Informe Rural - 19/06/2013

228 views

Published on

0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total views
228
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
2
Actions
Shares
0
Downloads
2
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Informe Rural - 19/06/2013

  1. 1. Informativo do Sistema Público da Agricultura - Ano II - Edição n° 31 - Brasília, 19 de junho de 2013. Secretaria de Agricultura e Desenvolvimento Rural Projeto vai ampliar produtores de água no Distrito Federal “A água é um bem de todos. Preservar traz benefícios ao produtor, que tem esse recurso disponível para produzir, ao gover- no local, que gastará menos com o tratamento da água, e aos próprios moradores da cidade que terão água de melhor qualidade”, acredi- ta o agricultor rural Gilmar Pio Fer- nandes, um dos primeiros produto- res de água na bacia do Ribeirão Pipiripau (DF). Ele faz parte do Projeto Produ- tor de Água no Pipiripau. Com a iniciativa, ele adotou melhores prá- ticas de conservação e recupera- ção do solo e dos mananciais de sua propriedade. Por isso, ele re- ceberá uma remuneração por meio do mecanismo de PSA (Pagamen- to por Serviços Ambientais). Para que mais agricultores ru- rais se tornem novos produtores de água por meio do projeto de re- cuperação e preservação da bacia, acontece no próximo dia 22, na re- gião de Taquara (Planaltina-DF), o evento “Brasília: Preservando e Produzindo”, com o objetivo de mostrar a potenciais novos produ- tores de água as possibilidades de se produzir e preservar os recur- sos naturais. O dia conta com uma progra- mação especial: ao longo da ma- nhã, os agricultores irão conhecer modelos de preservação ambien- tal distribuídos por seis estações temáticas – incluindo duas proprie- dades que participam do projeto. Às 12h30, serão anunciados novos benefícios do projeto e assinados contratos com produtores rurais. Para a tarde, estão programadas diversas atrações, como feira de artesanato, plantio de mudas, ofi- cina sobre alimentação saudável e apresentação de duplas caipiras. A Bacia do Pipiripau ocupa uma área de 23.527 hectares, onde se concentram diversas atividades econômicas – produção de frutas, grãos, carnes, proteção ambiental e captação de água para abaste- cimento de 180 mil habitantes de Planaltina e Sobradinho. A ativida- de agropecuária ocupa aproxima- damente 71% da área. O Projeto Produtor de Água no Pipiripau é concebido pelo Pro- grama Produtor de Água, da ANA (Agência Nacional de Águas) e, no Distrito Federal, é executado por diversas instituições como a Ema- ter-DF e a Secretaria de Agricultura e Desenvolvimento Rural (Seagri- -DF). Ao longo de dez anos, o projeto deverá investir R$ 40 milhões em ações de recuperação ambiental na bacia pelo mecanismo de PSA e incentivos para adoção de prá- ticas de conservação do solo, de nascentes da vegetação nativa e de restauração ou conservação de Áreas de Preservação Permanen- te (APP). Essas ações buscam, sobretudo, favorecer a infiltração de água e a consequente recarga do lençol freático. “O projeto olha e beneficia to- dos os lados: produtor, governo e sociedade. Para mim, ele é um in- centivo a mais para que os produ- tores rurais recuperem as áreas de preservação ambiental, pois ofe- rece de graça todo o apoio neces- sário. Eu acredito que é possível ter um retorno também financeiro, além do ambiental, quando preser- vamos”, conclui Fernandes. Atualmente, 50 produtores es- tão inscritos voluntariamente no projeto. Entre eles, 32 já adotam melhores práticas. Na bacia do Ribeirão do Pipiri- pau, o Projeto Produtor de Água é uma iniciativa da ANA com mais 16 parceiros, entre instituições pú- blicas (federais e distritais) e or- ganizações não governamentais: Agência Reguladora de Águas e Saneamento do Distrito Federal (Adasa), Ministério da Integra- ção Nacional, Superintendência de Desenvolvimento do Centro- -Oeste (Sudeco), Companhia de Saneamento Ambiental do Dis- trito Federal (Caesb), Secretaria da Agricultura, Emater-DF, Ibram, Banco do Brasil, Fundação Banco do Brasil, Fundação da Universi- dade de Brasília, Instituto de Con- servação Ambiental- TNC, WWF- -Brasil, Serviço Social da Indústria (Sesi), Embrapa Cerrados, Secre- taria de Estado de Meio Ambiente e Recursos Hídricos-DF. Brasília: Produzindo e Preservando Dia: 22 de junho de 2013 Horário: 8h30 às 16h Local: Núcleo Rural Taquara Recepção na Chácara 14 (La Bromélia) – Planaltina (DF) Veja a programação completa no site www.emater.df.gov.br. Produtores recebem orientação técnica da Emater-DF e quase 72 mil mudas doadas pela Secretaria de Agricultura
  2. 2. Últimos dias para concorrer a patrulhas mecanizadas A Secretaria de Agricultura e Desenvolvimento Rural prorrogou o prazo para associações e coo- perativas agrícolas concorrerem a conjuntos de mecanização para serem utilizados nos cultivos das lavouras. As inscrições vão até 29 de junho. edifício Sede – no fim da Asa Nor- te. Os conjuntos de mecanização, chamados de patrulhas agríco- las, são formados por trator agrí- cola (com 75 cv); grade aradora, de 14 discos de 26 polegadas; carreta agrícola, com capacidade para 4 toneladas; enxada rotativa com kit encanteirado e distribui- dor de calcário e adubo orgânico com capacidade para 2,5 tonela- das. A secretaria ainda tem cinco conjuntos de maquinários. As en- tidades agrícolas interessadas po- dem participar, conforme orienta o edital de chamamento público nº 5/2013, até 14 de junho. Mais informações pelos fo- nes:(61) 3051-6414 ou 6416 As entidades agrícolas inte- ressadas devem entregar a docu- mentação para habilitação de par- ticipação da concorrência, exigida no edital de chamamento público nº 5/2013, na Seção de expedien- te da Secretaria de Agricultura, localizada no SAIN Parque Rural, Dia de Campo apresenta vantagens da agroecologia Durante o Dia de Campo rea- lizado nesta sexta-feira (14), no assentamento Contagem (Sobra- dinho-DF), a produção orgânica e agroecológica foram destacadas como um diferencial de mercado para os agricultores familiares. Nos programas de compras go- vernamentais, esses produtos podem render 30% a mais que os convencionais, além de atende- rem ao mercado consumidor que valoriza a produção sustentável. Cerca de 80 produtores de di- versos assentamentos do DF par- ticiparam do evento, realizado a propriedade da assentada Lúcia Rodrigues Oliveira, que há dois anos iniciou o processo de tran- sição agroecológica. Hoje possui certificação orgânica e acessa a diversas políticas públicas gover- namentais como o Programa de Aquisição de Alimentos. O Dia de Campo contou com quatro estações temáticas. Na pri- meira, o extensionista da Emater- -DF Roberto Carneiro fez uma introdução sobre a agroecologia, seguido de um relato de Lúcia sobre sua vivência agroecológi- ca. Na segunda estação, os par- ticipantes puderam conhecer mais sobre sistemas agroflorestais e controle biológico de pragas, apresentados por um bolsista do CNPq e por pesquisadores da Embrapa Cenargen. Informações sobre certificação orgânica e Pro- grama Agroecológico Integrado Sustentável (PAIS) foram apre- sentadas na terceira etapa, por um consultor do Sebrae e pelo idealizador do PAIS, Aly Ndiaye. A importância da gestão econômi- ca da propriedade e informações sobre o mercado orgânico foram tema da última parte do evento, com a apresentação da extensio- nista Loiselene Carvalho em par- ceria com o Sebrae. Para Lúcia, o maior benefício do evento é poder compartilhar sua experiências com outros pro- dutores. “Sozinhos não chega- mos a lugar nenhum. Temos que aprender juntos. Quem fizer o que fizemos aqui vai ter uma vida me- lhor, com comida mais saudável, com economia de água e insu- mos”, disse. Para o futuro, ela es- pera tirar mais resultados do seu sistema agroflorestal e agregar mais valor ao seus produtos. O produtor Joel Félix dos San- tos, do assentamento Márcia Cor- deiro Leite, disse que quer aplicar tudo o que aprendeu. “Com o que aprendi vou poder praticar na ter- ra. Hoje planto mais para comer. Se a comunidade se juntar pode- mos um dia ter certificação e ven- der orgânicos”, falou. O Dia de Campo, organiza- do pela unidade da Emater em Sobradinho, faz parte das ações previstas no contrato firmado com o Incra para o atendimento a assentamentos do DF e Entor- no. Além de técnicos da Emater, prestigiaram a ação o Secretário de Agricultura, Lúcio Valadão e o presidente da Emater-DF, Marcelo Piccin.
  3. 3. O sonho da casa própria e de morar com dignidade não é ape- nas dos moradores da área urba- na. Os moradores da área rural compartilham do mesmo sonho, mas o acesso às informações, muitas vezes, é um dos empeci- lhos para que eles consigam par- ticipar de programa do governo, alguns se quer sabem que podem se enquadrar no perfil ou mesmo que a área rural também pode ser beneficiada com os programas. O governo federal, por meio do Programa Nacional de Habitação Rural, que integra o Programa Minha Casa, Minha Vida, busca garantir subsídio financeiro para a produção de moradia aos agri- cultores familiares e trabalhadores rurais. E o papel do governo do estado é criar condições para que os moradores da área rural aces- sem as políticas públicas. Por isso a Emater-DF, desem- penhando seu papel de promover o desenvolvimento rural sustentá- vel, está viabilizando o acesso às informações a todos os moradores da área rural. Desde que a ação começou, em janeiro deste ano, quase mil pessoas já participaram da reunião de apresentação do Programa Nacional de Habitação Rural. Somente esta semana fo- O sonho da casa própria mais próximo na área rural do DF Programa Nacional de Habitação Rural está sendo apresentado às famílias rurais ram mais de 200 pessoas nos Nú- cleos Rurais Taquara e São José, ambos em Planaltina-DF. A agricultora familiar Kelly Cris- tina Penna, moradora do Núcleo Rural Taquara, está dentro do perfil dos beneficiados ela não vê a hora de começarem as obras. “Meu sonho é ver minha casa toda arrumadinha, organizadinha, con- fortável, vai ser um lugar melhor até para criar meus filhos”, res- salta ela que mora há mais de 20 anos na mesma casa. O assessor técnico da Emater- -DF, Marcelo Silva, lembra que essa divulgação é importante para que as pessoas entendam como se dará todo o processo, e que com transparência é possível me- lhor a qualidade de vida de quem vive na área rural do DF. “Precisa- mos mostrar para essas pessoas que elas têm tanto direito quanto um morador da área urbana de vi- ver em um local adequado e pró- prio”. Quem pode - São beneficiá- rias do PNHR as pessoas físicas, agricultores familiares e trabalha- dores rurais, com renda familiar bruta anual máxima de R$15 mil, comprovada mediante declaração de Aptidão ao PRONAF (DAP), no caso de agricultores familiares. Carteira de trabalho ou contrato de trabalho ou declaração em pa- pel timbrado de cooperativa/sindi- cato/associação de que o propo- nente participa ou declarada pelo empregador com firma reconhe- cida em cartório ou por compro- vante de proventos do INSS, se aposentado de caráter permanen- te – se trabalhador rural. São tam- bém beneficiários do Programa e se enquadram como agricultores familiares: pescadores artesanais; extrativistas; silvicultores; aquicul- tores, maricultores, piscicultores; comunidades quilombolas; povos indígenas; outras comunidades tradicionais. Valores - O valor de cada casa pode ser de até R$ 28,500 mil para construção e R$ 17,200 para reforma, ou seja, aquelas famílias que tem casa mas em inadequa- das terão melhorias também. Para saber se sua família en- quadra no processo, procure a unidade da Emater-DF mais pró- xima de sua região.
  4. 4. Produtores discutem com governo Projeto de Lei de orgânicos Informativo produzido pelas assessorias de comunicação social: Secretaria de Agricultura e Desenvolvimento Rural (Seagri-DF) - 3051-6347 Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural (Emater-DF) - 3340-3002 Centrais de Abastecimento do Distrito Federal (Ceasa-DF) - 3363-1024 Produtores discutem com go- verno Projeto de Lei de orgânicos Produtores de orgânicos parti- ciparam, na tarde desta segunda- feira (17), na sede da Emater-DF, da discussão da Política Distrital de Agroecologia e Incentivo à Pro- dução Orgânica no Distrito Fede- ral, que cria a Comissão Distrital de Agroecologia e Produção Or- gânica (CDAPO) e institui o Pro- grama de Fomento à Transição Agroecológica, Produção de Base Agroecológica e orgânica do Dis- trito Federal (PROFAO). De acordo com o presidente da Emater-DF, Marcelo Piccin, trazer este documento para discussão é de extrema importância porque demonstra o comprometimento e a transparência do governo para com quem será beneficiado dire- tamente. O secretário de Agricultura do DF, Lúcio Valadão, acompanhou toda a discussão e reforçou a im- portância de institucionalizar uma política de estado voltada para os produtos orgânicos. “Temos que aproveitar este momento que te- mos um legítimo representante da área rural na Câmara Legislativa do DF, o deputado Joe Valle, e via- bilizar o máximo de melhorias que podem ser feitas no segmento pro- dutivo do DF”, disse ele reforçan- do o compromisso do governador Agnelo com a área de orgânicos. O deputado distrital, Joe Valle, que também é produtor rural, lem- brou que este é apenas um pas- so para a construção de uma Lei efetiva, mas que outros momentos para discussão e melhoria da Lei serão abertos. Após a sistematização das sugestões o documento será en- tregue para o governador Agnelo para tramitar na Câmara Legisla- tiva do Distrito Federal, o que de- verá acontecer nos próximos dias.

×