Resumo inicial cátia dias

864 views

Published on

0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total views
864
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
6
Actions
Shares
0
Downloads
6
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Resumo inicial cátia dias

  1. 1. qwertyuiopasdfghjklçzxcvbnmqwertyuio pasdfghjklçzxcvbnmqwertyuiopasdfghjk lçzxcvbnmqwertyuiopasdfghjklçzxcvbn mqwertyuiopasdfghjklçzxcvbnmqwertyu Resumo Inicial iopasdfghjklçzxcvbnmqwertyuiopasdfgh 01 de Março de 2010 jklçzxcvbnmqwertyuiopasdfghjklçzxcvb Cátia Patrícia Dias nmqwertyuiopasdfghjklçzxcvbnmqwerty uiopasdfghjklçzxcvbnmqwertyuiopasdfg hjklçzxcvbnmqwertyuiopasdfghjklçzxcv bnmqwertyuiopasdfghjklçzxcvbnmqwert yuiopasdfghjklçzxcvbnmqwertyuiopasdf ghjklçzxcvbnmqwertyuiopasdfghjklçzxc vbnmqwertyuiopasdfghjklçzxcvbnmqwe rtyuiopasdfghjklçzxcvbnmrtyuiopasdfgh jklçzxcvbnmqwertyuiopasdfghjklçzxcvb nmqwertyuiopasdfghjklçzxcvbnmqwerty uiopasdfghjklçzxcvbnmqwertyuiopasdfg
  2. 2. Instituto Politécnico de Setúbal Escola Superior de Educação In s t i t u t o Polit é c n i c o de Setúb al Es c o l a Sup e ri o r d e Ed u c a ç ã o Título: Resumo Inicial Unidade Curricular: Introdução à Didáctica do Português Docentes: Fernanda Botelho Curso: Licenciatura em Educação Básica Turma: A Ano: 3.º Semestre: 2.º Elaborado por: Cátia Patrícia Dias, n.º 070142044 01 de Março de 2010 Introdução à Didáctica do Português Página 2
  3. 3. Instituto Politécnico de Setúbal Escola Superior de Educação Re s u m o Ini c i a l A evolução da espécie humana conduziu ao desenvolvimento das sociedades e respectivas comunidades linguísticas. A língua poder-se-á caracterizar-se natural ou artificial, sendo que a primeira surge através de manifestações espontâneas, erigidas com o homem, a segunda é criada pelo homem, num curto período de tempo, colocando em causa a sua continuidade na comunidade de falantes. A linguagem depende de dois factores cruciais ao seu desenvolvimento: o factor genético, dotado de um sistema cognitivo, inato e universal (faculdade da linguagem) que permite ao ser humano uma actividade linguística; o factor social, ou seja, o input linguístico de qualidade, que permite ao indivíduo o desenvolvimento correcto do seu sistema linguístico. A faculdade da linguagem é um processo comum a todos os humanos, tratando-se assim, de um universal linguístico, tomando como exemplo a presença do sujeito e o predicado no uso da comunicação nas diferentes modalidades (oral e gráfica). Estes factores possibilitam ao ser humano a troca de informação envolvendo a codificação, a transmissão e a descodificação de uma mensagem (comunicação). Com a evolução da espécie humana o ensino toma diferentes proporções e, deve com isso, assumir a consciencialização de democratização inerente à necessária melhoria de qualidade do ensino, onde a instituição escolar é reconhecida como uma instituição que forma cidadãos conscientes e mais pré-dispostos para um mundo económico, social e cultural. Assim sendo, torna-se essencial ser um proficiente da língua portuguesa para o exercício da profissão docente em geral. O profissional que não o seja será incapaz de identificar correctamente o nível de desenvolvimento linguístico que os seus alunos se encontram, colocando em causa a adequação de métodos apropriados a um desenvolvimento mais complexo. Assim sendo, um profissional idóneo tem de deter diversos conhecimentos que perpetuem um bom desenvolvimento linguístico dos estudantes, procurando na sua prática uma maior e melhor integração, por parte dos discentes, no processo de leitura e da escrita, compreendendo, o profissional, que todo este processo é determinado por etapas lógicas que facilitam, de certo modo, a aprendizagem e compreensão no que respeita à combinação do som no discurso (fonologia), Introdução à Didáctica do Português Página 3
  4. 4. Instituto Politécnico de Setúbal Escola Superior de Educação formação (morfologia e sintaxe), conteúdo (semântica) e uso da língua (pragmática). O profissional proficiente deve assumir a condição de agente educativo e proporcionar ao aluno proveniente de um outro país que não fale o português - padrão, um conjunto de diferenças sistemáticas da variedade a que ficou sujeito, para que seja alcançado algum sucesso no desenvolvimento linguístico da criança, pois a comunicação não ocorre se o falante e, ouvinte não dominarem o mesmo sistema linguístico. Acima de tudo, o profissional deve avaliar a sua prática pedagógica, reorganizá-la se necessário, para uma intervenção pedagógica mais adequada em conformidade com as necessidades actuais das crianças. Do c u m e n t o s con s ulta d o s: . DUARTE, Inês, “A formação em Língua Portuguesa na dupla perspectiva do formando como utilizador e como futuro docente da língua materna” in Inês Sim-Sim (org.), A formação para o Ensino da Língua Portuguesa na Educação Pré-Escolar e no 10º Ciclo do Ensino Básico, Cadernos de Formação de Professores, n.º 2, 2001, pp. 27-34. . MATEUS, Maria Helena Mira e VILLALVA, Alina – O Essencial sobre Linguística. Lisboa: Caminho, 2006. Pp. 13-17. . SIM-SIM, Inês – Desenvolvimento da Linguagem. Lisboa: Universidade Aberta,1998. Introdução à Didáctica do Português Página 4

×