• Like
Reino Protoctista
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Reino Protoctista

  • 32,692 views
Uploaded on

Apresentação de Power Point contendo a revisão da matéria de Ciências do 2° trimestre do ano de 2009 no Colégio Pedro II - UESC II

Apresentação de Power Point contendo a revisão da matéria de Ciências do 2° trimestre do ano de 2009 no Colégio Pedro II - UESC II

More in: Education
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
No Downloads

Views

Total Views
32,692
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
7

Actions

Shares
Downloads
589
Comments
3
Likes
3

Embeds 0

No embeds

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
    No notes for slide

Transcript

  • 1. O REINO PROTOCTISTA PROFª. LUCI FREITAS
  • 2. RECORDANDO PROFª. LUCI FREITAS OS CINCO REINOS REINO MONERA Inclui organismos procariontes, unicelulares, autótrofos (algumas bactérias e cianobactérias) ou heterótrofos (demais bactérias). REINO PROTOCTISTA Inclui organismos eucariontes, unicelulares (algumas algas e protozoários) ou pluricelulares (demais algas), heterótrofos (protozoários) ou autótrofos (todas as algas). REINO FUNGI Inclui organismos eucariontes, unicelulares (leveduras) ou pluricelulares (cogumelos), heterótrofos por absorção. REINO PLANTAE Inclui organismos eucariontes, pluricelulares, autótrofos. REINO ANIMALIA Inclui organismos eucariontes, pluricelulares, heterótrofos por ingestão .
  • 3. PROTOCTISTA PROFª. LUCI FREITAS
  • 4. 2 - ALGAS: EUCARIONTES, UNICELULARES OU PLURICELULARES, AUTÓTROFAS (com clorofila e outros pigmentos). REINO PROTOCTISTA 1 - PROTOZOÁRIOS: EUCARIONTES, UNICELULARES, HETERÓTROFOS. PROFª. LUCI FREITAS
  • 5. 1 - PROTOZOÁRIOS: Os protozoários são unicelulares, heterótrofos. Vivem isolados ou em colônias. Podem ser de vida livre, parasitas ou mutualísticos. São classificados em quatro grupos de acordo com a ausência ou presença e tipo de estrutura de locomoção que possuem: a) Locomoção por meio de flagelos = GRUPO FLAGELADOS. Ex: tripanossomo. b) Locomoção por meio de pseudópodes = GRUPO SARCODÍNEOS (também chamados Rizópodes). Ex: amebas. c) Locomoção por meio de cílios = GRUPO CILIADOS. Ex: paramécio. d) Sem estruturas de locomoção = GRUPO ESPOROZOÁRIOS (Movimento apenas por flexões ou deslizamento da célula). Todos os representantes deste grupo são parasitas. Ex: plasmódio. Observação : As estruturas de locomoção (pseudópodes, cílios e flagelos) também são utilizadas na captura de alimento. PROFª. LUCI FREITAS
  • 6. SARCODÍNEOS – apresentam pseudópodes PROFª. LUCI FREITAS PSEUDÓPODES Prolongamentos da membrana acompanhado do citoplasma (falsos pés). Muitos sarcodíneos possuem vida livre como Amoeba proteus . Outros são comensais (vivem dentro do corpo de animais alimentando-se de restos) como Entamoeba coli e Entamoeba gingivalis.
  • 7. PROFª. LUCI FREITAS FAGOCITOSE FAGOCITOSE Processo através do qual certas células englobam partículas utilizando seus pseudópodes.
  • 8. SARCODÍNEO PARASITA : Entamoeba histolytica Doença: DISENTERIA AMEBIANA OU AMEBÍASE Adquirida através de água ou alimentos contaminados com cistos da ameba eliminados nas fezes humanas. Causa ulcerações intestinais, diarréia com sangue, inflamação no intestino, enfraquecimento geral. PROFª. LUCI FREITAS As jovens amebas invadem a parede do intestino e começam a se alimentar de células e sangue. Além disso, elas começam a se multiplicar e a inflamar a parede do intestino. Com o tempo tal inflamação se rompe, liberando sangue junto com novas amebas. Algumas delas formam novos cistos que sairão com as fezes, contaminando a água e os alimentos. Ao ingerir água ou alimentos contaminados com cistos (formas de resistência) de amebas, os cistos chegam ao intestino do hospedeiro e se abrem, liberando jovens amebas.
  • 9. PROFª. LUCI FREITAS FLAGELADOS: Apresentam um ou mais flagelos Protozoários do gênero Trichonympha vivem em mutualismo no intestino de cupins. Digerem a celulose cedendo seus produtos aos cupins, em troca de abrigo e alimento. Graças a estes protozoários os cupins conseguem se alimentar de madeira.
  • 10. FLAGELADOS PARASITAS 1 – Trichomonas vaginallis Doença: TRICOMONÍASE (DST) Adquirida através de contato sexual, água, toalhas e objetos úmidos contaminados. Na mulher causa corrimento amarelo esverdeado, com mau cheiro, dor no ato sexual, ardência, dificuldade para urinar e coceira nos órgãos genitais. Os homens normalmente não têm sintomas e não sabem que estão infectados, mas podem ter desconforto e comichão no pênis, raramente corrimento e raramente dor ou ardor ao urinar. PROFª. LUCI FREITAS
  • 11. FLAGELADOS PARASITAS PROFª. LUCI FREITAS Ciclo do Trichomonas vaginallis
  • 12. 2 – Trypanosoma cruzi DOENÇA DE CHAGAS Adquirida através da contaminação pelas fezes do inseto (percevejo) conhecido como barbeiro (gênero Triatoma ). Os protozoários presentes nas fezes penetram através da lesão causada pela picada do inseto quando este suga o sangue. Causa miocardite e insuficiência cardíaca devido à lesões do músculo do coração (miocárdio). FLAGELADOS PARASITAS PROFª. LUCI FREITAS
  • 13. PROFª. LUCI FREITAS Modo de contaminação do homem
    • Orifício por onde o percevejo suga o sangue.
    • 2. Intestino do percevejo contendo os tripanossomos que saem com as fezes do barbeiro.
    • 3. Fezes do barbeiro contendo tripanossomos que penetram no corpo através da lesão causada pela picada.
    • 4. Através da corrente sanguínea os tripanossomos atingem os órgãos onde se instalam.
    • 5. O órgão preferencial do tripanossomo é o coração. Eles se instalam dentro das células cardíacas.
    • 6. Pele .
    FLAGELADOS PARASITAS
  • 14. PROFª. LUCI FREITAS Modo de contaminação do homem Os barbeiros são insetos hematófagos.Vivem em casas de palha ou de barro. Saem de seu esconderijo para se alimentar de sangue, com isso transmitem os protozoários ao homem. Os protozoários vivem no tubo digestivo desses insetos.
  • 15. 3 – Giárdia lamblia Doença: GIARDÍASE Adquirida através de água ou alimentos contaminados com cistos da giardia eliminados nas fezes humanas. Causa colite com dores intestinais e diarréia. FLAGELADOS PARASITAS Ciclo da Giardia lamblia PROFª. LUCI FREITAS
  • 16. FLAGELADOS PARASITAS PROFª. LUCI FREITAS 4 – Leishmania brasiliensis Doença: LEISHMANIOSE TEGUMENTAR ou ÚLCERA DE BAURÚ Adquirida através da picada do mosquito palha ou birigui (gênero Phlebotomus) Causa ulcerações no rosto, braços, pernas com necrose de tecidos conjuntivos
  • 17. FLAGELADOS PARASITAS PROFª. LUCI FREITAS Feridas causadas pela Leishmania
  • 18. PROFª. LUCI FREITAS CILIADOS: APRESENTAM CÍLIOS Muitos protozoários apresentam orgânulos especializados em determinadas funções, daí serem, funcionalmente, semelhantes aos órgãos. Suas células, no entanto, podem ser consideradas “pouco especializadas”, já que realizam sozinhas todas as funções vitais dos organismos mais complexos, como locomoção, obtenção do alimento, digestão, excreção, reprodução.
  • 19. PROFª. LUCI FREITAS CILIADOS: APRESENTAM CÍLIOS Nas espécies de vida livre há formação de vacúolos digestivos. As partículas alimentares penetram por uma abertura pré-existente na membrana, o citóstoma. Já no interior da célula ocorre a digestão e os resíduos sólidos não digeridos são expelidos num ponto determinado da membrana, o citopígio ou citoprocto. Os produtos solúveis de excreção podem ser eliminados em toda a superfície da célula. Em protozoários de água doce há um vacúolo contrátil que recolhe o excesso de água absorvido pela célula, expulsando-a de tempos em tempos por uma contração brusca. O vacúolo é, portanto, osmorregulador.
  • 20. PROFª. LUCI FREITAS CILIADOS PARASITAS Balantidium coli Doença: BALANTIDÍASE ou BALANTIDIOSE. Adquirida através da ingestão de água ou alimentos contaminados com os cistos do protozoário eliminados nas fezes humanas. Causa diarréia, febre, anorexia, cólicas abdominais, cefaléia, fraqueza. Balantídio Ciclo do balantídio no corpo humano
  • 21. PROFª. LUCI FREITAS ESPOROZOÁRIOS NÃO APRESENTAM ESTRUTURAS DE LOCOMOÇÃO. TODOS SÃO PARASITAS 1 - Plasmodium vivax Doença: MALÁRIA Adquirida através da picada do mosquito-prego (gênero Anopheles ). Causa febres cíclicas, anemia, lesões no baço, fígado e medula óssea. A malária pode ser causada por três espécies de plasmódio: Plasmodium vivax, Plasmodium falciparum e Plasmodium malariae PROFª. LUCI FREITAS Anófeles, ao picar, injeta o plasmódio hemácias liberando plasmódios
  • 22. ESPOROZOÁRIOS NÃO APRESENTAM ESTRUTURAS DE LOCOMOÇÃO. TODOS SÃO PARASITAS PROFª. LUCI FREITAS DISTRIBUIÇÃO DA MALÁRIA NO MUNDO
  • 23. ESPOROZOÁRIOS NÃO APRESENTAM ESTRUTURAS DE LOCOMOÇÃO. TODOS SÃO PARASITAS PROFª. LUCI FREITAS 2 – Toxoplasma gondii Doença: TOXOPLASMOSE (congênita ou adquirida). Adquirida através da água contaminada com cistos do protozoário que foram eliminados nas fezes de animais, como o gato, por exemplo. Ingestão de carne crua ou sem cozimento devido (porco ou boi) contaminada com cistos. Causa alteração no volume craniano, calcificações cerebrais, retardamento mental. Na transmissão transplacentária, o feto poderá apresentar lesão cerebral, deformidades físicas e convulsões. Toxoplasma
  • 24. ESPOROZOÁRIOS NÃO APRESENTAM ESTRUTURAS DE LOCOMOÇÃO. TODOS SÃO PARASITAS PROFª. LUCI FREITAS Ciclo do toxoplasma Ciclo do toxoplasma incluindo o ser humano
  • 25. REPRODUÇÃO DOS PROTOZOÁRIOS 2 – REPRODUÇÃO SEXUADA: por conjugação 1 – ASSEXUADA: por bipartição ou cissiparidade PROFª. LUCI FREITAS
  • 26. PROFª. LUCI FREITAS OUTROS PROTOZOÁRIOS Vorticella protozoário ciliado pedunculado com algas vivendo mutualisticamente em seu interior Stentor protozoário ciliado pedunculado Carapaças de radiolários e heliozoários Carapaças de foraminíferos
  • 27. ALGAS Todas as algas são eucariontes e autótrofas, podendo ser unicelulares ou pluricelulares. Todas as algas possuem clorofila , além de outros pigmentos. A clorofila está sempre dentro de cloroplastos. As algas unicelulares podem viver isoladas ou em colônias filamentosas. Nas algas pluricelulares as células se unem para formar uma estrutura sem diferenciação em tecidos. Esta estrutura é chamada TALO. São classificadas de acordo com a sua coloração, que é dada em função do pigmento predominante. ALGAS UNICELULARES Juntamente com as cianobactérias (reino Monera) respondem por 90% do gás oxigênio existente na atmosfera terrestre. Fazem parte do fitoplâncton. São classificadas em: 1 – EUGLENOPHYTAS 2 – BACILLARIOPHYTAS 3 – DINOPHYITAS PROFª. LUCI FREITAS
  • 28. PROFª. LUCI FREITAS ALGAS 1 – EUGLENOPHYTAS: pigmento predominante clorofila. Possuem flagelo. Os principais representantes são as euglenas. OBSERVAÇÃO: Quando mantidos no escuro apresentam regressão dos cloroplastos, perdem a cor e tornam-se heterótrofos. Transferidos para locais iluminados, os cloroplastos se desenvolvem e voltam a fazer a fotossíntese.
  • 29. PROFª. LUCI FREITAS ALGAS 2 – BACILLARIOPHYTAS: Além da clorofila possuem caroteno e outros pigmentos que lhes conferem a cor dourada característica. A carapaça é impregnada de sílica. Os depósitos dessas carapaças silicosas, no fundo dos mares, formam uma terra muito fina chamada “terra de diatomáceas” ou “diatomito”, utilizada como abrasivo nos polidores de metais e em pastas de dente. Os principais representantes são as diatomáceas. diatomácea carapaças silicosas de diatomáceas
  • 30. ALGAS PROFª. LUCI FREITAS 3 – DINOPHYITAS: Além da clorofila possuem pigmentos que lhes dão a cor amarelo-pardo ou amarelo-esverdeado. São biflageladas. O batimento desses flagelos provoca no organismo um movimento de pião. Os principais representantes são os dinoflagelados. Gêneros Ceratium e Goniaulax
  • 31. ALGAS PROFª. LUCI FREITAS O aumento excessivo da população de alguns dinoflagelados (gênero Gonyaulax ), provoca o desequilíbrio ecológico conhecido como maré-vermelha. Estas algas secretam substâncias tóxicas. A água, nos locais em que há excesso desses dinoflagelados adquire, comumente, coloração vermelha ou marrom e se torna imprópria para o consumo humano e também para outros organismos, como peixes e moluscos. Ingeridas pelo homem essas toxinas se acumulam no seu organismo, atuando como neurotoxinas, afetando o seu sistema nervoso. Alguns dinoflagelados têm a característica de serem bioluminescentes (gênero Noctiluca ), isto é, conseguem transformar energia química em luz, parecendo minúsculas "gotas de geléia transparente" no mar, sendo responsáveis pela luminosidade observada nas ondas do mar ou na areia da praia à noite. É heterótrofo. Maré Vermelha Noctiluca
  • 32. ALGAS PROFª. LUCI FREITAS ALGAS PLURICELULARES Muitas possuem estruturas semelhantes a folhas e caules, mas não estão classificadas no reino Plantae porque suas células não formam tecidos com funções especializadas. Suas paredes celulares possuem celulose e sua substância de reserva é o amido . Tais características aproximam as clorófitas dos vegetais terrestres, sendo sustentada a hipótese da evolução das plantas a partir das algas verdes. São classificadas em: 1 – CHLOROPHYTAS 2 – PHAEOPHYTAS 3 – RHODOPHYTAS
  • 33. ALGAS ALGAS PLURICELULARES PROFª. LUCI FREITAS 1 – CHLOROPHYTAS: são as algas verdes. Seu pigmento é a clorofila. Observação: existem Chlorophytas unicelulares e coloniais. Ulva lactuca Caulerpa racemosa Spirogyra Caulerpa sertularioides Halimeda taenicola Volvox Acetabularia
  • 34. ALGAS ALGAS PLURICELULARES PROFª. LUCI FREITAS 2 – PHAEOPHYTAS: são as algas pardas. Possuem, além da clorofila , o pigmento xantofila (pardo). As algas pardas fornecem matéria prima para a indústria alimentícia e farmacêutica (estabilizadores de cremes dentais e sorvetes). Kelps: são imensas florestas aquáticas formadas por algas pardas gigantes. Nesses locais a biodiversidade de animais é enorme. Laminaria Microdictyon umbilicatum Sargassum Fucus
  • 35. ALGAS ALGAS PLURICELULARES PROFª. LUCI FREITAS 3 – RHODOPHYTAS: são as algas vermelhas. Possuem, além da clorofila , o pigmento caroteno (vermelho). As algas vermelhas possuem em suas células substâncias de interesse comercial, como o ágar e a carragenina, que são utilizadas nas indústrias farmacêutica, cosmética e alimentícia. O ágar também é utilizado como meio de cultura para bactérias. Gelidium Sporolithon episoredion Galaxaura filamentosa Cryptonemia umbraticola Porphyra Sushi (iguaria da culinária japonesa)