• Like
  • Save
Informe Rural - 01/08/13
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×
 

Informe Rural - 01/08/13

on

  • 155 views

 

Statistics

Views

Total Views
155
Views on SlideShare
155
Embed Views
0

Actions

Likes
0
Downloads
0
Comments
0

0 Embeds 0

No embeds

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Adobe PDF

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

    Informe Rural - 01/08/13 Informe Rural - 01/08/13 Document Transcript

    • Informativo do Sistema Público da Agricultura - Ano II - Edição n° 37 - Brasília, 1º de agosto de 2013. Secretaria de Agricultura e Desenvolvimento Rural Cooperativa Agropecuária de São Sebastião inaugura nova sede Aumentar o processa- mento de leite de 10,5 mil litros por dia para 30 mil em apenas dois anos é a meta da Cooperativa Agropecuária de São Sebastião (Copas), com nova sede administrativa inau- gurada hoje, que possibilitará também o fortalecimento da ca- deia produtiva leiteira no DF. “Essa foi a primeira coopera- tiva que assinou contrato com o GDF pelo Programa de Aquisi- ção de Produtos da Agricultura (Papa-DF), e pretendemos aju- dar ainda mais, para aumentar a produção”, afirmou o governa- dor Agnelo Queiroz. De acordo com o presiden- te da cooperativa, Luiz Torres, a inauguração da nova sede é apenas o primeiro passo para se alcançar a meta planejada. “Somos a única cooperativa que faz o processamento de leite no DF. Nosso objetivo é triplicar a área da indústria para conse- guirmos a produção estimada.” Caminhada exaltada também pelo vice-governador Tadeu Fi- lippelli, que ressaltou dois pon- tos de extrema importância com a inauguração da sede adminis- trativa e ampliação da indústria. “Este pequeno ato é responsá- vel pela sustentação da bacia leiteira do DF e incentivo à agri- cultura familiar.” Por meio do Programa Na- cional de Alimentação Escolar (PNAE), a Copas fornece bebi- da láctea e iogurte a escolas pú- blicas, num contrato de R$877 mil com a Secretaria de Edu- cação do DF. “À medida que o governo abre essas portas po- demos nos fortalecer”, afirmou Torres. ACopas, atualmente com 171 cooperados – 72% empreende- dores familiares – produz bebi- da láctea, iogurte, manteiga, e cinco tipos de queijo (muçarela, minas padrão, minas frescal, ri- cota e trançado). Com o convênio, no total de R$8,4 milhões, a entidade fornece leite, iogurte e queijo para a Secretaria de Desenvol- vimento Social e Transferência de Renda (Sedest), que repas- sa os produtos a entidades so- cioassistênciais. Há, também, contratos de R$115 mil com o BRB, para a entrega de leite e manteiga. Instituição pretende aumentar processamento de leite de 10,5 mil litros por dia para 30 mil
    • Escritório em Cristalina-GO atenderá mais de 460 famílias Foi inaugurado, nessa ter- ça-feira (30), o escritório especial da Empresa de Assis- tência Técnica e Extensão Ru- ral (Emater-DF) em Cristalina- -GO. Desde maio, começaram a ser atendidas mais de 460 fa- mílias de quarto assentamen- tos: Vista Alegre, Buriti das Ga- melas, São Marcos e Manacá. A produtora Meire Teresi- nha dos Reis Pereira, do as- sentamento Vista Alegre, diz que a expectativa da comu- nidade é grande. “Até então só havia promessas e falta de suporte. Isso gerou muita des- motivação e 15 famílias esta- vam para desistir de produzir. Agora com a assistência da Emater-DF acredito que as coisas vão melhorar”, conta. Na solenidade oficial, o pre- sidente da Emater-DF, Marce- lo Piccin, disse que “a Ema- ter do Distrito Federal está vindo para cooperar com os esforços da Emater-GO e da prefeitura para levar qualida- de de vida ao meio rural e, consequentemente à cidade, que terá produtos da região e de qualidade para consumo”. O serviço da Emater-DF foi contratado por Furnas Centrais Elétricas pelo período de três anos para atender às famílias afetadas pela construção da Barragem de Batalha, onde será instalada uma usina hidre- létrica, e que parte da região foi inundada. A gerente de Res- ponsabilidade Sociocultural de Furnas, Ana Cláudia Gesteira disse que “é uma alegria mui- to grande fortalecer a parceria com a Emater para o desenvol- vimento socioeconômico das famílias dos assentamentos”. Cristalina-GO é reconheci- da pela sua grande produção agrícola e por conter a maior área irrigada da América La- tina. Entretanto, o secretário de Agricultura do DF, Lúcio Valadão, ressaltou que esse é o momento de a agricultura familiar também ser colocada em um outro patamar de de- senvolvimento. “A agricultu- ra familiar de Cristalina tem a capacidade de ser um exem- plo para todo o País”, disse. Além dos benefícios aos produtores, o prefeito de Cris- talina Luiz Carlos Attié lembrou que resultados da agricultura também chegarão às casas de cada morador da cidade e contribuirão para melhor distri- buição de renda no município. Diagnóstico Nesta semana a Emater-DF iniciou a capacitação de agen- tes de desenvolvimento do as- sentamento. São moradores das comunidades atendidas que contribuirão para aplica- ção dos questionários do Índi- ce de Desenvolvimento Comu- nitário Rural (IDCR). Esse é o primeiro passo para levantar dados em seis dimensões: am- biental, agroecológica, apro- priação tecnológica, econô- mica, cidadania e bem-estar. Com o IDCR é possível ve- rificar a realidade local para a elaboração coletiva de um planejamento de intervenção interinstitucional e do Plano de Recuperação do Assenta- mentos (PRA). Referente ao curso de agente de desenvol- vimento, Vanessa dos Santos Brandão Ferreira, do assen- tamento Vale do São Marcos, disse que passou a ter um sen- timento de união com outros assentamentos. “Vimos que nossa realidade não é única. Apesar da distância entre os assentamentos nossos ideais são próximos. Somos agentes de desenvolvimento da nos- sa realidade e a Emater vai dos orientar para isso”, falou. Além do diagnóstico das co- munidades, a Emater já dividiu grupos de interesse para pro- dução e os levou para a Agro- brasília, em maio deste ano. Ações garantem melhor qualidade de vida à população rural Escritório da Emater-DF em Cristalina Endereço: Rua da Saudade, Quadra 35, lote 7 AA. Contato: 8525-6672 Ceasa-DF lança campanha para eliminar contaminação cruzada entre lavouras Uma campanha para tra- zer mais segurança quanto à qualidade e higieni- zação dos produtos oferecidos pela Ceasa-DF aos milhares de consumidores que sema- nalmente a visitam, está sendo mobilizada pela direção da em- presa com o foco inteiramente voltado para seu público inter- no. Assim, os setores atacadis- ta e varejista, além do transpor- te, carregadores e quem mais manipular produto hortifruti- granjeiro dentro da Ceasa, irá conhecer o Programa de Agro- qualidade, cujo objetivo básico é incentivar a higienização de milhares de caixas plásticas ali usadas e, gradativamente, eli- minar de vez a caixa de madei- ra, que só pode ser usada uma única vez, pois no segundo uso já pode estar contaminada por correr o risco permanente de ser facilmente atingida pela contaminação cruzada entre lavouras. O presidente da Ceasa-DF, Wilder Santos, explica que a campanha pretende atingir cin- co pontos que ele considera importantes para fortalecer a relação entre varejo e ataca- do da Ceasa com os seus mi- lhares de clientes. São eles: a qualidade do produto, o foco na segurança alimentar, a redução de custos com a diminuição das perdas, a responsabilida- de socioambiental com susten- tabilidade, e a eliminação da contaminação cruzada. “Com isso, esperamos fazer com que a Ceasa-DF colabore para me- lhorar o abastecimento de pro- dutos hortifrutícolas e, assim, ampliar a segurança alimentar e nutricional do DF e Entorno”, afirma Wilder Santos. A campanha será dividida em cinco eixos: Higienização e padronização das caixas plás- ticas, Rotulagem atrelada à rastreabilidade, Monitoramen- to de resíduos de agrotóxico, Classificação dos produtos hortifrutícolas, e Gerenciamen- to de resíduos sólidos. A dire- toria técnica e operacional da Ceasa explica que a campanha pretende mostrar o que deve e o que não deve ser feito neste setor e, também, alertar os em- presários, consumidores e pro- dutores rurais que podem estar cometendo um crime caso com- prem ou mesmo usem uma cai- xa com a marca raspada, pois a mesma pode ter sido rouba- da, levando assim vendedor e comprador à cumplicidade. Segundo o presidente da empresa, a fase educativa da campanha será importante para mostrar que manipulação e uso corretos das caixas são ações fundamentais para ga- rantir a qualidade dos produtos e a saúde dos consumidores. Começou nesta terça-fei- ra (30) a 31° Exposição e Encontro de Supermercadis- tas do Distrito Federal (Expoe- cos DF). E para divulgar os pro- dutos das agroindústrias do DF, o Sistema Agricultura - formado pela Secretaria de Agricultura e Desenvolvimento Rural (Sea- gri-DF), pela Centrais de Abas- tecimento do DF (Ceasa-DF) e pela Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do DF (Emater-DF) – participa do evento com um espaço institu- cional. Até esta quinta-feira (1º), os visitantes podem conhecer 14 agroindústrias do DF e seus produtos, como desidratados, embutidos, laticínios, doces, geleias, molhos e muito mais. Para o presidente da Emater- -DF, Marcelo Piccin, o evento é uma oportunidade para fecha- rem negócios, já que o Distrito Federal conta com mais de 700 supermercados. “Os pequenos supermercados, de poucas lo- jas, que possuem um volume de comercialização menor, são estratégicos para os produto- res”, diz. No DF são registradas pela Secretaria de Agricultura 80 agroidústrias. Dessas, 25 estão regularizadas por meio da Lei do Processamento Artesanal, definida pela lei 4.096 de 2008. Com essa lei, as agroindústrias de caráter artesanal — que an- tes se encontravam na informa- lidade — passaram a ter suas atividades reconhecidas, suas peculiaridades respeitadas e as suas características cultu- rais, regionais e tradicionais resguardadas. Para o incentivar o desen- volvimento agroindustrial da região, o Sistema Agricultu- ra trabalha a capacitação dos produtores no processo e nas boas práticas de fabricação, orienta sobre a implantação e regularização e promove a di- vulgação em feiras e eventos. Agroindústrias do DF participam da Expoecos 2013
    • Produtores rurais e Sistema Agricultura debatem ações para área rural Integrantes do Conselho de Desenvolvimento Rural Sustentável do Paranoá rea- lizaram encontro com o se- cretário de Agricultura, Lúcio Valadão, e os presidentes da Emater, Marcelo Piccin e da Ceasa, Wilder Santos, no dia 26 de julho, na região do Café Sem Troco (Paranoá), para de- bater as ações realizadas em prol da área rural. O secretário de Agricultura destacou o esforço para que as políticas voltadas para a agricultura destaquem a atua- ção da sociedade civil organi- zada. “Temos um novo Fundo de Desenvolvimento Rural, que destina recursos, por meio dos Conselhos de Desenvolvimen- to Rural, para serem aplicados na infraestrutura da área ru- ral. Isso é inédito”, ressaltou. “Temos a previsão de aplicar R$ 4 milhões. As demandas são apresentadas pelos Con- selhos, que fazem o diálogo com as associações, na base, para definir as necessidades. Isso para nós é fundamental. É um avanço muito grande na relação com a sociedade e um reconhecimento da importância do papel dos Conselhos Regio- nais de Desenvolvimento Ru- ral”, disse. Empossados em maio, a presidenta Rosângela Moraes e o secretário executivo do Conselho, Adherbal Vicenti- no, falaram sobre a importân- cia das ações que priorizam a participação popular nas polí- ticas executadas pela gestão Agnelo. “É importante que o governo crie espaço para que a população possa falar quais são as necessidades que tem. Com as novas regras do Fun- do de Desenvolvimento Rural, propomos a construção de um local para a comercialização dos produtores do Paranoá”, disse Rosangela. “Logo depois da nossa eleição, chamamos as lideranças das associações para discutir a prioridade e foi decidido a construção do cen- tro de comercialização”, expli- cou Vicentino. Para o presidente da Ceasa, Wilder Santos a participação direta da sociedade civil tam- bém é o melhor caminho para promover o desenvolvimento. “É fundamental que os núcleos rurais se organizem, e os Con- selhos são o melhor modo de dar voz às comunidades. Nós estamos à disposição para atender a todas as demandas que couberem à Ceasa-DF”, falou. O presidente da Emater, pa- rabenizou a nova diretoria do Conselho do Paranoá enfatizou o compromisso com o desen- volvimento rural “Parabenizo o Conselho e reforço o com- pormisso da Emater de tratar as questões na perspectiva de melhorar tanto a vida dos pro- dutores e das produtoras quan- to o nosso compromisso de go- Cooperação entre Seagri-DF e Detran-DF leva formação de condutores às áreas rurais Os moradores das áreas rurais do Distrito Fede- ral terão aulas para habilitação de motoristas perto dos locais onde moram, graças a acordo de cooperação assinado en- tre o secretário de Agricultura, Lúcio Valadão, e o diretor do Detran, José Bezerra, nessa segunda-feira (29). “É determinação do gover- nador Agnelo que os órgãos de governo atuem de maneira articulada para levar melhorias e oportunidades à população. É isso que estamos fazendo”, destacou Valadão. A assinatura ocorreu duran- te a aula inaugural da segunda turma que formará motoristas nas áreas rurais, que recebe as aulas no Centro Educacional Taquara, na área rural de Pla- naltina e conta com 34 alunos. A primeira turma, que obte- ve 100% de aprovação, teve aulas entre outubro dezembro de 2012 no núcleo rural de Ta- batinga, também em Planalti- na, na escola Várzeas e teve a participação de 35 moradores. O sucesso do projeto piloto assegurou a viabilidade da ex- pansão da formação de con- dutores para todas as áreas rurais. “É uma necessidade que temos. Dou aula numa escola rural de Planaltina, que fica na região da Pedra Fundamental e sinto muita dificuldade para me deslocar para lá. Vou de ônibus ou vou de carona. Agora isso vai mudar”, contou Francisca da Silva, moradora do Núcleo Rural Taquara. A Secretaria de Agricultura está mapeando as áreas ru- rais do DF para, conjuntamente com o Detran, determinar quais as próximas localidades irão receber aulas de formação de condutores. verno de manter uma extensão de qualidade”, afirmou. Regularização Fundiária Também presente no encon- tro, o deputado distrital Joe Val- le falou sobre o empenho que o Executivo e Legislativo locais têm desprendido para dar mais celeridade à regularização fun- diária e sobre o trabalho reali- zado para sensibilizar o judiciá- rio e o Ministério Público para que o entendimento sobre a questão seja amplo e seguro. “Joe Valle disse, ainda, que irá dipor 50% das emendas parlamentares a que tem direito aos Conselhos de Desenvolvi- mento Rural Sustentável, para que decidam quais as priorida- des de investimento, a exemplo do que ocorre com o Fundo de Desenvolvimento Rural, na mo- dalidade Social.
    • Cerca de cem trabalhadoras rurais do acampamento 1º de Julho, em São Sebastião, fize- ram Cadastro de Pessoa Física (CPF), carteira de trabalho, regis- tro no Cadastro Único do gover- no federal (CadÚnico) e tiveram acesso a diversos serviços do po- der público, nos dias 30 e 31/7. “Estamos permitindo que as trabalhadoras rurais tenham aces- so aos direitos que possuem. É importante que o Estado conheça seus cidadãos, assim as políticas públicas podem ser mais bem planejadas, de acordo com cada segmento”, explicou Tiago Flores, Mutirão leva cidadania a trabalhadoras rurais da região de São Sebastião gerente de educação do campo e cidadania da Secretaria de Agri- cultura. O público também pode ter acesso a serviços como aferição de pressão e de nível de glicose, assistência técnica rural, expe- dição de carteira de trabalho e orientações sobre o direito da mu- lher e sobre os serviços prestado pelo INSS. A ação conjunta envolveu, além da Secretaria de Agricultura, a Secretaria de Desenvolvimento Social e Transferência de Renda, da Mulher, de Saúde, Emater-DF, Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA), do Trabalho (MTE) e o INSS. “A ação é importante até para identificar quem realmente são tra- balhadoras e trabalhadores rurais, que querem tirar o sustento da ter- ra. Muitos também têm dificulda- des para ir à cidade tirar documen- tos. Nos sentimos valorizados com o que acontece aqui, hoje”, disse Eliana dos Santos, coordenadora do acampamento 1º de Julho. PNDTR A ação faz parte do Programa Nacional de Documentação das Trabalhadoras Rurais (PNDTR), Do MDA, que visa promover a in- clusão social das trabalhadoras ru- rais por meio da emissão gratuita de documentos civis, trabalhistas e de acesso aos direitos previden- ciários, por meio de mutirões itine- rantes de documentação. O PNDTR faz parte do Progra- ma Territórios da Cidadania e do Pacto de Redução das Desigual- dades Regionais e realiza ações educativas para esclarecer as be- neficiárias sobre o uso de docu- mentos, apresentar políticas públi- cas e orientar como acessá-las. Informativo produzido pelas assessorias de comunicação social: Secretaria de Agricultura e Desenvolvimento Rural (Seagri-DF) - 3051-6347 Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural (Emater-DF) - 3340-3002 Centrais de Abastecimento do Distrito Federal (Ceasa-DF) - 3363-1024 O Pavilhão 8 da Ceasa (Mercado do Produtor), mais conhecido como Pedra, está com sua reforma quase concluída para melhor servir seus 600 varejistas envolvidos com frutas, ver- duras e legumes produzidos no Distrito Federal e Entorno. São homens e mulheres, jovens e adultos, que todo sábado, das 6h às 13h, recebem cerca de 5 mil visitantes, transformando o local num dos mais movimentados e tradicionais pontos comerciais de Brasília, onde pratica- mente todos se conhecem. E o Informe Rural, a partir desta edição, irá mostrar alguns desses POVO DA PEDRA Cleonice Piasso já está trabalhando há cinco anos na Pe- dra da Ceasa-DF, lidando com hortifrutigranjeiros. Sempre sor- ridente e pronta a prestar informações, dona Cleonice acha que as coisas estão começando a melhorar, mas que os varejistas da Pedra precisam de mais atenção, principalmente quanto a fatores como segurança, higiene e política de distribuição de espaços. Marcos Germano Ferreira vende frutas na Pedra da Ceasa- -DF há 8 anos e reivindica mais rapidez nas providencias em setores como estacionamentos, segurança e distribuição de espaços. Siga o Sistema Agricultura nas redes sociais: facebook.com/seagri.agricultura facebook.com/ematerdistritofederal facebook.com/ceasa-df twitter.com/ematerdf