• Share
  • Email
  • Embed
  • Like
  • Save
  • Private Content
Artigo.
 

Artigo.

on

  • 740 views

 

Statistics

Views

Total Views
740
Views on SlideShare
740
Embed Views
0

Actions

Likes
0
Downloads
13
Comments
0

0 Embeds 0

No embeds

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Adobe PDF

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

    Artigo. Artigo. Document Transcript

    • Generated by Foxit PDF Creator © Foxit Software http://www.foxitsoftware.com For evaluation only. UM NOVO CONTEXTO DENTRO DE SALA DE AULA: O USO DA INFORMÁTICA EDUCATIVA COMO AUXILIO PARA A RESOLUÇÃO DE PROBLEMAS. Luan Mayco Silva Rodrigues Universidade do Estado do Pará mayco12sr@hotmai.com Márcio Willian Tavares Soares Universidade do Estado do Pará marwillian@hotmail.com Tayana Izabela Grego da Cunha Universidade do Estado do Pará tayanagrego@gmail.comResumoO objetivo desta pesquisa é analisar a relação que a informática educativa apresentaperante a resolução de problemas. Para conjecturar o assunto abordado, utilizamoscomo base teórica os estudos diante da Educação Matemática, para estudar asnovas metodologias para a resolução de problemas matemáticos utilizando recursostecnológicos. A realidade nas escolas diante dessa nova forma de ensinar aresolução de problemas com o uso da informática foi analisado após aplicação dequestionários destinados a professores e alunos do ensino médio, de uma escolaparticular. Os resultados apontam que mesmo com as possibilidades de aplicaçãoda informática educativa nos assuntos matemáticos, a realidade dentro de sala deaula é totalmente contraria.Palavras-chave: Informática educativa, resolução de problemas, ensinomatemático.A realidade das salas de aulas em relação à informática educativa. Diante da atualidade, é perceptível que a pessoa que não sabe manusear umaparelho eletrônico é automaticamente criticada pela sociedade, por não estaracompanhando o crescimento da globalização e a massificação da robótica. Não
    • Generated by Foxit PDF Creator © Foxit Software http://www.foxitsoftware.com For evaluation only.seria diferente no campo da educação. Hoje em dia, há uma crítica em relação àformação dos professores, pois os alunos cada vez, estão mais exigentes emrelação ao uso de ferramentas que facilitem o aprendizado dentro de sala de aula.Por isso uma grande quantidade de escolas, exige pelo menos uma formação básicade computação e inglês para os docentes, afinal, seria fora dos costumes, porexemplo, um aluno saber manusear mais ferramentas do que um professor. O uso da informática dentro das salas de aula parece ser uma daspossibilidades, para fazer com que o aluno se interesse pelo conteúdo a serministrado. A questão é: o professor fazer com que o discentes consiga utilizaraquilo que pra ele representa diversão, em aprendizado significativo. Outro problemaé encontrado, existem docentes que não admitem reciclar a sua metodologia deensino e acabam fazendo com que os educandos tenham aversão a disciplinaministrada. Segundo RODRIGUES “A Informática Educativa se caracteriza pelo uso dainformática como suporte ao professor, como um instrumento a mais em sua sala deaula, no qual o professor possa utilizar esses recursos colocados a sua disposição.”(2010), essa passa a ser a maior dificuldade enfrentada pelos professores, que éfazer com que o educando compreenda que a informática é apenas mais uminstrumento de ensino, e não uma “nova” forma de ensinar. Dentro das salas deaula, já se observa a facilidade de aprendizado dos discentes, em determinadasdisciplinas, com as novas tecnologias de ensino. Por exemplo, vídeos-aula,softwares desenvolvidos para resolução de questões, entre outros. SegundoVALENTE: A informática na educação que estamos tratando, enfatiza o fato de o professor da disciplina curricular ter conhecimento sobre os potenciais educacionais do computador e ser capaz de alternar adequadamente atividades tradicionais de ensino- aprendizagem e atividades que usam o computador. No entanto, a atividade de uso do computador pode ser feita tanto para continuar transmitindo a informação para o aluno e, portanto, para reforçar o processo instrucionista, quanto para criar condições do aluno construir seu conhecimento. (1999) O computador passa a ser então o novo “dever de casa” dos alunos, pois pormeio dele, haverá um envolvimento maior do discente com a disciplina que estáutilizando a tecnologia como ferramenta. É claro que nem todos podem ter acesso à
    • Generated by Foxit PDF Creator © Foxit Software http://www.foxitsoftware.com For evaluation only.informática, como por exemplo, alunos de escola pública, que na maioria das vezessão oriundos de famílias de classe baixa e por esse motivo, não podem ter acesso áessa ferramenta dentro de casa. Essa problemática faz com que o discurso do professor que preserva a suaformação inicial, seja reforçado, ou seja, eles dizem que como esses educandos nãopodem ter acesso a esse tipo de inovação, eles devem adquirir o conhecimentoatravés do método tradicional. Talvez seja por esse motivo que na maioria dasvezes, esses alunos não venham apresentar um desempenho igual ao queapresentam discentes de escolas particulares, por exemplo. Por isso que o professordeve saber exatamente em que ambiente ele deve aplicar a informática educativa.Deve avaliar se aquela escola tem equipamentos que possibilitem com esse tipo deaula seja ministrado. E é com essas idéias que surge então a nova “cara” dada aoensino escolar: A informática Educativa.Informática educativa: A nova vertente do ensino matemático. Atualmente o processo de desenvolvimento do ensino matemático vem emuma crescente modificação perante suas metodologias e ensinamentos, astendências matemáticas contribuem para a inserção de uma inovadora visão ao quese concerne as novas formas de ensinar matemática. A informática educativa eumas das tendências que, contribui nas mudanças nos processos de ensinomatemático. Como termo informática educativa deixa transparecer, o papel dasferramentas computacionais e justamente interagir nos ambientes educacionais,tendo assim como propósito torna as aulas mais dinâmicas, instigadoras emotivadoras, diante da matéria ensinada. A Educação Matemática preocupasse hoje, muito com a realidade impostapela interação dinâmica entre ações do aluno e reações do ambiente, buscandoassim fornecer uma aprendizagem matemática mais co-relacionada aos aspectosvivenciados pelo alunado, havendo a preocupação de quais recursos a seremutilizados para o transmitir dos conhecimentos matemáticos vias aos recursostecnológicos e sua contribuição para o processo de ensino aprendizagem, semperde de foco o objetivo principal, que é ensinar os conhecimentos impostos pelamatéria. De acordo com as idéias de Bogdan e Biklen (1994) para uma apreensão
    • Generated by Foxit PDF Creator © Foxit Software http://www.foxitsoftware.com For evaluation only.mais completa do objeto, é preciso levar em conta o contexto em que ele se situa.Tal interatividade que está explicitamente imposta é oferecer suporte asconcretizações e ações mentais dos estudantes; isto se materializa narepresentação dos objetos matemáticos na tela do computador e na possibilidade demanipular estes objetos via sua representação. Vários são os programas computacionais que fazem ‘traduções’ entrediferentes sistemas de representação, apresentam-se como potentes recursospedagógicos, um exemplo é o programa Excel que diante de suas variadas funçõescompete a elas traduções de sentenças, análise e construções de gráficos,elaboração de planilhas dentre outras, diante disso o aluno pode concentrar-se eminterpretar o efeito de suas ações frente às diferentes representações, até de formasimultânea, e não em aspectos relativos à transição de um sistema a outro, atividadeque geralmente demanda tempo. A Educação Matemática vem moldando suas metodologias para um novocontexto que inclui novas ferramentas a serem conhecidas e assimiladas peloseducadores, visto que a nova geração já nasceu na era virtual e digital, o alunoassim possui um aprendizado muito mais rápido e fácil do que os própriosprofessores que têm que se atualizar constantemente e transformar seus métodospedagógicos, de forma que auxiliem os estudantes a adquirir conhecimentos reais epráticos diante da avalanche de informações a que estamos sujeitos diariamente,mostrando formas inovadoras de aprender utilizando recursos tecnológicos, emespecial o computador. O ensino matemático cria uma nova vertente para se equiparar com ainformática, entretanto é necessário ressaltar que a informática educativa não é umestudo que trará frutos necessariamente positivos e melhorará em cem por cento oaproveitamento dos alunos diante do ensino da matéria, existem os erros quepodem delimitar o progresso com contribuição dessa nova metodologia no ensinomatemático, tendo vista que para um melhor alcance dos resultados seja necessárioum estudo aprofundado diante da inserção dos objetos tecnológicos no progresso deensino aprendizagem. Segundo Borba e Penteado (2005), embora em muitas [escolas] o trabalhocom informática tenha recebido apoio incessante da coordenação e direção, issonão é regra geral e podemos encontrar escolas onde a sala de informática é
    • Generated by Foxit PDF Creator © Foxit Software http://www.foxitsoftware.com For evaluation only.subutilizada. Os propícios conhecimentos a serem adquiridos com as aulas práticasrelacionadas com as novas tecnologias dependem de vários fatores que além daatuação do professor do projeto político pedagógico da instituição, isto é, jamaisperde de foco os objetivos dessa nova metodologia. E essa nova vertente vêmauxiliando cada vez mais no aprendizado escolar, principalmente em questões quesão apresentadas maiores dificuldades de aprendizado, como por exemplo, aresolução de problemas.A informática e sua contribuição na resolução de problemas. Além de todo o processo de ajuda da resolução de problemas com relação àinformática, é preciso desenvolver no aluno a habilidade de elaborar um raciocíniológico e fazer uso inteligente e eficaz dos recursos disponíveis, para que ele possapropor boas soluções às questões que surgem em seu dia-a-dia, na escola ou foradela. Uma aula de matemática onde os alunos, incentivados e orientados peloprofessor, trabalhem de modo ativo, sozinhos ou em pequenos grupos divididos, nointeresse de buscar a solução de um problema, é que torna a aula mais dinâmica emotivadora do que a simples aula repetitiva de todos os dias, onde o professor fala,e o discente executa o processo clássico de apenas copiar do quadro. O resultadoque possa ser mais satisfatório de estudar matemática, está no surgimento quando oeducando, por si só (com auxílio de algum componente tecnológico, ou não)consegue resolver um problema que lhe foi imposto. Quanto maior for o gral dedificuldade do problema, maior vai ser o desejo de resolvê-lo, desencadeando assimno alunado um comportamento de pesquisa, diminuindo sua passividade econformismo. As novas tendências matemáticas possuem bem em seu âmbito depressupostos e objetivos uma inter-relação, no qual denota seus estudos podem sertrabalhados e ligados ao longo das aulas. Hoje o tradicional ensino de matemáticase delimita e os impostos pelas tendências afloram o interesse do aluno pelas váriasfaces dos conhecimentos matemáticos, nota-se que o ensino dessa matéria deixoude ser apenas aquele mero repassar de fórmulas para as possíveis resoluções deproblemas.
    • Generated by Foxit PDF Creator © Foxit Software http://www.foxitsoftware.com For evaluation only. Afinal, a resolução busca novos métodos para o instigar do aluno diante dosvários vértices de encontrar soluções e com o uso do computador, mesmo as tarefasmais simples, como desenhar na tela, escrever um texto, etc., são suficientementericas e complexas, permitindo o desenvolvimento de uma série de habilidades queajudam na solução de problemas, levando o discente a aprender através de seuserros. Desenvolver habilidades de análise de problema – para melhorar a habilidade dos alunos em analisar um problema pouco conhecido, identificar a informação desejada e necessária, ignorar informação dispensável e expressar claramente o objetivo ou meta do problema ou tarefa. - Desenvolver e selecionar estratégias – para ajudar os estudantes a construir uma coleção de estratégias de resolução de problemas úteis em uma variedade de contextos e selecionar e usar essas estratégias adequadamente. -Justificar as soluções – para melhorar a habilidade dos alunos em avaliar a validez das respostas. - Estender ou generalizar problemas – para ajudar os alunos a aprender a ir além da solução para os problemas, a considerar resultados ou processos aplicados em outras situações ou usados para formar regras ou procedimentos gerais. (VAN DE WALLE, 2009, p. 77) O propósito é romper com as limitações, muito delas auto-impostas docotidiano, convidando os alunos à reflexão sobre questões importantes da vida real,da sociedade em que vivem, propiciando uma crítica daquilo que é imposto aosmesmos. Isso implica também a participação dos professores, para o progresso doprojeto posto em prática. Assim analisar a realidade dentro de sala de aula, por meiode pesquisas, para debatermos os dados obtidos e verificarmos até que ponto oprofessor e o aluno provêm da informática nas aulas práticas de matemática.Resultados e discussões Na análise dos questionários dos professores, foram entrevistados quatroprofessores de matemática, que declaram algumas opiniões a respeito deinformática educativa. Inicialmente foi avaliado que os professores possuem cursode informática, ou seja, estão preparados para aplicar informática dentro das salasde aula.
    • Generated by Foxit PDF Creator © Foxit Software http://www.foxitsoftware.com For evaluation only.. A grande maioria dos entrevistados, respondeu que os alunos mostraminteresse em aprender matemática, e diante de sua formação os professores, emunanimidade responderam que possuem curso de informática, porém a minoriautiliza essa ferramenta em sala, para a resolução de problemas tendo assimcomentários de que alguns não aplicam a informática por não terem uma espécie demonitor para ajudar e auxiliar no desenvolver das aulas. A resolução de problemas do cotidiano, ou seja, questões contextualizadas, ejogos matemáticos, são ferramentas que podem fazer com que os alunos seinteressem mais pela matemática. Contudo, os professores concordam plenamenteque a forma de ensinar a matemática tem que ser modificada.
    • Generated by Foxit PDF Creator © Foxit Software http://www.foxitsoftware.com For evaluation only. Assim são adeptos de que informática na formação inicial do professor énecessária, assim como a utilização dela como objeto pedagógico, seria essencialpara o aprendizado dos alunos. A grande maioria ainda sente insegurança ao apresentar o computador aosalunos, por temer que haja dispersão do objetivo desse objeto pedagógico. Por issoeles deixam claro que concordam com a inserção da informática na vida dos alunos,mas que deve haver cuidado, para não haver dispersão entre eles. Uma questão,levantada por Kaput (1992), é sobre a utilização do verdadeiro potencial dastecnologias computacionais no Ensino de Matemática. É necessário rever osprocessos de ensino tradicionais da Matemática, assim modificando a maneiraimposta de aplicação demasiada de fórmulas para se chegar a resultados precisos ecoerentes, porém não delimitando ao aluno processos diferentes de se alcançar osmesmos resultados, assim defende-se uma mudança nas tradicionais formas de
    • Generated by Foxit PDF Creator © Foxit Software http://www.foxitsoftware.com For evaluation only.ensinar a matemática, visando o impacto das novas tecnologias e suas contribuiçõespara a diversificação diante do ensino matemático. Na análise do questionário dos alunos, dentre as vinte pessoas que foramentrevistadas, foram tiradas algumas conclusões. A respeito da utilização doscomputadores, percebemos que todos os alunos sabem manuseá-lo, o que não seráuma problemática para o desenvolvimento da informática educativa. Dentro da análise dos dados sobre o conhecimento das novas tendênciasmatemáticas, vemos que a maioria dos alunos tem conhecimento sobre essas novastendências, assim nota-se que são cem por cento dos alunos que sabem utilizar ocomputador.
    • Generated by Foxit PDF Creator © Foxit Software http://www.foxitsoftware.com For evaluation only. A análise do questionário demonstra que as tendências mais conhecidas dosalunos são a resolução de problemas e principalmente as que envolvam problemasdo cotidiano como a Etnomatemática, são as alternativas mais respondidas por eles,para que haja aprendizado significativo.Sobre o uso da informática dentro das salas de aula, analisamos que a maioriaacharia eficaz o uso de tecnologia nas aulas, mas que certamente o uso donotebook no lugar do caderno ainda se torna uma solução duvidosa. A pertinênciado uso da tecnologia informática é justificada por diversos fatores. Assim discordam da afirmativa acima, ressaltando que a máquina(computador) não poderia pensar por nós, somente nos ajudar, mas não chegar apensar. Por isso que a inserção do computador na vida dos alunos serviria apenascomo apoio na resolução dos problemas matemáticos, não como ferramenta deestudo.
    • Generated by Foxit PDF Creator © Foxit Software http://www.foxitsoftware.com For evaluation only.Considerações finais O raciocino lógico algoritmizado, que demonstra que partindo de situaçõesproblemas criam-se novas indagações, que a partir um problema visando assim oresultado, vários são os programas que possibilitam que haja uma série deacontecimentos que podem gerar uma nova situação problema, desenvolveremsimulações, analises, generalizações de uma situação-problema que traga dadosnos quais nota-se a resposta geral do problema imposto, possibilitando que aoinserir os dados em um programa milhares são resultados apresentados. Um dessesprogramas é o Cabri-géomètre disponível: (http://geomeios.multimeios.ufc.br), noqual utiliza diversas hipóteses sobre os vários modelos figuras a serem formadas apartir de uma. Vamos considerar que o plano cartesiano apresentado no Geogebra seja omapa do seu bairro. Consideraremos ainda que a origem (local onde os eixos secruzam - figura abaixo) é a sua casa. Imagine ainda que uma quadra seja um quadrado de lado igual a 1. (como nafigura abaixo)
    • Generated by Foxit PDF Creator © Foxit Software http://www.foxitsoftware.com For evaluation only. Então, podemos dizer que a biblioteca está a 3 quadras ao leste de sua casa(para direita) e 2 quadras ao sul de sua casa (para baixo). Vamos adotar o nortesendo para cima, o sul para baixo, o leste para direita e o oeste para esquerda.Localização de pontos: Utilizando as informações dadas acima, marque com pontos no planocartesiano do Geogebra as seguintes localidades (para chegar a cada uma daslocalidades sempre utilize sua casa como início): 1. Escola. A escola está localizada a três quadras ao oeste e quatro quadras ao norte; 2. Supermercado. O supermercado está localizado a duas quadras ao leste e a cinco quadras ao sul; 3. Lan House. A lan house está localizada a uma quadra ao leste e a três quadras ao norte; 4. Parque. O parque está a sete quadras ao oeste e a três quadras ao sul; 5. Teatro. O teatro está a três quadras ao oeste e a sete quadras ao sul; 6. Cinema. O cinema está a oito quadras ao norte; 7. Museu. O museu está a cinco quadras ao oeste. A localização de pontos no plano cartesiano é dada por suas coordenadas,chamadas coordenadas cartesiano. A aplicação da atividade acima é imposta por um programa informatizado degeometria o Geogebra, que tem as seguintes finalidades e funções, realizar
    • Generated by Foxit PDF Creator © Foxit Software http://www.foxitsoftware.com For evaluation only.construções utilizando pontos, vetores, segmentos, retas, seções cônicas bem comofunções e alterar todos esses objetos dinamicamente. A disponibilidade de recursoscomo internet e softwares educacionais abrem um leque de possibilidades didáticas,modificando as relações entre professor e aluno. D’AMBRÓSIO e BARROS (1990)acrescentam que estas mudanças causam grandes impactos na sociedade, gerandoreflexos conceituais e curriculares na Educação Básica e na Educação Superior. Nota-se que a partir de programas tecnológicos se desenvolve as diversasformas de se encontrar resultados para uma situação problema e que odesenvolvimento do raciocínio lógico dos alunos venha a ser ampliando via aosrecursos que o advento da tecnologia vem contribuindo para a contemplação dosensinos matemáticos, a informática educativa se usado de forma adequadapromoverá resultados plausíveis.REFERÊNCIAS:BOGDAN, R. BIKLEN, S. Investigação qualitativa em educação: uma introdução àteoria e aos métodos. Porto: Porto Editora, 1994.BORBA, M. C; PENTEADO, M. G. Informática e Educação Matemática. BeloHorizonte: Autêntica, 2005.CHAGAS, Eliza Marisa Paiva de Figueiredo. Educação matemática na sala deaula: problemáticas e possíveis soluções. Disponível em:http://www.ipv.pt/millenium/millenium29/31.pdfDANTE, L.R. Didática da resolução de problemas de matemática. Editora: ática,exemplar 3º, 1989.D’AMBRÓSIO; BARROS. Computadores, Escola e Sociedade. Editora Scipione.1990.KAPUT, James. Technology and Mathematics Education. University ofMassachussetts - Dartmouth. In: GROUWS, Douglas A. Handbook of Research onMathematics Teaching and Learning. National Council of Teachers ofMathematics. 1992.MEDEIROS, J.S.; CORREIA E. S. A Resolução de problemas matemáticos e oprofessor. UFAL, Alagoas, 1981.ROCHA, E. M.; SANTIAGO, L. M.; LOPES, J. O.; DANTAS, D. M. ; NETO H. B. Usoda informática nas aulas de matemática: obstáculo que precisa ser superadopelo professor, o aluno e a escola. Fortaleza – CE – Brasil, 2007.
    • Generated by Foxit PDF Creator © Foxit Software http://www.foxitsoftware.com For evaluation only.RODRIGUES, A.M. Computador Herói ou Vilão na Educação? Fortaleza – CE,2010.SILVA, Jaime Carvalho. A Matemática, a Tecnologia e a Escola. Disponível em:http://www.apm.pt/apm/revista/educ71/Editorial.pdf. Acesso em: 05/12/2010VALENTE, A.B. (1993) A Intransigência da Transferência de Conhecimento. Aser publicado, Acesso, FDE, São Paulo.VALENTE, José Armando. Por que o Computador na Educação? Disponível em:<http://edutec.net/Textos/Alia/PROINFO/prf_txtie09.htm> acesso em 05/12/2010_____________________. O computador na sociedade do conhecimento.Campinas - SP: UNICAMP/NIED, 1999.