 15 mil, além de sanções administrativas e até ações penais, pois a proliferação de pragas é considerada um crime ambiental. A reunião foi conduzida pelo subsecretário de Defesa e Vigilância Agropecuária, Alexandre Cenci e por Lara Line. A ação visa combater o mosaico dourado, praga que ataca o feijão e causa grandes perdas na produção. Com o vazio sanitário, espera-se quebrar o ciclo da doença. As medidas para combater a praga foram reivindicadas pelos próprios agricultores do DF, o que faz com que eles sejam, também, fiscais do cumprimento do vazio. O DF foi protagonista em tomar ações emergenciais e buscou pesquisas junto a Embrapa Arroz e Feijão, que sugeriu o vazio sanitário. Entretanto, para o eficiente combate, era preciso que Minas Gerais e Goiás, estados limítrofes com o DF, também realizassem seus vazios sanitários, o que ocorreu. Vazio Sanitário do Feijoeiro - é um período de ausência de plantas vivas nas lavouras de feijão que visa combater o mosaico dourado, doença causada por vírus que vem causando sérios danos econômicos, chegando até a inviabilizar o cultivo em algumas épocas do ano. O período adotado para o vazio, historicamente, registra o menor cultivo do grão, e, por isso, não acarretará prejuízos aos agricultores. Produtores buscam melhorar atendimento ao cliente A qualidade do atendimento ao cliente é essencial para qualquer negócio. E os produtores rurais, preocupados com essa questão, buscaram um curso de atendimento ao cliente junto à Emater-DF. A unidade local da empresa em Brazlândia realizou, na terça- feira (29), uma capacitação para produtores que comercializam no Empório Rural e na Morangolândia, da Festa do Morango, e para agricultoras que fabricam panificados. A gerente de Desenvolvimento Social da Emater, Selma Tavares, contribuiu com atividades que facilitaram a compreensão sobre o mal e bom atendimento e que estimularam a pensar sobre o diferencial competitivo dos produtos da região. Os participantes também aprenderam um pouco sobre produção associada ao turismo e gestão e formação de preço. Para a produtora Maria José Pereira, do assentamento Betinho, o curso contribui para diferenciar o bom e mal atendimento e aprender sobre os diferentes tipos de clientes.
  5. 5. Secretario de Agricultura discute soluções com agricultores de Brazlândia O secretário de Agricultura, Lúcio Valadão, reuniu-se com produtores rurais de Brazlândia e debateu soluções para as demandas da região e para viabilizar a comercialização. Valadão ressaltou as melhorias realizadas na infraestrutura da Ceasa, os programas de compras institucionais, a ampliação do acesso ao crédito – com a operacionalização do Pronaf pelo BRB - e os benefícios da organização social. Para o secretário de Agricultura, o fortalecimento das organizações sociais é ponto chave para o desenvolvimento da agricultura. “Quando se tem uma associação forte, as pessoas são beneficiadas. O objetivo de criar associações e cooperativas é fazer com que os produtores cresçam economicamente”, enfatizou. Outro aspecto frisado por Valadão foi a força que a união e a organização dos agricultores traz, para que as reinvindicações sejam atendidas com mais celeridade. Valadão também abordou a importância da comercialização e do papel que as associações e cooperativas têm para valorizar a produção agrícola. Reinvindicações O presidente da Associação dos Produtores Rurais de Alexandre Gusmão (Aspag), José Souza Bezerra, falou sobre a necessidade de modernizar a rede elétrica para diminuir as quedas de energia e os consequentes prejuízos. O secretário se comprometeu em dialogar com a Companhia de Energia de Brasília (CEB) para encaminhar a melhor solução. Também foi questionada a pavimentação das vias da região. Valadão mencionou o estudo determinado pelo governador Agnelo para todas as áreas rurais para identificar as rotas prioritárias. “Verificamos as rotas com mais transporte de carga e com escolas. A proposta é interligar todas as rotas que têm escolas, para trazer mais dignidade e qualidade de vida para os estudantes e aproveitar para beneficiar também toda a área rural”, explicou Valadão. A construção de posto médico também foi abordada e o secretário se comprometeu em contatar o Incra, pois a área está em terras da união e com a Secretaria de Saúde para solucionar a questão. Também foi abordado o policiamento rural. O secretário de Agricultura falou sobre a criação do grupamento de policiamento rural e forneceu número de telefone para contato direto com o oficial responsável pelo policiamento rural. “Esse diálogo nos ajuda muito. Ao ter contato direto com o secretário, expomos nossas necessidades e temos uma resposta mais rápida. Toda a comunidade está muito satisfeita com a presença dele esta noite”, disse Bezerra. Informativo produzido pelas assessorias de comunicação social: Secretaria de Agricultura e Desenvolvimento Rural (Seagri-DF) - 3051-6347 Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural (Emater-DF) - 3311-9337 Centrais de Abastecimento do Distrito Federal (Ceasa-DF) - 3363-1024 Siga o Sistema Agricultura nas redes sociais: facebook.com/SeagriDF facebook.com/ematerdistritofederal facebook.com/ceasa-df twitter.com/ematerdf

×