Informe Rural - 22/11/13
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×
 

Informe Rural - 22/11/13

on

  • 134 views

 

Statistics

Views

Total Views
134
Views on SlideShare
134
Embed Views
0

Actions

Likes
0
Downloads
0
Comments
0

0 Embeds 0

No embeds

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Adobe PDF

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

    Informe Rural - 22/11/13 Informe Rural - 22/11/13 Document Transcript

    • Secretaria de Agricultura e Desenvolvimento Rural Informativo do Sistema Público da Agricultura - Ano II - Edição n° 53 - Brasília, 22 de novembro de 2013. Emater mobiliza jovens para limpeza do córrego Taquara Com monitoramento técnico da Emater-DF e do Corpo de Bombeiros, alunos e professores do Centro Educacional Taquara realizaram mutirão de limpeza no Córrego Taquara nesta quinta-feira (21), como parte das atividades da 8ª Campanha de Combate ao Lixo. A ação retirou pneus e encheu diversos sacos com garrafas, latas, plástico, calçados, papel, isopor e diversos outros itens que poluíam o córrego. Com a atividade, os alunos conheceram um pouco mais sobre a importância da água para a região e puderam se inspirar para o concurso de redação sobre o Córrego Taquara, organizado pela Emater-DF em parceria com a escola. Luana Pereira Santana, aluna da 6ª série, entende que a sujeira é prejudicial ao meio ambiente e à saúde das pessoas. “Entope as passagens da água, polui a terra e a água não fica boa para banho”, falou. Já Kaliane Gonçalves diz que leva para casa o que aprende. “Quando passamos o final de semana no rio, sempre levamos sacos para não deixar nenhum lixo”, contou. Campanha – Há oito anos a Emater-DF e a prefeitura comunitária do núcleo rural Taquara organizam a campanha de combate ao lixo e saúde ambiental. O objetivo principal é promover a saúde e o bem-estar da população, bem como preservar o meio ambiente. Com a mobilização de alunos e da comunidade, a Emater busca a integração dos moradores e a conscientização sobre a importância de um ambiente limpo e preservado. A cada ano, novas atividades e parcerias são firmadas. Os produtores rurais passaram a contribuir com a doação de resíduos de plástico usados na produção em estufas. Neste ano, foram 3,5 toneladas de plástico arrecadadas. “Vendemos o material para a indústria de reciclagem e, com o dinheiro, investimos na campanha. Compramos objetos para fabricação dos puffs de pneu, equipamentos de proteção e alimentação para os voluntários da campanha e a premiação do concurso de redação”, conta a extensionista da Emater-DF, Cátia Regina de Freitas. Com os pneus usados, recolhidos durante a campanha, a Emater realiza oficinas de fabricação de puffs junto aos estudantes, que vão utilizá-los na sala de leitura da escola. A programação da campanha vai até esta sexta-feira (22), com a exposição de puff e papel reciclado e a divulgação do resultado do concurso de redação. Além dos estudantes e da comunidade local, a campanha tem o apoio de voluntários do Centro de Reintegração Deus Proverá e de instituições como o Corpo de Bombeiros, o Serviço de Limpeza Urbana (SLU), o Centro Educacional Taquara e o posto de saúde local.
    • Produtora vai trabalhar com gado de leite A produtora rural Rejane Pereira de Souza vende milho e verduras na Pedra da Ceasa há 10 anos e agora planeja agregar outro produto, desta vez com a produção de gado de leite. Ela diz que é a primeira vez que irá atuar junto ao sistema financeiro, pois o novo projeto foi elaborado pela Emater e já foi enviado ao Banco Regional de Brasília. A família de Rejane é dona do sítio Santa Bárbara localizado na região conhecida como Ponto Alto, próximo ao Gama. A área com 26 hectares está em processo de regularização e sempre no ponto para o cultivo da produção base do sítio, que é a verdura e o milho. “A documentação é demorada e isso tem desviado o nosso foco produtivo. Mas a regularização é importante para os planos futuros da família”, diz a produtora rural. Com relação a Ceasa, Rejane reconhece que a atividade comercial está ganhando mais impulso e que isso tem valorizado o seu espaço na Pedra, que hoje está bem mais movimentado que antes. “Meus clientes confiam na mercadoria nova e de boa qualidade”, explica. Para ela, uma das diferenciações na atual administração é o diálogo direto e objetivo que os diretores mantêm com os setores em atividades, e que isso ajuda a resolver os problemas. “As coisas aqui estão andando, dá pra ver que a atual direção está tentando fazer o seu trabalho. Tenho esperança no futuro”, diz Rejane. Sobre usar agrotóxico no cultivo, ela explica que recebe orientações dos técnicos da Emater e que trabalha para diminuir cada vez mais as doses usadas. Rejane tem consciência sobre o movimento mundial em favor da produção orgânica, mas reconhece que, por enquanto, não é possível parar completamente com o agrotóxico. “O processo para produzir orgânico é diferenciado e dispendioso, mas é isso que nós, produtores rurais, devemos esperar para o futuro. As campanhas em favor da alimentação orgânica não param de crescer”, explica Rejane Pereira. Emater promove curso de Boas Práticas Agrícolas A Colônia Agrícola Cabeceira do Valo se carecteriza pela forte produção de hortaliças folhosas. Alface, rúcula, couve, salsa, coentro e agrião são alguns dos produtos que saem todos os dias da região e seguem para feiras e mercados de todo o DF. Para qualificar os trabalhadores e produtores locais, a Emater-DF promoveu um curso de Boas Práticas Agrícolas (BPA) na comunidade. As aulas se encerram nesta sexta-feira (22). Dividido em três etapas, o curso aborda temas como higiene dos alimentos, qualidade da água, saneamento rural, prevenção de doenças ocupacionais, importância dos equipamentos de proteção individual, manejo de agrotóxicos e os cuidados na colheita e pós-colheita. “É um curso bastante completo, onde abordamos todas as etapas da produção, com os cuidados necessários para uma produção de qualidade”, informa o engenheiro agrônomo Antônio Dantas, um dos instrutores das aulas. Pró-Folhosas — O curso, organizado pelo escritório da Emater-DF em Brasília, faz parte do Programa de Saneamento da Produção e Distribuição de Hortaliças Folhosas do DF (Pró-Folhosas). Criado a partir de uma portaria conjunta entre a Emater e a Secretaria de Saúde, o programa capacita certifica os produtores. Assim, os vegetais chegam à mesa do consumidor com todas as garantias de higiene e qualidade. O curso é ministrado também pelas extensionistas rurais Roseli Garcia, Ana Paula Rosado (do escritório Brasília) e Letícia Martinez, do escritório central. Produtora de flores recebe comitiva Latino-Americana “É muito triste para uma mulher ir ao shopping e não poder comprar nada ou ter que pedir dinheiro para o marido para tudo, hoje eu tenho a minha renda e compro o que quiser”. Este foi o depoimento da agricultora Marlene Estrela, moradora do Núcleo Rural São José, em Planaltina-DF. Ao caminhar pela estufa de plantas de mais de 100m² ela lembra, com orgulho, que quando começou, há pouco mais de cinco anos, eram apenas cinco vasos. Marlene recebeu na tarde desta quarta-feira (20) um grupo de pessoas que representa países latino-americanos como Bolívia, Chile, Paraguai, entre outros, para ver na prática como funciona o sistema de cooperativismo no DF por meio da Multifibras e da Multiflor. A visita faz parte do IV Encontro Anual da Rede Latino-Americana de Serviços de Extensão Rural (Relaser), promovido pelo Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA). Cenário no DF – Na mesma manhã o presidente da Emater-DF, Marcelo Piccin, esteve com o grupo e mostrou um pouco do trabalho integrado do Sistema Público de Agricultura do DF – Secretaria de Agricultura do DF, CeasaDF e Emater-DF. Integração que atende no DF todos os agricultores familiares por meio de políticas públicas do governo. “As políticas públicas permitiram a criação de um ciclo que viabiliza desde o escoamento da produção até o atendimento às entidades socioassistenciais. É qualificação, acesso ao crédito com isso melhoria na produção, garantia de venda para programas do governo e entrega de alimentos adequados as pessoas mais necessitadas”. Seminário - Qualificar os serviços de assistência técnica na América Latina e promover sua articulação com a pesquisa são os principais desafios dos países que participam do IV Encontro Anual da Rede Latino-Americana de Serviços de Extensão Rural (Relaser). A reunião, promovida pelo Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA), termina nessa quinta-feira (21), em Brasília (DF), conta com representações de instituições públicas e privadas, profissionais da Extensão Rural e Pesquisa Agropecuária e agricultores de 16 países: Argentina, Bolívia, Brasil, Chile, Colômbia, Costa Rica, Equador, Estados Unidos, Guatemala, México, Nicarágua, Panamá, Paraguai, Peru, República Dominicana e Uruguai. Informativo produzido pelas assessorias de comunicação social: Secretaria de Agricultura e Desenvolvimento Rural (Seagri-DF) - 3051-6347 Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural (Emater-DF) - 3340-3002 Centrais de Abastecimento do Distrito Federal (Ceasa-DF) - 3363-1024 Siga o Sistema Agricultura nas redes sociais: facebook.com/SeagriDF facebook.com/ematerdistritofederal facebook.com/ceasa-df twitter.com/ematerdf